Você está na página 1de 41

Avaliação de

Empresas
Módulo II – Ótica Patrimonial
Módulo III – Ótica de Mercado

Manuel Caldeira Pais

Apresentação | Autor
Página do manual

Índice

1. Ótica Patrimonial (Mód. II) 2. Ótica de Mercado (Mód. III)

1.1. Conceito Ótica Patrimonial 2.1. Conceito Ótica de Mercado

1.2. Valor Contabilístico 2.2. Principais Correções às Dem. Fin.

1.3. Valor Contabilístico Ajustado 2.3. Múltiplos de Mercado

1.4. Valor de Liquidação 2.4. Outros Múltiplos de Mercado

1.5. Valor Substancial 2.5. Limitações e Vantagens

1.6. Método de Inclusão do Goodwill

1.7. Limitações e Vantagens

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 2
1. Ótica Patrimonial (Mód. II)

1.1. Conceito Ótica Patrimonial

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 3
Página do manual 26

1.1. Conceito Ótica Patrimonial

• Esta ótica apresenta uma abordagem estática, baseando-se no facto das empresas terem histórico de

acumulação de riqueza decorrente das entradas de capital e dos resultados retidos (Ferreira, 2002).

• A forma de cálculo genérica das metodologias da Ótica Patrimonial assentam na diferença entre os

Ativos e os Passivos, representada pelo Capital Próprio ou Situação Líquida de uma sociedade.

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 4
Página do manual 26

1.1. Conceito Ótica Patrimonial

• Nesta ótica cada uma das


abordagens distingue os conceitos
de Valor da Empresa (Enterprise
Value) e de Valor dos Capitais
Próprios ou para os sócios ou
acionistas (Equity Value)

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 5
1. Ótica Patrimonial (Mód. II)

1.2. Valor Contabilístico

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 6
Página do manual 26

1.2. Valor Contabilístico

• O Valor Contabilístico é método mais acessível e direto já que é obtido simplesmente pela análise
dos valores contabilísticos das rúbricas de Balanço.

𝑻𝒐𝒕𝒂𝒍 𝒅𝒐 𝑨𝒕𝒊𝒗𝒐 − 𝑻𝒐𝒕𝒂𝒍 𝒅𝒐 𝑷𝒂𝒔𝒔𝒊𝒗𝒐 = 𝑪𝒂𝒑𝒊𝒕𝒂𝒍 𝑷𝒓ó𝒑𝒓𝒊𝒐

• Esta metodologia reflete unicamente os valores contabilísticos históricos que podem ser
significativamente dispares comparativamente à sua realidade económica, já que os valores
contabilísticos podem estar subvalorizados ou sobrevalorizados.

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 7
1. Ótica Patrimonial (Mód. II)

1.3. Valor Contabilístico


Ajustado

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 8
Página do manual 27

1.3. Valor Contabilístico Ajustado

• Esta Metodologia tenta contornar as limitações da abordagem contabilística, aproximando o valor

contabilístico dos ativos e dos passivos de uma empresa ao seu valor de mercado, através da

realização de correções e ajustamentos (Ferreira, 2002).

• Estas divergências, positivas ou negativas, que conduzem ao afastamento dos valores económicos,

podem ocorrer devido a diversos fatores que normalmente são justificados por variações

monetárias, evolução do mercado, por práticas contabilísticas e fiscais, ou ainda por erros.

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 9
Página do manual 27

1.3. Valor Contabilístico Ajustado

• Assim, esta metodologia propõe realizar correções e ajustamentos a:

• Rúbricas do Ativo - Podem incluir ajustamentos para valores de mercado de ativos fixos
tangíveis e anulação de ativos inexistentes, incobráveis, que não tenham qualquer valor de
mercado como por exemplo em “Ativos Intangíveis”, “Inventários” ou “Clientes”;

• Rúbricas do Passivo - Podem incluir situações de dívidas perdoadas ou inexistentes, ou que


não estão inscritas nas contas (dividas esquecidas ou não escrituradas mas que são exigíveis à
data da análise).

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 10
Página do manual 27

1.3. Valor Contabilístico Ajustado

• Assim, podemos apresentar a seguinte fórmula para o cálculo desta metodologia:

(+) Total do Ativo (-) Total do Passivo


(+/- ) Ajustamentos às rúbricas do Ativo - (+/-) Ajustamentos às rúbricas do Passivo
(=) Total do Ativo Ajustado (=) Total do Passivo Ajustado

(=) Valor Contabilístico Ajustado

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 11
1. Ótica Patrimonial (Mód. II)

1.4. Valor de Liquidação

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 12
Página do manual 32

1.4. Valor de Liquidação

• É uma metodologia aplicada em situações de transação forçada ou na liquidação de uma


organização (Ferreira, 2002).

• Quando se é forçado a vender, os valores dos ativos (principalmente os de menor liquidez) sofrem uma
diminuição que será tanto ou mais profunda quanto maior for a necessidade e a rapidez de vender.

• Quando aplicável, deve-se ainda somar os custos decorrentes da liquidação da empresa,


nomeadamente indeminizações a funcionários, despesas de falência, entre outros.

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 13
Página do manual 32

1.4. Valor de Liquidação

• Assim, podemos apresentar a seguinte fórmula para o cálculo desta metodologia:

(+) Total do Ativo Ajustado

(-) Ajustamentos do valor dos ativos de menor liquidez

(-) Total do Passivo Ajustado

(-) Custos inerentes à liquidação de uma empresa

(=) Valor de Liquidação

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 14
1. Ótica Patrimonial (Mód. II)

1.5. Valor Substancial

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 15
Página do manual 34

1.5. Valor Substancial

• O valor substancial pressupõe a estimativa do valor do investimento necessário para criar uma

empresa com idênticas condições às da organização objeto de avaliação;

• Utiliza-se o critério de valorização do custo de reposição para avaliar o conjunto de bens que

constituem o património da empresa e que são utilizados na sua atividade normal (Ferreira, 2002 e

Falcini, 1995).

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 16
1. Ótica Patrimonial (Mód. II)

1.6. Método de Inclusão do


Goodwill

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 17
Página do manual 35

1.6 Método de Inclusão do Goodwill

• Na tentativa de reduzir as limitações da Ótica Patrimonial é sugerida a inclusão do cálculo do

Goodwill ao Valor Contabilístico Ajustado de forma a incluir um prémio pelo desempenho da

empresa na criação de riqueza e de valor futuro.

• O cálculo do Valor dos Capitais Próprios é então a soma do Valor Contabilístico Ajustado e do valor

do Goodwill:

𝐸𝑞𝑢𝑖𝑡𝑦 𝑉𝑎𝑙𝑢𝑒 = 𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝐶𝑜𝑛𝑡𝑎𝑏𝑖𝑙𝑖𝑠𝑡𝑖𝑐𝑜 𝐴𝑗𝑢𝑠𝑡𝑎𝑑𝑜 + 𝐺𝑜𝑜𝑑𝑤𝑖𝑙𝑙

Valor Patrimonial

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 18
Página do manual 35

1.6 Método de Inclusão do Goodwill

• Para o cálculo do Goodwill, apresentamos o método dos Lucros Excedentes ou Supranormais que

corresponde ao excesso de Resultados Líquidos (RL) futuros que é possível obter em relação ao RL

considerado normal para os capitais investidos na empresa, atualizados à taxa de atualização que

reflita o risco associado aos mesmos.

• Os lucros excedentes atualizados podem ser obtidos através da seguinte fórmula:

𝑛
𝑅𝑒𝑠𝑢𝑙𝑡𝑎𝑑𝑜 𝐿𝑞𝑢𝑖𝑑𝑜 𝑡 − (𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝑃𝑎𝑡𝑟𝑖𝑚𝑜𝑛𝑖𝑎𝑙0 ∗ 𝐶𝑢𝑠𝑡𝑜 𝑑𝑒 𝐶𝑎𝑝𝑖𝑡𝑎𝑙)
𝐺𝑜𝑜𝑑𝑤𝑖𝑙𝑙 = ෍
(1 + 𝐶𝑢𝑠𝑡𝑜 𝑑𝑒 𝐶𝑎𝑝𝑖𝑡𝑎𝑙)𝑡
𝑡=1

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 19
1. Ótica Patrimonial (Mód. II)

1.7. Limitações e Vantagens

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 20
Página do manual 50

1.7. Limitações e Vantagens

• As rúbricas do Balanço estão valorizados ao custo histórico e dependem de critérios contabilísticos;

• O Balanço de uma empresa não sofre regularmente reavaliações que permita estar valorizado ao seu

valor de mercado;

• Para uma aproximação ao valor real é necessária a realização de correções e ajustamentos;

• É uma metodologia direta e de fácil aplicação, contudo em casos mais complexos é possível que seja

necessária a realização de auditorias para determinar as correções e ajustamentos;

• Não inclui perspetivas de evolução futura da atividade;

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 21
Página do manual 50

1.7. Limitações e Vantagens

• Ótica pouco utilizada no mercado, sendo apenas preponderante na determinação do valor da

empresa em situações muito específicas, nomeadamente em empresas em liquidação, que não

tenham perspetiva de continuidade do negócio ou ainda holdings imobiliárias ou de investimento;

• Nas restantes situações de avaliação deve ser uma metodologia complementar, pois é uma análise

importante para os sócios da empresa e investidores, de forma a conhecer o património real da

empresa e as respetivas obrigações, antecipando riscos que podem influenciar o negócio.

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 22
2. Ótica de Mercado (Mód. III)

2.1. Conceito da Ótica de


Mercado

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 23
Página do manual 41

2.1. Conceito da Ótica de Mercado

• A Ótica de Mercado ou Método Comparativo ou dos Múltiplos, baseia a sua metodologia na utilização

de múltiplos sobre indicadores económico-financeiros ou contabilísticos históricos, com base na

comparação entre empresas semelhantes ou operações de transação de empresas semelhantes;

• Um múltiplo representa e incorpora as tendências da procura e da oferta, refletindo os

pressupostos sobre a respetiva indústria ou setor de atividade, nomeadamente as perspetivas de

crescimento dos resultados e o risco associado ao negócio.

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 24
Página do manual 52

2.1. Conceito da Ótica de Mercado

• Nesta abordagem o Valor da Empresa e dos Capitais Próprios obtém-se da seguinte forma:

(+) Indicador x Múltiplo

(+) Ativos Extra-Exploração

(=) Valor da Empresa (Enterprise Value)

(-) Dívida Remunerada

(+) Excesso de Meios Libertos

(=) Valor dos Capitais Próprios (Equity Value)

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 25
2. Ótica de Mercado (Mód. III)

2.2. Principais Correções às


Demonstrações Financeiras

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 26
Página do manual 42

2.2. Principais Correções às Dem. Fin.

• A Ótica de Mercado baseia-se em indicadores provenientes das demonstrações financeiras históricas

e normalmente nas PME as mesmas não refletem a sua realidade operacional, devendo-se para o

efeito proceder a um conjunto de ajustamentos e correções, das quais se destacam:

• Vendas e Prestações de Serviços - Devido ao não registo de rendimentos operacionais;

• Custo das Mercadorias Vendidas e Matérias Consumidas (CMVMC) – Custos não registos,

derivado das vendas não registas ou o sobre/subdimenamento do custo em operações entre

empresas do mesmo sócio;

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 27
Página do manual 42

2.2. Principais Correções às Dem. Fin.

• Fornecimentos e Serviços Externos (FSE) – Necessidade de expurgar os gastos da esfera pessoal e

familiar que não estão afetos à atividade e são realizados para benefício próprio.

Subvalorização ou sobrevalorização de custos, como por exemplo quando o imóvel no qual a empresa

está instalada encontra-se na esfera pessoal do sócio e cobra uma renda abaixo do valor de mercado;

• Gastos com Pessoal – Subvalorização dos vencimentos dos sócios já que colocam despesas pessoais

na empresa, a sobrevalorização dos vencimentos com valores superiores ao praticado no mercado ou

ainda com pessoas nos quadros da empresa que não estão afetos à atividade (familiares dos sócios);

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 28
Página do manual 42

2.2. Principais Correções às Dem. Fin.

• Proveitos e Custos Extraordinários ou Não Recorrentes – Anulação de proveitos ou custos

considerados extraordinários ou que não são recorrentes na atividade da empresa (por exemplo as

mais ou menos valias na venda de equipamento que já não estava a ser utilizado);

• Proveitos e Custos Extra-exploração – Correção de proveitos ou custos não afetos à exploração da

empresa (por exemplo o rendimento proveniente de uma renda de um imóvel da empresa mas que

não está afeto à atividade).

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 29
2. Ótica de Mercado (Mód. III)

2.3. Múltiplos de Mercado

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 30
Página do manual 46

2.3. Múltiplos de Mercado

Os principais múltiplos de Mercado na Ótica da Entidade, utilizados na avaliação de PME, têm por base os

seguinte Indicadores Económico-financeiros e Contabilísticos:

• Vendas;

• EBITDA (Resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações);

• EBIT (Resultados antes de juros e impostos);

• SDE (Resultados Discricionários do Vendedor).

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 31
Página do manual 46

2.3. Múltiplos de Mercado

Múltiplo das Vendas (Valor da Empresa / Vendas)

• Este indicador é considerado muito simples, uma vez que as vendas de uma empresa são informações

acessíveis, para além de nunca apresentar valores negativos.

• Por outro lado, a desvantagem é não espelhar se está a gerar resultados positivos ou negativos.

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 32
Página do manual 48

2.3. Múltiplos de Mercado

Múltiplo do EBITDA (Valor da Empresa / EBITDA)

• Os resultados medidos pelo EBITDA não são afetados pelas amortizações contabilísticas, permitindo

comparar empresas muito semelhantes mas com políticas de investimento diferentes;

• O EBITDA não é afetado pelos efeitos do endividamento tornando a comparação entre empresa com

diferentes estruturas de capital;

• Normalmente os resultados medidos pelo EBITDA são positivos (quando é negativo é porque as empresas

estão em situações muito drásticas ou em fase de crise profunda).

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 33
Página do manual 50

2.3. Múltiplos de Mercado

Múltiplo do EBIT (Valor da Empresa / EBIT)

• As vantagens e desvantagens são as mesmas do EBITDA, excetuando este incorporar o efeito das

amortizações contabilísticas no seu cálculo;

• Deve-se utilizar este indicador quando os investimentos são importantes e se pretende incluir o impacto

desta variável durante o período em análise, refletida nas amortizações.

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 34
Página do manual 51

2.3. Múltiplos de Mercado

Múltiplo do SDE (Valor da Empresa / SDE)

• O Seller’s Discretionary Earnings (SDE) trata-se de uma estimativa do benefício financeiro total que um

proprietário que trabalhe a tempo integral na empresa consegue ganhar num ano;

• Criado essencialmente para a valorização de empresas muito pequenas, em que o sócio tem um papel

ativo e fundamental na atividade da empresa, tal como acontece nas Micro e PME.

(+) EBITDA Ajustado


(+) Compensações totais do(s) sócio(s)
(+) Encargos Sociais das compensações do(s) sócio(s)
(=) SDE (Seller’s Discretionary Earnings)

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 35
2. Ótica de Mercado (Mód. III)

2.4. Outros Múltiplos de


Mercado

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 36
Página do manual 53

2.4. Outros Múltiplos de Mercado

• Existem outros indicadores utilizados para o cálculo do Valor da Empresa na ótica do sócio ou
acionista. Baseiam-se na capitalização bolsista para determinar o Equity Value.

• PER (Price Earnings Ratio) – Representa a relação entre o valor 𝐶𝑜𝑡𝑎çã𝑜 𝐴𝑡𝑢𝑎𝑙
𝑃𝐸𝑅 =
da ação e o resultado líquido por ação. 𝑅𝑒𝑠𝑢𝑙𝑡𝑎𝑑𝑜 𝑝𝑜𝑟 𝐴çã𝑜

• PBV (Price Book Value) - Representa a relação entre o valor 𝐶𝑜𝑡𝑎çã𝑜 𝐴𝑡𝑢𝑎𝑙
𝑃𝐵𝑉 =
𝑉𝑎𝑙𝑜𝑟 𝐶𝑎𝑝𝑖𝑡𝑎𝑙 𝑃𝑟ó𝑝𝑟𝑖𝑜 𝑝𝑜𝑟 𝐴çã𝑜
da ação e o valor contabilístico do capital próprio por ação.

• PSR (Price Sales Ratio) - Representa a relação entre o valor da 𝐶𝑜𝑡𝑎çã𝑜 𝐴𝑡𝑢𝑎𝑙
𝑃𝐸𝑅 =
ação e as vendas por ação. 𝑉𝑒𝑛𝑑𝑎𝑠 𝑝𝑜𝑟 𝐴çã𝑜

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 37
2. Ótica de Mercado (Mód. III)

2.5. Limitações e Vantagens

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 38
Página do manual 54

2.5. Limitações e Vantagens

• Uma das limitações desta ótica é a dificuldade em encontrar duas empresas perfeitamente iguais
para que a comparação possa ser exata;

• Facilidade para a manipulação desta ótica, já que se pode ignorar deliberadamente os múltiplos que
não sirvam os objetivos propostos na avaliação e escolher aqueles que são mais favoráveis;

• As informações contabilísticas pelas quais se baseia podem não revelar a realidade operacional da
empresa e ser necessária a realização de ajustamentos e correções;

• Ignoram variáveis chave que podem ser críticas na valorização de uma empresa (a necessidade de
investimento (CAPEX) ou a necessidade de investimento em fundo de maneio).

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 39
Página do manual 54

2.5. Limitações e Vantagens

• Dificuldade no acesso a informação e bases de dados dos múltiplos;

• Destaca-se a simplicidade e a rapidez de utilização, bem como a necessidade de poucos dados para
que seja possível determinar um potencial valor (apenas Indicador da empresa e múltiplo de
mercado);

• Ótica muito utilizada por investidores qualificados e capitais de risco, devido à simplicidade e ao
acesso privilegiado a informação de mercado;

• Utilizada muitas vezes de forma complementar a outras óticas de avaliação, nomeadamente a Ótica
do Rendimento.

Apresentação | Autor
Avaliação de Empresas – Módulo II & III | Autor: Manuel Caldeira Pais 40
Avaliação de
Empresas

Módulo II – Ótica
Patrimonial

Módulo III - Ótica de


Mercado

Apresentação | Autor