Você está na página 1de 4

Ficha formativa 5

Nome _______________________________________ N.o ________ Turma ______ Avaliação __________

Dimensões da ação humana e dos valores

A dimensão ético-política da ação – Análise e compreensão da experiência convivencial

I
1. Leia atentamente o texto.

A ética kantiana marcou a importância do dever desinteressado, mas nada diz sobre o que
se deve fazer em contextos diferentes ou em situações dilemáticas. E esse é o seu principal
problema.
João Magalhães, Horizontes da ética – Para uma cidadania responsável,
Editora Afrontamento, 2010, Porto.

1.1 Qual é o significado do conceito de «dever desinteressado»?

1.2 Identifique a crítica do autor do texto à moral kantiana.

II

1. Leia atentamente o texto.

A moral utilitária reconhece, de facto, aos seres humanos, o poder de sacrificar o seu maior
bem em prol do bem dos outros. Apenas recusa admitir que o sacrifício seja, em si, um bem
ou tenda a aumentar a quantidade total de felicidade.
John Stuart Mill, O utilitarismo, Gradiva, 2005, Lisboa.

1.1 Compare a ética utilitarista com a ética kantiana quanto:


a) ao princípio da moralidade;
b) ao critério de moralidade.

1
III
1. Leia atentamente o texto.

Uma perspetiva deontológica procurará a correção e a incorreção mediante uma regra


básica que estaríamos dispostos a adotar como princípio. Assim, e a título de exemplo,
Immanuel Kant propôs o chamado «imperativo categórico». Uma das várias formulações que
Kant propôs para este imperativo foi: «Age sempre segundo aquela máxima que possas ao
mesmo tempo querer que se torne uma lei universal». Dito de outra maneira, as nossas ações
serão morais se forem de tipo tal que queiramos que todas as pessoas as sigam em todas as
circunstâncias.
George Alexander (org.), Que diria Sócrates, Gradiva, 2008, Lisboa.

1.1 Escolha a única opção que lhe permite obter uma afirmação correta.

1. Uma teoria deontológica define a moralidade em função:

[A] das normas morais.

[B] do projeto pessoal que orienta a existência humana.

[C] da quantidade de felicidade que a ação pode trazer para o maior número de pessoas.

[D] do respeito que devemos ter pela lei moral.

2. A ética kantiana é deontológica porque define como moral a ação que:

[A] cumpre a lei moral.

[B] respeita o dever como fim em si mesmo.

[C] ajuda os outros pelo prazer de os ver mais felizes.

[D] está de acordo com a disposição sensível do ser humano.

3. O imperativo categórico da moralidade enuncia:

[A] normas de conduta para orientar a ação.

[B] os atos proibidos e os permitidos.

[C] os nossos deveres a ter em conta em cada circunstância concreta.

[D] a forma a que deve obedecer a ação para ter valor moral.

2
4. Segundo Kant, o que fundamenta a dignidade humana é:

[A] o altruísmo.

[B] o poder de optar entre o bem e o mal.

[C] a autonomia da vontade.

[D] o desejo de ser feliz.

IV

1. Leia atentamente o texto.

O valor da vida de um individuo diminui à medida que a idade aumenta? Não é verdade
que a maior parte das pessoas escolheria salvar um indivíduo de dois anos a um de sessenta?
Há alguma justificação para esta escolha?
(…) As respostas a este tipo de perguntas diferirão segundo o estilo de teoria moral que se
lhes aplicar. Seguindo uma perspetiva consequencialista, uma vida humana será avaliada de
acordo com o balanço final de benefícios e danos que dela se derivar. Pessoas que façam
coisas muito boas terão vidas muito valiosas; pessoas que não as façam, não. Pessoas que
façam coisas muito más terão vidas com valor negativo. Deste ponto de vista, a vida de um
criminoso de vinte anos de idade teria muito menos valor do que a vida de Madre Teresa de
Calcutá, mesmo quando ela já está a ficar muito idosa.
George Alexander (org.), Que diria Sócrates, Gradiva, 2008, Lisboa.

1.1 Responda às questões abordadas no texto, segundo a perspetiva kantiana da ética.

3
Ficha formativa 5

I
1.1 Dever desinteressado significa respeito pela lei moral apenas porque é a lei que a razão impõe à vontade.
1.2 Critica o formalismo e o caráter absoluto das normas (a ética kantiana não indica como agir em contextos
diferentes nem em situações dilemáticas.

II

ÉTICA KANTIANA ÉTICA UTILITARISTA

Princípio da moralidade • Imperativo categórico da • Age sempre de modo a produzir a


moralidade: age apenas segundo maior felicidade para o maior
uma máxima tal que possas ao número de pessoas.
mesmo tempo querer que ela se
torne lei universal.

Critério de moralidade • Um ação é moral se, e somente se, • A ação é boa ou moral se for útil
cumpre a lei (ação legal ou boa) e o para maximizar a felicidade
motivo é o dever. global.

III
1. D
2. B;
3. D;
4. C.

IV
1.1 Referir e justificar a impossibilidade de Kant aceitar discutir o valor da vida humana: relacionar moralidade,
autonomia da vontade e dignidade humana. Definir o conceito de dignidade humana: fim em si mesmo, valor
absoluto.

Você também pode gostar