Você está na página 1de 3

Emprego de alguns pronomes

Na língua, alguns pronomes são usados para evitar repetições de


palavras, ou seja, eles substituem substantivos ou expressões mencio-
nados antes. Alguns estão apresentados a seguir:

a) O rapaz entregou o dinheiro ao comerciante.


Ele entregou o dinheiro ao comerciante. (Ele substitui quem entrega.)
b) O rapaz entregou o dinheiro ao comerciante.
O rapaz entregou-o ao comerciante. (O substitui o que foi entregue.)
c) O rapaz entregou o dinheiro ao comerciante.
O rapaz entregou-lhe o dinheiro. (Lhe substitui a pessoa para quem foi
entregue.)

Os pronomes ele e o substituem termos masculinos no singular e eles


e os substituem termos masculinos no plural. Para os termos femininos,
empregam-se ela e a no singular, e elas e as no plural.
Os pronomes lhe e lhes servem para os dois gêneros.

É comum na linguagem in-


formal o emprego de ele e ela no
Observação: Há casos em que os
lugar de o e a. As pessoas dizem,
pronomes o, os, a, as passam por por exemplo, “Minha irmã viu
algumas adaptações a fim de ter sua
pronúncia facilitada.
ele lá”. Na norma culta, a frase
a) Um dos casos é quando o verbo seria: “Minha irmã viu-o lá”, por-
termina em -r. Veja o que ocorre:
Encontraram a aluna e foram chamar a
que o pronome “o” está substi-
aluna. tuindo quem foi visto.
Encontraram a aluna e foram chamá-la.
O verbo chamar perde o -r final e o
pronome passa a ser la, em vez de a.
b) Outro caso de adaptação ocorre quando
o verbo termina em -m. Examine:
Procuraram as meninas e encontram as
meninas no parque.
Procuraram as meninas e encontraram-
nas no parque.
O pronome passa a ser nas em vez de as.

A concordância entre as palavras

A concordância entre as palavras é uma importante característica da lin-


guagem escrita e oral. Ela é um dos princípios que ajudam na elaboração de
orações com significado, porque mostra a relação existente entre as palavras.
Verifique como isso funciona:

14 Unidade 1 Língua Portuguesa


Alguns insetos provocam doenças, às vezes, fatais à população ribeirinha.

insetos (masculino, plural) alguns (masculino, plural)

doenças (feminino, plural) fatais (feminino, plural)

população (feminino, singular) ribeirinha (feminino, singular)

As palavras centrais (insetos, doenças, população) são acompanhadas


por outras que esclarecem algo sobre elas. As palavras acompanhantes
são escritas no mesmo gênero (masculino/feminino) e no mesmo núme-
ro (singular/plural) que as palavras centrais.
Essa relação ocorre na norma culta. Muitas vezes, na norma popular, a
concordância acontece de maneira diferente. Veja:

Os livro ilustrado mais interessante estão emprestado.

livro (masculino, singular) os (masculino, plural)


ilustrado (masculino, singular)
interessante (masculino, singular)
emprestado (masculino, singular)

Você acha que o autor dessa frase se refere a um livro ou a mais de


um livro? Vejamos:
O fato de haver a palavra os (plural) indica que se trata de mais de um
livro. Na variedade popular, basta que esse primeiro termo esteja no plu-
ral para indicar mais de um referente. Reescrevendo a frase no padrão da
norma culta, teremos:

Os livros ilustrados mais interessantes estão emprestados.

Você pode estar se perguntando: “Mas eu posso falar ‘os livro?’.”


Claro que pode. Mas fique atento porque, dependendo da situação,
você corre o risco de ser vítima de preconceito linguístico. Muita gente
diz o que se deve e o que não se deve falar e escrever, tomando as regras
estabelecidas para a norma culta como padrão de correção de todas as
formas linguísticas. O falante, portanto, tem de ser capaz de usar a va-
riante adequada da língua para cada ocasião.
Existe outro tipo de concordância:
O menino pegou o peixe. Os meninos pegaram o peixe.
a que envolve o verbo. Observe seu menino singular meninos plural
funcionamento: pegou singular pegaram plural

O menino pegou o peixe. Eu peguei o peixe.


Na norma culta, o verbo concorda, menino 3.ª pessoa eu 1.ª pessoa
pegou 3.ª pessoa peguei 1.ª pessoa
ao mesmo tempo, em número (singu-
lar/plural) e em pessoa (1.ª/2.ª/3.ª) com o ser envolvido na ação que ele
indica.

Capítulo 1 Escrever é diferente de falar 15


Na variedade popular, contudo, é comum a concordân-
Observação: Quando se refere à
cia funcionar de outra forma. Há ocorrências como: concordância, a palavra pessoa
Nós pega o peixe. não tem o sentido de ser humano.
Nesse contexto, pessoa refere-se aos
nós 1.ª pessoa, plural envolvidos no ato de fala, que não
pega 3.ª pessoa, singular precisam ser indivíduos. Existe aquele
que fala (1.ª pessoa), aquele com quem
Os menino pega o peixe. se fala (2.ª pessoa) e aquele de quem se
fala (3.ª pessoa). Exemplos:
menino 3.ª pessoa, ideia de plural (por causa do “os”)
Não vi sua revista, mãe.
pega 3.ª pessoa, singular (1.ª pessoa: o filho; 2.ª pessoa: a mãe;
3.ª pessoa: a revista).
Nos dois exemplos, apesar de o verbo estar no singular, Mas eu a deixei aqui!
quem ouve a frase sabe que há mais de uma pessoa envol- (1.ª pessoa: a mãe; 2.ª pessoa: o filho;
3.ª pessoa: a revista)
vida na ação de pegar o peixe. Mais uma vez, é importante
que o falante de português domine as duas variedades e
escolha a que julgar adequada à sua situação de fala.

Sílaba e acento gráfico

Para entender o sistema de acentuação gráfica, é preciso conhecer al-


guns conceitos. Um deles é o de sílaba.
Repare que, quando falamos uma palavra, nossa pronúncia é marca-
da por impulsos sonoros. Preste atenção em como pronunciamos as pa-
lavras. Observe: pa la vra. Cada som que você pronunciou em uma só
emissão de voz representa uma sílaba. Assim, “palavra” tem três sílabas.
Atente à separação de sílabas: vogais idênticas, rr, ss, sc, xc ficam separados na
escrita.
Exemplos: ca-a-tin-ga; co-or-de-na-ção; car-ro; as-sa-do, nas-ci-men-
-to, ex-ce-ção etc.
Sílaba tônica é aquela pronunciada com mais intensidade. O acento
gráfico é o sinal que marca a sílaba tônica de algumas palavras na escrita.
Os acentos mais empregados com essa finalidade são o acento agudo (´)
e o acento circunflexo (^).
Toda palavra com mais de duas sílabas apresenta uma sílaba tônica,
que poderá ser a última, a penúltima ou a antepenúltima. Exemplos:
moderno mo-der-no (a sílaba tônica é der)
moderníssimo mo-der-nís-si-mo (a sílaba tônica é nís)
modernizar mo-der-ni-zar (a sílaba tônica é zar)
Portanto: Modernizar tem a última sílaba tônica; moderno tem a penúlti-
ma; moderníssimo tem a antepenúltima.
Veja ao lado a classificação que essas
Última sílaba é a tônica Oxítona
palavras recebem, de acordo com a po- Penúltima sílaba é a tônica Paroxítona
sição da sílaba tônica. Antepenúltima sílaba é a tônica Proparoxítona

16 Unidade 1 Língua Portuguesa