Você está na página 1de 2

5- A provação dos anjos

Sendo todos os anjos criados em estado da graça santificante, e rebelando os anjos


maus ao se verem obrigados por natureza a adorar a Deus, houve a provação onde os
anjos maus foram expulsos por São Miguel, o Humilde. Mas os expulsos foram em menor
número, pois o pecado da soberba dos anjos vai contra a sua natureza, e obviamente, o
que vai contra a natureza é em menor número.
Desta forma os anjos bons não podem mais pecar, não por falta de liberdade. Mas
por sua beatitude, veem a essência de Deus, já foram provados e sua fidelidade sobrepõe
à vontade dos anjos maus de seduzir. Ora, o pecado é a renúncia da presença de Deus,
não sendo possível a um Santo Anjo renunciar a Deus, mais. Pois os que renunciaram
foram varridos do Céu. Mas isso não foi sempre assim, sabemos que a natureza dos anjos
é diferente de Deus, e os Santos Anjos só não pecam mais por graça divina, após a
provação dos anjos. Aliás, o Maligno pecou por querer ser como Deus, sendo isso
impossível e também um pensamento soberbo, foi condenado. Eles sabiam que não
podiam ser como Deus, é impossível. Mesmo se fosse impossível, seria contra o desejo
natural.
O curioso em tudo isso, é que São Tomás defende com razão e uma retórica
admirável que os demônios já foram bons em algum momento. “Deus criou todas as
coisas e viu que eram boas”. Mas logo se rebelaram por soberba. Sendo o pecado dos
anjos, por livre vontade e não por natureza de sua criação.
A queda dos anjos ocorreu logo que de imediato à sua criação, apesar que há duas
opiniões sobre o assunto, fico com os principais Padres da Igreja, defendendo que em seu
primeiro ato de livre arbítrio, ou seja, nos primeiros instantes depois de sua criação os
demônios pecaram por soberba. E foi o pecado do Dragão, o Primeiro Anjo, o que estava
acima de todas as ordens (coros) dos outros anjos que levou os outros a pecarem, já que
os induziu a pecar, não obrigou a nenhum, mas os induziu.
Segundo Tomás de Aquino, os anjos decaídos tem duplo lugar de pena: o inferno
e o ar, mesmo sendo os anjos de natureza espiritual eles tem o ar como lugar de penas por
estar em um lugar contra a sua vontade, e isso é para que consigam mais almas dos
homens. Enquanto o inferno é lugar próprio de pena aos demônios, já que ali estão
totalmente, privados da beatitude. A privação da vontade é a principal dor nos demônios.
Por serem espíritos não sentem alegria ou dor como nós sentimos, mas são privados da
vontade, e isso é uma dor terrível que eles tem como pena. Querem o céu, a beatitude,
querem ser deuses e não podem, foram privados disso.