Você está na página 1de 6

MINISTÉRIO DA DEFESA

EXÉRCITO BRASILEIRO
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO
DIRETORIA DE PATRIMÔNIO DE PATRIMÔNIO IMOBILIÁRIO E MEIO
AMBIENTE
"Sv O Fort Ex/1946"

NOTA TÉCNICA nº 044/2020 – DPIMA Asse Ap As Jurd Brasília, 05 de outubro de 2020

1. EMENTA

PROJETO DE LEI Nº 4.270/2020 – CÂMARA DOS DEPUTADOS


– ALTERAÇÃO DA LEI Nº 9.795, DE 27 DE ABRIL DE 1999, - SEGREGAÇÃO DE
RESÍDUOS SÓLIDOS, COM VISTAS A SUA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM,
ENTRE OS PROJETOS A SEREM DESENVOLVIDOS NAS ESCOLAS NA ÁREA DE
EDUCAÇÃO AMBIENTAL – DEPUTADO FEDERAL NICOLETTI (PSL/RR) –
ANÁLISE – DESFAVORÁVEL

2. OBJETO

Análise e apreciação de Projeto de Lei (PL) nº 4.270/2020, que versa


sobre a inclusão de melhoria da Educação Ambiental, na educação escolar, tendo por objetivo
conscientizar aos alunos da rede pública de ensino na busca do desenvolvimento sustentável
ambiental.
Continuação da Nota Técnica nº 044/2020 - DPIMA, de 05 de outubro de 2020..................... Fl 2.

3. LEGISLAÇÃO PERTINENTE

a. Constituição da República Federativa do Brasil, de 5 de outubro


de 1988.
b. Lei Federal nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a
Política Nacional do Meio Ambiente;
c. Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Dispõe sobre as
sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente.
d. Lei nº 9.786, de 8 de fevereiro de 1.999. Dispõe sobre o ensino
no Exército Brasileiro e dá outras providências.
e. Lei n° 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação
ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências.
f. Lei 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional
de Resíduos Sólidos, dispondo sobre seus princípios, objetivos e instrumentos, bem como
sobre as diretrizes relativas à gestão integrada e ao gerenciamento de resíduos sólidos,
incluídos os perigosos, às responsabilidades dos geradores e do poder público e aos
instrumentos econômicos aplicáveis.
g. Lei n° 12.651 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da
vegetação nativa (Código Florestal).
h. Lei Complementar nº 140, de 08 de dezembro de 2011. Dispõe
sobre a fixação de normas, nos termos do artigo 23, do caput e do parágrafo único, incisos III,
VI e VII da Constituição Federal para a cooperação entre a União, Estados, Distrito Federal e
os Municípios nas ações administrativas decorrentes do exercício da competência comum
relativas à proteção das paisagens naturais notáveis, à proteção do meio ambiente, ao combate
a poluição em qualquer de suas formas e à preservação das florestas, da fauna e da flora; e
altera a lei n°6.938 de 31 de agosto de 1981.
i. Decreto nº 4.411, de 7 de outubro de 2002. Dispõe sobre a
atuação das Forças Armadas e da Policia Federal nas Unidades de Conservação e da outras
providências.
j. Portaria nº 001-DECEx, de 31 de janeiro de 2019. Aprova as
Instruções Reguladoras da Educação Ambiental no âmbito do Departamento de Educação e
Cultura do Exército (EB60-IR-57.011), 1ª Edição.

2
Continuação da Nota Técnica nº 044/2020 - DPIMA, de 05 de outubro de 2020..................... Fl 3.

k. Portaria nº 011-DEC, de 04 de outubro de 2005. Aprova as


Instruções Reguladoras de Utilização do Patrimônio Imobiliário da União Jurisdicionado ao
Comando do Exército (IR 50-13).
l. Portaria nº 001-DEC, de 26 de setembro de 2011. Aprova as
Instruções Reguladoras para o Sistema de Gestão Ambiental no âmbito do Exército (IR 50-
20).

3. APRECIAÇÃO

a. A Chefe da Assessoria Jurídica recebeu o DIEx nº 21503-SAE/5


SCh/EME - CIRCULAR , 9 de setembro de 2020 (EB: 64535.037506/2020-71) e o DIEx nº
630-A4.3/A4/GabCmtEx (EB: 64536.023509/2020-17), de 4 de setembro de 2020, do Chefe
do Gabinete do Comandante do Exército Brasileiro (Cmt Ex/EB), visando à análise do Projeto
de Lei (PL) nº 4.270/2020, de autoria do Deputado Federal Nicoletti - PSL/RR, que busca
inserir a segregação de resíduos sólidos, com vistas a coleta seletiva e reciclagem, entre os
projetos a serem desenvolvidos nas escolas na área de educação ambiental.

b. O Projeto de Lei em comento visa criar uma conscientização sobre


os impactos negativos do atual descaso da sociedade para com o descarte, a coleta seletiva e a
reciclagem. Com isso, o parlamentar entende que surgiu a necessidade da inclusão dos
cuidados e, consequentemente, a conscientização dos alunos da rede pública de ensino, sejam
eles do ensino fundamental, técnico, profissional ou superior para a necessidade de
preservação do meio ambiente, integrando pais, alunos e profissionais de educação, na busca
do desenvolvimento sustentável ambiental.

c. Para conseguir tal intento o PL quer implementar no currículo,


programas de educação ambiental, através de projetos onde os alunos poderão analisar os
problemas, as situações e os acontecimentos e, dentro de um contexto e em sua globalidade,
valendo-se de conhecimentos aprendidos das demais disciplinas e da própria experiência
sócio-cultural, para atuar pró-ativamente em benefício do meio-ambiente.

3
Continuação da Nota Técnica nº 044/2020 - DPIMA, de 05 de outubro de 2020..................... Fl 4.

d. O parlamentar entende que a legislação a respeito dos resíduos


sólidos e da coleta seletiva tem sido aprimorada ao longo dos anos e esse PL vem no sentido
de incentivar ainda mais a implantação da educação ambiental no meio escolar.

e. Conforme justificativa do deputado Nicoletti, o problema dos


resíduos é de tamanha gravidade que necessita de uma ação complexa, na qual a solução
passa, inevitavelmente, pela escola. Esse processo deve ter início logo nas séries iniciais,
como creches e pré escolas, considerando que as crianças se transformarão nos adultos que
irão separar os lixos e resíduos e, posteriormente, depositá-los corretamente.

f. Também consoante argumentação apresentada pelo parlamentar, o


tema em exame se converterá em desenvolvimento de atividade permanente e contínua de
segregação do lixo para coleta seletiva e reciclagem de resíduos sólidos, que por sua vez, é da
mais alta relevância para a incorporação da dimensão ambiental no gerenciamento da escola e
na conscientização ecológica dos alunos, fazendo com que melhore o paradigma atual da
percepção dos discentes sobre o impacto das ações humanas no meio ambiente e
consequentemente suas responsabilidades por elas, mormente na biodiversidade, além de
mostrar como isso está intimamente relacionado ao bem-estar do próprio ser humano.

g. Apesar de louvável o intuito do projeto de lei em comento, ele


carece de esclarecimentos mais aprofundados, nos termos da análise realizada pela Seção de
Meio Ambiente da Diretoria de Patrimônio Imobiliário e Meio Ambiente (SMA/DPIMA)
constante do DIEx Simplificado nº 234-DPIMA/DEC, de 05 OUT 20. Nesse sentido, vale
frisar que a atual legislação pátria já contempla estudos e regula matérias que versam sobre
coleta seletiva, segregação de resíduos e reciclagem, que teve como marco a Lei nº 12.305, de
02 de agosto de 2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), dispondo
sobre seus princípios, objetivos e instrumentos, bem como sobre as diretrizes relativas à
gestão integrada e ao gerenciamento de resíduos sólidos, incluídos os perigosos.

h. Cumpre destacar que, a despeito da importância ambiental e da


relevância do tema, a proposta não contemplou de modo claro como irá se operacionalizar os
programas educacionais voltados para a conscientização da segregação de resíduos.

4
Continuação da Nota Técnica nº 044/2020 - DPIMA, de 05 de outubro de 2020..................... Fl 5.

i. Além disso, a proposta carece de estudos dos impactos reais e


educacionais na aplicabilidade dessa inovação, em termos de legislação e conteúdo nos
diferentes sistemas educacionais brasileiros, bem como não se relaciona corretamente com os
diplomas normativos e legais já existentes no ordenamento jurídico pátrio.

j. Atualmente, no âmbito do Sistema de Ensino do Exército, a Portaria


nº 001-DECEx, de 31 de janeiro de 2019, estabelece as condicionantes para a organização e
para as normas de planejamento e da execução ambiental no âmbito do Departamento de
Educação e Cultura do Exército (DECEx) e preconiza as diretrizes para que as organizações
militares de ensino implementem a educação ambiental. Vale enfatizar que as Normas
Técnicas do Exército (IG 20-10), no objetivo da sustentabilidade, já orientam para os devidos
cuidados ambientais, além de proteção da flora e fauna.

k. Nesse aspecto, o PL em estudo pode interferir diretamente nas


atividades educacionais executadas pelo Exército Brasileiro (EB) e na legislação
ambiental atinente à Instituição. Ademais, poderá ocasionar consequências econômicas com a
imposição de modificações desnecessárias nos currículos e programas de ensino com vistas à
adequarem-se aos “programas” propostos no PL.

l. Vale ressaltar que a Seção de Meio Ambiente da Diretoria de


Patrimônio e Meio Ambiente (SMA/DPIMA), emitiu um estudo por intermédio do Relatório
para Apoio à Decisão nº 22, de 02 OUT 20, no qual são relacionadas as repercussões
ambientais da medida, sobretudo com relação aos interesses do EB.

m. Por fim, do ponto de vista legal, cabe informar que os documentos


trazidos a lume, não tangenciam a segurança jurídica necessária à análise do caso posto,
apresentando inúmeras incertezas sobre a viabilidade do PL nº 4.270/2020, de autoria do
Deputado Federal Nicoletti - PSL/RR, sendo temerária a sua aprovação ante os argumentos já
amplamente demonstrados, ou seja, o Projeto de Lei é desfavorável aos interesses do Exército
Brasileiro.

5
Continuação da Nota Técnica nº 044/2020 - DPIMA, de 05 de outubro de 2020..................... Fl 6.

5. CONCLUSÃO

Em vista do exposto e da análise da documentação apresentada, a


Assessoria de Apoio para Assuntos Jurídicos da Diretoria de Patrimônio Imobiliário e Meio
Ambiente, ao apreciar o Projeto de Lei nº 4.270/2020, de autoria do Deputado Federal
Nicoletti - PSL/RR é de parecer DESFAVORÁVEL ao intento do parlamentar, por falta de
pressupostos mais críveis que sirvam de amparo ao PL e pela possibilidade de comprometer a
própria grade curricular e estrutura programática das matérias letivas ensinadas nas
Organizações Militares do Exército Brasileiro.

É o entendimento, salvo outra apreciação.

________________________________________________
LEONARDO ARAGÃO CRAVEIRO – 1º Ten OTT/Dir
Respondendo pela Chefia da Assessoria de Apoio para Assuntos Jurídicos do DPIMA

Você também pode gostar