Você está na página 1de 8

Direitos de Aprendizagem

Conviver com outras crianças e adultos, em pequenos e grandes grupos, utilizando diferentes linguagens, ampliando o conhecimento de si e do outro, o respeito em relação à cultur
às diferenças entre as pessoas.

Brincar cotidianamente de diversas formas, em diferentes espaços e tempos, com diferentes parceiros (crianças e adultos), ampliando e diversificando seu acesso a produções cultu
seus conhecimentos, sua imaginação, sua criatividade, suas experiências emocionais, corporais, sensoriais, expressivas, cognitivas, sociais e relacionais.

Participar ativamente, com adultos e outras crianças, tanto do planejamento da gestão da escola e das atividades propostas pelo educador quanto da realização das atividades da vi
cotidiana, tais como a escolha das brincadeiras, dos materiais e dos ambientes, desenvolvendo diferentes linguagens e elaborando conhecimentos, decidindo e se posicionando.

Explorar movimentos, gestos, sons, formas, texturas, cores, palavras, emoções, transformações, relacionamentos, histórias, objetos, elementos da natureza, na escola e fora dela,
ampliando seus saberes sobre a cultura, em suas diversas modalidades: as artes, a escrita, a ciência e a tecnologia.

Expressar, como sujeito dialógico, criativo e sensível, suas necessidades, emoções, sentimentos, dúvidas, hipóteses, descobertas, opiniões, questionamentos, por meio de diferentes
linguagens.

Conhecer-se e construir sua identidade pessoal, social e cultural, constituindo uma imagem positiva de si e de seus grupos de pertencimento, nas diversas experiências de cuidados,
interações, brincadeiras e linguagens vivenciadas na instituição escolar e em seu contexto familiar e comunitário.
MATERIAL SUPLEMENTAR PARA O REDATOR DE CURRÍCULO - NÃO FAZ PARTE DA BNCC
Campos de Experiências Direitos
Mais sobre o campo de Experiência Orientações gerais quanto ao processo pedagógico
As crianças vivem em ambientes onde, a cada momento, ocorrem O(a) professor(a) escolhe práticas a serem promovidas com as crianças, CONVIVER e fruir com os colegas e professores manifestações artísticas e
situações envolvendo pessoas, atividades, espaços, objetos e materiais referenciadas em sua formação, na proposta pedagógica da instituição e culturais da sua comunidade e de outras culturas — artes plásticas,
que elas buscam perceber, reconhecer, significar e representar, e o fazem na sua observação e escuta dos interesses, desejos e necessidades das música, dança, teatro, cinema, folguedos e festas populares.
pela apropriação de diferentes linguagens e recursos, como suas crianças. BRINCAR com diferentes sons, ritmos, formas, cores, texturas,
sensações, afetos e desejos, sua corporeidade, sua linguagem verbal, sua Com a intenção de garantir os objetivos de aprendizagem e objetos e materiais, construindo cenários e indumentárias para
percepção das ações de seus parceiros e sua atenção voltada para os desenvolvimento desse campo de experiências, o trabalho pedagógico brincadeiras de faz de conta, encenações ou para festas tradicionais.
Traços, sons, cores e formas aspectos materiais do ambiente. ganha força ao considerar a organização de situações que contemplem EXPLORAR variadas possibilidades de usos e combinações de
Este campo destaca experiências nas quais as crianças tenham experiências com a linguagem musical e com as linguagens visuais. materiais, substâncias, objetos e recursos tecnológicos para criar
a oportunidade de perceber o ambiente como composto de TRAÇOS, desenhos, modelagens, músicas, danças, encenações teatrais e musicais.
SONS, CORES e FORMAS, oferecendo condições para sentirem a Experiências com a linguagem musical PARTICIPAR de decisões e ações relativas à organização do
consistência da terra ou areia, criar misturas, colecionar coisas, modelar Falar da experiência da criança com a sonoridade implica em ambiente (tanto o cotidiano quanto o preparado para determinados
com argila, criar tintas, explorar formas coloridas, texturas, sabores, sons reconhecer que a escuta ativa que ela faz da música anda junto com a eventos), à definição de temas e à escolha de materiais a serem usados
e também silêncios, em um espaço acolhedor, cheio de visualidades e criação musical que ela efetiva. em atividades lúdicas e artísticas.
sonoridades, promovendo o desenvolvimento da expressividade e da A criança necessita, ao escutar uma música, perceber a EXPRESSAR suas emoções, sentimentos, necessidades e ideias
O processo de construção da identidade da criança é central para o seu O(a) professor(a) escolhe práticas a serem promovidas com as crianças, CONVIVER com crianças e adultos em pequenos grupos, reconhecendo e
criatividade infantilAcontece
desenvolvimento. e abrindoaocaminhos
longo depara
todaoadesenvolvimento
vida, mas é de sua intensidade
referenciadas dosemsons suaeformação,
o ritmo das namelodias
propostaecoando pedagógica no próprio corpo,eo cantando,
da instituição respeitando dançando, esculpindo,
as diferentes desenhando,
identidades encenando.
e pertencimento étnico-racial, de
afetividade.
particularmente intenso durante a Educação Infantil. que lhe estimulará a produzir outros sons
na sua observação e escuta dos interesses, desejos e necessidades das e ritmos. CONHECER-SE
gênero e religião no contato criativo com manifestações
de seus parceiros.
É importante apresentar canções, brincadeiras cantadas, artísticas e culturais locais e de outras comunidades.
Esse campo destaca experiências que possibilitem às crianças, crianças. Com a intenção de garantir os objetivos de aprendizagem e BRINCAR com diferentes parceiros, desenvolvendo sua
parlendas, brincos, rimas e outros jogos musicais, cantando em diferentes
na interação com outras crianças e adultos, viverem situações de atenção desenvolvimento desse campo
situações ou promovendo momentos em que todos cantem, de experiências, o trabalho pedagógico imaginação e solidariedade.
pessoal e outras práticas sociais, nas quais aprendem a se perceber como ganha acompanhadosforça ao considerar
ou não poraobjetos organização de situações
e instrumentos que contemplem
musicais, EXPLORAR diferentes formas de interagir com parceiros
O eu, o outro e o nós um EU, alguém que tem suas características, desejos, motivos, experiências de relação com os companheiros, de autoconhecimento e diversos em situações variadas, ampliando sua noção de mundo e sua
considerando situações em que observam adultos e outras crianças em
concepções, a considerar seus parceiros como um OUTRO, com seus cuidado de si mesmo. sensibilidade em relação aos outros.
desejos e interesses próprios, e a tomar consciência da existência de um apresentações e/ou improvisações
Experiências de relação com musicais e festas populares.
os companheiros PARTICIPAR ativamente das situações do cotidiano, tanto
NÓS, um grupo humano cada vez mais ampliado e diverso. Nesse Apresentar
As situaçõesde deforma
interaçõessistemática
positivas umajudamrepertório musical a—
as crianças daquelas ligadas ao cuidado de si e do ambiente como das relativas às
processo, vão se constituindo como alguém com um modo próprio de obras
construíremclássicas, populares,
relações étnicas, ecantadas
de confiança amizade.ouNesse instrumentais,
contexto, incluindo
é atividades propostas pelo(a) professor(a).
canções
agir, sentir e pensar. A ênfase neste campo de experiências está ligada à canções
importante, infantis tradicionais,
no cotidiano folclóricas
da instituição, de diferentes
estruturar países e também
do repertório popular — e objetos sonorosum e/ouambiente
instrumentostranquilo EXPRESSAR às outras crianças e/ou adultos suas necessidades,
constituição de atitudes nas relações vividas ao longo de toda a emusicais
favorecedor pode do estabelecimento
favorecer a exploração de interações
destes pelas pelas crianças,
crianças na busca de emoções, sentimentos, dúvidas, hipóteses, descobertas, opiniões e
permanência da criança
Na primeira infância, na unidade
o corpo de Educação
é o instrumento Infantil, eabrindo
expressivo comunicativo compreendendo
identificar
O(a) professor(a)
qualidades suas
escolhe movimentações
como práticas
duração a serem como
(sons intenções
promovidas
curtos exploratórias
ou longos),
com asaltura
crianças, e
(sons oposições.
CONVIVER com crianças e adultos, experimentando marcas da cultura
caminho
por para outras
excelência, aprendizagens.
que serve como forma
de suporte para o desenvolvimento emocional referenciadas
graves de comunicação.
ou agudos), Pode-se oferecer materiais e propor CONHECER-SE e construir uma identidade pessoal e cultural,
atividades em em quesua intensidade
as formação,
crianças (sons
na proposta
percebam fracos ou pedagógica
fortes)
a necessidade ou
dedatimbre
instituição
(que ee corporal
compartilhar valorizando nos cuidados
suas pessoais,
características enaasdança, música,
das outras teatro,
crianças e artes circenses,
adultos,
e mental, sendo essencial na construção de afetos e conhecimentos. qualifica
na sua observação
cooperar, osajudando
sons a partir ecada
escutada
uma fonte
dosa interesses,
que os origina),
reconhecer desejos e eampliar
a existência necessidades
do seu
ponto repertório
dasvista escuta
de de histórias
aprendendo e brincadeiras.
a identificar e combater atitudes preconceituosas e
Esse campo destaca experiências nas quais o CORPO, os de referências
crianças.
do outro e a considerarsonoras, seus modos
possíveis de escutar intenções
sentimentos, e produziremúsicas opiniõese das discriminatórias. BRINCAR utilizando criativamente o repertório da cultura
GESTOS e os MOVIMENTOS constituem linguagens das quais as crianças, demais desenvolver Com
pessoas,suasaconstruindo
preferências.
intenção deatitudes garantirnegociadoras
os objetivos de aprendizagem e
e tolerantes. corporal e do movimento.
desde cedo, fazem uso, e que as orientam em relação ao mundo. O desenvolvimento desse campo de experiências, o trabalho pedagógico EXPLORAR amplo repertório de movimentos, gestos, olhares,
Corpo, gestos e movimentos referido campo destaca experiências ricas e diversificadas, em que ganha forçaÉExperiências
importante
ao considerar considerar
com a organização os momentos
linguagens visuais de situações de acolhimento
que contemplem produção de sons e de mímicas, descobrindo modos de ocupação e de
gestos, mímicas, posturas e movimentos expressivos constituem uma quando ocorre
experiências Aocom o período
longo brincadeiras,
de sua devivência
adaptação ou
dançanae Educação mesmoInfantil,
dramatização. com asas crianças
crianças já uso do espaço com o corpo.
matriculadas após um período
linguagem vital com a qual as crianças percebem e expressam emoções, podem apropriar-se de alguns fundamentos das linguagens visuais, de férias ou de adoecimento. Organizar o PARTICIPAR de atividades que envolvem práticas corporais,
reconhecem sensações, interagem, brincam, ocupam espaços e neles se ambiente conforme eparticipamas rotinasde
Experiências também
com
atividades é uma
brincadeiras
como açãodesenho,
intencional importante
pintura, escultura, do(a) desenvolvendo autonomia para cuidar de si.
professor(a), favorecendo uma boa transição casa-escola e contribuindo
localizam, construindo conhecimento de si e do mundo. Destaca-se modelagem,
para a criação Brincar
colagem, de explorar
de vínculos gravura,
entreofotografia,
espaço
as crianças. com visitas
o corpo a museuspotencializa
e locais de EXPRESSAR corporalmente emoções e representações tanto
também que a capacidade de nomear, identificar e ter consciência do produção eExperiências
habilidades divulgação
diversas e éda atividade
arte visual.
muito apreciada
de autoconhecimento e cuidado de si mesmo pelas crianças. nas relações cotidianas como nas brincadeiras, dramatizações, danças,
próprio corpo, assim como a construção de uma autoimagem positiva, Ajudá-las
Os jogos possibilitam
Considerar napreferências,
construção quede asuma crianças
sentimentos sensibilidade
aprendam
e opiniões mais
adas
explorar
crianças e músicas e contação de histórias.
estão associadas às oportunidades oferecidas às crianças para expressão formas investigativabásicas node campomovimento
visual impõe(saltar,ao(à)
girar,professor(a)
cair, deslocar-se, acompanhargesticular a CONHECER-SE nas diversas oportunidades de interações e
A aproximação de diferentes linguagens traz para o cotidiano
e conhecimento da cultura corporal da sociedade em que vivem. das ajudá-las
O(a)
etc.), professor(a)
a também
suasprodutiva
dinâmicasdas escolhe
identificar
práticas
ou crianças,
qualidades essesa serem
pontos promovidas
(rápido,o lento,as auxilia a com
se conhecerem
as
forte, leve, direto,crianças, e CONVIVER
explorações comcrianças
com e adultos em situações comunicativas cotidianas,
seu corpo.
atividade observar desenvolvimento de sua
unidades de Educação Infantil momentos de ESCUTA, no sentido de a reconhecerem
referenciadas
flexível etc.), o emosua quecomo
formação,
estãoo sentindona propostanas situações,
pedagógica desenvolvendo
da
eminstituição osumae constituindo modos de pensar, imaginar, sentir, narrar, dialogar e
gestualidade namodo
produção de movimento
um desenhoocupa ou de ooutras espaço marcas todos
infantis, e
produzir/acolher mensagens orais, gestuais, corporais, musicais, plásticas, na identidade
sua
a fazer
seus observação
níveis pessoal,
intervenções
(alto, médio, eumescuta
sentimento
parabaixo), dos
que possam interesses,
de autoestima,
planosarticular desejos
e formas,suas autonomia
e necessidades
bemmarcascomo visuais e
construir das
a conhecer.
além das mensagens trazidas por textos escritos, e de FALA, entendida confiança em suas possibilidades. É importante apoiar as crianças a
crianças. BRINCAR com parlendas, trava-línguas, adivinhas, memória,
como expressar/interpretar não apenas pela oralidade, mas também via referenciaisoutras marcas
desenvolverCom
que infantis.
asintenção
orientem
umaa identidade
em
depessoal,relação
garantir umosasentimento
aproximar-se
objetivos dede ou distanciar-se
aprendizagem
autoestima, e rodas, brincadeiras cantadas, jogos e textos de imagens, escritos e outros,
linguagem de sinais, pela escrita convencional, não-convencional, pela de determinados pontos.
desenvolvimento desseem campo de experiências, o trabalho pedagógico
autonomia, confiança suas possibilidades e de pertencimento a um ampliando o repertório das manifestações culturais da tradição local e de
escrita braile e também pelas danças, desenhos e outras manifestações ganha determinado O
força ao brincar
grupo
considerar de faz de
étnico-racial, conta
a organização cria oportunidades
crença religiosa,
de situações localque valiosas
de contemplem de
nascimento outras culturas, enriquecendo sua linguagem oral, corporal, musical,
Escuta, fala, pensamento e imaginação representação do cotidiano das crianças e também do mundo da fantasia
expressivas. etc., e também
experiências com fortalecer
a linguagem os vínculos
oral, com afetivos
a leitura de todas
e a linguagem
as crianças escrita.
com dramática, escrita, dentre outras.
que elas tomam contato pela leitura de histórias e outras narrativas
Este campo ressalta experiências que evidenciam a estreita suas famílias e ajudá-las a captar as possibilidades trazidas por diferentes PARTICIPAR de rodas de conversa, de relatos de experiências,
promovidas pelo(a) professor(a) ou pelo contato com representações
relação entre os atos de fala e escuta e a constituição da linguagem e do tradições
teatrais. culturais
Experiências para a
comcompreensão
a linguagem do oral
mundo e de si mesmas. de contação e leitura de histórias e poesias, de construção de narrativas,
pensamento humano desde a infância. Destaca-se a experiência da Ao mesmo
No domíniotempo,pode-se
da oralidade, afavorecer Educaçãointerações Infantil tem positivas
possibilitado
com da elaboração, descrição e representação de papéis no faz de conta, da
criança com a linguagem verbal em diálogo com outras linguagens, desde às as crianças se enquanto
apropriarem realizam de diversas
ações deformas cuidado sociais
individual,
de comunicação,
como as exploração de materiais impressos e de variedades linguísticas,
Experiências com dança
o nascimento, de modo a ampliar não apenas essa linguagem, mas trocasas
como decantigas,
fraldas, banho, as brincadeiras
sono, alimentação,
de roda e os dejogos
modo cantados,
comunicativo além de e construindo diversas formas de organizar o pensamento.
também o PENSAMENTO (sobre si, sobre o mundo, sobre a língua) e a formas A dança ocorre nos festejoscultura juninos, no carnaval, nos
atento, de emcomunicação
um ambientepresentes planejado,naseguro, humana:
aconchegante conversas,
e EXPLORAR gestos, expressões, sons da língua, rimas, imagens,
Temas como
IMAGINAÇÃO. animais, plantas, sustentabilidade do ambiente, vida folguedos
O(a) professor(a)
informações, e reisados escolhe
reclamações,que marcam
práticas a
essas
serem e outras
promovidas ocasiões com significativas
as crianças, de CONVIVER com além
crianças
dosesentidos
adultos das
e com eles investigar o mundo natural
cotidiana, produção de bens e economia, nossa cidade, organizações diversificado,
uma
referenciadas
comunidade. apoiando-as
em sua formação, erepreensões,
incentivando-as elogios
na proposta apedagógica
etc. Isso
terem maior se autonomia
inicia pela
da instituição e e social.
textos escritos, palavras nas poesias, parlendas,
imersão
emsua delas
relação aosem seus trocas comunicativas eÉ prossegue conforme os canções e nos enredos de histórias, apropriando-se desses elementos
sociais etc., e atividades que lidam com números, têm orientado o na observação
Na dança, e cuidados
escuta
a criança dos pessoais.
recria
interesses, importante,
movimentos desejosaepartir ainda, deconstruir
necessidades uma das BRINCAR com materiais, objetos e elementos da natureza e de
com
momentos
trabalho na Educação Infantil. Esses e outros temas, no entanto, precisam música, as crianças
de falao entendimento
criam situações da emimportância
crianças.de um som, de uma ideia, e se sensibiliza quanto ao valor que elas necessitam
de cuidar de
pensar
sua saúde
sobre e a para criar novas falas, enredos, histórias e escritas, convencionais
diferentes culturas e perceber a diversidade de formas, texturas, cheiros, ou não.
ser tratados discutindo noções de espaço, de tempo, de quantidade, de língua, bem-estar
expressivo
experimentar
no
Com decorrer
a intençãosuadassonoridade
atividades
garantireem
demedida cotidianas
diferenciar
os objetivos e maneiras
criar com de
de aprendizagemelasfalar
hábitos
nae EXPRESSAR
cores, tamanhos, pesossentimentos,
e densidadesideias, percepções, desejos,
que apresentam.
situação, dedemodo
ligados à limpeza seus e agestos, na
preservação
comunicar desejos,
do ambiente, que explora
à coletamovimentos
sentimentos, ideias
do lixoe produzido leves necessidades, pontos de vista, informações, dúvidas e descobertas,
relações e de transformações de elementos, quando se pretende motivar desenvolvimento
ou fortes, rápidos desse
ou campo
lentos, de experiências,
percorrendo o espaço o trabalho
sozinha pedagógico
ou EXPLORAR características do mundo natural e social,
nas atividades e à reciclagem de inservíveis.
pensamentos. utilizando múltiplas linguagens, considerando o que é comunicado pelos
Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações a criança a ter um olhar mais crítico e criativo do mundo, promovendo- ganha interagindoforça com ao considerar
parceiros.a organização de situações que contemplem nomeando-as, agrupando-as e ordenando-as segundo critérios relativos
Uma forma muito importante de comunicação oral é a colegas e adultos.
lhe aprendizagens mais significativas. experiências Asem possibilidades
relação ao espaço, expressivas ao tempo, dos seus à medida
corposesão experiências às noções de espaços, tempos, quantidades, relações e transformações.
Neste campo, destacam-se experiências nas quais as crianças conversa,
especialmente
quanto às situação
relações em
trabalhadas que os se sujeitos
e transformações. as crianças têmtiverem
que narrar, descrever,deexplicar,
oportunidade criar CONHECER-SE
PARTICIPAR deeatividades
reconhecer desuas preferências
investigação por pessoas, de
de características
falam, descrevem, narram, explicam e fazem relações, requisitos relatar, ouvir e argumentar com outros
movimentos livremente ao dançar. O enredo também é importante. parceiros. É próprio da nossa brincadeiras, lugares,objetos,
elementos naturais, histórias, autores,espaços,
situações, gêneros utilizando
linguísticosferramentas
e seu
cultura conversar e contar casos, o que torna a conversa uma prática interesse em produzir com a linguagem verbal.
fundamentais para a construção e ampliação de saberes. As vivências Dançar um Experiências
ritual de nossos em antepassados,
relação ao espaço brincar de estar em um de exploração — bússola, lanterna, lupa — e instrumentos de registro e
social muito frequente.
cotidianas delas na unidade — construir um castelo como cenário de um elegante baile Noções
ou em espaciais
uma escola relativasde samba,
a uma ou situação
imitando estática
os movimentos
— tais comunicação, como máquina fotográfica, filmadora, gravador, projetor e
faz de conta, procurar um tatu-bola no jardim, cuidar de plantas e de de determinado
como longe,Experiências
perto,animal em cima,
ou
com o jeito
aembaixo,de andar
leitura dentro, de um forapersonagem
— ou a umapossibilitasituação computador.
animais, colecionar objetos, movimentar-se por diferentes espaços com dinâmica – para frente,
à criança explorar para trás, para
as possibilidades o lado, para cima, paranabaixo, na EXPRESSAR suas observações, explicações e representações
A experiência da criança expressivas
com a leitura dode seu corpo
histórias, além de
diversos desafios, pensar sobre perguntas como: "Quanto tempo falta mesma
encenação direção, para a direita,
de realidades para a esquerda — começam a ser
fantasiosas. sobre objetos, organismos vivos, fenômenos da natureza, características
para o meu aniversário?", "Por que quando minha avó era criança não facilitar o acesso
apreendidas pelasa crianças
uma linguagem a partir diferente
da relaçãodaquela do seu que corpo está
com presente
o do ambiente.
havia televisão?", "Por que alguns objetos afundam e outros não?", "Por ambiente no seu cotidiano,
àExperiências
medida possibilita
que com conhecer
vivenciam
dramatização os detalhes
situações do texto ee das imagens
diversificadas CONHECER-SE e construir sua identidade pessoal e cultural,
que existem alguns animais com penas e outros com pelos?", "Quantas esignificativas. ter contato com osna
O teatro personagens
Educação Infantil reais edeve imaginários
ser umaque a levam a
experiência reconhecendo seus interesses na relação com o mundo físico e social.
vezes um elefante é maior do que um cavalo?" —, além de fortalecerem reagir, integrada se emocionar
àsA demais
organização e antecipar
experimentações
do esquema desfechos.vividas
corporal A pelas
leitura de histórias
e dacrianças:
orientação a leitura
e de
possibilita à criança perceber como afetos, medos e surpresas podem ser
sua autonomia, podem ser ricas oportunidades para a construção do histórias,
percepção
comunicados a espacial
brincadeira, podem
pela escrita, a expressão
e devem plástica,
constituindo serum potencializadas
a música,
meio o movimento.
de conhecimento de si
raciocínio lógico, de noções de ESPAÇO e TEMPO, QUANTIDADES, de Assistindo
intencionalmente,
mesmo, dos a uma
outros apresentação
aepartir da exploração
do mundo, teatral, é possível
e de ampliaçãodo corpo notar
de eexperiência
dosaobjetos
tensãona no
corporal
classificações, seriações etc., para a percepção de RELAÇÕES e de e o olharExperiências
espaço.
vivência maravilhado
estética do textode dosapreciar
bebês
com suasuma
queimagens
buscam
pintura, esignificar
desenhar,
ilustrações. o localizar-se,
que presenciam. ler,
TRANSFORMAÇÕES nas situações, objetos e materiais observados ou escrever, brincar e muitas outras
A aprendizagem do fazer ampliam
teatral, asalém
noçõesdecom da criança
passar pelo de
manuseados, e para o desenvolvimento da sua imaginação. espaço. O contato das crianças desde pequenas textos de
aperfeiçoamento do brincar de faz de conta, também se beneficia da
narrativa ficcional,
maior experiência ricoscrianças
O(a) professor(a)
das em imaginação
pode emorganizar
usufruir e fantasia,
dasituações e sustentados
“contação” em que pela
de histórias
as crianças
linguagem
que
tratem se faz oral oue escrita,
o espaço
cotidianamente por
sua representação imagensade
na unidade epartir
gestos,
Educação lhesInfantil,
de diferentes permitem em explorar
pontos quede
possibilidades
aprendem afavorecer
referência; de com
lidar leitura, ainda que
situações
as palavras elas
de eexploração
imagens não saibam
àstátil
quais e ler
visual
elas remetem.
das
convencionalmente: as imagens, por exemplo, informam e ajudam a
propriedades Conforme
— forma, crescem,
tamanho,
antecipar muito do que é explicitado por palavras. as crianças
posição, podem
direção começar
—, das formas
a construir,
com a ajudaAodo(a)
geométricas planas
escutar professor(a),
e não-planas,
a leitura de roteiros
integrando para encenar
uma história experiências histórias
ou ao elaborar comnarrativas
noções
conhecidas,
espaciais
a partir dee um gerarando
situações
livro deaimprovisadas
produção
imagens, asde oudesenhos,
criações
crianças esculturas,
coletivas,elementos
reformulam para
maquetes ou
confeccionar
cenários; promovercenários a observação
e figurinos, da e utilizar
paisagem a iluminação
local por meio e a sonoplastia.
de passeios
constitutivos da língua escrita. A leitura
ou atividades na área externa da unidade ou com o apoio de fotos, diária de histórias pelo(a)
professor(a)
imagens, relatos é muito importante,
e registros, chamando pois oportuniza
atenção para experiências que
as transformações
emocionam
ocorridas aoas crianças
longo e as ajudam
do tempo; a reconhecer as
criar oportunidades para regularidades
as crianças entre
diversas narrativas, a constituir hábito de ouvir histórias etc.
observarem diferentes animais e plantas e reconhecerem algumas de
suas características, investigar os hábitos, a alimentação, questionar o
Experiências com a linguagem escrita
espaço em A que estão, as
presença transformações
constante da linguagem que percebemescrita e sua no crescimento
marcante e
na aparência
influência nasde animais econtemporâneas
sociedades plantas. criam condições para as
crianças observarem e reproduzirem práticas cotidianas de uso de escrita,
Experiências em relação ao tempo
em especialNoções
nas brincadeiras
de tempo de faz(dia
físico de conta,
e noite, quando os enredos
estações por elas
do ano, ritmos
criados colocam
biológicos) os personagens
e cronológico (ontem,em situações,
hoje, amanhã;por exemplo,
semana, mêsdee anotar
ano)
um recado ou um pedido de comida feito por telefone, preencher um
tornam-se objeto de interesse das crianças que mostram fazer refências
cheque ou fazer uma lista de compras, escrever um convite para uma
em suas conversas a noções de ordem temporal (“Meu irmão nasceu
festa ou anotar a medicação em um receituário, no caso da criança que
antes de mim”, “Vou visitar meu avô depois da escola”), histórica (“No
toma
tempooantigo”,
papel de“Quando
médico. mudamos para nossa casa”, “Na época do
Além da imitação
Natal”), e comparar situaçõesdequeatos
se de
dãoescrita feitos por
em tempos parceiros
diferentes, mais
podendo
experientes, a apropriação da linguagem escrita pelas crianças se faz por
até ser uma situação imaginária (Hábitos do tempo da vovó e hábitos
meio de interações plenas de ludicidade, a partir de experiências
atuais; roupas
promovidas usadas
pelo(a) pelos astronautas
professor(a): ouvir e erecontar
pelos médicos).
histórias,Oconversar
foco é
apropriar-se
sobre das noçõesescrever
os personagens, de simultaneidade,
seu nome em sequência,
um desenho mudança e
feito etc.
permanência de determinadas ações.
Conforme as crianças se arriscam a ler e a escrever, o(a)
Se puderem conversar com membros da comunidade ou com
professor(a)
seus familiaresas eapoia na organizaçãosobre
perguntarem-lhes de suas ideias
fatos sobre o sistema
do passado, de
as crianças
escrita, criandoem
podem pensar hipóteses
como elassobre ela ese
seriam inventando meios de
tivessem nascido emutilizá-la.
outra época
(por exemplo, A escrita
quando doospróprio nome éexistiam
dinossauros uma importante
ou quandoconquista
ainda não da
criançaluz
existia que entra no
elétrica mundo
etc.) das letras.
e analisar A criança começa quase que
desenhando o nome, aos poucos as elamudanças que
passa a observar os objetos
algumascitados
sofreram até hoje.
regularidades e nota que as letras sempre se repetem e aparecem de um
mesmo jeito. Por fim, ela percebe que letras ou trechos de seu nome
Experiências
aparecem também em relação
nos nomes à medida
de alguns de seus colegas, o que permite
Cabe à unidade de Educação Infantil propor situações-
continuar pensando
problema sobre apossa
em que a criança escritaampliar,
e escrevendo outras
aprofundar coisas a partir
e construir novos
daí.
conhecimentos sobre medidas de objetos, de pessoas e de espaços, o
que inclui observá-los e utilizar instrumentos para quantificar sua
grandeza.
A contagem de objetos — tesouras, brinquedos, livros etc. —
e pessoas é um dos procedimentos possíveis para a criança aprender a
adicionar ou subtrair quantidades e requer a presença de referências
para a consulta dos números e da ordem numérica, tais como a fita
métrica, o quadro numérico e os livros com muitas páginas para ler.
Contar pontos de dados em geral ajuda as crianças a
construírem diferentes procedimentos de contagem, buscando sempre
formas mais eficientes de solucionar problemas aditivos e subtrativos. A
partir de jogos de tabuleiro, a criança pode construir a noção de
sequência numérica verbal e escrita, usando palavras diferenciadas na
contagem de objetos, compreender que os números são recursos para
representar quantidades e aprender a contar objetos usando a
correspondência um-a-um, sincronizando o gesto e o recitado da série
numérica sem pular os objetos e/ou contá-los mais de uma vez.
Nas experiências de que participam, as crianças podem
aprender a comparar a quantidade de grupos de objetos utilizando as
relações mais que, menos que, maior que e menor que, a utilizar
diferentes estratégias para juntar, repartir e tirar quantidades, e a
avançar ou retroceder em uma série numérica.

Experiências quanto às relações e transformações


Pesquisar modos de viver de pessoas de um tempo passado
ou de outra cultura pode levá-las a aprender que há múltiplas culturas
feitas pelos homens, cada uma delas rica em elementos simbólicos, em
produtos artesanais, artísticos e técnicos.
Convidar crianças pequenas a observar fotos de seus
familiares e de seus colegas, identificando-os por nome, e a narrar
acontecimentos significativos de sua vida as ajuda a perceber certas
características de seu grupo familiar e de amizade.
Noções relacionadas à transformação de materiais, objetos e
situações que aproximem as crianças da ideia de causalidade também
podem ser estabelecidas na Educação Infantil pela observação de
elementos da natureza e de fatos e fenômenos sociais, como enchente,
seca, hábitos de vida etc., seguida de conversa com os colegas.
Mover objetos de diferentes maneiras e observar seu
resultado, participar de atividades que produzem mudanças nos
Traços, sons, cores e formas Os bebês, em suas explorações corporais e sonoras, descobrem aPARA junçãoOdeREDATOR sons,
MATERIAL SUPLEMENTAR DE CURRÍCULO - NÃO FAZ PARTE DA BNCC
gestos e palavras, buscando dar sentido às suas ações. Por meio de diferentes Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
situações nas quais podem movimentar-se, escutar e responder à música, currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
Campo de experiências Faixas Etárias Objetivos de aprendizagem e desenvolvimento experimentar um ritmo Abordagemregulardas e explorar
experiências sons, tons de aprendizagem
e cantar, têm a oportunidade locais para cada um dos objetivos Sugestões
de aprendizagem
para o currículo e desenvolvimento da BNCC.
Desde
de ampliarbebês, as criançassuas
e aprimorar escutam
habilidadese reagem à música com
e descobertas sobre movimentos
a música eeosoutras Para os bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados às ações e
manifestações.
movimentos. Nesse As crianças
contexto, bemé pequenas
importante sequeinteressam
os bebêspor conhecer
tenham as canções, situações nas quais exploram o som produzido pelo seu próprio corpo ou com
garantidos
reproduzi-las ou inventar pequenos versos a partir
vínculos seguros e estáveis, espaços acolhedores e desafiadores e disponibilizados Ao das canções conhecidas. Ao objetos — por exemplo,
escutar a música, envolvem-se com seu corpo ediversificados
buscam mover-se formular objetivos debrincar com o próprio
aprendizagem corpo em atividades
e desenvolvimento específicos compara músicas
o ou
(EI01TS01) ao seu alcance objetos, materiais e brinquedos e de no compasso
qualidade queda currículo,
imitar a vocalização
é desejáveldo(a) professor(a)
detalhar noções, ao cantar. O currículo
habilidades, atitudes e/oupodeespecificidades
considerar as
Traços, sons, cores e formas Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) Explorar sons produzidos com o próprio corpo e com objetos do ambiente. canção. Os materiais sonoros exercem grande interesse nas crianças bem
lhe propiciem
pequenas, sejam oportunidades
eles instrumentos para explorar
ou objetos as diferentes
comuns.sobre Emformas
suas de sons, fazendo locais
explorações, habilidades
para cadaa seremum dosconstruídas
objetivosa de partir
aprendizagem
da interaçãoe com desenvolvimento
o outro — pordaexemplo, BNCC.
As
usocrianças
de seu corpopequenas, por meio
e de todos da música,
os seus sentidos, aprendem
brincando comsibrinquedos
mesmas, seu corpo, Para
sonoros, ajustaras gestos
crianças oubemposições
pequenas,
de seué corpo
possívelbuscando
construir adequar-se
objetivos específicos
a outras crianças ou
buscam
sobre osdescobrir
outros e sobre
e criar a sons
sua cultura.
e acompanhar A música,
com instrumentos de efeito sonoro e demais objetos do ambiente natural que o ritmo
tradicionalmente,
da música. Nesse
insere contexto,
as é Ao formular
professores(as),
relacionados objetivos
às suas de
acompanhando aprendizagem
exploraçõesoem ritmo e
busca desenvolvimento
da de
música.
descobrir
O currículoespecíficos
novos sons,
local pode, para
como ainda,o
brincar
importante
crianças
Os bebêsem
produzam experimentam
que
suadiversos.
sons as
própria
criançascultura
oTambém
mundo
bemepequenasnos
pelosritosseus
é importante que
participem
sentidos,
dela
quefazem deseudiversas
participem parte,
corpo, de como,
usando
situações
situaçõespor que nasas currículo,
destacar
com é desejável
materiais,
sons ou
objetos
objetosdetalhar noções,
e instrumentos
que são típicoshabilidades,
musicais,
de sua culturaatitudes
imitar, e/oueespecificidades
einventar
também abordar
reproduzir atitudes
Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02TS01) convidem
exemplo,
movimentos
quais possam as
a produzir
canções
simples
brincarsons,
de
em
com aniversário,
suas
utilizar
as explorações.
o próprio
eventos
possibilidades Viver
corpo,
ou festividades
situações
expressivas comoda aoquebater
típicas
própriafavoreçam
palmas,
dasediversas
voz aosrelação
explorarpés, locais
a serem
criaçõespara cada um
desenvolvidas,
musicais oudos objetivos
explorar
como novos demateriais
divertir-seaprendizagem
com abuscando e desenvolvimento
produção diferentes
de sons gerada sonsda paraBNCC.
pela sua
Traços, sons, cores e formas meses a 3 anos e 11 meses) Criar sons com materiais, objetos e instrumentos musicais, para acompanhar diversos ritmos de música. de
regiões
forma do ritmada,
país. O desenvolvimento
com o auxílio de outras
musical crianças
das crianças,
e professores(as)
bem como sua
e também Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados
entre suas sensações corporais ao realizar marcas
objetos buscando diferentes sons e ajustando seus movimentos corporais, como em seu próprio corpo ou mesmo própria exploração
acompanhar canções corporal
que lhes e apreciar
são familiares,
os sonsbuscar
produzidos
adequar poros diferentes
sons produzidos
objetos
utilizando
capacidade
em
baterdiferentes
palma objetos
de se expressar
diversificados.
suportes
conforme porda
ocontribui
ritmo meio
Épara
importante,
dessa
música, linguagem
a experimentaçãoainda, que
acompanhar eaaprender
de possam sobre
explorar
representações
música batendo sua
emde cultura
um seus ao
quefazer musical
exploram ouenvolvendo
escutam. as canções e os instrumentos musicais. Por exemplo,
diferentes
com ela, com oscanções
diferentes objetos ou instrumentos ao ritmocom da música
gestos ou ou diferenciar sons
objeto ousão
sentimentos fontes
epossíveis
buscar sonoras
emoções,
sons quandoe reconhecer
bem
diferentes elas
como em estão
de sua
sua
objetosinseridas
ausência
própria
que lhes em ou
imagemcontextos
são presença ememque
e experiências
familiares. diferentes
as pessoas cantar
dosformular
Ao objetos sonoros
conhecidas
objetivose de
acompanhando
dosaprendizagem
instrumentos emusicais.
o ritmo
desenvolvimento
O currículo
com
específicos
local pode, paraainda,
o
(EI03TS01) situações ou
valorizam,
corporais. expressar-se
Convidar
apreciam os
e fazem
bebês utilizando
uso
para da diferentesas
explorarem
linguagem instrumentos
musical.
tintas, Nesse musicais,
observarem contexto, as ritmos,
marcas
é que instrumentos musicais ou reconhecer canções características que marcam eventos
Crianças pequenas (4 anos a 5 anos velocidades, intensidades, sequências de trazer exemplos
currículo, é desejável
de instrumentos
detalhar noções, musicais,
habilidades,
objetos ou atitudes
canções e/ou que especificidades
são típicos da
Traços, sons, cores e formas e 11 meses) Utilizar sons produzidos por materiais, objetos e instrumentos musicais durante brincadeiras de faz de conta, deixam,
importante as variações
que as crianças
das intensidades
pequenas tenham dasmelodia
cores, e timbrescom
experimentos
mexerem em
comsuas
areia brincadeiras,
a produção
e água, na de específicos
culturapara
local,deesua rotinacriar
também ou de seu grupo.
objetivos É possível,àtambém,
relacionados apreciação construir
musical, objetivos
encenações, criações musicais, festas. As
nasArtes
sonscrianças
terra etc.,Visuais
danças
com bem
ou
fins
são em
de são
pequenas
umasonora”,
interação
situações
“trilha linguagem,
gostam
em duplas,
privilegiadas que deportanto,
criar
paratrios
possam reproduções
os ou uma
bebês. forma
pequenos
participar Nesse dede
da pessoas
as crianças
grupos,
composição
contexto, eequeécoisaspequenas
e possam
importante locais
escolha relacionados cada um dosmusical
à pela
reflexão objetivos —de poraprendizagem
exemplo, e desenvolvimento
reconhecer alguns elementos da ao gosto
BNCC.
utilizando
se expressarem diferentes enarrativas,
se comunicarem.
materiais, como Porargila,
meio massa
de traços, deseguros
modelar,
pontos eareia
formas, etc.que
tanto
Suas ou valorização
Para
Ao formular
os bebês, objetivos diversidade
é possível departes,
construir de
aprendizagem produção
objetivos artística
e desenvolvimento
específicos dasrelacionados
diferentes
específicos culturas.
àspara
suaslocal
oações
também
desses
que os sons
bebês
demonstrar
para
realizem sua
suas preferência
explorações
festas etc.,
porque
em
determinadas
espaços
participem de
músicas
situações
e desafiadores,
instrumentais
em tendo
e musicais básicos: frases, elementos que se repetem etc. O currículo
explorações
bidimensionais relacionando
diferentes expressões
confeccionem
disponibilizados como
diferentes
de formatridimensionais,
o reconhecimento
da instrumentos
cultura
acessível musical asmusicais
crianças
diferentes das
brasileira propriedades
podem
objetos,
de epercussão, expressar
demateriais
outras dos
de materiais
culturas:suas canções,
esopro,
brinquedos ideias, com
de corda que currículo,
de
pode,explorações
ainda,é desejável
e descobertas,
trazer detalharde
exemplos noções,
como experimentar
habilidades,
manifestações diferentes
atitudes
artísticas, e/ou
instrumentos
canções especificidades
ou instrumentos
(EI01TS02) as representações
sentidos
com emateriais
acalantos,
etc.
os convidem sentimentos
cantigas que
para diversas têm
emações
alternativos
de roda, dos
uma objetos,
linguagem
brincos,
para pessoas
e investigações.
utilizar
parlendas, que asou
em situações animais
motiva
trava-línguas
Além disso,e as
de as engajam
éengaja
brincadeiras
etc.importante paraem que, em locais
realizar
cantadas riscantes
de suapara e cada
região,tipos um
de tintas,
dos objetivos
comunidade, em diferentes
cultura delocal,
aprendizagem
suportes,
nacional ou deixando
e internacional,
desenvolvimento
suas marcas além dagráficas.
deBNCC.
Traços, sons, cores e formas Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) Traçar marcas gráficas, em diferentes suportes, usando instrumentos riscantes e tintas. produções
suas cada
explorações
com outras vez
crianças, mais
e descobertas
queou intencionais,
usem sobre
seus como,
as coisas
brinquedos por oexemplo,
esejam mundo
sonoros ouàum pedaço
suaacolhidos
volta. Nesse
instrumentos de musicais
massinha Para Também
abordaras crianças
são interessantes
atitudes pequenas, objetivos
a exploração
a serem desenvolvidas, relacionados
ecomo
o usoapreciar
deàdiferentes
intencionalidade
materiais
e valorizar de érealizar
a escuta uma
de
suas atividades
esticado pessoais
representando umacom alguns colegas, sempre e
contexto,
observados é importante
para participar porde que
encenações
professores(as) ascobra.
crianças
ou Além
criações
atentos
disso,
tenham
musicais,
e responsivos acontribuem
oportunidade
vivências para
dede
às suas necessidades
a participar
compreensão
dança etc.,eede marcas
forma de
gráficas,
obras musicaisampliar decomo
suas explorar
noções
diversos eehabilidades
gêneros, reconhecer sobre
diferentes
estilos, épocas ase coisas
movimentos
culturas, e asdapessoas gestuais
produção quemusical
ao
sobre
diferentes
ashistórias
coisas
situações tentar realizá-las em diferentes suportes. O currículo
objetivoslocal pode, ainda, trazer a
contem
interesses, bemque como querem
deque
usando aprendizagens
representar
modulações
possam de—evoz,
utilizar individuais,
tambémobjetos
objetos para
para em opares,
sonoros aprimoramento
riscar, trios eoutraçar
epintar
instrumentos pequenos
das pretendem
brasileira
exemplos
representar.
e de outros
deobjetivos
tintas oucomo
É possível
povos e países.
instrumentos
construir
típicos de sua
específicos
região – folhas,
relacionados
sementes, flores,
(EI02TS02) habilidades
grupos
musicais.
marcas —, nas
necessárias
quais possam
ao manuseio
expressar-se, dos diferentes
comunicar-se
que participem de situações de autoiniciativa e de escolha, envolvendo materiais
e divertir-se,
e instrumentos.
ao mesmo essas
Ao formular
aprendizagens, de aprendizagem
criar produtos e desenvolvimento
com massa de modelar
específicos
ou argila
para aopartir
Crianças bem pequenas (1 ano e 7 Utilizar materiais variados com possibilidades de manipulação (argila, massa de modelar), explorando cores, tempo
Nesse contexto,
em que exploram,
é importante investigam
que as e
crianças
fazem descobertas
bem pequenas e conexões
participem por demeio de terras
de de
currículo,
seu diferentes
próprio
é desejável cores
repertório, etc.—,
detalhar
explorandoalém diferentes
noções, de abordarelementos,
habilidades, atitudes
atitudes ae/ou
serem
como desenvolvidas
especificidades
forma, volume,
Traços, sons, cores e formas explorações de tintas e instrumentos riscantes. Essas experiências são
meses a 3 anos e 11 meses) texturas, superfícies, planos, formas e volumes ao criar objetos tridimensionais. situações
desenhos,
oportunidades nas
rabiscos,
quais
paratenham
pinturas, a construções,
que descubram, oportunidade desdeesculturas,
de utilizar
muito cedo, colagens,
diferentes
experiências dobraduras
materiais
artísticas,para
etc. Por locais
relacionadas
textura para
etc.cada
Oao currículo
aprendizado
um dospode objetivos
do
construir
cuidado
de aprendizagem
objetivos
com o próprio
relacionados
e desenvolvimento
corpo àe habilidade
dos colegas da BNCC.
no
nessas
criar
meio
Bebês
mesmo objetos
da escuta
aprendem
que tridimensionais,
atenta
com todo
rudimentares, e dasalémoobservações
queda
seu podem
corpo e do(a)
ser
comfeitos
possibilidade professor(a),
seusdecom palitos
sentidos.
explorar éDisponibilizar
e possível
de madeira,
investigar organizar
papéis Para
diferentes explorações.
manuseio
as crianças
dos materiais
pequenas, paraé possível
sua produção construir
artística
objetivos
— por específicos
exemplo, relacionados
explorar e
diversos
situações
materiais,eacomo
diferentes outros
partirlápis
materiais materiais
do einteresse
eobjetos
pincéisdisponíveis
das
que crianças,
na escola
favoreçam
de diferentes realizando
e/ouefáceis
a descoberta
texturas convites dedediferentes
espessuras, para
serem queencontrados,
brochas, façam
sons aprofundar
ao seu fazersuasartístico,
descobertas
como desenhar
em relação e construir
a procedimentos
produçõesnecessários
bidimensionais para e
(EI03TS02) criando,
desenhos
engaja-os assim,
de
em formas
observação,
suas diversas.
exploraçõesfocando É importante
automotivadas
nos detalhes também
e e
carvão, carimbo etc.; de meios, como tintas, água, areia, terra, argila etc.; e de naconvidandoque
aprendizagem possam
a todos criar
sobre para objetos
os expor modelar e
tridimensionais
Ao formular suas diferentes
objetivos
ou usar de possibilidades
materiais
aprendizagem artísticos
ede manuseio
desenvolvimento
para a
expressar partir
suas de sua
específicos
ideias, sentimentos
para o
Crianças pequenas (4 anos a 5 anos bidimensionais enos
tridimensionais a partir de materiais como argila,estar barro, massa de currículo,
Traços, sons, cores e formas e 11 meses) Expressar-se livremente por meio de desenho, pintura, colagem, dobradura e escultura, criando produções resultados
suas produções
variados de suas
suportes ações
espaços
gráficos, com dao sala
como corpo que
jornal, e com
devem,
papel, ospapelão,
objetos
preferivelmente,
na produção
parede, chão, decaixas,
acessíveis
sons. Nesse eintencionalidade.
experiências.
é desejável O currículo
O currículo
detalhar local
pode pode,
noções,
construir ainda, trazer
habilidades,
objetivos exemplos
atitudes e/oude
relacionados objetos
àespecificidades
sua e
reflexão
bidimensionais e tridimensionais. As
paracrianças
modelar,
contexto, é bem
papel
que possam epequenas
importantetinta
exibirou que
suas estão
explorar abertas
oproduções
bebê, asenvolto
coma ouvir,
características
em fazer
autonomia.
relaçõesdemúsica
objetos eese
Évinculares
desejável, movimentar
materiais
ainda,—
seguras e materiais
sobre
locais para que
o fazer cada sãoum típicos
artístico dos da região,
—objetivos
por exemplo,decomunidade
aprendizagem ou ecultura
usar uma variedade local,
desenvolvimento
de além de
materiais da abordar
artísticos
BNCC.
madeiras
com etc.
ela.sabores,
odores,
promover
estáveis eDesde
em
situações
um bebês, emsãoquecapazes
sonoridades,
ambiente acolhedor
astexturas,
crianças de escutar
eformas,
possam
ao mesmo ospesos,
sons
construir
tempoetamanhos
responder
brinquedos,
desafiador, e aposições
eles.
queElas
potes, no estão Para
cestos atitudes
para
Ao os
se expressar
bebês,
a serem
formular é possível
desenvolvidas
objetivosou utilizar
de construir
a investigação
relacionadas
aprendizagem objetivos
e que
específicos
aorealiza
cuidado
desenvolvimento sobre
relacionados
e à específicos
apreciação
o espaço,àsas pela
ações
paraimagens,
o ao
rodeadas
espaço
ou —por
disponibilize
adornos diferentes
aoinspirados
de
utilizar
forma nosons
materiais
acessível àcomo
artesanatosua volta:
brinquedos,
argila, o barro,
do campo, som da
objetos chuva,
indígena
massa
e materiais
de domodelar,
ou rio,outras
de dodos passarinhos,
mundo
papel,
tradiçõesfísico
tintae explorar
produção
as coisas fontes
ao
(EI01TS03) das os sons, currículo, éprópria
seusonoras
redor
desejável da criança
para
e materiais
detalharsignificar
e anoções,
doscomo,
colegas.
e incrementar
por exemplo,
habilidades, sua produção
fazere/ou
atitudes sonsespecificidades
artística.
agitandoOe
etc.;pessoas
culturais,
natural,
e formas a falar,
participe
construir dos
tridimensionais
decasas motores
situações
ou castelos
nas
que dos carros,
brincadeiras
utilizem
de cartas, barcos
diversos etc.
de montar,
madeira, Gostam
materiais encaixar de ouvir
desonoros
panos e eempilhar.
eoutros
palpáveis, currículo
batendo instrumentos
local pode, ainda,
ouobjetivos
responder
trazer objetivos
de aaprendizagem
sons relacionados
familiares com aogestos
conhecimento
ou ações. eOà
Traços, sons, cores e formas Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) Explorar diferentes fontes sonoras e materiais para acompanhar brincadeiras cantadas, canções, músicas e identificá-los
materiais, fazer e correspondê-los
dobraduras às imagens
simples, bonecas mentais
de pano queoupossuem
de espigasobre de milho,os objetos locais para
apreciação
cada um dos
de produções artísticas de sua cultura
e desenvolvimento
ouobjetivos
de complexidade
outrasespecíficos
culturasde
da BNCC.
regionais,
melodias. que lhe
oucriança permitam
seres que agir
osestrutura
produzem. de forma
Nesse a produzir
contexto, sons,
assecas,explorar
diferentes as qualidades
fontes sonoras sonoras de currículo
Para as crianças
pode
presentes nacionais ou internacionais.construir
bem pequenas,
objetivos é possível
relacionados
construir
à maior suas
A
construir
objetos pequena
e uma
instrumentos produz com música
musicais gravetos, por meio
diversos, folhas da
como exploração
sinos, blocos,
flautas,docopos
som
apitos, e decoquinhos
suas
plásticos, e relacionados
habilidades aoà explorar
produçãofontes musical sonoras
e identificação
— por exemplo,
de fontes responder
sonoras.virando
Por exemplo,
em
no
qualidades:
ambiente
embalagens
participar dealtura,
deescolar
situações duração,
papelão, oudeao seuintensidade
redor são
experimentar
brincadeiras efontes
timbre.
efeitos
livres deluz
Elas
investigações
oudedivertir-se gostam
e sombra comde para
sobre explorar,
canções suas noou
objetos direção ao
explorar e reconhecer
som quandosons há mais
familiares
de umou estímulo
explorarsonoro
e identificar
presente possibilidades
ou coordenar
(EI02TS03) explorações
contato
espaços,com
relacionadas comeobjetos
descobertas
auso e instrumentos
narrativas,
de velas sobre
festas
ou eooutros
lanternas,mundo.
musicais, É importante
pintar os
acontecimentos
usandosons agudos que
diferentes haja
típicose graves
de diversidade
sua(altura),
suportes cultura. de Ao
(papéis, formular
habilidades
sonoras objetivos
de objetos
motoras denade
seu aprendizagem
exploração
cotidianode e desenvolvimento
ousons.
de instrumentos
O currículo local específicos
musicais.
pode,Oainda, para
currículo o pode
trazer
Crianças bem pequenas (1 ano e 7 Utilizar diferentes fontes sonoras disponíveis no ambiente em brincadeiras cantadas, canções, músicas e materiais
tocar
panos,forte
Além disso,que
telas, ou sejam
fraco (intensidade),
também
pedaços fontes
éde de sons,
importante
metal ou produzir
como
acrílico)
que aparelhos
esons
participe curtos
materiais
de tecnológicos,
ou longos
situações
(aquarela, quetinta(duração)
orústicos
convidem
guache, etc.
e imitar
para currículo,
atinta édedesejável
exemplosobjetivos
construir detalharinstrumentos,
fontesrelacionados
sonoras, noções, habilidades,
à produção canções atitudes
e à apreciação e/ou especificidades
ou brincadeiras
musical, como
cantadas que
Traços, sons, cores e formas meses a 3 anos e 11 meses) que
gestos
melodias. feitaas
criar que
crianças
sons
com relacionam
materiais
com ofaçam da novos
próprio com asons
natureza,
corpo produçãoeobjetos/instrumentos
oulápis descubram
dede som.
cor, novas
Por meio
canetas possibilidades,
aodessas
hidrográficas,
escutar iniciativas,
umaquemúsica,
esmalte sejamde locais para sons
são típicos
reproduzir cada
de suaum
ou dos objetivos
região,
canções comunidade de aprendizagem
conhecidas ou
e usar
cultura
emlocal. e desenvolvimento
suas da BNCC.
brincadeiras, interessar-se
convidadas
explorações
unhas), reconhecer
buscando ae identificar
manipulações,
acompanhar e imitar
a diversidade se apropriam
sons
o seu ritmodeoupadrões conhecidos,
com maior
apreciardebrincadeirascomo destreza
uso das cores os sons dada
cantadas, linguagem
natureza
em diferentes (cantos Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos
participando, por canções ou brincadeiras cantadas apresentadas pelos professores(as) ou seus específicos relacionados
de
musical
pássaros,
culturas
imitando como “vozes”
eecontextosformagestos,
criando de produção
de expressão
animais,
explorando barulho
eeusar
comunicação.
do vento,
movimentos,
esse Nesse
da
conhecimento chuva
fontes contexto,
etc.),fazer
sonoras
para sons
ée importante
da cultura ao fazer musical e à produção de sons. Por exemplo, brincar com a música
materiais.
suas
(EI03TS03) (vozes colegas. O currículo local pode, ainda, destacar os objetos, canções, instrumentos
Crianças pequenas (4 anos a 5 anos que as humanas,
criações crianças
no desenho, sonsna
tenham decontato
instrumentos
pintura com musicais,
etc. diversos sons dede máquinas,
diferentes produzidos
intensidades, por explorando
ou manifestaçõesobjetosculturais
ou instrumentos
que são típicasmusicais paracultura,
de sua acompanhar
regiãoseu ou deritmo
outrasou
Traços, sons, cores e formas Reconhecer as qualidades do som (intensidade, duração, altura e timbre), utilizando-as em suas produções objetos e outras
durações, alturas,fontes timbres sonoras)
etc. Esse ou contato
o silêncio, podee que tenham
se dar por meio vivências de ouvir,
de brincadeiras, imitar, inventar
e 11 meses) perceber eindividuais,
discriminar em eventos sonoros diversos, fontes sonoras e produções culturas, além dee reproduzir
abordar atitudescriações musicais.
a serem O currículo como
desenvolvidas, pode construir objetivose
apreciar canções
sonoras e ao ouvir músicas e sons. atividades duplas ou pequenos grupos e de situações de exploração relacionados com as qualidades
músicas de diferentes culturas ou doescutar
som, como,
músicasporde exemplo,
diferentes reconhecer,
tradições em culturais
musicais;
dos ambientesexplorar à suae identificar
volta, procurandoelementos objetos
da músicae coisas para que setenham
expressar, sons interagir
diferentes situações de escuta de música, algumas
buscando cantar juntos e imitar os gestos comuns. características dos sons ou explorar, em
comque
dos os outros
já conhecem.e ampliar Dançar
seu conhecimento
conforme a música do mundo e as diferentes
ou participar manifestações
de jogos e situações de brincadeiras com música, variações de velocidade e intensidade na
brincadeiras
sonoras, encontrar
que envolvammovimentos a dança diferentes
e/ ou a para improvisação
expressarmusical. cada uma delas, produção de sons. O currículo local pode, ainda, trazer objetivos de aprendizagem e
descobrir a reação dos diferentes tipos de som no seu corpo, criar formas de se desenvolvimento que ilustrem canções, brincadeiras ou instrumentos musicais que
expressar por meio dos sons que seu corpo emite, que sua voz pode criar, que são são típicos de sua cultura ou de alguma outra cultura que estão conhecendo.
possíveis de serem compostos em duplas ou trios são situações que engajam as
crianças pequenas em suas descobertas e aprendizagens em relação aos sons.
O eu, o outro e o nós
MATERIAL SUPLEMENTAR PARA O REDATOR DE CURRÍCULO - NÃO FAZ PARTE DA BNCC

Campo de experiências Faixas Etárias Objetivos de aprendizagem e desenvolvimento Abordagem das experiências de aprendizagem Sugestões para o currículo

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


Os bebês, desde bem pequenos, têm iniciativas de busca por interagir com os currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
adultos e as crianças. As relações de confiança e segurança são essenciais para locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
motivar suas autoiniciativas de interação para, por meio delas, explorar e aprender Para bebês, é possível, por exemplo, considerar objetivos específicos relacionados a
sobre o mundo à sua volta. Por meio de relações de confiança nas quais os(as) brincadeiras simples com professores(as), como, por exemplo, envolver-se em
professores(as) respondem de forma positiva às suas ações e diferentes formas de jogos simples de dar e receber, lançar objetos ao chão e manifestar-se ao recebê-
O eu, o outro e o nós Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) (EI01EO01) expressão e comunicação, os bebês começam a perceber que são capazes de los de volta. O currículo pode considerar objetivos específicos relacionados à
Perceber que suas ações têm efeitos nas outras crianças e nos adultos. conseguir reações específicas a partir de suas ações, e que suas ações têm efeitos participação em contextos de convívio social, como brincar ao lado de outras
nas outras pessoas. Nesse contexto, é importante que os bebês possam participar crianças, imitando ou mostrando suas ações. Ao abordar as vivências dos bebês em
de situações nas quais são valorizados em suas iniciativas, acolhidos em suas suas conquistas em relação à percepção dos efeitos de suas ações nas outras
expressões e manifestações de desejos e necessidades, bem como acolhidos e pessoas, o currículo local pode citar exemplos de situações que fazem parte de sua
acariciados por meio do contato físico positivo. rotina ou abordar atitudes a serem desenvolvidas nessas situações, como
demonstrar interesse em seguir algumas normas em atividades da rotina.

As crianças bem pequenas têm interesse pela interação com seus pares e com
adultos e, quanto mais experiências de interações positivas tiverem, maior a
oportunidade de que aprendam e valorizem a convivência em grupo e o cuidado
com as relações. Nas situações de interação, principalmente em pares ou em Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
pequenos grupos, aprendem como os seres humanos agem e tratam uns aos outros currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
e têm a oportunidade de demonstrar atitudes de cuidado e solidariedade com seus locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
colegas e professores(as). Nesse contexto, é importante que as crianças bem Para as crianças bem pequenas, é possível construir objetivos específicos
pequenas tenham a oportunidade de construir vínculos profundos e estáveis com relacionados à percepção dos sentimentos e necessidades dos colegas, como, por
O eu, o outro e o nós Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02EO01) professores(as), que lhes garantam confiança e segurança e que sejam responsivos exemplo, começar a considerar o ponto de vista do outro ao esperar sua vez para
meses a 3 anos e 11 meses) Demonstrar atitudes de cuidado e solidariedade na interação com crianças e adultos. às suas manifestações por meio de atitudes cuidadosas e respeitosas. Também é brincar com determinado objeto, ou pode também considerar objetivos específicos
importante que construam vínculos com outras crianças, por meio de brincadeiras relacionados a atitudes de cuidado com o outro, como, por exemplo, chamar o(a)
e ações compartilhadas, nas quais têm a oportunidade de realizar ações como professor(a) ou outra criança quando um colega estiver triste. O currículo local
dividir brinquedos, negociar enredos para a brincadeira, atentar e apreciar ações e pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas, como, por exemplo,
gestos dos colegas, compartilhar ideias e emoções, oferecer um brinquedo ao demonstrar incômodo quando suas ações geram o choro de outra criança ou fazer
colega que está triste, abraçar o colega quando está chateado, brincar de esconder- carinho quando um colega da sala está triste.
se, de cuidar de animais domésticos, de ouvir e contar histórias, observar aspectos
do ambiente, colecionar objetos, participar de brincadeiras de roda, brincar de faz
de conta, dentre outras experiências realizadas com diferentes parceiros.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


As crianças pequenas, quando têm a oportunidade de vivenciar diversas situações currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
de interação em que observam e atentam para as expressões e formas de Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados a
comunicação dos outros e para o efeito de suas ações sobre eles, aprendem a ser formas de interações positivas e respeitosas, como, por exemplo, demonstrar
(EI03EO01) sensíveis aos sentimentos, desejos e necessidades dos demais. Assim, são capazes respeito pelas ideias e gostos de seus colegas ou brincar com outras crianças que
O eu, o outro e o nós Crianças pequenas (4 anos a 5 anos Demonstrar empatia pelos outros, percebendo que as pessoas têm diferentes sentimentos, necessidades e de demonstrar empatia e perceber que as pessoas têm diferentes sentimentos, possuem diferentes habilidades e características. O currículo pode considerar
e 11 meses) necessidades e maneiras de pensar e agir. Nesse contexto, é importante que
maneiras de pensar e agir. possam vivenciar situações em que sejam acolhidas, respeitadas e valorizadas em objetivos específicos relacionados à empatia, como, por exemplo, manifestar-se
suas expressões e comunicações, bem como em suas explorações e descobertas. frente a situações que avalia como injustas, bem como compartilhar emoções e
Ao mesmo tempo, podem ser convidadas e engajadas a reconhecer e reagir frente sentimentos com adultos ou crianças. O currículo local pode, ainda, abordar
atitudes a serem desenvolvidas, como, por exemplo, engajar-se em decisões
a expressões, comunicações e ações de seus colegas de forma respeitosa e afetiva. coletivas, aceitando a escolha da maioria, ou começar a perceber e se incomodar
com estereótipos encontrados em livros.

Os bebês aprendem por meio de seu corpo e sentidos e, pelas suas ações de Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
exploração, descobrem o mundo à sua volta. Ao serem convidados a brincar currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
próximos a outras crianças ou a interagir com elas ou com seus(as) professores(as), locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
descobrem diferentes formas de se expressar e se comunicar, por meio de seus
movimentos, experimentando e ganhando destreza em suas habilidades corporais. Para bebês , é possível construir objetivos específicos relacionados às conquistas de
Nesse contexto, é importante garantir aos bebês uma variedade de situações em suas habilidades de movimento em contexto de exploração — por exemplo,
O eu, o outro e o nós Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) (EI01EO02) que façam uso de movimentos corporais diversos, de forma ativa e por meio de sua segurar objetos com a mão, levando à altura dos olhos na busca por explorá-los. O
currículo pode considerar objetivos específicos relacionados ao uso de seu corpo na
Perceber as possibilidades e os limites de seu corpo nas brincadeiras e interações das quais participa. própria iniciativa, conquistando gradativamente novos movimentos, como, por exploração dos objetos, como, por exemplo, subir em objetos volumosos ou lançar
exemplo, virar-se sozinho, levantar a cabeça quando deitado, sentar-se, mover-se objetos em determinada direção. O currículo local pode, ainda, trazer exemplos de
engatinhando ou rastejando, ficar em pé com apoio até andar com autonomia ou,
ainda, brincar diante do espelho, observando os próprios gestos ou imitando outras ações ou brincadeiras exploratórias que são típicas de sua cultura, além de abordar
crianças. Cada uma dessas conquistas oportuniza aos bebês novas formas de atitudes a serem desenvolvidas nessas situações, como, por exemplo, interessar-se
explorar e interagir com os objetos, crianças e demais pessoas à sua volta, por experimentar novos movimentos ao explorar objetos ou brinquedos
aprendendo sobre eles. conhecidos.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
As crianças pequenas aprendem por meio de suas ações e interações e, quando Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados à
têm a oportunidade de ter iniciativa, tomar decisões e resolver problemas com conquista de sua independência, como, por exemplo, manifestar iniciativa na
(EI03EO02) autonomia, aprendem a agir de forma cada vez mais independente e com
O eu, o outro e o nós Crianças pequenas (4 anos a 5 anos Agir de maneira independente, com confiança em suas capacidades, reconhecendo suas conquistas e confiança em suas capacidades.Nesse contexto, é importante que as crianças escolha de brincadeiras e atividades, na seleção de materiais e na busca de
e 11 meses) limitações. possam viver situações variadas, nas quais tenham a oportunidade de reconhecer parcerias, considerando seu interesse. O currículo pode considerar objetivos
seus esforços e conquistas, bem como os de seus colegas, em situações individuais, específicos relacionados à autoconfiança, como, por exemplo, ver a si mesmo como
competente e capaz de agir por si próprio ou reconhecer-se como um integrante
de pequenos grupos e também coletivas. valioso do grupo ao qual pertence. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a
serem desenvolvidas, como, por exemplo, perseverar frente a desafios ou a novas
atividades ou aceitar desafios e correr riscos ao aprender.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


Os bebês aprendem com todo o seu corpo e seus sentidos, por meio de ações currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
sobre os objetos e brinquedos e da interação com outras crianças e adultos. Ao locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
realizar suas ações de exploração de forma repetitiva e cada vez mais intencional, Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados à interação em
começam a compreender as características dos objetos com os quais interagem e a contexto de brincadeiras — por exemplo, participar de brincadeiras simples com
construir conhecimentos sobre o mundo à sua volta. Nesse contexto, é importante os(as) professores(as), como esconder e achar; ou pode considerar objetivos
O eu, o outro e o nós Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) (EI01EO03) garantir aos bebês diversas situações de exploração, com todo o seu corpo e específicos relacionados ao brincar junto, como, por exemplo, imitar
Interagir com crianças da mesma faixa etária e adultos ao explorar espaços, materiais, objetos, brinquedos. sentidos, de diferentes objetos e brinquedos, engajando-os em diferentes formas professores(as) ou outras crianças em situações de brincadeira, encadeando ações
de explorar, investigar e de interagir com os demais, mostrando o que já conhecem simples, como montar e derrubar uma torre de blocos ou pegar um caminhão e
sobre os objetos e imitando seus colegas ou professores(as) ou, ainda, observando imitar seu som: “vrummm”. O currículo local pode, ainda, trazer exemplos de
o ambiente e percebendo aromas, texturas e sonoridades na companhia de outras brincadeiras que são típicas de sua cultura ou também abordar atitudes a serem
crianças. desenvolvidas, como interessar-se por mostrar brinquedos aos(às) professores(as)
e outras crianças, buscando contato.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


As crianças bem pequenas aprendem com todo o seu corpo e seus sentidos, por currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
meio de ações sobre os objetos e brinquedos e da interação com outras crianças e locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
adultos. Ao realizar variadas situações de explorações de diferentes objetos e Para as crianças bem pequenas, é possível construir objetivos específicos
brinquedos, começam a formar uma imagem mental desses materiais, vivendo, relacionados à interação com outras crianças, como, por exemplo, buscar colegas
assim, suas primeiras experiências de representação criativa. No contato com para iniciar uma brincadeira ou compartilhar brinquedos em suas atividades de
O eu, o outro e o nós Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02EO03) outras crianças e com as pessoas em geral, têm a oportunidade de variar e explorações, investigações ou de faz de conta. O currículo pode considerar
meses a 3 anos e 11 meses) Compartilhar os objetos e os espaços com crianças da mesma faixa etária e adultos. enriquecer suas experiências, aprendendo por meio da imitação ou de suas ações objetivos específicos relacionados ao estabelecimento de relações sociais, como,
sobre os objetos. Nesse contexto, é importante garantir às crianças bem pequenas por exemplo, manter interações que gradativamente tenham uma maior duração,
diversas situações de explorações, com materiais diversificados e em situações de uma maior intenção de continuidade e uma maior complexidade de relações nas
interação cuidadosas e estimulantes com outras crianças e professores(as). suas brincadeiras e jogos de exploração. O currículo local pode, ainda, abordar
Favorecer jogos de imitação, nessa faixa etária, promove experiências significativas atitudes a serem desenvolvidas, como, por exemplo, interessar-se por brincar de
de comunicação e brincadeiras entre as crianças bem pequenas. faz de conta junto com outras crianças, compartilhando brinquedos e a
representação de atividades sociais.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


As crianças pequenas, ao terem repetidas oportunidades de interagir, currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
compartilhando e cooperando com seus colegas ou professores(as) em situações locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
de grande grupo, pequeno grupo ou pares, aprendem a ampliar suas relações
pessoais, desenvolvendo atitudes de cooperação e participação. Nesse contexto, é Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados a
importante que possam vivenciar situações em que valorizem fazer coisas juntos, atitudes de participação, como, por exemplo, participar de brincadeiras de faz de
Crianças pequenas (4 anos a 5 anos (EI03EO03) dividir brinquedos e materiais e ter objetivos comuns em atividades de pequenos conta, compartilhando propósitos comuns, representando diferentes papéis e
O eu, o outro e o nós convidando outros colegas para participar. O currículo pode considerar objetivos
e 11 meses) Ampliar as relações interpessoais, desenvolvendo atitudes de participação e cooperação. ou grandes grupos e também interajam com outras crianças em brincadeiras de faz específicos relacionados à cooperação, como, por exemplo, mudar de ideia e/ou
de conta, atividades de culinária, de manipulação de argila ou de manutenção de materiais no decorrer da brincadeira considerando os interesses e desejos de seus
uma horta, de reconto coletivo de história, de construção com sucata ou de pintura colegas. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas,
coletiva de um cartaz. Além disso, podem, ainda, participar de jogos de regras e
aprender a construir estratégias de jogo, arrumar a mesa para um almoço com os como, por exemplo, esforçar-se por adaptar seu comportamento levando em
amigos e manter a organização de seus pertences. consideração o ponto de vista de seus colegas ou buscar corresponder à expressão
de sentimentos e emoções de seus companheiros.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados a formas de
Desde bem pequenos, os bebês são sujeitos sociais e buscam o contato e a comunicação — por exemplo, interessar-se por comunicar-se com seu(ua)
interação com adultos de confiança, e se interessam por outras crianças. Na busca professor(a) e seus colegas fazendo uso de diferentes formas de comunicação,
do contato social, fazem uso de diferentes estratégias para chamar atenção e buscando contato, atenção e prolongamento das situações de interação; ou pode
realizar seus desejos e necessidades. Nesse contexto, é importante que possam também considerar objetivos específicos relacionados às formas de expressão,
O eu, o outro e o nós Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) (EI01EO04) vivenciar relações vinculares de confiança com professores(as) que atendam suas como, por exemplo, usar gestos com a intenção de conseguir algo, apontando o
Comunicar necessidades, desejos e emoções, utilizando gestos, balbucios, palavras. diferentes formas de se expressar e que valorizem suas iniciativas de comunicação que deseja, colocando a mão na barriga para manifestar que está com fome, ou
e expressão, por meio de uma escuta e observação atenta e com ações apontar pessoas e objetos como forma de mostrar reconhecimento. O currículo
responsivas, garantindo a confiança que precisam para seguir em suas pode, ainda, destacar quais os sinais que são comuns em sua cultura, como, por
comunicações. exemplo, comunicar o desejo de colo ao estender os braços, apontar o penico
quando sente vontade de fazer xixi, além de abordar atitudes a serem
desenvolvidas nesses contextos, como, por exemplo, sentir-se confiante nas
situações de comunicação e cuidados pessoais com o(a) professor(a) que escuta,
observa e responde aos seus interesses e necessidades.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
As crianças bem pequenas ouvem e compreendem a linguagem antes mesmo de Para as crianças bem pequenas, é possível construir objetivos específicos
saberem se expressar por palavras. Quando, desde bebês, têm a oportunidade de relacionados à comunicação não-verbal, como, por exemplo, participar de
viver interações sociais nas quais são reconhecidas e valorizadas em suas iniciativas situações de brincadeira buscando compartilhar enredos e cenários, usar
de expressão e comunicação, aprimoram suas estratégias para serem expressões faciais para apoiar seus relatos de situações vividas ou sua opinião
Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02EO04) compreendidas e para compreenderem os interesses e necessidades dos sobre uma história escutada, bem como expressar suas ideias, sentimentos e
O eu, o outro e o nós outros.Nesse contexto, é importante que possam vivenciar situações de interação emoções por meio da dança, da música ou da arte. O currículo pode considerar
meses a 3 anos e 11 meses) Comunicar-se com os colegas e os adultos, buscando compreendê-los e fazendo-se compreender. que as engajem em buscar formas cada vez mais eficazes de se comunicar, seja por objetivos específicos relacionados à ampliação do vocabulário com foco na
meio de suas expressões com o corpo, de suas produções artísticas ou musicais, interação com adultos e pares como, por exemplo, engajar-se em situações de
seja por meio de suas representações ao brincar, ou mesmo por meio da linguagem interações por tempos maiores, fazer perguntas para apoiar suas descobertas sobre
verbal ou escrita, compreendendo seus colegas e os professores(as) e se fazendo o mundo à sua volta, além de descrever situações ou fatos vividos utilizando
compreender. palavras novas e frases cada vez mais complexas. O currículo local pode, ainda,
destacar qual o vocabulário típico de sua comunidade que elas costumam fazer uso
ou exemplificar situações de brincadeiras de faz de conta que incentivem a
comunicação entre as crianças.

À medida que evoluem em suas capacidades de linguagem e de representação, as Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
crianças pequenas ganham confiança e maior independência nas suas formas de currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
comunicar ideias e sentimentos a pessoas e grupos diversos. Nesse contexto, é locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
importante oportunizar diferentes situações em que as crianças pequenas sejam Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados
convidadas e incentivadas a se comunicar com independência, a fazer coisas por si ao reconhecimento e expressão de emoções em si mesmas, como, por exemplo,
O eu, o outro e o nós Crianças pequenas (4 anos a 5 anos (EI03EO04) mesmas, bem como a iniciar uma atividade e persistir por si próprias nas ações e identificar emoções ou regulá-las conforme as ações que realizam, ou pode
e 11 meses) Comunicar suas ideias e sentimentos a pessoas e grupos diversos.
interações necessárias para seu sucesso. É importante que suas diferentes formas também considerar objetivos específicos relacionados ao reconhecimento e
de comunicação, seja pelo corpo, pela música, pela narrativa, pela arte ou mesmo expressão de emoções nos outros, como, por exemplo, expressar e reconhecer
pela linguagem verbal possam ser valorizadas e incentivadas, evitando a ideia de diferentes emoções e sentimentos em si mesmos e nos outros. O currículo local
que a linguagem verbal deve ser a mais valorizada na escola como forma de pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas, como, por exemplo,
expressão e comunicação das crianças. expressar raiva sem incomodar os colegas e tentando regular sua emoção.

Por meio de situações de interação com professores(as) nos quais confiam, os


bebês continuam suas descobertas sobre si mesmos, percebendo-se como um ser
individual, com necessidades e desejos próprios. Quando apoiados e encorajados
nesse processo de desenvolvimento, começam a construir uma imagem de si
próprios e a desenvolver um sentido de si mesmos. As situações de cuidado,
envolvendo os momentos de alimentação, higiene, sono ou repouso são Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
privilegiadas para apoiar os bebês nas suas descobertas sobre si e sobre as formas currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
de expressão de suas necessidades e desejos. Nesse contexto, é importante que os locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
bebês possam construir relações de vínculos profundos e estáveis com os(as) Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados à expressão de
(EI01EO05) professores(as) e que estes(as) sejam responsivos, por meio de uma escuta e suas emoções no cuidado de si mesmos — por exemplo, expressar desconforto ao
Reconhecer seu corpo e expressar suas sensações em momentos de alimentação, higiene, brincadeira e observação atenta, aos seus interesses e necessidades, e às suas diferentes formas necessitar ser trocado, ao estar com fome ou sono. O currículo pode considerar
O eu, o outro e o nós Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) de expressar-se e comunicar-se. É importante favorecer situações em que os bebês objetivos específicos relacionados à realização de ações simples no cuidado de si
descanso. possam fazer coisas por si, experimentando sabores, percebendo os cheiros dos mesmo, como, por exemplo, participar com pequenas ações nas situações de troca
alimentos e escolhendo o que querem comer, participando junto com outras de fraldas (segurando sua fralda) e de alimentação, tentando alimentar-se por si
crianças de refeições gostosas e cheirosas, de descanso diário em ambiente mesmo. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas,
aconchegante e silencioso, de momentos de banho refrescante e participando dos como, por exemplo, demonstrar prazer na participação e adaptação a rotinas
momentos de cuidado assumindo pequenas ações, como, por exemplo, segurar a relacionadas à sua alimentação, sono, descanso e higiene.
mamadeira, segurar sua fralda, ajudar esticando os braços ou as pernas ao se
vestir, realizar algumas ações de cuidado de si mesmos e de satisfação de suas
necessidades e desejos em situações como colocar o casaco ao sentir frio, solicitar
água ao sentir sede, buscar aconchego ao sentir sono etc., sempre com a segurança
de estar acolhido pelo(a) professor(a), que responde e valoriza suas iniciativas.

Por meio de experiências positivas de interação com outras crianças e adultos, Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
permeadas por relações vinculares profundas, estáveis e respeitosas, as crianças currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
bem pequenas têm a oportunidade de aprender sobre as suas características físicas locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
e a perceber semelhanças e diferenças em relação aos seus colegas ou outras Para as crianças bem pequenas, é possível construir objetivos específicos
relacionados ao reconhecimento de suas características, como, por exemplo,
pessoas próximas. Nesse contexto, é importante que possam viver situações de identificar progressivamente algumas características físicas suas, reconhecendo
O eu, o outro e o nós Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02EO05) explorações de seu próprio corpo e de relações e trocas com seus colegas e diferenças com as de seus colegas. O currículo pode considerar objetivos
meses a 3 anos e 11 meses) Perceber que as pessoas têm características físicas diferentes, respeitando essas diferenças. professores(as) em um ambiente rico de interações e descobertas pelas crianças específicos relacionados ao respeito frente às diferenças, como, por exemplo,
sobre si mesmas, suas características físicas, seus gostos e preferências e de seus
colegas em um clima de respeito e confiança, favorecendo que as crianças brincar de faz de conta assumindo diferentes papéis e imitando ações e
pequenas valorizem e respeitem suas particularidades e diferenças em relação aos comportamentos de seus colegas, expandindo suas formas de expressão e
outros. Nesse contexto é desejável também que elas possam apoiar parceiros em representação. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem
desenvolvidas, como, por exemplo, interessar-se por relacionar-se com outras
dificuldade, sem discriminá-los por suas características . crianças respeitando suas formas diferentes de agir.

As crianças pequenas aprendem a valorizar suas características e a respeitar as dos Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
outros por meio de diversas situações em que podem se expressar de formas currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
variadas, observar as expressões e ações de seus colegas, descobrir seus gostos e locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
preferências, bem como perceber que possuem interesses e características Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados à
semelhantes e diferentes de seus companheiros, apreciando a descoberta dessa identificação das características de seu corpo, como, por exemplo, perceber seus
diversidade. Nesse contexto, é importante que as crianças pequenas possam atributos corporais, expressando-os de diferentes formas e contribuindo para a
Crianças pequenas (4 anos a 5 anos (EI03EO05)
Demonstrar valorização das características de seu corpo e respeitar as características dos outros (crianças e envolver-se em situações de brincadeiras compartilhadas, em brincadeiras com construção de sua imagem corporal. O currículo pode considerar objetivos
O eu, o outro e o nós e 11 meses) música, dança, mímica, dramatização, bem como atividades diversas de expressão específicos relacionados ao reconhecimento de seus pontos fortes, como, por
adultos) com os quais convive. e representação, preparar uma exposição de objetos relativos às atividades e exemplo, reconhecer gradativamente suas habilidades, expressando-as e usando-as
profissões dos familiares e dos adultos da unidade de Educação Infantil, realizar em suas brincadeiras e nas atividades individuais, de pequenos ou grandes grupos.
com maior autonomia ações de escovar os dentes, colocar sapatos ou o agasalho, O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas, como, por
pentear os cabelos, servir-se sozinha nas refeições, utilizar talheres adequados, exemplo, apreciar positivamente seu gênero e respeitar o outro em diferentes
lavar as mãos antes das refeições e depois de usar tinta ou brincar com terra ou situações ou identificar e respeitar as diferenças reconhecidas entre as
areia. características femininas e masculinas.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


Por meio das diversas oportunidades de interação positivas que os bebês têm com currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
outras crianças e com seus(uas) professores(as), que se preocupam em estabelecer locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados à sua relação
vínculos profundos e estáveis com eles, garantindo a segurança de que necessitam com pessoas próximas. Por exemplo, sorrir para o(a) professor(a), buscando
para suas explorações e descobertas sobre o mundo que os cerca, aprendem a contato, mostrar preferência em ser acolhido por pessoas conhecidas ou acalmar-
participar e colaborar em situações de convivência em contato com colegas, em se quando acolhido por seu(ua) professor(a) de referência. O currículo pode
(EI01EO06) dupla, trio, pequeno ou grande grupo, valorizando e descobrindo diferentes formas
O eu, o outro e o nós Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) Interagir com outras crianças da mesma faixa etária e adultos, adaptando-se ao convívio social. de estar com os outros. Nesse contexto, é importante que os bebês tenham considerar objetivos específicos relacionados à sua relação com as outras crianças,
diversas oportunidades de brincadeiras e situações, sempre em um contexto de como, por exemplo, buscar colegas com quem gosta de brincar ou comunicar-se
segurança, confiança e afetividade que garanta condições de interações positivas com seus companheiros imitando gestos, palavras e ações. O currículo local pode,
em pares ou em grupos maiores. Também é importante que sejam valorizados em ainda, trazer exemplos de hábitos de convívio específico de sua cultura, além de
abordar atitudes a serem desenvolvidas nessas situações, como, por exemplo,
suas conquistas e esforços de relações com seus pares, professores(as) e outros mostrar interesse pelas ações e expressões de seus colegas ou ter prazer em
adultos da escola. interagir com os companheiros em situações de brincadeira, buscando
compartilhar significados comuns.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


As crianças bem pequenas têm a oportunidade de descobrir e se apropriar das currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
regras básicas de convívio social conforme podem vivenciar diversas situações de locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
interação em cenários de brincadeiras e atividades compartilhadas. Nesse contexto, Para as crianças bem pequenas, o currículo pode construir objetivos específicos
incentivar o interesse que as crianças bem pequenas têm em estar junto com seus relacionados às normas simples de convivência, como, por exemplo, começar a
pares, oportunizando situações de jogos colaborativos, atividades simples em seguir, de forma gradativa, regras simples de convívio em momentos de
O eu, o outro e o nós Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02EO06) pequenos grupos, trios ou mesmo duplas, e situações em que precisam alimentação, cuidado com a saúde e brincadeiras. O currículo pode considerar
meses a 3 anos e 11 meses) Respeitar regras básicas de convívio social nas interações e brincadeiras. compartilhar objetos ou brinquedos, favorece o desenvolvimento do convívio social objetivos específicos relacionados à participação em diferentes situações, como,
positivo entre as crianças. É imporante também que possam participar de situações por exemplo, participar de diferentes manifestações culturais de seu grupo, como
em que cantem, respeitando sua vez de cantar e ouvindo os companheiros, e festa de aniversário, ritos ou outras festas tradicionais, respeitando e valorizando
decidam com os colegas o tema de uma história a ser por todos dramatizada, ações e comportamentos típicos. O currículo local pode, ainda, exemplificar quais
usando esclarecimentos, justificativas e argumentos que são muito ligados aos seus são os ritos, festas ou celebrações típicas de sua cultura, além de abordar atitudes a
sentimentos. serem desenvolvidas, como, por exemplo, ter prazer em participar de eventos
tradicionais de seu território.

As crianças pequenas aprendem a respeitar as diferentes culturas e modos de vida


ao mesmo tempo em que conhecem e valorizam suas próprias características e
compreendem como estas contribuem e marcam sua cultura, criando um valor
positivo frente às diferenças de gênero, etnia e crenças religiosas. Nesse contexto, Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
é importante que as crianças pequenas vivenciem cotidianamente um ambiente de currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
respeito e aceitação ao outro, reconhecendo e valorizando como positivas as locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
diferenças identificadas. Ter a oportunidade de conhecer outros grupos de crianças Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados
ou mesmo outros grupos sociais, seja pessoalmente ou por outro meio de ao reconhecimento de pessoas de sua comunidade, como, ao reconhecer pessoas
Crianças pequenas (4 anos a 5 anos (EI03EO06) comunicação, ajuda para que se interessem e respeitem as diferentes culturas e que fazem parte de sua comunidade próxima, conversar com elas sobre o que
O eu, o outro e o nós e 11 meses) Manifestar interesse e respeito por diferentes culturas e modos de vida. modos de vida, bem como ouvir e recontar histórias dos povos indígenas, africanos, fazem. O currículo pode considerar objetivos específicos relacionados ao
asiáticos, europeus, de diferentes regiões do Brasil e de outros países da América, conhecimento de outros grupos sociais, como, por exemplo, interessar-se por
localizar, em um mapa, com apoio do(a) professor(a), sua cidade, aldeia ou conhecer e se relacionar com crianças e pessoas de outros grupos sociais, seja por
assentamento, e o local do Brasil no mapa mundial, pesquisar em casa suas meio de situações presenciais, seja por outros meios de comunicação. O currículo
tradições familiares, de modo a reconhecer elementos da sua identidade cultural, local pode, ainda, trazer exemplos de pessoas que fazem parte de sua comunidade,
estabelecer relações entre o modo de vida característico de seu grupo social e o de como o padeiro, o fazendeiro, o pescador etc.
outros grupos, conhecer costumes e brincadeiras de outras épocas e de outras
civilizações e explorar brincadeiras, tipos de alimentação e de organização social
característicos de diferentes culturas.

As crianças bem pequenas, ao participarem de situações de interações com outras Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
crianças, acabam se envolvendo em situações de conflitos de relações que, muitas currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
vezes, geram sentimentos de frustração. Nessa faixa etária, estão mais centradas locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
Para as crianças bem pequenas, é possível construir objetivos específicos
em si mesmas, pensam de uma forma mais concreta e estão adquirindo a conquista relacionados à busca de apoio para resolver conflitos relacionais, como, por
do autocontrole. A regulação de suas emoções é importante para que as crianças exemplo, procurar o(a) professor(a) para ajudar a resolver conflitos nas
O eu, o outro e o nós Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02EO07) possam vivenciar situações concretas de conflitos sociais. Nessas vivências, elas brincadeiras e interações com outras crianças. O currículo pode considerar
meses a 3 anos e 11 meses) Resolver conflitos nas interações e brincadeiras, com a orientação de um adulto. devem ser apoiadas na resolução desses conflitos, de forma positiva, pelo(a) objetivos específicos relacionados ao controle de suas emoções em situações de
professor(a), que as ajuda a aprender, gradativamente, a resolvê-los. Nesse
contexto, é importante cuidar das situações cotidianas de conflitos relacionais que conflitos, como, por exemplo, aceitar ajuda e conseguir acalmar-se com o apoio
do(a) professor(a) ao vivenciar um conflito relacional. O currículo local pode, ainda,
as crianças bem pequenas vivem, aceitando e respeitando a situação e, ao mesmo abordar
tempo, ajudando-as a reconhecer, expressar e conversar sobre seus sentimentos, tentar atitudes a serem desenvolvidas, como, por exemplo, interessar-se por
resolver os conflitos relacionais com o(a) professor(a) em situações de
apoiando-as na criação de estratégias para a resolução dos conflitos. brincadeira.

As crianças pequenas, por meio das diversas situações de interações que vivenciam Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
em seu cotidiano e das situações de conflitos relacionais geradas por essas currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
interações, aprendem, gradativamente, a criar e fazer uso de estratégias pautadas locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
no respeito mútuo para resolução dos conflitos, por meio de estratégias pacíficas e Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados a
Crianças pequenas (4 anos a 5 anos (EI03EO07) do diálogo. Nesse contexto, garantir que as crianças pequenas vivam diferentes habilidades para resolver problemas relacionais, como, por exemplo, usar
O eu, o outro e o nós situações de interação e que possam tomar iniciativa na busca por resolver os
e 11 meses) Usar estratégias pautadas no respeito mútuo para lidar com conflitos nas interações com crianças e adultos. problemas relacionais que aparecem, de forma cada vez mais independente, diferentes estratégias simples para resolver conflitos ou utilizar estratégias pacíficas
contribui para que percebam as necessidades dos outros e busquem soluções para ao tentar resolver conflitos com outras crianças, buscando compreender a posição
e o sentimento do outro. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem
resolver seus conflitos de forma que satisfaça a todas as crianças envolvidas na desenvolvidas, como, por exemplo, usar estratégias para resolver seus conflitos
situação, e para que possam também discutir em grupo situações-problema ou relacionais considerando soluções que satisfaçam a ambas as partes.
formas de planejar um evento.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


As crianças bem pequenas aprendem por meio de suas interações e explorações. currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
Ao vivenciarem variadas situações de interação, nas quais têm a oportunidade de locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
decidir o que explorar e como resolver pequenos problemas, vão, aos poucos, Para as crianças bem pequenas, é possível construir objetivos específicos
desenvolvendo um sentido de autoconfiança. Assim, vão se reconhecendo como relacionados à imagem positiva de si, como, por exemplo, reconhecer sua imagem
corporal no espelho ou brincando de luz e sombra, manifestando prazer em brincar
Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02EO02) alguém que é capaz de fazer coisas por si mesmo e sentindo orgulho em suas com seu corpo por meio de gestos e movimentos ou apontar partes do seu corpo e
O eu, o outro e o nós meses a 3 anos e 11 meses) Demonstrar imagem positiva de si e confiança em sua capacidade para enfrentar dificuldades e desafios. conquistas, o que também é importante para o desenvolvimento de sua autonomia mostrar a correspondência destas em seus colegas. O currículo pode considerar
e independência. Nesse contexto, é importante oportunizar às crianças bem objetivos específicos relacionados à autoconfiança, como, por exemplo,
pequenas diversas situações de exploração e interação nas quais tenham a
oportunidade de iniciar suas ações, tomar decisões, fazer escolhas e resolver demonstrar satisfação com suas características e possibilidades corporais e na
problemas em um ambiente seguro e estimulante, com professores(as) que conquista de objetivos simples. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a
valorizam e apoiam suas iniciativas e preferências. serem desenvolvidas, como, por exemplo, interessar-se por cuidar da imagem de si
mesmo por meio da sua apresentação pessoal, de seus pertences e da
manifestação de gostos e preferências por brincadeiras e atividades.
Corpo, gestos e movimentos
MATERIAL SUPLEMENTAR PARA O REDATOR DE CURRÍCULO - NÃO FAZ PARTE DA BNCC

Campo de experiências Faixas Etárias Objetivos de aprendizagem e desenvolvimento Abordagem das experiências de aprendizagem Sugestões para o currículo

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
Para que as crianças pequenas possam criar formas diversificadas de expressão, é locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
importante que tenham oportunidades de expressar-se de diferentes formas, seja Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados às
pelo teatro, pela dança, música ou suas brincadeiras, bem como de conhecer suas ações de expressões de seus sentimentos, sensações e emoções. Por exemplo,
características físicas, seus gostos, interesses, suas sensações e frustrações. representar-se em situações de brincadeiras ou teatro, apresentando suas
Conhecer e aceitar suas características corporais, expressando-as de diferentes
formas, é uma importante conquista para a construção de sua imagem corporal características corporais, seus interesses, sentimentos, sensações ou emoções ou
Crianças pequenas (4 anos a 5 anos (EI03CG01) positiva. Nesse contexto, é importante que as crianças pequenas possam participar reconhecer algumas de suas fortalezas, como noções, habilidades ou atitudes, e
Corpo, gestos e movimentos e 11 meses) Criar com o corpo formas diversificadas de expressão de sentimentos, sensações e emoções, tanto nas de situações, em pares ou pequenos grupos, nas quais possam se expressar de conseguir usá-las em suas atividades diárias. O currículo pode considerar objetivos
situações do cotidiano quanto em brincadeiras, dança, teatro, música. específicos relacionados à habilidade de criar com o corpo formas de expressar
formas diversificadas, como, por exemplo, expressar-se corporalmente distinguindo seus sentimentos, sensações e emoções, como, por exemplo, expressar seu mundo
emoções e sentimentos, em si mesmo e nos seus colegas, em situações cotidianas, interno por meio da representação de seus sentimentos, fantasias ou emoções, ou
em imagens observadas ou em narrações escutadas. É desejável também que expressar e comunicar suas características por meio de diferentes movimentos. O
brinquem de andar como robôs, como zumbis, como gatinhos ou como maria-mole, currículo local pode, ainda, destacar ações típicas de sua cultura local, além de
dentre outras formas, e que possam criar histórias e narrativas , dramatizando-as abordar atitudes a serem desenvolvidas, como aceitar e valorizar suas
com os colegas, apropriando-se de diferentes gestualidades expressivas.
características corporais, expressando-se de diferentes formas e construindo uma
imagem positiva de si mesmo.

Para as crianças bem pequenas, o movimento físico e as habilidades manuais têm


um papel muito importante no apoio às suas aprendizagens. Quando elas
conseguem controlar seus movimentos e manipular materiais de diferentes tipos, Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
tamanhos e pesos, começam a se sentir mais confiantes em suas explorações e currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
buscam novas práticas e descobertas. Aprender a medir sua força, adequar os locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
movimentos de seus dedos e exercitar sequências e padrões de movimentos são Para as crianças bem pequenas, que começam a realizar novos movimentos na
desafios importantes nesse momento de suas vidas. Nesse contexto, é importante
que as crianças bem pequenas possam vivenciar situações relativas ao medida em que progridem nas suas habilidades manuais, é possível construir
desenvolvimento de suas habilidades manuais, como, por exemplo, que: possam objetivos específicos relacionados às habilidades manuais importantes de serem
(EI02CG05) montar um brinquedo, pegar objetos e manuseá-los com certos cuidados, por conquistadas. Por exemplo, coordenar o movimento das mãos para segurar o giz de
Corpo, gestos e movimentos Crianças bem pequenas (1 ano e 7 Desenvolver progressivamente as habilidades manuais, adquirindo controle para desenhar, pintar, rasgar, exemplo, um origami de papel que exige suavidade no toque, materiais pegajosos cera, canetas, lápis e fazer suas marcas gráficas; mudar a página do livro ou
meses a 3 anos e 11 meses) explorar materiais de construção e brinquedos de encaixe de diferentes tamanhos
folhear, entre outros. etc.; possam participar de práticas nas quais tenham oportunidade de aprimorar a e formatos; começar a usar a tesoura simples para recortar; adaptar a forma como
coordenação visio-motora fina, utilizando movimento de preensão com pinça em segura instrumentos gráficos (pincel grosso, fino, pincel de rolinho, giz de cera, giz
diferentes situações de uso de objetos, como lápis, pincel, caneta ou jogos de pastel etc.) para conseguir diferentes marcas gráficas. O currículo local pode, ainda,
encaixe com peças pequenas; ou, ainda, possam carregar objetos, controlando e trazer objetivos específicos relacionados aos objetos, brinquedos ou jogos de sua
equilibrando-os enquanto estão em ação, além de construir, com auxíl io do(a)
professor(a), brinquedos com sucatas, e casas ou castelos com areia, tocos de cultura local, além de abordar atitudes a serem desenvolvidas, como interessar-se
madeira e outros materiais, brincar de cantar, de dançar, de desenhar, de escrever, por conhecer novos objetos e seus usos ou funções ou manter seu interesse e
de jogar futebol, de jogar bola ao cesto, boliche, esconde-esconde, mapa do perseverança nos jogos de encaixe e equilíbrio frente aos desafios encontrados.
tesouro, brincar de estátua ou de ser malabarista de circo, dentre outros
personagens que a criança conhece da escuta de histórias.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


As crianças bem pequenas se interessam pelos adultos e outras crianças com as currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
quais convivem e aprendem, em diferentes situações de interação, por meio da
observação e imitação de seus gestos e movimentos. Garantir situações e tempo locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
para que as crianças possam observar umas às outras, explorar conjuntamente Para as crianças bem pequenas, é possível construir objetivos específicos
gestos e movimentos e ensinar umas às outras em situações significativas contribui relacionados à ampliação de noções e habilidades a partir da observação e do
para que ampliem seus conhecimentos e suas habilidades nas explorações e contato com novos gestos e movimentos da sua cultura. Por exemplo, conversar
com professores(as) e outras crianças sobre o cuidado e a atenção no uso dos
descobertas que fazem sobre si mesmas, nas relações com o outro e o mundo ao diferentes espaços da escola, observar e imitar gestos e movimentos típicos dos
seu redor. Nesse contexto, é importante que as crianças bem pequenas vivenciem profissionais da escola e de sua comunidade próxima, cantar canções imitando os
situações em que possam acolher as formas de expressão umas das outras, gestos ou seguir ritmos diferentes de músicas com movimentos corporais. O
Corpo, gestos e movimentos Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02CG01) valorizando suas diferenças e apoiando suas investigações e descobertas sobre as currículo pode considerar a complexidade dos gestos e movimentos — por
meses a 3 anos e 11 meses) Apropriar-se de gestos e movimentos de sua cultura no cuidado de si e nos jogos e brincadeiras. diferentes linguagens, sobre os objetos, os materiais, o repertório cultural de sua
comunidade e de outras culturas. É importante, também, que possam participar de exemplo, apreciar, explorar e valorizar a escuta de diferentes estilos de música,
situações de brincadeiras de faz de conta, utilizando como referência enredos, dança e outras expressões da cultura corporal ou criar novos movimentos e gestos
cenários e personagens do seu entorno social; interessar-se por ensinar jogos de a partir de apresentações artísticas assistidas. O currículo local pode, ainda,
sua cultura familiar e aprender os jogos de seus colegas; relatar práticas de cuidado destacar os objetos, materiais, expressões culturais corporais, danças, músicas e
brincadeiras que são típicas de sua região, de sua cultura, e apontar as
de si em casa e escutar com atenção os relatos dos colegas; imitar, nas situações de aprendizagens a serem conquistadas pelas crianças. Por exemplo, imitar e criar
brincadeira, gestos e movimentos aprendidos com os colegas ou professores(as) movimentos na dança a partir do contato com diferentes gêneros musicais, imitar
em situações de conversa, cuidados ou jogos; incorporar algumas práticas de movimentos dos artistas no uso do barro para a modelagem, brincar de pescar a
cuidado de si voltadas para vestir-se e alimentar-se, além de situações de descanso partir da observação dos pescadores, fazendo relações entre a situação vivida e o
e higiene pessoal.
enredo, cenários e personagens em situação de faz de conta.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
Os bebês buscam, desde cedo, contato com adultos e outras crianças de forma a se locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
comunicarem e criarem um sentido de pertencimento a um grupo. Conforme as Para os bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados ao conteúdo a
experiências que vivem no contato com professores(as) e pares, têm a
oportunidade de aprimorar suas formas de expressão, fazendo uso de seu corpo e ser expresso — por exemplo, expressar, por meio do corpo, de seus gestos e
conseguindo comunicar suas emoções, necessidades e desejos. Experiências movimentos, desconforto quando está com a fralda suja, ansiedade, medo, afeição
positivas de comunicação são muito importantes para que os bebês ganhem etc. É possível, também, considerar, além do conteúdo a ser expresso, a
confiança e aceitação nas suas formas de explorar e descobrir as relações e o manifestação de suas expressões no contato com o(a) professor(a) ou outras
(EI01CG01) crianças — por exemplo, perceber o desconforto do colega e oferecer acolhimento
Corpo, gestos e movimentos Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) Movimentar as partes do corpo para exprimir corporalmente emoções, necessidades e desejos. mundo à sua volta. Nesse contexto, é importante que os bebês tenham pelo toque, começar a perceber que suas emoções, necessidades e desejos têm
experiências quanto ao uso do corpo, de forma que possam agir para exprimir suas efeito nos outros, participar de situações coletivas de danças ou outras formas da
emoções, necessidades e desejos por meio da interação. Além disso, é importante cultura corporal. O currículo local pode, ainda, destacar situações de relevância —
que suas relações com os(as) professores(as) garantam a construção de vínculos por exemplo, expressar sua angústia frente à despedida dos pais, seu desagrado ao
profundos e estáveis. Para isso, é relevante ter professores(as) responsivos, que
observam e escutam atentamente suas diferentes formas de se comunicar e de se pegarem seu brinquedo em uma situação de exploração entre pares ou sua
expressar, e que compreendem que o corpo do bebê é um dos principais meios felicidade ao realizar uma atividade que gosta muito ou, ainda, exemplificar quais
pelos quais ele se expressa e significa suas vivências. gêneros de danças ou expressões culturais corporais típicas de sua cultura as
crianças apreciam nessa faixa etária — por exemplo, participar de situações
coletivas de dança de frevo, brincadeira com o boi etc.

Os bebês experimentam o mundo pelos seus sentidos, usando movimentos simples


em suas explorações. São muitas as conquistas dos bebês nesse momento de sua Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
vida em relação à descoberta de novos movimentos de seu corpo e na relação locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
dessas conquistas com a descoberta do mundo ao seu redor. Nesse contexto, é Para os bebês, são muitos os desafios e conquistas, principalmente em seu primeiro
importante promover situações interessantes que mobilizem a automotivação e a ano de vida. O currículo pode construir objetivos específicos relacionados às suas
curiosidade do bebê nas explorações. Nessas explorações, os bebês utilizam seu possibilidades corporais, como rolar, levantar o corpo ao estar deitado no chão,
corpo para se comunicar, se expressar e descobrir a si mesmos e o mundo ao seu
(EI01CG02) redor, como, por exemplo, ao imitar movimentos de outros bebês ou sentar com ou sem autonomia, engatinhar ou se arrastar pelo espaço, ou pode
Corpo, gestos e movimentos Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) Experimentar as possibilidades corporais nas brincadeiras e interações em ambientes acolhedores e professores(as) nas situações de jogos e brincadeiras, segurar objetos com as mãos também construir objetivos específicos relacionados a ações mais coordenadas de
desafiantes. e os pés, passar objetos de uma mão para outra, chutar bola, andar segurando-se seus movimentos e um maior domínio destes — por exemplo, brincar com o
nos mobiliários, arrastar-se em busca de brinquedos, virar o corpo com a intenção próprio corpo, envolver-se em brincadeiras de cobrir e descobrir o rosto ou alguma
outra parte do corpo, ficar em pé com ou sem autonomia, andar com cada vez mais
de pegar um brinquedo, pegar, amassar, empilhar, montar, encaixar, mover, lançar destreza, subir pequenos degraus e depois descer. O currículo local pode, ainda,
longe, chutar objetos de diferentes formas, cores, pesos, texturas, tamanhos etc. trazer exemplos de brincadeiras que são tradicionais de sua cultura e que envolvem
Ainda, brincam com água, com terra, areia, palha e outros elementos naturais, o corpo do adulto e o corpo da criança como brinquedos e também considerar as
brincam de procurar e achar objetos escondidos, de esconder-se e serem especificidades dos espaços externos da instituição ou comunidade para
encontrados, de chutar bola e de entrar e sair de espaços pequenos – como caixas
e túneis. caracterizar as experiências e desafios corporais dos bebês.

Crianças bem pequenas apropriam-se com interesse do espaço à sua volta, seja em Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
sua sala ou no espaço externo, ao ar livre. Gostam de brincar ao lado umas das currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
outras e se interessam pelos objetos, pessoas e ações ao seu redor. Brincar ao seu locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
lado, mostrando desafios, diferentes formas de ocupar o espaço e se deslocar nele, Para as crianças bem pequenas, que começam a ampliar seu sentido de espaço e a
chamando atenção de como seus pares fazem, são ações que apoiam suas interessar-se por explorar novas descobertas em seus deslocamentos por ele, é
explorações e descobertas sobre o espaço. Nesse contexto, é importante que possível construir objetivos específicos relacionados à exploração que realizam do
crianças bem pequenas tenham oportunidade de participar de situações de espaço. Por exemplo, localizar um brinquedo e buscá-lo, reconhecer onde se
deslocamento de seu corpo no espaço de diversas formas. Por exemplo, encontram seus pertences pessoais, explorar o espaço ao seu redor fazendo
explorando os diferentes desafios oferecidos pelo espaço com maior autonomia e movimentos como saltar, correr, se arrastar, brincar com os colegas de esconder e
Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02CG02) presteza por meio de movimentos como andar, correr, saltar, saltitar, pular para achar brinquedos e objetos no espaço, bem como experimentar novas explorações
Corpo, gestos e movimentos Deslocar seu corpo no espaço, orientando-se por noções como em frente, atrás, no alto, embaixo, dentro, baixo, subir, escalar, arrastar-se, pendurar-se, balançar-se, equilibrar-se etc, a partir de diferentes perspectivas, olhando pela janela, em cima da mesa ou do
meses a 3 anos e 11 meses) fora etc., ao se envolver em brincadeiras e atividades de diferentes naturezas. brincando em pares, trios ou pequenos grupos, com jogos que envolvam escorregador do parque etc. O currículo pode considerar objetivos específicos
marcações visuais no ambiente (amarelinha, por exemplo) ou por meio de relacionados à resolução de problemas simples na exploração do espaço, como, por
brincadeiras de encontrar “tesouros” ou outros objetos escondidos nas exemplo, vencer desafios do espaço para alcançar suas intenções, andar pelo
dependências da escola ou outros locais. Assim, as crianças bem pequenas podem espaço segurando objetos na mão, usar triciclos para explorar novos caminhos e
participar de uma diversidade de situações de percorrer trajetos e brincadeiras no descobertas e observar e imitar seus colegas nas diferentes formas de exploração
espaço, utilizando, além da posição de seu próprio corpo, referências como “em do espaço. O currículo local pode, ainda, trazer exemplos de espaços e objetos que
cima de...”, “embaixo de...”, “perto de...”, “atrás de...”, “mais perto de...”, “entre” são típicos da região, comunidade, cultura local ou mesmo da sua instituição,
para descrever suas ações ou, ainda, conhecer os diferentes espaços da instituição, valorizando, por exemplo, as explorações nos ambientes internos e externos da
explorando diferentes caminhos para chegar neles e fazendo uso de noções como escola ou os desafios que podem estar presentes na exploração de cada um dos
perto/longe, em cima, embaixo, à frente e atrás etc. espaços da instituição.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
As crianças pequenas aprendem a aprimorar suas habilidades corporais e a adequar locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
seus movimentos às suas intenções na medida em que os(as) professores(as) as Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados às
apoiam a pensar sobre a consequência de seus movimentos e comportamentos situações que implicam o controle e a adequação do uso do corpo. Por exemplo,
frente às suas experiências de explorações e descobertas. Nesse contexto, é adaptar seus movimentos às situações proporcionadas nas brincadeiras coletivas,
importante proporcionar práticas às crianças pequenas, em pequenos grupos, trios, de pequenos grupos ou duplas, participar de conversas em pequenos grupos
pares e individualmente, em que possam testar diferentes formas de controlar e escutando seus colegas e esperando a sua vez de falar ou adequar seus
adequar o uso do seu corpo, como, por exemplo, dançar ao som de músicas de movimentos aos de seus colegas em situações de brincadeiras com o ritmo da
Corpo, gestos e movimentos Crianças pequenas (4 anos a 5 anos Demonstrar controle e adequação do uso de seu corpo em brincadeiras e jogos, escuta e reconto de histórias, companheiros, usando diferentes materiais (lenços, bola, fitas, instrumentos etc.), música
(EI03CG02) diferentes gêneros, imitando, criando e coordenando seus movimentos com os dos ou da dança. O currículo pode considerar objetivos específicos relacionados
à complexidade das habilidades exigidas nas situações que implicam controle e uso
e 11 meses) atividades artísticas, entre outras possibilidades. explorando o espaço (em cima, embaixo, para frente, para trás, à esquerda e à do corpo, como, por exemplo, movimentar-se fazendo uso de diferentes
direita) e as qualidades do movimento (rápido ou lento, forte ou leve), a partir de movimentos corporais cada vez mais complexos; movimentar-se seguindo
estímulos diversos (proposições orais, demarcações no chão, mobiliário, divisórias orientações dos(as) professores(as), de outras crianças ou criando suas próprias
no espaço etc.). É importante, também, participarem de situações em que possam orientações; e movimentar-se seguindo uma sequência e adequando-se ao
regular e adaptar seu comportamento em função das necessidades do grupo e/ou compasso definido pela música ou pelas coordenadas dadas por seus colegas em
de seus colegas em situações de interação e em função das normas de brincadeiras ou atividades em pequenos grupos. O currículo local pode, ainda,
funcionamento do grupo, conquistando progressivamente a autorregulação de suas trazer exemplos de situações ou brincadeiras de sua cultura local em que essas
ações. habilidades se fazem necessárias, além de abordar atitudes desenvolvidas nessas
situações, como valorizar o esforço em adequar seus movimentos corporais aos de
seus colegas em situações de brincadeiras ou atividades coletivas.

Os bebês têm um interesse natural por outras crianças, adultos e por animais.
Promover situações que incentivem seu contato, suas explorações e descobertas a
partir desse interesse contribui para seu desenvolvimento e para suas Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
aprendizagens, usando o corpo como principal ferramenta de exploração e currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
descobertas. Nesse contexto, é importante que os bebês vivenciem situações de Para os bebês, a observação e a imitação de gestos e movimentos corporais é uma
imitar gestos e movimentos de animais, adultos e outras crianças por meio de jogos forma de ampliar suas noções e habilidades. O currículo pode construir objetivos
e brincadeiras, de observar os colegas e imitar alguns de seus movimentos em específicos relacionados às habilidades de imitação de gestos e movimentos, como
(EI01CG03) situações de exploração, imitar o comportamento do(a) professor(a), participar de observar e imitar outras crianças, copiar gestos ao cantar, imitar animais em
Corpo, gestos e movimentos Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) situações de jogos simples, em situações de brincadeira, imitar professores(as) ou
Imitar gestos e movimentos de outras crianças, adultos e animais. colegas cuidando da boneca, movimentando o caminhão, utilizar seus gestos e situações de brincadeiras, ou pode também construir objetivos específicos
movimentos para chamar a atenção do professor(a) ou do colega, dançar com relacionados às ações mais coordenadas e intencionais de seus movimentos — por
outras crianças ao som de músicas de diferentes gêneros., acompanhar a narrativa exemplo, começar a brincar compartilhando algumas ações com outras crianças e
ou leitura de uma história fazendo expressões e gestos para acompanhar a ação professores(as), movimentar o corpo ao som da música ou usar o corpo para
explorar o espaço, objetos e brinquedos. O currículo local pode, ainda, trazer
dos personagens, brincar de roda imitando os gestos e cantos do(a) professor(a) e exemplos de gestos, movimentos ou mesmo citar os animais que são típicos da
dos colegas, imitar gestos e vocalizações de adultos, crianças ou animais e região, comunidade ou cultura local.
reproduzir os gestos, movimentos, entonações de voz e expressões de personagens
de histórias diversas lidas ou contadas pelo(a) professor(a).

Conforme as crianças pequenas ganham consciência de si, passam a reconhecer-se


como sujeito ativo, capaz de criar e se cuidar com independência do outro. Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
Primeiramente, as crianças pequenas se encantam com as descobertas das ações
que conseguem fazer e, na sequência, com a descoberta de que podem fazer coisas currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
sozinhas. Nesse contexto, aprender sobre o cuidado com seu próprio corpo e locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
valorizar suas ações de protagonismo e independência nessas situações é uma Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados às
importante conquista para as aprendizagens e o desenvolvimento das crianças ações e hábitos a serem desenvolvidos pelas crianças. Por exemplo, realizar, de
Crianças pequenas (4 anos a 5 anos (EI03CG04) forma independente, ações de cuidado com o próprio corpo — buscar água quando
Corpo, gestos e movimentos e 11 meses) Adotar hábitos de autocuidado relacionados a higiene, alimentação, conforto e aparência. nessa faixa etária. Portanto, é importante que elas tenham oportunidade de sente sede, identificar e valorizar alguns alimentos saudáveis, reconhecer e fazer
participar de experiências relacionadas à adoção de hábitos de autocuidado, uso de noções básicas de cuidado consigo mesmo ou servir-se e alimentar-se com
observando de que forma isso impacta seu corpo, observando hábitos dos(as) independência. O currículo local pode, ainda, trazer objetivos específicos
professores(as) e de outras crianças, por exemplo, relacionados a cuidados básicos, relacionados a hábitos de sua cultura local, além de abordar atitudes a serem
ou participando de situações em que reconhecem e fazem uso de noções básicas
de cuidado consigo mesmas, como colocar o casaco ao sentir frio, limpar o nariz desenvolvidas, como interessar-se por participar do cuidado dos espaços coletivos
quando está escorrendo, ir ao banheiro quando sente vontade ou limpar o prato e da escola, como o banheiro e o refeitório.
guardá-lo junto com os talheres no local indicado ao terminar de comer.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


Crianças bem pequenas têm uma automotivação para suas explorações e currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
descobertas envolvendo o uso do seu corpo. Conforme crescem, as suas locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
experiências podem continuar engajando-as e apoiando-as em suas descobertas, Para as crianças bem pequenas, que começam a explorar novas formas de
bem como desafiando-as de forma a sustentar seu interesse, a realizar ações cada deslocamento no espaço, é possível construir objetivos específicos relacionados às
vez mais complexas e a ampliar seu conhecimento sobre seu corpo no espaço, ações e às possibilidades de seguir orientações. Por exemplo, responder a
seguindo ou criando suas próprias orientações e resgatando ações já conhecidas e orientações para movimentos simples, explorar espaços simples e familiares,
organizando-as em sequências cada vez mais complexas. Nesse contexto, é fazendo uso de movimentos como andar, correr, saltar ou rastejar-se. O currículo
(EI02CG03) importante que crianças bem pequenas possam vivenciar situações individuais e de pode considerar objetivos específicos relacionados ao seu interesse em narrar seus
Corpo, gestos e movimentos Crianças bem pequenas (1 ano e 7 Explorar formas de deslocamento no espaço (pular, saltar, dançar), combinando movimentos e seguindo pequenos grupos e participar de brincadeiras que as incentivem a deslocar seu movimentos e compartilhar, como, por exemplo, descrever seus movimentos
meses a 3 anos e 11 meses) orientações. corpo no espaço de diferentes formas: pulando, andando, dançando etc. Além enquanto os realiza; descobrir diferentes possibilidades de exploração de um
disso, é interessante que essas vivências e brincadeiras também as incentivem a mesmo espaço e compartilhar com os colegas; explorar espaços maiores, com mais
responder a orientações para movimentos simples, como pegar o brinquedo desafios, variando os movimentos e mostrando maior domínio sobre eles. O
quando solicitado, mostrar ao colega onde ficam os seus pertences etc., a seguir currículo local pode, ainda, trazer objetivos específicos de aprendizagem e
orientações verbais e visuais simples em situações de dança, brincadeiras e desenvolvimento relacionados à aquisição de movimentos corporais típicos de
circuitos e a adquirir maior domínio de seus movimentos corporais, desenvolvendo diferentes culturas, bem como objetivos relacionados ao prazer e às conquistas de
habilidades motoras e o controle de seu movimentos no deslocamento do espaço, suas aprendizagens com os movimentos corporais, como, por exemplo, ficar
alternando diferentes velocidades, direções e posições. contente com suas conquistas e desfrutar o bem-estar ao realizar atividades
corporais e vencer desafios.

As crianças pequenas têm um forte interesse por se expressar por meio de


movimentos. Desde bebês, seus movimentos são formas de explorar e descobrir o Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para os
mundo ao seu redor e, por meio dessas ações, ao longo do tempo, acumulam uma
diversidade de movimentos conhecidos. Considerando que as crianças pequenas já currículos e/ou propostas curriculares, é desejável detalhar noções, habilidades,
são capazes de recuperar imagens e lembranças passadas, pois já desenvolveram atitudes e/ou especificidades locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e
sua capacidade de representação, o uso do movimento para se expressar passa a desenvolvimento da BNCC. Para as crianças pequenas, é possível construir
ser mais uma linguagem de que as crianças lançam mão para se expressar, objetivos específicos relacionados às ações que envolvem um uso criativo dos
movimentos. Por exemplo, envolver-se em situações nas quais façam utilizem
comunicar e continuar suas explorações e descobertas sobre o mundo. Nesse criativamente os seus movimentos, solucionar problemas relacionados a eles ou
Crianças pequenas (4 anos a 5 anos (EI03CG03) contexto, é importante que as crianças pequenas possam participar de situações explorar movimentos corporais ao dançar e brincar. O currículo pode considerar
Corpo, gestos e movimentos Criar movimentos, gestos, olhares e mímicas em brincadeiras, jogos e atividades artísticas como dança, teatro relacionadas à criação de movimentos, gestos, olhares e mímicas, e possam criar
e 11 meses) objetivos específicos relacionados à complexidade dessas ações, como, por
e música. formas de expressar suas preferências, interesses e necessidades afetivas, bem exemplo, criar movimentos dançando ou dramatizando para expressarem-se em
como que possam também participar de situações em que fruem, descrevem,
avaliam e reproduzem apresentações de dança de diferentes gêneros e outras suas brincadeiras, combinar seus movimentos com os de outras crianças e explorar
expressões da cultura corporal (circo, esportes, mímica, teatro etc.) feitas por novos movimentos usando gestos, seu corpo e sua voz. O currículo local pode,
adultos amadores e profissionais ou por outras crianças; teatralizem histórias ainda, trazer objetivos específicos de aprendizagem e desenvolvimento
conhecidas para outras crianças e adultos apresentando movimentos e expressões relacionados com brincadeiras e atividades artísticas típicas de sua cultura local ou
abordar atitudes a serem desenvolvidas, como ter prazer em criar movimentos e
corporais adequados às suas composições; encenem histórias com bonecos, gestos ao brincar, dançar, representar etc.
fantoches ou figuras de sombras destacando gestos, movimentos, voz, caráter dos
personagens etc.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
Nas situações de cuidado de seu corpo e promoção do seu bem-estar, os bebês, em locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
interação com os adultos que lhes cuidam, aprendem sobre si mesmos, suas ações Para os bebês, estabelecer relações de vínculo com professores(as) e com outros
e como relacionar-se. As experiências vividas nesses momentos são fundamentais adultos da instituição é um grande desafio. O currículo pode construir objetivos
para desenvolverem confiança em si e nos outros e apropriarem-se de práticas de específicos relacionados a essas aprendizagens, como reconhecer as pessoas que
cuidado e bem-estar. A forma como vivem essas primeiras relações são muito lhe cuidam, solicitar colo ou aconchego ao(à) professor(a) referência de seus
(EI01CG04) cuidados, participar das situações de troca interagindo com ele(a), buscar o(a)
Corpo, gestos e movimentos Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) Participar do cuidado do seu corpo e da promoção do seu bem-estar. importantes, na medida em que influenciam a maneira como desenvolverão seus professor(a) quando sente algum desconforto ou desprazer, e relacionados à
hábitos de cuidado e relação com os outros. Nesse contexto, é importante que os ampliação dos vínculos e expressões de suas necessidades, como, por exemplo,
bebês possam participar de situações de cuidado de si e da promoção do seu bem- avisar quando fez cocô, sensibilizar-se quando algum colega chora, buscar objetos
estar, envolvendo-se de forma ativa e com progressiva autonomia em momentos de conforto para si ou para seus colegas, reconhecer o local onde estão seus
como troca de fraldas, alimentação e sono, partilhando com o(a) professor(a)
algumas ações como segurar a mamadeira ou buscar seu travesseiro. pertences ou segurar a fralda no momento da troca. O currículo local pode, ainda,
trazer exemplos de ações e interações entre adultos e crianças, ou entre as
crianças, que são típicos da cultura local, dos hábitos e valores dos familiares que
frequentam a instituição.

Aprender a cuidar de seu próprio corpo é uma importante conquista para as


crianças bem pequenas. O processo dessa aprendizagem se dá, primordialmente,
em situações de interação com os(as) professores(as), que lhes garantem um
vínculo profundo e estável e, por meio de uma escuta atenta e de suas Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
observações, são responsivos às necessidades e interesses das crianças, partilhando currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
com elas situações acolhedoras nas quais têm a oportunidade de aprender locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
diferentes formas de cuidar de si mesmas. A partir dessas relações e em um
ambiente seguro e de confiança, a diversidade de situações de cuidado nas quais as Para as crianças bem pequenas, que começam a descobrir que conseguem realizar
crianças são incentivadas a assumir pequenas responsabilidades em relação ao ações de cuidado do seu próprio corpo, é possível construir objetivos específicos
Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02CG04) cuidado com seu próprio corpo ajudam-nas no aprendizado de sua progressiva relacionados às ações que começam a realizar com o apoio do(a) professor(a). Por
Corpo, gestos e movimentos exemplo, ir ao banheiro solicitando ajuda para limpar-se; lavar as mãos com ajuda;
meses a 3 anos e 11 meses) Demonstrar progressiva independência no cuidado do seu corpo. independência em situações como alimentar-se, usar o vaso sanitário, colocar e vestir-se com ou sem ajuda; e alimentar-se solicitando ajuda quando necessário. O
tirar roupas e encontrar soluções para resolver suas necessidades pessoais. Nesse currículo local pode, ainda, trazer objetivos específicos relacionados às rotinas
contexto, é importante que as crianças bem pequenas participem de situações nas básicas do grupo ao qual as crianças fazem parte, além de abordar atitudes a serem
quais possam: refletir sobre o cuidado do seu próprio corpo, reconhecendo, por desenvolvidas, como interessar-se por experimentar novos alimentos ou interessar-
exemplo, a necessidade de limpar o nariz, ou solicitando ajuda caso seja necessário; se progressivamente pelo cuidado com o próprio corpo, executando ações simples
se adaptar a rotinas básicas de cuidado em um contexto diferente do de sua casa;
manifestar preferências por determinados alimentos e reconhecer relacionadas à saúde e higiene.
progressivamente as atividades ao ar livre como positivas para seu bem-estar e sua
saúde; e apropriar-se de gestos envolvidos no ato de calçar meias e sapatos, vestir
o agasalho, pentear o cabelo e outras tarefas de cuidado pessoal.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


Ao manipular diferentes objetos e materiais em diferentes situações, os bebês têm currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
oportunidades de aprimorar sua coordenação e integrar seus movimentos, ao locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
mesmo tempo em que descobrem a propriedade e o uso de materiais e objetos Para os bebês, a exploração e o uso de diferentes objetos e materiais é uma forma
ampliando seu conhecimento sobre o mundo. Nesse contexto, é importante que os de ampliar suas noções e habilidades. É possível construir objetivos específicos
bebês participem de situações nas quais: possam utilizar movimentos específicos relacionados a essas aprendizagens, como alcançar objetos próximos, jogar e deixar
(EI01CG05) de preensão, encaixe e lançamento por meio de brinquedos, brincadeiras e cair objetos, transferir objetos de uma mão para outra ou colocar objetos dentro de
Corpo, gestos e movimentos Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) Utilizar os movimentos de preensão, encaixe e lançamento, ampliando suas possibilidades de manuseio de simulações diversas etc. que utilizarão movimentos específicos; possam segurar o outros objetos. O currículo pode construir objetivos específicos relacionados a
diferentes materiais e objetos. giz de cera ou outras ferramentas gráficas e fazer marcas em diferentes suportes, ações mais coordenadas e intencionais de seus movimentos — por exemplo, usar
como papéis, azulejos, chão, lousa etc.; possam arremessar uma bola ou outro suas ações e explorações sobre os objetos para mostrar sua propriedade ou sua
material na direção de um objeto ou pessoa, além de utilizar pequenos objetos com função, segurar com a mão objetos de diferentes tamanhos e tipos, e manipular
coordenação e precisão, como colocar argolas em pinos, encaixar chaves em diferentes objetos aprimorando sua coordenação. O currículo local pode, ainda,
fechaduras etc. trazer exemplos de objetos e materiais, e ações com estes, que são típicos da
região, comunidade ou cultura local.

Para as crianças pequenas, coordenar suas habilidades manuais, alcançando Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
produtos como resultados de suas intenções, não é um processo fácil. As crianças currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
pequenas se interessam pelo desafio, pela manipulação e exploração de diferentes
materiais e, a partir da variedade de práticas e do tempo dedicado a elas, têm a locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
oportunidade de aprimorar suas habilidades e conquistar outras novas, ampliando Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados às
(EI03CG05) suas possibilidades e recursos ao aprender sobre o mundo à sua volta. Nesse habilidades manuais de menor complexidade. Por exemplo, manipular objetos de
Corpo, gestos e movimentos Crianças pequenas (4 anos a 5 anos Coordenar suas habilidades manuais no atendimento adequado a seus interesses e necessidades em contexto, é importante que as crianças pequenas possam participar de situações diferentes tamanhos e pesos, explorar materiais com barro, massinha de modelar
e 11 meses) etc., buscando reproduzir modelos, manipular objetos pequenos construindo
situações diversas. que envolvam a coordenação de habilidades manuais, como, por exemplo, circular brinquedos ou jogos e utilizar instrumentos como palitos, rolos e pequenas
pelo ambiente em que convivem e pegar objetos, brinquedos que estão em espátulas nas suas produções com cada vez maior destreza. O currículo local pode,
posições e alturas diferentes, posicionados estrategicamente pelo(a) professor(a), e ainda, trazer objetivos específicos relacionados a práticas características de sua
também manipular objetos de diferentes tamanhos e pesos, em situações que cultura local, além de abordar atitudes a serem desenvolvidas, como ter prazer em
envolvam habilidades manuais, tais como: empilhar, encaixar, rosquear e pinçar,
chutar, arremessar e receber. realizar conquistas relacionadas às suas habilidades manuais.
Escuta, fala, pensamento e imaginação
MATERIAL SUPLEMENTAR PARA O REDATOR DE CURRÍCULO - NÃO FAZ PARTE DA BNCC

Campo de experiências Faixas Etárias Objetivos de aprendizagem e desenvolvimento Abordagem das experiências de aprendizagem Sugestões para o currículo

Os bebês, desde o nascimento, buscam estabelecer contatos com os outros e, por Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
meio dessa iniciativa, passam a atribuir significado para suas experiências e currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
desenvolvem um sentimento de pertencimento a um grupo. O nome próprio tem locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
uma carga afetiva para a criança — contribui para marcar sua identidade, ao Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados à identificação
Escuta, fala, pensamento e Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) (EI01EF 01) mesmo tempo em que a apoia a dif erenciar-se das outras pessoas, de seus pares. do nome próprio em momentos de comunicação, como, por exemplo, manifestar-
imaginação Reconhecer quando é chamado por seu nome e reconhecer os nomes de pessoas com quem convive. Nesse contexto, é interessante que os bebês possam viver situações em que se quando escuta alguém chamando ou olhar e/ou apontar para o colega quando o
participem de momentos de cantigas, reconhecendo seu nome e os dos colegas; estão chamando. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem
reconheçam sua foto ao chamar seu nome e o dos colegas; reconheçam seus desenvolvidas, como interessar-se por reconhecer a si mesmo e aos colegas em
pertences pessoais quando acompanhados de sua foto ou da foto com a escrita de fotos, além de destacar brincadeiras e cantigas típicas de seu território envolvendo
seu nome. os nomes das crianças.

As crianças bem pequenas aprendem sobre a linguagem de forma processual,


quando imersas em contextos nos quais se envolvem de maneira ativa na tentativa
de comunicar seus desejos, necessidades, pensamentos, sentimentos e opiniões.
De maneira evolutiva, em suas tentativas, as crianças passam a fazer um uso mais Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
complexo da linguagem, passando da utilização de poucas palavras para frases, de
assuntos concretos para outros mais abstratos, de situações contextualizadas no currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
presente para situações do passado e do futuro. Essa progressão se dá a partir das Para as crianças bem pequenas, é possív el construir objetivos específicos
interações comunicativas de qualidade e positivas que as crianças têm a
oportunidade de vivenciar em seu cotidiano. Nesse contexto, é muito importante relacionados ao uso de palavras ou construções de frases simples, como, por
exemplo, combinar palavras para se expressar, usar verbos e objetivos, ampliar o
que as crianças bem pequenas tenham diferentes oportunidade de interagir com vocabulário
Escuta, fala, pensamento e Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02EF 01) utilizado para se expressar, formular perguntas, iniciar diálogos
imaginação meses a 3 anos e 11 meses) Dialogar com crianças e adultos, expressando seus desejos, necessidades, sentimentos e opiniões. outras crianças e demais pessoas, falando sobre suas experiências pessoais,
relatando fatos significativos, sendo escutadas e acolhidas naquilo que comunicam, estruturados e ter atenção ao escutar o outro. O currículo pode construir objetivos
relacionados às diferentes formas de se expressar e se comunicar, como, por
expressando-se e comunicando-se por meio do corpo, do movimento, da dança, da exemplo, expressar suas ideias, sentimentos e emoções por meio de diferentes
mímica, do som, da música, de suas esculturas, desenhos ou do teatro. É linguagens, como a dança, o desenho, a mímica, a música, a linguagem verbal e a
importante que o(a) professor(a) crie um clima seguro e engajador para que as
escrita. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas, tais
crianças falem e se expressem livremente, e que esteja disponível para conversar e como interessar-se por interagir com outras crianças fazendo uso da linguagem
interagir com elas, sendo responsivo(a) às suas colocações e criando um efetivo verbal e tentando se fazer entender.
diálogo. Para isso, o(a) professor(a) deve observar e escutar os interesses das
crianças bem pequenas, falando sobre eles, incentivando situações de conversas
entre as crianças em contextos de brincadeiras, jogos e atividades em pequenos
grupos e pares.

As crianças pequenas aprendem sobre a linguagem de forma processual, quando


imersas em contextos nos quais se envolvem de maneira ativa na tentativa de
comunicar os seus desejos, pensamentos, sentimentos e ideias sobre suas
vivências. No contato diário com um conjunto de materiais impressos e nas
diversas situações em que escutam a leitura de diferentes textos, as crianças se
motivam para entender como funciona a língua escrita para que possam fazer uso
dela. Conforme têm a oportunidade de se expressar por meio de diferentes
linguagens, aprimoram e ampliam sua possibilidade de comunicação. Nesse
contexto, é muito importante que as crianças pequenas possam expressar-se na Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
linguagem oral, musical, corporal, na dança, no desenho, na escrita, na currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
dramatização e em outras linguagens em vários momentos; participar de rodas de locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
Escuta, fala, pensamento e Crianças pequenas (4 anos a 5 anos (EI03EF 01) conversa onde discutem seus pontos de vista sobre um assunto; descrever como Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados à
imaginação e 11 meses) Expressar ideias, desejos e sentimentos sobre suas vivências, por meio da linguagem oral e escrita (escrita foi feita uma produção individual ou coletiva de um texto, uma escultura, uma oralidade, como, por exemplo, comunicar-se com diferentes intenções, em
espontânea), de fotos, desenhos e outras formas de expressão. coreografia etc; debater um assunto polêmico do cotidiano da unidade, por diferentes contextos, com diferentes interlocutores, respeitando sua vez de falar e
exemplo, como organizar o uso dos brinquedos do parque etc; organizar oralmente escutando o outro com atenção. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a
as etapas de uma tarefa, os passos de uma receita culinária, do preparo de uma serem desenvolvidas, como ao interessar-se por fazer uso da escrita espontânea
tinta ou as regras para uma brincadeira, por exemplo, ou, ainda, expressar para comunicar suas ideias e opiniões aos colegas e professores(as).
oralmente, e à sua maneira, opinião sobre um relato apresentado por um colega ou
pelo(a) professor(a). É indicado também conversar com as crianças sobre suas
fotos, desenhos e outras formas de expressão, garantindo um clima seguro e
receptivo — isso contribui para que se expressem e busquem fazer uso de uma
linguagem cada vez mais complexa para se fazerem entender. Encorajar as crianças
a escrever umas às outras, aos seus familiares e a pessoas da comunidade escolar
também cria um contexto significativo e envolvente para produzirem suas escritas,
ainda que de forma não convencional.

Os bebês gostam de jogar com a linguagem desde muito cedo. Conforme têm a
oportunidade de se envolver em situações que façam uso de diferentes linguagens Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
e manifestações artísticas culturais, têm a chance de conhecer melhor a cultura na locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
qual estão imersos. Vivências de participação em situações de leitura de poemas ou
apresentações de música, dança e teatro convidam as crianças a ampliarem suas Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados às habilidades de
Escuta, fala, pensamento e (EI01EF 02) possibilidades de expressão, ao mesmo tempo em que podem aprender sobre a comunicação e expressão, como, por exemplo, participar de brincadeiras simples
Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) de interação respondendo a comandos por meio de gestos, movimentos, balbucios
imaginação Demonstrar interesse ao ouvir a leitura de poemas e a apresentação de músicas. linguagem. Nesse contexto, é importante que os bebês tenham a oportunidade de ou vocalizações, ou participar de situações de escuta de poemas ou músicas
escutar poemas e canções, participar de brincadeiras com os(as) professores(as)
imitando o(a) professor(a) ou seus pares, além de abordar atitudes a serem
envolvendo canções associadas a gestos e movimentos, além de serem convidados desenvolvidas, como ter prazer por escutar músicas e poemas, solicitando os seus
a repetir acalantos, cantigas de roda, poesias e parlendas. É importante, ainda,
explorar o ritmo, a sonoridade e a conotação das palavras e imitar as variações de mais queridos. O currículo local pode, ainda, destacar poemas e músicas típicas de
entonação e de gestos em situações de leitura de poemas ou escuta musical. seu território.

As crianças bem pequenas gostam de jogar com a linguagem, se interessam por


explorar seus sons, seus efeitos e intensidades. Imersas em situações na quais se
divertem em brincadeiras de roda cantadas, em dançar com canções conhecidas,
em recitar parlendas em suas brincadeiras, em criar novas rimas e divertir- se com Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
suas produções, em participar de situações de declamações, escutar histórias currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
rimadas, em brincar com o ritmo de uma declamação, se interessam por brincar locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
com a linguagem, desenvolvendo a imaginação e a criatividade, ao mesmo tempo Para crianças bem pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados
em que constroem noções da linguagem oral e escrita. Nesse contexto, é à recitação de textos poéticos, como, por exemplo, recitar poesias e parlendas
Escuta, fala, pensamento e Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02EF 02) importante que as crianças bem pequenas tenham a oportunidade de escutar e criando diferentes entonações e ritmos, declamar textos poéticos conhecidos nas
imaginação meses a 3 anos e 11 meses) Identificar e criar diferentes sons e reconhecer rimas e aliterações em cantigas de roda e textos poéticos. brincar com textos poéticos, como, por exemplo, as canções, os poemas, as brincadeiras como corre-cotia, pula corda etc. O currículo pode criar objetivos
parlendas e as histórias com rimas, considerando que elas chamam a atenção das relacionados à identificação de sons e rimas, tais como criar sons enquanto canta
crianças para aspectos da língua por meio de sua musicalidade e de sua forma ou cria uma música ou um poema, além de abordar atitudes a serem
gráfica. É importante, também, garantir situações em que brinquem com as desenvolvidas, como divertir-se ao brincar com a linguagem, criando sons e
palavras que rimam nos textos, divertindo-se com seus sons ou criando novas reconhecendo rimas e aliterações. O currículo local pode, ainda, destacar textos
rimas. Escutar várias vezes os mesmos textos de forma que possam recontá-los, poéticos típicos de seu território.
usá-los em suas brincadeiras, imitar gestos e entonações dos personagens contribui
para criarem o hábito da escuta desses tipos de textos, criando prazer na relação
com eles.

As crianças pequenas gostam de jogar com a linguagem, se interessam por explorar


seus sons, seus efeitos e intensidades. Imersas em situações na quais conhecem
canções, parlendas, poemas e histórias rimadas de forma prazerosa e significativa,
em contextos lúdicos e divertidos, se interessam por brincar com a linguagem, Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
desenvolvendo a imaginação, a criatividade e construindo noções da linguagem currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
oral e escrita. Nesse contexto, é importante que as crianças pequenas tenham a locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
oportunidade de participar de situações que desenvolvam o hábito e o prazer por Para crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados à
escutar, recitar e ler textos poéticos. Em tais atividades, vão observando a estrutura dos textos poéticos, como, por exemplo, identificar que os textos se
Escuta, fala, pensamento e Crianças pequenas (4 anos a 5 anos (EI03EF 02) importância dos recursos gráficos, além da estrutura dos textos como poemas, dividem em partes e o verso corresponde a uma delas, ou relacionados à recitação,
imaginação e 11 meses) Inventar brincadeiras cantadas, poemas e canções, criando rimas, aliterações e ritmos.
parlendas e canções, brincando e declamando diversas vezes em suas brincadeiras declamando suas poesias e parlendas preferidas fazendo uso de ritmo e entonação.
ou outras situações significativas os textos conhecidos, chegando a memorizar O currículo pode abordar atitudes a serem desenvolvidas, como divertir-se e
trechos, participando de situações de declamação, divertindo-se e conversando interessar-se por brincar com os textos poéticos em suas brincadeiras livres com
sobre as palavras rimadas ao brincar com seu ritmo, identificando rimas, outras crianças. O currículo local pode, ainda, destacar textos poéticos típicos de
assonâncias e aliterações. Assim, podem compreender as relações entre a seu território.
oralidade e a escrita ao participar de atividades em pequenos grupos nos quais
buscam corresponder a leitura dos textos queridos que já conhecem de memória
com sua escrita.

Os bebês aprendem sobre a linguagem, a representação e o pensamento simbólico


quando imersos em situações que provocam sua imaginação, que enriquecem suas
brincadeiras de faz de conta e que os apoiam a atribuir sentido às relações e ao
mundo à sua volta. Os contextos em que escutam histórias, lidas ou contadas, Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
favorecem essas aprendizagens e, quando acompanhadas de conv ite a interações currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
com os livros, tendo a oportunidade de explorá-los e manuseá-los, aprendem, locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
ainda, ações e comportamentos típicos do uso desse portador de texto. Nesse Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados à leitura — por
contexto, é importante que os bebês participem de situações nas quais possam exemplo, conhecer um conjunto de histórias ou formar um repertório de histórias
Escuta, fala, pensamento e (EI01EF 03)
Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) Demonstrar interesse ao ouvir histórias lidas ou contadas, observando ilustrações e os movimentos de leitura escutar repetidas vezes as mesmas histórias lidas ou contadas pelo(a) professor(a), preferidas ou, ainda, imitar comportamentos do(a) professor(a) ou de seus colegas
imaginação do adulto-leitor (modo de segurar o portador e de virar as páginas). apropriando-se de um repertório de histórias conhecidas. Além disso, os bebês são ao explorar livros. O currículo pode construir objetivos relacionados ao vocabulário,
convidados a brincar com elementos de sua narrativa, e a imitar, em suas como ampliar o conjunto de palavras conhecidas fazendo uso destas ao apontar
brincadeiras livres, ações e falas dos personagens que lhes são queridos, a partir da ilustrações nos livros ou, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas, como ter
organização dos espaços e da disponibilização de brinquedos e materiais. É prazer ao escutar histórias lidas, contadas com fantoches, representadas em
importante que possam, também, participar de situação individuais, em pares ou encenações, escutadas em áudios etc. O currículo local pode, ainda, destacar livros
trios, nas quais explorem os livros e suas imagens, compartilhem com seus colegas típicos de seu território que são adequados a essa faixa etária.
e/ou com o(a) professor(a) seus interesses apontando ilustrações, nomeando
imagens que lhes chamam a atenção e manifestando suas emoções a partir das
histórias por meio de gestos, movimentos e balbucios.

As crianças bem pequenas aprendem a gostar de escutar histórias e outros textos


na medida em que participam de situações significativas compartilhadas com seus
pares. A escuta da leitura de diferentes tipos de textos favorece que aprendam
Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
sobre a linguagem escrita e, mais especificamente, sobre a linguagem que é usada currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
em cada tipo de texto, sua função, seu conteúdo e seu formato. Participar de
diversas situações em que observam alguém lendo histórias também favorece que locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
aprendam procedimentos típicos de leitores. Nesse contexto, é importante que as àPara crianças bem pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados
ilustração como uma linguagem visual, como, por exemplo, fazer uso de
(EI02EF 03) crianças bem pequenas tenham a oportunidade de participar de diferentes e diferentes técnicas, materiais e recursos gráficos para produzir ilustrações ou
repetidas situações de escuta de textos, apoiadas pela mediação intencional
Escuta, fala, pensamento e Crianças bem pequenas (1 ano e 7 Demonstrar interesse e atenção ao ouvir a leitura de histórias e outros textos, dif erenciando escrita de dos(as) professores(as), que propiciam a reflexão sobre a relação das ilustrações perceber que algumas apresentam o que está escrito na narrativa e outras
imaginação meses a 3 anos e 11 meses) ilustrações, e acompanhando, com orientação do adulto-leitor, a direção da leitura (de cima para baixo, da complementam ou agregam uma nova informação ao texto. O currículo pode
esquerda para a direita). com o texto, proporcionado atividades em pequenos grupos, como, por exemplo, especificar objetivos relacionados aos procedimentos leitores, como buscar o título
nas quais as crianças são desafiadas a ordenar ilustrações de uma história, bem
da história no índice, ler textos memorizados com a ajuda do(a) professor(a),
como atividades individuais, nas quais são convidadas a desenhar o momento da fazendo uso de procedimentos como acompanhar o texto com o dedo seguindo da
narrativa que gostaram mais. Ainda, situações em que os(as) professores(as) são esquerda para a direita. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem
modelos de procedimentos típicos de leitores são interessantes, pois as crianças
imitam alguns comportamentos, como, por exemplo, nas situações de leitura em sua desenvolvidas, como interessar-se pelas ilustrações dos livros buscando identificar
relação com o texto lido.
voz alta, ou o ato de acompanhar com o dedo a parte do texto que está sendo lido,
de identificar em um índice o número da página em que está o texto a ser lido, usar
a ilustração como referência para lembrar uma passagem do texto etc.

As crianças pequenas aprendem a gostar das histórias e dos livros a partir das
diferentes situações que vivenciam, nas quais têm prazer e atribuem sentido ao
conteúdo das narrativas. Conforme têm a oportunidade de participar de situações
de escuta de histórias, desenvolvem o hábito da leitura e, ao vivenciarem diversas
oportunidades de escolha das histórias a serem lidas, desenvolvem o gosto pessoal Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
por algumas narrativas. A participação em diferentes situações de leitura do currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
mesmo texto também favorece que as crianças pequenas possam memorizar Para crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados ao
(EI03EF 03) trechos deles, identificando palavras conhecidas, suas ilustrações, e a parte do
Escuta, fala, pensamento e Crianças pequenas (4 anos a 5 anos Escolher e folhear livros, procurando orientar- se por temas e ilustrações e tentando identificar palavras texto escrito a que se referem. Nesse contexto, é importante que as crianças uso da ilustração como apoio para a leitura, como, por exemplo, ordenar ilustração
imaginação e 11 meses) e corresponder com o texto, e relacionados ao sistema de escrita, como em
conhecidas. pequenas tenham a oportunidade de construir um repertório de histórias
conhecidas e memorizadas, participando de situações de leitura com os colegas e localizar no texto o nome dos personagens ou escrever lista dos personagens da
sendo convidadas a recontar narrativas, apoiadas nas ilustrações ou na história. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas,
como interessar-se por folhear livros e escolher aqueles que mais gostam para ler
identificação de partes do texto ou de palavras conhecidas. É importante, também,
que as crianças tenham acesso aos livros em diferentes momentos do seu cotidiano em momentos individuais.
escolar e que possam explorá-los e manuseá-los com tempo, fazendo suas
investigações, brincando com seu enredo e criando contextos de leitura e
dramatização em suas brincadeiras individuais ou em pequenos grupos.

As crianças, desde bem pequenas, são comunicadoras natas. Elas aprendem a


comunicar-se fazendo uso da linguagem verbal conforme têm a oportunidade de
falar sobre as suas experiências, observações, ideias e necessidades. As crianças Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
bem pequenas sentem vontade de conversar porque querem compartilhar suas locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
experiências com pessoas que lhes são importantes, querem falar de suas
Para as crianças bem pequenas, é possív el construir objetivos específicos
descobertas e pensamentos com a intenção de construir uma compreensão melhor relacionados à oralidade, como, por exemplo, expressar-se verbalmente em
Escuta, fala, pensamento e Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02EF 05) de suas experiências pessoais. Nesse contexto, é importante que as crianças bem conversas, narrações e brincadeiras, ampliando seu vocabulário e fazendo uso de
pequenas possam vivenciar diferentes situações nas quais são convidadas e
imaginação meses a 3 anos e 11 meses) Relatar experiências e fatos acontecidos, histórias ouvidas, filmes ou peças teatrais assistidos etc. incentivadas a falar livremente com os(as) professores(as), que as escutam estruturas orais que aprimorem suas competências comunicativas, ou
compreender o conteúdo e o propósito de diferentes mensagens em diversos
atentamente e são responsivos(as) às suas ideias, sentimentos e emoções. Também contextos. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas,
devem ser incentivadas a conversar umas com as outras, contando seus planos,
tais como contribuir em situações de conversas em grandes e pequenos grupos ou
suas experiências pessoais significativas, descrevendo objetos, acontecimentos e duplas, relatando suas experiências pessoais e interessando-se por escutar o relato
relações, brincando e construindo narrativas comuns, negociando papéis, cenários dos colegas.
e lidando com possíveis conflitos. Assim, podem atribuir significado à sua
comunicação e construir uma base sólida para a aprendizagem da linguagem.

Os bebês aprendem a se comunicar, a fazer uso da linguagem conforme têm a


oportunidade de participar de situações em que a linguagem está presente e a
interação ajuda a dar significado para suas vivências, por meio de situações de dar
e receber. Ao serem convidados a escutar histórias, observando as suas ilustrações,
apoiados pelo(a) professor(a) que valoriza e incentiva suas explorações, os bebês Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
aprendem a se comunicar, a atribuir sentido para as imagens representadas nos
livros e sua relação com as histórias narradas. Assim, vivem emoções e têm a currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
oportunidade de expressá-las de diferentes formas, usando o corpo, por meio de Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados à leitura, por
seus movimentos e gestos, fazendo expressões faciais, balbuciando e reagindo
Escuta, fala, pensamento e (EI01EF 04) frente às emoções despertadas . Nesse contexto, é importante que os bebês exemplo, observar e manusear livros com imagens, apontar fotos e figuras em
Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) livros, nomear personagens ou objetos conhecidos em ilustrações dos livros, ou,
imaginação Reconhecer elementos das ilustrações de histórias, apontando-os, a pedido do adulto-leitor. participem de situações nas quais possam escutar repetidas vezes histórias
acompanhadas por ilustrações lidas pelo(a) professor(a), sendo valorizados em suas ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas, como interessar-se pelas ilustrações
diferentes formas de reagir e expressar seus sentimentos e curiosidades f rente à ediferentes
imagens dos livros buscando atribuir a elas algum significado e expressando-se de
formas ao interagir com a narrativa. O currículo local pode, ainda,
narrativa escutada. Assim, apropriam- se de um repertório de narrações conhecidas. destacar liv ros com imagens típicos de seu território que são adequados a essa
É interessante, ainda, que os bebês participem de jogos rítmicos em que o(a)
professor(a) os anima a imitar sons variados, ou em jogos de nomeação em que faixa etária.
o(a) professor(a) aponta para algo, propõe a questão: “O que é isso?” e apoia o
bebê a responder, e que explorem livros com imagens contando com o olhar e
observação atenta do(a) prof essor(a), que pode valorizar e incentivar suas
iniciativas.

As crianças bem pequenas se interessam pela escuta de histórias e, a partir de um


repertório de narrações conhecidas, buscam identificar regularidades nos
diferentes textos, conversando e refletindo para além do seu conteúdo, mas
também sobre sua estrutura. Apoiar as conversas das crianças sobre a estrutura da Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
história favorece que conheçam melhor o ambiente letrado e tenham uma currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
participação mais ativa no universo dos livros e suas narrativas. Nesse contexto, é Para crianças bem pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados
importante propiciar situações às crianças bem pequenas nas quais elas possam
Escuta, fala, pensamento e Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02EF 04) refletir sobre a estrutura da narrativa, respondendo a perguntas como: "quem?", "o àdescrever
estrutura do texto, como, por exemplo, identificar personagens e/ou cenários e
Formular e responder perguntas sobre fatos da história narrada, identificando cenários, personagens e suas características, ou, ainda, construir objetivos relacionados à
imaginação meses a 3 anos e 11 meses) principais acontecimentos. que?", "quando?", "como?" e "por quê?". Essas perguntas as aproximam de
aspectos-chave da organização textual. Situações que favorecem essas reflexões sequência da narrativa, como ordenar partes do texto segundo a sequência da
implicam que as crianças bem pequenas possam falar sobre os personagens e história apoiado por ilustrações. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a
serem desenvolvidas, como interessar-se por identificar características dos
cenários da história, identificando, por exemplo, algumas de suas características, personagens das histórias para incrementar cenários e adereços em suas
bem como possam conversar, com o apoio do(a) professor(a), sobre as ações e
intenções dos personagens nas dif erentes situações da narrativa; ainda, permite às brincadeiras de faz de conta.
crianças serem convidadas a recontar ou dramatizar a história apoiada nas suas
ilustrações.

As crianças pequenas aprendem a construir e representar histórias conforme têm a


oportunidade de participar de situações em que podem se apropriar da estrutura
da narrativa, identificando seus personagens e cenários, sua trama e sua sequência Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
cronológica, bem como de situações em que possam brincar com o conteúdo de currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
suas narrativas. Nesse contexto, é importante que as crianças pequenas participem locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
de diversas situações de escuta de histórias, seja por meio da leitura pelo(a) Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados à
(EI03EF 04) professor(a), por outra criança, por apresentações de teatro, dança, assistindo a estrutura da narrativa, como, por exemplo, identificar personagens, cenários,
Escuta, fala, pensamento e Crianças pequenas (4 anos a 5 anos Recontar histórias ouvidas e planejar coletivamente roteiros de vídeos e de encenações, definindo os filmes ou escutando áudios. A partir da participação nessas situações, as crianças trama, sequência cronológica, ação e intenção dos personagens, ou objetivos
imaginação e 11 meses)
contextos, os personagens, a estrutura da história. têm a oportunidade de se apropriar das narrativas e se interessam por conversar e relacionados à língua escrita, como encontrar diálogos memorizados no texto
brincar com elas, desenvolvendo sua imaginação e sua criatividade, ao mesmo escrito ou ditar partes da história ao participar da construção de roteiros de vídeos
tempo em que se apropriam de noções da linguagem e da escrita. Favorecer que as ou encenações. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem
crianças possam ter um conjunto de histórias conhecidas, sobre as quais tenham desenvolvidas, como envolver-se em situações de pequenos grupos, contribuindo
conversado acerca dos elementos da estrutura narrativa, identificando para a construção de roteiros de vídeos ou encenações coletivas.
personagens, cenários, trama e sequência cronológica, as apoia na construção de
roteiros de vídeos ou encenações.

Os bebês aprendem sobre a linguagem em contextos diversos de seu uso – verbal Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
ou não-verbal. As variações de entonação, os gestos e os movimentos que currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
acompanham a leitura de uma história pelo(a) professor(a) auxiliam os bebês a
atribuírem sentido à história, a desenvolverem o gosto por escutar, bem como a locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados à comunicação
ampliarem suas formas de expressão e de interação com a narrativa, aumentando — por exemplo, comunicar-se por meio da vocalização, gestos ou movimentos nas
seus modos de comunicação e participação nessas situações. Nesse contexto, é
importante que os bebês participem de situações nas quais possam escutar situações de leitura de história ou, em situações de brincadeiras, usar palavras
acompanhadas de gestos para comunicar-se e usar palavras aprendidas nas
Escuta, fala, pensamento e Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) (EI01EF 05) repetidas vezes histórias lidas, contadas, representadas por fantoches, narradas por histórias escutadas. O currículo pode construir objetivos relacionados à
imaginação Imitar as variações de entonação e gestos realizados pelos adultos, ao ler histórias e ao cantar. áudio, por encenações de dramatização ou dança, narradas com apoio de imagens
representação, como brincar com enredos, objetos ou adereços, tendo como
etc. É importante considerar que as narrações sejam acompanhadas por diferentes referência histórias conhecidas ou, ainda, a leitura, explorar livros buscando contar
entonações e formas de expressão que dão vida aos personagens ou elementos da
narrativa. Recomenda-se propiciar momentos em que os bebês possam observar suas histórias, fazendo uso de diferentes entonações, gestos, expressões ou
os(as) professores(as) lendo histórias acompanhadas por gestos e movimentos, movimentos corporais. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem
desenvolvidas, como interessar-se por observar e imitar entonações, gestos,
sendo convidados a repeti-los ou criá-los. Também é interessante que repitam
acalantos, cantigas de roda, poesias e parlendas, explorando o ritmo, a sonoridade movimentos ou expressões ao participar de situações de leitura de história ou de
e a conotação das palavras, e escutem histórias, contos de repetição e poemas. explorações de livros.

As crianças pequenas interessam-se por escrever suas histórias e também por ditá-
las a um(a) professor(a), que as escreve. A escolha por ditar a história, na maioria
das vezes, acontece quando as crianças sabem que aquilo que querem escrever é
mais complexo do que a capacidade que possuem para ler. Ao ter a oportunidade
de ditar um texto aos(às) professores(as), as crianças podem desenvolver a
capacidade de recuperar um texto de memória, de atentar para a sua linguagem,
de controlar a velocidade da fala, de conscientizar-se sobre a estabilidade de um
texto e sobre a diferença entre o texto escrito e aquilo que se fala sobre ele. Nesse Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
contexto, é importante que as crianças pequenas tenham a oportunidade de currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
Escuta, fala, pensamento e Crianças pequenas (4 anos a 5 anos (EI03EF 05) escutar diversas vezes as mesmas histórias, de f orma a se apropriarem de
elementos de sua estrutura narrativa e memorizarem algumas partes. A partir de Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados à
imaginação e 11 meses) Recontar histórias ouvidas para produção de reconto escrito, tendo o professor como escriba. um bom repertório de narrações conhecidas e memorizadas, é importante que o(a) língua escrita, como, por exemplo, compreender que a escrita representa a fala ou
perceber a diferença entre dizer e ditar. O currículo local pode, ainda, abordar
professor(a) convide e incentive as crianças para que criem e/ou escrevam suas
próprias narrativas ou que recontem histórias tendo-o(a) como escriba. Escrever o atitudes a serem desenvolvidas, como, por exemplo, interessar-se por participar de
texto ditado e depois lê-lo para elas faz com que as crianças verifiquem as situações coletivas de criação ou reconto de histórias.
mudanças necessárias para melhorar o texto escrito. Escrever de forma lenta e
organizar contextos de ditado em pequenos grupos ajuda que todos possam
participar da atividade. É desejável também que as crianças relatem aos colegas
histórias lidas por alguém de sua famíl ia, possam escolher e gravar poemas para
enviar a outras crianças ou aos f amiliares e participem de sarau literário, narrando
ou recitando seus textos favoritos.

Os bebês aprendem a comunicar-se conforme têm a oportunidade de vivenciar


situações significativas de interações, nas quais respondem a uma solicitação ou
Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
gesto intencional de comunicação, fazendo uso de diferentes formas de expressão currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
para além da linguagem verbal, como por meio da plástica, da dança, da mímica, da locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
música etc. Assim, aprendem a se comunicar nas situações em que são convidados
Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados a formas de
a fazer uso da linguagem verbal, mas também de outras linguagens, para expressar expressão, por exemplo, por meio de gestos, expressando "sim" ou "não"
seus desejos, ideias e necessidades. Por exemplo, por meio dos gestos, podem
mostrar a função de determinado objeto, ao mesmo tempo em que imitam o seu balançando a cabeça, por meio da atenção compartilhada ao olhar para a mesma
coisa que o(a) professor(a) ou o colega está olhando, ou construir objetivos
barulho — em um contexto de brincadeira, imitar o barulho da buzina de um carro específicos relacionados à comunicação, como sinalizar, por meio da vocalização,
Escuta, fala, pensamento e (EI01EF 06) ao apontá- la, dizer cocoricó ao ver a imagem da galinha etc. —, nas situações de
Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) leitura de história, olhar para a mesma imagem que o(a) professor(a) está olhando, balbucios, gestos, movimentos e expressões gráficas algo que deseja, além de fazer
imaginação Comunicar-se com outras pessoas usando movimentos, gestos, balbucios, f ala e outras formas de expressão. compartilhando com ele(a) sua atenção e mostrando interesse. Nesse contexto, é uso de palavras/frases que possam comunicar uma ideia, uma intenção ou uma
necessidade. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas,
importante que os bebês participem de situações de interação com professores(as) tais como interessar-se por comunicar-se com professores(as) e colegas fazendo
atentos(as) e responsivos(as), que atendam às suas manifestações de gestos,
expressões e movimentos, atribuindo sentido e valor à sua intencionalidade, que uso de diferentes formas de expressão e buscando se fazer entender e também
contextualizar vivências dos bebês nas suas diferentes possibilidades de se
façam uso da linguagem verbal, acreditando e valorizando sua competência expressar, destacando quais os gestos que são comuns em sua cultura — dar tchau
comunicativa, solicitando ações individuais, propondo brincadeiras de interação
balançando a mão, f alar "não" mexendo o dedo indicador, brincar com o barco
professor(a)-bebê que envolvam jogos corporais — como, por exemplo, esconder emitindo o som do impacto dele nas águas ou brincar de carro imitando o seu som
partes do corpo e ter prazer ao encontrar, situações de dar e receber —, e tenham ao acelerar – “vrummm”.
a oportunidade de brincar e interagir com seus colegas, buscando se fazer
comunicar.

As crianças bem pequenas gostam de brincar com a linguagem, de escutar a leitura


de histórias e de criar ou contar narrativas que criaram e/ou conhecem a outras Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
crianças ou professores(as). Ao criar ou contar suas histórias, sentem-se confiantes currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
em sua capacidade comunicativa, ao mesmo tempo em que se divertem e locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
aprendem sobre o uso da linguagem e sua eficácia como meio de comunicação. Para as crianças bem pequenas, é possív el construir objetivos específicos
Escuta, fala, pensamento e Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02EF 06) Nesse contexto, é importante que as crianças bem pequenas tenham muitas relacionados ao reconto de histórias, como, por exemplo, recontar histórias ao
imaginação meses a 3 anos e 11 meses) Criar e contar histórias oralmente, com base em imagens ou temas sugeridos. oportunidades de brincar fazendo uso da linguagem, sendo acolhidas na descrição brincar de faz de conta, fazer relações entre diferentes histórias conhecidas e ditar
que gostam de fazer sobre suas ações e intenções no brincar. Além disso, também histórias criadas ou memorizadas ao(à) professor(a). O currículo local pode, ainda,
é importante que possam contar aos(às) professores(as) e colegas histórias criadas abordar atitudes a serem desenvolvidas, tais como gostar de participar de situações
ou conhecidas, que sejam incentivadas em situações individuais ou em pequenos em que é convidado a contar ou criar histórias com ou sem o apoio de imagens,
grupos a criar narrativas a partir da apreciação de fatos, imagens ou de temas que fotos ou temas disparadores.
são do seu interesse.

As crianças pequenas interessam-se por produzir suas histórias e por escrevê-las,


registrando-as de diferentes formas, pela escrita espontânea, ditando ao(à)
professor(a), desenhando, brincando de faz de conta etc. Ao ter a oportunidade de Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
produzir suas histórias e comunicá-las em situações com função social significativa,
reforçam sua imagem de comunicadores competentes e valorizam sua criatividade. currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
Nesse contexto, é importante que as crianças pequenas tenham a oportunidade de Para locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
(EI03EF 06) as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados à
Escuta, fala, pensamento e Crianças pequenas (4 anos a 5 anos Produzir suas próprias histórias orais e escritas (escrita espontânea), em situações com função social escutar diversas vezes as mesmas histórias, de f orma a se apropriarem de linguagem escrita, como, por exemplo, fazer uso de expressões da linguagem da
imaginação e 11 meses) elementos de sua estrutura narrativa e memorizar partes do texto, podendo
significativa. recontá-lo em contextos de função social, como em saraus literários, em uma peça narrativa, como em "era uma vez", ao recontar ou criar suas próprias histórias. O
currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas, tais como
de teatro, na construção da narrativa de uma encenação etc. Da mesma forma, um envolver-se em situações de reconto de histórias expressando satisfação e gosto
repertório de histórias conhecidas apoia as crianças na criação de suas próprias
narrações, que podem ser contadas nas mesmas situações descritas anteriormente por suas conquistas.
ou, ainda, que possam criar uma história de aventuras, definindo o ambiente em
que ela ocorre, e as características e desafios de seus personagens.

As crianças bem pequenas aprendem sobre os textos ao terem diferentes Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
oportunidades de escutar, explorar e conversar sobre diferentes gêneros textuais, locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
em diferentes suportes. Nesse contexto, é importante que as crianças bem
(EI02EF 08) pequenas tenham a oportunidade de participar de diferentes situações de leitura Para as crianças bem pequenas, é possív el construir objetivos específicos
relacionados à familiaridade com diferentes gêneros textuais, como, por exemplo,
Escuta, fala, pensamento e Crianças bem pequenas (1 ano e 7 Manipular textos e participar de situações de escuta para ampliar seu contato com diferentes gêneros de diversos gêneros textuais, como, por exemplo, as histórias, parlendas, trava- brincar recitando parlendas, buscar o jornal para encontrar informação sobre uma
imaginação meses a 3 anos e 11 meses) lín guas, receitas, indicações de leitura ou programação cultural em jornais ou
textuais (parlendas, histórias de aventura, tirinhas, cartazes de sala, cardápios, notícias etc.). atividade cultural, participar de atividades de culinária fazendo uso de livros de
revistas, leitura da capa de CDs, DVDs etc. Também é importante que esses textos, receitas etc. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas,
em seus suportes, estejam disponíveis de forma acessível, para que possam
explorá-los e usá-los em suas brincadeiras e atividades individuais ou em pequenos como interessar-se por participar de situações de exploração de portadores de
grupos. diferentes gêneros textuais em brincadeiras ou atividades de pequenos grupos e
também identificar suportes e gêneros textuais que sejam típicos de seu território.

Os bebês aprendem por meio das explorações, investigações e descobertas que Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
fazem com os objetos, brinquedos e materiais do mundo físico e natural. Quando currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
têm a oportunidade de interagir e explorar diferentes materiais, impressos, locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
audiovisuais ou, ainda, outros recursos tecnológicos e midiáticos, em contextos Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados à exploração de
significativos, podem atribuir sentido e significado ao seu uso e propósito. Nesse materiais impressos. Por exemplo, explorar diferentes tipos de materiais impressos
(EI01EF 07) contexto, é importante que os bebês possam participar de situações individuais, em imitando ações e comportamentos típicos de um leitor, como virar a página,
Escuta, fala, pensamento e Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) duplas e pequenos grupos, em que se faça uso de diferentes recursos, como, por apontar as imagens, usar palavras, gestos ou vocalizações na intenção de ler em voz
Conhecer e manipular materiais impressos e audiovisuais em diferentes portadores (livro, revista, gibi, jornal, exemplo,
imaginação participar de leitura e momentos de exploração livre de livros, poemas, alta o que está escrito. O currículo pode criar objetivos relacionados ao uso de
cartaz, CD, tablet etc.). parlendas, escutar música no rádio, no gravador, no computador/tablet ou no recursos tecnológicos ou midiáticos, como identificar o uso e a função de alguns
celular, f azer uso de gravadores, filmadoras ou máquinas fotográficas, conversar deles, por exemplo, dançando ou cantando quando o(a) professor(a) pega um CD,
com os(as) professores(as) e colegas sobre o uso e as possibilidades de manuseio encenando frente a uma filmadora ou buscando sua imagem na máquina
dos materiais e encontrar, nos contextos de suas brincadeiras, esses diferentes fotográfica. O currículo local pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas,
recursos. Assim, podem fazer uso segundo suas escolhas e suas atribuições de como interessar-se pela exploração de diferentes materiais impressos e
sentido e significado. audiovisuais, solicitando sua utilização ou fazendo uso deles em suas brincadeiras.

As crianças bem pequenas aprendem sobre a linguagem e a escrita por meio de Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
situações que propiciem vivências significativas do uso de diferentes portadores currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
textuais. Nesse contexto, é importante que as crianças bem pequenas possam locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
interagir em um ambiente com diversidade de materiais de escrita, que as Para as crianças bem pequenas, é possív el construir objetivos específicos
Escuta, fala, pensamento e Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02EF 07) convidem a fazer uso destes, explorando seus usos sociais e criando outros, como, relacionados ao uso de portadores, como, por exemplo, escrever cartas aos seus
imaginação meses a 3 anos e 11 meses) Manusear diferentes portadores textuais, demonstrando reconhecer seus usos sociais. por exemplo, brincar de correio, de escritório, de supermercado, de banco, de colegas ou familiares fazendo uso da escrita espontânea ou folhear livros contando
livraria etc. Observar as brincadeiras das crianças, seus interesses e seus suas histórias para seus colegas em situações de livre escolha. O currículo local
conhecimentos permite ao(à) professor(a) planejar atividades intencionais que pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas, como, por exemplo,
enriqueçam o uso e a apropriação que as crianças fazem desses portadores, como interessar-se por portadores textuais, buscando fazer uso deles segundo seus usos
planejar uma visita ao correio etc. sociais.

As crianças pequenas aprendem sobre os textos ao terem diferentes oportunidades Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
de escutar, explorar e conversar sobre diversos gêneros textuais em diferentes currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
portadores. A apresentação cuidadosa dos diferentes gêneros, em seus portadores, locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
apoia a criança na aproximação dos chamados conceitos letrados, que são Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados à
Escuta, fala, pensamento e Crianças pequenas (4 anos a 5 anos (EI03EF 07) aprendidos no contato com o mundo da escrita. Nesse contexto, é importante que identificação e uso das diferentes estruturas dos textos segundo seu gênero, como,
imaginação e 11 meses) Levantar hipóteses sobre gêneros textuais veiculados em portadores conhecidos, recorrendo a estratégias de as crianças pequenas tenham a oportunidade de conversar e explorar a lógica dos por exemplo, fazer uso de livros de receitas em situações de brincadeiras de
observação gráfica e/ou de leitura. diferentes textos e seus portadores, nomeando alguns de seus elementos, como, culinária ou buscar informações sobre algum tema a ser estudado em livros ou
por exemplo, a capa, a ilustração, o título, falando de sua estrutura, personagens, revist
ações, informações, estrutura gráfica e observando atitudes típicas de um leitor,
como buscar informação de ingredientes em uma receita, buscar o título de uma
história no índice do livro etc.

Bebês (zero a 1 ano e 6 meses)

Bebês (zero a 1 ano e 6 meses)


As crianças bem pequenas aprendem sobre a escrita e sua representação gráfica a
partir do interesse que possuem do texto como um todo, identificando nele a Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
direção da escrita, bem como a presença de letras e de desenhos. A partir das
diferentes oportunidades de contato com a leitura de textos e de convites para currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
escrever e se comunicar por meio de suportes de escrita, as crianças vão, aos
poucos, distinguindo as imagens da escrita, ainda que utilizem seus desenhos como Para as crianças bem pequenas, é possív el construir objetivos específicos
Escuta, fala, pensamento e Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02EF 09) relacionados à comunicação escrita, como, por exemplo, conceber seus desenhos
imaginação meses a 3 anos e 11 meses) Manusear diferentes instrumentos e suportes de escrita para desenhar, traçar letras e outros sinais gráficos. uma forma de comunicação gráfica que enriquece sua forma de expressar ideias, como uma forma de comunicação, fazer uso de suas garatujas com a intenção de
sentimentos, emoções etc. Nesse contexto, é importante que as crianças bem
pequenas tenham a oportunidade de manusear e explorar diferentes suportes de uma comunicação escrita e fazer uso das letras, ainda que de forma não
convencional, em seus registros de comunicação. O currículo local pode, ainda,
escritas, fazendo uso de diferentes formas de comunicação escrita, por meio, por abordar atitudes a serem desenvolvidas, tais como aceitar o desafio de produzir
exemplo, de seus desenhos, do uso de símbolos gráficos que representam letras ou comunicações escritas.
de uma ortografia inventada por elas. É importante, ainda, que imitem
comportamentos de escritor ao fazer de conta que escrevem recados.

As crianças pequenas aprendem sobre a escrita quando apoiadas e incentivadas a


se comunicar f azendo uso da linguagem escrita. Nesse processo, as situações em
que são convidadas a escrever de seu próprio jeito ajudam a atribuir sentido à sua
intenção de comunicação escrita. Além disso, as situações em que refletem sobre o
que escreveram são relevantes para enfrentar questões com as quais se deparam
ao perceber que sua escrita não corresponde à escrita convencional. Nesse
contexto, é importante que as crianças pequenas tenham a oportunidade de
escrever, de seu próprio jeito, histórias conhecidas ou criadas por elas, parlendas e Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
cantigas, construindo uma coleção daquelas que são as suas preferidas, além de currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
palavras que rimam, brincando com a linguagem e a escrita. Também é importante locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
Escuta, fala, pensamento e Crianças pequenas (4 anos a 5 anos (EI03EF 09) que as crianças sejam encorajadas a escrever umas às outras, que sejam Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados à
imaginação e 11 meses) Levantar hipóteses em relação à ling uagem escrita, realizando registros de palavras e textos, por meio de convidadas a escrever o nome de uma história conhecida para uma situação de escrita, como, por exemplo, produzir listas e textos memorizados, escrever o nome
escrita espontânea. sorteio, para ler o que escreveram comparando com a escrita convencional, que próprio e de alguns colegas, estabelecer relação entre grafema e fonema do nome
escrevam o nome sempre que for necessário e reconheçam a semelhança entre a próprio e de algumas palavras estáveis. O currículo local pode, ainda, abordar
letra inicial de seu nome e as iniciais dos nomes dos colegas que possuem a mesma atitudes a serem desenvolvidas, tais como aceitar o desafio de confrontar suas
letra, que escrevem cartas, recados ou diários para determinada pessoa, elaborem escritas espontâneas.
convites, comunicados e listas, panfletos com as regras de um jogo, ainda que de
modo não convencional, que levantem hipóteses sobre o que está escrito e sobre
como se escreve e utilizem conhecimentos sobre o sistema de escrita para localizar
um nome específico em uma lista de palavras (ingredientes de uma receita
culinária, peças do jogo etc.) ou palavras em um texto que sabem de memória,
entre tantas outras situações em que a escrita de textos ou de palavras tenham um
sentido para a criança.
Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações MATERIAL SUPLEMENTAR PARA O REDATOR DE CURRÍCULO - NÃO FAZ PARTE DA BNCC

Campo de experiências Faixas Etárias Objetivos de aprendizagem e desenvolvimento Abordagem das experiências de aprendizagem Sugestões para o currículo

Os bebês aprendem com todo o seu corpo e seus sentidos. Por meio de suas ações
de explorações, aprendem sobre o mundo à sua volta. A qualidade das vivências de
Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
explorações que os bebês têm nesse momento oferece uma base de experiência currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
para interpretarem o mundo. Na sua vontade de interagir e aprender sobre os
locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
objetos e materiais, usam como ferramentas aquilo que está ao seu alcance: olhos,
nariz, mãos, boca, ouvidos e pés. Nesse contexto, é importante que os bebês Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados à identificação
de objetos como, por exemplo, por meio da exploração. Além disso, também é
participem de situações nas quais possam agir sobre os materiais repetidas vezes,
Espaços, tempos, quantidades, Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) (EI01ET01) divertindo-se, explorando, investigando, testando diferentes possibilidades de uso possível prever objetivos relacionados ao uso de objetos, como, por exemplo, fazer
relações e transformações Explorar e descobrir as propriedades de objetos e materiais (odor, cor, sabor, temperatura). uso do objeto de forma convencional ou dando um novo significado por meio de
e interação, encontrando e resolvendo problemas; que possam explorar objetos
sua brincadeira exploratória. O currículo local pode, ainda, destacar quais os
com formas e volumes variados e identificar algumas propriedades simples dos alimentos são típicos de seus contextos familiares e quais aqueles que a escola
materiais, como, por exemplo, a luminosidade, a temperatura, a consistência e a
pode ofertar para ampliar as vivências dos bebês e também considerar as
textura; que possam também explorar temperatura e inclinação dos diferentes diferentes formas de contato que têm com os alimentos (por exemplo, pela
tipos de solo da unidade de Educação Infantil. Além disso, é importante que
consistência — sólidos, pastosos, líquidos —, pelos odores, pelos sabores).
possam, por meio da repetição com significado dessas situações, descobrir a
permanência do objeto.

As crianças bem pequenas aprendem sobre o mundo à sua volta por meio das
descobertas que fazem a partir de explorações e investigações de diferentes
objetos. Cada novo objeto ou grupo de objetos que descobrem proporciona Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
diversas explorações e enriquecem suas interações, curiosidades e interesses, currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
favorecendo uma postura investigativa sobre o meio que as cercam. Nesse
locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
contexto, é importante que as crianças bem pequenas tenham oportunidades Para as crianças bem pequenas, é possível construir objetivos específicos
diversas de exploração de diferentes objetos: individualmente, em duplas, trios ou
pequenos grupos; no espaço da sala, organizado de forma a desafiá-la e atraí-la em relacionados à identificação de características dos objetos, como, por exemplo,
suas investigações; e no espaço externo, sensibilizada pelos diferentes elementos observar e nomear alguns atributos dos objetos que exploram. O currículo pode
(EI02ET01) da natureza e a diversidade de formas possíveis de explorar. As crianças bem considerar objetivos específicos relacionados à descrição e identificação de
Espaços, tempos, quantidades, Crianças bem pequenas (1 ano e 7 Explorar e descrever semelhanças e diferenças entre as características e propriedades dos objetos (textura, pequenas gostam de contar o que estão fazendo. Enquanto brincam e exploram, diferenças entre objetos, como, por exemplo, descrever objetos em situações de
relações e transformações meses a 3 anos e 11 meses) exploração ou em atividades de trios ou pequenos grupos, apontando suas
massa, tamanho). criam narrativas sobre suas ações e se divertem e aprendem umas com as outras características, semelhanças e diferenças, além de abordar atitudes a serem
ao compartilhar seus pensamentos. Nesse contexto, a escuta e a observação atenta desenvolvidas, como mostrar curiosidade em exploração ou interessar-se por
do(a) professor(a) para suas ações exploratórias e investigativas podem apoiá-lo(a) identificar semelhanças e diferenças entre objetos. O currículo local pode, ainda,
a interagir com as crianças a partir de seus interesses e curiosidades, chamando exemplificar situações ou objetos típicos de sua cultura, que as crianças costumam
atenção para as propriedades dos objetos (água, terra, areia, farinha etc.) e as suas
características, destacando as relações e conexões que as crianças fazem, usar em suas explorações, tais como areia e água — misturar areia com água; tinta
incentivando que atentem às semelhanças e diferenças e também proporcionando – brincar com diferentes tipos de tintas; elementos da natureza – terra, lama,
situações de exploração de objetos de diferentes formatos e tamanhos, utilizando o plantas etc.
conhecimento de suas propriedades para explorá-los com maior intencionalidade
— por exemplo, empilhar objetos do menor para o maior e vice-versa.

As crianças pequenas aprendem sobre as características e propriedades dos objetos


usando todos os seus sentidos em situações de exploração e investigação. A partir
da oportunidade de realizarem repetidas explorações, elas começam a construir
conclusões baseadas em suas percepções físicas imediatas, a fazer comparações
entre os objetos e a descrever suas diferenças. Nesse contexto, é importante que Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
as crianças pequenas tenham a oportunidade de realizar diversas situações de currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
exploração e investigação de objetos em suas brincadeiras ou em atividades locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
organizadas pelos(as) professores(as), seja individualmente, em duplas, trios ou Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados
Espaços, tempos, quantidades, Crianças pequenas (4 anos a 5 anos (EI03ET01) pequenos grupos; seja no espaço da sala, organizado de forma a desafiá-las e atraí- aos tipos de comparação que podem realizar — de tamanhos, pesos, volumes e
relações e transformações e 11 meses) Estabelecer relações de comparação entre objetos, observando suas propriedades. las em suas investigações, seja no espaço externo, sensibilizadas pelos diferentes temperaturas —, estabelecendo relações. O currículo pode considerar objetivos
elementos da natureza e a diversidade de formas possíveis de explorá-los. É específicos relacionados ao uso de vocabulário próprio ao realizar comparações
importante que possam participar de situações como explorar relações de peso, entre objetos — por exemplo, usar características opostas das grandezas de
tamanho e volume de formas bidimensionais ou tridimensionais e explorar objetos (grande/pequeno, comprido/curto etc.) ao falar sobre eles. O currículo
materiais como argila e massa de modelar, percebendo a transformação do espaço local pode, ainda, abordar atitudes a serem desenvolvidas, como interessar-se por
tridimensional em bidimensional e vice-versa, a partir da construção e fazer uso de diferentes procedimentos ao comparar objetos.
desconstrução. A observação e a escuta atenta do(a) professor(a) permite que
converse com as crianças, valorizando seus interesses, necessidades e suas falas,
cada vez mais elaboradas, sobre suas explorações, comparações e as descobertas
que fazem.

Os bebês são extremamente motivados por explorar e estão vivendo suas primeiras
experiências de contato com o meio físico e natural, de modo que todo esse mundo Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
é para eles uma grande novidade com muitas coisas para descobrir. A exploração currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
dos bebês é marcada pela sua experiência sensorial, de forma que fazem uso de locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
todos os seus sentidos e seu corpo para descobrir sobre si mesmos e sobre os Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados à exploração
efeitos de suas ações sobre os objetos e pessoas. Nesse contexto, é importante que simples e observação de resultados, como, por exemplo, repetir ações que
(EI01ET02) os bebês possam participar de situações de exploração cada vez mais diversas, nas percebem que geram resultados. O currículo pode prever objetivos específicos
Espaços, tempos, quantidades,
relações e transformações Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) Explorar relações de causa e efeito (transbordar, tingir, misturar, mover e remover etc.) na interação com o quais possam fazer uso de todos os seus sentidos e de seu corpo e que apoiem a relacionados à percepção da relação causa e efeito, como, por exemplo, usar ações
mundo físico. sua descoberta da permanência do objeto. Dar tempo e valorizar as explorações para mostrar a propriedade e as funções das coisas ou começar a usar objetos
dos bebês é uma forma de engajá-los nas suas descobertas iniciais sobre o mundo como ferramenta para resolver problemas (ex.: usar uma corda para puxar o
físico e natural à sua volta, como, por exemplo, explorar objetos, empilhando, carrinho). O currículo local pode, ainda, trazer exemplos de fenômenos naturais
segurando, jogando, retirando e guardando na caixa, enchendo e esvaziando típicos de sua região, além de abordar atitudes a serem desenvolvidas nessas
recipientes com água, areia, folhas, percebendo relações simples de causa e efeito situações, como demonstrar interesse e curiosidade ao vivenciar situações de
e mostrando interesse no porquê e em como as coisas acontecem em momentos contato com fenômenos da natureza (ex.: chuva, vento, correnteza etc.).
de brincadeiras, em atividades individuais ou em interações em pequenos grupos.

As crianças bem pequenas começam a aprender sobre os fenômenos naturais


Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
conforme têm oportunidades de viver diversas situações de contato com a
natureza. É por meio de vivências no contato com o sol, com a chuva, com a terra currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
molhada, com a areia seca que elas passam a se questionar sobre a diversidade e a
Para as crianças bem pequenas, é possível construir objetivos específicos
complexidade dos fenômenos da natureza. Nesse contexto, é importante que as relacionados aos procedimentos de pesquisa como, por exemplo, realizar
crianças bem pequenas tenham a oportunidade de presenciar e vivenciar
investigações simples para descobrir porque as coisas acontecem e como
fenômenos naturais, mas também de conversar sobre outros que conhecem por funcionam ou usar uma variedade de ferramentas para explorar o mundo e
Espaços, tempos, quantidades, Crianças bem pequenas (1 ano e 7 (EI02ET02) meio dos meios de comunicação ou pelas histórias, mitos e lendas que têm a
aprender como as coisas funcionam. O currículo pode considerar objetivos
relações e transformações meses a 3 anos e 11 meses) Observar, relatar e descrever incidentes do cotidiano e fenômenos naturais (luz solar, vento, chuva etc.). oportunidade de escutar. Questionar as crianças, instigando suas explorações,
específicos relacionados ao relato de fenômenos naturais, como, por exemplo, falar
investigações e descobertas sobre os fenômenos da natureza, propondo que
sobre o que se está vendo e o que está acontecendo, descrevendo mudanças em
observem e descrevam, por exemplo, as características e movimentos do sol, da
lua, das estrelas e das nuvens, bem como das mudanças de tempo (frio e calor) em objetos, seres vivos e eventos naturais no ambiente. O currículo local pode, ainda,
abordar atitudes a serem desenvolvidas, como, por exemplo, interessar-se por
momentos de brincadeiras, em atividades individuais ou pequenos grupos também
é uma forma de o(a) professor(a) apoiá-las a realizarem conexões e aprimorarem fazer observações simples e descobrir diferentes elementos e fenômenos da
natureza (ex.: luz solar, chuva, vento, dunas, lagoas, entre outros), bem como
suas habilidades em formular perguntas, relacionar informações, construir
hipóteses e, com isso, ampliar seus conhecimentos e suas experiências. considerar exemplos de fenômenos naturais típicos de sua região.

As crianças pequenas são extremamente curiosas sobre as coisas que acontecem à


sua volta; gostam de perguntar sobre o que está acontecendo, por que e como:
“por que a chuva cai da nuvem? Por que o sol não aparece à noite? Por que o Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o
coração bate mais rápido quando a gente corre?”. Suas perguntas não necessitam currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
de respostas rebuscadas, envolvendo a formulação de conceitos físicos ou locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
biológicos; elas são intencionalmente uma busca de informações sobre algo, uma Para as crianças pequenas, é possível construir objetivos específicos relacionados
tentativa de explicar aquilo que observam. Nesse contexto, é importante que as aos procedimentos de pesquisa, como, por exemplo, nomear e descrever
crianças pequenas tenham a oportunidade de participar de diversas situações de características e semelhanças frente aos fenômenos da natureza, estabelecendo
(EI03ET02) exploração de objetos (ex.: observar a água em forma de gelo, a água líquida e o algumas relações de causa e efeito, levantando hipóteses, utilizando diferentes
Espaços, tempos, quantidades, Crianças pequenas (4 anos a 5 anos
relações e transformações e 11 meses) Observar e descrever mudanças em diferentes materiais, resultantes de ações sobre eles, em experimentos vapor d’água), de formular perguntas (ex.: Por que o gelo derreteu?), de construir técnicas e instrumentos e reconhecendo algumas características e consequências
envolvendo fenômenos naturais e artificiais. suas hipóteses (ex.: Será que é porque está calor?), de desenvolver suas para a vida das pessoas; ou reunir informações de diferentes fontes para descobrir
generalizações (ex.: O sorvete também derrete quando está muito calor!), de por que as coisas acontecem e como funcionam, registrando e comunicando suas
aprender um novo vocabulário (ex.: derreter, evaporar etc.), nas quais explicam o descobertas de diferentes formas (oralmente, por meio da escrita, da
efeito e a transformação na forma, velocidade, peso e volume de objetos, agindo representação gráfica, de encenações etc.).O currículo local pode, ainda, abordar
sobre eles, ou exploram algumas propriedades dos objetos, como a de refletir, atitudes a serem desenvolvidas, como, por exemplo, interessar-se por reconhecer
ampliar ou inverter as imagens, ou de produzir, transmitir ou ampliar sons etc., e características geográficas e paisagens que identificam os lugares onde vivem e
também tenham oportunidades de descrever o que observaram ou contar o que destacando aqueles que são típicos de sua região.
aprenderam tendo o apoio do(a) professor(a) por meio de uma escuta atenta e de
um interesse genuíno em suas colocações.

Ao formular objetivos de aprendizagem e desenvolvimento específicos para o


Os bebês aprendem com todo o seu corpo e seus sentidos. Por meio de suas ações
currículo, é desejável detalhar noções, habilidades, atitudes e/ou especificidades
de explorações, investigações e observações, aprendem sobre o seu meio e as
locais para cada um dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento da BNCC.
pessoas que dele fazem parte. As experiências iniciais de interação dos bebês com
o meio ambiente, participando de situações de cuidado e preservação deste, são Para bebês, é possível construir objetivos específicos relacionados ao contato com
importantes para que aprendam a se relacionar com o ambiente de forma positiva animais, como, por exemplo, descobrir, por meio de seus sentidos, os seres vivos
Espaços, tempos, quantidades, Bebês (zero a 1 ano e 6 meses) (EI01ET03) e responsável. Nesse contexto, é importante que os bebês possam participar de próximos do seu entorno que lhes atraem. O currículo pode considerar objetivos
relações e transformações Explorar o ambiente pela ação e observação, manipulando, experimentando e fazendo descobertas.