Você está na página 1de 6

Teoria

das Cores

Criação e/ou
Cores Escolha de Paletas!

Nem todos os designers estudam,


e os que estudam contam esse
grande diferencial

Eu gosto de falar da Psicologia


das Cores na apresentação e
defesa dos projetos grandes que
eu faço, como logos, catálogos,
sites...

É uma técnica de neuromarketing

As cores mexem com as emoções


Psicologia das Cores e ativam gatilhos mentais nas
pessoas

A importância da Psicologia das


Cores no Branding

Algumas ideia legais tiradas da


Psicologia das Cores

Roda das Emoções do Robert


Plutchik

PDF
Cores
1. Teoria das Cores
1.1. A escolha das cores para um projeto de design é onde a Ciência e
a Arte se encontram!

1.2. Perfis

1.2.1. RGB ou CMYK?

1.2.2. CMYK: Foco para Impressos

1.2.3. RGB: Foco para Telas

1.3. Roda das Cores

1.3.1. A roda de cores é a base da teoria das cores, porque mostra


a relação entre as cores.

1.3.2. Usamos a rodas das cores para encontrar harmonia entre as


cores, usando algumas regrinhas de combinações

1.3.3. A mais comum é a roda das cores

1.3.4. O círculo de cores foi criado em 1666 por Isaac Newton e


desde então passou por muitas transformações, mas ainda
continua a ser a principal ferramenta para combinação de cores.
1.4. Combinações das cores

1.4.1. Monocromática

1.4.1.1. Uma paleta monocromática possui a cor base, porém


com variações de luminosidade e saturação.

1.4.1.2. A harmonia monocromática é sempre uma escolha


vencedora, pois é difícil cometer um erro e criar o esquema de
cores desagradável.

1.4.1.3. É o caminho mais fácil... por vezes pode ser monótono.

1.4.2. Análoga

1.4.2.1. Três cores que estão lado a lado na roda de cores.

1.4.2.2. Uma paleta de cores excelente para composições


equilibradas.
1.4.2.3. Para equilibrar um esquema de cores análogo, escolha
uma cor dominante e use as outras como complementares.

1.4.3. Complementar

1.4.3.1. Duas cores que estão em lados opostos da roda de


cores.

1.4.3.2. Essa combinação fornece uma combinação de cores de


alto contraste e alto impacto - juntas, essas cores parecerão
mais brilhantes e mais proeminentes.

1.4.3.3. Por exemplo, o botão laranja no fundo azul é difícil de


perder em qualquer interface.

1.4.3.4. DICA EXTRA MINHA!

1.4.3.4.1. Eu gosto de usar uma paleta Análoga e adicionar


uma cor complementar a cor Dominante da Peleta.

1.4.3.4.2. Combine uma paleta de cores ANÁLOGA +


COMPLEMENTAR da cor base

1.4.3.4.3. Recentemente descobri que na teoria das cores,


este esquema tem um nome: Split-Complementary

1.4.4. Tríade

1.4.4.1. Três cores espaçadas uniformemente na roda de cores.

1.4.4.2. Fornece um esquema de cores de alto contraste, mas


menos do que a combinação de cores complementares -
tornando-a mais versátil.

1.4.4.3. Uma paleta excelente pra quando se quer um design


vibrante.

1.4.5. Tétrade

1.4.5.1. Quatro cores uniformemente espaçadas na roda de


cores.

1.4.5.2. Esquemas de cores tetrádicas são ousados ​​e funcionam


melhor se você deixar uma cor ser dominante e usar as outras
como acentos.
1.4.5.3. O esquema de cores tetradic é para os designers
experientes, uma vez que é o mais difícil de equilibrar e
harmonizar. Mas o resultado pode ser impressionante.

1.4.5.4. Quando eu recomendo utilizar a Tétrade

1.4.5.4.1. Projetos mais longos de Design.

1.4.5.4.2. Ex. Um e-commerce, um portal de conteúdo,


aplicativos, uma revista, um folder longo, um outdoor...

1.5. Temperatura das cores

1.5.1. Quente ou Fria

2. Criação e/ou Escolha de Paletas!


2.1. Como eu escolho uma paleta de cores para uma marca??

2.1.1. 1- Analiso o mercado, o nicho e os concorrentes.

2.1.2. 2- Verifico as principais aplicações

2.1.2.1. - Backgrounds black ou white

2.1.2.2. Ex. uma marca de um ecommerce, provavelmente terá


sua aplicação horizontal e um background claro.

2.1.2.3. Ex2. Uma marca de remédio, ela vai precisar ter uma
identidade de cores que contrastem muito, para a aplicação nas
caixinhas de remédios.

2.1.3. 3- Salvo todas cores que achei incríveis nas minhas buscas
por referências.

2.1.4. 4- Consulto o PDF de Psicologia das Cores.

2.1.5. 5- Baseado neste estudo, escolho uma cor MATIZ para marca

2.1.6. 6- A partir daí, vou compondo o restante da paleta.

2.2. Como eu escolho uma paleta de cores para um projeto de Layout


ou composição?

2.2.1. 1- Verifico se o projeto precisa ter as cores da Identidade da


marca

2.2.1.1. Sim
2.2.1.1.1. Uso as cores da identidade

2.2.1.2. Não, as cores podem ser específicas para aquele


projeto... uma postagem no instagram, por exemplo.

2.2.1.2.1. 1- Penso no TOM e HUMOR que aquele projeto


pretende passar.

2.2.1.2.2. 2- Gosto muito de COPIAR/Inspirar-me em paletas


de fotos, ilustrações, cenas de filmes e séries, arquitetura,
moda e natureza.

2.2.1.2.3. 3- Uso muito a Roda das Cores pra encontrar cores


com o contraste ideal

2.2.1.2.4. 4- Baseio-me também na Psicologia das Cores.

2.2.1.2.5. 5- Outra coisa que faço é usufluir-me da paleta


da(s) foto(s) que estou usando na composição.

2.2.1.2.5.1. E ainda posso usar Cores sobrepostas na foto


(com blend modes), pra dar o "humor" que quero na
composição

2.3. Tem que SEMPRE usar a roda das cores

2.3.1. Obviamente não, a roda das cores serve pra te ajudar a


encontrar as cores ideais para o seu projeto e não para DEFINIR
100% as cores.

2.3.2. Porém, é um caminho fácil e assertivo pra você seguir


2.4. Ferramentas que eu uso

2.4.1. https://color.adobe.com/pt/create

2.4.2. https://paletton.com/

2.4.3. https://coolors.co/

2.4.4. https://www.sessions.edu/color-calculator/

3. Psicologia das Cores


3.1. Nem todos os designers estudam, e os que estudam contam esse
grande diferencial
3.2. Eu gosto de falar da Psicologia das Cores na apresentação e
defesa dos projetos grandes que eu faço, como logos, catálogos,
sites...

3.3. É uma técnica de neuromarketing

3.3.1. “Se uma boa cor vende, a cor certa vende melhor“.
3.4. As cores mexem com as emoções e ativam gatilhos mentais nas
pessoas

3.4.1. O significado das cores

3.5. A importância da Psicologia das Cores no Branding

3.5.1. A cor pode ser usada para passar diversas ideias da marca e
valores, bem como para vender o produto. Afinal, o objetivo é
justamente este.

3.5.2. Mary Kay

3.5.2.1. É uma marca conhecida por trabalhar sempre com a cor


rosa, que é uma cor que transmite o amor próprio e o amor
pelas outras pessoas – justamente o que a marca quer passar
para seu público. A cor rosa também transmite o entusiasmo,
amizade, harmonia, carinho e paz interior – tudo o que a marca
anuncia para recrutar suas profissionais.

3.5.3. As cores interferem no lado emocional das pessoas!

3.5.4. Gráfico Emocional das Marcas


3.6. Algumas ideia legais tiradas da Psicologia das Cores

3.6.1. Na maioria dos casos, verde sugere riqueza, enquanto o azul


estimula a confiança. E é exatamente por isso que você vê tantos
cabeçalhos e CTA’s azuis nos sites de profissionais que necessitem
da confiança de seu cliente (advogados, por exemplo).

3.6.2. O segredo aqui é a persuasão, que é a arte de influenciar na


atitude das pessoas, levando as mesmas a consumir seu produto.

3.7. Roda das Emoções do Robert Plutchik

3.7.1. O autor considera que existem oito reações primárias: medo,


confiança, alegria, curiosidade, raiva, nojo, tristeza e surpresa.

3.8. PDF