Você está na página 1de 7

Curso de Guitarra - Wesley Caesar -

ACORDES

Por definição Acorde é a combinação de 3 (três) ou mais sons simultâneos originados


normalmente de uma Escala ou Modo. Ele pode ser tocado em forma de Arpejo (uma nota de
cada vez) ou em um só “golpe” nas cordas da Guitarra, do Violão, no Piano, enfim, qualquer
instrumento de Harmonia. Os Acordes devidamente concatenados são chamados de:
Progressão Harmônica ou Cadência Harmônica. Cada nota que está dentro de um Acorde pode
ser considerada uma ”voz“, estas vozes vão se combinando no processo de evolução das
Cadências ou Progressões que acabam por definir a Harmonia de uma melodia. Então, a
combinação ou concatenação dos Acordes resulta naquilo que chamamos de Ciência
Harmônica, nos referimos a ela simplesmente pelo nome de Harmonia, que pode ser estudada
dentro de conceitos aos quais nos referimos com o nome de: Tradicional, Funcional, etc.
conforme já mencionado.
O estudo da Harmonia é fundamental na vida de um Guitarrista, Violonista ou Tecladista
profissional ou até mesmo a um simples compositor, porque ela é quem veste a Melodia
enriquecendo a musica a ponto de poder torná-la mais elaborada, podendo inclusive alterar seu
resultado estético, dependendo do gosto e conhecimento de quem Harmoniza. Sem a Ciência
Harmônica (ciência da combinação dos Acordes), teríamos apenas ritmo e melodia (escala).
Para Guitarristas e Violonistas é absolutamente importante conhecer as localizações e relações
geométricas dos Acordes no braço da Guitarra e do Violão.
Como dissemos, os Acordes se originam nas Escalas ou Modos através do processo de
empilhamento dos Intervalos de 3 (terças) maiores e menores (*), sendo que primeiramente
temos a: Tônica (T) na Escala, depois a 3 (terça) e a seguir a 5 (quinta justa), que forma aquilo
que chamamos de Tríade que é o empilhamento de terças de cada 3 notas dentro da Escala ,
à partir disto passamos a obter Acordes que podem ser Maiores, Menores, Aumentados e
Diminutos,etc. Vejamos:

ACORDES GERADOS NA ESCALA MAIOR

I IIm IIIm IV V VIm VIIm 5b


-----------------------------------------------------------------------------------
Si Do Re Mi Fa Sol Si
Sol La Si Do Re Mi Fa
Mi Fa Sol La Si Do Re
Do Re Mi Fa Sol La Si
------------------------------------------------------------------------------------
Cmaj.7 Dm7b Em7b Fmaj.7 G7b Am7b Bm5b/7b

* Conforme podemos observar os graus da Escala Maior tornaram - se graus de


Acordes, então temos;

1) o I e o IV graus formam Acordes Maiores com 7- [sétima maior]- (T 3 5 7),


2) o IIm, IIIm e VIm formam Acordes Menores com 7b - (T 3b 5 7b),
3) o V forma um Acorde Maior com 7b (T 3 5 7b) que o torna um Acorde Dominante
4) o VII m5b/7b forma um Acorde Menor com 5b e 7b ao qual chamamos de meio
diminuto por ter uma quinta diminuta com sétima menor - (T 3b 5b 7b)
Curso de Guitarra - Wesley Caesar -

Bem, a isto que fizemos acima chamamos de “Campo Harmônico Maior “ por ter sido
empilhado na Escala Maior, se fizermos com a Escala Menor Harmônica , obteremos os
Acordes Diminutos (que é: T 3b 5b 7bb) e Aumentados (que é; T 3 5#). Na realidade este
assunto é introdutório no estudo da Harmonia -

TRIADES

Conforme já comentamos, Tríade é por definição o empilhamento de 3 notas em Intervalos


de 3 (terças), resta conhecermos as principais:

1) Maior ( T 3 5 ) = é a tríade que possue a terça maior; Ex : Do Mi Sol


2) Menor (T3b5) = é a tríade que possue a terça menor; Ex : Do Mib Sol
3) Aumentada (T35#)= é a tríade que possue a terça maior com quinta
aumentada;
Ex: Do Mi Sol#
4) Diminuta (T3b5b)= é a tríade que possue a terça menor e a quinta diminuta;
Ex: Do Mib Solb
Nota: Quero ressaltar que embora a Tríade Diminuta seja um Acorde, ainda não é o Diminuto ao
qual nos referimos normalmente, porque lhe falta mais um intervalo, que é o de 7bb (sétima
Diminuta) que surge no empilhamento das terças conforme vimos acima, na montagem do
Campo.
À seguir vamos ver como são as Locações Geométricas ( Localização dos
Desenhos que se formam naturalmente) das Tríades no Braço da Guitarra ou do Violão

Nota: As Tríades Aumentadas e Diminutas são Simétricas , embora a Diminuta não se constitua
absolutamente Simétrica porque falta o intervalo de 7bb (sétima diminuta), porém ai teremos a Tétrade
Diminuta que possui a Simetria absoluta, que veremos à seguir -
Curso de Guitarra - Wesley Caesar -

TÉTRADES

Por definição Tétrade é o empilhamento de 4 notas em intervalos de terças que se


formam naturalmente no Campo Harmônico , conforme vimos até aqui. As 8 ( oito ) Tétrades que
estão digitadas abaixo , parecem ser as principais :

1)Tétrades (Acordes) com 3 ( terça maior ) com : 7b ( T 3 5 7b ), maj.7 ( T 3 5 7 ) ,


5#/maj.7 ( T 3 5# 7 ) e 4#/7b ( T 3 4# 7b )-
2)Tétrades (Acordes) com 3b (terça menor) acrescentada de: 7b (T 3b 5 7b) e maj.7
(T 3b 5 7 )-
3)Tétrades (Acordes) Diminuta (T 3b 5b 7bb) e Meio Diminuta ( T 3b 5b 7b )
Curso de Guitarra - Wesley Caesar

AS PRINCIPAIS QUALIDADES DE ACORDES

Conforme já pudemos observar na Formação dos Campos Harmônicos, os Acordes


Basicos do cotidiano da Musica Ocidental do ponto de vista da Harmonia Funcional, se
classificam da seguinte maneira:

1) Maiores = ( T 3 5 )
2) Menores = ( T 3b 5 )
3) Aumentados = ( T 3 5# )
4) Diminutos = (T 3b 5b 7bb)
5) Meio Diminutos = ( T 3b 5b 7b )
6) Suspensos = (T 4 5 )

CIFRAGEM DOS ACORDES BASICOS

Maiores Menores Aumentados Diminutos Meio Diminutos Suspensos


( T35) ( T 3b 5 ) ( T 3 5# ) ( T 3b 5b 7bb) ( T 3b 5b 7b) (T 4 5 )
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A Am A5# Adim. Am5b/7b A4


A# ou Bb A#m ou Bbm A#5# ou Bb5# A#dim. ou Bbdim. A#m5b ou Bbm5b A#4 ou Bb4

B Bm B5# Bdim. Bm5b/7b B4


C Cm C5# Cdim. Cm5b/7b C4
C# ou Db C#m ou Dbm C#5# ou Db5# C#dim. ou Dbdim. C#m5b ou Dbm5b C#4 ou Db4

D Dm D5# Ddim. Dm5b/7b D4


D# ou Eb D#m ou Ebm D#5# ou Eb5# D#dim. ou Ebdim. D#m5b ou Ebm5b D#4 ou Eb4

E Em E5# Edim. Em5b/7b E4


F Fm F5# Fdim. Fm5b/7b F4
F# ou Gb F#m ou Gbm F#5# ou Gb5# F#dim. ou Gbdim. F#m5b ou Gbm5b F#4 ou Gb4

G Gm G5# Gdim. Gm5b/7b G4


G# ou Ab G#m ou Abm G#m ou Abm G#dim. ou Abdim. G#m5b ou Abm5b G#4 ou Ab4

Além das suas “Qualidades“ os Acordes podem vir com Dissonâncias (Intervalos Dissonantes)
acompanhadas que se formam naturalmente nos seus respectivos pontos de origem (como vimos no
inicio desta parte ) então o Acorde Maior por exemplo , poderá vir com adição de Intervalos de 7
(sétima maior), 7b (sétima menor), 9 (nona maior), 9b (nona menor),etc, Vejamos:
Curso de Guitarra - Wesley Caesar -

CIFRAGEM DAS DISSONÂNCIAS NOS ACORDES

Na Tabela à seguir veremos a “Convenção Americana e Brasileira de Cifragem de


Dissonâncias de Acordes“ que está sujeita não só à mudanças, mas também à discórdia ,
pelo fato de que ( as Cifragens ) são usadas no cotidiano dos estudantes , professores e
músicos nos estúdios de gravação e na vida do profissional em geral , ou seja é uma
linguagem que está “ viva ”podendo sofrer alterações à qualquer momento , então torna-se
difícil estabelecer e fixar definitivamente este tipo de informação ,etc. Entretanto, temos aqui
uma média das Padronizações de Cifragens de Dissonâncias que ocorrem na pratica. Antes
vamos ver como se Classificam:
Os Acordes Maiores podem vir acompanhados de Dissonâncias do tipo: maj.7 , 9 , 6,
etc, neste caso costumam ser “Tônicos ou Subdominantes” que cujos nomes explicam a
Função Harmônica que um Acorde pode ter, quando um Acorde Maior vem acompanhado
de; 7b, 7b9, 7b13, 7b5b,7b5#,7b9b,7b9#, deverá exercer Função de Acorde Dominante que
poderá ser Natural (se originado do Campo Harmônico Maior) ou Alterado
se originado do Campo Harmônico Menor Melódico)

* É bom lembrar que os Acordes surgem na pratica Musical independente do


Sistema ao qual os atribuímos, ou seja, poderão exercer Funções Harmônicas em
um contexto Musical Tonal, porém os mesmos Acordes se estiverem em um
contexto Modal não estarão exercendo tais Funções, poderão estar, portanto, em
um contexto Harmônico Funcional ou Não Funcional , etc.

Os Acordes Menores podem vir com; 7b, 7( sétima maior ) , 7b9, 9 , 6 ,etc.
Os Acordes Diminutos não costumam vir acompanhados de Dissonâncias, entretanto
podem vir com ; 13b ,...
Os Acordes Meio Diminutos normalmente na pratica não costumam vir acompanhados à
mais Dissonâncias -
Os Acordes Aumentados são Tríades, então não possuem Dissonâncias à mais, entretanto,
o Acorde de 5# com 7b ( T 3 5# 7b ) é muito comum-
Os Acordes Suspensos poderão vir sómente com a sua base (T 4 5 ) ,porém é muito comum
aparecer com; 7b , 9 , 11 ( a 4 assume papel de 11 )
Devemos lembrar ainda que tanto nos Acordes Maiores com 7 e 9 ou 7b e 9 , quanto
nos Menores com 7 e 9 ou 7b e 9; a 5 (quinta justa) é omitida, ou seja, ela não aparece
Curso de Guitarra - Wesley Caesar -

CONVENÇÃO DE CIFRAGEM DE ACORDES E RESPECTIVAS DISSONÂNCIAS


Curso de Guitarra - Wesley Caesar -