Você está na página 1de 2

REVISÃO DAS APOSENTADORIAS CONCEDIDAS ENTRE 1979 e 1988.

CALCULE SE VOCE ESTÁ RECEBENDO CORRETAMENTE.

Hilário Bocchi Junior


Publicado no jornal “A voz dos aposentados” – 2006. Ano II. Edição n. 6.

Os benefícios pagos pelo INSS aos seus beneficiários (aposentados e pensionistas) são
calculados com base no valor da contribuição que cada segurado paga mensalmente à
Previdência Social. O valor desta contribuição está diretamente ligado ao valor da
remuneração que recebe e se chama “salário-de-contribuição”.

O valor do benefício é calculado com base nestes “salários-de-contribuição” que, em


razão da inflação, são corrigidos monetariamente mês a mês.

Ocorre que os benefícios de aposentadoria por idade, aposentadoria por tempo de


serviço e aposentadoria especial, concedidos após a Lei n. 6.423/77 (que criou a ORTN,
depois transformada em OTN , BTN e TR), desde o mês de junho de 1979 até outubro de
1988, não foram calculados corretamente pelo INSS, uma vez que os salários-de-contribuição
não foram corridos pelos índices que deveriam ser efetivamente aplicados.

Este erro no cálculo do valor dos benefícios não está sendo corrigido voluntariamente
pelo INSS e tampouco está havendo comunicação aos segurados quanto ao equívoco
perpetrado nestas aposentadorias, apesar dos Tribunais Superiores já terem assegurado ganho
de causa aos aposentados, de acordo com a tabela abaixo.

Embora os índices desta tabela não são oficiais e tampouco abrangem todas as
hipóteses de aposentadoria (podem variar de caso para caso, e por isso há necessidade do
acompanhamento de um profissional), dá para ter uma idéia das diferenças a serem postuladas
conforme a tabela e orientação de cálculo abaixo.

Assim, quem não entrar com processo na Justiça para corrigir o valor da aposentadoria,
inclusive com possibilidade de receber as diferenças atrasada, não terá o valor revisto
voluntariamente pelo INSS.

Tem direito à revisão o segurado que se enquadrar nas seguintes condições:

 Receber aposentadoria por idade; aposentadoria por tempo de serviço ou aposentadoria


especial;
 Ter benefício com valor superior a um salário mínimo;
 Ter o benefício iniciado dentro de algum dos meses definidos na tabela abaixo;

Recomenda-se a contratação de um advogado visto que a inobservância destes critérios


específicos, que terão que ser analisados caso a caso, mesmo com o preenchimento das
condições acima referidas, poderão reduzir o valor do benefício. Cuidado.

Veja se você tem diferença...

PODER JUDICIÁRIO
ESTUDO DA CONTADORIA - AÇÕES PREVIDENCIÁRIAS ORTN / OTN (SÚMULA Nº
02/TRF DA 4ª REGIÃO
ANO JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
1977 8,13%
1978
1979 1,66% 1,22%
1980 1,25% 4,11% 6,64% 6,40% 8,94% 11,17% 1,46%
1981 3,46% 7,37%
1982 3,64% 7,52% 2,01% 6,26% 11,25% 14,51% 24,34%
1983 3,13% 7,95% 10,76% 17,71% 23,88% 9,15% 15,28% 0,80% 19,70% 12,49%
1984 3,98% 3,96% 2,88% 10,19% 17,29% 4,59% 7,30% 18,55%
1985 5,40% 14,66% 22,33% 7,14% 15,69% 22,03% 3,63% 9,93% 14,50% 5,26% 13,10% 15,97%
1986 2,64% 13,71% 24,07% 3,16% 1,60% 5,83% 10,46%
1987 20,16% 1,55% 16,29% 35,03% 0,26% 1,26% 3,06% 13,00%
1988 12,33% 25,83% 42,49% 31,28% 47,93% 62,55% 15,25% 18,20% 15,11% 17,06%

1) Para encontrar o valor correto do benefício, faça a seguinte operação:


Multiplique o valor atual do benefício pelo índice (indicado na tabela) relativo ao mês e ano
de início de sua aposentadoria. O resultado será o valor correto que deveria estar recebendo.

2) Para encontrar o valor aproximado dos atrasados, faça a seguinte operação:


Subtraia do valor encontrado na operação indicada no item 1) pelo valor atual do benefício.
Após, multiplique o valor encontrado por 66 (sessenta e seis).
O resultado destas duas operações indicará o valor dos atrasados que o segurado poderá
pleitear na Justiça.

Esta matéria pode ser reproduzida desde que citada a fonte.