Você está na página 1de 14

CONSTANTES Ca 20 40,08

Constante de Avogadro = 6,02 x 1023 mol −1 Cr 24 52,00


Constante de Faraday (F) = 9,65 x 104 C mol −1 Mn 25 54,94
Volume molar de gás ideal = 22,4 L (CNTP) Fe 26 55,85
Carga elementar = 1,602 x 10−19 C Cu 29 63,55
Constante dos gases (R) = Zn 30 65,37
Br 35 79,91
= 8,21 x 10−2 atm L K −1 mol −1 =
Ag 47 107,87
= 8,31 J K −1 mol −1 = 62,4 mmHg L K −1 mol −1 = I 53 126,90
= 1,98 cal K −1 mol −1 Ba 56 137,34
Pt 78 195,09
DEFINIÇÕES
Hg 80 200,59
Condições normais de temperatura e Pb 82 207,21
pressão (CNTP): 0 oC e 760 mmHg.
Condições ambientes: 25 oC e 1 atm. As questões de 01 a 20 NÃO devem ser re-
o solvidas no caderno de soluções. Para
Condições-padrão: 25 C, 1 atm, concentra-
ção das soluções: 1 mol L −1 (rigorosamente: respondê-las, marque a opção escolhida para
atividade unitária das espécies), sólido com cada questão na folha de leitura óptica e
estrutura cristalina mais estável nas condi- na reprodução da folha de leitura óptica
ções de pressão e temperatura em questão. (que se encontra na última página do caderno
(s) ou (c) = sólido cristalino; (l) ou (l) = líqui- de soluções).
do; (g) = gás; (aq) = aquoso; (graf) = grafite;
(CM) = circuito metálico; (conc) = concentra-
do; (ua) = unidades arbitrárias; [A] = concen- Questão 1
tração da espécie química A em mol L−1 .
MASSAS MOLARES Considere as reações envolvendo o sulfeto de
hidrogênio representadas pelas equações se-
Elemento Número Massa Molar guintes:
Químico Atômico (g mol −1) I. 2H2 S(g) + H2 SO 3 (aq) → 3S(s) + 3H2O( l )
H 1 1,01
II. H2 S(g) + 2H + (aq) + SO24 − (aq) →
He 2 4,00
→ SO2 (g) + S(s) + 2H2O( l )
C 6 12,01
N 7 14,01 III. H2 S(g) + Pb(s) → PbS(s) + H2 (g)
O 8 16,00 IV. 2H2 S(g) + 4Ag(s) + O2 (g) →
F 9 19,00 → 2Ag2 S(s) + 2H2O( l )
Na 11 22,99 Nas reações representadas pelas equações
acima, o sulfeto de hidrogênio é agente redu-
Mg 12 24,31
tor em
Al 13 26,98
a) apenas I. b) apenas I e II.
Si 14 28,09 c) apenas III. d) apenas III e IV.
P 15 30,97 e) apenas IV.
S 16 32,06
Cl 17 35,45 alternativa B
Ar 18 39,95
É característica do agente redutor sofrer oxida-
K 19 39,10 ção.
química 2

I. b)

c)

Agente redutor: H 2 S .
II.
d)

Agente redutor: H 2 S . e)
III.

Agente redutor: Pb. alternativa D


IV.
As fórmulas estruturais planas da alternativa D re-
presentam a mesma substância química com, evi-
dentemente, as mesmas propriedades físico-quí-
micas.

Questão 3
Agente redutor: Ag. Esta tabela apresenta a solubilidade de al-
gumas substâncias em água, a 15o C:
Solubilidade
Questão 2 Substância
(g soluto / 100 g H2O)

Assinale a opção que contém o par de subs- ZnS 0,00069


tâncias que, nas mesmas condições de pres- ZnSO4 ⋅ 7 H2O 96
são e temperatura, apresenta propriedades ZnSO 3 ⋅ 2 H2O 0,16
físico-químicas iguais. Na2 S ⋅ 9 H2O 46
a) Na2 SO4 ⋅ 7 H2O 44
Na2 SO 3 ⋅ 2 H2O 32
Quando 50 mL de uma solução aquosa
0,10 mol L−1 em sulfato de zinco são mistu-
rados a 50 mL de uma solução aquosa
química 3

0,010 mol L−1 em sulfito de sódio, à tempera- Q = [Zn 2 + ] ⋅ [SO32 − ]


tura de 15 oC, espera-se observar Q = 5 ⋅ 10 −2 ⋅ 5 ⋅ 10 −3
a) a formação de uma solução não saturada Q = 2,5 ⋅ 10 −4
constituída pela mistura das duas substân- Como Q > K ps , ocorre a precipitação de ZnSO3 .
cias.
b) a precipitação de um sólido constituído por
sulfeto de zinco.
c) a precipitação de um sólido constituído por Questão 4
sulfito de zinco.
d) a precipitação de um sólido constituído por Utilizando os dados fornecidos na tabela da
sulfato de zinco. questão 3, é CORRETO afirmar que o produ-
e) a precipitação de um sólido constituído por to de solubilidade do sulfito de sódio em
sulfeto de sódio. água, a 15 oC, é igual a
a) 8 × 10−3 . b) 1,6 × 10−2 . c) 3,2 × 10−2 .
alternativa C d) 8. e) 32.
Cálculo da quantidade, em mols, dos sais na solu-
ção logo após a mistura: alternativa E
0,1 mol ZnSO4 Cálculo da concentração do sulfito de sódio em
0,05 L sol. ⋅ = 5 ⋅ 10 −3 mol ZnSO4
144 1 L2sol.
443 uma solução saturada:
32
conc. molar
n 162,08
0,01 mol Na2 SO3 [Na2 SO3 ] = = ≅ 2 mols/l
0,05 L sol. ⋅ = 5 ⋅ 10 −4 mol Na2 SO3 V 0,1
1 L
144424443
sol. Cálculo do K ps :
conc. molar + 2−
Na2 SO3(s) 2 Na(aq) + SO3(aq)
Considerando a dissociação iônica e que o volu-
me final será de 100 mL, temos: 2 mols/l 4 mols/l 2 mols/l
[Zn 2 + ] = 5 ⋅ 10 −2 mol/L K ps = [Na ] + 2
[SO32 − ]
[SO42 − ] = 5 ⋅ 10 −2 mol/L K ps = 4 2 ⋅ 2
[Na+ ] = 1 ⋅ 10 −2 mol/L K ps ≅ 32
[SO32 − ] −3
= 5 ⋅ 10 mol/L
Considerando-se a tabela de solubilidade forneci-
da, o único sal que poderia precipitar é o ZnSO3 Questão 5
(menor solubilidade do que os sais iniciais).
Então, determinando-se seu K ps , podemos con-
Certa substância Y é obtida pela oxidação de
cluir se ocorre precipitação. Primeiramente, calcu-
la-se a concentração desse sal em solução satu- uma substância X com solução aquosa de per-
rada: manganato de potássio. A substância Y reage
0,16 tanto com o bicarbonato presente numa solu-
n 181,47
[ZnSO3 ] = = ≅ 8,8 ⋅ 10 −3 mol/L ção aquosa de bicarbonato de sódio como com
V 0,1 álcool etílico. Com base nestas informações, é
Cálculo do K ps : CORRETO afirmar que
2+ 2− a) X é um éter. b) X é um álcool.
ZnSO3(s) Zn(aq) + SO3(aq)
−3 −3 c) Y é um éster. d) Y é uma cetona.
8,8 ⋅ 10 mol/L 8,8 ⋅10 mol/L 8,8 ⋅10 −3 mol/L
e) Y é um aldeído.
K ps = [Zn 2 + ] ⋅ [SO32 − ]
K ps = 8,8 ⋅ 10 −3 ⋅ 8,8 ⋅ 10 −3 alternativa B
K ps ≅ 7,7 ⋅ 10 −5 As informações no enunciado são coerentes com
Utilizando-se os valores calculados para as con- o esquema:
centrações de Zn 2 + e SO32 − , antes da precipita-
oxidação
álcool (X) ácido carboxílico (Y)
ção, temos: KMnO4
química 4

ácido − IV. Solução aquosa 1 milimolar de ácido clorí-


carboxílico (Y ) + HCO3(aq) →
drico com solução aquosa 1 milimolar de áci-
→ CO2(g) + H 2O( l) + sal(aq)
do clorídrico.
ácido álcool Qual das opções abaixo apresenta a ordem
carboxílico (Y ) + etílico éster + água
decrescente CORRETA para o efeito térmico
observado em cada uma das misturas acima?
a) I, III, II e IV b) II, III, I e IV
Questão 6 c) II, III, IV e I d) III, II, I e IV
e) III, II, IV e I

Um cilindro provido de um pistão móvel, que alternativa D


se desloca sem atrito, contém 3,2 g de gás hé-
lio que ocupa um volume de 19,0 L sob pres- A ordem decrescente do efeito térmico associado
à mistura de soluções é:
são 1,2 × 105 N m−2 . Mantendo a pressão III. Neutralização de um ácido forte por uma base
constante, a temperatura do gás é diminuída forte.
de 15 K e o volume ocupado pelo gás diminui II. Neutralização de uma base fraca por um ácido
para 18,2 L. Sabendo que a capacidade calo- forte.
rífica molar do gás hélio à pressão constante I. Diluição exotérmica de um ácido forte.
IV. Mistura de soluções de mesmo soluto e con-
é igual a 20,8 J K −1 mol −1 , a variação da centração: sem efeito térmico.
energia interna neste sistema é aproximada-
mente igual a
a) −0,35 kJ. b) −0,25 kJ. c) −0,20 kJ.
d) −0,15 kJ. e) −0,10 kJ. Questão 8

alternativa D Assinale a opção que contém a substância


Cálculo da quantidade de calor: cuja combustão, nas condições-padrão, libera
Q = n ⋅ c ⋅ ∆θ maior quantidade de energia.
3,2 a) Benzeno b) Ciclohexano
Q = ⋅ 20,8 ⋅ ( −15) = −249,6 J c) Ciclohexanona d) Ciclohexeno
4
Cálculo da variação da energia interna ( ∆E ): e) n-Hexano
∆E = Q − W
∆E = Q − p ⋅ ∆V alternativa E
∆E = −249,6 − 1,2 ⋅ 10 5 ⋅ (18,2 − 19) ⋅ 10 −3
Dentre os compostos orgânicos de mesmo núme-
∆E = −153,6 J ro de átomos de carbono, observa-se maior calor
∆E ≅ −0,15 kJ.
de combustão, nas condições padrão, no alcano,
que corresponde à molécula com mais átomos de
carbono que apresentam menores Nox e com
Questão 7 maior número de átomos de hidrogênio.

A 25 oC e 1 atm, considere o respectivo efeito


térmico associado à mistura de volumes Questão 9
iguais das soluções relacionadas abaixo:
I. Solução aquosa 1 milimolar de ácido clorí-
Considere as reações representadas pelas
drico com solução aquosa 1 milimolar de clo- equações químicas abaixo:
reto de sódio. +1 +2 +3
II. Solução aquosa 1 milimolar de ácido clorí- A(g) B(g) C(g) e A(g) C(g)
drico com solução aquosa 1 milimolar de hi- −1 −2 −3

dróxido de amônio. O índice positivo refere-se ao sentido da rea-


III. Solução aquosa 1 milimolar de ácido clo- ção da esquerda para a direita e, o negativo,
rídrico com solução aquosa 1 milimolar de hi- ao da direita para a esquerda. Sendo Ea a
dróxido de sódio. energia de ativação e ∆H a variação de ental-
química 5

pia, são feitas as seguintes afirmações, todas • Solução de FeCl 3 :


relativas às condições-padrão: 2 Fe 3 + + (n + 3) H 2O Fe 2O3 ⋅ n(H 2O) + 6 H +
I. ∆H +3 = ∆H +1 + ∆H +2 (pH < 7)
II. ∆H +1 = − ∆H −1 • Solução de KClO2 :
ClO2− + H 2O HClO2 + OH − (pH > 7)
III. Ea + 3 = Ea + 1 + Ea + 2
Como o pH da solução de MgCl 2 é próximo a 7,
IV. Ea + 3 = − Ea − 3 a ordem correta é:
Das afirmações acima está(ão) CORRETA(S) KClO2 > MgCl 2 > FeCl 2 > FeCl 3
a) apenas I e II. b) apenas I e III.
c) apenas II e IV. d) apenas III.
e) apenas IV.
Questão 11
alternativa A
I. Verdadeira. Pela Lei de Hess, a variação de en- Considere as afirmações abaixo, todas relati-
talpia depende somente dos estados iniciais e fi- vas à pressão de 1 atm:
nais do processo. Como isto ocorre no caso refe- I. A temperatura de fusão do ácido benzóico
rido, a igualdade é válida. puro é 122 o C, enquanto que a da água pura é
II. Verdadeira. Sendo ∆H +1 = H(B(g) ) − H(A(g) ) e 0 o C.
∆H −1 = H(A(g) ) − H(B(g) ), conclui-se que ∆H +1 = II. A temperatura de ebulição de uma solu-
= −∆H −1 , pois H(B(g) ) − H(A(g) ) = −(H(A(g) ) − H(B(g) )). ção aquosa 1,00 mol L−1 de sulfato de cobre
III. Falsa. A E a é uma característica de reação é maior do que a de uma solução aquosa
elementar. Logo, o segundo equilíbrio é referente 0,10 mol L−1 deste mesmo sal.
a um caminho de reação diferente do primeiro. III. A temperatura de ebulição de uma solu-
Não é possível estabelecer qualquer relação entre ção aquosa saturada em cloreto de sódio é
E a + 3 e as demais energias de ativação. maior do que a da água pura.
IV. Falsa. E a + 3 corresponde à diferença de ener- IV. A temperatura de ebulição do etanol puro
gia entre o estado intermediário e o estado inicial é 78,4 o C, enquanto que a de uma solução al-
da reação direta (A(g) ), enquanto E a − 3 correspon-
de à diferença correspondente à reação inversa coólica 10% (m/m) em água é 78,2 o C.
(entre C(g) e o estado intermediário). Como geral- Das diferenças apresentadas em cada uma
mente ∆H ≠ 0, E a + 3 ≠ −E a − 3 . das afirmações acima, está(ão) relacionada(s)
com propriedades coligativas
a) apenas I e III. b) apenas I.
Questão 10 c) apenas II e III. d) apenas II e IV.
e) apenas III e IV.
Qual das opções a seguir apresenta a seqüên-
alternativa C
cia CORRETA de comparação do pH de solu-
ções aquosas dos sais FeCl 2 , FeCl 3 , MgCl 2 , Propriedades coligativas são características físi-
cas das soluções que dependem exclusivamente
KClO2 , todas com mesma concentração e sob
da população relativa das partículas na mistura e,
mesma temperatura e pressão? repetindo, não dependem da natureza das partí-
a) FeCl 2 > FeCl 3 > MgCl 2 > KClO2 culas. Logo, II e III estão relacionadas às proprie-
b) MgCl 2 > KClO2 > FeCl 3 > FeCl 2 dades coligativas.
c) KClO2 > MgCl 2 > FeCl 2 > FeCl 3
d) MgCl 2 > FeCl 2 > FeCl 3 > KClO2
e) FeCl 3 > MgCl 2 > KClO2 > FeCl 2 Questão 12
alternativa C Um composto sólido é adicionado a um bé-
Com exceção da solução de MgCl 2 , todas as de- quer contendo uma solução aquosa de fenolf-
mais sofrem hidrólise: taleína. A solução adquire uma coloração ró-
• Solução de FeCl 2 : sea e ocorre a liberação de um gás que é reco-
Fe 2 + + 2 H 2O Fe(OH) 2 + 2 H + (pH < 7) lhido. Numa etapa posterior, esse gás é sub-
química 6

metido à combustão completa, formando H2O III. HCl no n-hexano: não sofre ionização.
e CO2 . Com base nestas informações, é IV. HCl em água pura: ionização praticamente to-
CORRETO afirmar que o composto é tal e íons com grande mobilidade.
Portanto, a seqüência decrescente de condutivi-
a) CO(NH2 )2 . b) CaC2 . dade elétrica é IV > I > II > III.
c) Ca(HCO 3 )2 . d) NaHCO 3 .
e) Na2C2O4 .
Questão 14
alternativa B
O composto sólido é o CaC 2 que em solução Assinale a opção que contém a afirmação
aquosa de fenolftaleína apresenta a seguinte rea- ERRADA relativa à curva de resfriamento
ção química: apresentada abaixo.
2+ −
CaC 2(s) + 2 H 2O( l) → Ca(aq) + 2 OH(aq) + C 2 H 2(g)
O íon OH − é evidenciado pelo indicador através

Temperatura / °C
da coloração rósea (meio básico).
O gás C 2 H 2 ao sofrer combustão completa pro-
duz CO2 e H 2O conforme reação química:
2 C 2 H 2(g) + 5 O2(g) → 4 CO2(g) + 2 H 2O(g)

Tempo / min
Questão 13
a) A curva pode representar o resfriamento
A 15 oC e 1 atm, borbulham-se quantidades de uma mistura eutética.
iguais de cloridreto de hidrogênio, HCl(g), b) A curva pode representar o resfriamento
nos solventes relacionados abaixo: de uma substância sólida, que apresenta uma
I. Etilamina III. n-Hexano única forma cristalina.
II. Dietilamina IV. Água pura c) A curva pode representar o resfriamento
Assinale a alternativa que contém a ordem de uma mistura azeotrópica.
decrescente CORRETA de condutividade elé- d) A curva pode representar o resfriamento
trica das soluções formadas. de um líquido constituído por uma substância
pura.
a) I, II, III e IV b) II, III, IV e I
e) A curva pode representar o resfriamento
c) II, IV, I e III d) III, IV, II e I
de uma mistura líquida de duas substâncias
e) IV, I, II e III
que são completamente miscíveis no estado
sólido.
alternativa E
A condutividade elétrica de uma solução depende alternativa B
de dois fatores: No resfriamento de substâncias sólidas pode
1) Concentração molar dos íons. ocorrer mudança de fase (mudança de estrutura
2) Mobilidade dos íons (associada à massa mole- cristalina), indicada pelo patamar no gráfico.
cular, carga elétrica e geometria molecular). Como o material apresenta uma única forma cris-
Então, temos o seguinte: talina, esse patamar não existe. Portanto, a alter-
I. HCl na etilamina: neutralização com a base fra- nativa B é errada.
ca.
&& (C 2 H5 )NH 3+ + Cl−
(C 2 H5 )NH 2 + HCl
cátion Questão 15
lento
II. HCl na dietilamina: neutralização com base fra-
ca, porém mais forte que a etilamina. A 25 oC, uma mistura de metano e propano
&& + HCl
(C 2 H5 ) 2 NH (C 2 H5 ) 2 NH 2+ + Cl− ocupa um volume (V), sob uma pressão total
cátion mais de 0,080 atm. Quando é realizada a combus-
lento tão completa desta mistura e apenas dióxido
química 7

de carbono é coletado, verifica-se que a pres- a)


são desse gás é de 0,12 atm, quando este
DE
ocupa o mesmo volume (V) e está sob a mes-
ma temperatura da mistura original. Admi-
tindo que os gases têm comportamento ideal,
assinale a opção que contém o valor 0
tempo
CORRETO da concentração, em fração em
mols, do gás metano na mistura original.
a) 0,01 b) 0,25 c) 0,50
d) 0,75 e) 1,00
b)
alternativa D DE
Escrevendo as equações químicas, temos:
CH4 + 2 O2 → CO2 + 2 H 2O
a atm a atm 0
tempo
C 3 H8 + 5 O2 → 3 CO2 + 4 H 2O
b atm 3 b atm
Podemos, então, escrever o seguinte sistema:
⎧a + b = 0,08 c)

⎩a + 3b = 0,12
Resolvendo o sistema temos a = 0,06 e b = 0,02. DE
Então, podemos calcular a fração molar do CH4
da seguinte forma:
pCH4
XCH4 = 0
pmistura tempo
0,06
XCH4 =
0,08
XCH4 = 0,75
d)

Questão 16 DE

Dois copos (A e B) contêm solução aquosa


1 mol L−1 em nitrato de prata e estão conec- 0
tempo
tados entre si por uma ponte salina. Mergu-
lha-se parcialmente um fio de prata na solu-
ção contida no copo A, conectando-o a um fio
de cobre mergulhado parcialmente na solução
contida no copo B. Após certo período de tem-
po, os dois fios são desconectados. A seguir, o e)
condutor metálico do copo A é conectado a
um dos terminais de um multímetro, e o con- DE
dutor metálico do copo B, ao outro terminal.
Admitindo que a corrente elétrica não circula
pelo elemento galvânico e que a temperatura 0
permanece constante, assinale a opção que tempo
contém o gráfico que melhor representa a for-
ma como a diferença de potencial entre os
dois eletrodos ( ∆E = EA − EB ) varia com o
tempo.
química 8

alternativa B a)
Na situação inicial, ocorre apenas a seguinte rea-
ção no copo B:
+ 0 2+
Cu (s) + 2 Ag (aq) → 2 Ag (s) + Cu (aq)
que causa o recobrimento do fio de cobre pela
prata metálica.
Após a conexão do multímetro, teremos, de fato,
uma pilha com eletrodos de prata e com diferen- b)
tes [Ag + ]. Então, irá ocorrer a transferência de
elétrons até as [Ag + ] igualarem-se e nestas con-
dições o ∆E irá diminuir.

Questão 17

Assinale a opção que contém o polímero que c)


melhor conduz corrente elétrica, quando do-
pado.
a) Polietileno
b) Polipropileno
c) Poliestireno
d) Poliacetileno
e) Poli (tetrafluor-etileno) d)

alternativa D
O polímero, devidamente dopado, que melhor
conduz corrente elétrica é o poliacetileno, devido
à deslocalização dos elétrons π (duplas ligações
conjugadas):

e)

Questão 18

Considere as seguintes equações que repre-


sentam reações químicas genéricas e suas
respectivas equações de velocidade:
I. A → produtos; vI = kI [A]
II. 2B → produtos; vII = kII [B]2
Considerando que, nos gráficos, [X] represen-
ta a concentração de A e de B para as reações alternativa A
I e II, respectivamente, assinale a opção que Como A e B são reagentes, suas concentrações
contém o gráfico que melhor representa a lei diminuem e os inversos de suas concentrações
de velocidade das reações I e II. aumentam em função do tempo.
química 9

Questão 19 Questão 20

A 25 o C, borbulha-se H2 S(g) em uma solução Dois frascos abertos, um contendo água pura
−1 líquida (frasco A) e o outro contendo o mes-
aquosa 0,020 mol L em MnCl 2 , contida em
mo volume de uma solução aquosa concen-
um erlenmeyer, até que seja observado o iní-
trada em sacarose (frasco B), são colocados
cio de precipitação de MnS(s). Neste momen-
em um recipiente que, a seguir, é devida-
to, a concentração de H + na solução é igual a
mente fechado. É CORRETO afirmar, então,
2,5 × 10−7 mol L −1 . que, decorrido um longo período de tempo,
Dados eventualmente necessários, referentes a) os volumes dos líquidos nos frascos A e B
à temperatura de 25 o C: não apresentam alterações visíveis.
I. MnS(s) + H2O( l) b) o volume do líquido no frasco A aumenta,
Mn2 + (aq) + HS − (aq) + OH − (aq); enquanto que o do frasco B diminui.
KI = 3 × 10−11 c) o volume do líquido no frasco A diminui,
enquanto que o do frasco B aumenta.
II. H2 S(aq) HS − (aq) + H + (aq); d) o volume do líquido no frasco A permanece
KII = 9,5 × 10−8 o mesmo, enquanto que o do frasco B dimi-
− +
III. H2O( l ) OH (aq) + H (aq); nui.
e) o volume do líquido no frasco A diminui, en-
KIII = 1,0 × 10−14
quanto que o do frasco B permanece o mesmo.
Assinale a opção que contém o valor da con-
centração, em mol L −1 , de H2 S na solução no alternativa C
instante em que é observada a formação de
Nas condições mencionadas (sistema fechado), a
sólido. água pura apresentará maior pressão de vapor
a) 1,0 × 10−10 b) 7 × 10−7 c) 4 × 10−2 que a solução com sacarose. Devido à pressão
4
d) 1,0 × 10−1 e) 1,5 × 10 osmótica maior exercida pela solução concentra-
da de sacarose (frasco B), é esperada a diminui-
ção do volume no frasco A e o aumento do volu-
alternativa D me no frasco B.

Sabe-se que [H + ] ⋅ [OH − ] = 1 ⋅ 10 −14 , mas [H + ] As questões dissertativas, numeradas de


no início de precipitação do MnS(s) vale 21 a 30, devem ser resolvidas e respondi-
2,5 ⋅ 10 −7 mol/L. Então temos: das no caderno de soluções.
2,5 ⋅ 10 −7 ⋅ [OH − ] = 1 ⋅ 10 −14 →
→ [OH − ] = 4 ⋅ 10 −8 mol/L
Considerando o equilíbrio representado em I, Questão 21
temos [Mn 2 + ] ⋅ [HS − ] ⋅ [OH − ] = 3 ⋅ 10 −11 , mas
[Mn 2 + ] = 2 ⋅ 10 −2 mol /L , então 2 ⋅ 10 −2 ⋅ [HS − ] ⋅ Qualitativamente (sem fazer contas), como
3 você explica o fato de a quantidade de calor
⋅ 4 ⋅ 10 −8 = 3 ⋅ 10 −11 → [HS − ] = ⋅ 10 −1 mol/ L.
8 trocado na vaporização de um mol de água no
Considerando o equilíbrio representado em II, estado líquido ser muito maior do que o calor
vem que: trocado na fusão da mesma quantidade de
[HS − ] ⋅ [H + ]
= 9,5 ⋅ 10 −8 água no estado sólido?
[H 2 S]
3 Resposta
⋅ 10 −1 ⋅ 2,5 ⋅ 10 −7
[HS − ] ⋅ [H + ] 8
[H 2 S] = = =
9,5 ⋅ 10 −8 9,5 ⋅ 10 −8 O calor de vaporização molar da água é maior do
7,5 que o calor de fusão molar da água, porque du-
= ≅ 0,1 mol/L rante a vaporização o número de ligações de hi-
8 ⋅ 9,5
drogênio "rompidas" é muito maior do que durante
[H 2 S] ≅ 1 ⋅ 10 −1 mol/L a fusão.
química 10

é negativo, ou seja, o potencial do eletrodo da di-


Questão 22 reita é menor que o potencial padrão.
c) O elemento galvânico descrito corresponde a
uma pilha de concentração, na qual o eletrodo es-
Considere o elemento galvânico representa-
querdo (E) apresenta [Cl− ] = 1 mol/ l e o da direita
do por:
(D) [Cl− ] = solução saturada. O eletrodo E é o cá-
Hg(l) | eletrólito ||Cl − (solução aquosa satu-
todo e o eletrodo D é o ânodo. Desse modo, pode-
rada em KCl) | Hg2Cl 2 (s) | Hg(l) mos escrever:
a) Preveja se o potencial do eletrodo repre- RT 1
∆E = ∆E o + ln
sentado no lado direito do elemento galvânico F Q
será maior, menor ou igual ao potencial desse Considerando-se que: ∆E o = 0 (eletrodos iguais
mesmo eletrodo nas condições-padrão. Justi- [Cl− ]E
em condições idênticas) e Q = , concluí-
fique sua resposta. [Cl− ]D
b) Se o eletrólito no eletrodo à esquerda do ele- mos que, para um certo valor de Q, o ∆E aumenta
mento galvânico for uma solução 0,002 mol L−1 com a temperatura (T):
em Hg2 + (aq), preveja se o potencial desse ele-
trodo será maior, menor ou igual ao potencial DE
desse mesmo eletrodo nas condições-padrão.
Justifique sua resposta.
c) Faça um esboço gráfico da forma como a
força eletromotriz do elemento galvânico (or-
denada) deve variar com a temperatura (abs-
cissa), no caso em que o eletrodo do lado es-
querdo do elemento galvânico seja igual ao
T
eletrodo do lado direito nas condições-padrão.

Resposta
Questão 23
a) No eletrodo de calomelano (lado direito do ele-
mento galvânico), a Equação de Nerst é expressa
Sob pressão de 1 atm, adiciona-se água pura
por:
em um cilindro provido de termômetro, de
E = E 0 − 0,059 ⋅ log [Cl− ]
manômetro e de pistão móvel que se desloca
Como na condição padrão [Cl− ] = 1 mol/l e na
sem atrito. No instante inicial (t0 ), à tempe-
saturação [Cl− ] > 1, temos que, nas condições do ratura de 25 oC, todo o espaço interno do ci-
eletrodo, log [Cl− ] > 0, ou seja, o potencial do
lindro é ocupado por água pura. A partir do
eletrodo será menor do que nas condições pa- instante (t1 ), mantendo a temperatura cons-
drão.
b) Considerando a semi-reação de redução do
tante (25 oC), o pistão é deslocado e o manô-
2+
mercúrio, Hg (aq) + 2 e − → Hg (0l) , e a Equação de metro indica uma nova pressão. A partir do
Nerst, temos: instante (t2 ), todo o conjunto é resfriado mui-
0,059 to lentamente a −10 oC, mantendo-se-o em re-
E = E0 − ⋅ log Q, onde Q é a constante de
n pouso por 3 horas. No instante (t 3 ), o cilindro
equilíbrio nas condições do experimento. é agitado, observando-se uma queda brusca
1 1 1 da pressão. Faça um esboço do diagrama de
Q = 2+
⇒Q = =
[Hg (aq) ] 0,002 2 ⋅ 10 −3 fases da água e assinale, neste esboço, a(s)
fase(s) (co)existente(s) no cilindro nos instan-
Logo:
tes t0 , t1 , t2 e t 3 .
0,059 10 3
E = E0 − ⋅ log
2 2
10 3 0,059 10 3
Resposta
Como log > 0, temos que − ⋅ log
2 2 2 O esboço do diagrama de fase é:
química 11

Com o aumento da temperatura, a solubilidade


em água de CO2 diminui. Se imaginarmos a
equação V como a representação global do pro-
cesso, pelo Princípio de Le Chatelier, diminuindo
a concentração de CO2 , haverá dissolução contí-
nua de bicarbonato de sódio sólido.
b) Resfriando-se o recipiente aberto, temos um
aumento da dissolução do CO2 atmosférico. Isto
desloca o equilíbrio V para a esquerda, no sentido
Observando-se o diagrama, concluímos que as da formação do sólido (NaHCO3 ). Concluímos
fases coexistentes são: que, imediatamente após o resfriamento, a massa
• instantes t0 e t1 : H 2O( l) ; de NaHCO3(s) é menor que a inicial, mas que com
o decorrer da lenta dissolução do CO2 , a quanti-
• instante t 2 : H 2O( l) e H 2O(v) ; dade de sólido aumenta e com o tempo tende a
• instante t 3 : H 2O(s) e H 2O( v ) . igualar-se à massa inicial.
Entre os instantes t 2 e t 3 , existe a −10o C uma si-
tuação metaestável de H 2O( l) coexistindo com
H 2O(v) . O líquido se transforma em sólido (situa-
ção estável) devido à energia fornecida pela agi-
Questão 25
tação.
Considere que dois materiais poliméricos A e
B são suportados em substratos iguais e fle-
Questão 24 xíveis. Em condições ambientes, pode-se ob-
servar que o material polimérico A é rígido,
enquanto o material B é bastante flexível. A
A 25 oC e 1 atm, um recipiente aberto contém
seguir, ambos os materiais são aquecidos à
uma solução aquosa saturada em bicarbonato
de sódio em equilíbrio com seu respectivo só- temperatura (T), menor do que as respecti-
lido. Este recipiente foi aquecido à tempera- vas temperaturas de decomposição. Obser-
tura de ebulição da solução por 1 hora. Consi- vou-se que o material A apresentou-se flexí-
dere que o volume de água perdido por eva- vel e o material B tornou-se rígido, na tem-
poração foi desprezível. peratura (T). A seguir, os dois materiais po-
a) Explique, utilizando equações químicas, o liméricos foram resfriados à temperatura
que ocorre durante o aquecimento, conside- ambiente.
rando que ainda se observa bicarbonato de a) Preveja o que será observado caso o mesmo
sódio sólido durante todo esse processo. tratamento térmico for novamente realizado
b) Após o processo de aquecimento, o conteúdo nos materiais poliméricos A e B. Justifique
do béquer foi resfriado até 25 oC. Discuta qual sua resposta.
foi a quantidade de sólido observada logo após b) Baseando-se na resposta ao item a), preve-
o resfriamento, em relação à quantidade do
ja a solubilidade dos materiais em solventes
mesmo (maior, menor ou igual) antes do aque-
orgânicos.
cimento. Justifique a sua resposta.

Resposta Resposta
a) As equações que representam os equilíbrios a) • material A:
envolvidos são:
+ − O seu comportamento frente ao aquecimento, à
NaHCO3(s) Na(aq) + HCO3(aq) (I)
temperatura T, indica que a sua constituição é a
− −
HCO3(aq) + H 2O( l) OH(aq) + H 2CO3(aq) (II) seguinte: macromoléculas interligadas por intera-
ções mais fracas (Van der Waals ou ligações de
H 2CO3(aq) H 2O( l) + CO2(aq) (III)
hidrogênio) que as ligações covalentes.
CO2(aq) CO2(g) (IV) Esse material, ao ser novamente aquecido, tor-
+ − na-se flexível pelas "rupturas" parciais das forças
NaHCO3(s) Na(aq) + OH(aq) + CO2(g) (V)
intermoleculares.
química 12

• material B: ⋅
1 mol Na2CO3 105,99 g Na2CO3

O seu comportamento, ao ser aquecido à tempe- 1 mol Na2O 1 mol Na2CO3
144244 3 14442444 3
ratura T, indica o estabelecimento de ligações co-
eq . química m. molar
valentes "cruzadas", isto é, interligando fortemen-
te as cadeias poliméricas. mNa2CO 3 = 256,51 g Na2CO3
Sob um novo aquecimento à temperatura T, conti- As massas são:
nuará rígido, pois tornou-se termofixo. mSiO 2 = 750 g
b) material A: não teve a sua solubilidade alterada mCaCO 3 = 178,48 g
pelo aquecimento. mNa2CO 3 = 256,51 g
material B: torna-se insolúvel após o aquecimen-
to.

Questão 27
Questão 26 Explique em que consiste o fenômeno deno-
minado chuva ácida. Da sua explicação de-
Vidro de janela pode ser produzido por vem constar as equações químicas que re-
uma mistura de óxido de silício, óxido de presentam as reações envolvidas.
sódio e óxido de cálcio, nas seguintes
proporções (% m/m): 75, 15 e 10, respectiva- Resposta
mente. Os óxidos de cálcio e de sódio são pro-
venientes da decomposição térmica de seus O fenômeno denominado chuva ácida consiste na
redução de pH (aumento da acidez) da água devi-
respectivos carbonatos. Para produzir 1,00 kg
do à presença de ácidos poluentes. É necessário
de vidro, quais são as massas de óxido de silí- entender que a água da chuva é naturalmente
cio, carbonato de sódio e carbonato de cálcio ácida devido à presença de CO2 :
que devem ser utilizadas? Mostre os cálculos CO2(g) + H 2O( l) H 2CO3(aq)
e as equações químicas balanceadas de de- Consideramos poluição atmosférica se o seu pH
composição dos carbonatos. for menor que 5,6, o que indicaria a presença de
outros ácidos além do H 2CO3 . O carvão e deriva-
dos do petróleo (combustíveis fósseis) contêm
Resposta quantidades variáveis de compostos sulfurados e
do próprio enxofre. Quando queimados junto com
Composição percentual em massa do vidro de ja- os combustíveis, formam o dióxido de enxofre
nela: (SO2 ):
75% SiO2 , 15% Na2O e 10% CaO S(s) + O2(ar) → SO2(g)
Para 1,00 kg de vidro: presente
no carvão
750 g SiO2 , 150 g Na2O e 100 g CaO
C4 H4 S( l) + 6 O2(ar) →
CaCO3(s) → CaO(s) + CO2(g)
∆ presente → 4 CO2(g) + 2 H 2O(g) + SO2(g)
em
1 mol CaO
mCaCO 3 = 100 g CaO ⋅ ⋅ combustíveis
56,08 g CaO
1442443 Sob a luz do sol ocorre a reação:
m. molar 2 SO2(g) + O2(ar) luz
2 SO3(g)
1 mol CaCO3 100,09 g CaCO3
⋅ ⋅ O trióxido de enxofre reage com a água da chuva:
1144
mol2CaO
443 1144
mol CaCO3
42444 3 SO3(g) + H 2O( l) → H 2 SO4(aq)
eq . química m. molar O ácido sulfúrico dissolvido torna a água ácida.
mCaCO 3 = 178,48 g CaCO3 Os principais responsáveis pela acidez poluidora
da água da chuva são realmente os ácidos sulfu-
Na2CO3(s) → Na2O(s) + CO2(g) rados (H 2 SO4 e H 2 SO3 ), mas não são os únicos.

A atividade humana (motores de veículos), fornos,
1 mol Na2O fornalhas, caldeiras, etc.) promove reações entre
mNa2CO 3 = 150 g Na2O ⋅ ⋅
61,98 g Na2O dois componentes do ar, os gases N 2 e O2 :
1442443 calor
m. molar N 2(ar) + 2 O2(ar) 2 NO2(g)
química 13

Além do NO2(g) , outros óxidos de nitrogênio tam- c) Podemos utilizar dois métodos, concomitante-
bém são formados em pequenas quantidades. No mente. Pelo método do isolamento, as concentra-
caso, o NO2 reage com a água da chuva, forman- ções de todos os reagentes, exceto a de um de-
do ácidos: les, são suficientemente grandes para serem con-
2 NO2(g) + H 2O( l) → HNO2(aq) + HNO3(aq) sideradas constantes durante a reação.
ácido ácido Sendo assim, chamando de A o reagente em pe-
nitroso nítrico quena quantidade, temos:
v = k’[A] a
ou
log v = log k’ + a log [A]
Questão 28 Utilizamos, então, o método das velocidades ini-
ciais, que consiste na medida da velocidade no
Considere uma reação química endotérmica início da reação (no menor tempo possível), para
diferentes concentrações do reagente. Com esses
entre reagentes, todos no estado gasoso.
dados, constrói-se um gráfico do logaritmo das
a) Esboce graficamente como deve ser a varia- velocidades contra os logaritmos das concentra-
ção da constante de velocidade em função da ções. Será obtida uma reta, cujo coeficiente angu-
temperatura. lar será o fator a, ou seja, a ordem de reação.
b) Conhecendo-se a função matemática que
descreve a variação da constante de velocida-
de com a temperatura é possível determinar
Questão 29
a energia de ativação da reação. Explique
como e justifique.
c) Descreva um método que pode ser utilizado Considere a curva de titulação a seguir, de
para determinar a ordem da reação. um ácido fraco com uma base forte.

pH 14
Resposta
12
a) A variação da constante de velocidade em fun-
ção da temperatura é tipicamente representada 10
no gráfico de Arrhenius (ln k × 1/T): 8
6
4
2
0 10 20 30 40 50 60 70 80
nk Vbase (mL)

a) Qual o valor do pH no ponto de equivalên-


cia?
1
_ b) Em qual(ais) intervalo(s) de volume de
T base adicionado o sistema se comporta como
tampão?
b) A função matemática que define o gráfico do c) Em qual valor de volume de base adiciona-
item a é a Equação de Arrhenius
do pH = pKa ?
E
ln k = ln A − a
RT
que descreve uma reta cujo coeficiente angular é Resposta
dado por −E a /R, de onde se pode determinar o
valor da energia de ativação (E a ). Para essa de- a) No ponto de equivalência há a completa neu-
terminação, inicialmente precisa-se obter, experi- tralização, ou seja, [ H + ] = [OH − ]. Portanto, anali-
mentalmente, valores de k para diferentes tempe- sando a curva apresentada, tal fenômeno ocorre
raturas. Feito isso, constrói-se o gráfico ln k × 1/T, em pH ≅ 9.
do qual se pode obter o coeficiente angular e, en- b) Um sistema tamponado é aquele que resiste a
tão, pode-se determinar o valor da energia de ati- variações de pH à medida que íons OH − ou íons
vação. H + são adicionados. Nesse caso, em que há adi-
química 14

ção de uma solução de base forte a uma solução


de ácido fraco, o sistema tamponado ocorre antes
do ponto de equivalência no intervalo onde a cur-
va é menos inclinada.
c) Considerando a ionização de um ácido fraco
HA e a equação de Henderson-Hasselbach, te-
mos:
[A − ] [A − ]
pH = pKa + log . Então, log = 0.
[HA] [HA]
Portanto, para pH = pKa, [A − ] = [HA] e isso ocorre
no ponto de semi-equivalência, ou seja, para
Vbase = 25 mL.
a) Escreva a equação química que descreve a
reação que ocorre com o peróxido de hidrogê-
Questão 30 nio, na ausência de dióxido de manganês.
b) Explique por que o fluxo de gás no frasco C
Considere que na figura a seguir, o frasco A aumenta quando da adição de dióxido de
contém peróxido de hidrogênio, os frascos B e manganês ao peróxido de hidrogênio.
C contêm água e que se observa borbulha-
mento de gás no frasco C. O frasco A é aberto Resposta
para a adição de 1 g de dióxido de manganês
a) A reação química que ocorre é a decomposi-
e imediatamente fechado. Observa-se então, ção de peróxido de hidrogênio:
um aumento do fluxo de gás no frasco C. 2 H 2O2( l) → 2 H 2O( l) + O2(g)
Após um período de tempo, cessa o borbulha- b) O fluxo de gás O2 aumenta no frasco C com a
mento de gás no frasco C, observando-se que adição de MnO2 , porque esta substância catalisa
ainda resta sólido no frasco A. Separando-se a decomposição do peróxido ao reduzir a energia
este sólido e secando-o, verifica-se que sua de ativação dessa reação. Ainda, verifica-se pela
descrição do experimento que o catalisador é re-
massa é igual a 1 g. cuperado após a sua finalização (1 g de sólido).