Você está na página 1de 44

CONCURSO DE CRIMES

CONCURSO DE CRIMES

 Conceito: ocorre concurso de crimes quando o agente com


uma ou mais condutas realiza mais de um crime;

a) Concurso Material (art. 69, CP);


 Espécies: b) Concurso Formal (art. 70, CP);
c) Continuidade Delitiva (art. 71, CP).
Todas as infrações penais admitem concurso de
crimes?
SIM, todas as infrações admitem concurso de crimes
(consumado ou tentado, comissivo ou omissivo, doloso ou
culposo);

 É possível o concurso entre um crime doloso e


um culposo?
SIM, ex.: aberratio ictus (erro na execução) que ocorre quando o
agente mata quem queria e acaba ferindo outro sem vontade;
CONCURSO MATERIAL
 Também chamado de CONCURSO REAL DE CRIMES;
 Previsão Legal: art. 69, CP:
“Quando o agente, mediante mais de uma ação ou omissão, pratica
dois ou mais crimes, idênticos ou não, aplicam-se cumulativamente as
penas privativas de liberdade em que haja incorrido (...)”.

a)Pluralidade de Condutas;
 Requisitos:
b)Pluralidade de Crimes.
CONCURSO MATERIAL
“Quando o agente, mediante mais de uma ação ou omissão, pratica dois ou mais
crimes, idênticos ou não, aplicam-se cumulativamente as penas privativas de
liberdade em que haja incorrido (...)”.
a) Homogêneo: crimes da mesma espécie (ex.:
 Espécies: roubo + roubo qualificado;
b) Heterogêneo: crimes de espécie diversa (ex.:
roubo + estupro)

Obs.: entende-se como crimes de mesma espécie aqueles previstos no


mesmo tipo penal (Ex. 157 e 157, §2º)
CONCURSO MATERIAL
“Quando o agente, mediante mais de uma ação ou omissão, pratica dois ou mais
crimes, idênticos ou não, aplicam-se cumulativamente as penas privativas
de liberdade em que haja incorrido (...)”.
 REGRA DE FIXAÇÃO DA PENA:
As penas são aplicadas individualmente para cada crime e,
em seguida, são somadas.
= SISTEMA DA CUMULAÇÃO
CONCURSO MATERIAL
Ex.: CRIMES Art. 155 Art. 213
PENA EM 1 a 4 anos (reclusão) 6 a 10 anos
ABSTRATO (reclusão)
1ª FASE 1 ano 6 anos

2ª FASE 1 anos 8 anos

3ª FASE 2 anos 9 anos

PENA DEFINITIVA 2 anos 9 anos

PENA UNIFICADA 11 anos de reclusão


CONCURSO MATERIAL
“Art. 69. (...) No caso de aplicação cumulativa de penas de reclusão
e de detenção, executa-se primeiro aquela.”
Ex.: CRIMES Art. 157 Art. 90 Lei 8.666/93
PENA EM ABSTRATO 4 a 10 anos (reclusão) 2 a 4 anos (detenção)
1ª FASE 4 ano 2 anos
2ª FASE 5 anos 2 anos
3ª FASE 6 anos 2 anos
PENA DEFINITIVA 6 anos 2 anos
PENA UNIFICADA 6 anos de reclusão e 2 anos de detenção
CONCURSO MATERIAL

STJ:

“A pena de reclusão, por ser mais grave, será cumprida em


primeiro lugar e, posteriormente, a de detenção, não havendo
falar em unificação de penas, diante da impossibilidade de
execução simultânea de duas modalidades distintas de penas
privativas de liberdade.” (AgRg no AREsp 630.099/MT, Rel. Ministro
NEFI CORDEIRO, SEXTA TURMA, julgado em 12/06/2018)
CONCURSO MATERIAL
“Art. 69, §1º (...) Na hipótese deste artigo, quando ao agente
tiver sido aplicada pena privativa de liberdade, não
suspensa, por um dos crimes, para os demais será incabível
a substituição de que trata o art. 44 deste Código.”
Ex.: CRIMES Art. 157 Art. 155

PENA EM ABSTRATO 4 a 10 anos (reclusão) 1 a 4 anos (reclusão)

PENA DEFINITIVA 6 anos 2 anos

PENA UNIFICADA 8 anos de reclusão

NÃO cabe PRD, pois a


pena do 1º crime não
pode ser suspensa
CONCURSO MATERIAL
“Art. 69, §2º (...) Quando forem aplicadas penas restritivas de
direitos, o condenado cumprirá simultaneamente as que
forem compatíveis entre si e sucessivamente as demais.”
Ex.: CRIMES Art. 155 Art. 155
PENA EM ABSTRATO 1 a 4 anos (reclusão) 1 a 4 anos (reclusão)
PENA DEFINITIVA 1 ano 1 ano
PENA UNIFICADA 2 anos de reclusão
CABE PRD que serão
cumpridas simultânea ou
sucessivamente
CONCURSO MATERIAL
IMPORTANTE!!

“Art. 119. No caso de concurso de crimes, a extinção da


punibilidade incidirá sobre a pena de cada um,
isoladamente.”

• Ou seja, apesar do somatório, a prescrição é analisada


isoladamente.
CONCURSO FORMAL
 Também chamado de CONCURSO IDEAL DE CRIMES;
 Previsão Legal: art. 70, CP:
“Quando o agente, mediante uma só ação ou omissão, pratica dois ou
mais crimes(...)”.

 Requisitos: a) Conduta ÚNICA;


b) Pluralidade de Crimes.
CONCURSO FORMAL
IMPORTANTE!!
• Conduta única não importa, necessariamente, em ato
único.
Ex.: assalto a ônibus:

“Nos termos da orientação desta Casa, praticados crimes de


roubo, no mesmo contexto fático, com a subtração de bens
pertencentes a pessoas diferentes, incide a regra prevista no
art. 70, primeira parte, do Código Penal.” (STJ, AgRg no HC
446.360/AC, DJe 02/08/2018)
CONCURSO FORMAL
IMPORTANTE!!
• Crime contra o patrimônio: haverá crime único se os
bens estiverem sob o poder de uma só pessoa.
“1. Não há se falar em concurso formal, se o agente subtraiu os bens que estavam na
posse do cobrador de ônibus - R$ 30,00 (trinta reais) e um aparelho celular -, além da
quantia de R$ 34,50 (trinta e quatro reais cinquenta centavos) pertencente à empresa
de transporte coletivo. 2. As circunstâncias fáticas e a dinâmica do evento
autorizam o reconhecimento de crime único, diante da evidência de que embora
subtraídos patrimônios distintos, os mesmos estavam sob os cuidados de uma
única pessoa, a qual sofreu a grave ameaça. Irrelevante perquirir se o cobrador era
ou não o proprietário de todas as coisas subtraídas.(STJ, AgRg no REsp 1396144/DF)
CONCURSO FORMAL
“Art. 70. Quando o agente, mediante uma só ação ou omissão,
pratica dois ou mais crimes, idênticos ou não, aplica-se-lhe a mais
grave das penas cabíveis ou, se iguais, somente uma delas, mas
aumentada, em qualquer caso, de um sexto até metade. As
penas aplicam-se, entretanto, cumulativamente, se a ação ou
omissão é dolosa e os crimes concorrentes resultam de
desígnios autônomos”.
CONCURSO FORMAL
a) Homogêneo: crimes da mesma espécie
(mesmo tipo penal);
b) Heterogêneo: crimes de espécie diversa
(não estão no mesmo tipo penal);
 Espécies: c) Perfeito Normal ou Próprio: quando não
há desígnios (vontade) autônomos em
relação a cada um dos crimes;
d) Imperfeito, Anormal o Impróprio: quando
há desígnios (vontade) autônomos.
CONCURSO FORMAL
Ex1: Atropelamento com Pluralidade de Mortes
CONDUTA PLURALIDADE DE
ÚNICA RESULTADOS

= Concurso Formal Homogêneo Próprio


Ex2: JOÃO atira contra ANTÔNIO, mas aceita matar, também,
JOSÉ
CONDUTA DESÍGNIOS AUTÔNOMOS +
ÚNICA PLURALIDADE DE RESULTADOS
= Concurso Formal Homogêneo Impróprio
CONCURSO FORMAL
Ex2: JOÃO atira e mata ANTÔNIO e causa lesão corporal em
JOSÉ
CONDUTA CRIMES DE ESPÉCIE
ÚNICA DIVERSA

= Concurso Formal Heterogêneo Próprio


CONCURSO FORMAL
 REGRAS DE FIXAÇÃO DE PENA
a) Concurso Formal (Homogêneo ou
Heterogêneo) Próprio:
“Art. 70. (...) aplica-se-lhe a mais grave das penas cabíveis ou, se iguais,
somente uma delas, mas aumentada, em qualquer caso, de um
sexto (1/6) até metade (1/2).
= SISTEMA DA EXASPERAÇÃO
CONCURSO FORMAL
Ex1: Atropelamento com Pluralidade de Mortes
CRIMES Art. 303, CTB Art. 303, CTB

PENA EM ABSTRATO 2 a 4 anos (reclusão) 2 a 4 anos (reclusão)


1ª FASE 2 anos 2 anos
2ª FASE 2 anos 2 anos
3ª FASE 2 anos 2 anos
PENA DEFINITIVA 2 anos 2 anos
PENA UNIFICADA 2anos + 1/6(2) = 1 ano e 4 meses
CONCURSO FORMAL
Critério = número de crimes
“Conforme entendimento firmado por esta Corte, o aumento decorrente do concurso
formal deve ser feito de acordo com o número de crimes cometidos, sendo que a
prática de três infrações autoriza a exasperação da pena no percentual de 1/5
(um quinto)”.(STJ, HC 186.856/RJ)

• 2 CRIMES 1/6;
• 3 CRIMES 1/5;
• 4 CRIMES 1/4;
• 5 CRIMES 1/3;
• 6 ou mais CRIMES 1/2;
CONCURSO FORMAL
CUIDADO!!

Art. 70, § único - Não poderá a pena exceder a que seria


cabível pela regra do art. 69 deste Código.

CÚMULO MATERIAL BENÉFICO


CONCURSO FORMAL
ATENÇÃO!
“Art. 70. (...) § único - não poderá a pena exceder a que seria cabível
pela regra do art. 69 deste Código”.
CRIMES Art. 121, CP Art. 129, §6º, CP

PENA EM ABSTRATO 6 a 20 anos 2 meses a 1 ano


PENA DEFINITIVA 6 anos 2 meses
PENA UNIFICADA 6anos + 1/6(6) = 7 anos
PENA UNIFICADA 6anos + 2 meses = 6 anos e 2 meses

= SISTEMA DA CUMULAÇÃO
CONCURSO FORMAL
 REGRAS DE FIXAÇÃO DE PENA
b) Concurso Formal (Homogêneo ou
Heterogêneo) Impróprio:
“Art. 70. (...) As penas aplicam-se, entretanto, cumulativamente, se a
ação ou omissão é dolosa e os crimes concorrentes resultam de desígnios
autônomos.
= SISTEMA DA CUMULAÇÃO
CONCURSO FORMAL
Ex1: JOÃO atira contra ANTÔNIO, mas aceita matar,
também, JOSÉ.
CRIMES Art. 121, CP Art. 121, CP

PENA EM ABSTRATO 6 a 20 anos 6 a 20 anos


PENA DEFINITIVA 6 anos 6 anos
PENA UNIFICADA 6 ANOS + 6 ANOS = 12 ANOS

= SISTEMA DA CUMULAÇÃO
CRIME CONTINUADO
 Também chamado de CONTINUIDADE DELITIVA;
 Previsão Legal: art. 71, CP:
“Quando o agente, mediante mais de uma ação ou omissão, pratica
dois ou mais crimes da mesma espécie e, pelas condições de tempo, lugar,
maneira de execução e outras semelhantes, devem os subsequentes ser
havidos como continuação do primeiro (...)”.
CRIME CONTINUADO
“Art. 71.Quando o agente, mediante mais de uma ação ou omissão, pratica
dois ou mais crimes da mesma espécie e, pelas condições de tempo, lugar,
maneira de execução e outras semelhantes, devem os subsequentes ser havidos
como continuação do primeiro (...)”.
a) Teoria da Unidade Real: todos os crimes em continuidade
formam um só;
b) Teoria Mista: os crimes em continuidade formam um terceiro
crime;
c) Teoria da Ficção Jurídica: somente para efeito de aplicação da
pena, todos os crimes formam um só; Adotada no Brasil
Obs.: Art. 119, CP.
CRIME CONTINUADO
Art. 71. Quando o agente, mediante mais de uma ação ou omissão, pratica dois ou
mais crimes da mesma espécie e, pelas condições de tempo, lugar, maneira de execução
e outras semelhantes, devem os subsequentes ser havidos como continuação do primeiro
(...)”.
CRIME CONTINUADO GENÉRICO

§ único - Nos crimes dolosos, contra vítimas diferentes, cometidos com


violência ou grave ameaça à pessoa, poderá o juiz, considerando a culpabilidade, os
antecedentes, a conduta social e a personalidade do agente, bem como os motivos e as
circunstâncias, aumentar a pena de um só dos crimes, se idênticas, ou a mais grave, se
diversas, até o triplo, observadas as regras do parágrafo único do art. 70 e do art. 75
deste Código. CRIME CONTINUADO ESPECÍFICO
CRIME CONTINUADO
 CRIME CONTINUADO GENÉRICO:

a) Pluralidade de Condutas;
 Requisitos:
b) Pluralidade de Crimes da Mesma Espécie

MESMO MESMO
BEM TIPO
JURÍDICO PENAL
CRIME CONTINUADO
c) Elo de Continuidade:
c.1) Mesmas Condições de Tempo:
Jurisprudência = 30 dias*;

 Requisitos: c.2) Mesmas Condições de Lugar:


Jurisprudência = Mesma Comarca
ou Comarcas vizinhas*;

c.3) Mesma Maneira de Execução:


= Mesmo modus operandi
CRIME CONTINUADO
 Obs1: para aferição da homogeneidade dos critérios de tempo
e de lugar deve-se aplicar o princípio da razoabilidade, levando
em conta o caso concreto.
“Em relação ao critério temporal, a jurisprudência deste Tribunal Superior
utiliza como parâmetro o interregno de 30 dias. Importante
salientar que esse intervalo de tempo serve tão somente como
parâmetro, devendo ser tomado por base pelo magistrado
sentenciante diante das peculiaridades do caso concreto. (REsp
1767902/RJ, Rel. Ministro SEBASTIÃO REIS JÚNIOR, SEXTA TURMA,
julgado em 13/12/2018, DJe 04/02/2019)
CRIME CONTINUADO

“No caso, resta clara a configuração da continuidade delitiva entre os


crimes, por restar demonstrado o liame subjetivo entre as condutas,
assim como preenchimento dos elementos de ordem objetiva
necessários para a concessão do benefício. Perpetrados crimes da mesma
espécie em comarca limítrofes, com o mesmo modus operandi, o
simples fato de ter decorrido prazo um pouco superior a 30 dias
entre a terceira conduta e a última conduta não afasta a
viabilidade da concessão do referido benefício. (STJ, HC
490.707/SC, Rel. Ministro RIBEIRO DANTAS, QUINTA TURMA, julgado
em 21/02/2019, DJe 01/03/2019)
CRIME CONTINUADO
 E a UNIDADE DE DESÍGNIOS?
 Ocorre quando um crime é a continuidade do outro, fazendo parte
de um mesmo plano.
 1ªCorrente (STJ): além dos requisitos anteriores é imprescindível
que os vários crimes resultem de um plano previamente elaborado
pelo agente, do contrário estaríamos premiando a
habitualidade criminosa (TEORIA OBJETIVO-
SUBJETIVA);
 2º Corrente (LFG): não faz parte dos requisitos elencados pela
lei (TEORIA OBJETIVA PURA)
CRIME CONTINUADO

 REGRAS DE FIXAÇÃO DE PENA


“Art. 71. (...) aplica-se-lhe a pena de um só dos crimes, se idênticas, ou a
mais grave, se diversas, aumentada, em qualquer caso, de um sexto a dois
terços.
= SISTEMA DA EXASPERAÇÃO
CRIME CONTINUADO
• Percentual de Aumento:

STJ
Esta Corte Superior firmou a compreensão de que a fração de aumento
no crime continuado é determinada em função da quantidade de delitos
cometidos, aplicando-se a fração de aumento de 1/6 pela prática de 2
infrações; 1/5, para 3 infrações; 1/4, para 4 infrações; 1/3, para 5
infrações; 1/2, para 6 infrações; e 2/3, para 7 ou mais infrações (HC n.
342.475/RN, Relatora Ministra MARIA THEREZA DE ASSIS MOURA, SEXTA
TURMA, DJe de 23/2/2016).
CRIME CONTINUADO
 É POSSÍVEL O CRIME CONTINUADO QUANDO SÃO ATINGIDOS
BENS JURÍDICOS PESSOAIS COMO A VIDA E A INTEGRIDADE
FÍSICA??
 A Súmula 605/STF diz que: “NÃO se admite continuidade delitiva nos crimes contra a vida”.

STJ:
HABEAS CORPUS. DIREITO PENAL. CRIMES DE HOMICÍDIO QUALIFICADO E TENTADO.
PLEITO DE RECONHECIMENTO DA CONTINUIDADE DELITIVA. IMPOSSIBILIDADE.
PRECEDENTES. MATÉRIA SUMULADA.(...) 2. A jurisprudência é consolidada no sentido
de que não se aplica o instituto da continuidade delitiva nos crimes contra a vida,
havendo, inclusive súmula do pretório excelso sobre o tema. Súmula 605, STF. (STJ,
HC 125.627/RS, QUINTA TURMA, julgado em 16/11/2010, DJe 29/11/2010)
CRIME CONTINUADO
 Mas a Súmula 605/STF foi editada antes da Reforma de 1984 a partir de
quando o art. 71, CP expressamente passou a admitir crime
continuado nesses casos:

STF:
Superação da Súmula 605 após a reforma penal de 1984 o Código Penal determina,
expressamente, no parágrafo único de seu artigo 71, seja aplicada a continuidade delitiva
também nos crimes dolosos contra a vida. Essa norma, resultado da reforma penal de
1984, é posterior à edição da Súmula 605/STF, que vedava o reconhecimento da
continuidade delitiva nos crimes contra a vida.[HC 93.367, rel. min. Eros Grau, 2ª T, j.
11-3-2008, DJE 70 de 18-4-2008.]
CRIME CONTINUADO
CRIME CONTINUADO ESPECÍFICO:

§ único - Nos crimes dolosos, contra vítimas diferentes,


cometidos com violência ou grave ameaça à pessoa, poderá o
juiz, considerando a culpabilidade, os antecedentes, a conduta social e a
personalidade do agente, bem como os motivos e as circunstâncias,
aumentar a pena de um só dos crimes, se idênticas, ou a mais grave, se
diversas, até o triplo, observadas as regras do parágrafo único do art. 70
e do art. 75 deste Código.
CRIME CONTINUADO
 CRIME CONTINUADO ESPECÍFICO:

a) Os mesmos do caput;

b) Crimes Dolosos;
 Requisitos:
c) Com vítimas diferentes;

d) Com Violência ou Grave Ameaça à


Pessoa.
CRIME CONTINUADO
 REGRAS DE FIXAÇÃO DE PENA
“Art. 71, § único - poderá o juiz, considerando a culpabilidade, os
antecedentes, a conduta social e a personalidade do agente, bem como os
motivos e as circunstâncias, aumentar a pena de um só dos crimes, se idênticas, ou
a mais grave, se diversas, até o triplo, observadas as regras do parágrafo único do
art. 70 e do art. 75 deste Código. SISTEMA DA EXASPERAÇÃO
“MAJORADO”

Cuidado!! Deve observar o Cúmulo Material Benéfico.


CRIME CONTINUADO X CONCURSO FORMAL

 É Possível Continuidade Delitiva e Concurso Formal??


 SIM, ex.:
 01/01/19 – Roubo a ônibus com 15 pessoas; (art. 157 c/c 70, CP)
CONTINUIDADE
 15/01/19 – Roubo a ônibus com 20 pessoas; (art. 157 c/c 70, CP) DELITIVA – art.
71, CP
 01/02/19 – Roubo a ônibus com 25 pessoas; (art. 157 c/c 70, CP)

Obs.: o cúmulo material sempre poderá coexistir com as demais formas


de concurso de crimes.
PENA DE MULTA

 Multas no concurso de crimes


Art. 72 - No concurso de crimes, as penas de multa são aplicadas
distinta e integralmente.
= SISTEMA DA CUMULAÇÃO
PENA DE MULTA
 A cumulação da multa aplica-se ao crime continuado?
1ª Corrente: o art. 72 deve ser aplicado em qualquer hipótese,
seja de concurso material, de concurso formal ou de continuidade
delitiva, pois o texto legal não distinguiu as hipóteses de aplicação;

2ª Corrente (STJ): o crime continuado é tratado, ainda que


ficticiamente, como um crime único, diferenciando-se dos
concursos material e formal e impedindo, consequentemente, a
soma das penas de multa.