Você está na página 1de 2

A Teoria da Evolução e a espécie humana

Em seu livro “A Origem das Espécies”, de 1859, no qual formulou a teoria da evolução Charles
Darwin evitou abordar as consequências de sua teoria sobre a espécie humana, prevendo o escândalo que
provocaria entre os cristãos ao igualar demais espécies do planeta. Há apenas a menção de que aqueles
postulados sobre a evolução das espécies “lançariam luzes sobre a origem e a história do homem".
Tais luzes, no entanto, só seriam inteiramente compreendidas no século seguinte, pois, se Darwin
havia decifrado o mecanismo da seleção natural, não conseguira identificar seu agente, os genes - que são
as unidades fundamentais de transmissão dos caracteres hereditários. Apenas por volta de 1920, biólogos
juntaram as idéias de Darwin com os estudos sobre ervilhas feitos pelo monge belga Gregor Mendel
(1822-1884) que desvendaram as leis da hereditariedade. A Síntese Moderna da Teoria da Evolução das
Espécies, também conhecida como de neodarwinismo, defende a idéia de que:
• a evolução sempre ocorreu e continua a ocorrer;
• todas as características de um organismo estão gravadas em genes, que são transmitidos dos pais aos
filhos;
• a evolução se dá por mudanças que os genes sofrem ao acaso, combinadas à seleção natural;
• nem todos os genes se manifestam num organismo. Mas mesmo os que permanecem silenciosos são
transmitidos no decorrer das gerações e podem se expressar mais tarde.
O grande avanço da biologia que pavimentou de vez o sucesso da teoria da evolução de Darwin foi
a descoberta, em 1953, do DNA, a molécula em espiral, existente no interior dos cromossomos, que
carrega os códigos genéticos. Os genes nada mais são do que trechos dos braços da espiral. O alcance
dessa descoberta se materializaria há uma década, quando o Projeto Genoma seqüenciou o código
genético humano.
A evolução humana
O antropólogo Walter Neves, da Universidade de São Paulo, diz que a árvore evolutiva da
humanidade tem tantos ramos que parece uma moita cheia de pequenos galhos. De descoberta em
descoberta, confirma-se que a evolução humana não seguiu uma progressão linear, com uma espécie
seguindo outra, até o homem moderno, como se pensava. Hoje, a descoberta de novos fósseis e revisões
de análises anteriores mostram que a questão da nossa origem é muito mais complexa.
Fósseis achados na África indicam que muitas espécies de hominídeos se tornaram bípedes e,
assim, ganharam vantagem evolutiva à medida que o clima das savanas ficava mais seco e as florestas
diminuíam, o que ocorreu há 6 milhões de anos. Essa é a datação da espécie mais antiga de hominídeo, o
Sahelanthropus tchadensis.
Depois desse primeiro hominídeo, surgiram vários exemplares do gênero Australopithecus, 4
milhões de anos atrás. Os fósseis dessas espécies eram diferentes dos grandes macacos atuais, bem como
dos hominídeos anteriores. Os cientistas acreditam que a linhagem sobrevivente que deu origem aos
humanos provavelmente passe pelo Australopithecus afarensis, mas não há certeza absoluta.
Homo sapiens
Nossa espécie, o Homo sapiens, surgiu cerca de 200 mil atrás. Há duas hipóteses para seu
aparecimento. A primeira, da origem única, propõe que os humanos modernos se diferenciaram da
população de um arcaico ancestral africano. Esse grupo teria saído da África e substituído todas as
populações humanas do mundo, incluindo seus parentes europeus, como os homens de Neandertal, e os
descendentes do Homo erectus que haviam migrado anteriormente para a Ásia.
A segunda hipótese, chamada de multirregionalista, propõe que populações regionais descendentes
do Homo erectus se dispersaram pêlos continentes e se transformaram em sapiens em diversos pontos do
globo. As características modernas teriam, então, aparecido em alguns grupos e se espalhado aos demais
por miscigenação. Essa hipótese admite o intercruzamento de diferentes populações, inclusive de
neandertais, o que acaba de ser provado.
Nosso primo Neandertal
Outra descoberta que provocou rebuliço entre os cientistas foi a divulgação, em maio de 2010, de
que o homem moderno traz de 1% a 4% de genes que pertenceram ao homem de Neandertal. Troncudo,
com a testa curta e grossa e a mandíbula forte, o Homo neanderthalensis surgiu na Europa, cerca de 120
mil anos atrás, e ocupou territórios naquele continente e no Oriente Médio, até sumir, há 30 mil anos. O
primeiro espécime foi descoberto às margens do rio Neanderthal, na Alemanha, daí o seu nome.
Para provar que o Homo sapiens se relacionou sexualmente com o Neandertal, gerando
descendência fértil, os cientistas de 22 instituições, liderados por Svante Pàãbo, do Instituto Max Planck
de Antropologia Evolutiva, na Alemanha, conseguiram usar o material genético de três fósseis de
mulheres neandertais, com 38 mil anos de idade, para seqüenciar dois terços do genoma da espécie. O
DNA neandertal foi, então, comparado com o genoma de cinco pessoas vivas: duas da África, de povos
iorubá e san, uma da Papua Nova Guiné, uma francesa e uma chinesa. Com exceção do DNA dos
africanos, o dos outros humanos apresentou genes pertencentes aos neandertais. A explicação para a
ausência do DNA neandertal nos grupos africanos é que esse provável encontro entre espécies teria
ocorrido após a ida do Homo sapiens para a Europa e a Ásia, onde viviam os neandertais. A região mais
provável do encontro teria sido o Oriente Médio, onde grupos das duas espécies teriam encontrado
refúgio nos invernos rigorosos da última glaciação. "Pode-se dizer que carregamos o neandertal em nós",
resumiu Páábo.

QUESTÕES SOBRE O TEXTO DA “A TEORIA DA EVOLUÇÃO E A ESPÉCIE HUMANA”

1 – Quem formulou a teoria da evolução, no livro “A ORGIEM DAS ESPÉCIES” de 1859? E o que ele
evitou abordar prevendo um escândalo entre os cristãos?
2 – Como era conhecida “A Síntese Moderna da Teoria da Evolução das Espécies”? E que idéias eram
defendidas?
3 – Qual o grande avanço e descoberta da biologia em 1953 sobre a Evolução das Espécies?
4 – Quais os nomes Científicos encontrado no texto sobre a Evolução da Espécie Humana e sua
classificação quanto a gênero e espécie?
5 – Como é chamadas as espécies de hominídeos que se tornaram bípedes, com a datação mais antiga
encontrada na África e a quanto milhões de anos atrás?
6 – Na espécie mais antiga de hominídeo, o Sahelanthropus tchadensis, identifique o que é gênero e
espécie?
7 – Os nomes científicos das espécies encontrados nos textos são grafados e identificados de que forma?
8 – Explique com suas próprias palavras a segunda hipótese chamada de “multirregionalista”.
9 – Quais as principais características encontradas no Homo neanderthalensis? E onde surgiu e à quanto
tempo?
10 – Explique por que os cientistas encontraram traços do DNA Homo neanderthalensis, no Continente
Europeu e Asiático; mas não encontram no Continente Africano?