Você está na página 1de 26

ALUNO: Odiran Henrique de Paiva e Silava RA:1135193

PÓLO: Brás _ São Paulo - SP

CURSO: Engenharia Elétrica ETAPA: 1


DATA: 23/04/2021 CARGA HORÁRIA: 3 hrs
DISCIPLINA: Prática laboratorial de física geral e experimental 3
PROFESSOR:

QUADRO DESCRITIVO DE PRATICA


DATA:
PRATICA LABORATORIAL Nº: C.H.:
23/04/2021
16 Dilatômetro 3 hrs

INTRODUÇÃO: Este experimento tem como objetivo a demostração do fenômeno da dilatação


linear de corpos cilíndricos. Inicialmente, iremos observar o aumento do comprimento de um tubo
metálico em função de um aumento de sua temperatura. Em seguida, determina o coeficiente de
dilatação linear de um material metálico. Como parte das atividades você terá que fazer a montagem e
ajustes dos equipamentos e instrumentos necessários para a realização do experimento.

OBJETIVOS:
 descrever os fenômenos causados pelo aquecimento de um corpo de material metálico;
 estabelecer o significado físico do coeficiente de dilatação linear;
 determinar o coeficiente de dilatação linear de um material metálico utilizando o dilatômetro
linear;
 aplicar os conceitos de dilatação dos corpos a problemas envolvendo aquecimento e
resfriamento de metais.

MATERIAL: Computador pessoal dotado do navegador Mozila instalado.

METODOLOGIA:
1.PREPARANDO O ENSAIO -
Selecione o corpo de prova de cobre com 500 mm de comprimento e meça sua
temperatura inicial T0. Mova o corpo de prova para a base, trave o batente na posição zero
da escala e zere o relógio comparador (figura 01) e (figura 02) e (figura 03).

figura 01 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 01 – autoria própria)

figura 02 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 2 – autoria própria)

figura 03 (print da tela do laboratório virtual)


(Figura 3 – autoria própria)

2.MEDINDO A DILATAÇÃO
Ligue o sistema de aquecimento e use o relógio comparador para acompanhara dilatação
∆L do corpo de prova até a estabilização da temperaturaT.Desligue o sistema de
aquecimento e retorne o corpo de prova para a bancada (figura 04).

figura 04 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 4 – autoria própria)


3.REPETINDO COM OUTROS MATERIAIS:
Repita os passos 1 e 2 para ensaiar os corpos de prova de latão e aço, ambos com 500 mm
de comprimento.
LIGA DE AÇO -(figura 05)
LATÃO – (figura 06).

figura 05 (print da tela do laboratório virtual “liga de aço”)

(Figura 5 – autoria própria)

figura 06 (print da tela do laboratório virtual “latão”)

(Figura 6 – autoria própria)


RESULTADOS E DISCUSSÃO:
PARTE I-DETERMINAÇÃO DO COEFICIENTE DE DILATAÇÃO LINEAR:

1.Anote na Tabela (figura 07) os valores obtidos durante a primeira parte do experimento.
Utilize a equação 1 para calcularo coeficiente de dilatação linear αde cada
material,lembrando que o comprimento inicial dos corpos de prova é L 0=500mm (figura 07).

figura 07 – tabela com o resultado da prática

(Figura 7 – autoria própria)

PARTE II: VARIAÇÃO NO COMPRIMENTO FINAL DE UM TUBO METÁLICO EM


FUNÇÃO DO SEU COMPRIMENTO INICIAL1.
Anote na Tabela 2 os valores obtidos durante a segunda parte do experimento (figura 08

figura 08 – tabela com o resultado da prática

(Figura 8 – autoria própria)


2.Construa o gráfico variação do comprimento ∆L x comprimento inicial L0e determine seu
coeficiente angular. +

3.Determine o coeficiente angular do gráfico ∆L x L0e explique o que ele representa.

4.Com base nos seus conhecimentos,verifique a validade da afirmação: “A variação no


comprimento de um material, para uma mesma variação de temperatura, é diretamente
proporcional ao seu comprimento inicial.”

RESPOSTA – a afirmação está correta, exemplificando a questão acima podemos afirmar dois
materiais de mesmo coeficiente de dilatação mas com tamanhos diferentes, quando submetidos a
mesma variação de temperatura o de maior tamanho sofrerá uma maior dilatação, dilatação essa
diretamente proporcional ao seu comprimento e vice-versa.

CONCLUSÃO:
Nessa prática laboratorial de física geral e experimental podemos visualizar de forma didática a ação
de temperatura sobre o coeficiente de dilatação de cada material, e como cada material se comporta
quando aplicado uma fonte de calor constante. Podendo visualizar em tempo real o material se
dilatando.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
HALLIDAY, D.; RESNICK, Robert; WALKER, Jear. Física, v. 2: gravitação, ondas e
termodinâmica. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2006.
YOUNG, Hugh D.; FREEDMAN, Roger A. Física, v. 2: termodinâmica e ondas. 10. ed. São Paulo:
Pearson Education, 2008.
ALUNO: Odiran Henrique de Paiva e Silava RA:1135193
PÓLO: Brás _ São Paulo - SP

CURSO: Engenharia Elétrica ETAPA: 2


DATA: 23/04/2021 CARGA HORÁRIA: 3 hrs
DISCIPLINA: Prática laboratorial de física geral e experimental 3
PROFESSOR:

QUADRO DESCRITIVO DE PRATICA


DATA:
PRATICA LABORATORIAL Nº: C.H.:
23/04/2021
167 - CAOLORIMETRIA 3 hrs

INTRODUÇÃO:
Este experimento trata de fenômenos decorrentes da troca de energia térmica entre corpos. Durante os
experimentos, iremos determinar a capacidade térmica de um calorímetro e, posteriormente, utilizar
este dado para determinar o calor específico de diversas substâncias. Como parte das atividades você
terá que fazer a montagem e ajustes dos equipamentos e instrumentos necessários para a realização do
experimento.

OBJETIVOS:

 descrever os fenômenos causados pelo aquecimento de um corpo de prova ou substância;


 ilustrar como ocorre o equilíbrio térmico entre substâncias sólidas e líquidas;
 determinar a capacidade térmica de um calorímetro;

MATERIAL: Computador pessoal dotado do navegador Mozila instalado.

METODOLOGIA:
Neste experimento você irá explorar fenômenosde transferência de calor em fluidos.

1.SEGURANÇA DO EXPERIMENTO:
Coloque os equipamentos de proteção individual localizados no “Armário de EPIs”.

2 -TARANDO A BALANÇA:
Posicione o béquer sobre a balança, ligue-a e utiliza a função “TARA” para desconsiderar a
massa do béquer, durante a realização do experimento (figura 01).

figura 01 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 1 - autoria própria)

3.ADICIONANDO ÁGUA NO BÉQUER:


Transfira, da pisseta para o béquer, 100 mL da água (figuera 02).

figura 02 (print da tela do laboratório virtual)


(Figura 2 - autoria própria)

4.MEDINDO A MASSA DA ÁGUA:


Posicione o béquer, já com água, sobre a balança e meça a massa da água.Anote o valor
observado (figura 03).
figura 03 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 3 - autoria própria)

5.AJUSTANDO O AQUECIMENTO:
Posicione o béquer no sistema de aquecimento e ligue a chama do bico de Bunsen. Se
possível, acelere a troca térmica.
figura 04 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 4 - autoria própria)

6.MEDINDO A TEMPERATURA DE AQUECIMENTO:


Utilize o termômetro para medir a temperatura da águaem aquecimento.Aguarde a água
aquecer até aproximadamente 80° C e então desligue o sistema de aquecimento. Retire o
béquer do sistema de aquecimento e posicione-o sobre a mesa (figura 05).

figura 05 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 5 - autoria própria)


7.MEDINDO A TEMPERATURA INICIAL DO CALORÍMETRO:
Meça a temperatura inicial do calorímetro, utilizando o termômetro. Anote essa temperatura
(figura06).
figura 06 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 6 - autoria própria)

8.ADICIONANDO ÁGUA AQUECIDA AO CALORÍMETRO:


Despeje a água aquecida, contida no béquer, sobre o calorímetro e agite-o, para acelerar a
troca térmica (figura 07).
figura 07 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 7 - autoria própria)

9.MEDINDO A TEMPERATURA DO CALORÍMETRO:


Espera a temperatura do calorímetro estabilizar e meça, novamente, asuatemperatura,
utilizando o termômetro. Anote o valor encontrado (figura 08).
figura 08 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 8 - autoria própria)

DESMONTANDO O EXPERIMENTO:
Descarte o conteúdo do calorímetro e desligue o termômetro.

PARTE II –DETERMINAÇÃO DO CALOR ESPECÍFICO DE LÍQUIDOS.


1 -ADICIONANDO ÓLEO NO BÉQUER
Transfira, da pisseta para o béquer, 100 mL de óleo (figura 09).
figura 09 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 9 - autoria própria)

2.MEDINDO A MASSA DO ÓLEO:


Coloque o béquer, já com o óleo, sobre a balança e realize a pesagem. Anote a massa
encontrada (figura 10).
figura 010 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 10- autoria própria)

3.AJUSTANDO O AQUECIMENTO
Posicione o béquer no sistema de aquecimento e ligue a chama do bico de Bunsen. Se
possível, acelere a troca térmica (figura 11).
figura 11 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 11- autoria própria)

4.MEDINDO A TEMPERATURA DE AQUECIMENTO:


Utilize o termômetro para medir a temperatura do óleoem aquecimento.Aguarde o
óleoaquecer até aproximadamente 80° C e então desligue o sistema de aquecimento. Retire
o béquer do sistema de aquecimento e posicione-osobre a mesa (figura 12).

figura 12 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 12 - autoria própria)

5.MEDINDO A TEMPERATIRA INICIAL DO CALORÍMETRO


Meça a temperatura inicial do calorímetro, utilizando o termômetro. Anote essa temperatura
(Figura 13).
figura 13 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 13 - autoria própria)


6.ADICIONANDO ÓLEO AQUECIDO AO CALORÍMETRO:
Despeje o óleo aquecido, contidono béquer, sobre o calorímetro e agite-o, para acelerar a
troca térmica.

7.MEDINDO A TEMPERATURA DO CALORÍMETRO:


Espera a temperatura do calorímetro estabilizar e meça, novamente, a sua temperatura,
utilizando o termômetro. Anote o valor encontrado (figura 14).
figura 14 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 14 - autoria própria)

8.DESMONTANDO O EXPERIMENTO:
Descarte o conteúdo do calorímetro e desligue o termômetro.

RESULTADOS E DISCUSSÃO:
PARTE I –DETERMINAÇÃO DA CAPACIDADE TÉRMICA DE UMA CALORÍMETRO

A capacidade térmica C do calorímetro pode ser determinada pelo princípio da conservação


de energia:
QCEDIDO= QRECEBIDO
QCEDIDOPELA ÁGUA QUENTE= QABSORVIDO PELO CALORÍMETRO
m1c (T1-Tf) = C (Tf-TC)
C = m1c (T1-Tf) / (Tf-TC)

Onde:
C = capacidade térmica do calorímetro;
m1 = massa de água;c = calor específico da água (1cal/g °C);
T1= temperatura da água quente;Tf = temperatura final de equilíbrio sistema;
TC = temperatura no interior do calorímetro

1.Com os dados obtidos, calcule a capacidade térmica do calorímetro.

PARTE II –DETERMINAÇÃO DO CALOR ESPECÍFICO DE LÍQUIDOSA


capacidade térmica C do calorímetro pode ser determinada pelo princípioda conservação
de energia:

QCEDIDO= QRECEBIDO
QCEDIDO PELO ÓLEO QUENTE= QABSORVIDO PELO CALORÍMETRO
m1c(T1-Tf) = C (Tf-TC)
c = C (Tf-TC) / m1(T1–Tf)

Onde:
C = capacidade térmica do calorímetro;m1= massa de óleo;
c = calor específico do óleo;T1= temperatura do óleo quente;
Tf= temperatura final de equilíbrio sistema;
TC= temperatura no interior do calorímetro1.

Com os dados obtidos, calcule o calor específico do óleo. Compare o valor obtido com
valores de calor específico de óleos vegetais encontrados na internet. Justifique eventuais
diferenças.

CONCLUSÃO:
Como conclusão desse experimento podemos notar a variação da capacidade térmica de cala liquido e
como ele se comporta quando exposto ao calor.
Após isso conseguimos determinar o calor especifico de cada material utilizado na prática.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
HALLIDAY, D.; RESNICK, Robert; WALKER, Jear. Física, v. 2: gravitação, ondas e
termodinâmica. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2006.
YOUNG, Hugh D.; FREEDMAN, Roger A. Física, v. 2: termodinâmica e ondas. 10. ed. São Paulo:
Pearson Education, 2008.
ALUNO: Odiran Henrique de Paiva e Silava RA:1135193
PÓLO: Brás _ São Paulo - SP

CURSO: Engenharia Elétrica ETAPA: 1


DATA: 23/04/2021 CARGA HORÁRIA: 3 hrs
DISCIPLINA: Prática laboratorial de física geral e experimental 3
PROFESSOR:

QUADRO DESCRITIVO DE PRATICA


DATA:
PRATICA LABORATORIAL Nº: C.H.:
23/04/2021
64 Equação Termométrica 3 hrs

INTRODUÇÃO:
O experimento explora o conceito de temperatura, sua aferição através de alterações de propriedades
termométricas e construção de escalas de medição. Para tal, será utilizado um termômetro de
comportamento conhecido e um termoscópio a ser calibrado.
OBJETIVOS:
-Associar as medidas de propriedades termométricas à valores de temperatura;
-Construir escalas de temperatura a partir de pontos fixos determinados;
-Relacionar matematicamente escalas de temperatura, duas a duas, para fim de comparação.

MATERIAL: Computador pessoal dotado do navegador Mozila instalado.

METODOLOGIA:

1.MARCANDO A ALTURA DA COLUNA LÍQUIDA:


Coloque o termoscópio na posição vertical, com o bulbo para baixo e ao lado da régua, e
marque com a caneta a altura da coluna líquida ( figura 01).

figura 1 (print da tela do laboratório virtual)


(Figura 1 - autoria própria)

2.MEDINDO A ALTURA h2
Pegue a régua milimétrica e meça a altura h 2, da parte superior do bulbo até a primeira
marcação feita. Anote o valor na Tabela 1 para o estado térmico ambiente (figura 02).

figura 2 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 2 - autoria própria)

3.MEDINDO A TEMPERATURA AMBIENTE:


Utilize o termômetro a álcool para medir a temperatura ambiente e anote o valor na
Tabela1.Utilize o altímetro para encontrar a altitude do ambiente onde o experimento está
sendorealizado (figura 03).
figura 3 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 3 - autoria própria)

4.MARCANDO A ALTURA DA COLUNA LÍQUIDA


Insira o bulbo do termoscópio no banho de gelo e aguarde um tempo até verificar que a
coluna de líquido estabilizou (equilíbrio térmico). Em seguida, retire o termoscópioe marque
com a caneta a altura da colunalíquida. Com a régua, faça a medida da altura h 1 da segunda
marcação. Anote o valor da altura na Tabela1 no estado térmico do ponto do gelo.

Figura 4 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 4 - autoria própria)


5.MEDINDO A TEMPERATURA DO PONTO DO GELO:
Utilize o termômetro a álcool para medir a temperatura do ponto dogelo e anote o valor na
Tabela 1 (figura 05).
Figura 5 (print da tela do laboratório virtual)
(Figura 5 - autoria própria)

6.DESPEJANDO ÁGUA NO BÉQUER:


Adicione 50 ml da água contida na pisseta no béquer. Leve o béquer ao sistema de
aquecimento e aguarde a água entrar em ebulição (figura 06).
Figura 6 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 6 - autoria própria)

7.MARCANDO A ALTURA DA COLUNA LÍQUIDA III:


Mantenha o bulbo do termoscópio no vapor da água em ebulição, e aguarde o equilíbrio
térmico. Retire o termoscópio do vapor e marque a altura da coluna dentro do termoscópio.
Meça a altura h3 da terceira marcação. Anote o valor da altura na Tabela1 no estado térmico
do ponto do vapor (figura 07).
Figura 7 (print da tela do laboratório virtual)

(Figura 7 - autoria própria)

8.MEDINDO A TEMPERATURA DO PONTO DO VAPOR:


Utilize o termômetro a álcool para medir a temperatura do ponto do vapor da água do
béquer e anote na Tabela (figura 07).

RESULTADOS E DISCUSSÃO:
1.Complete a Tabela 1 abaixo com os dados obtidos no experimento.

2.Repare se as marcas feitas para o ponto do gelo e do ponto do vapor coincidem com as
marcas de fábrica do termoscópio. Qual parâmetro obtido durante a realização do
procedimento pode gerar uma diferença entre as marcas? Justifique.
RESPOSTA – As marcas de fábricas indicam o ponto de ebulição e fusão dá aguá e ´podem sofrer
alterações devido a pressão exercida, também foi notado no experimento que logo após tirar o
termoscópio do gelo ou do vapor sua temperatura já se modifica instantaneamente, até o momento da
medição com a régua as marcações já sofreram pequenas alterações.

3.Construa um gráfico da altura (h) em função da temperatura (°C) utilizando o teorema de


Tales. Determine o coeficiente linear e angular da equação que representa essa relação.

4.Ferva a água, sem atingir a ebulição, e insira o termoscópio na água. Marque e meça a
altura da coluna. Utilize o valor de h na equação obtida anteriormente e encontre o valor da
temperatura da água. Utilize o termômetro a álcool para medir a temperatura da água e
compare os valores obtidos para a temperatura através da equação e através do
termômetro. Caso exista diferença entre esses valores, identifique as possíveis fontes para
essa discrepância.

CONCLUSÃO:
Nesse experimento podemos notar a diferença de temperatura e como é o funcionamento de um
termoscópio em temperatura ambiente sobre o gelo e sobre o vapor!
Toda essa diferença foi vista na integra e na prática!! podemos também notar como é feita da troca de
calor através do calorimetro.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
HALLIDAY, D.; RESNICK, Robert; WALKER, Jear. Física, v. 2: gravitação, ondas e
termodinâmica. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2006.
YOUNG, Hugh D.; FREEDMAN, Roger A. Física, v. 2: termodinâmica e ondas. 10. ed. São Paulo:
Pearson Education, 2008.

Você também pode gostar