Você está na página 1de 11

Sebastião José de

Carvalho e Melo

Gonçalo Passos Nº8 T: F

Professora: Mária Conceição Sá Oliveira


Índice.

Capa----------------------------------------------------------------------------------------------------------- Pág. 1
Índice---------------------------------------------------------------------------------------------------------- Pág. 2
Quem é o Marques de Pombal------------------------------------------------------------------------- Pág. 3
O que o tornou muito conhecido----------------------------------------------------------------------- Pág. 4
O terramoto de Lisboa a 1 de novembro de 1755------------------------------------------------- Pág. 5
A reconstrução de Lisboa pelo Marques de Pombal---------------------------------------------- Pág. 6
As reformas e o Marques de Pombal------------------------------------------------------------- Pág. 7
O iluminismo em Portugal-------------------------------------------------------------------------------- Pág. 8
A Modernização do ensino graças ao Marques de Pombal ------------------------------------ Pág. 9
Webgrafia /Bibliografia---------------------------------------------------------------------------------- Pág. 10
Conclusão--------------------------------------------------------------------------------------------------- Pág. 11
Quem é o Marques de Pombal

Sebastião José de Carvalho e Melo também conhecido como Marques de Pombal nasceu em Lisboa a 13 de
maio de 1699. Foi um nobre, diplomata e estadista português, secretário de Estado do Reino durante o reinado de D.
José I entre (1750-1777), sendo considerado, ainda hoje, uma das figuras mais controversas e carismáticas
da História Portuguesa. Que mais tarde faleceu a 8 de maio de 1782 com 82 anos.
O que o tornou muito conhecido

Sebastião José de Carvalho e Melo representante do despotismo esclarecido em Portugal no século XVIII, viveu
num período da história marcado pelo iluminismo. Iniciou com esse intuito várias reformas administrativas,
económicas e sociais. Acabou com a escravatura em Portugal Continental a 12 de fevereiro de 1761 e, na prática,
com os autos de fé em Portugal e com a discriminação dos cristãos-novos, apesar de não ter extinguido oficialmente
a Inquisição portuguesa, em vigor até 1821. Por outro lado, criou a Real Mesa Censória em 1768, com o objetivo de
transferir, na totalidade, para o Estado a fiscalização das obras que se pretendessem publicar ou divulgar no Reino, o
que até então estava a cargo do Tribunal do Santo Ofício.
Durante o reinado de D. João V foi embaixador nas cortes do Reino da Grã-Bretanha, em Londres, Inglaterra, e
do Sacro Império Romano-Germânico, em Viena, Arquiducado da Áustria.
A 1 de novembro de 1755, quando era secretário de estado, houve um dos terramotos mais violentos da estória
portuguesa.
O Terramoto de Lisboa a 1 de novembro de 1755

Na manhã de 1 de novembro de 1755, dia de Todos os Santos, ocorreu um violento terramoto


em Lisboa, Setúbal e no Algarve. Mas foi na capital em (Lisboa) onde se fez sentir mais intensamente.
O terramoto foi acompanhado por um maremoto que varreu o Terreiro do Paço e por um gigantesco incêndio que,
durante 6 dias, completou o cenário de destruição de toda a Baixa de Lisboa. Ruíram importantes edifícios, como o
Teatro da Ópera, o Palácio do Duque de Cadaval, o Palácio Real e o Arquivo da Torre do Tombo, cujos documentos
foram salvos. O mesmo não aconteceu com as bibliotecas dos Dominicanos e dos Franciscanos. Ao todo, terão sido
destruídos cerca de 10 000 edifícios e terão morrido entre 12 000 a 15 000 pessoas.
A reconstrução de Lisboa pelo Marques de Pombal

Em 1755 a cidade de Lisboa ruiu devido ao grande terramoto. Então Marques de Pombal encarregou um grupo
de engenheiros portugueses e estrangeiros de traçar o novo perfil da cidade de Lisboa. Em vez de reconstruir a
cidade utilizando as velhas ruas como referência foram traçadas novas ruas e praças que permitiriam, em caso de
novo terramoto, pontos de fuga e de concentração da população. Foram preparadas nas fundações e nas paredes
podendo-se encontrar estruturas de madeira preparadas para resistir caso ocorra novos sismos. Segundo Manuel de
Maia a reconstrução de Lisboa deveria ser feita num lugar livre, seguindo um plano regular, com ruas largas e
edifícios uniformes.
As reformas e o Marques de Pombal

Preocupado em reerguer Portugal da decadência em que se encontrava diante de outras potências europeias ao
assumir o cargo de Ministro da Fazenda, em 2 de agosto de 1750, empreendeu reformas em todas as áreas da
sociedade portuguesa: políticas, administrativas, económicas, culturais e educacionais, que afetaram diretamente as
relações colônia-metrópole. Essas reformas exigiam um forte controle do Estado e eficiente funcionamento da
máquina administrativa que foram empreendidas, principalmente, contra a nobreza e a Companhia de Jesus, que
representavam uma ameaça ao poder absoluto do rei. Foi a perfeita representação do despotismo esclarecido. Forma
do governo que combinava a monarquia absolutista com o racionalismo iluminista.
Uma das mais polémicas medidas impostas por esse novo tribunal foi a de impor a expulsão dos jesuítas do
Brasil, em 1759. A decisão de caráter anticlerical visava dar fim aos conflitos envolvendo os colonos e os padres
jesuítas. Enquanto os primeiros defendiam a utilização da mão-de-obra escrava dos indígenas, os religiosos negavam
a ceder seus catequizados para o empreendimento colonial e monopolizava a mão de obra indígena.
O iluminismo em Portugal

Ideias Iluministas:
A destruição da desigualdade das Nações, o progresso da igualdade entre os homens e, finalmente, o
aparecimento do homem. Chegará o momento em que o Sol só iluminará Homens livres que apenas obedecerão à
razão, em que os tirano e os escravos já não existirão.
Pode-se instruir o povo acerca de tudo para serem senhores de si próprios.

Montesquieu Rousseau Voltaire


A Modernização do ensino graças ao Marques de Pombal

Iniciou uma reforma que completou todos os graus de ensino e que consistiu, principalmente, na criação de
Escolas Menores.
Fundou o Real Colégio dos Nobres para a instrução dos filhos da nobreza.
Reformou a Universidade de Coimbra, elaborando novos estatutos e criando as faculdades de Matemática e de
Filosofia Natural (Ciências Naturais); dotou ainda esta universidade de laboratórios de Física e de Química, de um
observatório astronómico e de um teatro anatómico, onde se começou a fazer a dissecação de cadáveres.
Com a expulsão dos jesuítas, o Marquês de Pombal proibiu a utilização dos seus manuais e dos seus métodos
de ensino extinguindo a Universidade de Évora.
Webgrafia:

https://www.google.com/search?q=marques+de+pombal&rlz=1C1KYPA_enPT603PT603&sxsrf=ALeKk03tjDga1IowwjuKYtMvjsx0waHX8w:1614695392851
&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=2ahUKEwiTo76K6ZHvAhWLxYUKHaciBk0Q_AUoAXoECAcQAw&biw=1536&bih=760#imgrc=KWZQ_Se3b6YwiM

https://www.google.com/search?q=Logotipo+da+escola+de+monserrate&rlz=1C1KYPA_enPT603PT603&sxsrf=ALeKk037lDqeGBCSg2iLuj6eXb7u-BV0Lw:
1614694180824&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=2ahUKEwiWiMbI5JHvAhUxxYUKHXloAjEQ_AUoAXoECBAQAw&biw=1536&bih=760#imgrc=cUuuxA
wX3O0OdM&imgdii=fkimpQw93wUK1M

https://pt.wikipedia.org/wiki/Sebasti%C3%A3o_Jos%C3%A9_de_Carvalho_e_Melo

https://www.infopedia.pt/$terramoto-de-1755-e-reconstrucao-pombalina

https://pt.slideshare.net/Diizinha/marques-de-pombal-11822274

https://ensina.rtp.pt/artigo/a-reconstrucao-de-lisboa-apos-o-terramoto/

https://arquitecturaportuguesa.com/lisboa-pombalina/

https://www.google.com/search?q=imagens+da+cidade+de+Lisboa+reconstruida+ap%C3%B3s+o+terramoto+de+1755&tbm=isch&ved=2ahUKEwjWmafThJ
nvAhUa_hoKHcYsDDgQ2-cCegQIABAA&oq=imagens+da+cidade+de+Lisboa+reconstruida+ap%C3%B3s+o+terramoto+de+1755&gs_lcp=CgNpbWcQA1D
ZFFiOY2CMamgAcAB4AIAB2wGIAeMWkgEHMTMuMTEuMZgBAKABAaoBC2d3cy13aXotaW1nwAEB&sclient=img&ei=TxRCYJa2HZr8a8bZsMAD&bih=76
0&biw=1536&rlz=1C1KYPA_enPT603PT603#imgrc=6SolMNUHc_5r4M

https://www.google.com/search?q=rousseau&rlz=1C1KYPA_enPT603PT603&sxsrf=ALeKk03XLGtOxdCigUnXnhAYUMf7wjO5WA:1614946423191&source
=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=2ahUKEwiioIqfkJnvAhURiFwKHUCgAPMQ_AUoAXoECAcQAw&cshid=1614946465933271&biw=1536&bih=760#imgrc=4VRx
KzaxvrIZfM

Bibliografia:

Manual do 8º ano de Historia “O fio da História” – Leya Educação


Sebastião José de
Carvalho e Melo

Gonçalo Passos Nº8 T: F

Professora: Mária Conceição Sá Oliveira