Você está na página 1de 6

 

Seminário «A Alquimia do Coração»


Lisboa, 27 de Fevereiro de 2010
Porto, 28 de Fevereiro de 2010

Canalizações finais

A transcrição do que foi transmitido oralmente recebeu algumas alterações, com o intuito de facilitar a
leitura, assim como o seu entendimento e assimilação.

Acerca do Amor

Esmeralda Rios:

Quero falar-vos sobre o Amor, essa energia codificada que tornou possível a criação da humanidade no seu
modelo mais perfeito em todos os níveis dimensionais. Quando observam as manifestações da vida
planetária, facilmente verificam que a imperfeição é omnipresente, e que a limitação ou o condicionamento
vos impedem de seguir pelo caminho para o qual foram criados. Têm uma ténue noção teórica da vossa
perfeição e sentem saudades do resto, que desconhecem. Do ponto onde eu me encontro, eu posso explicar-
vos o que é a perfeição e quão doloroso é ser vítima de manipulação. Essa é, alias, a minha história por ter
ficado preso num espaço interdimensional, impedindo que o Amor descesse à Terra definitivamente e
libertasse toda a humanidade. Isso aconteceu há muito, muito tempo atrás, na Lemúria. Eu sou uma das
múltiplas expressões do vasto leque energético de Sananda, que tentou encarnar nesse tempo, mas ficou
presa numa teia de negatividade. Fruto dessa capacidade manipuladora, a minha encarnação foi bloqueada.
Assim, tive de esperar que a humanidade alcançasse o grau de vibração e de consciência necessários para
que a minha libertação ocorresse. Abstenho-me de vos explicar esses factos, para vos dizer:

Não permitam que isso aconteça convosco, em nenhum momento da vossa existência.

Eu sou, pois, uma partícula do «Filho». E posso garantir que o vosso cardíaco guarda o que, depois de
devidamente estimulado, entra em sintonia com a minha energia. Por estar a cumprir uma missão de ajuda,
vos digo: sempre que alguém trabalha no desbloqueamento ou na libertação de qualquer limitação
relacionada com a magia negra, é à minha vibração que apela, pois colaboro em estreita com a energia da
“Mãe” – a Grade Curadora.

É imprescindível impedirem qualquer tipo de manipulação, deixando de acreditar que são imperfeitos,
limitados ou condicionados. Dentro de vocês permanece aberta a entrada para o paradigma da perfeição. Os

 
 

arquétipos do Feminino e do Masculino permanecem a salvo de qualquer manipulação, prontos para serem
reactivados. Eu vos conduzirei até esse «jardim» de que tantas saudades têm; eu vos orientarei para essa
energia restauradora, que permitirá a iluminação das vossas células. Evoquem-me com o nome que quiserem,
porque eu sou - e serei sempre - uma partícula da energia crística que trabalha com todas as formas da
manipulação e promove a libertação da humanidade a partir do seu cardíaco. Não permitam, por favor, que,
mais uma vez, seja desvirtuado o que tem de acontecer na Terra. Doem os vossos corações e a vossa energia
para sustentar a vibração que vai permitir que algo de grandioso aconteça realmente. No entanto, para
chegarem a ser capazes de sustentar essa vibração, têm de decidir aceitar e investir no processo de
purificação interna. Eu sou a vibração que vos ajuda, mas são vocês que têm de decidir. Porém, atenção: não
se admirem se, depois de tomarem essa decisão, se depararem com fantasmas e medos antigos, conhecidos
ou desconhecidos. … Muito obrigada.

Esqueçam-se de onde julgam que têm de chegar

Vitorino de Sousa

Eu venho pedir-vos o seguinte: «esqueçam-se do ponto onde julgam que têm de chegar». Nas inúmeras
comunicações que têm lido e ouvido certamente encontraram muitas sugestões de onde têm de chegar,
muitas orientações para onde têm de orientar os vossos passos espirituais, assim como muitas propostas para
o conseguirem. Talvez já tenham encontrado até alguma comunicação onde este tópico foi abordado. Mas,
por ser de primordial importância, aqui estamos a reforçá-lo. Se não esquecerem o ponto onde julgam que
têm de chegar, certamente dificultarão o vosso caminho. E se tiverem algum “mestre” com quem se
identificam, será quase impossível não comparem o caminho dele com o vosso. De alguma forma, isso é uma
armadilha armada por vocês mesmos.

Outro conselho útil é: «não tenham pressa». Aceitem que o trabalho, com cada ser individualizado, é
específico e tem uma agenda singular. Não é porque uns necessitam de ser mais trabalhados do que outros;
é porque o programa a aplicar individualmente não está pré-estabelecido; ele vai sendo elaborado consoante
a forma como a pessoa vai respondendo a cada passo da intervenção. Essa pessoa, porém, não tem
consciência se oferece muita ou pouca resistência a cada um dos passos da sua metamorfose. O seu grau de
resistência é independente do seu grau de entrega. Há pessoas cujo grau de entrega é consideravelmente
baixo, mas, por uma questão de constituição, não oferecem resistência à mudança. Ao invés, há quem faça a
Entrega Total1, profunda e convictamente, e, no entanto, activa poderosas resistências sem se aperceber. É
por isso que não há uma «minuta de transformação» para todos seres humanos. Nós não sabemos quanto
tempo poderá durar a metamorfose de um ser humano, porque o ritmo da sua purificação depende da forma
como ele responder a cada passo da nossa intervenção. É por se tratar de um «programa», constantemente
reformulado item após item, que vos peço para esquecerem onde julgam que têm que chegar. Sabem
porquê? Porque a essa noção espacial do ponto «onde» têm de chegar, acrescentam a noção do «quando»
têm de chegar. Ora, essa noção temporal é completamente sem sentido.

O que vão fazer com esta informação, amanhã? O que vai acontecer ao impacto forte que ela está a ter neste
momento nos vossos sistemas? O que parece ser a solução para os vossos problemas, gerado pela bolha
energética em que, neste momento, estão mergulhados, vai mudar completamente à medida que os dias

                                                            
11
 Veja o Código da Entrega Total, e outros Códigos da Energia Matriz, no botão «Códigos da E. M.» de www.velatropa.com/uc.  

 
 

forem passando. Regressam para a teia de aranha manipulativa do vosso quotidiano habitual, e tudo parece
que se esfuma. O que agora parece aconselhável poderá parecer totalmente absurdo dentro de dias, porque
a vibração mudou. Esta bolha vibracional vai dissipar-se progressivamente com a passagem do tempo, e tudo
o que foi aqui dito e sentido aqui, soará na vossa consciência como uma espécie de eco. Bom, talvez vos
deixe saudades. Tanto assim que, na próxima oportunidade, alguns voltarão na esperança de reviverem a
experiência. Esse impulso, se o sentirem, não estará errado (afinal, nada está errado; o que há é um grave
défice de consciência!), mas… por que não decidem – CONVICTAMENTE – assimilar já o que estão a sentir?
Por que têm de andar a oscilar, constantemente, para cima e para baixo, no vosso gráfico vibracional?
Quando estão aqui vivem um pico no sector positivo do gráfico, acima da linha zero; assim que saem daqui a
linha começa a descer. Vivem mais umas semanas na zona negativa do gráfico até virem novamente a um
evento deste género, pois sabem que a linha começa logo a subir. E assim sucessivamente. Por que não
resolvem acabar com esta alternância ou, pelo menos, diminuir o comprimento de onda? Por que têm de
viver a serenidade intercalada com o desespero? Por que não trabalham para viverem a maior parte do
tempo em serenidade? Anseiam viver este estado de espírito, mas pouco ou nada fazem para o obter; ficam à
espera. Co-criar, com ou sem Água Matriz2, é uma via que podem escolher para determinar o que é prioritário
trabalhar e, depois, deitar mãos à obra, fazendo a parte que vos compete, enquanto autorizam a nossa
colaboração. Façam as escolhas que quiserem… mas façam-nas!

Por conseguinte, não interessa se estão longe ou perto do ponto onde julgam que têm de chegar, porque
«ascensão» não é o que vocês julgam ser; «ascensão» é algo que não se pode explicar, pois trata-se de
outra condição de consciência! Todavia, nos tempos que se aproximam, muitos não quererão ter alta
consciência no meio do caos que se vai instalar, pois é sempre muito doloroso constatar o sofrimento e o
desvario. Digo-vos isto para não pensarem que ampliar o grau de consciência é, de imediato, uma porta
aberta para a felicidade. Um grau de consciência é sempre acompanhado de lucidez. Ora, ver - com olhos de
ver -, o estado em que este planeta se encontra, assim como o que se vai passar, pode ser extremamente
doloroso. Devem saber o que vos espera se quiserem seguir pelo caminho da lucidez. Devem saber que,
depois, não se podem queixar de que, afinal, o caminho é bem mais pedregoso do que a vossa ingenuidade
espiritual imaginou. Não pensem, porém, que optar por permanecer no caminho da cegueira será mais
tranquilo! O caminho pode dirigir-se para cima ou para baixo. Como sempre, a escolha é vossa. … Muito
obrigado.

Os nossos agradecimentos a Miguel Galante pelo seu trabalho de transcrição.

                                                            
2
 Veja o botão «Apoio para todos» de www.velatropa.com/uc . 

 
 

Porto, 28 de Fevereiro de 2010

Acerca das sacerdotisas

Esmeralda Rios:

Já se falou bastante do poder da Deusa, do Feminino e do papel da mulher enquanto sacerdotisa. Cabe-me a
mim explicar-vos o que isto, realmente, significa. Ouviram que, desde os tempos da Lemúria, nenhuma
mulher voltou a ser ordenada sacerdotisa3. Todavia, tem havido bastantes que assim se consideraram. Mas
não foram – e continuam a não ser - mais que fantoches na mão de manipuladores, falsos sacerdotes que
precisavam da energia delas para alcançarem determinados objectivos. A criatividade humana é imensamente
fértil nas formas que encontra para expressar o obscurantismo, a maldade e a vileza. Assim, em face destas
tendências, foi necessário retirar um determinado poder ao Feminino, para que mais ninguém o aviltasse e se
servisse dele negativamente. Presentemente, e tal como sempre aconteceu, algumas mulheres detêm o
potencial de virem a desempenhar tarefas parecidas com as que desempenharam na Lemúria e noutras
civilizações. Mas não vale a pena auto-candidatarem-se, porque a escolha é feita desde o ponto de vista
superior. Tal como já acontecia nesses tempos remotos, o processo de selecção das candidatas continua a
ser bastante exigente. O facto de muitas mulheres guardarem o potencial de sustentarem uma determinada
vibração, não faz delas sacerdotisas.

Porque é que, o Feminino foi tão acossado? Por que razão a ambição de poder do Masculino tudo fez para
usurpar e controlar as sacerdotisas? Porque, através delas, a expressão do Espírito na matéria é total. Elas
são a manifestação da autoridade da Deusa. Até aí vai o seu poder. Esse é o papel das sacerdotisas.
Qualquer tipo de manipulação ou perversidade, qualquer género de feitiçaria ou magia negra pode ser
alterado pela vibração que elas, na sua pureza, são capazes de sustentar e irradiar. Noutros tempos, a
elevação vibracional do planeta ocorria através da energia que as sacerdotisas sustentavam. Regra geral, elas
viviam em lugares completamente preservados, para que nem a mais leve ponta de «escuridão» as pudesse
tocar. Elas eram autênticos motores de Luz/Amor. Logo, quem, obstinadamente, visava degenerar elevação
da humanidade, apenas tinha de perverter essas mulheres, de elevadíssima pureza e craveira vibracional.
Mais: o Masculino, ou seja, a maioria dos homens, adquiria um poder imenso, quando era sustentado por
uma sacerdotisa. Tal como ainda hoje acontece, a sua capacidade criativa passava a ser praticamente
ilimitada, por serem suportados pela energia da Deusa. Foi esta constatação que desencadeou uma corrida
desenfreada, por parte dos Servidores da Sombra, para dominar as sacerdotisas. Daí que tenha sido
superiormente decidido interromper a ordenação de quem já tinha adquirido a maturidade, o conhecimento e
a pureza necessárias para sustentar a vibração da «Mãe». Quando a personalidade e o ego – seja de homens
ou de mulheres - deixam de ter condições para a perversão e o embuste podem acontecer maravilhas.

Poderão perguntar quando voltaremos a ordenar sacerdotisas. Esse, porém, é um segredo, que só a Nós
pertence; vocês terão a resposta quando claramente constatarem que uma determinada mulher ascendeu a
essa condição. Aí, sim, cumprir-se-á outra parte do potencial do Feminino na Terra. Portanto, peço-vos:
abram os vossos corações à vibração do Feminino e permitam que o trabalho seja feito. Nós trabalhamos,
desde sempre, em estreita colaboração com a vibração da Deusa. Em breve, ouvirão falar mais de nós.
… Muito obrigado.

                                                            
3
 Ser uma verdadeira sacerdotisa – uma grande maga – implica a utilização do seu poder para lidar com a alquimia do coração; as 
outras, não passam de meras executoras de ordens obscuras, ou praticantes das formas degeneradas da Magia. … O poder feminino 
da  Deusa  nunca  mais  teve  a  expressão  que  alcançou  na  Lemúria,  tanto  assim  que,  desde  esse  tempo  que  não  há  ordenação  de 
sacerdotisas na Terra. 

 
 

Acerca da necessidade do segredo

Vitorino de Sousa:

Alguns dos presentes - e outros, que irão ler a transcrição do que está a ser dito -, poderão achar estranho
que, num tempo em que se apela à abertura e à clareza, se refira a questão do segredo. Sim, é segredo
quando voltaremos a ordenar sacerdotisas neste planeta4. Não guardamos segredo porque gostemos de reter
informação, mas porque o caos em que a civilização humana está a entrar aconselha muita prudência.
Guardamos segredo para não estimular a mente corrupta de algumas criaturas, cuja intenção é continuarem
a fazer o que têm feito, sistematicamente, ao longo do tempo: manipularem o Feminino para obterem poder
e lograrem os seus objectivos involutivos. Hoje em dia, e dadas as condições, não vemos qualquer vantagem
em resguardar qualquer nova sacerdotisa num lugar recôndito e preservado; ao contrário do que se passou
noutros tempos, hoje, elas são precisas nos contextos sociais, como qualquer outra pessoa. Sabemos que
ficam demasiadamente expostas, pois é no mundo que elas têm de fazer o seu trabalho. Mas ninguém pode
conhecer a «nova» condição dessas mulheres, depois de terem passado por uma ordenação. A própria
pessoa decerto o saberá. Mas ser-lhe-á pedido que nada diga acerca da sua condição. O reconhecimento
«popular» seria um risco enorme, não só para ela, mas também para os objectivos que se pretendem
atingir… e que vão ser atingidos! Essa foi, aliás, a razão por que esta questão do segredo ter sido
implementada, ao longo do tempo, em muitos contextos. Essa decisão sempre visou a preservação das
guardiãs de determinados conhecimentos. Fugas de informação indesejadas e inoportunas sempre facilitaram
a utilização perniciosa dos conhecimentos, por parte de gente despreparada. O resultado, invariavelmente, foi
o boicote sistemático da evolução. Portanto, a questão do segredo não tem a ver com o facto de Nós
acharmos que vocês não merecerem determinada informação; trata-se de uma estratégia. Esperamos que
compreendam as razões por que assim tem de ser.

Por que razão querem saber se a senhora A ou a senhora B passou a ser sacerdotisa? Que vantagens podem
tirar dessa informação? Objectivamente, nenhuma! Todavia, seria bem melhor que todos preferissem
beneficiar do trabalho delas, sem se preocuparem com questões periféricas. Nunca é demais repetir que a
humanidade já não está em fase de instrução, mas em fase de purificação. Portanto, não se trata de saber o
«como» e o «porquê»; trata-se de beneficiar dos resultados, optando pela via da disponibilidade e da
entrega, visando a prática. A palavra-chave é purificação (requalificação, reciclagem, transmutação). A fase
da instrução, através da aquisição de novos conhecimentos, deve restringir-se às técnicas e aos exercícios
que vos facilitarão esse processo de purificação… a que poderíamos dar o nome de metamorfose. Já não faz
sentido a mera satisfação do intelecto, continuando a acumular informação… quanto mais não seja porque a
guardam sem a porem em prática! Por conseguinte, não vale a pena quererem saber quem são as novas
sacerdotisas, que instruções lhes foram passadas, o que elas fazem, como e onde o fazem. Não vale a pena
entrarem por essa bisbilhotice espiritual; apenas têm de louvar e agradecer a sua existência. Disponibilizem-
se para beneficiar dos resultados da sua acção, que são o fruto da sua colaboração com todos os
Colaboradores do Plano de Resgate da Terra, de dimensões acima e abaixo daquela em que vocês se
encontram. Durante milhares e milhares de anos, os seres humanos viraram o nariz para o céu, esquecendo-
se que tinham os Reinos Coadjuvantes da Deusa (Elfos, Gnomos, Fadas, etc.), a arranhar-lhes a sola dos
sapatos, pedindo um pouco de abertura, atenção e disponibilidade para a sua colaboração. Está na hora de
quem olha para cima começar a olhar, também, para baixo. E as verdadeiras sacerdotisas, que veiculam o
poder da Deusa, farão a ponte entre esses dois lados, pois receberam a capacidade de materializar os
padrões de geometria sagrada, destinados à nova fase da Terra. São elas que, biologicamente, dão à Luz as

                                                            
4
 Ficamos a saber que essa «iniciação» não é feita por seres humanos. 

 
 

novas crianças; e, vibracionalmente, concretizam os padrões com os novos potenciais. É delas que irradia
tudo isso. Essa irradiação, porém, não pode ser posta em causa através das manipulações e dos desvios
daqueles que, ainda durante mais algum tempo, sentirão que ganham em praticar a sua velha tendência para
a perversão. Se vos foi dito que, para além da Matriz Original, nenhuma outra terá cabimento neste planeta,
é porque é verdade. Portanto, resta-lhes pouco tempo - digamos, vinte ou trinta anos - para continuarem
mascarados de cordeiros. A continuação da sua existência, porém, depende muito mais de vocês do que de
Nós, porque eles precisam da vossa colaboração como «receptores». Claro que eles não andam pelas ruas a
mobilizar voluntários para as suas feitiçarias e encantamentos; basta-lhes lançar o anzol. Com muita
facilidade encontram uma argola humana onde ele se prenda. Mas, quando vocês, ao purificarem-se, se
aproximarem da forma esférica - onde não há argolas -, eles terão de abandonar a pesca! À maneira que a
Energia Matriz for crescendo na Terra, os perversos cada vez terão menos força para fazerem os seus
lançamentos de anzol. Às tantas, quando já não lhes restar qualquer força, o anzol ficará pendurado na
vertical, suspenso da ponta da cana. Nesse momento, se eles não tiverem cuidado, eles próprios ficarão
presos. Desde sempre eles dispuseram do potencial de largarem a sua amada cana e o indispensável anzol.
Mas nunca assim quiseram. Mas vão ter de querer, porque, em breve, a coisa deixará de ser uma questão
escolha. Repetimos:

Em breve, qualquer matriz de comportamento, que desrespeite a Matriz Original, em fase de implementação,
não disporá de condições para se manifestar. E os seus praticantes desvairados, de uma maneira ou de outra,
vão ter de abandonar o planeta.

Os seres humanos, evidentemente, não podem convencer os magos negros a largar cana e anzol; apenas
podem caminhar na direcção da sua esfericidade. E, quando o grau de consciência da maioria for
considerável, essa subespécie da Raça Humana deixará de ter onde operar. No entanto, preparem-se. Nos
próximos tempos, o desespero dessa gente vai fazer com que os seus lançamentos do anzol sejam cada vez
mais potentes, na esperança de fisgarem quem está mais longe. Se quiserem ver nisso uma atitude
desesperada, não estarão longe da verdade. Sabem, é uma espécie de compulsão: eles têm de dar vazão à
sua ânsia de perversão. No entanto, não estão condenados a serem eternos pescadores de seres humanos
desprevenidos. Ninguém está condenado a nada, evidentemente. Se eles forem capazes de mudar um pouco
o seu ponto de vista, muito beneficiarão da energia e da acção daquelas mulheres sagradas que, ao longo do
tempo, eles tudo fizeram para aliciar e perverter. Esse tempo está a chegar ao fim, quer vocês concordem
quer não. Para que o Plano progrida, Nós, e todos os Colaboradores do Plano, não precisamos da vossa
concordância; precisamos da vossa colaboração. Os dissidentes serão apoiados na medida das suas
necessidades, mas, por serem fãs de uma matriz que não subscreve os princípios da Matriz Original, serão
retirados do contexto terrestre. Se, na vossa mente, está a ocorrer a palavra «purga», pois seja.

É por tudo isto que, neste particular das sacerdotisas, temos necessidade de enveredar pelo caminho do
silêncio. … Muito obrigado.

Os nossos agradecimentos a Beatriz Valentim pelo seu trabalho de transcrição.

Pode divulgar esta mensagem por todos os meios ao seu alcance.

Esmeralda Rios e Vitorino de Sousa


www.velatropa.com/yasmin
www.velatropa.com/uc

Interesses relacionados