Você está na página 1de 20

POR QUE

ESCOLHER
O IPOG?
Com 18 anos no mercado, essa Instituição de Ensino
Superior é referência nacional em transformar profissionais
em especialistas! Presente em TODO o país, o IPOG já
especializou mais de 100 mil alunos e continua fazendo a
diferença na vida de milhares de pessoas.

Buscamos sempre evoluir em nossos processos e a prova


disso é que, em todos os módulos (de todas as formações)
são feitas pesquisas de satisfação para escutar os alunos
e avaliar nosso nível de entrega. Acatando as sugestões e
mantendo o foco na alta performance, conseguimos atingir
a marca atual de 97,14% de satisfação! E esse número só
tende a crescer.

Todos os cursos são reconhecidos pelo MEC (com nota


máxima no EAD) e a formação curricular de cada um
é sempre atualizada com o mercado, alinhando teoria +
prática, para que você conclua o curso já sabendo atuar na
sua área e aplicar o que foi aprendido.

Nossos professores possuem experiência prática de


mercado (nacional e internacional) e temos um corpo
docente bem diverso, com profissionais de vários cantos
do país, a maioria mestres e doutores.
MÉTODO IPOG

O IPOG possui uma metodologia inovadora, criada com o objetivo de aprimorar cada vez
mais a experiência de aprendizagem dos alunos. Esse método foi elaborado a partir de
referências pedagógicas e está estruturado em 3 dimensões. Entenda:
AGIR
Experiência Concreta
Fatos (o que aconteceu?)
Teoria em uso

APLICAR CICLO DE REFLETIR


Experimentação Ativa Observação reflexiva
APRENDIZAGEM Sentimentos (o que vivenciei?)
Futuro (o que vou fazer?) EXPERIENCIAL
Implementa teoria revisada Avalia comportamento
e consequências
CONCEITUALIZAR
Conceitualização Abstrata
Achados (por que aconteceu?)
Revê teoria

2ª DIMENSÃO
1ª DIMENSÃO Professores Avaliação Capacitação
referências e semanal
Formação continuada atuantes no do professor
anual de
professores.
de professores mercado. pelo aluno.

MÉTODO
IPOG

2ª DIMENSÃO 3ª DIMENSÃO
Sala de aula + Ambiente Desenvolvimento integral
virtual de aprendizagem do potencial humano
A metodologia de cada módulo segue o Um módulo transversal exclusivo
formato da Sala de Aula Invertida, onde o do Programa Plenitude, voltado para o
aluno é estimulado a conhecer o conteúdo autoconhecimento, para o desenvolvimento
de preparação e ancoragem previamente, de habilidades socioemocionais aplicadas
potencializando a retenção do conteúdo e o ao mercado de trabalho e vida pessoal.
tempo de aprendizagem durante as aulas.
APRESENTAÇÃO
DO CURSO
O MBA em Engenharia Rodoviária visa suprir a demanda de profissionais com es-
pecialização em rodovias, apresentando processos práticos para as fases de projeto,
execução, fiscalização e manutenção de obras rodoviárias, trazendo sólidos conhe-
cimentos teóricos e práticos.
Esses profissionais deverão, a partir das aulas ministradas, desenvolver uma visão
sistêmica das rodovias e de suas diversas disciplinas como: geometria, drenagem,
sinalização, pavimentos, custos, dentre outras.
A capacidade profissional de entendimento, modelagem e implantação de novos
projetos no campo rodoviário é uma necessidade concreta para todas as empresas
ligadas ao setor, uma vez que este é um pré-requisito para a melhoria de suas po-
sições competitivas.
Nesse cenário, o investimento em formação e desenvolvimento de recursos huma-
nos qualificados em projeto, execução e fiscalização de rodovias faz-se totalmente
necessário e indispensável.

RESULTADOS

• Você terá o conhecimento específico na área da Engenharia Rodoviária, sendo


capaz de exercer diversas funções dentro de uma empresa de projeto, execução
ou fiscalização de obras rodoviárias;
• Vai aprimorar seus conhecimentos através dos mais inovadores procedimentos
metodológicos, no que tange aos processos de uma obra rodoviária;
• Irá pesquisar, planejar e implantar soluções relacionadas às rodovias.
DIFERENCIAIS DO CURSO

• Corpo docente formado por profissionais que vivem o dia a dia de obras rodovi-
árias, com expertise no assunto a ser ministrado em cada disciplina;
• No curso você irá investigar as causas e as soluções nas rodovias, terá estudos
de gerenciamento, controle e execução de projetos rodoviários;
• Uso dos melhores softwares do mercado para aulas práticas;
• Por trabalhar temas atuais no mercado, oferece oportunidade de requalificação
profissional;
• Disciplinas com foco no quesito prático, propiciando a aquisição de um somató-
rio de experiências, ajudando o aluno na formação e desempenho profissional.

ESTE CURSO É INDICADO PARA:

Graduados nas áreas das Engenharias, Economia, Administração, Geografia e Di-


reito; além de empresários, executivos e profissionais dos setores empresarial, co-
mercial, de serviços, da administração pública/ privada e educação, que desejam
aprofundar e qualificar seus conhecimentos relacionados a projeto, execução e fis-
calização de rodovias.
MATRIZ CURRICULAR

1) Topografia e aerofotogrametria com RPAs aplicadas às rodovias


2) Geotecnia aplicada a projetos de rodovias
3) Projeto Geométrico, de terraplenagem e de sinalização rodoviária
4) Drenagem aplicada a rodovias
5) Dimensionamento e restauração de pavimentos flexíveis
6) Dimensionamento e restauração de pavimentos rígidos
7) Dimensionamento e execução de obras de arte especiais
8) Orçamentos, licitações e contratos de obras rodoviárias
9) BIM (Building Information Modeling) aplicado a projetos rodoviários
10) Processos de execução de obras rodoviárias: Máquinas, Equipamentos, Mate-
riais e Serviços
11) Processos de fiscalização de obras rodoviárias
12) Desenvolvimento integral do potencial humano
MATRIZ CURRICULAR E EMENTAS

1) TOPOGRAFIA E AEROFOTOGRAMETRIA COM RPAS APLICADAS ÀS


RODOVIAS
Técnicas cartografia, sistemas de projeção e referência geodésico, cadastro e ma-
peamento e georreferenciamento da malha viária; Representação de dados: raster,
vetorial e não espacial. Captura de dados espaciais; visualização e utilização de base
de dados georreferenciadas e aerofotogrametria utilizando RPAs (levantamento to-
pográficos utilizando drones) .

2) GEOTECNIA APLICADA A PROJETOS DE RODOVIAS


Investigações geotécnicas. Escolha de materiais granulares para obras de rodovias:
estudo do subleito e de materiais de empréstimo. Compactação dos solos. Melho-
ramento e reforço de maciços. Aterros sobre solos compressíveis. Contenções de
taludes e encostas, túneis e fundações de obras de arte especiais.

3) PROJETO GEOMÉTRICO, DE TERRAPLENAGEM E DE SINALIZAÇÃO


RODOVIÁRIA
Composição geométrica das rodovias; relevo e traçado; normas para projeto ge-
ométrico; condicionantes de traçado; estudos e projetos; lançamento de rampas;
concordância horizontal, curva circular simples e transição; estaqueamento; con-
cordância vertical; cálculo do greide; seções transversais; projeto de terraplena-
gem; cálculo de áreas e volumes; distância média de transporte; distribuição dos
materiais; projeto de sinalização rodoviário.

4) DRENAGEM APLICADA A RODOVIAS


Hidrologia Básica para Estruturas de Drenagem (tempo de concentração, tempo
de recorrência, chuva de projeto, bacias, coeficiente de deflúvio, cálculo de vazão);
Hidráulica Básica para Estruturas de Drenagem (canais; condutos forçados e meio
poroso); Superficial (sarjetas, bocas coletoras, entradas d’água, descidas d’água,
canais e reservatórios); Drenagem em dutos enterrados (bueiros, galerias e túneis);
Drenagem em meio poroso; Controle de Erosão; Gestão da Drenagem Urbana: con-
trole de inundações.

5) DIMENSIONAMENTO E RESTAURAÇÃO DE PAVIMENTOS FLEXÍVEIS


Apresentação dos módulos do curso; definição dos elementos dos pavimentos as-
fálticos, materiais e técnicas usualmente empregadas na construção de pavimen-
tos, cargas nos pavimentos, estimativa do tráfego e do número N, introdução à
mecânica dos pavimentos, teoria do sistema de camadas elásticas, simulação de
tensões e deformações em softwares, estimativa da vida de fadiga, estimativa da
deformação permanente, restauração e conservação de pavimentos flexíveis
6) DIMENSIONAMENTO E RESTAURAÇÃO DE PAVIMENTOS RÍGIDOS
Apresentação dos módulos do curso; pavimentos semi-rígidos e rígidos, fator K -
módulo de reação do subleito, simulação de tensões e deformações em softwares,
a placa de concreto, projeto de dimensionamento de pavimentos rígidos, processos
de restauração.

7) DIMENSIONAMENTO E EXECUÇÃO DE OBRAS DE ARTE ESPECIAIS


Apresentar procedimentos e os critérios para o projeto e o cálculo de tabuleiros de
pontes e viadutos em concreto. Utilização de modelos numéricos e de ferramentas
computacionais para análise de viadutos e pontes, processo de escavação de túneis,
apresentação dos tipos de túneis.

8) ORÇAMENTOS, LICITAÇÕES E CONTRATOS DE OBRAS RODOVIÁRIAS


Orçamento do Preço Global da Obra, Cálculo do Custo Total da Obra, Composição do
Custo dos Serviços, Determinação dos Prazos de Execução, Dimensionamento das
Equipes Mecânicas, Produção Horária dos Equipamentos, Fórmulas de Momentos
de Transportes, Cálculo do Custo de Horas - Máquinas, Cálculo do Custo dos Trans-
portes, Cálculo do Custo do Salário-Hora,Cálculo do Custos dos Materiais, Cálculo
do B.D.I. e Encargos Sociais, Cálculo para Ajustagens no Preço Orçado, Relação dos
Insumos a utilizar na Obra, Elaboração da Curva ABC - Serviços, Atualização dos
Bancos de Dados dos Insumos; montagem de processos de licitação, regulação dos
contratos de obras rodoviárias

9) BIM (BUILDING INFORMATION MODELING) APLICADO A PROJETOS


RODOVIÁRIOS
Integração BIM no apoio à gestão de infraestrutura rodoviária; execução, controle e
monitoramento de projetos de rodovias utilizando BIM, utilização de BIM 7 dimen-
sões georreferenciado, montagem de modelo BIM práticas de trabalho, modelos
de realidade virtual/aumentada georreferenciado, modelagem de projetos de vias,
pontes, viadutos utilizando a tecnologia BIM.

10) PROCESSOS DE EXECUÇÃO DE OBRAS RODOVIÁRIAS: MÁQUINAS,


EQUIPAMENTOS, MATERIAIS E SERVIÇOS
Logística da obra, gerenciamento do processo de execução da obra, formas de con-
trole e acompanhamento do cronograma da obra, Superestrutura rodoviária; Equi-
pamentos utilizados na construção de vias; máquinas, e equipamentos para supe-
restruturas de traçado rodoviário.

11) PROCESSOS DE FISCALIZAÇÃO DE OBRAS RODOVIÁRIAS


Fiscalização e avaliação de empreiteiras de obras e serviços; análise de obras públi-
cas / privadas; Elaboração de desenhos e documentação e planilhas de controle no
processo de fiscalização de obras rodoviárias.
12) DESENVOLVIMENTO INTEGRAL DO POTENCIAL HUMANO
Fatores que conduzem ao Florescimento ou Desenvolvimento Integral do Potencial
Humano; Desafios do desenvolvimento humano ao longo das 8 etapas do ciclo da
vida; Sobre as diferenças entre o caminho do murchamento e o caminho do flo-
rescimento dos potenciais humanos; A diferença entre caráter e personalidade; As
virtudes e as forças de caráter; - Introdução à Visão Integral; As Linhas de Desen-
volvimento ou Inteligências Múltiplas; Os Níveis de Desenvolvimento humano; A
Dinâmica da Espiral - os 8 níveis de desenvolvimento de valores ou memes; Análise
e devolutivas de assessments; Estados de Consciência; matriz integral do desenvol-
vimento integral humano; A dialética do desenvolvimento: diferenciação e integra-
ção.; A matriz da Plenitude; Nossa capacidade de transformação pessoal (CTP); Os
fundamentos da Psicologia Positiva; O conceito de Florescimento e o PERMA - mo-
delo para definição das práticas de Florescimento; Fases da vida em florescimento;
a era da sabedoria.

*As ementas poderão ser ajustadas conforme demandas de mercado,


novas legislações, novos cenários e contextos.
COORDENAÇÃO

EDESIO ELIAS LOPES


Doutor em Engenharia Civil pela Universidade Fede-
ral de Santa Catarina (UFSC-SC), na área de Infraes-
trutura Viária.
Mestrado em Engenharia Civil (UFSC-SC). Graduação
em Engenharia Civil (UFV- MG). Coordenador e pro-
fessor de MBAs no IPOG, Diretor na empresa BMT
AEC da qual atua com projetos de infraestrutura em
BIM e Consultor Técnico INMETRO/Cgcre/Dicap junto
ao programa de acreditação de organismos de inspe-
ção de projetos e obras de infraestrutura.
Foi colaborador da IDP engenharia (empresa sediada na Espanha) em projetos vol-
tados para infraestrutura de transportes, logística e mobilidade urbana, atuou por
9 anos como pesquisador no LabTrans/UFSC em projetos relacionados a infraestru-
tura de transporte em órgão federais e estaduais.
CORPO DOCENTE

1) LUIS MIGUEL GUTIÉRREZ KLINSKY


Possui graduação em Engenharia Civil - Universidad Privada de Santa Cruz de la
Sierra (2005). Mestrado em Engenharia Transportes, com Ênfase em Infra-Estrutu-
ra de Pavimentos, pela Escola de Engenharia de São Carlos, da Universidade de São
Paulo (2008). Doutorado em Engenharia Transportes, com Ênfase em Infra-Estrutu-
ra de Pavimentos, pela Escola de Engenharia de São Carlos, da Universidade de São
Paulo (2013). Realizou estagio durante o Doutorado (Agosto 2011 - Fevereiro 2012)
na Universtiy of Florida. Atualmente se desenvolve como Pesquisador no Centro
de Pesquisas Rodoviárias, da Concessionária NovaDutra, do Grupo CCR. Professor
Doutor da Universidade Paulista (UNIP) e do Instituto de Pós-Graduação (IPOG).

2) JOÃO PAULO SOUZA SILVA


Possui graduação em Engenharia Civil e graduação em Tecnologia em Infraestru-
tura de Vias, além de Mestrado e Doutorado em Engenharia Civil. Atua principal-
mente em projetos, construção e manutenção de empreendimentos rodoviários.
Atualmente é professor Adjunto IV do Curso de Engenharia Civil e Engenharia de
Transportes da Universidade Federal de Goiás - UFG, titular das disciplinas de Ge-
otecnia e Pavimentação, além de ser coordenador do Laboratório de Mecânica dos
Solos e Pavimentação.

3) CLAUDIO DUBEUX
Engenheiro Civil formado pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE com
Mestrado na Área de Transportes pela Escola de Engenharia de São Carlos - USP.
Mais de 15 anos de atuação profissional em grandes empresas nos setores de pro-
jetos e obras rodoviárias. Professor em cursos de pós-graduação e consultor de
empresas na área de projetos.

4) MARCELO SAMPAIO CUNHA FILHO


Secretário Executivo do Ministério da Infraestrutura - MINFRA. Responsável pelo
programa de modernização, desburocratização e transformação digital do setor de
infraestrutura.Mestre em Planejamento de Transportes com estudos em Avaliação
de Vulnerabilidade de Infraestrutura de Transportes (UnB). Especialista em Econo-
mia no setor Público e MBA em Gestão Pública com trabalho sobre o Uso de Ferra-
menta de Geoprocessamento como Instrumento de Planejamento e Gestão Pública.
Graduado em Engenharia Civil com ênfase no Setor de Transportes pela Universi-
dade de Brasília - UnB. Servidor público - Analista de Infraestrutura do Ministério
da Economia. Por dois anos exerceu o cargo de Subchefe Adjunto de Gestão Pública
na Subchefia de Articulação e o Monitoramento da Presidência da República. Expe-
riência de mais de dez anos em Infraestrutura de transportes. Durante quatro anos
exerceu o cargo de Diretor de Informações e gestão estratégia em Transportes na
Secretaria de Política Nacional de Transportes do Ministério dos Transportes, onde
foi Secretário Substituto.
5) LUIS CLAUDIO SANTANA MONTENEGRO
Graduado em Engenharia Civil pela UFES, Mestre em Engenharia de Transportes
pelo IME, Especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho e em Planeja-
mento, Gestão e Operações em Corredores de Transporte, em Port Marketing e
em Regulação de Transportes Terrestres pela UFRJ. Especialista em Regulação de
Transportes Terrestres da ANTT desde 2002, foi Diretor de Sistemas e Informações
Portuárias da SEP, presidente do Conselho de Administração da Companhia Docas
do Pará e responsável pelo Plano Nacional de Logística Portuária – PNLP e pelos
projetos de Tecnologia Portuária do Governo Federal, como Porto sem Papel, Ca-
deia Logística Inteligente e VTMIS, Diretor de Planejamento Estratégico e Controle
da Companhia Docas do Estado de São Paulo - CODESP / Porto de Santos. Recente-
mente Gerente de Articulação Institucional e interinamente como Superintendente
Executivo da Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT. Atualmente, Pre-
sidente da Companhia Docas do Espírito Santo - CODESA (Porto de Vitória).

6) FERNANDA DE SOUZA SCHMITT


Formada no Curso Técnico em Edificações em Julho/1997. Formada em Engenharia
Civil pela UFSC, em março/2004. Pós-graduação em Engenharia de Produção pela
FURB, em agosto/2006. Pós-graduação em Engenharia de Segurança do Traba-
lho, em março/2010. Experiência profissional desde 1997, atuando em empresas
privadas, responsável pela execução de obras diversas na área da construção civil.
Atua desde 2002 como orçamentista em empresas de construção. Atuou como Engª
Orçamentista na empresa INFRASUL, desde Janeiro/2018 até março/2019. Atual-
mente, está atuando como Engenheira Orçamentista Plena na FEPESE/UFSC, no
LabTrans.

7) EDUARDO GUTIÉRREZ KLINSKY


Graduação pela Universidade Federal de São Carlos UFSCar (1995) em Engenharia
Civil. Mestrado em Engenharia de Estruturas pela Escola de Engenharia de São
Carlos EESC-USP (1999). Consultor e Supervisor de Estruturas de Pontes e Estradas
com Ghenova (Espanha) e Pedelta (Espanha). Diretor do Laboratório de Engenharia
Civil da Universidade Autónoma Gabriel Rene Moreno (UAGRM - Bolívia). Professor
de Pós Graduação do Instituto IPOG. Publicações em congressos e jornadas nacio-
nais e internacionais.

8) SILVIO TUPINAMBÁ
Graduação Engenharia Civil – Universidade Veiga de Almeida (1983), Pós-Gradua-
ção MBA Logística Empresarial – Fundação Getúlio Vargas (1999), Curso Extensão
Perito Judicial Ambiental (2005)- Escritório Rui Juliano e Mestrado Economia Em-
presarial – Universidade Cândido Mendes (2006). Trabalhou nas áreas de Implan-
tação, Manutenção, Projetos e Operação Ferroviária na Companhia Brasileira de
Trens Urbanos (CBTU) e na Rede Ferroviária Federal S.A (RFFSA) da Malha Sudeste
(Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais) da Superintendência Regional de Juiz
de Fora (SR-3). Professor e Coordenador de Curso de Pós-Graduação Engenharia
Ferroviária, Consultor Ambiental Equipe Multi-Disciplinar de EIA/RIMA, Consultor
de Terminais Intermodais no Vale do Paraíba e Baixada Santista.
9) FELIPE OZORIO MONTEIRO DA GAMA
Possui GRADUAÇÃO (2009) e MESTRADO (2011), em Engenharia Civil, pela UERJ.
Interrompeu DOUTORADO (2012), em Engenharia Civil, iniciado na UFRJ, face apro-
vação em um novo concurso público federal, em UF distinta. Possui ainda Especia-
lização em Gestão de Projetos (2019), pela UNINTER. Atuou na PETROBRAS, VA-
LEC, MT, DNIT e SEP/PR. Foi professor de graduação de Engenharia Civil durante 5
anos em disciplinas de cálculo estrutural e resistência dos materiais. Atualmente,
é servidor público federal no cargo de Analista em Infraestrutura de Transportes
– Engenharia Civil, requisitado para o Ministério da Infraestrutura na função de
Coordenador de Modelagem de Arrendamentos Portuários, após ter atuado em ou-
tros cargos de gestão. Presidi e presidiu Conselhos de Autoridade Portuária – CAP
e, é Conselheiro de Administração (CONSAD) da SCPAR Porto de Imbituba S.A. (SC).
Tem experiência na área de planejamento, estudos e gestão de projetos de em-
preendimentos e obras de engenharia de infraestrutura de transportes (ferroviária
(VALEC), rodoviária (DNIT) e portuária (SEP/PR)), da indústria do petróleo (PETRO-
BRAS), e, de Engenharia Estrutural (Docência)

10) TADEU DE SOUZA OLIVEIRA


Possui graduação em Engenharia de Agrimensura pela Universidade do Extremo
Sul Catarinense (1987) e graduação em Engenharia Civil pela Fundação Universida-
de Regional de Blumenau (1993). Mestrado em Engenharia de Produção pela Uni-
versidade Federal de Santa Catarina (2002) e Doutorado em Engenharia Civil pela
UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina no programa de Cadastro Técnico
Multifinalitário e Gestão Territorial com ênfase em recursos hídricos e controle de
inundações. Atualmente é coordenador do curso de Engenharia Civil e professor das
disciplinas de Mecânica Geral, Resistência dos Materiais, Introdução à Engenharia
Civil e Topografia e Geodésia na Faculdade Sociesc-Florianópolis . Foi consultor
para o projeto e implantação da UTEC - Universidade de Tecnologia e Ciência em
Luanda- Angola. Foi coordenador de extensão da área tecnológica na Universidade
do Extremo Sul Catarinense. Foi coordenador do Centro de Cartografia do Instituto
de Pesquisas Ambientais e Tecnológicas (CEGEO/IPAT da Universidade do Extremo
Sul Catarinense). Tem experiência na área de Engenharia Civil e de Engenharia
de Agrimensura, com ênfase em Construção Civil, Saneamento Básico, Hidráulica,
Hidrologia, Drenagem Urbana, Drenagem Superficial, controle de inundações, rea-
bilitação de áreas degrada, Topografia, Cartografia e Geoprocessamento.

* Professores titulares. Sujeitos a alterações.


DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA

• Diploma de graduação original.


• Cópia do RG e CPF / ID Profissional / CNH.

DURAÇÃO / PERIODICIDADE

CARGA HORÁRIA
432 horas

DURAÇÃO
12 meses

DISCIPLINAS
Serão 12 disciplinas, cada uma com módulo on-line de 24 horas/aula + 12 horas de
atividades práticas no Ambiente Virtual de Aprendizagem, totalizando 36 horas por
disciplina.

ATIVIDADES PRÁTICAS NO AMBIENTE VIRTUAL


As atividades práticas acontecem utilizando o modelo de Sala de Aula Invertida.
Trata-se do estudo do conteúdo organizado pelo professor, com a realização de
atividades de ancoragem e preparatórias que envolvem cases temáticos e aplicação
de ferramentas, potencializando a aprendizagem e retenção do conteúdo durante
as aulas ao vivo.