Você está na página 1de 7

Faculdade de Tecnologia Alto Médio São Francisco

Disciplina: Laboratório de Química Geral Professor(a): Ana Luiza Fernandes


Curso: Engenharia Civil

Equipamentos Básicos de Laboratório

Para se desenvolver um experimento é necessário, dentre outros cuidados, o conhecimento do material a


ser utilizado.
O equipamento de laboratório de química constitui-se de, basicamente, vidro, porcelana, polietileno e
madeira. O emprego e o manuseio adequados são indispensáveis não só para evitar acidentes, mas também
perdas ou danos no instrumental.
Deve-se observar também o tamanho ou a capacidade dos instrumentos que vão ser utilizados, de acordo
com a quantidade de substância empregada.

A seguir os principais instrumentos e sua utilização.

Vidrarias

Béquer Erlenmeyer

Utilizado para dissolução ou preparação de soluções à Frasco utilizado em titulações, em evaporações


quente, devendo ser protegido do fogo direto pelo uso, lentas, para conter volumes durante uma reação,
por exemplo, de tela de amianto ou aquecimento em líquidos sujeitos a pequenos aquecimentos e para
banho-maria. recolher destilados. Possui forma cônica, evita
Não deve ser empregado para medidas de volumes. perdas de líquidos por agitação.
Deve ser evitado o uso de bastão de vidro, contra as
paredes e o fundo do béquer, pois pode ser quebrado.
Balão Volumétrico Proveta

Recipiente calibrado, de precisão destinado a conter um Frasco com graduações, destinados a medidas
determinado volume de uma dada temperatura. aproximadas de volumes de líquidos.
Utilizado no preparo de soluções de concentrações
definidas. O traço de aferição é uma marca no colo do
balão com a qual deve coincidir a parte inferior do
menisco.

Pipeta Bureta

Equipamento calibrado para medida precisa de volume Equipamento calibrado para medida precisa de
de líquidos. Existem dois tipos de pipetas: pipeta volume de líquidos. Permite o escoamento do
graduada (utilizada para escoar volumes variáveis), líquido e é muito utilizada em titulações.
pipeta volumétrica (utilizada para escoar volumes fixos
de líquidos).

Funil comum Vidro de Relógio

Utilizado na transferência de líquidos de um frasco para Usado geralmente para cobrir béquer contendo
outro ou para efetuar filtrações simples. soluções, pesagem de sólidos e finalidade
operações diversas.
Bastão de Vidro Condensador

Usado na agitação de misturas, transferência de líquidos, Equipamento destinado à condensação de vapores


auxiliar na filtração e outras operações químicas. em destilações ou aquecimento.

Kitassato Dessecador

Frasco de paredes espessas, munido de saída lateral e Utilizado no armazenamento de substâncias


usado em filtração à vácuo. quando se necessita de uma atmosfera com baixo
teor de umidade. Também pode ser utilizado para
manter as substâncias sob pressão reduzida.

Tubo de Ensaio Funil de separação

Utilizado principalmente para efetuar reações químicas Equipamento para separar líquidos não miscíveis.
em pequena escala.
Material de Porcelana

Destinados à pulverização de sólidos que são atritados Utilizado em filtração à vácuo, devendo ser
pelo pistilo contra o interior áspero do almofariz. acoplado a um kitassato. Sobre a placa perfurada
deve ser colocado um papel de filtro de diâmetro
menor que o da placa.

Cadinho Bico de bunsen

Usado para a calcinação de substâncias


Fonte de calor destinada ao aquecimento de
(aquecimento a altas temperaturas). materiais não inflamáveis. No caso de caso de
materiais inflamáveis, usa-se a “manta elétrica”.

Material Metálico
Suporte, Mufa ou Garra Tela de amianto

Tela metálica, contendo amianto, utilizada para


Peças metálicas usadas para montar aparelhagens em distribuir uniformemente o calor, durante o
geral. aquecimento de recipientes de vidro à chama de
bico de gás.
Tripé Argola

Usado como suporte, principalmente de telas. Usada como suporte para funil de vidro ou tela
metálica.

Espátula Pinças

Usada para transferir substâncias sólidas. Usada para segurar objetos aquecidos.

Materiais Diversos

Suporte Para Tubos de Ensaio Pisseta

Frasco geralmente contendo água destilada ou


. outros solventes usado para efetuar a lavagem de
recipientes ou materiais com jatos do líquido nele
contido.
Frasco para Reagente Estufa

Usados para conservar reagentes químicos. Dependendo Equipamento empregado na secagem de materiais,
da substância a ser guardada, o frasco a ser utilizado por aquecimento, em geral, até 200º C.
pode ser incolor ou âmbar.

Mufla ou Forno Balança Analítica

Utilizada na calcinação de substâncias, por aquecimento Mede a massa de materiais sólidos e líquidos com
em altas temperaturas (até 1.000ºC ou 1.500º C) no máximo 210 g e no mínimo 10 mg, com uma
sensibilidade de 0,1 mg.

BIBLIOGRAFIA CONSULTADA

COSTA, M.C.,Química: caderno de atividades práticas. Belo horizonte: Editora Educacional, 2011.
ALMEIDA, P.G.V., Química geral- práticas Fundamentais. Viçosa- MG: Ed. UFV, 2011.
Reis, Martha. Química Geral: completamente Química, vol I. São Paulo: FTD, 2001.
ETAPAS PARA A CONFECÇAO DO RELATÓRIO DAS ATIVIDADES PRÁTICAS

A confecção do relatório das atividades práticas deverá obedecer o modelo apresentado a seguir,
que também se baseia nas normas da ABNT.

TÍTULO: Frase sucinta que indique o principal objetivo da experiência.


1 - INTRODUÇÃO: consiste de uma apresentação do tema proposto e dos fundamentos teóricos da
prática. Será apresentado pelo professor quais assuntos deverão ser pesquisados para compor a
introdução.
2 - OBJETIVO: apresentação do objetivo a que se pretende chegar com o experimento. Sucinto e pode
ter vários objetivos em um mesmo relatório.
3 - PARTE EXPERIMENTAL: descrição da metodologia empregada para a realização do experimento.
Geralmente é subdividido em duas partes:
3.1 – Materiais utilizados: apresentação de uma lista de materiais, reagentes e equipamentos
utilizados no experimento, especificando o fabricante e o modelo de cada equipamento, assim como a
procedência e o grau de pureza dos reagentes utilizados;
3.2 – Procedimento experimental: descrição de forma detalhada e ordenada das etapas necessárias
à realização do experimento. Por tópicos com parágrafos curtos e objetivos.
4 – RESULTADOS E DISCUSSÃO: apresentação de todos os dados obtidos experimentalmente ou
calculados a partir destes. Todos os resultados devem ser apresentados na forma de tabelas, gráficos,
esquemas, diagramas, imagens fotográficas ou outras figuras. Discussão dos resultados deve ser
concisa e objetiva, a partir das teorias e conhecimentos científicos prévios sobre o assunto, de modo
a se chegar as conclusões.
Neste tópico, a equipe deverá:
 Interpretar e comentar os resultados do trabalho;
 Mencionar as dificuldades encontradas;
 Avaliar erros experimentais e suas implicações;
 Discutir de forma concisa e objetiva dos resultados, a partir das teorias e conhecimentos
científicos prévios sobre o assunto, de modo a se chegar a conclusões;
OBS: Tabelas e Figuras devem ser citadas no texto. Devem ser numeradas e apresentar um título.
5- CONCLUSÕES: apresentação das conclusões deduzidas da discussão. O aluno deverá:
Apresentar cada conclusão em forma de uma frase curta que cite apenas o fato em questão;
As conclusões deverão responder aos objetivos propostos.
6- REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS: citação de livros, artigos científicos, documentos e páginas da
internet consultados.

Você também pode gostar