Você está na página 1de 60

1

Roteiro da aula

Definição da farmacologia

Divisão da farmacologia

Conceitos básicos

Vida de um fármaco

Formas de apresentação e vias de administração de fármacos

2
3
APROFUNDANDO MAIS ESTE
CONCEITO...

É a ciência que estuda as


propriedades e os efeitos dos que atuam no sistema
fármacos ( ou substâncias biológico (organismo vivo)
químicas)

4
5
Que pode resultar...

Dose x via de
administração

6
Compreender o mecanismo pela qual
uma substância química administrada
afeta o funcionamento do organismo
(mecanismo de ação: farmacodinâmica)

Pata ter um sucesso terapêutico no


tratamento das doenças (farmacoterapia:
protocolo)
Por que estudar a
farmacologia???
Escolher o fármaco mais adequado para
certas características fisiopatológicas.

Garantir que o fármaco atinja a


[adequada]. (farmacocinética)
7
Efetividade ( fármaco se ligar ao receptor para produzir o efeito)
Droga ideal

Segurança

Seletividade ( eliminar as reações adversas)

Reversibilidade

Fácil administração

Mínimas interações

Isenta de reações adversas

8
SUBDIVISÕES DA
FARMACOLOGIA
9
Farmacocinética
Farmacologia
ponto de vista
operacional
Farmacodinâmica

10
Farmacocinética
• São as etapas que o fármaco percorre desde a administração
até a eliminação.

• São elas:

– Administração
– Absorção
– Distribuição
– Biotransformação
– Eliminação
Farmacodinâmica

 Estuda o efeito de uma determinado fármaco em seu tecido alvo

Tecido Alvo

Órgão ou sítio onde uma determinado fármaco tem efeito


CONCEITOS GERAIS

13
Matéria prima de origem animal, mineral ou vegetal do qual é possível
extrair e isolar um ou mais componentes químicos ou princípios ativos.

14
Remédio
(Re = novamente; medior= curar)

Por vezes atribuído aos medicamentos, constitui-se, na realidade,


qualquer recurso que tenha efeito terapêutico para o paciente, ou seja,
tudo aquilo que cura, alivia ou evita uma enfermidade.

Ex.: terapias manuais ( depressão, estressadas), banho relaxante, fé,


crença

15
Fármaco
Substância química, estruturalmente definida, usada para
diferentes funções, produzindo um efeito terapêutico

Ex.: dipirona

16
Estrutura Química
Medicamento
Corresponde ao fármaco especialmente usado quando ele se
encontra em uma formulação farmacêutica, ou seja, quando ao
fármaco são adicionados todos os componentes para que este seja
administrado terapeuticamente ex.: corantes, emulsificantes (vai dar
“a cara ao medicamento”).

Corresponde ao fármaco na especialidade farmacêutica:


comprimidos, drágeas, cápsulas, soluções, pomadas

18
Medicamento de referência
Corresponde ao produto inovador (1º que surgiu com aquela
indicação), registrado no órgão federal responsável pela vigilância

sanitária e comercializado no país, cuja eficácia, segurança e


qualidade foram comprovados cientificamente junto a esse órgão
por ocasião do pedido de registro.

Sua principal função é servir de parâmetro para registros dos


posteriores medicamentos similares, genéricos quando sua patente
expirar. No comércio farmacêutico é comum indicar o
medicamento de referência pela expressão “produto ético”.

19
20
Medicamento genérico
É aquele que contem o mesmo princípio ativo, na mesma dose e
forma farmacêutica, é administrado pela mesma via e com a mesma
posologia e indicação terapêutica do medicamento de referência
(devem ser bioequivalentes).

São ditos bioequivalentes quando mostram biodisponibilidade


comparáveis em tempos similares para alcançar o pico de
concentração plasmática.

21
Medicamento similar

É aquele que contém o mesmo ou os mesmos PA com idêntica


concentração, mesma forma farmacêutica, via de administração,
posologia e indicação terapêutica do medicamento de referência
registrado no órgão federal responsável pela vigilância sanitária.

Podem diferir somente em características relativas a tamanho e


forma do produto, prazo de validade, embalagem, rotulagem,
excipientes e veículos devendo ter sempre identificado seu nome
comercial. (Ex.: procedimento de síntese; o cpr dependendo da pressão
pode eliminar mais facialmente ou não o PA)

22
23
Forma farmacêutica
É a forma final de como um medicamento se apresenta.

Ex.: cápsula, cpr, injetável

24
Placebo
Placeo= agrada

Tudo o que é feito com intenção benéfica para aliviar o sofrimento:


fármaco/ medicamento/ droga/ remédio (em concentração pequena
ou ausência de PA)

25
Biodisponibilidade
É a medida de extensão de uma droga terapeuticamente ativa que
atinge a circulação sistêmica e está disponível no local de ação.

26
Bioequivalência

É o termo usado para avaliar a equivalência biológica esperada


“in vivo” de duas preparações diferentes de um medicamento.

Se dois medicamentos são ditos bioequivalentes, isso significa


que se espera que eles, sejam, para todas as propostas e
intenções, iguais.
Posologia

É o modo como o medicamento deve ser administrado.

Meia-vida

É o tempo necessário para que a metade de um substância seja


removida do organismo.
Vantagens e Desvantagens do uso
de Fármaco

Os fármacos quando
A maioria dos fármacos,
administrados são capazes
quando administrado,
de alterar processos
independente da via, exibirá
fisiológicos e bioquímicos
efeitos indesejáveis junto
no organismo, mas não
com os efeitos terapêuticos
podem criar novas ações
esperados.
corpóreas.
29
Junto com os efeitos terapêuticos a maioria dos fármacos irá,
no entanto, influenciar certos processos ou funções no
organismo, o que acaba se manifestando em:

Efeitos Reações
Efeitos tóxicos Dependência Tolerância
colaterais adversas

30
Efeitos colaterais
São atribuíveis ao mecanismo de ação dos fármacos. Eles ocorrem
juntamente com os efeitos que o fármaco deveria produzir e estão
associados a doses terapêuticas normais. Diminuir a dosagem ou mudar
o esquema de drogas para incluir uma droga mais seletiva reduzirá esses
efeitos inconvenientes.

Esses efeitos devem ser comunicados ao paciente antes do seu uso, é


importante que o paciente saiba que os efeitos colaterais existem e
podem aparecer após a administração do medicamento.

O QUE É ESPERADO !!!!!!!!!!!!!!!!!


31
Reações adversas

São REAÇÕES INESPERADAS causadas quando os fármacos são


administrados e podem ocorrer independentemente da dosagem ou
do perfil de toxicidade do fármaco em questão.

Essas reações incluem: alergia à fármacos, defeitos genéticos, ação


paradoxal (a reação que o fármaco desencadeou foi o oposto daquilo
que era esperado para o seu mecanismo de ação).

32
Reações de Hipersensibilidade

Substância Proteínas Ligação


Exogena Endógenas Covalente

Reações Cutâneas
Urticária Anafilaxia
Eritema Maculopapular Angiooedema
Erupções Bolhosas Edema Laríngeo
Dermatite Esfoliativa Broncoconstrição
Sindrome Stevens- Distúrbios Gastrointestinais
Johnson Distúrbio Cardiovasculares
Choque

Óbito
09/08/2016 33
Efeitos tóxicos
Os efeitos tóxicos podem-se desenvolver depois do uso prolongado
de um medicamento, doses excessivas ou quando o medicamento
se acumula no sangue por causa de metabolismo ou excreção
prejudicada.

As quantidades de medicamentos acumulados excessivamente


dentro do corpo podem ter efeitos letais, dependendo da ação do
medicamento.

36
Dependência do fármaco

Alguns indivíduos desenvolvem um forte impulso de usar


repetidamente fármacos psicoativos devido aos efeitos prazerosos e
do estado mental alterado que elas produzem .

A dependência pode ser tanto psíquica quanto psicológica.

37
Tolerância
Diz-se que a tolerância ao fármaco se desenvolve quando há a
necessidade de aumentar a dosagem do fármaco para atingir o
mesmo nível de efeito terapêutico que era alcançado quando o
fármaco foi administrado pela primeira vez.

Esta tolerância pode ser de natureza farmacodinâmica, envolvendo


uma reduzida capacidade de resposta dos receptores, ou
farmacocinética, envolvendo uma taxa aumentada de
biotransformação.

38
Populações especiais
de pacientes

Certas precauções e adaptações são necessárias quando se


prescrevem ou administram fármacos a determinada
população de pacientes que são particularmente vulneráveis
aos efeitos dos fármacos administrados.

Entre estes pacientes estão:

Pacientes Pacientes
Gestantes e
RN e crianças insuficiência insuficiência Idosos
lactantes
renal hepática

39
FORMAS DE APRESENTAÇÃO E VIAS DE
ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS

• AULA 1

40
Classificação dos
medicamentos

• Podem ser classificados:

• Forma;

• Apresentação;

• Quanto a sua Forma, os medicamentos podem ser:

• Sólidos ( cápsulas, comprimidos)


• Líquidos (xaropes, suspensões, soluções)
• Semisólidos ( géis, cremes, loções, pomadas)
• Gasosos.

41
Classificação dos
medicamentos
• Quanto a sua Apresentação

• Uso Interno: expressão que indica a administração


de medicamentos por via oral

• Uso Externo: expressão usada para indicar


aplicação local ou tópica de medicamentos

• Uso Parenteral: indica o uso de medicamentos por


via que não seja interna ou enteral
– Intravenosa
– Intramuscular
– Subcutânea

42
das propriedades Hidro ou lipossolúveis

do grau de ionização do
fármaco

dos objetivos Início rápido ou lento da


A escolha da via de terapêuticos desejados ação

administração de um
da idade do paciente
fármaco vai
depender: da adesão do paciente
ao tratamento
prolongado
da estrutura química do
fármaco.
Da ação restrita a
determinado local do
organismo
43
VIAS DE ADMINISTRAÇÃO

44
As fármacos são normalmente administrados
sistematicamente ou aplicados topicamente.

Várias vias podem ser usadas para a administração ou


liberação sistêmica de um fármaco no organismo.

Tópica Via parenteral


Via enteral

IV
VO
IM
Via sublingual
SC
Via retal
ID
45
46
47
48
49
50
51
52
53
54
55
Teste rápido

1. Enquanto ensina um paciente a respeito da terapia


medicamentosa para o diabetes, você revê a absorção,
distribuição e a excreção de insulina e dos agentes
hipoglicemiantes orais. Qual princípio da farmacologia você
está descrevendo?

a) Farmacocinética
b) Farmacodinâmica
c) Farmacoterapêutica
d) Potência medicamentosa
56
Teste rápido

2. Qual ramo da farmacologia estuda a maneira pela qual os


medicamentos agem no organismo?

a) Farmacoterapêutica
b) Farmacocinética
c) Farmacodinâmica
d) Interações medicamentosas

57
Teste rápido

3. O termo que descreve o que a droga faz ao organismo e,


particularmente, seu mecanismo de ação é chamado de:

a) Farmacoterapêutica
b) Farmacocinética
c) Farmacodinâmica.
d) Interações medicamentosas

58
Teste rápido

4. A dificuldade na seleção de uma droga e na determinação


da posologia para um paciente individual pode ser
atribuída a:

a) Variabilidade entre pacientes na resposta as drogas.


b) Mudança na condição da doença do paciente.
c) Variabilidade na eliminação da droga.
d) Alternativas a e c somente.
e) Alternativas a, b e c

59
Obrigada!!!!!!!!!!!!
60