Você está na página 1de 17

Resumo de Eletrodinâmica

i = Corrente Elétrica (A)


Δq = quantidade de carga elétrica no fio em movimento (C = coulomb)
milicoulomb:
microcoulomb:
nanocoulomb:

n = número de elétrons

e = carga elementar de um elétron = 1,6 10-19C

Esta fórmula é usada para a


i = intensidade de corrente corrente elétrica média ou
elétrica (A = ampère) quando a corrente elétrica for
constante:

Δt = tempo (s = segundos)

Cálculo da carga elétrica quando é fornecido o gráfico da


intensidade de corrente pelo tempo:

Área do retângulo =

Área do triângulo =

Área do trapézio =

No caso deste exemplo 1: N = numericamente: a carga elétrica nada


tem haver com uma área. O que ocorre é que
a fórmula da área é equivalente a fórmula
Área do trapézio = para calcular a carga elétrica média.

Exemplo 2: Note que a unidade de medida da corrente elétrica


está em mA = 10-3A. “Pegadinha” comum nestes gráficos.
Fique atento.

Esta figura também é um trapézio.


Área do trapézio =
Intensidade de corrente média =

1
U = DDP = diferença de potencial ou tensão elétrica ou voltagem (V)
U = diferença entre os potenciais de dois pontos (V = volt) UAB = VA - VB

Exemplo 3 - tomadas:

Exemplo 4 – ligação da fiação elétrica em uma casa:

2
R = Resistência elétrica de um fio ()
Símbolos do resistor:
R = valor da resistência elétrica de um resistor ( = ohm)
ou
Resistor é um “fio fininho” que serve para limitar a
quantidade de corrente elétrica que atravessa um fio. Além Aparelhos que usam resistores:
disto ele pode gerar calor e se o fio fino ou filamento ficar
em brasa irá gerar luz.

Nem só o “fio fininho” faz a função de um resistor. Todo


material condutor de eletricidade pode fazer esta função de
resistir a passagem de elétrons. O corpo humano e a água
salgada são bons exemplos de outros condutores.

3
1ª Lei de Ohm
U = DDP (diferença de potencial) ou tensão elétrica ou voltagem (V = volt)

R = resistência elétrica de um resistor ( = ohm) 1kV = 1000V


1k = 1000
i = intensidade de corrente elétrica (A = ampère) 1mA = 0,001A

Gráfico de resistor Gráfico de resistor não


ôhmico: o valor da ôhmico: o valor da
resistência é constante. resistência é variável.
Exemplo 5: Exemplo 6:
U=R·i  5 = R·0,05 U=R·i  2 = R·10
 (cte)  (variável)

2ª Lei de Ohm

R = resistência elétrica de um resistor ( = ohm)

 = resistividade = depende do tipo de material (·m; ·cm/mm2; etc)

L = comprimento do fio (m; cm; mm; etc)

A = área da secção transversal do fio (m2; cm2; mm2; etc)

d = diâmetro da secção transversal

r = raio da secção transversal

Variação da resistência com a temperatura

R = resistência elétrica final de um resistor ( = ohm)

Ro = resistência elétrica inicial de um resistor ( = ohm)

 = coeficiente de temperatura do material (ºC-1)


Para metais  > 0 (positivo)
Para as ligas especiais  = 0 (não altera o valor da resistência)
Para a grafita e as soluções eletrolíticas  < 0 (negativo)

Δ = variação de temperatura = final - inicial

 = resistividade (·m; ·cm/mm ; etc)


2

o = resistividade inicial (·m; ·cm/mm ; etc)


2

4
Pot = Potência Elétrica (W)
Pot = potência elétrica (W = watt) À partir da 1ª Lei de Ohm, , chegamos
U = DDP ou tensão elétrica (V = volt) nas fórmulas auxiliares:
i = intensidade de corrente elétrica (A = ampére) e
Fórmula principal:

Eel = Energia Elétrica (J ou kWh)


Eel = energia elétrica
(J = joule = para S.I. Sistema Internacional de   
Unidades de Medidas) J W s  S.I.
(kWh = quilowatt-hora = para cálculo do valor kWh kW h  conta de luz
da conta de luz)
1 kW = 1000 W
Δt = tempo
(s = segundos = para S.I.) 1 h = 60 min = 3600 s
(h = horas = para conta de luz)

Eel = Q = Energia Elétrica transformada em térmica (J ou cal)


Eel = energia elétrica (J ou cal)

Q = quantidade de calor = energia térmica


(J ou cal) Quando varia a temperatura:

QS = quantidade de calor sensível, usado quando


varia a temperatura mas sem mudar o estado físico.
Quando varia o estado físico:

QL = quantidade de calor latente, usado quando


muda o estado físico, mas sem variar a temperatura. 1 cal  4,2 J

1 kg = 1.000 g
m = massa (g ou kg)
cágua = 1 cal/g·ºC ou 4.200 J/kg·ºC
c = calor específico (cal/g·ºC ou J/kg·ºC)
cgelo = cvapor = 0,5 cal/g·ºC ou 2.100 J/kg·ºC
L = calor latente (cal/g ou J/kg)
Lfusão do gelo = 80 cal/g ou 336.000 J/kg
Δ = variação da temperatura = final - inicial (ºC)
Lebulição da água = 540 cal/g ou 2.268.000 J/kg

5
Associação de resistores
SÉRIE PARALELO

Características: Características:
- A corrente elétrica não se divide. - A corrente elétrica se divide.
- Não existem nós (emenda de 3 ou mais fios). - Existem nós (emenda de 3 ou mais fios).
- O valor da resistência elétrica total aumenta. - O valor da resistência elétrica total diminui.

Req = RT = RAB = resistência equivalente ou


resistência total ()

iT = intensidade de corrente elétrica total (A)

UT = UAB = DDP ou tensão total (V)

RT = R1 + R2 + R3 + ··· + RN

iT = i1 = i2 = i3 = ··· = iN iT = i1 + i2 + i3 + ··· + iN

UT = U1 + U2 + U3 + ··· + UN UT = U1 = U2 = U3 = ··· = UN

Dica: Repare que nesta associação do tipo Dica: Repare que nesta associação do tipo
“sériiiiiiiiii...” o valor do “i” é sempre igual. “paraleluuuu...” o valor do “U” é sempre igual.

Regras práticas de cálculo para dois casos particulares de associação em paralelo


Para dois resistores (e apenas dois) em paralelo: Para N resistores iguais e em paralelo:

(produto pela soma)

6
Exemplos de exercícios de associação de resistores:
Exemplo 7 – No circuito abaixo, após fechar a Exemplo 8 - No circuito abaixo, após fechar a
chave S, calcule: chave S, calcule:

a) O valor da resistência total. a) O valor da resistência total.


b) A intensidade de corrente elétrica em cada b) A intensidade de corrente elétrica em cada
resistor. resistor.
c) A ddp de cada lâmpada. c) A ddp de cada lâmpada.
d) A potência de cada resistor e a potência total. d) A potência de cada resistor e a potência total.

Exemplo 9 - No circuito abaixo, calcule: Exemplo 10 - No circuito abaixo, calcule:

a) O valor da resistência total.


b) A ddp de cada resistor.
c) A intensidade de corrente elétrica total e em
a) O valor da resistência total. cada resistor.
b) A ddp total e de cada resistor. d) A potência de cada resistor e a potência total.
c) A intensidade de corrente elétrica em cada
resistor. Dado: 1 k = 1.000
d) A potência de cada resistor e a potência total.

Exemplo 11 - No circuito abaixo UAB = 120V, Exemplo 12 - No circuito abaixo UAB = 70V,
calcule: calcule:

a) O valor da resistência total. a) O valor da resistência total.


b) A ddp de cada resistor. b) A ddp de cada resistor.
c) A intensidade de corrente elétrica total e em c) A intensidade de corrente elétrica total e em
cada resistor. cada resistor.
d) A potência de cada resistor e a potência total. d) A potência de cada resistor e a potência total.

7
Exemplo 13 - No circuito abaixo UAB = 70V, Exemplo 14 - No circuito abaixo UAB = 70V,
calcule: calcule:

a) O valor da resistência equivalente entre os a) O valor da resistência equivalente entre os


pontos A e B. pontos A e B.
b) A intensidade de corrente elétrica total. b) A intensidade de corrente elétrica total.
c) A ddp e a corrente de cada resistor. c) A ddp e a corrente de cada resistor.
d) A potência total. d) A potência total.

Exemplo 15 - No circuito abaixo, calcule: Exemplo 16 - No circuito abaixo calcule o valor


da resistência equivalente entre os pontos A e B.

a) O valor da intensidade da corrente elétrica e a


ddp sobre o resistor 3.
b) O valor da ddp e o valor dos resistores 1 e 2.
c) O valor da ddp total.
d) O valor da resistência equivalente.

Exemplo 17 - No circuito abaixo calcule o valor da resistência equivalente e a intensidade da


corrente elétrica total.

Respostas:

8
Aparelhos de medidas elétricas: Amperímetro e Voltímetro
Amperímetro = aparelho que serve para medir Voltímetro = aparelho que serve para medir a
a intensidade de corrente elétrica. ddp ou tensão elétrica ou voltagem.
É sempre colocado em série no circuito, pois em É sempre colocado em paralelo no circuito, pois
“sériiiiiiiiiii...” o valor de “i” é igual. em “paraleluuuuuuu...” o valor do “U” é sempre
igual.

Atenção: se colocar um amperímetro em


paralelo, como sua resistência interna é muito
pequena, tendendo a zero, ela causará um
curto-circuito.
Atenção: se colocar um voltímetro em série,
Amperímetro com voltímetro: como sua resistência interna é muito grande,
tendendo ao infinito, ele não permitirá a
passagem de corrente elétrica. O circuito apenas
para de funcionar.

Circuito com amperímetro e voltímetro


Exemplo 18 – No circuito da figura, o Exemplo 19 – No circuito da figura abaixo, a
voltímetro indica o valor de 120V e o bateria tem uma ddp total de 12V. Determine:
amperímetro de 4A. Determine:

a) O valor da resistência elétrica do resistor R5.


b) O valor da intensidade da corrente elétrica
que passa pelo resistor R6.
c) O valor da DDP da bateria que o circuito está
ligado.
d) A energia consumida pelo circuito em 1 a) A resistência elétrica total do circuito.
minuto. b) As leituras do voltímetro e do amperímetro.
c) A ddp e a intensidade de corrente elétrica no
resistor entre os pontos X e Y.
Respostas:

9
Autoavaliação

Estes exercícios é para você testar se entendeu a base de circuitos elétricos

1. Quatro resistores, todos de mesma 3. Considere que um determinado estudante,


Resistência Elétrica R, são associados entre utilizando resistores disponíveis no
os pontos A e B de um circuito elétrico, laboratório de sua escola, montou os circuitos
conforme a configuração indicada na figura. apresentados abaixo:
Calcular a resistência elétrica equivalente
entre os pontos A e B.

Querendo fazer algumas medidas elétricas,


usou um voltímetro (V) para medir a tensão e
um amperímetro (A) para medir a intensidade
da corrente elétrica. Considerando todos os
elementos envolvidos como sendo ideais,
calcular os valores medidos pelo voltímetro
(situação 1) e pelo amperímetro (situação 2)

Resp.: 4R/3

2. No circuito desenhado abaixo, a


intensidade de corrente elétrica contínua que Resp.: 4V e 1,2A
passa pelo resistor de 50 Ω é de 80 mA.
Calcular a força eletromotriz  do gerador 4. Analise o circuito abaixo. Sabendo-se que a
ideal, em volts, ou seja, a ddp da bateria ou corrente I é igual a 500 mA, calcular o valor
ddp total. da tensão fornecida pela bateria, em volts.

Resp.: 6V Resp.: 30V

10
Ponte de Wheatstone

A Ponte de Wheatstone serve para descobrir o valor de um resistor desconhecido, tendo 3 resistores
conhecidos e um galvanômetro ou um fio de comprimento conhecido e um galvanômetro.

O Galvanômetro é um medidor de corrente elétrica de baixa intensidade. Para valer as relações


matemática, a condição é que o valor marcado no galvanômetro seja de zero ampère ou a DDP nos
terminais do galvanômetro ser zero.

A relação matemática para esta Ponte de A relação matemática para a Ponte de


Wheatstone é obtida ao se igualar a Wheatstone com fios é obtida igualando as
multiplicação dos resistores que estão nas multiplicações dos resistores com os
diagonais opostas. comprimentos dos fios que estão nas diagonais
opostas.
iCD = iG = ZERO e UCD = ZERO

Exemplo 20 – O galvanômetro da figura abaixo indica zero ampères.


Isto significa que a Ponte de Wheatstone esá em equilíbrio e é possível
aplicar a sua relação matemática.

Determine:
a) O valor do resistor R.
b) A intensidade de corrente elétrica no resistor de 15.
c) A ddp no resistor de 20.
d) A corrente elétrica total do circuito.

Resposta:

11
Gerador
Gerador é o elemento que fornece a ddp e corrente elétrica para o circuito.
Pode ser uma pilha, uma bateria ou uma tomada que transmite a energia do gerador de uma usina
hidrelétrica.

Gerador de corrente contínua Gerador de corrente alternada

As pilhas ou baterias fornecem uma corrente A tomada fornece uma corrente alternada, ou seja, a
contínua, ou seja, a corrente elétrica tem um corrente elétrica muda de sentido várias vezes por
único sentido. segundo. No Brasil, esta frequência é de 60Hz, ou
seja, a corrente inverte de sentido 60 vezes em um
segundo.

Receptor
Receptor é o elemento que absorve a energia gerada por um gerador.
Pode ser um motor ou uma pilha invertida no circuito.
Um receptor só funciona se estiver ligado a um gerador, necessariamente.

12
Equações de Gerador e Receptor
Gerador: Receptor:
A corrente elétrica entra pelo – e sai pelo + A corrente elétrica entra pelo + e sai pelo –

A ddp útil nos terminais do gerador (U) é o A ddp total nos terminais do receptor (U`) é o
resultado de toda ddp gerada (E) pela fem resultado da ddp útil pela fcem (E`) mais o que o
menos o que o próprio gerador gastou com sua próprio receptor gastou com sua resistência
resistência interna (Uresistência = r·i). interna (U`resistência = r`·i).

Uútil gerado = Utotal do gerador - Udissipado pelo resistor Utotal gasto = Uútil do receptor + Udissipado pelo resistor
Equação do Gerador Equação do Receptor
U = E – r·i U` = E` + r`·i
U = ddp útil (diferença de potencial) (V) U` = ddp total (diferença de potencial) (V)
E = fem = força eletro motriz = ddp total gerada E` = fcem = força contra eletro motriz = ddp útil
pela bateria (V) gasta pelo receptor (V)
r = resistência interna do gerador () r` = resistência interna do receptor ()
R = resistência externa ao gerador ()
i = corrente elétrica do circuito (A) Uma vez que a ddp útil do gerador é a mesma
para o receptor mais o resistor, podemos igualar:
Para o circuito externo, a ddp útil do gerador é a
mesma consumida pelo resistor externo, assim: U`receptor + Uresistor = Ugerador 
E` + r`i + Ri = E - ri  r`·i +Ri + ri = E – E`
U = Ri
Uma vez que a ddp útil é a mesma para o Lei de Pouillet:
gerador e para o circuito externo (resistor),
podemos igualar:
Onde: , ou seja, a ddp gerada tem que ser
U = U  Ri = E - ri  Ri + ri = E
maior que a ddp consumida ou recebida.

Lei de Pouillet:

13
Associação de geradores e receptores
Para vários geradores e receptores associados em série:
Para vários geradores associados em série: ∑ ∑
Lei de Pouillet:
∑ ∑ ∑
∑ Onde: ∑ ∑ , ou seja, a ddp total gerada
Lei de Pouillet:
∑ ∑ tem que ser maior que a ddp total consumida ou
recebida.

Gráficos de Gerador, Receptor e Resistor


Gerador Receptor Resistor

U = E - r·i U` = E` + r`·i U = Ri


Sempre é uma função do 1º grau Sempre é uma função do 1º Sempre é uma função do
decrescente. grau crescente. 1º grau crescente que tem
Os valores de E e r são constantes. Os valores de E` e r` são início na origem do
constantes. sistema de coordenadas
Exemplo 21) U = 36 - 3·i, ou seja, cartesianas.
E = 36V e r = 3. Exemplo 22) U´ = 9 + 3·i, ou
seja, E` = 9V e r` = 3. O valor de R é constante.

Exemplo 23) U = 5·i, ou


seja, R = 5.

Observação:
- Quando i = 0, o valor de U é a
própria fem E. Isto significa que os
terminais do gerador estão abertos ou
desconectados.
- Quando o valor de U = 0, o valor de i
é icc = E/r . Chamamos este i de icc, ou
seja, corrente de curto circuito. Ocorre
quando os terminais do gerador estão
ligados diretamente em curto-circuito.

14
Potência de Gerador e Receptor (W)
Gerador Receptor

Pt = Pu + Pd Pt = Pu + Pd

Pt = Potência gerada ou potência total Pt = Potência consumida ou potência total


Pt = E·i Pt = U`·i

Pu = Potência útil (lançada) ou potência a ser Pu = Potência útil ou potência a ser utilizada
utilizada fora do gerador ou potência dissipada pelo motor em funcionamento. Transforma a
pelo resistor externo ao gerador. energia elétrica em cinética pelo magnetismo
Pu = U·i = R·i2 Pu = E`·i

Pd = Potência dissipada na forma de calor pela Pd = Potência dissipada na forma de calor pela
própria resistência interna do gerador. própria resistência interna do receptor.
Pd = r·i2 Geralmente os fios do enrolamento do motor
geram esta resistência.
Pd = r`·i2

Potência Útil Máxima do Gerador (W)


Ocorre quando o valor da corrente elétrica vale
metade da corrente de curto-circuito. Assim:
( )

 equação do 2º grau  parábola 

( )

Rendimento do Gerador e Receptor( )


Gerador Receptor

15
Leis de Kirchhoff
Lei dos Nós Lei das Malhas

A somatória das correntes elétricas que chegam A somatória de todas as ddps em uma malha é
em um nó são iguais a somatória das correntes sempre igual a zero.
elétricas que saem dos nós. Lembrando: U=R·i

∑ ∑ ∑ ∑ ∑

Sentido da ddp para ser considerado em cada aparelho:

Gerador: o sentido da ddp é Receptor: o sentido da ddp é Resistor: o sentido da ddp é


sempre do – para o + sempre do – para o + sempre opôs ao da corrente
elétrica.

Exemplo 24 – Dado o circuito abaixo, determine:

a) Os valores de i1, i2 e i3.


b) A ddp entre os pontos AB, AC, AD e AE.
Respostas:

16
RESUMÃO
Carga elétrica (C): Associação de resistores em Gerador:
sériiiiiiiiiii... (o “i” é igual): U = E – r·i
RT = R1 + R2 + R3 + ··· + RN
Corrente elétrica (A): U = Ri
iT = i1 = i2 = i3 = ··· = iN

UT = U1 + U2 + U3 + ··· + UN
Δq = área do gráfico i x t
Associação de resistors em
DDP (V): paraleluuuu… (o “U” é igual):
UAB = VA - VB

1ª Lei de Ohm:
iT = i1 + i2 + i3 + ··· + iN
Pt = Pu + Pd; Pt = E·i
2ª Lei de Ohm (): UT = U1 = U2 = U3 = ··· = UN
Pu = U·i = R·i2; Pd = r·i2
Para dois resistores em
paralelo:

Para N resistores iguais em


paralelo: Receptor:
U` = E` + r`·i

Ponte de Wheatstone:
Variação da resistência elétrica
com a temperatura: ou

Leis de Kirchhoff:
∑ ∑
Potência elétrica (W):
;
∑ ∑ ∑ Pt = Pu + Pd; Pt = U`·i
ou
Pu = E`·i; Pd = r`·i2
Energia elétrica (J ou kWh):

Energia elétrica transformada


em térmica (quantidade de Associação de geradores com
calor) (J ou cal): receptores:
∑ ∑
ou ∑ ∑ ∑
ou
By Prof. Nilton Sihel – imagem obtidas na internet e adaptada para esta apostila

17

Você também pode gostar