Você está na página 1de 7

NÃO SOU PENTECOSTAL OU CARISMÁTICO

Uma análise à Luz da Palavra do Senhor

“O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão;
havendo ciência, desaparecerá”. (1Co 13:8)

Eu não sou Pentecostal. Nem carismático. O Pentecoste só ocorreu uma vez,


inaugurando a igreja (Atos 2). Tenho o Espírito Santo como todo aquele que é nascido de
novo, pela fé EXCLUSIVA em Jesus Cristo e em Sua Palavra (João 3:3-7). Mas, dizer que
sou pentecostal, "na-na-ni-na-não".
Esclareço que escrevo sobre este assunto, para contestar, biblicamente, as
doutrinas pentecostais ou carismáticas (At 17:11) e não aqueles que as seguem. Mas, se
alguém interpretar, equivocadamente, como "preconceito" ou coisas do gênero, o que
posso fazer? (Gl 4:16)
Gostaria que o leitor analisasse cada versículo bíblico que será citado neste artigo,
estudando-o, com humildade, sem idéias pré-concebidas (Atos 17:11; 1Jo 4:1), aceitando
o que a Bíblia nos ensina, pois ela é e deve ser, sempre, nossa única regra de fé e prática!

Não sou pentecostal, muito menos carismático, porque:

- nessas doutrinas, o Espírito Santo tem sido exaltado, sendo que, o que lemos na
Bíblia é que Ele não fala de Si próprio, mas sim de Cristo e glorifica somente Cristo Jesus
como Senhor e Salvador (Jo 16:13-14);
- os pentecostais e carismáticos não obedecem ao ensinamento bíblico quanto ao
“dom de línguas”. Temos, a este respeito, quatro normas: a) Línguas eram sinais para os
judeus incrédulos (Is 28:11; 1Co 1:22; 14:21-22); b) Somente duas ou, no máximo, três
pessoas podiam falar numa reunião (1Co 14:27); c) Somente era permitido falar se
houvesse intérprete presente (1Co 14:27-28); d) O dom de línguas foi temporário (1Co
13:8-10);
- não falo em “línguas estranhas”, pois a Bíblia se refere a línguas que eram
“desconhecidas” pelo falante e não a línguas ininteligíveis. O apóstolo Paulo preferia falar
5 (cinco) palavras do seu próprio idioma e entendimento do que 10.000 (dez mil) palavras
em línguas desconhecidas (1Co 14:19-20). Toda vez, no N.T., que alguém falou em
línguas, falou em línguas dos estrangeiros presentes no local, mesmo sem tê-las estudado
ou aprendido, e os estrangeiros os entenderam perfeitamente. Lemos em Atos que, na
ocasião do Pentecoste, havia pessoas de “... todas as nações que estão debaixo do céu” (At
2:5) e todos entenderam o que os discípulos falaram (At 2:8, 11); [1]
- já sou batizado, pois nasci de novo pela fé em Jesus Cristo, e o Espírito Santo já
habita em mim, não havendo na Bíblia a menção a nenhum “segundo batismo” (Mc 16:16;
1Co 3:16; 6:19; Gl 3:27; Ef 4:5, etc). Temos somente 3 casos, na Bíblia, de pessoas que
receberem o batismo com o Espírito Santo de uma forma especial: os judeus, em
Jerusalém, por ocasião do Pentecoste (At 2); os samaritanos, que eram um povo misto
entre judeu e gentio (At 8:17) e os gentios (At 10:44-46). Com estes fatos, Deus mostrou
que podiam ser salvos todos, tanto judeus, como povo misto entre judeu e gentio
(samaritanos), como também os demais gentios (que é o nosso caso, hoje, como igreja).
Todos os que vierem a crer em Jesus Cristo, desde então, já são batizados no Espírito
Santo (1 Co 12:13); a pessoa recebe o Espírito Santo quando se converte (Ef 1:13) e, se
alguém ainda não tem o Espírito Santo, é porque não é salvo, pois não se converteu, não
nasceu de novo (Rm 8:9); [2]
- não quero ser “batizado pelo fogo”, pois, no contexto de Lc 3:17 e Mt 3:12, a
Palavra de Deus nos explica que o fogo representa castigo em fogo inextinguível. Alguns
dos ouvintes dessas passagens seriam batizados com o Espírito Santo, e outros deles (os
que não cressem) seriam imersos no fogo do castigo eterno, por terem amado mais as
trevas que a luz (Jo 3:19). O que o cristão deve procurar, sim, é ficar cheio do Espírito
Santo (Ef 3:19; 5:18);
- não compro livros com "fogo" na capa, de jeito nenhum, pois o fogo de Deus é
para o juízo e condenação, como já foi mostrado. Ai dos que clamam por fogo! (Mt 3:12;
13:40; 25:41; 2Ts 1:7-8; Hb 12:29, etc);
- não tenho o “dom de curar”, pois o mesmo não existe mais (Fp 2:26-28; 1Tm
5:23; 2Tm 4:20). Entretanto, creio que Deus pode curar, sim, quem e quando Ele desejar,
pois Ele é Soberano. Posso orar por um enfermo e creio que Deus poderá curá-lo "se for
da Sua vontade" (Tg 5:14). Mas, “Euzinho da Silva” não tenho o "dom de curar" ninguém;
- não grito na igreja, não danço, não requebro, não faço coreografias, etc. Muitos
entendem a 1Cr 15:29 erroneamente, pois Davi não “dançou” diante da arca da aliança,
mas deu saltos de alegria, conforme se entende do estudo do grego. Note que "râqad", a
palavra usada, não significa dança sensual, pois é a mesma palavra usada para os pulos
dos bodes barbudos, em Is 13:21! E os pinotes dos bodes são muito diferentes dos
requebros dos carismáticos. Note também que esta tem que ter sido a primeira vez que
Davi fez o que fez, do contrário, Mical não teria se surpreendido e indignado tanto, não é?
Foi também a única vez que alguém râqad (deu grandes saltos de alegria, o que é
completamente diferente de dançar) em frente da Arca, chegando à sua cidade ou em
qualquer outra ocasião de invulgar alegria no Senhor, senão a Bíblia narraria detalhe tão
importante. E, mesmo assim, Davi não se encontrava em um culto a Deus, naquela
ocasião, pois não estava no templo, mas na cidade. Se ele estivesse no templo, em um
culto a Deus, e SE estivesse realmente dançando (da maneira que os carismáticos e
pentecostais fazem hoje em seus cultos), mesmo assim, este não seria um exemplo a ser
seguido por nós, pois somos igreja (gentios) e não judeus! No culto que prestamos a
Deus, tem que haver respeito e reverência e não uma festa da carne, um Carnaval (1Co
10:32, Ef 5:19; Cl 3:16). A verdadeira adoração deverá ser feita “... em espírito e em
verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem” (Jo 4:23) e, tenho lá minhas
restrições à tal Música Cristã Contemporânea, onde há mais letras heréticas que tudo;
- não entro em êxtase, não tenho “riso santo”, não tenho dentes de ouro, não sinto
eletricidades pelo corpo, não sou místico, nada disso (e nem quero. Deus me livre!). O
culto a Deus deve ser prestado de forma racional (Rm 12:1);
- não caio na unção, pois a unção foi dada uma vez por todas à igreja, no dia do
Pentecoste, e permanecerá até a vinda do Senhor (1Jo 2:20, 27) e não precisamos de
"renovo" da unção;
- não busco sinais, até porque, quem os busca, são os judeus e eu não sou judeu
(Mt 12:38; 16:1; Jo 2:18, 23; 3:2; 4:48; 6:2, 30; 11:47; 12:37; 20:25; At 8:6). Eu creio
em Jesus Cristo, pela fé, pela Palavra e não preciso de sinais para crer (Jo 20:29; 2Co
5:7). Os sinais e prodígios serviram para autenticar o ministério dos apóstolos e discípulos,
confirmando a Palavra, mas suas missões já terminaram, com o fechamento do cânon (Mc
16:20; At 2:43; 5:12; 6:8; 14:3; Rm 15:19; 2Co 12:12; Hb 2:4) não havendo mais
apóstolos depois de Paulo, que foi o último (1Co 15:9; Gl 1:15-16; Cl 1:24-25; 1Tm 2:7;
2Tm 1:11); [3]
- não quero ser enganado por espíritos enganadores e falsas doutrinas. Eu pensava
que os ímpios é que não suportariam a sã doutrina nos tempos finais. Mas, hoje, vejo
que Mt 7:22-23, a 1Tm 4:1 e a 2Tm 4:3 estão mais direcionadas aos crentes "nominais"
(e aqui estão incluídos os buscadores de “sinais e prodígios”), pois eles é que operam
“sinais e maravilhas” e são eles que não estão suportando a sã doutrina, amontoando
para si "doutores", conforme as suas próprias concupiscências, dando ouvido a doutrinas
de demônios;
- não quero ser iludido por uma falsa compreensão de sinais e prodígios/milagres.
Os relatos bíblicos nos mostram que os milagres sempre tiveram propósitos específicos: a)
no A.T., era para provar que Deus é o Senhor (Êx 7:17; 8:22; etc); b) no N.T. era para
provar que Jesus é o Filho de Deus (Jo 20:30-31); c) nestes últimos dias, a “terceira onda
de sinais e milagres” está predita na Bíblia para pouco antes do arrebatamento e o início
da Grande Tribulação. Portanto, trata-se da nossa época. Esta onda acontece sob o poder
de Satanás, mediante falsos cristos e falsos profetas, a fim de preparar as religiões para a
adoração do Anticristo (Mt 24:24; 2Ts 2:9-12; Ap 13:11-14). Todos os textos da Bíblia que
falam sobre sinais e milagres (prodígios/maravilhas), para a nossa época, referem-se à
atuação de espíritos enganadores que preparam o caminho para o Anticristo. Isso não
significa que Deus não possa fazer milagres, isoladamente; porém, essa onda frenética de
movimentos milagreiros, “cultos de milagres” pré-agendados, etc., não pode ser atribuída
a Deus. Creio que quem está operando supostos "milagres", hoje em dia, são falsos
profetas (Mt 7:22; Mc 13:22-23) e espíritos enganadores e doutrinas de demônios (1Tm
4:1). E estas operações são por intermédio da mentira, da operação do erro (2Ts 2:9-12).
Mateus 7:22-23 é um importante alerta: Qual é o grupo que enfatiza “profetizar, expulsar
demônios, fazer maravilhas (milagres)”, nestes últimos tempos? São as igrejas
pentecostais e carismáticas. Este texto nos mostra que estas pessoas se iludem, pensando
que são salvas porque conseguem fazer coisas fantásticas, que os demais crentes
tradicionais (a quem eles chamam de “frios” ou “mornos”) não conseguem. E o fato de a
Bíblia destacar, neste contexto, a palavra "muitos", isto mostra que haverá uma multidão
de pentecostais e carismáticos ficando fora do céu, porque se deixaram enganar pelos
sinais, prodígios, milagres e maravilhas;
- não vivo sob a Lei, sob os costumes e festas judaicas, haja vista o ensino
neotestamentário do fim da Lei mosaica em Cristo Jesus (Lc 16:16; Rm 14:5, 17; Gl 3:23-
25; 5:4; Ef 2:15; Cl 2:14-16). Também não sei tocar o shofar, pois não sou judeu e não
pega bem tocar “berrante” dentro da igreja (1Co 10:32; 2Co 6:3);
- não vivo sob as doutrinas do A.T., apesar de toda a Bíblia ser importante para o
crente (2Tm 3:16-17); mas a doutrina que me guia, como igreja/gentio que sou, são as
Cartas do apóstolo Paulo (“O apóstolo dos gentios” – At 9:15; 13:46-48; 18:6; 21:19;
22:21; 28:25-29; Rm 11:13; Ef 3:1, 8; Gl 1:15-16; 1Tm 2:7; 2Tm 1:11), as Cartas
Paulinas (de Romanos a Filemom); pois não sou judeu, mas gentio (Rm 9:24-26; Gl 3:8;
3:14; Ef 3:6; Cl 1:27; 2Tm 4:17, etc), sendo salvo pela graça, mediante a fé, e não por
obras ou por “cumprir a Lei” (Gl 5:4; Ef 2:8-9), pois Jesus Cristo já cumpriu a lei e os
profetas e está tudo consumado (Mt 5:17; Jo 19:30; Ef 2:15; Cl 2:14);
- eles não obedecem aos princípios bíblicos quanto ao ministério da mulher na
igreja, pois hoje há até mulheres “profetas, profetizas, pastoras, diaconisas”, etc., sendo
que a mesma 1 Coríntios que é tão louvada pelos pentecostais fala que é VERGONHOSO a
mulher falar nas Igrejas (1Co 14:34-35; 1Tm 2:12) ou exercer liderança sobre dos
homens (1Co 11:3; Ef 5:23); quem dirá pregar ou se intitularem “pastoras” e “bispas” (e
até “apóstolas”);
- não sou adepto do “Movimento da Batalha Espiritual”, pois, na cruz do Calvário,
Jesus Cristo triunfou sobre os demônios (Jo 12:31-33; Cl 2:14-15). Não há nada no texto
bíblico que dê margem às técnicas especiais de “caça ao Diabo” e “entrevistas” com o
mesmo, ensinadas pelo referido Movimento;
- não creio na “Teologia da Prosperidade”, pois o próprio Jesus Cristo não tinha
onde reclinar a cabeça (Mt 8:20) e as bênçãos prometidas aos crentes (igreja) são,
primeiramente, espirituais e não materiais (Ef 1:3). Deus nos abençoa? Sem dúvida
alguma! Porém, não temos que ser gananciosos (Mt 6:25-31; Hb 13:5); e, não temos
direito algum de “reivindicar” ou mesmo “determinar” alguma coisa, pois não há base
bíblica para isto;
- não creio que eu precise “perdoar a Deus”. Na Bíblia, não há nenhum versículo
que justifique tal heresia;
- não creio em “maldição hereditária”, pois a maior das maldições que alguém pode
sofrer na vida é estar sem Cristo. Quem está em Cristo (os salvos), tem a maior das
bênçãos espirituais e nenhuma maldição é possível contra ele (Ez 18:1-4; Mt 11:28; Jo
8:36; Lc 4:18; Rm 8:1; 1Co 6:11; 2Co 5:17; Fp 3:13-14; Hb 7:25; 1Jo 2:1);
- não creio em “perda de salvação”, pois, a Bíblia nos garante que uma vez salvo,
sempre salvo, pois o crente está selado no Espírito Santo (Ef 1:13; 2Tm 2:19) e este selo
é inviolável e irrevogável (Es 8:8; Dn 6:12) e tem o penhor do Espírito Santo como
garantia segura e inabalável da salvação, pois quem nos mantém salvos é o Senhor e não
nosso esforço pessoal (Jo 3:16; 10:29; Rm 8:33-34; 2Co 1:22; 5:5; Fp 1:6; 2:13);
- não consulto, nem creio em “profetas” modernos (ou “videntes”, ou
“sonhadores”), pois a Bíblia proíbe a “cartomancia evangélica” (Jr 5:13), e Jesus Cristo
disse que “... A lei e os profetas duraram até João” (Lc 16:16a), pois a linhagem de profetas
terminou com João Batista (Mt 11:13). E, depois de João Batista, não nasceu mais
profetas, sendo que os que profetizaram depois de João Batista, eram nascidos antes
dele; logo, eram mais velhos que ele. Jesus cumpriu a mensagem dos profetas (Mt 1:22;
Mt 26:56; Lc 24:44);
- não faço profecias (que não passam de “profetadas”), pois o “dom de profecias”
não existe mais (1Co 13:8-10). Nem acredito em “novas revelações proféticas”, ou em
quem as faça, atualmente, pois a revelação de Deus aos homens já está finalizada, com o
fechamento do cânon das Escrituras. A Bíblia proíbe quaisquer acréscimos às Escrituras
(Dt 4:2; Pv 30:6; Gl 1:8-9; Ap 22:18-19) e Deus só nos fala, nestes últimos dias, através
da Palavra (Hb 1:1), como resposta às nossas orações, sendo que Jesus Cristo foi a
máxima revelação de Deus aos homens, não havendo mais “revelações”. Deus já nos deu
por escrito tudo o que necessitamos para nossa vida cristã e edificação pessoal, sendo que
a revelação final de Deus para a sua Igreja, hoje, é a Bíblia, a completa e perfeita Palavra
de Deus! (Rm 15:4; 1Tm 4:1; 2Tm 3:16-17; 2Pe 1:3). Quem faz "revelações" atualmente
são espíritos adivinhos (At 16:17-18). Quando a Bíblia diz: “Não desprezeis as profecias”
(1Ts 5:20) ela está se referindo às profecias já existentes na Palavra e não a “novas
profecias” ou “revelações”; pois, na Bíblia, há centenas de profecias ainda aguardando o
cumprimento e não necessitamos de “novas profecias”;
- prefiro permanecer no amor, que é o que nos restou (1Co 13:8, 13), pois “o amor
nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo
ciência, desaparecerá” , sendo que “agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor,
estes três, mas o maior destes é o amor”. Os “profetas” modernos deviam ter mais temor e
saber que, no A.T., quando algum profeta dissesse algo, e não acontecesse, o mesmo
deveria ser APEDREJADO (Lv 20:27). Já pensaram se a Lei do V.T. ainda estivesse em
vigor e isso fosse feito hoje?;
- prefiro andar nas "veredas antigas" porque "assim diz o Senhor: Ponde-vos nos
caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e
achareis descanso para as vossas almas; mas eles dizem: Não andaremos nele" (Jr 6:16).

Por fim, gostaria de fazer alguns comentários, pedidos e sugestões aos pentecostais
ou carismáticos:
a) que me mostrassem, NA BÍBLIA, a existência/necessidade/possibilidade de um
"segundo batismo" (Mc 16:16; Gl 3:27; Ef 4:5, etc);
b) que me mostrassem o relato de algum salvo, na Bíblia, que sentiu, quando da
conversão, alguma sensação do tipo eletrizante a lhe percorrer o corpo, êxtases, ou
quaisquer outros fenômenos semelhantes aos dos carismáticos, tão comuns em
seus cultos;
c) que soubessem que várias seitas, tais como o Catolicismo Romano (Movimento
Carismático Católico), seitas africanas, etc, falam em "línguas ininteligíveis", têm
sensações "eletrizantes" pelo corpo, sonhos, “revelações”, etc. (2Co 11:14);
d) que percebessem que todos esses fenômenos que ocorrem nos cultos carismáticos,
não passam de um grande engodo ou sugestões psicológicas, dentre outras
causas;
e) que JAMAIS colocassem os sentimentos ACIMA das Escrituras (Jr 17:9). Por mais
que sintam algo diferente ou extasiante (calor, sensações de “eletricidade”,
arrepios, tremuras, euforia, ou sei lá mais o que), confiram na Bíblia se isso provém
de Deus (At 17:11; 1Jo 4:1) ou se é por causa de: emocionalismo; "hipnose
coletiva" (muito comum em ambientes preparados para comover); sermões
melosos e melodramáticos; testemunhos impactantes; necessidade de ser como os
demais (para ser aceito pelo grupo); necessidade de "crescer" em santidade;
necessidade de "evidências exteriores" de que está salvo; necessidade de “poder”,
etc.;
f) que revejam os conceitos, ensinos, sentimentos e experiências à luz da sã doutrina
bíblica (Atos 17:11; 1Jo 4:1);
g) que não interpretem, erroneamente, o versículo bíblico que diz: “porque a letra mata
e o espírito vivifica” (2Co 3:6b). A “letra” à qual este versículo se refere é a “Lei
mosaica” gravada em pedras: ”Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo,
ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em
tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração” (2 Co 3:3) E, ainda: “E, se o
ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os
filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu
rosto, a qual era transitória, como não será de maior glória o ministério do Espírito?”
(2Co 3:7). A Palavra de Deus não mata JAMAIS, pois ela é vida! (Sl 119). Jesus
Cristo disse: “O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que
eu vos disse são espírito e vida” (Jo 6:63).
h) que não me levem a mal e prefiram uma dura verdade a uma doce mentira (Gl
4:16).

Lembrem-se: vivemos nos últimos tempos. O que mais há, nos dias atuais, são
falsos mestres, falsos obreiros, falsos pastores e falso evangelho por aí. O Senhor nos
adverte que o engano será cada vez maior (2Ts 2:9; Ap 13:13-14; 19:20), pois nos
aproximamos dos 7 anos da Tribulação que assolará o mundo (a igreja será arrebatada
antes, mas, com certeza, viverá tempos cada vez mais difíceis nesta Terra).
O mundo pós-moderno não aceita verdades absolutas, mas só o relativismo, pois
este não ofende as “religiões”. A sociedade caminha, a passos largos, para uma só religião
global, onde o AMOR será mais importante para as pessoas que a VERDADE, pois o amor
UNE, mas a verdade DIVIDE. Aqui está a razão do abominável ECUMENISMO!
Infelizmente, muitos “evangélicos” têm contribuído para isto, por crerem e divulgarem
falsas doutrinas.
NUNCA deixem a Bíblia ser colocada em segundo plano em suas vidas, por mais
lindos e tocantes que sejam os tais "sonhos, visões, experiências" carismáticos, pois
“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?” (Jr 17:9).
NÃO QUEIRAM SER SUPERCRENTES (pois todos pecamos, infelizmente – Rm 3:23;
1Co 10:12), MAS SANTOS E BÍBLICOS SERVOS DO SENHOR, pois, mesmo que um dia
tenhamos feito tudo o que Ele nos mandou, ainda assim, não passaremos de SERVOS
INÚTEIS: “Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos
servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer” (Lc 17:10).
Portanto, sejamos “SERVOS INÚTEIS”! Façamos tudo o que pudermos em defesa
da “fé que uma vez foi dada aos santos” (Jd 3)!
Deus nos abençoe.

Humberto Fontes – Agosto/2008


humbertoetania@globo.com

NOTAS:

[1]. "As línguas faladas em Pentecostes eram da terra, humanas, entendidas pelos naturais sem
necessidade de intérpretes. As línguas faladas em Corinto, ou o Dom do Espírito, eram sobrenaturais (...).
Não são, portanto, iguais as línguas faladas em Pentecostes e em Corinto. No primeiro caso, foi um ato
esporádico, singular, sem exemplo de repetição...". Pr. José Rêgo do Nascimento. Livro Calvário e
Pentecoste, páginas 101 a 112.

[2]. "É extremamente importante notar que o pensamento de Lloyd-Jones sobre o selo ou batismo do
Espírito, é essencialmente diferente da posição pentecostal clássica, e da posição neopentecostal. Lloyd-
Jones não vê nenhuma evidência bíblica de que esta experiência deva ser acompanhada pelo falar em
línguas e pelo profetizar, ou por qualquer outra manifestação extraordinária. Na verdade, ele chama a
atenção para o fato de que muitos dos dons que foram concedidos no início da Igreja Cristã não haviam sido
mais concedidos no desenrolar desta mesma história. Ele aponta para o fato de que nenhum dos grandes
nomes da História da Igreja, conhecidos como tendo passado por experiências profundas com o Espírito
(que ele considera como tendo sido esse "selar" ou "batizar" do Espírito) terem manifestado dons como
línguas, profecia, ou milagres. Para Lloyd-Jones, o ponto essencial desta experiência também não é a
capacitação de poder, como enfatizado em círculos pentecostais e carismáticos, mas a certeza dada de
forma direta, pelo Espírito, de que somos filhos de Deus". Extraído do artigo "Martyn Lloyd-Jones, John
Stott, e 1 Co 12.13: O Debate sobre o Batismo com o Espírito Santo" do pastor presbiteriano
Augustus Nicodemus, disponível em http://www.thirdmill.org/files/portuguese/64267~9_18_01_4-11-
16_PM~augustus6.htm.

3. "Todos os milagres/sinais/prodígios/maravilhas realizados através de crentes, desde Atos até Apocalipse,


foram dons concedidos como características exclusivas e identificatórias (ver 2Co 12:12) dos 13 apóstolos e
dos 70 discípulos = 83 varões ex-israelitas escolhidos pelo Cristo manifestado em carne e osso, tendo eles
sido testemunhas oculares de todos os dias dos mais de 3 anos de ministério de Cristo na terra, e da Sua
ressurreição corporal. Por isso, na Bíblia somente encontramos esses 83 apóstolos e discípulos como
homens através dos quais Deus concedeu o dom de operar milagres/ sinais/ prodígios/ maravilhas". LEIAM:
"Milagres e Sinais Realizados Através de Crentes, desde Atos até Apocalipse", disponível em
http://solascriptura-tt.org/Seitas/Pentecostalismo/22MilagresESinaisAtos-Apoc-SoApostolosEDiscipulos-
helio.htm, e http://solascriptura-tt.org/Seitas/Pentecostalismo/So83ApostEDiscTiveramDonsSinais-
Helio.htm.

4. Para a necessidade de maior aprofundamento sobre o tema indicamos a obra de Thomas Ice e Robert
Dean, Jr. "Triunfando na Batalha", da Editora Chamada da Meia Noite, onde os autores abordam com
bastante fundamentação bíblica as questões sobre batalha espiritual, opressão e possessão demoníaca e o
exorcismo.
LEITURAS RECOMENDADAS:

http://solascriptura-tt.org/Seitas/Pentecostalismo/index.htm (Vários estudos sobre o Pentecostalismo)


http://www.solascriptura-tt.org/Seitas/Pentecostalismo/PentecostaisNeoPCarismaticos-GilbertoStefano.htm
(A origem do Pentecostalismo no Brasil)
http://apologetic.freeyellow.com/Pentecostalnao.htm (Por que não sou de uma igreja Pentecostal ou
Carismática)
http://www.estudosdabiblia.net/bd63.htm (O que é o batismo com fogo prometido por João Batista?)
http://cpr.org.br/Glossolalia.htm (Glossolalia versus Bíblias falsificadas)
http://cpr.org.br/reconhecendo-a-apostasia.htm (Reconhecendo a Apostasia)
http://cpr.org.br/McGriff-07.htm (Sinais e Maravilhas)
http://www.thirdmill.org/files/portuguese/64267~9_18_01_4-11-16_PM~augustus6.htm (“Martyn Lloyd-
Jones, John Stott, e 1 Co 12.13: O Debate sobre o Batismo com o Espírito Santo”, do pastor presbiteriano
Augustus Nicodemus Lopes)
http://www.solascriptura-tt.org/SoteriologiaESantificacao/index.htm (Estudos sobre a garantia da salvação)

Livros:

“O Batismo do Espírito Santo” de Erroll Hulse e “Os Carismáticos” de John McArthur Jr. –
www.editorafiel.com.br
“É bíblico o Pentecostalismo?” de Francisco Huling – www.editorabatistaregular.com.br.

Filme:

Os Deuses da Nova Era

http://www.belgicagospel.com/clipsVideo.php/show/video/Os_deuses_da_nova_era/Documentarios/vid_id=
287/#evangelico