Você está na página 1de 7

Instituto Técnico de Barueri – Prof.

Munir José
Aluno: Número:

Turma: A B C D E Curso: ( ) IRD ( ) RHU

Professor: Wilton de Moraes Disciplina: Ciência Política Período: Manhã Nota


Avaliação: Simulado 1° Tri 3° Ano Mod. A Data:___/___/2017
1. Segundo Aristóteles, "na cidade com o melhor conjunto de normas e naquela dotada de homens absolutamente
justos, os cidadãos não devem viver uma vida de trabalho trivial ou de negócios — esses tipos de vida são
desprezíveis e incompatíveis com as qualidades morais —, tampouco devem ser agricultores os aspirantes à
cidadania, pois o lazer é indispensável ao desenvolvimento das qualidades morais e à prática das atividades
políticas".
(VAN ACKER, T. Grécia. A vida cotidiana na cidade-Estado. São Paulo: Atual, 1994).

O trecho, retirado da obra Política, de Aristóteles, permite compreender que a cidadania


a) possui uma dimensão histórica que deve ser criticada, pois é condenável que os políticos de qualquer época fiquem
entregues à ociosidade, enquanto o resto dos cidadãos tem de trabalhar.
b) era entendida como uma dignidade transmitida hereditariamente, fruto de uma concepção política profundamente
hierarquizada da sociedade.
c) estava vinculada, na Grécia Antiga, a uma percepção política democrática, que levava todos os habitantes da pólis a
participarem da vida cívica.
d) tinha profundas conexões com a justiça, razão pela qual o tempo livre dos cidadãos deveria ser dedicado às
atividades vinculadas aos tribunais.
e) vivida pelos atenienses era, de fato, restrita àqueles que se dedicavam à política e que tinham tempo para resolver os
problemas da cidade.

2. Exigia-se para a cidadania política uma qualidade que só o direito social da educação poderia fornecer e,
simultaneamente, desconhecia-se esse direito. Era uma ordem liberal, mas profundamente antidemocrática e
resistente aos esforços de democratização. José Murilo de Carvalho A República Velha (1894-1930), em relação à
participação política dos cidadãos, determinou:
a) a escolha de um modelo republicano pautado nos moldes norteamericanos, que garantiam a defesa da liberdade
individual, expressa no voto censitário.
b) o projeto de uma república liberal dos cafeicultores, que, para se efetivar, necessitou do apoio das demais classes
sociais. O voto era extensivo a todo o povo brasileiro.
c) a formulação de uma república que garantisse os direitos individuais de todos os seus cidadãos, sem distinções,
evidenciada na eliminação do voto censitário.
d) a perpetuação da injustiça social e dos privilégios de setores oligárquicos. O voto popular era manipulado pelos
grupos dominantes.
e) a eliminação do voto censitário e a adoção do voto universal, que ampliaram, de forma significativa, a porcentagem
de eleitores nesse período.

3. Estamos acostumados a pensar o que é a cidadania a partir de seu vínculo com a questão dos direitos. Mas, a
cidadania é mais que isso. Aponte a alternativa que mostra um sentido mais alargado desse conceito:
a) O conceito de cidadania está referido ao cidadão que se beneficia da gestão ética da coisa pública.
b) A cidadania coloca a exigência do interesse e cuidado com a coisa pública e não se restringe à afirmação de direitos.
c) A cidadania pressupõe exigir do Estado a proteção dos direitos fundamentais.
d) A cidadania coloca a exigência de uma ética na administração da coisa pública.
e) Em tempos de globalização, há de se operar com o conceito preciso de cidadania planetária. Afinal, somos todos
"cidadãos do mundo".

4. (Uema 2011) Em um Estado democrático de direito, cidadania é um conceito chave, muito recorrente. Em linhas
gerais, ao longo da história, ser cidadão era ser membro da cidade, civitas. Considerando-se que cidadania é um
direito e dever constitucional, pode-se então afirmar que são princípios de cidadania:
a) Participação política; democracia; liberdade econômica; pertencimento; voto.
b) Liberdade absoluta; eleições; igualdade; participação política; direitos civis.
c) Igualdade política; liberdade política; participação política e pertencimento.
d) Pertencimento; propriedade; igualdade; fraternidade; liberdade econômica.
e) Eleições; igualdade política; liberdade absoluta; participação; pertencimento.

5. Sobre o legado do pensamento científico de Max Weber, Carlos B. Martins afirma que:
“A obra de Weber representou uma inegável contribuição à pesquisa sociológica, abrangendo os mais variados
temas, como o direito, a economia, a história, a religião, a política, a arte, de modo destacado, a música. Seus
trabalhos sobre a burocracia tornaram-no um dos grandes analistas deste fenômeno.”
MARTINS, Carlos B. O Que é Sociologia? São Paulo: Editora Brasiliense, 1991, 28 ed., p. 66.

A respeito das contribuições de Weber acerca dos conceitos de poder e dominação, assinale a alternativa
correta.
a) Ao passo que poder é toda probabilidade de impor a própria vontade numa relação social, mesmo contra resistências,
dominação é a probabilidade de encontrar obediência a uma ordem de determinado conteúdo, considerada legítima.
b) Há, para Weber, não mais que dois tipos puros de dominação, quais sejam, a carismática (típica das sociedades
tradicionais) e a legal-racional (típica das sociedades modernas).
c) A transição de uma ordem política patrimonial-tradicional para uma ordem burocrática legal é acompanhada por uma
consolidação do tipo de dominação carismática.
d) A dominação legal-racional dá-se por meio da obediência do quadro administrativo à pessoa do senhor, em
detrimento de estatutos impessoalmente estabelecidos.
e) O exercício do poder, entendido por Weber como dominação, tem a sua melhor forma na dominação carismática por
ser a mais completa.

6. Para ser legítimo o poder precisa:


a) ser autoritário, isto é, tendo o consentimento daqueles que o obedecem.
b) ser fascista.
c) ter o consentimento daqueles que o obedecem.
d) ser considerado pela vontade de Deus.
e) ter força e assim se fazer respeitar.

7. Para que alguém exerça o (a) ______, é preciso que tenha ______, entendida como instrumento para o exercício do
poder. Quando falamos em ______, é comum pensar-se imediatamente em força física, coerção, violência. Na
verdade, este é apenas um dos tipos de ______.
A alternativa que preenche a lacuna acima é:
a) poder; violência; violência; poder
b) poder; força; força; força
c) poder; saber; violência; poder
d) força; poder; violência; poder
e) força; força; poder; força

8. “Dois vocábulos gregos são empregados para compor as palavras que designam os regimes políticos: arkhé – o que
está à frente, o que tem comando – e kratós – o poder ou autoridade suprema. As palavras compostas com arkhé
(arquia) designam a quantidade dos que estão no comando. As compostas com kratós (cracia) designam quem está no
poder.” (CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. 13ª ed., São Paulo: Ática, 2008, p. 358).
Assinale o que for correto.
a) Poliarquia designa um regime político constituído pelo governo de alguns homens.
b) Anarquia designa um regime político constituído pelo governo de muitos homens.
c) A autocracia é um regime político em que cada pessoa exerce apenas o poder sobre si mesmo.
d) A aristocracia é um regime político no qual o poder é exercido por uma elite de homens considerados os melhores.
e) A oligarquia é um regime político no qual o poder político é exercido por representantes legitimamente eleitos pelo
povo.

9. Os debates atuais sobre a legitimidade do poder político ocupam lugar de destaque na agenda internacional
contemporânea. Alguns críticos da democracia liberal burguesa afirmam que esta modalidade de governo está em
crise e precisa, urgentemente, incorporar novos mecanismos para dotar o poder de maior representatividade. Nesse
sentido, novas experiências têm sido sugeridas, dentre as quais é correto apontar
a) a república presidencialista.
b) a república parlamentarista.
c) a democracia participativa.
d) a democracia representativa.
e) a monarquia parlamentarista.

10. O indivíduo é ao mesmo tempo homem e cidadão. Então,


a) a existência do homem é absoluta e a do cidadão é relativa.
b) a existência do indivíduo é natural e a dos outros é relativa.
c) a existência particular é comum e a existência geral é absoluta.
d) a existência do indivíduo é independente e a causa comum é gratuita.
e) a existência do homem é particular e a do cidadão é geral.

11. "Eu quero dizer que as relações de poder suscitam necessariamente, chamam a todo instante, abrem a possibilidade
de uma resistência, e isso porque há a possibilidade de resistência real, que o poder daquele que domina tenta manter-
se com tanta força quanto possível, quanto maior a astúcia, maior a resistência. De modo que é muito mais a luta
perpétua e multiforme que eu tento mostrar do que a dominação morna e estável de um aparelho uniformizador. Em
todo lugar se está em luta - há a cada instante, a revolta da criança que põe o dedo no nariz à mesa para provocar seus
pais, isso, pode-se dizer que é uma rebelião." (FOUCAULT, Michel. Poder e saber. Apud MARÇAL, Jairo (org.). Antologia de textos
filosóficos. Curitiba: SEED, 2009. p. 241.)
De acordo com o trecho citado, é correto afirmar acerca do "poder" e da "resistência" que
a) quanto maior for o poder, menor será a resistência.
b) a resistência se diferencia da luta por seu caráter pacífico.
c) o fato de haver resistência implica que onde há poder há luta.
d) o poder apresenta um caráter uniformizador e a resistência se manifesta de maneira plural.
e) quanto maior a resistência, menor será o porder.

12. “Um cidadão integral pode ser definido por nada mais nem nada menos que pelo direito de administrar a justiça e
exercer funções públicas [...].” (ARISTÓTELES. Política. Trad. Mário da Gama Kury. 3. ed. Brasília: UNB, 1997. p. 78.)
Tendo como base o conceito de cidadania de Aristóteles, é correto afirmar que o fato político aludido na frase:
a) Confirma o ideal aristotélico de cidadão como aquele que se submete passivamente a uma autoridade coercitiva e
ilimitada.
b) Ilustra o conceito que Aristóteles construiu de cidadãos como aqueles que estão separados em três classes, sendo que
uma delas governa, de modo absoluto, as demais.
c) Manifesta contradição com a concepção de liberdade e de manifestação pública presente no exercício da cidadania
grega, ao revelar uma campanha submissa e tutelada pela minoria.
d) Mostra o ideário aristotélico de cidade e de cidadania, que exalta o individualismo e a supremacia do privado em
detrimento do público.
e) Caracteriza um exemplo contemporâneo de participação que demonstra o debate de assuntos públicos, assim como
faziam os cidadãos livres de Atenas.

13. O homem tem vontade particular e o cidadão tem vontade geral, logo,
a) o homem e o cidadão não se corrompem.
b) o homem não se corrompe.
c) o cidadão corrompe o homem.
d) o homem corrompe o cidadão.
e) o cidadão arruína o Estado.

14. O que arruína o corpo político é


a) ter uma existência absoluta e naturalmente independente.
b) não desfrutar os direitos do cidadão.
c) não contribuir para a causa comum.
d) ter uma vontade particular diversa da vontade geral.
e) ter um interesse particular diferente do interesse comum.

15. Quando o interesse particular é diferente do interesse comum, a contribuição para a causa comum é
a) um prazer.
b) um ônus.
c) um erro.
d) uma injustiça.
e) uma opção.

16. Com relação aos direitos civis, políticos e sociais e suas influências nas transformações do papel do Estado nas
sociedades contemporâneas, é correto afirmar:
a) Os direitos civis, amadurecidos pelas novas exigências da sociedade industrial, implicam um comportamento ativo
por parte do Estado ao garantir aos cidadãos uma situação de certeza socioeconômica. O Estado se vê obrigado, não
raro, a criar serviços públicos para atendê-los (por exemplo, os serviços públicos de saúde).
b) Os direitos sociais são aqueles que dizem respeito à personalidade (por exemplo: liberdade de reunião) e garantem ao
indivíduo uma esfera de liberdade, desde que seu comportamento não viole o direito dos outros. Os direitos sociais
obrigam o Estado a uma atitude de não impedimento, a uma abstenção em relação aos indivíduos.
c) Os direitos civis são aqueles que dizem respeito à personalidade do indivíduo (por exemplo: liberdade de expressão
do pensamento) e garantem a ele uma esfera de liberdade, desde que seu comportamento não viole o direito dos
outros. Os direitos civis obrigam o Estado a uma atitude de não impedimento, a uma abstenção em relação aos
indivíduos (a liberdade civil é a regra, a restrição a esta liberdade é a exceção).
d) Os direitos políticos, amadurecidos pelas novas exigências da sociedade industrial, implicam um comportamento
ativo por parte do Estado ao garantir aos cidadãos uma situação de certeza socioeconômica. O Estado se vê obrigado,
não raro, a criar serviços públicos para atendê-los (por exemplo, os serviços públicos de saúde).
e) Os direitos sociais estão ligados à formação do Estado democrático representativo e implicam uma liberdade ativa,
uma participação dos cidadãos na determinação dos objetivos políticos do Estado, mediante o exercício do direito de
sufrágio.

17. (UEL-2004)“Uma vez que constituição significa o mesmo que governo, e o governo é o poder supremo em uma
cidade, e o mando pode estar nas mãos de uma única pessoa, ou de poucas pessoas, ou da maioria, nos casos em que
esta única pessoa, ou as poucas pessoas, ou a maioria, governam tendo em vista o bem comum, estas constituições
devem ser forçosamente as corretas; ao contrário, constituem desvios os casos em que o governo é exercido com
vistas ao próprio interesse da única pessoa, ou das poucas pessoas, ou da maioria, pois ou se deve dizer que os
cidadãos não participam do governo da cidade, ou é necessário que eles realmente participem.” (ARISTÓTELES.
Política. Trad. de Mário da Gama Kury. 3.ed. Brasília: Editora UNB, 1997. p. 91.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre as formas de governo em Aristóteles, analise as afirmativas a
seguir.
I. A democracia é uma forma de governo reta, ou seja, um governo que prioriza o exercício do poder em benefício do
interesse comum.
II. A democracia faz parte das formas degeneradas de governo, entre as quais destacam-se a tirania e a oligarquia.
III. A democracia é uma forma de governo que desconsidera o bem de todos; antes, porém, visa favorecer indevidamente
os interesses dos mais pobres, reduzindo-se, desse modo, a uma acepção demagógica.
IV. A democracia é a forma de governo mais conveniente para as cidades gregas, justamente porque realiza o bem do
Estado, que é o bem comum.
Estão corretas apenas as afirmativas:
a) I e III.
b) I e IV.
c) II e III.
d) I, II e III.
e) II, III e IV.

18. “O tipo que manda é o líder. O tipo que obedece é o apóstolo. Obedece-se exclusivamente à pessoa do líder por suas
qualidades excepcionais e não em virtude de sua posição estatuída [...]”.
Fonte: COHN, Gabriel. “Weber”: Coleção Grandes Cientistas Sociais. 5. ed. São Paulo: Ática, 1991.
Assinale a única alternativa correta que diz respeito à citação acima de Weber:
a) Conceito de Burocracia.
b) Dominação Carismática.
c) Conceito de Hegemonia.
d) Dominação Tradicional.
e) Dominação racional-legal.

19. Sobre o conceito de cidadania, assinale a alternativa INCORRETA.


a) A cidadania formal é aquela que está nas leis, principalmente na constituição de cada país. É a que estabelece que
todos são iguais perante a lei e garante ao indivíduo a possibilidade de lutar judicialmente por seus direitos.
b) A cidadania é um status concedido aqueles que são membros integrais de uma comunidade. Por isso, há um princípio
universal que determina quais direitos e obrigações devem ser seguidas por todos os indivíduos, independente, da
sociedade, cultura ou grupo social do qual faz parte.
c) A cidadania substantiva ou real, aquela que vivemos no dia-a-dia, mostra que não há uma igualdade fundamental
entre todos os seres humanos – entre homens e mulheres, crianças, jovens e idosos, negros, pardos ou brancos.
d) A cidadania não é dada, mas construída em um processo de organização, participação e intervenção social de
indivíduos ou de grupos sociais.
e) A cidadania é um conjunto de direitos e deveres ao qual um indivíduo está sujeito em relação à sociedade em que
vive.

20. “Direitos civis são os direitos fundamentais à vida, à liberdade, à propriedade, à igualdade perante a lei.”. As opções
a seguir apresentam, de acordo com o autor citado, exemplos de Direitos Civis, à exceção de uma. Assinale–a.
a) Liberdade de pensamento.
b) Liberdade de organização.
c) Inviolabilidade do lar.
d) Garantia de ir e vir.
e) Espionagem eletrônica.

21. No discurso político capitalista encontra-se a defesa da democracia. Com base nessa afirmação, marque a alternativa
correta:
a) A democracia é um regime prático e objetivo para governar um país socialista.
b) Com a democracia em sua plena realização o objetivo é favorecimento particulares e escusos.
c) A garantia do exercício da tão sonhada cidadania está na democracia, sobretudo da forma como está sendo feita
atualmente, isto é, buscando favorecer o interesse de poucos.
d) A Democracia pode ser vista como ideologia pelo prisma da ideia de cidadania organizada, a festa da democracia
está no processo eleitoral sério que foi idealizado como meio legítimo para a escolha dos representantes, no âmbito
municipal, governamental e federal, dos países capitalistas.
e) A democracia como regime formal é acima de qualquer suspeita.

22. (Uepa 2015) Leia o texto para responder à questão.


Platão:
A massa popular é assimilável por natureza a um animal escravo de suas paixões e de seus interesses passageiros,
sensível à lisonja, inconstante em seus amores e seus ódios; confiar-lhe o poder é aceitar a tirania de um ser incapaz
da menor reflexão e do menor rigor. Quanto às pretensas discussões na Assembleia, são apenas disputas
contrapondo opiniões subjetivas, inconsistentes, cujas contradições e lacunas traduzem bastante bem o seu caráter
insuficiente. (Citado por: CHATELET, F. História das Ideias Políticas. Rio de Janeiro: Zahar, 1997, p. 17)

Os argumentos de Platão, filósofo grego da antiguidade, evidenciam uma forte crítica à:


a) oligarquia
b) república
c) democracia
d) monarquia
e) plutocracia

23. (Enem 2014)

TEXTO l
Olhamos o homem alheio às atividades públicas não como alguém que cuida apenas de seus próprios interesses, mas
como um inútil; nós, cidadãos atenienses, decidimos as questões públicas por nós mesmos na crença de que não é o
debate que é empecilho à ação, e sim o fato de não se estar esclarecido pelo debate antes de chegar a hora da ação.
TUCÍDIDES. História da Guerra do Peloponeso. Brasília: UnB, 1987 (adaptado).

TEXTO II
Um cidadão integral pode ser definido por nada mais nada menos que pelo direito de administrar justiça e exercer
funções públicas; algumas destas, todavia, são limitadas quanto ao tempo de exercício, de tal modo que não podem de
forma alguma ser exercidas duas vezes pela mesma pessoa, ou somente podem sê-lo depois de certos intervalos de tempo
prefixados. ARISTÓTELES. Política. Brasília: UnB, 1985.

Comparando os textos l e II, tanto para Tucídides (no século V a.C.) quanto para Aristóteles (no século IV a.C.), a
cidadania era definida pelo(a)
a) prestígio social.
b) acúmulo de riqueza.
c) participação política.
d) local de nascimento.
e) grupo de parentesco.

24. (Fuvest 2008) Na atualidade, praticamente todos os dirigentes políticos, no Brasil e no mundo, dizem-se defensores
de padrões democráticos e de valores republicanos. Na Antiguidade, tais padrões e valores conheceram o auge, tanto
na democracia ateniense, quanto na república romana, quando predominaram
a) a liberdade e o individualismo.
b) o debate e o bem público.
c) a demagogia e o populismo.
d) o consenso e o respeito à privacidade.
e) a tolerância religiosa e o direito civil.

25. (PITÁGORAS) O plebiscito é distinto das eleições convencionais. Nele é pedido aos cidadãos que se posicionem
acerca de questões práticas e objetivas – como foi o caso do plebiscito acerca da proibição do comércio de armas de
fogo no Brasil – ocorrido no ano de 2005. Fonte: www.wikipedia.org

Assinale a afirmativa que APRESENTA o tipo de regime político em que a consulta à população através de
plebiscitos é realizada mais constantemente.
a) Democracia direta.
b) Democracia representativa.
c) Democracia total.
d) Democracia deliberativa.
e) Ditadura popular.

26. É o tipo de democracia, na qual todos os cidadãos podem participar diretamente no processo de tomada de decisões:
a) representativa.
b) direta.
c) moderna.
d) antiga.
e) pluralista.
27. (Enem 2010)  A chegada da televisão
A caixa de pandora tecnológica penetra nos lares e libera suas cabeças falantes, astros, novelas, noticiários e as
fabulosas, irresistíveis garotas-propaganda, versões modernizadas do tradicional homem-sanduíche. SEVCENKO, N.
(Org). História da Vida Privada no Brasil 3. República: da Belle Epoque a Era do Rádio. São Paulo: Cia das Letras, 1998.

A TV, a partir da década de 1950, entrou nos lares brasileiros provocando mudanças consideráveis nos hábitos da
população. Certos episódios da história brasileira revelaram que a TV, especialmente como espaço de ação da
imprensa, tornou-se também veículo de utilidade pública, a favor da democracia, na medida em que
a) amplificou os discursos nacionalistas e autoritários durante o governo Vargas.   
b) revelou para o país casos de corrupção na esfera política de vários governos.   
c) maquiou indicadores sociais negativos durante as décadas de 1970 e 1980.   
d) apoiou, no governo Castelo Branco, as iniciativas de fechamento do parlamento.   
e) corroborou a construção de obras faraônicas durante os governos militares.   

28. Leia o trecho da música abaixo:

“A televisão me deixou burro,


muito burro demais
Agora todas as coisas que eu penso me parecem iguais.”
(Televisão, Titãs)

A partir desse trecho da letra da canção “Televisão”, gravada pelo grupo de rock Titãs, é correto afirmar que:
a) o compositor acha que a televisão é um veículo de comunicação essencial para a boa formação dos cidadãos.
b) o compositor acha que a televisão é essencial para educar as massas.
c) o compositor considera o conteúdo da televisão inofensivo. O telespectador pode se distrair sem se preocupar, pois
não sofrerá nenhum efeito dela.
d) o compositor sugere que a televisão padroniza as formas de pensamento e reduz a capacidade de pensar do indivíduo.
e) a televisão, segundo o compositor, é um veículo de comunicação contrário às instituições dominantes na sociedade
capitalista.

29. Leia a música abaixo


“Eles querem te vender,
Eles querem te comprar,
Querem te matar (de rir),
Querem te fazer chorar
Quem são eles?
Quem eles pensam que são?
Vender, comprar, vendar os olhos
Jogar a rede... contra a parede
Querem te deixar com sede
Não querem te deixar pensar.”

GESSINGER, Humberto. 3.ª do plural. In: ENGENHEIROS DO HAWAII. Acústico MTV. São Paulo: Universal, 2004. CD. Faixa 12.

A música acima relata a nossa realidade midiática querendo muitas vezes manipular os nossos gostos e vontades. A
partir dessa música, é possível dizer que:
a) a manipulação nos faz conscientes daquilo que somos e de como devemos nos comportar.
b) a manipulação dos nossos gostos faz com que a nossa autonomia seja valorizada e reconhecida diante da sociedade.
c) a mídia nos ajuda a desenvolver o senso crítico com relação a “o que é” e “o que não é” moda.
d) a manipulação dos meios de comunicação promove uma anulação das nossas vontades e gostos.
e) estar na moda a partir da mídia ou da influência dos amigos não é uma manipulação, mas antes uma forma de
aceitação social, Em outras palavras, é sermos aceitos pela sociedade.

30. De acordo com nossas aulas, assinale a alternativa INCORRETA:

a) A Ciências Sociais colabora para o desenvolvimento do pensamento: a pensar por si mesmo, a ter um pensamento
autônomo. E pensar por si mesmo significa não ser “Maria vai com as outras”.
b) Existem muitas perguntas que já foram respondidas ao longo do tempo. Muitas ainda serão. Mas existem aquelas que
talvez nunca serão respondidas.
c) A pergunta é importante para a evolução humana, pois é através da curiosidade e da necessidade de buscar respostas
que se descobre coisas novas e importantes.
d) A pergunta que ajuda o jovem a desvendar o mundo também é fundamental para as Ciências Sociais.
e) Quem tem um pensamento autônomo é manipulado pelas pessoas e nem percebe.