Você está na página 1de 15

O Islamismo é, actualmente, a segunda maior religião do mundo,

dominando acima de 50% das nações em três continentes. O número


de adeptos que professam a religião mundialmente já passa dos 935
milhões. O objectivo do Islamismo é subjugar o mundo e regê-lo pelas
leis islâmicas, mesmo que para isso necessite matar e destruir os “infiéis
ou incrédulos” da religião. Religião fundada por Maomé, o Islamismo
conta actualmente com várias centenas de milhões de crentes,
espalhados pelo Médio Oriente, pela Arábia, pelo Norte de África e por
parte da África Negra, Turquia e Balcãs, Irão, Afeganistão, antigas
Repúblicas Soviéticas, Paquistão, Índia, Malásia, Indonésia e China. Há
pequenas minorias em países americanos e europeus, em especial na
França e na Alemanha.
Toda a vida religiosa dos muçulmanos gira em redor do Al Corão, com base
na memória dos discípulos de Maomé. Desde o início que a propagação do
Islamismo uniu elementos políticos ou comerciais à religião. A rápida
expansão inicial do Islamismo constituiu, desde logo, para os muçulmanos,
uma prova da protecção divina.

Curiosidades da cultura islâmica

 A profissão de fé resume-se na fórmula "não há outro Deus senão Alá e


Maomé é o seu profeta". Basta que alguém profira esta frase para ser
considerado membro da comunidade muçulmana. Esta profissão
impossibilita a passagem para uma outra religião. A oração ritual é
preceituada pelo Corão, devendo realizar-se cinco vezes ao dia em lugar e
estado de pureza ritual. A oração consiste numa série de prostrações, na
direcção de Meca, com a recitação de diversas invocações corânicas, entre
as quais o louvor "Deus é grande";
 A sexta-feira é o dia de reunião dos muçulmanos. Neste dia devem
assistir, na mesquita, à oração do meio-dia. A oração de quinta-feira tem
também especial solenidade, pelo sermão do imã e pelo elevado número de
assistentes. Durante os restantes dias, a oração pode realizar-se em
qualquer lugar, desde que sobre esteira e virado para Meca;

 A purificação ritual consiste em abluções da cabeça, pés, mãos,


antebraços, partes íntimas e de todo o corpo. O estado de pureza
conseguido pelo ritual referido anteriormente perde-se pela realização de
determinados actos fisiológicos;

 A esmola legal é obrigatória segundo o Corão. Esta esmola, embora seja


abduzida como fundamento do socialismo islâmico, tem sobretudo o
carácter religioso de cumprimento de obrigação imposta por Deus no Corão;
 O jejum e as proibições alimentares impostas pelo Corão no mês do
Ramadão consistem em não comer, não beber, não cheirar perfumes e
abster-se de relações sexuais desde o amanhecer até ao anoitecer. As
repercussões sociais deste jejum religioso são muito peculiares dos países
de maioria muçulmana. Caracterizam-se por diversas festas públicas e
prolongadas reuniões familiares depois do anoitecer. As proibições
consistem em não ser permitido comer carne de porco nem ingerir
bebidas alcoólicas, no entanto as infracções são muito frequentes;

 A peregrinação a Meca, pelo menos uma vez na vida, é obrigatória a


todo o muçulmano que tiver idade e meios para a realizar;

 A circuncisão, embora seja um rito associado ao islamismo, não é


exigida pelo Corão, não é obrigatória.
A Guerra Santa contra os infiéis enquadra-se dentro do ideal de submeter o
mundo ao povo de Deus, incumbe a toda a comunidade e, em certa medida,
também aos muçulmanos enquanto indivíduos. Ou seja, os princípios que
regem o islamismo provêm das prescrições do Corão, das tradições do
profeta, das normas dos teólogos e doutores, dos costumes locais e da recta
razão ou do sentido comum. Apesar de divididos em numerosas seitas, o
ideal de unidade do mundo islâmico sob a direcção de um único líder
político-religioso continua a ser essencial.
A mulher ocupa uma posição de inferioridade na
sociedade muçulmana. Quando falamos na
mulher muçulmana, dois símbolos logo nos
ocorrem: o harém e o véu. Estes sinais
distintivos das mulheres muçulmanas sugerem a
sua subordinação ao homem, apesar da
igualdade espiritual das mulheres estar
expressa no Corão.
A subordinação da mulher é demonstrada e
justificada pela lei, costumes e tradições da
Civilização Muçulmana, referindo que há apenas
um reconhecimento dos diferentes papéis dos
dois sexos e não uma inferioridade efectiva.
Marcas jurídicas da inferioridade da Mulher
 A mulher só pode ter um marido, ao contrário do homem, que pode ter
quatro mulheres ao mesmo tempo;
 A mulher só pode casar com um muçulmano, ao contrário do homem,
que pode casar com uma mulher de outra religião;
 A mulher só pode pedir o divórcio em casos extremos, ficando a custódia
dos seus filhos para o pai, e o testemunho do homem tem o dobro do valor
do da mulher;
 A herança da mulher é duas vezes inferior à do homem;
 A maioria das mulheres vive na reclusão, poucas foram as que tiveram
papéis activos em questões públicas, embora actualmente haja uma
crescente liberalização do papel das mulheres fora de casa que começou
sob a influência ocidental. Em alguns países, porém, verifica-se um
retrocesso aos valores islâmicos, através do fundamentalismo islâmico.
A mulher árabe tem uma prática de vida completamente diferente da
mulher ocidental, uma vez que tem que obedecer a regras muito
restritas. No entanto, a forma de viver das mulheres não é igual por todo
o mundo árabe. Em alguns países árabes as mulheres vivem enjauladas
e maltratadas e noutros alcançaram a sua emancipação.
Como exemplo do extremismo islâmico, seguem-se algumas das muitas
proibições da mulher afegã em que a “desobediência equivale à
morte”, durante o regime da milícia islâmica talibã:
 É absolutamente proibido às mulheres qualquer tipo de trabalho fora
de casa, incluindo professoras, médicas, enfermeiras, engenheiras, etc.;
 É proibido às mulheres andar nas ruas sem a companhia de um
“nmahram” (pai, irmão ou marido);
 É proibido falar com vendedores homens;
 É proibido ser tratada por médicos homens, mesmo que em risco de vida;
 É proibido o estudo em escolas, universidades ou qualquer outra
instituição educacional;
 É obrigatório o uso do véu completo (“burca”) que cobre a mulher dos pés
à cabeça;
 É permitido chicotear, bater ou agredir verbalmente as mulheres que não
usarem as roupas adequadas (“burca”) ou que desobedeçam a uma ordem
talibã;
 É permitido chicotear mulheres em público se não estiverem com os
calcanhares cobertos;
 É permitido atirar pedras publicamente a mulheres que tenham tido sexo
fora do casamento, ou que sejam suspeitas de tal;
 É proibido qualquer tipo de maquilhagem (foram cortados os dedos a
muitas mulheres por pintarem as unhas);
 É proibido falar ou apertar as mãos de estranhos;
 É proibido à mulher rir alto (nenhum estranho pode sequer ouvir a voz
da mulher);
 É proibido usar saltos altos que possam produzir sons enquanto
andam, já que é proibido a qualquer homem ouvir os passos de uma
mulher;
 A mulher não pode usar táxi sem a companhia de um “mahram”;
 É proibida a presença de mulheres em rádios, televisão ou qualquer
outro meio de comunicação;
 É proibido às mulheres qualquer tipo de desporto ou mesmo entrar
em clubes e locais desportivos;
 É proibido o uso de roupas que sejam coloridas, ou seja, “que tenham
cores sexualmente atraentes”;
 Os transportes públicos são divididos em dois tipos, para homens e
mulheres. Os dois não podem viajar no mesmo;
 É proibida a participação de mulheres em festividades;
 É proibido o uso de calças compridas mesmo debaixo do véu;
 As mulheres estão proibidas de lavar roupas nos rios ou locais
públicos;
 As mulheres não se podem deixar fotografar ou filmar;
 Todos os lugares com a palavra “mulher” devem ser mudados, por
exemplo : O Jardim da Mulher deve passar a chamar Jardim da
Primavera;
 As mulheres são proibidas de aparecer nas varandas das suas casas;
 O testemunho de uma mulher vale metade do testemunho masculino;
 Todas as janelas devem ser pintadas de modo a que as mulheres não
sejam vistas dentro de casa por quem estiver fora;
 É proibido às mulheres cantar;
 É proibido a homens e mulheres ouvir música;
 Os alfaiates são proibidos de costurar roupas para mulheres;
 É completamente proibido assistir a filmes, televisão, ou vídeo;
 As mulheres são proibidas de usar as casas-de-banho públicas (a
maioria não as tem em casa).

Revista Notícias Magazine


É notável como, ainda que mulheres e mesmo seguidoras das mesmas
crenças religiosas, a forma de tratamento e os seus direitos sejam tão
distintos, tendo em conta a localização, o país onde vive, e o regime pelo
qual se segue ou, como no caso, seja imposto.
Esta é apenas uma das muitas diferentes culturas e etnias existentes e
aquilo que para nós pode ser considerado descabido ou sequer, possível,
até mesmo uma grave violação dos direitos humanos,
para os praticantes desta cultura pode ser aceite com
normalidade. É o modo de vida que conhecem, foram
criados e forçosamente obrigados a conviver com isso
não estranhando, portanto, as formas de tratamento
negligente.
Bibliografia
http://www.sepoangol.org/islam.htm

http://www.infopedia.pt/$islamismo

http://www.netprof.pt/netprof/servlet/getDocumento?id_versao=8956