Medidas e volumes

Dias, Flávio Matos¹, Reinaldo² Curso de Química/Lic ou Química/Bel ou Eng. Ambiental

Canoas, RS, 92010-000, Brasil Química.flavio@yahoo.com.br ¹, reinaldo05@yahoo.com.br ²

RESUMO Veremos a seguir técnicas sobre medidas de volumes, onde temos como principal objetivo mostrar a forma como se procede para determinar volumes líquidos em diferentes equipamentos. O procedimento irá se dividir em três partes. A 1ª parte falará sobre análises dos materiais (equipamentos), a 2ª parte falará sobre técnicas de leitura de volumes de água e a 3ª sobre técnicas de leitura de volumes com soluções escuras, no caso o vinho.

INTRODUÇÃO As medidas de volume podem ser obtidas com maior ou menor grau de exatidão, dependendo da natureza do experimento. Por isso, podemos medir volumes utilizando diferentes equipamentos/instrumentos: alguns instrumentos são utilizados para fazer-se o escoamento de certo volume de líquido. A maior ou menor precisão das medidas de volume depende, entre outros, dos seguintes fatores: precisão dos instrumentos (calibragem); erros na leitura do volume contido nos instrumentos; efeitos da tensão superficial na superfície do líquido; efeitos da temperatura no líquido que está sendo medido. Os instrumentos quantidades balões utilizados determinadas volumétricos para de líquidos. são As acondicionar

e as provetas são utilizadas para medir e escoar volumes líquidos. A escolha da vidraria volumétrica é determinante para a garantia da exatidão da medição de volumes. MATERIAIS, REAGENTES E EQUIPAMENTOS Materiais Proveta graduada. Balão volumétrico de 100 ml e 50 ml. Erlenmeyer de 250 ml. Béquer de 250 ml. Bureta. Pipeta graduada de 10 ml e 5 ml. Pipeta volumétrica de 5 ml, 10 ml e 25 ml. Frasco lavador. Estante para tubo de ensaio. Tubos de ensaio. Pêra de sucção. Haste metálica. Agarrador para bureta.

pipetas (graduadas e volumétricas), as buretas

Adequou-se a mesma junto à parede do material utilizado para escoamento do líquido. Preencheu-se com suco de uva concentrado a proveta de vidro graduada de 50 ml e o béquer de 250 ml. Utilizando-se as pipetas graduadas e volumétricas. Realizada a limpeza dos materiais (pipetas. Atentou-se para a utilização do dedo indicador na ponta da mesma para efetivar de forma adequada o escoamento do líquido e em seguida. observando-se o menisco na altura dos olhos. secou-se a ponta da pipeta com o auxílio de um papel. utilizou-se uma Aplicaram-se as técnicas de medidas de volume apresentadas para a familiarização dos equipamentos e vidrarias de laboratório utilizadas para este fim. se esgotou o volume das soluções citadas. observando-se a baixa precisão destes materiais mas suas facilidades de uso em relação a medida de volumes não muito precisos. No caso da solução de suco de uva concentrada. Parte 3 Para a determinação e observação de medidas de volume precisas. Verificou-se. Parte 2 . PROCEDIMENTO Parte 1 Na Observada as características das leitura do volumes incolores considera-se a parte inferior da medida de volume.Reagentes Solução de suco de uva concentrado Água destilada se a mesma na solução a ser utilizada (evitando-se a formação de bolhas) e deixando o líquido subir pelo interior da pipeta até acima da medida de volume desejada. Na seqüência. Em seguida. tendo e vidrarias a serem utilizadas com o cuidado de checar possíveis rachaduras ou trincas. tendo o cuidado ao manuseá-las. balões. Com o auxílio de um béquer de vidro de 250 ml. se não ocorreriam vazamentos ou bolhas de ar na porção da bureta abaixo da torneira. Verificada as soluções de suco de uva concentrada devidamente identificadas acondicionadas em frascos de vidro de 1 L. para livrar o volume da solução de suco de uva concentrada com mais controle. evitando-se possíveis contaminações durante os experimentos. encheu-se a bureta de vidro graduada devidamente adaptada ao suporte metálico com garra de rolamento para bureta. provetas. em um erlenmeyer de vidro de 250 ml para ajuste do menisco da bureta. para o erlenmeyer de vidro de 250 ml. para sugar o suco contido no béquer e na proveta com o auxílio das pipetas de vidro graduadas de 10 e 5 ml e volumétrica de 5. 10 e 25 ml. Em seguida. utilizou-se uma pêra de sucção de borracha com três pontas. Aos poucos. evitando-se o contato da tampa do frasco com a bancada sujeita a possíveis contaminações e descaracterização da solução. introduzindobureta de vidro graduada. transferiram-se volumes quaisquer de água contida na proveta de vidro graduada. realizouse o mesmo procedimento com a solução de suco de uva concentrada. com solução de suco de uva concentrado até pouco acima da marca do zero. e para os tubos de ensaio de vidro adaptados a uma estante suporte. béquer e buretas) com água e sabão. observando-se a parte superior do menisco. Repetido o mesmo duas vezes por cada aluno da dupla. transferiu-se um volume de +/ 50 ml de solução de suco de uva concentrado. Observado os cuidados envolvidos durante o processo de pipetagem.

É prática de segurança a utilização de equipamentos para este fim como a pêra de sucção. .Conservar limpo o local de trabalho. que as medidas de volume podem ser obtidas com menor ou maior grau de exatidão de acordo com o experimento a ser realizado. Mesmo durante estas execuções. utilizamos reagentes tóxicos que podem causar danos sérios à saúde. .Todo material aquecido deve ser identificado adequadamente. CONCLUSÃO Verificou-se durante a execução dos ensaios.Todo acidente deve ser comunicado. erro de .o cuidado de observar o volume na altura dos olhos do observador. . um fator importante e de destaque. As medidas de volume apresentadas e testadas ao longo dos ensaios. .Não fumar. . está envolvido na verificação dos volumes medidos sempre. .Utilizar sempre que necessário materiais que auxiliam na segurança. envolvidas com o uso do conhecimento teórico e aplicando-se paralaxe determinações para precisão de ajustes das medidas de volume. . . como alquilas. . pelo das o observador.Sempre ler com atenção os rótulos dos reagentes. .Só deixar o bico de bunsen aceso durante o uso.Não manipule reagentes inflamáveis próximo ao fogo. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO . Em seguida.Comunicar sempre que notar algo anormal ou imprevisto. . realizou-se o escoamento dos volumes quaisquer para verificação das medidas de volume e testes segundo definições envolvendo o paralaxe para líquidos claros e escuros. . .Não trabalhar com vidraria trincada. pipetar usando a boca para fazer sucção do .Trabalhar com atenção. usar material adequado.Não comer. * Exceto material pirofórico. . .Nunca provar um produto/solução. Segurar os frascos de reagentes pelo lado do rótulo.Nunca devolver o “resto“ de material para o frasco de reagente. Por que não se deve experimento. a exemplo do uso de balões volumétricos e da bureta ou mesmo medidas de volume com baixa precisão com o auxílio de provetas.Se algum ácido ou outro produto químico for derramado. . evitando que ocorra derrame sobre o rótulo.Usar jaleco (manga longa). boas erro práticas de Lembrando-se laboratoriais nas . método e calma. . lave o local imediatamente.Respeitar rigorosamente as precauções ao experimento. .Não tocar nos reagentes/produtos com as mãos.Fazer apenas as experiências combinadas com o professor.Ao terminar o trabalho sempre feche a entrada do gás. .Após o uso deixar o material devidamente limpo. Ler antes os conceitos referentes ao RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES ENVOLVIDAS 1) líquido? No ambiente laboratorial. demonstraram que parte das vidrarias de laboratório podem ser utilizadas para medidas de volumes precisos.Descarte resíduos em local apropriado.

de 10 ml) devem ser utilizadas para medir volumes diferentes de 10 ml. O erro observado pode variar para mais na parte superior ou para menos na inferior dependendo 4) aqueles que Desenhe ainda não os materiais sido das características do líquido envolvido.2) Como devemos proceder e que destino podemos dar ao excesso de volume de solução. pressionar o terceiro ponto após escoamento e tapá-lo ou contar até vinte. podem ser descartados em um béquer ou erlenmeyer. reagentes etc.) utilizados ao frasco de origem. não se deve devolver líquidos (soluções. em uma pipeta volumétrica de 10 ml fabricada. se a medida obtida do equipamento é compatível com o esperado e se o mesmo está adequado para a atividade. . 7) O que vem a ser a que você utilizou nessa aula (especialmente haviam apresentados) calibração de instrumentos de medida. Em seguida. deve ser pressionando para remoção do ar. não podemos medir 5 ml ou 20 ml de um líquido qualquer. Caso seja verificada presença de líquido na Pipetas volumétricas são calibradas para volumes específicos com precisão. (por exemplo.. tenha desempenho compatível com o seu uso. pressionar o terceiro ponto localizado na parte externa do corpo da pêra de sucção. calibrada e especificada para este volume e uso. devese pressionar o segundo ponto na parte baixa da pêra. 3) Pipetas volumétricas A pêra de borracha de sucção. Erro de paralaxe é o desvio causado pela tensão superficial durante observação do ajuste do menisco nas medidas de volume. Excesso de volumes de pipetas e buretas. como 5 ml ou 20 ml? Justifique. Por que esse procedimento é necessário? É uma operação. para drenagem do líquido. para posterior descarte em bombona de resíduos adequada. Finalmente. tem o seguinte funcionamento: No primeiro ponto superior da mesma. livrados de uma bureta ou pipeta em uma atividade experimental? Pode-se devolver para o frasco que contém a solução? Explique. o que irá facilitar a sucção do líquido. destinada a fazer com que um instrumento de medição. paralaxe? 6) O que é erro de ponta final da pipeta. 5) Explique o funcionamento de uma pêra de pipetagem. Verifica. De acordo com as boas práticas laboratoriais. Desta forma.. para evitarmos contaminação do mesmo. para efetivar a sucção do líquido desejado. utilizada para pipetagem.

wikipedia. 2ª ed.wikipedia.org/wiki/Vidrarias .. http://pt. 71p. Experimentos em química geral..7.org/wiki/Química http://pt. Canoas: Salles E. Maira.org/wiki/Volumes http://pt.wikipedia.. 2007.DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA FERREIRA.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful