Você está na página 1de 4

1.

Relé de subtensão – Função 27

Aplicação: O relé de subtensão é calibrado e parametrizado com uma tensão menor, e normalmente os
contatos abrem quando está tensão especificada é atingida. Usos típicos para este relé atuar, incluem.

(1) Proteção de subtensão no barramento: O relé pode ter um alarme ou trip de subtensão sensível às
cargas, tais com motores de indução, toda vez que a tensão ficar abaixo da tensão calibrada. O tempo
de atraso (delay) do relé é normalmente usado habilitado para no caso de afundamentos
momentâneos, prevenir a atuação indevida. O relé de subtensão instantâneo com os contatos
conectados em serie com o relé de subtensão com tempo de atraso (delay) pode ser usado para
promover um tempo rápido de reset, deste modo prevenindo a inércia do relé com tempo de atraso
(delay) em atuar (tripiar) no circuito.
(2) Esquema de transferência de fonte: O relé é utilizado inicialmente para transferir e quando
necessário retransferir a carga da fonte normal, para a reserva ou para uma fonte de potência de
emergência. Devido a está possibilidade para com a carga do motor, este relé tem um tempo de
atraso da ordem do tempo necessário para se realizar o sincronismo.
(3) Funções de permissão: No relé de subtensão instantânea, a função de permissão é usada para iniciar
ou bloquear determinada ação quando a tensão for abaixo do valor mínimo determinado.
(4) Função de Backup: O tempo de subtensão do relé pode ser usado como backup padrão de uma
seqüência de falhas de outros dispositivos propriamente funcionais. Por exemplo, um longo tempo de
atraso do relé pode ser usado para atuar (tripiar) em um gerador isolado e seus auxiliares se a função
da proteção primária falhar.
(5) Aplicação de temporização: O tempo de subtensão do relé pode ser usado para inserir uma precisão
significativa no tempo de atraso (delay) em uma seqüência de operação. Determinada função de
proteção tais como a de seqüência negativa de tensão do relé pode requerer um tempo de atraso para
prevenir a atuação indevida.

Ajustes:

(1) Tempo de atraso do relé: A queda de tensão é ajustada por meio de taps com limites específicos.
Vários taps limites disponíveis dependem da aplicação. A operação do tempo é ajustada por meio
dos parâmetros do “dial” de tempo. O desing do disco de indução é ajustado continuamente e o
desing de estado sólido é estabelecido em degraus discretos. Vários limites de tempo estão
disponíveis. O tempo de operação é especificado aplicando-se uma tensão de zero até quando o
parâmetro definido atinge o máximo do dial de tempo.
(2) Relé instantâneo: Este relé tem os parâmetros de queda ajustável acima da tensão limite especificada
dependendo do tipo de aplicação. O método de ajuste variará dependendo da construção do relé.
Alguns relés instantâneos de estado sólido têm o tempo de atraso (delay) fixo ajustável acima do
limite de curto-circuito.

2. Relé direcional de potência – Função 32

Aplicação: O relé direcional de potência funciona quando a componente da potência real (watts) que flui
em um circuito excede o nível direcional especificado. Usos típicos são:

(1) Controle do fluxo de potência da fonte: Em sistemas que possuem na planta operação de geração em
paralelo com suprimento das utilidades, o relé de potência reversa percebe a potência chegando a
partir da utilidades podendo ser ajustada para ser detectada (alarme ou trip), quando o gerador
começa a suprir as utilidades da companhia. Plantas designadas para vender potência para utilidades
não utilizam este relé.
(2) Antimotoring of Generators: Este relé é usado para detectar que a potência motora dentro do gerador
não seja desconectada do sistema e conseqüentemente pare.
(3) Fluxo de potência reversa: Um relé sensível (sensitive) pode ser usado para detectar uma falta fase-
terra no lado ligado em delta do banco de transformadores, mostrado nas figuras 1 e 2, pela detecção
da componente dentro da fase da corrente de magnetização do transformador. Isso poderia ocorrer
quando um outro relé dentro do sistema tenha tripiado quebrando o primário do transformador e o
transformador seria energizado diretamente pelo circuito secundário.

3. Perda de excitação – Função 40

Aplicação: Está função é utilizada para proteger o motor ou o gerador síncrono contra a perda de
excitação. Proteções comuns usadas para motores menores são de dois tipos:

(1) Relé instantâneo de subcorrente direta que monitora a corrente de campo.


(2) Relé que monitora o ângulo relativo entre tensão e corrente, o que corresponde ao fator de
potência.

4. Relé de equilíbrio de corrente de fase – Função 46

Aplicação: O relé de equilíbrio (balanço) de fase proporciona ao motor ou gerador uma proteção contra
desequilíbrio nas correntes de fase que pode ser causado pela: abertura do fusível ou condutor dentro do
circuito das escovas do motor; abertura do fusível ou condutor no primário do transformador delta-estrela
que alimenta um grupo de motores; e para geradores em condições de cargas desequilibradas ou em
manobras monofásicas na distribuição ou transmissão do sistema.
Existem dois tipos de relé de equilíbrio de fase que normalmente são aplicados, equilíbrio de
corrente e seqüência negativa de sobre-corrente. O relé de equilíbrio de correntes opera quando a
diferença na magnitude da corrente rms em duas fases excede o valor percentual fornecido. O relé de
seqüência negativa opera com a magnitude da corrente de seqüência negativa, mas é calibrado em termos
de I 22 t , da energia térmica produzida por esta corrente. Na ordem o parâmetro do relé de seqüência
negativa, deve ser especificado de acordo com a característica I 22 t da máquina.

5. Relé de seqüência de fase de tensão – Função 47

Aplicação: O relé de seqüência de fase é usado para proteger máquinas de corrente alternada (CA) de
sub-tensões e para prevenir a partida em aberto ou em seqüência de fase reversa. O relé de seqüência de
fase pode também proporcionar uma proteção contra sobre-tensão. Alguns relés de seqüência de fase não
fornecem proteção monofásica uma vez que o motor está funcionando, desde que a ação dinâmica do
motor possa suportar uma abertura de uma tensão de fase nas condições ou próximas aos valores
nominais. Freqüentemente a função 47 monitora a tensão em um barramento, deste modo protegendo um
grupo de motores.

6. Relé térmico de transformadores e máquinas – Função 49

Aplicação: Relés térmicos são usados para proteger motores, geradores e transformadores de danos
devido a excessivas e longas sobrecargas.

7. Relé de sobrecorrente temporizada e instantânea – Função 50, 51, 50/51 e 51V

Aplicação: Os relés comumente mais usados para proteção são os relés de sobrecorrente temporizada e
instantânea. Ambos usam principalmente a função de backup para proteção e são aplicados em todas as
áreas de proteção do sistema. O relé de sobre-corrente temporizada e escolhido para fornecer um tempo
de atraso (time-delay) no trip de acordo com a característica da curva de tempo versus corrente aplicada,
enquanto o relé de sobrecorrente instantâneo e escolhido para proporcionar uma alta velocidade no trip
(0,5 a 2 ciclos). O relé instantâneo pode ser aplicado sozinho ou montado no mesmo cubículo do relé de
sobre-corrente temporizado, sendo que neste ultimo caso estará o temporizado estará associado ao relé
instantâneo.

8. Relé de sobretensão – Função 59

Aplicação: O relé de sobretensão é calibrado e parametrizado com uma tensão maior e normalmente os
seus contatos abrem quando é atingida essa tensão especificada. Funções típicas realizadas por este relé
seguem abaixo.

(1) Proteção do barramento contra sobre-tensão simples: O relé pode gerar um alarme ou trip
caso sinta uma tensão na carga ou no circuito em que está protegendo e está tensão esteja acima da
condição de sobre-tensão suportada.
(2) Detecção de falta terra: Existem dois métodos usados corretamente. Um método mede a
tensão de seqüência zero através do ponto de quebra do delta secundário, com as três tensões do
transformador conectadas em delta estrela aterrado. O relé de pickup baixo é usado desde que
normalmente não ultrapasse a tensão do relé. Durante a falta terra sobre sistemas com alta resistência
no neutro aterrado ou sem aterramento, aplicar-se-ia uma tensão no relé que causaria sua operação
em um período pré-determinado de tempo. O resistor pode ser necessário junto com o relé para
prevenir o dano na tensão do transformador devido à ressonância do ferro.
O segundo método mede a tensão atual através do valor da alta resistência ôhmica conectada entre
sistema do neutro e terra. A tensão que aparece no relé (através do resistor) durante a falta terra pode
ter tempos severos de tensão de pickup, desta maneira o relé pode ser parametrizado para operar em
tempos específicos. A tensão limite continua máxima de operação do relé não deve ser ultrapassada.

Ajustes:

(1) Tempo de atraso do relé: A tensão de pickup (tap) é ajustada por meio de taps discretos sobre a
especificação limite. Vários limites de taps dependendo da aplicação. O tempo de operação é
ajustado por meio dos parâmetros do dial de tempo.
Relé instantâneo: Este relé tem o parâmetro de pickup ajustado de acordo com a tensão limite
especificada e depende do tipo de aplicação. O método de ajuste dependerá da construção do relé.

9. Relé de equilíbrio de tensão – Função 60


Aplicação: O relé de equilíbrio de tensão pode ser usado para bloquear outros relés ou outras funções
que operariam incorretamente quando a tensão do transformador destruir fusível.

10. Relé de sobrecorrente direcional – Função 67 e 87G

Aplicação: O relé de sobrecorrente é usado para promover o trip a sensíveis correntes de faltas em
uma direção e não promover o trip para cargas ou faltas de corrente na outra (normal) direção.
Aplicações típicas que incluem este relé:

(1) Proteção do barramento contra sobre-tensão simples: O relé pode gerar um alarme ou trip caso sinta
uma tensão na carga ou no circuito em que está protegendo e está tensão esteja acima da condição de
sobretensão suportada.
(2) –
(3) –
(4) –

11. Relé de freqüência – Função 81

Aplicação: O relé de freqüência é um dispositivo para funcionar em um valor pré-determinado de


freqüência, acima ou abaixo da freqüência normal do sistema ou num limite de mudanças de
freqüências. Quando é usado para funcionar em um valor pré-determinado abaixo da freqüência
nominal do sistema é geralmente chamado de relé de subfreqüência, e quando funciona com um
valor predeterminado acima da freqüência nominal é geralmente chamado de relé de
sobrefreqüência. Ambas as funções são muitas vezes incluídas no mesmo dispositivo, mas são
utilizadas para diferentes propósitos.

Você também pode gostar