Você está na página 1de 107

SOBRE ESTE E-BOOK

Bem-vindo(a) ao e-book do Canal Talk2Rachel! Nele estão reunidas 10 das


principais perguntas que tenho recebido dos meus alunos e de outros
estudantes de inglês durante os mais de dez anos em que tenho dado aulas
aqui no Brasil. Busquei responder a essas perguntas focando nas questões as
quais meus alunos sempre tiveram mais dificuldade em entender, e um
exemplo disso está no título desse e-book, uma vez que não utilizamos “I have
a doubt” para dizermos que temos uma dúvida em relação a algo, mas sim “I
have a question”. Então o foco aqui não é ensinar nenhum tipo específico de
conteúdo de inglês, mas sim tópicos que abordam tanto pontos gramaticais e
de vocabulário, quanto dicas de estudo e organização para que você consiga
aperfeiçoar ainda mais seus conhecimentos no idioma ou mesmo iniciar seus
estudos com a ajuda de quem já tem bastante experiência no assunto!

Como acompanhar este conteúdo


Além do conteúdo que você vai encontrar neste e-book, também serão
disponibilizados 10 vídeos referentes aos assuntos tratados em cada um de
seus tópicos! Esses vídeos poderão ser encontrados no meu canal do YouTube.
Após o lançamento do e-book serão lançados 2 vídeos por semana para você
acompanhar juntamente com a leitura deste conteúdo. E como um bônus, nas
5 semanas seguintes ao lançamento, também irei realizar LIVES semanais no
meu Instagram para tirar dúvidas e conversar com aqueles que adquiriram o e-
book e assistiram aos vídeos disponibilizados.

Cronograma /talk2rachel @talk2rachel


SOBRE MIM
Meu nome é Rachel Hartwright, nasci em Sussex na Inglaterra, e morei nas
proximidades de Londres a maior parte da minha vida. Sou formada em
Ciências Políticas, na York University, no norte da Inglaterra. Depois que me
formei, voltei para Londres, e trabalhei na área de mídia e pesquisa política,
incluindo trabalhos na BBC. Em 2010, me mudei para o Brasil, comecei a dar
aulas e passei por algumas escolas franqueadas. Em 2014, depois de muita
experiência e múltiplas especializações no ensino do inglês, resolvi abrir minha
própria escola: London Connection em Campos do Jordão/SP e desenvolvi um
método próprio de ensino com 6 livros publicados. Como temos muita procura
de alunos de outras regiões, devido a comprovada eficácia de ensino, resolvi
abrir um canal digital, onde posso compartilhar ainda mais o ensino da minha
língua nativa.
Minha satisfação é ver meus alunos falando inglês, inclusive
Minha satisfação é ver meus alunos falando inglês,
vários deles se tornaram professores. Todo dia vejo como
inclusive vários deles até se tornaram professores.
o aprendizado do inglês abre portas, Seja para os estudos,
Todos os dias vejo como o aprendizado do inglês
viagem, trabalho etc. Agora você também pode fazer parte
abre portas, seja para os estudos, viagens, trabalho
deste grupo através do meu Blog e das mídias sociais.
ou relações interpessoais. Agora você também
Are you ready to Talk2Rachel? Let’s go!!!!!!
pode fazer parte deste grupo através do meu blog,
mídias sociais e canal do Telegram com conteúdo
exclusivo.
Are you ready to Talk2Rachel? Let’s go!
SUMÁRIO
1 Como praticar meu inglês com séries e músicas? .................................. 01

2 Quando usar DO e DOES? ............................................................................ 15

3 Como pensar em inglês para alcançar a fluência? ................................ 24

4 Como pronunciar o ‘TH’, o ‘H’ e o ‘R’ corretamente? .......................... 33

5 Como aprender e treinar a pronúncia do inglês britânico? ................. 40

6 Como e quando usar o Present Perfect? ................................................... 51

7 Como posso praticar meu Speaking sozinho? ........................................ 63

8 Como memorizar as preposições em inglês? .......................................... 74

9 Como manter minha motivação nos estudos? ....................................... 84

10 Como posso organizar meus estudos? ...................................................... 94

Conclusão ............................................................................................................ 102

Referências ........................................................................................................ 103


Como praticar meu inglês
1 com séries e músicas?

Como você já deve ter visto diversos professores de inglês falando por aí, praticar
seu inglês frequentemente é algo extremamente importante para alcançar a
fluência, melhorar diversas habilidades como o listening e a pronúncia, e até para
relembrar algumas coisas que você já havia aprendido antes mas não lembrava
que existia por não usar frequentemente, como expressões, gírias ou um
vocabulário mais avançado e específico.

E uma maneira muito fácil, prática e até divertida de praticar (e que grande parte
dos estudantes de inglês utilizam atualmente) é inserir séries e músicas em inglês
na sua rotina!

Muitas pessoas (professores ou não) indicam essa forma de praticar ou aprender


inglês, pois é perceptível para elas que isso faz uma grande diferença no
aprendizado do aluno. Mesmo entre aqueles que frequentam um curso regular, a
maioria dos que praticam frequentemente com essas ferramentas desenvolvem o
inglês mais rápido, com mais facilidade e confiança!

Veremos, então, como cada uma dessas ferramentas pode te ajudar com isso.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 1
Inglês com séries
Essa é, provavelmente, a ferramenta que os alunos mais usam e gostam de usar,
tanto por considerarem mais eficaz para a prática e aprendizado, quanto por
gostarem muito de séries. E você vai ver que existem diversas maneiras de treinar
bem o seu inglês enquanto você maratona as suas séries favoritas!

 Atente-se ao Nível
O primeiro ponto importante para quem quer praticar com séries é entender
que você deve começar assistindo uma que tenha um nível de dificuldade
correspondente ao seu nível de inglês. Não adianta ‘colocar a carroça na
frente dos bois’ e querer escolher uma que tenha muitos termos técnicos ou
pessoas falando muito rápido ou com sotaque se você tem um nível básico
ou intermediário, por exemplo.

Então vamos ver algumas dicas e exemplos para cada nível, entre básico,
intermediário e avançado, para você começar a praticar com mais confiança
no que está fazendo e não acabar se frustrando e desistindo nos primeiros
dias.

 BÁSICO – É nesse nível que os alunos sentem mais dificuldade na hora


de começar a praticar fora do livro / apostila, mas é nesse momento
que você deve insistir em continuar para se acostumar o quanto antes
com esse tipo de exercício e não sofrer muito depois. Além disso, você
consegue acelerar e aperfeiçoar muito suas habilidades de listening e

RACHEL HARTWRIGHT | ® 2
sua pronúncia desde o começo! Então insista em continuar, mesmo
que isso pareça complicado no início, ok?

Áudio e legenda: O áudio deve ser sempre em inglês, e como já é


bem comum assistirmos séries americanas ou britânicas, seria o áudio
original da série também, o que é ainda mais interessante.

Já a legenda você pode variar de acordo com o que você consegue


entender melhor no início. Alguns já preferem começar com a legenda
em inglês, mesmo que isso cause mais desconforto na hora de
entender algumas frases, pois conseguem se adaptar mais rápido a
ver tudo somente em inglês. Outros começam com a legenda em
português, para ter mais segurança em entender bem o que acontece

RACHEL HARTWRIGHT | ® 3
na série, se acostumar com o áudio em inglês ou mesmo com a ideia
de estar assistindo algo com legenda e ter que acompanhá-la
atentamente, mas assim que você se acostumar com essas coisas já
pode colocar em inglês, então nada de terminar todas as temporadas
e não ter feito essa troca ainda, ok?

Normalmente depois de 10-15 episódios de 40 minutos os alunos já


conseguem mudar a legenda para inglês, e quanto antes isso
acontecer, melhor!

Tipos de séries: Aqui, as séries as quais você irá se adaptar melhor são
as cotidianas! Aquelas que tratam de temas do dia a dia e não
contenham assuntos de áreas muito específicas, como medicina ou
direito. Quando for começar, analise também a velocidade com que
os personagens se comunicam, se você perceber que falam muito
rápido, com muitas gírias e expressões complicadas, ou têm um
sotaque muito carregado, é melhor mudar. Normalmente são as séries
adolescentes e as de comédia que se encaixam melhor nessas
características, mas existem outras que podem se encaixar também, é
só procurar bem!

Exemplos:

- Gossip Girl
- Breaking Bad

RACHEL HARTWRIGHT | ® 4
- Friends
- 13 Reason Why
- The Fosters
- You
- Downtown Abbey
- Looking For Alaska
- Stranger Things
- Santa Clara Diet
- Supernatural
- Lost

 INTERMEDIÁRIO – Se você já atingiu esse nível, provavelmente já está


um pouco mais acostumado a ouvir e ler em inglês, então não irá sentir
tanta dificuldade na hora de se adaptar para praticar com séries. Mas
caso você sinta que está meio enferrujado e precisa começar um
pouco mais devagar, siga as instruções do básico por um tempo antes
de começar com essas, assim você se sentirá mais confiante!

Áudio e legenda: Novamente, o áudio deve estar sempre em inglês, e


como já começamos a fazer essa mudança no nível básico, aqui as
legendas serão sempre em inglês também. Com isso, você já deve ter
se acostumado tanto a escutar quanto a ler somente em inglês,
portanto pode focar mais em como se pronuncia corretamente as
palavras que já conhece e em tentar captar uma ou outra palavra nova
que aparecer. Se não entender o que uma palavra significa pelo

RACHEL HARTWRIGHT | ® 5
contexto em que ela aparece, vale a pena pesquisar o significado para
ter certeza do que é.

Mas calma, não precisa ficar parando a série toda vez que aparecer
algo que você não conhece para pesquisar. Você pode fazer isso com
as que aparecem mais frequentemente ou com algumas que você
acha que já viu antes e não consegue se lembrar bem do significado.
Assim, as chances de você se lembrar das poucas que procurou
naquele episódio / dia são maiores!

Tipos de séries: As séries com temas cotidianos continuam sendo bem


interessantes para o nível intermediário, mas já podemos inserir
algumas que também abordam algum tema mais específico, como
séries policiais, de médicos ou advogados. Mas também é importante
ter cuidado com a velocidade das conversas, pois você provavelmente

RACHEL HARTWRIGHT | ® 6
ainda terá um pouco de dificuldade em acompanhar uma série em que
as pessoas falam muito rápido, com sotaque carregado, utilizando
muitas gírias ou com vocabulário pouco usual. Então tente optar pelos
modelos que vou deixar para vocês ou chegar o mais próximo deles,
ok? E pense que após um tempo praticando dessa forma você já
conseguirá acompanhar bem as que são mais difíceis de entender!

Exemplos:

- Grey’s Anatomy
- The Crown
- House of Cards
- Black Mirror
- Pretty Little Liars
- Lucifer
- Prison Break
- The Flash
- The Walking Dead
- The Umbrella Academy
- The Big Bang Theory
- Once Upon a Time
- Reign

RACHEL HARTWRIGHT | ® 7
 AVANÇADO – Agora sim! Nesse nível você praticamente já não tem
muitas limitações de quais tipos de séries assistir e pode até dedicar
um pouco mais de tempo àquelas mais complexas e que irão te forçar
a continuar praticando e aprendendo coisas novas. Lembre-se de que
você sempre tem algumas palavras e expressões para aprender,
detalhes da sua pronúncia para corrigir e aperfeiçoar e algumas
coisinhas que você já chegou a aprender para relembrar. Portanto, é
extremamente importante você continuar praticando, mesmo já tendo
chegado ao nível avançado!

Áudio e legenda: Assim como no nível intermediário, o áudio e


legenda continuam sempre em inglês. Porém, aqui você já pode
começar a variar entre colocar ou não legenda! Por isso é importante
seguir os passos anteriores caso você ainda esteja se acostumando
com séries em inglês, assim você vai se se adaptando aos poucos, até
nem precisar mais da legenda em alguns casos.

Isso vai variar de acordo com o nível de dificuldade da série que estiver
assistindo, se for mais simples e fácil de entender (Como as que citei
para os níveis anteriores) é provável que você consiga compreender
bem o que é passado sem legendas, mesmo que não perfeitamente,
pois isso também virá com a prática, após um tempo assistindo dessa
forma. E caso você esteja assistindo a uma série mais complicada e
técnica (como as que irei indicar para esse nível) você continua
utilizando a legenda para não correr o risco de se perder no que está
acontecendo na série!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 8
Tipos de séries: Agora você já pode ver todos os tipos de séries que
já citei anteriormente para aperfeiçoar seu listening e prestar atenção
nos detalhes do idioma mais minuciosamente, como também arriscar
algumas séries mais difíceis para descobrir algumas diferenças de
sotaques e vocabulário!

As séries com inglês mais avançado normalmente incluem diferentes


sotaques (mais antigos e de estrangeiros, por exemplo), palavras que
muitas vezes são sinônimos para outras que você já conhece, mas são
menos usuais, um vocabulário mais técnico e específico, mais
velocidade nas falas dos personagens ou mesmo um uso maior de
expressões (formais e informais) e abreviações na fala. Então é bom
que você esteja preparado para talvez ter que voltar algumas cenas
para entender bem o que está sendo dito / expresso por aqui também!

Exemplos:

- Game of Thrones
- How to Get Away with Murderer
- Master Chef (UK ou USA)
- House
- Suits
- Vikings
- Orange is The New Black
- A Series of Unfortunate Events

RACHEL HARTWRIGHT | ® 9
- The Fresh Prince of Bell-Air
- Everybody Hates Chris
- Gilmore Girls e Outlander

Agora você já pode preparar sua pipoca e começar a praticar! Essa com certeza é
uma das melhores formas de aprender inglês, mas lembre-se de que seus estudos
devem estar associados a outros tipos de conteúdo também, pois você ainda vai
precisar desenvolver habilidades de speaking, writing e reading comprehension,
por exemplo.

E não se preocupe se sentir certa dificuldade ao avançar alguma etapa das que
citei acima, o importante é manter a consistência e entender que aprender um
idioma exige muita prática e tempo, especialmente quando você não está em um
país com falantes nativos daquele idioma, como é o caso da maioria dos
estudantes de inglês.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 10
Inglês com música
Outra forma prática, eficaz e prazerosa de estudar inglês é ouvindo as músicas que
você mais gosta! E essa é uma boa maneira de complementar o que você pratica
assistindo séries também. Enquanto você pratica mais seu listening e sua
compreensão quando assiste algo, com músicas você consegue praticar mais sua
pronúncia!

Mas para isso você tem que seguir alguns passos importantes, e não apenas deixar
algo tocando em inglês enquanto você ‘resmunga’ alguns pedaços da letra sem
nem saber do que ela se trata.

 1. Selecione quem você vai ouvir


Em primeiro lugar, você precisa selecionar alguns cantores, bandas ou
duplas que você mais gosta de ouvir, ou mesmo que você começou a gostar
depois de pesquisar por alguns para praticar.

É essencial que no início você escolha algumas músicas desses artistas que
você goste bastante, e que você vá conseguir escutar repetidas vezes, até
‘cansar’ de ouvi-las! O ideal é você selecionar de 5 a 10 que goste muito, e
assim que concluir algumas etapas com essas você parte para outras.

Além disso, é preciso verificar se essas músicas têm um ritmo mais tranquilo
e letras interessantes de serem estudadas, será bem difícil você conseguir
aprender bastantes coisas com heavy metal ou rap, por exemplo.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 11
 2 . Procure as letras das músicas
Selecionadas as músicas, outro passo necessário é encontrar sites e
plataformas que disponibilizem essas músicas e / ou as letras delas para
você (é preferível que tenha a tradução também). Algumas plataformas,
como o YouTube e o Spotify, possibilitam encontrarmos todas essas
ferramentas juntas, mas caso você utilize outras, pode encontrar as letras e
traduções em diversos sites bem confiáveis, que normalmente são os que
aparecem primeiro nas pesquisas do Google.

 3 . Estude-as
Tendo tudo isso em mãos, você já consegue aprender muita coisa ouvindo
músicas! Ao escutá-las repetidamente, logo você se acostumará com a
melodia e o ritmo das músicas, e em seguida já pode começar a estudar as
letras. Nesse momento, quando puder ter as letras e traduções em mãos,
você pode buscar entender as mensagens que cada música traz, enquanto
você faz isso, trabalhando um pouco com a tradução também, você já estará
aprendendo e até mesmo memorizando diversas palavras e expressões
novas!
E diferentemente das séries, aqui você consegue decorar rapidamente o
que está escutando, portanto, as chances de você lembrar do que aprendeu
em cada letra de música por muito tempo (ou mesmo para sempre) são
muito grandes. É quase como se lembrar de uma música que aprendeu

RACHEL HARTWRIGHT | ® 12
quando bem jovem para toda a vida, e é isso que faz esse aprendizado tão
eficaz, apesar de exigir um pouco mais de esforço e estudo.

 4 . Cante em voz alta!


Além de ouvir, ler as letras e as traduções, e tentar entendê-las e memorizá-
las, é importante é aprender a cantar essas músicas em voz alta! Mesmo que
seja no chuveiro, ou quando você está sozinho(a) em casa, esse é um fator
muito importante para que você melhore sua pronúncia.

Para isso é importante que você preste bastante atenção em como o cantor
ou a cantora estão pronunciando cada palavra dessas músicas, e na hora de
cantar, busque reproduzir esses sons para que cheguem o mais próximo

RACHEL HARTWRIGHT | ® 13
possível do original. Com isso, você pratica MUITO sua pronúncia e seu
listening, e ainda vai aprender a cantar diversas músicas que gosta.

Percebeu como não é difícil? Além disso tudo, você pode aumentar o nível de
dificuldade das músicas conforme for praticando. Busque começar com algumas
mais simples e aos poucos passe para as que são mais rápidas. E cuidado com os
erros gramaticais que você pode encontrar em algumas letras, caso tenha dúvidas
se alguma frase está ou não correta pesquise ou pergunte a um professor.

Agora você já pode começar a praticar. Bons estudos!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 14
2 Quando usar DO e DOES?

Antes de entender quando você vai usar o DO ou o DOES, precisamos lembrar


de que essas duas palavrinhas são o que chamamos de AUXILIARES do PRESENT
SIMPLE TENSE, que é um dos tempos verbais mais importantes e mais usados no
inglês, e que os alunos normalmente estudam quando estão no nível básico.

Então, se você ainda tem qualquer dúvida sobre como usar esses auxiliares, ou
não se lembra bem como usamos o Present Simple no inglês, as explicações
seguintes serão muito importantes para você nesse processo de aprendizado!

E como usamos o Present Simple Tense?


O primeiro passo para entender um tempo verbal é saber como ou quando ele é
usado, e como já mencionei, o Present Simple é muito usado e vamos precisar
dele em diversas situações. Seus principais usos são para:

 Fatos ou coisas que são sempre verdade


Ou seja, sempre que você vai falar algo que é 100% verdade ou
cientificamente comprovado, por exemplo.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 15
- Water boils at 100 °C (A água ferve a 100 °C)

- Two and two makes four (Dois mais dois é igual a quatro)

São fatos, coisas que não podemos questionar, portanto, deve ser dito no
Present Simple.

 Hábitos
Sempre que estamos falando de algo rotineiro ou que acontece com uma
determinada frequência.

- I take a shower every day in the morning. (Eu tomo banho todos os
dias de manhã)

- She rides a bike every Sunday. (Ela anda de Bicicleta todo domingo)

RACHEL HARTWRIGHT | ® 16
- We often watch movies together at the cinema. (Nós normalmente
assistimos filmes juntos no cinema).

Nesse caso, são comumente usados com advérbios de frequência, como


Always, never, sometimes, often, rarely, usually e frequently.

 Situações Permanentes
Coisas que acontecem agora e que continuarão da mesma forma por um
longo tempo.

- He lives in Chicago. (Ele vive em Chicago)

- I work as an Engineer. (Eu trabalho como engenheira)

RACHEL HARTWRIGHT | ® 17
 No futuro, para acontecimentos fixos ou depois de palavras que indicam
tempo
Para coisas que acontecem sempre em uma mesma data ou época, como o
ano escolar, datas comemorativas e feriados, mesmo que você esteja se
referindo a futuros acontecimentos. E depois de palavras como when, after,
before, unless e if.

- I will go to school IF I don’t wake up late tomorrow. (Eu irei para a


escola se eu não acordar tarde amanhã)

- The bus leaves at 7:15 in the morning. (O ônibus sai às 7:15 da manhã)

- My birthday is on Saturday next week. (Meu aniversário é no sábado,


na próxima semana)

- I will go on vacation when I finish this project. (Eu vou sair de férias
quando eu terminar esse projeto)

E atenção: NÃO usamos o Present Simple para falar de coisas que estão
acontecendo agora, nesse caso usaríamos o Present Continuous!

E qual é a construção do Present Simple nas frases?


Isso é algo bem simples, mas muito importante você saber para não correr o risco
de errar a ordem das palavras quando for falar ou escrever, ok? É aqui que você

RACHEL HARTWRIGHT | ® 18
vai entender como o DO e o DOES são usados e qual é a diferença entre eles!
Veremos então as construções para as 3 formas das frases, afirmativa, negativa e
interrogativa, e com isso você irá perceber que para cada tipo existem algumas
regrinhas a serem seguidas.

 Afirmativas
Aqui a construção é a mais comum, como ocorre na maioria das frases
afirmativas, mesmo que em outros tempos verbais:

SUJEITO + VERBO (no presente, sem o ‘to’) + OBJETO

I like coffee

You like coffee

He likes coffee

She likes coffee

It likes coffee

We like coffee

You like coffee

They like coffee

Perceba que a conjugação do verbo ‘like’ é diferente para os pronomes ‘He’,


‘She’ e ‘It’, e essa regra sempre vai valer para as frases afirmativas no Present

RACHEL HARTWRIGHT | ® 19
Simple ! Para conjugar os verbos com esses pronomes (ou na 3ª pessoa do
singular) você deve acrescentar ‘es’ ou ‘ies’ (para quando os verbos
terminarem com ‘y’, você o substitui por ‘i’ – Study = Studies ) no final deles.
E essa é a única regra importante para esse tipo de frase!

 Negativas
Aqui, como iremos apenas fazer a negação, precisamos acrescentar o ‘NOT’
nas frases, certo? Mas não é só isso! É aí que entra o primeiro uso de DO e
DOES. Eles serão os auxiliares para a construção das frases negativas e
interrogativas no Present Simple, e DEVEM ser utilizados com a maioria dos
verbos em inglês (irei citar algumas exceções no final). Portanto, fique atento
a como esses auxiliares devem ser usados na construção de cada tipo de
frase! Nas negativas será:

SUJEITO + DO / DOES (auxiliares) + NOT + VERBO + OBJETO

I do not like pizza.

You do not like pizza.

She does not like pizza.

He does not like pizza.

It does not like pizza.

We do not like pizza.

You do not like pizza.

They do not like pizza.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 20
Como você já deve ter percebido, iremos sempre usar DOES para os
pronomes ‘He’, ‘She’ e ‘It’, e DO para os outros. Essa é a diferença
entre eles! Bem simples, não é?

Outra coisa que é importante você saber é que podemos abreviar o


DO e o DOES com o NOT, que são formas mais práticas de falarmos
essas palavras, e por isso acabam sendo mais utilizadas do que a forma
não abreviada. Com isso temos:

DO + NOT = DON’T e DOES + NOT = DOESN’T

E essas são as regras para as frases negativas no Present Simple!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 21
 Interrogativas
Por fim, veremos como se faz uma pergunta no Present Simple.
Para isso continuamos usamos os auxiliares DO e DOES, mas a posição
deles nas frases é diferente. Veja os exemplos e a construção:

DO / DOES (auxiliares) + SUJEITO + VERBO + OBJETO

Do I like football?

Do you like football?

Does he like football?

Does she like football?

Does It like football?

Do we like football?

Do you like football?

Do they like football?

Como você pode ver, continuamos usando DOES para ‘he’, ‘she’ e ‘it’ e DO
para os outros pronomes, mas nesse caso não temos nenhuma abreviação
para eles. Então você só precisa se lembrar de utilizar os auxiliares quando
for fazer uma pergunta e de qual deles você vai usar, dependendo do sujeito
da frase. E pode ficar tranquilo (a), isso é muito mais simples do que parece,
e com o tempo você se acostuma com todas essas regrinhas e não errará
mais! Mas claro, se continuar praticando bastante.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 22
A última característica do Present Simple que você precisa saber, é que, como
mencionado acima, existem alguns verbos que são exceção a todas essas
regrinhas desse tempo verbal, ou seja, a construção das frases afirmativas,
negativas e interrogativas não seguem essa forma.

Com eles, você não precisa usar auxiliares e nem conjugar o verbo na terceira
pessoa, por exemplo. Mas, apesar disso, esses verbos têm algumas regras de uso
para a construção de frases também, então, se possível, é importante que você
estude sobre eles na próxima vez que ler ou assistir algo sobre inglês.

Exceções
As principais exceções são:

Verbos - To Be, Modal Verbs (Can, May, Might, Should, Must, Could, Shall, Will,
etc), To Have Got e To Have.

Agora você até já tem mais um tópico para estudar e aperfeiçoar seus
conhecimentos de gramática! Bons estudos!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 23
Como pensar em inglês
3 para alcançar a fluência?

A primeira das 10 dúvidas que mais tenho recebido dos meus alunos ao longo
desses anos ensinando inglês é: “Como faço para conseguir pensar em inglês?” -
o que está diretamente ligado a alcançar a fluência no idioma, pois é necessário
“eliminar” o português da cabeça na hora de falar inglês!

Além disso, é importante lembrar que essas dicas são principalmente para aqueles
que já possuem um nível intermediário ou avançado de inglês e estão focados em
alcançar a fluência. Para os que estão começando os estudos ou ainda estão no
nível básico, o importante agora é focar em adquirir uma boa quantidade de
vocabulário, frases e expressões, e estudar a gramática básica antes de começar
a seguir essas dicas, ok?

Mas Rachel, quanto tempo vai demorar para eu conseguir fazer essa
mudança?
 Em primeiro lugar, você precisa entender que esse não é um processo
milagroso, mas que ocorre gradualmente e que leva um certo tempo. Não
vai ser de um dia para o outro ou em poucas semanas que você vai alcançar
esse objetivo, então é importante manter a CONSISTÊNCIA ao longo desse

RACHEL HARTWRIGHT | ® 24
tempo em que estiver praticando e treinando seu cérebro a pensar de uma
forma diferente da que ele está acostumado!

 Outro fator importante em relação ao tempo que você levará para conseguir
pensar em inglês e atingir a fluência, é que quanto mais intenso você for na
hora de inserir o inglês no seu dia a dia (da forma que vou te passar), melhor!

E o que é preciso para conseguir parar e de pensar em português e


começar a pensar em inglês?
O passo mais importante é passar do processo 1 para o processo 2:

Portanto, o segredo aqui é NÃO TRABALHAR COM A TRADUÇÃO!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 25
Infelizmente muitos alunos têm dificuldade em parar de traduzir tudo de um
idioma para o outro e, muitas vezes, é isso que os prende no nível
intermediário ou que não os permitem alcançar a tão desejada fluência no
inglês, mesmo estudando e se dedicando muito. É claro que, vez ou outra a
tradução será necessária e pode até te ajudar a entender melhor alguns
termos, mas é importante evitá-la o máximo possível, ou como diria um bom
brasileiro, usá-la somente em último caso.

E o que eu posso fazer / mudar no meu dia a dia para ajudar


nesse processo?
 Descubra os nomes em inglês dos objetos que fazem parte da sua rotina
Uma das maneiras mais fáceis de você inserir o inglês
no seu dia a dia sem precisar trabalhar com tradução
é começar a se familiarizar com os objetos mais
comuns na sua rotina em inglês! Mesmo que pareça
que isso não vai mudar muita coisa no começo, pensar
que isso “is a chair” e não “é uma cadeira” vai te
ajudar muito nesse processo. E além de ser uma forma bem prática de
treinar seu cérebro a pensar mais em inglês, pois você irá forçá-lo a lembrar
frequentemente de diversas palavras que você já conhece, isso também
pode ser útil para aprender o nome de algumas coisinhas que você talvez
não sabia antes.
OBS: Esse método é tão eficaz que alguns dos meus alunos já me contaram
que se pegaram diversas vezes lembrando o nome de alguns objetos

RACHEL HARTWRIGHT | ® 26
primeiro em inglês e só depois em português. É isso que eu chamo de
pensar como um falante nativo!

 Faça atividades em inglês


Outro jeito bem simples e prático que vai te ajudar nisso é tentar realizar o
máximo de atividades possíveis em inglês! Isso pode variar desde fazer uma
lista de compras para o supermercado em inglês, até assistir séries e filmes
com áudio e legendas em inglês, ou mesmo sem legenda, dependendo do
seu nível e da dificuldade da série (assim como expliquei no tópico 1).
Dessa forma, além de aprender e se acostumar com uma quantidade ainda
mais ampla de palavras, você consegue variar os contextos e não se prender
apenas às situações mais comuns do seu dia a dia. Aqui vai uma lista de
outras coisas que você pode incluir na sua rotina usando o inglês:

 Mudar o idioma do seu celular para o inglês.


Vai ser um pouco complicado se adaptar no início, e você vai precisar
tomar cuidado e ter um pouco de paciência quando precisar mudar
algumas configurações mais avançadas do seu celular que utilizam
termos muito técnicos. Mas você se acostuma bem rápido com o uso
no dia a dia, pois já fazemos bastante coisa automaticamente ao
utilizarmos o celular. E ainda passa a pensar em termos como ‘set an
alarm’, ‘typing’ e ‘reply’ como sendo naturais para você, mesmo não
sendo usados na sua língua nativa!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 27
 Organizar sua agenda semanal / mensal em inglês.
Apesar de utilizarmos termos mais comuns para esse tipo de coisa, é
bem prático e não deve gerar muita confusão caso você cometa algum
erro, por ser algo a que somente você tem acesso.

 Seguir páginas nas redes sociais sobre assuntos que te interessam


com conteúdo apenas em inglês.
Além de você praticar coisas que já sabe, pois terá muitas vezes que
ler pequenos textos ou assistir pequenos vídeos e compreender bem
o que está sendo passado, ainda vai aprender um vocabulário mais
específico, de acordo com as suas áreas de interesse! Você pode
seguir páginas que falam sobre seus filmes, séries e música preferidos,
os perfis dos artistas internacionais que você mais gosta, ou mesmo
com conteúdo sobre o que você está estudando, como engenharia,
direito, administração, etc.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 28
 Decorar as letras das músicas em inglês que você gosta
Mesmo que seja pra cantar no chuveiro! Decorar as letras das suas
músicas favoritas e cantar em voz alta depois, tentando ao máximo
imitar a forma com que os artistas cantam, vai ajudar muito a melhorar
sua pronúncia e até mesmo a memorizar algumas expressões comuns
na língua inglesa, e que nem sempre são ensinadas nos cursos
convencionais. Você pode até dar uma olhada na tradução da letra
caso não entenda algumas partes, o que também vai ajudar a
aprender novas palavras.
OBS: Cuidado com os usos de gírias e erros gramaticais que aparecem
bem frequentemente nas músicas, ok? É importante você saber
identificá-los quando estiver estudando a letra, na dúvida consulte o
Google ou algum professor para confirmar se algo está correto ou não.

 Conversar em inglês com algum amigo ou amiga


Encontre um amigo que também esteja estudando inglês, ou mesmo
que queira começar a estudar com você, e conversem sempre em
inglês! É mais fácil perder a vergonha de cometer alguns erros com
alguém que você conhece e que está se esforçando para aprender
assim como você! Além de praticar inglês, vocês podem acabar dando
boas risadas juntos também.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 29
E Rachel, quais são as dicas para melhorar meu contato com o
inglês enquanto estou estudando?
 Não traduzir! Como já vimos, o principal a se fazer é não traduzir, então na
hora de procurar o significado de alguma coisa na internet, por exemplo,
não busque pela tradução ou pelo significado em português. O que você
deve fazer é procurar pelo significado / explicação da palavra em inglês!

É preciso tomar cuidado com as fontes informação, é claro, então busque


entrar em sites de dicionários como os de Cambridge, Oxford, Macmillan,
Merriam-Webster, etc, que são fontes confiáveis.

Para buscar o significado de ‘Bridge’, por exemplo, você pode utilizar


‘Bridge meaning’, ‘What is the meaning of bridge’ or ‘What does bridge
mean’. Normalmente os dicionários já têm exemplos de frases com as
palavras que você busca, mas caso queira ver mais exemplos, pode
pesquisar por ‘Bridge sentence examples’ ou ‘How to use bridge in a
sentence’.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 30
 Explicações em inglês - Além de pesquisar por palavras e expressões, é
importante você encontrar materiais de estudo com explicação 100% em
inglês. Esses materiais vão desde o conteúdo escrito, como artigos na
internet, livros e exercícios, até os vídeos de páginas e cursos que você
assiste!
O conteúdo somente em inglês disponível nas redes sociais e outras
plataformas é bem maior do que somente em português, então além de
praticar e se acostumar a pensar cada vez mais em inglês, você vai ter muito
mais chances de encontrar o que está procurando e de uma forma que você
consiga compreender melhor!

 Professores Nativos - Outro segredo é sempre buscar por professores


nativos! Você ainda pode escolher entre um professor britânico ou
americano, por exemplo, e assim conseguirá praticar melhor o listening e
chegar cada vez mais próximo de ter a pronúncia (ou o sotaque) similar ao
de pessoas nativas, mesmo que não seja exatamente igual.
Além do mais, é comum que professores nativos abordem assuntos
relacionados a cultura do seu país, o que irá tornar o seu aprendizado ainda
mais interessante e completo!

 Descreva em inglês - Caso você estude inglês em grupo e com aulas de


conversação, ou esteja apenas buscando conversar para praticar, continue
não utilizando a tradução nesses momentos. Quando quiser utilizar uma
palavra que você não lembra como é em inglês, tente explicar, sinalizar ou
gesticular o que você quer dizer até a outra pessoa entender e talvez até

RACHEL HARTWRIGHT | ® 31
encontrar a palavra que você estava querendo usar, como se essas pessoas
realmente não falassem português e você pudesse se comunicar apenas em
inglês mesmo!

Com isso, você estará simulando uma situação da vida real em que precisaria
se comunicar de alguma forma, e as chances de captar uma palavra nova ou
lembrar mais rápido dela na próxima vez que for usá-la serão muito maiores!

Viu como não é tão complicado inserir o inglês no seu dia a dia e como isso pode
alavancar muito seus estudos? Em muitos casos, você até pode fazer isso de uma
forma bem divertida!

Mas não se esqueça que o principal fator é ter perseverança e se manter focado,
apesar de não ser impossível, ninguém alcança bons resultados de um dia para o
outro ou sem muito esforço.

Espero que você tenha gostado dessas dicas e que elas te ajudem a conseguir
pensar cada vez mais em inglês e a alcançar a tão desejada fluência!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 32
Como pronunciar o ‘TH’, o
4 ‘H’ e o ‘R’ corretamente?

A primeira coisa que precisamos entender quando tratamos da pronúncia de sons


específicos no inglês é que alguns deles não tem um som equivalente no
Português ou mesmo em outros idiomas, como é o caso dos 2 sons do TH, e isso
faz com que o estudante tenha ainda mais dificuldade em pronunciar palavras com
esses sons corretamente. Outro problema bastante comum é o fato de o som
existir na língua portuguesa, mas ser usado de forma diferente do inglês, como é
o caso do ‘H’ que às vezes tem som de ‘R’.
É por esses e outros problemas que é importante você se dedicar a entender bem
a pronúncia desses sons, que são alguns dos mais complicados para os brasileiros,
e praticar bastante para aperfeiçoar cada vez mais a sua pronúncia durante os seus
estudos!

Vamos falar primeiro do som mais temido pelos estudantes


brasileiros, o ‘TH’
Como mencionei acima, uma característica importante do TH é que ele tem dois
sons diferentes, que variam de acordo com a palavra que você está utilizando.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 33
Esses dois sons são chamados de ‘TH VOZEADO’ e ‘TH NÃO VOZEADO’, ou
‘voiced’ and ‘unvoiced’, em inglês.

Isso ocorre pois com o TH ‘sem som’ nós não utilizamos nossas cordas vocais para
emitir som, como ocorre com a pronúncia da letra S no português. E com o TH
‘com som’ utilizamos as cordas vocais para emitir som, como ocorre com a
pronúncia da letra Z no português.

De qualquer forma, o segredo será utilizar os dentes para nos auxiliar nesses dois
tipos de pronúncia, como veremos a seguir.

 O TH VOZEADO - Por ser um som que não existe em português, é comum


as pessoas confundirem ou tentarem substituir esse som por outros que
existem, especialmente pelos sons iguais aos das letras ‘Z’, ‘V’ ou ‘D’, mas é
importante perceber que eles não são a mesma coisa!

Para acertar a pronúncia, a dica é colocar a ponta língua entre os dentes e


fazer um som parecido com o de uma abelha, ou pronunciar o Z
repetidamente, como se quisesse fazer ‘zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz’ e colocar a
língua entre os dentes enquanto produz esse som. Com isso, você vai
continuar assoprando e vibrando suas cordas vocais para produzir o som do
TH vozeado.

Algumas palavras em inglês que possuem essa pronúncia do TH são:

RACHEL HARTWRIGHT | ® 34
This, that, mother, brother, father, these, them, together, although,
therefore, nevertheless.

 O TH NÃO VOZEADO - Esse é outro som que muitas pessoas também


buscam substituir por sons que existem no português, e normalmente
utilizam o ‘S’ ou o ‘F’ para chegar a uma pronuncia parecida. Mas assim
como no caso do TH vozeado, eles não são a mesma coisa!

A pronúncia correta do TH sem som também deve ser feita com o auxílio
dos dentes, mas nesse caso não utiliza-se as cordas vocais. É como se você
fosse pronunciar a letra S de forma prolongada, como um
‘ssssssssssssssssssss’, mas com a língua entre os dentes enquanto produz
esse som. Assim, você vai continuar assoprando, mas sem utilizar as cordas
vocais para produzir o som do TH não vozeado.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 35
Algumas palavras que possuem essa pronúncia do TH são:

Think, mouth, thin, though, both, birthday, thing, thumb, tooth, earth.

É importante você saber diferenciar bem as pronúncias do TH das letras que são
comumente usadas para substituí-las, pois podem existir outras palavras que são
realmente escritas e possuem o som dessas letras. Temos, por exemplo, a palavra
THOUGHT (pensar, no passado) que pode ser confundida com FOUGHT (lutar,
no passado) caso a pessoa substitua o TH por F na hora de falar.

Portanto, busque praticar sempre e treinar bastante o seu listening para


aperfeiçoar cada vez mais a sua pronúncia dessa sílaba!

Agora vejamos a pronúncia da letra ‘H’


Assim como ocorre com o TH, o H tem duas principais pronúncias diferentes, que
pode ser o ‘H mudo’ ou ‘silent H’, onde basicamente ignoramos que ele existe na
palavra e não o pronunciamos, ou o ‘H aspirado’, onde pronunciamos o H e ele
tem um som igual ao do ‘R’ em português.

 O H MUDO – Existem poucas palavras nas quais a pronúncia do H é mudo,


então não seria muito difícil memorizar quais são elas, mesmo que aos

RACHEL HARTWRIGHT | ® 36
poucos, se você tiver um contato constante com o inglês, isso vai acabar
acontecendo.

Algumas palavras que possuem o H mudo são:

Honesty, Hour, Honour, Heir, Vehicle, Vehement e Herb (No inglês


americano)

Além dessas palavras, também não se pronuncia o H quando ele aparece


depois das letras G ou R em:

Ghost, Ghastly, Ghetto, Rhynoceros, Rhubarb, Rhyme e Rhythm.

 O H ASPIRADO – É o caso da maioria das palavras que possuem H. A


pronúncia, como mencionei, é igual à do ‘R’ em português, portando
podemos usar ‘Róspital’ como sendo a pronúncia de ‘Hospital’, por
exemplo. Algumas palavras que possuem o H aspirado são:

House, Horse, Hotel, Hand, Head e Heart.

 O H FRACO - Além desses dois tipos de pronúncia, ainda temos o que


chamamos de ‘H fraco’ ou ‘weak h’, onde o H é pronunciado, mas de uma
maneira mais leve, quase como se não fosse. Isso ocorre especialmente

RACHEL HARTWRIGHT | ® 37
quando algumas palavras específicas são seguidas por outras, ou seja, essa
regra não vale para a palavra em si sozinha.

Algumas palavras que possuem o H fraco quando acompanhadas por outras


anteriormente são:

He, Him, His, Her, Have, Has e Had.

Outro fato importante sobre a pronúncia do H é que mesmo que a maioria das
palavras sejam pronunciadas com o H aspirado, muitos falantes nativos britânicos
nunca ou raramente o pronuncia, mas nesse caso, não há regras definidas para o
seu uso.

Finalmente, veremos a pronúncia da letra ‘R’


Essa pronúncia é um pouco mais fácil de você
conseguir acertar ou aprender, pois temos um som
equivalente em português para a mesma letra! Esse
som é o mesmo que chamamos de ‘R caipira’, ou
tecnicamente de ‘R retroflexo’, e a pronúncia é
basicamente a mesma das palavras ‘caRne’, ‘poRta’
ou ‘áRvore’ por exemplo.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 38
Caso tenha dificuldade em pronunciar o R corretamente, a dica é pensar que
a sua língua fica ‘solta’ na boca, ou seja, sem tocar o céu da boca, e com a
ponta um pouco curvada na hora de falar. E isso vale tanto para as palavras
que tem o R no meio, quanto no início (o caso no qual é mais comum as
pessoas sentirem dificuldade em pronunciar o R).
Algumas palavras que possuem o R com essa pronúncia são:

Argument, Right, Red, Rainbow, Try, Already, Rich e Party.

Percebeu como não é tão complicado entender a forma correta de pronunciar


essas letras?

Mas vale ressaltar que a melhor maneira de você se acostumar a aperfeiçoar ainda
mais a sua pronúncia é ouvindo bastantes coisas em inglês! Quanto mais você
praticar o seu listening, consequentemente, melhor será a sua pronunciation, ok?
Além de evitar que você tenha um sotaque muito carregado de um falante não
nativo!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 39
Como aprender e treinar a
5 pronúncia do inglês
britânico?
Você já deve ter se perguntado (ou visto alguém perguntar) qual é a diferença
entre o inglês britânico e o americano, certo? E já deve ter percebido que existem
diversos tipos de pronúncia no inglês. Porque é exatamente essa a principal
diferença entre eles! Eu costumo dizer para os meus alunos que é como tentar
diferenciar a forma com que se usa e se pronuncia o português em São Paulo e na
Bahia, pois em ambos os casos o idioma é o mesmo, mas a pronúncia e a forma
como chamamos algumas palavras são diferentes!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 40
Então para aqueles que querem aprender, ou se aperfeiçoar mais nos estudos do
inglês britânico, o segredo é focar principalmente na pronúncia das palavras. E
lembre-se de que mesmo estando em um só país, os sotaques ainda podem ser
diferentes de acordo com cada região, então as chances de você encontrar vários
tipos de pronúncia britânicas ou americanas são grandes!

Quanto às palavras que têm nomes diferentes na Inglaterra e nos Estados Unidos,
é interessante saber como são chamadas em ambos os lugares, pois além de você
ampliar ainda mais os seus conhecimentos da língua, irá evitar que haja quaisquer
desentendimentos quando estiver conversando com falantes nativos ou assistindo
a um filme americano, por exemplo.

E Rachel, é mais fácil ou mais difícil estudar o inglês


britânico?
Isso irá depender muito de quais ferramentas você utiliza para estudar! Alguns
alunos consideram mais fácil estudar o inglês britânico pois consideram que a
pronúncia das palavras é mais clara e mais parecida com o português, e dessa
forma acabam tendo mais facilidade em entender e em se comunicarem. Outros
o consideram mais complicado e preferem o inglês americano, por exemplo, pois
muitas vezes é o que já estão mais acostumados a ouvir em meios digitais, com
séries, filmes, músicas e programas de TV.

Então não podemos definir ao certo qual desses é mais fácil para você aprender,
pois isso irá depender de como você pratica e insere o inglês na sua rotina e de
quais ferramentas utiliza para estudar e praticar!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 41
Quais são as principais diferenças entre a pronúncia britânica
e americana?
Lembremos que este capítulo é sobre como aprender e treinar a pronúncia
britânica da língua inglesa, e isso não inclui as outras diferenças que existem entre
o inglês e outros sotaques, como na grafia e no vocabulário.

Quando decidimos nos concentrar em um tipo de pronúncia - britânica, americana,


australiana, sul-africana, etc., estudar as diferentes formas de pronunciar os sons
pode realmente nos ajudar quando tentamos reproduzir palavras.

No inglês britânico, existem sons que são pronunciados de forma diferente e


alguns deles você já deve ter notado. Recomendo que, se você estiver realmente
interessado em focar na pronúncia britânica, comece a pesquisar e estudar esses
diferentes sons.

Aqui vou explicar 3 das diferenças mais notáveis entre a pronúncia do inglês
britânico e americano:

1. A letra `A´ - em inglês britânico, palavras como ´can´t´ são pronunciadas


na parte de trás da boca, enquanto no inglês americano são pronunciadas
na parte frontal da boca.

2. A letra ´R` - no Inglês Britânico o / r / só é pronunciado se for ANTES de


uma vogal - por exemplo Rachel, CaiRo, Rabbit.
Se o / r / não estiver antes de uma vogal, geralmente é silencioso. Por
exemplo CAR, PART, MARKET - o som é semelhante a ´ah´ nessas palavras.
No entanto, no inglês americano, o som / r / é sempre pronunciado.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 42
3. A letra ‘T’ - talvez a diferença mais famosa entre o inglês americano e
britânico seja o som / t / entre as vogais. No inglês britânico, vamos
pronunciar esse som como / t /, mas no inglês americano ele é pronunciado
como um / d / suave. Por exemplo – LATER, BETTER, BUTTER, ABILITY.

No vídeo que acompanha este capítulo explicarei mais sobre essas diferenças.

Existem mais diferenças na pronúncia das palavras no inglês britânico, assim como
na gramática, e eu acredito que se você realmente quer aprender a pronúncia
específica de uma palavra, deve tentar estudar também o lado técnico. Para isso,
o British Council fornece muitos materiais gratuitos para você estudar, como a
Tabela Fonêmica:

 https://www.teachingenglish.org.uk/article/phonemic-chart

Seu aplicativo ‘Learn English Sounds Right’ também é ótimo. Veja mais
informações clicando na figura abaixo:

RACHEL HARTWRIGHT | ® 43
O site HOWJSAY também é um recurso fantástico, já que você pode pesquisar
por uma palavra e ele fornece o áudio em vários contextos, o que é uma ótima
maneira de praticar.

 https://howjsay.com/

E o ‘Tim's Pronunciation Workshop’ do BBC Learning English também é um ótimo


recurso para a pronúncia britânica com vídeos explicando os diferentes sons.

 https://www.bbc.co.uk/learningenglish/features/pronunciation

RACHEL HARTWRIGHT | ® 44
Mas lembre-se sempre de que se trata de um processo que exige tempo e
paciência, você não conseguirá falar com uma pronúncia britânica após uma
semana ou um mês apenas!

E como posso fazer para praticar mais o britânico se já estou


mais costumado(a) com o americano?
Esse é um caso muito comum de alunos que gostariam de aprender inglês com a
pronúncia britânica, seja por gostarem mais do sotaque ou por considerarem mais
fácil, mas já têm estudado e praticado o americano por um tempo.

Para isso, você irá precisar fazer uma ‘transição’ do americano para o britânico, e
caso você esteja começando nos estudos, também pode seguir essas dicas para
já começar a praticar com a pronúncia britânica!

 Busque formas de entretenimento com conteúdo em inglês britânico.


Essa é uma das principais formas de praticar a pronúncia britânica! O que
acaba tornando essa transição difícil para a maioria dos alunos brasileiros é
o fato de já estarem mais acostumados a consumir conteúdo feito por
americanos, como filmes, séries, músicas e programas de TV, então
consequentemente associam o inglês com a pronúncia americana que
escutam mais frequentemente.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 45
Então para mudar isso, você deve selecionar formas de entretenimento que
te agradam e que são feitas por britânicos. Existe uma quantidade muito
grande de conteúdo para você escolher, e dessa forma você acaba se
acostumando mais com os sotaques e praticando seu ouvido para entender
cada vez melhor as características de pronúncia. Lembre-se de que é
ouvindo que aprendemos a falar, então o primeiro passo é praticar o
listening!

 Encontre cursos com professores nativos britânicos.


Como vocês já devem saber, essa é uma dica que posso dar baseada na
minha experiência dando aulas, pois nasci na Inglaterra e tenho ensinado
inglês com sotaque britânico por muitos anos! Para aqueles que não
pretendem aperfeiçoar sua pronúncia em inglês com o britânico, isso não

RACHEL HARTWRIGHT | ® 46
será um impedimento para que pratiquem o americano, mas para os que
pretendem, essa pode ser uma ótima oportunidade para praticar!

Durante as aulas você precisa compreender bem a pronúncia de cada


palavra nova que aprende, e se já estiver fazendo isso com um professor
britânico, as chances de você pronunciar todas essas palavras novas, e
mesmo as que já conhecia, com o sotaque britânico, são ainda maiores.

Além da pronúncia, você irá se familiarizar com as palavras que possuem


nomes diferentes em alguns países e passará a utilizá-las da forma como são
chamadas na Inglaterra. Sem mencionar que as expressões e fatos culturais
também agregam grande valor ao seu aprendizado e te ajudam a fazer uma
imersão no inglês de maneira ainda mais interessante.

 Assista conteúdos de Britânicos


Caso você esteja estudando sozinho, e não em um curso regular ou online,
você também pode procurar por vídeos no YouTube e páginas nas redes
sociais de professores nativos britânicos que ensinam inglês! Assim como o
tipo de conteúdo que eu disponibilizo para vocês. Caso não tenha
encontrado muitos professores nativos ainda, busque pelo conteúdo que
deseja estudar em inglês, com isso, você irá encontrar diversos professores
nativos e com o decorrer do tempo vai se familiarizando com o tipo de
conteúdo que cada um deles oferece.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 47
Outra dica interessante é buscar ler e fazer alguns exercícios de páginas
britânicas que ensinam inglês, entre elas temos a BBC Learning English, The
British Council e Cambridge, como sendo algumas das mais conhecidas.

 Utilize ferramentas voltadas ao inglês britânico


Durante seus estudos você também pode precisar utilizar ferramentas para
verificar os significados de algumas palavras ou expressões, e temos
diversos dicionários online que, ao mostrarem os significados, também
possibilitam que você escute como as palavras são pronunciadas tanto no
inglês americano quanto no britânico.

Nesse caso você pode se atentar mais ao britânico, ou mesmo verificar a


diferença de pronúncia entre os dois, afinal, conhecer bem a língua inglesa
é também saber os sotaques de diferentes lugares!

Como exemplos dos dicionários mais usados e confiáveis temos os de


Cambridge, Oxford, Macmillan, Merriam-Webster, Collins, entre outros.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 48
 Busque outras atividades agradáveis
Por fim, aconselho você a buscar meios diferentes e agradáveis que te
possibilitem estudar e praticar seu listening e sua pronúncia.

 Podcasts: Uma das formas que eu e muitos dos meus alunos


praticamos o listening é ouvindo podcasts, que além de oferecerem
uma quantidade muito grande e diversa de conteúdos, com eles você
irá precisar prestar ainda mais atenção no que está sendo falado, o
que irá fazer com que você treine o seu ouvido de maneira ainda mais
eficaz!
 Apps: Outra dica é tentar praticar ao máximo sua pronúncia, e para
que você consiga fazer isso corrigindo sua pronúncia e de maneira
prática, eu te indico o aplicativo ELSA – English Speaking Coach.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 49
 YouGlish: Um ótimo site para verificar a pronúncia das palavras na
prática é o https://youglish.com. Nele você digita a palavra que deseja
e ele busca todas as ocorrências de vídeos do YouTube que
contenham essa palavra, já colocando o vídeo no ponto exato onde
ela aparece. É possível filtrar por “UK” (United Kingdom) e conferir os
vídeos apenas dessa região, por exemplo.

Com essas dicas espero ver você praticando e aperfeiçoando cada vez mais
a sua pronúncia do inglês britânico, ok? Afinal, mesmo que você não fale
exatamente igual a um nativo, você pode sempre buscar chegar o mais
próximo disso possível!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 50
Como e quando usar o
6 Present Perfect?

Neste tópico, assim como vimos no 2, iremos tratar sobre um dos principais
tempos verbais em inglês. A diferença é que o Present Perfect normalmente é
ensinado no nível intermediário, e não temos um tempo verbal correspondente
em português, o que faz com que muitos alunos acabem sentindo mais
dificuldade em entendê-lo e aplicá-lo em seus textos e falas.

Portanto, aqui vou explicar direitinho como você constrói e como deve usar esse
tempo verbal, e você verá que é bem mais simples do que parece!

Em quais situações devo usar o Present Perfect?


Existem 2 casos principais para o uso do Present Perfect:

 Para algo que começou no passado e continua acontecendo no presente


Nesse caso, iremos usá-lo para mostrar que alguma ação se iniciou em
algum tempo no passado e continua até o presente momento (aqui você
pode mencionar quando isso começou ou por quanto tempo tem
acontecido, por exemplo).

RACHEL HARTWRIGHT | ® 51
Para expressarmos essas ideias, utilizamos algumas palavras para delimitar
o tempo, como SINCE (desde), FOR (por - algum tempo) e ALL (todo –
algum tempo).

Alguns exemplos são:

- I have lived in London all my life. (Eu morei em Londres a vida toda)

- We have tried to have a baby for 2 years now. (Nós temos tentado ter
um bebê por 2 anos)

- She has studied English since 2010. (Ela estuda inglês desde 2010)

Atenção!!! Para expressar essa mesma ideia de algo que começou no


passado e continua até o presente também podemos usar o Present Perfect
Continuous, ok?! Nesse caso ele acaba sendo ainda mais usado que o
Present Perfect, mas normalmente as duas formas estão corretas e com o

RACHEL HARTWRIGHT | ® 52
tempo você vai se acostumar com qual dos dois é melhor usar em cada
situação.

 Para algo que aconteceu no passado, mas o tempo não é importante Esse
é parecido com o uso do famoso ‘Já’ em português. Usamos quando
queremos dizer que já fizemos algo ou que algo já aconteceu em algum
momento no passado, mas não dizemos a data exata desse acontecimento.
E caso você queira dizer quando aconteceu (com uma data específica), não
irá usar o Present Perfect, mas sim o Past Simple.

Aqui também utilizamos algumas palavras para expressar melhor essa ideia.
Como EVER (Já – alguma vez na vida ou na história), NEVER (Nunca),
ALREADY (Já), YET (já – para perguntas / ainda – para negativas) e JUST
(para dizer que algo acabou de acontecer / aconteceu a pouco tempo). Mais
tarde nesse capítulo explicarei mais sobre onde colocar essas palavras-
chave nas frases.

Mas aqui estão alguns exemplos:

- Have you ever been to New York? (Você já esteve em Nova Iorque?)

- He has never studied English before. (Ele nunca estudou inglês antes.)

- I have already tried to call him. (Eu já tentei ligar para ele.)

RACHEL HARTWRIGHT | ® 53
- Your sister has just arrived home. (Sua irmã acabou de chegar em
casa.)

- Have your brothers finished their homework yet? (Seus irmãos já


terminaram suas tarefas?)

- This is the best birthday party I have ever had! (Essa é a melhor festa
de aniversário que eu já tive!)

E teacher, quais são as regras para a construção das frases?


Para o Present Perfect as regras são um pouco mais complicadas do que para o
Present Simple, por exemplo, pois estamos falando de um tópico de gramática
mais avançado, mas assim que você entender o porquê dessa construção e
praticar um pouco, tudo ficará mais fácil!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 54
 Regra 1
A primeira regra importante é que iremos usar um auxiliar para a construção
das frases, assim como usamos DO e DOES no Present Simple, mas nesse
caso o auxiliar será o HAVE, e ele será usado tanto para frases negativas e
interrogativas quando para as afirmativas!

 Regra 2
Outra regra é o uso do Past Participle (ou passado particípio), que é uma
das formas possíveis dos verbos em Inglês. Você provavelmente já viu
alguma tabela que ensina a três formas dos verbos irregulares em inglês, e
elas normalmente são divididas em três colunas, certo? Então a forma que
você vai precisar usar no Present Perfect é a da terceira coluna!

Por exemplo:

Com o verbo ‘break’ (quebrar) usamos ‘broken’.

Com o verbo ‘go’ (ir) usamos ‘gone’.

Com o verbo ‘begin’ (começar) usamos ‘begun’.

E lembre-se de que não temos nenhuma regra para determinar como será
a conjugação desses verbos no Past Participle, portanto você deve decorar
qual é a forma correta para cada palavra. O segredo é começar com os
verbos mais básicos e mais usados, como os da tabela abaixo, e em seguida
ir se acostumando com os outros. Você pode pesquisar toda vez que não
souber qual é a forma de um verbo e aos poucos ir decorando os demais!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 55
Irregular Verbs
Base form Past Simple Past Participle
be was / were been
become became become
begin began begun
break broke broken
build built built
buy bought bought
choose chose chosen
come came come
cost cost cost
do did done
drive drove driven
drink drank drunk
eat ate eaten
feel felt felt
fight fought fought
forget forgot forgotten
freeze froze frozen
get got got / gotten
give gave given
go went gone
have had had
hear heard heard
hide hid hidden
keep kept kept
know knew known
leave left left
lose lost lost
make made made
meet met met
pay paid paid
run ran run
say said said
see saw seen
sell sold sold
send sent sent
sleep slept slept
speak spoke spoken
take took taken
think thought thought
win won won

RACHEL HARTWRIGHT | ® 56
Nessa tabela, você encontra as formas de alguns dos verbos IRREGULARES,
mas não podemos esquecer que também temos os verbos REGULARES em
inglês.

E por que não temos tabelas ensinando os verbos regulares também?

Não utilizamos tabelas para esses verbos pois a regra para colocá-los no
Past Participle (ou no passado simples) é sempre a mesma! Você só precisa
acrescentar ‘ed’ no final desses verbos, (ou ‘ied’ para os que terminarem
com ‘y’ e a penúltima letra for uma consoante).

Portanto, não se esqueça de analisar se o verbo que você vai usar é regular
ou irregular na hora de colocá-lo em uma frase, ok?

Vejamos então as construções das frases no Present Perfect

 Afirmativas
No Present Perfect, essa é a construção mais complicada das frases, pois é
aqui que você vai utilizar o Past Participle. Então você terá que saber se o
verbo que está usando é regular ou irregular, e se for irregular terá que
conhecer a sua conjugação. A construção é:

SUJEITO + HAVE / HAS + VERBO (No Past Participle) + OBJETO

RACHEL HARTWRIGHT | ® 57
I have broken my leg.

You have broken your leg.

He has broken his leg.

She has broken her leg.

It has broken its leg.

We have broken our legs.

You have broken your leg.

They have broken their legs.

Outra questão importante é que o auxiliar HAVE é conjugado como HAS


para os pronomes ‘he’, ‘she’ e ‘it’, e isso vai continuar valendo para os
demais formatos de frases!

E é possível contrairmos os Pronomes com os auxiliares HAVE e HAS, que


viram ‘VE e ‘S respectivamente. Essa forma ainda acaba sendo mais utilizada
que a forma não contraída, especialmente na fala. Os pronomes na forma
contraída ficam:

I’ve drunk ...

You’ve drunk ...

He’s drunk ...

She’s drunk ...

It’s drunk ...

RACHEL HARTWRIGHT | ® 58
We’ve drunk ...

You’ve drunk ...

They’ve drunk ...

 Negativas
A ordem das palavras para as frases negativas continua a mesma das
afirmativas, a diferença é que aqui iremos acrescentar o NOT depois do
verbo auxiliar. E então teremos:

SUJEITO + HAVE / HAS + NOT + VERBO (no Past Participle) + OBJETO

I have not studied for the exam.

You have not studied for the exam.

He has not studied for the exam.

She has not studied for the exam.

It has not studied for the exam.

We have not studied for the exam.

You have not studied for the exam.

They have not studied for the exam.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 59
Para essas frases, também podemos fazer a contração dos auxiliares HAVE
e HAS com o NOT, que também são mais utilizadas por conseguirmos
pronunciá-las de maneira mais prática e rápida. Na forma contraída temos:

HAVE + NOT = HAVEN’T e HAS + NOT = HASN’T

 Interrogativas
Para essas frases temos uma regra diferente e muito importante que é a
INVERSÃO do Sujeito com os Auxiliares, ou seja, na construção o sujeito não
é mais o que vem primeiro. Portanto:

HAVE / HAS + SUJEITO + VERBO (no Past Participle) + OBJETO

Have I seen it before?

Have you seen it before?

Has he seen it before?

Has she seen it before?

Has it seen it before?

Have we seen it before?

Have you seen it before?

Have they seen it before?

RACHEL HARTWRIGHT | ® 60
Nesse caso não é possível fazermos contrações, mas é muito importante que
você não se esqueça de fazer a inversão!

Por fim, você deve estar atento ao uso de algumas ‘palavras-chave’ que
utilizamos no Present Perfect, como ‘already’, ‘ever’, ‘never’, etc. Você irá
sempre colocá-las antes do verbo, mas vamos ver mais alguns detalhes:

A palavra ALREADY é usada em frases afirmativas e você pode inserir


antes do verbo:
He has already visited Hong Kong.
Ou você pode inserir no final da frase para dar mais ênfase:
He has visited Hong Kong already.

O advérbio YET dá a ideia de “até agora” ou “ainda” e costuma ser


usado em perguntas ou frases negativas e vem sempre no final da frase:
He hasn´t finished his dinner yet.
Have you visited the new Japanese restaurant yet?

A palavra EVER tem sentido de já, porém no sentido de algum dia,


alguma vez, em frases interrogativas diretas e indiretas:
Have you ever ridden a horse?
Has he ever flown in a plane?

A palavra JUST dá a ideia de que algo acabou de acontecer, e é


colocada em frases afirmativas, antes do verbo:
He has just helped me clean the car.
We have just driven to New Jersey.

A palavra STILL, quando usada com o Present Perfect, significa que algo
não aconteceu. Usamos isso para enfatizar que esperávamos que algo

RACHEL HARTWRIGHT | ® 61
tivesse acontecido antes. Então STILL, neste contexto, é usada apenas
em frases negativas e é importante reparar que ela é colocada antes do
verbo auxiliar, ou seja, antes de have e has:
He still hasn´t finished reading that book.
I still haven´t found a dress that I like.

E a palavra NEVER é usada para tornar uma frase afirmativa em


negativa, mas a diferença é que você não vai colocar NOT na frase. A
palavra NEVER vem antes entre o auxiliar ‘Have / Has’ e o verbo
principal.
He hasn’t never studied Japanese. X
He has never studied Japanese.

Espero ter te ajudado a entender de vez o Present Perfect, afinal, ele não é esse
‘bicho de 7 cabeças’ que parece ser depois que entendemos bem essas regrinhas,
certo? E não se esqueça que esse é um dos tempos verbais mais usados no inglês
e por isso é tão importante você entendê-lo e saber usá-lo corretamente! Então
continue praticando que logo você estará fera em utilizar esse tempo verbal!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 62
Como posso praticar meu
7 Speaking sozinho?

Rachel, como posso praticar minha fala sozinha? Eu só tenho


o nível básico de inglês.
Um erro comum cometido por estudantes que estão começando a aprender um
idioma estrangeiro é acharem que devem esperar até que tenham um nível pré-
intermediário antes de começarem a tentar falar inglês. No entanto, se você falar
com a maioria dos poliglotas do mundo, eles dirão que você deve começar a falar
a partir do dia 1. Você não deve esperar. Use o vocabulário e a gramática que
aprendeu e coloque-o em prática. Falando em voz alta, repetindo e
concentrando-se na pronúncia e entonação das palavras na prática.

Ok, mas como posso começar a falar se não tenho com quem
conversar?
Você não está sozinho ao fazer essa pergunta, é algo que tenho ouvido de
estudantes há mais de uma década. Não é fácil encontrar falantes nativos, ou
mesmo pessoas que estão aprendendo inglês em seu país para praticar a
conversação. Então, se você não tem alguém com quem praticar, simplesmente
não pratica? NÃO! Definitivamente não. Você precisa ser criativo para encontrar

RACHEL HARTWRIGHT | ® 63
maneiras alternativas de praticar suas habilidades de fala. Abaixo, detalhei 4
maneiras pelas quais você pode fazer isso:

 1. TALK TO YOURSELF – FALE CONSIGO MESMO


Eu sei que isso parece uma ideia maluca, mas funciona. Faço isso em
português na minha rotina diária, o que penso sobre algo que ouvi no
noticiário, o que devo fazer no fim de semana. Você provavelmente ainda
não percebeu, mas já tem essas conversas consigo mesmo na sua língua
nativa, na sua cabeça. A diferença é que agora você irá falar alto e em inglês.
Pense no que você fará amanhã. Como será sua rotina? Comece a simulá-la
falando em voz alta - “Amanhã vou acordar às 7 horas, escovarei os dentes
e irei para a academia…” . NÃO pense na sua cabeça, você precisa dizer as
palavras. Se você tiver um pouco mais de vocabulário quando assiste algo
na TV ou lê algo online, forme uma opinião sobre isso – “Por que ele faria
isso? Eu acho que ele fez isso porque...” – “Se eu estivesse na posição dele,
eu faria...”

RACHEL HARTWRIGHT | ® 64
- “Ah, mas eu não sou uma pessoa criativa, e se eu achar difícil formar uma
opinião?”

Ok, mas você pode imaginar a vida de outras pessoas, certo? Pense em uma
pessoa famosa, ator, celebridade, político ou escritor e pense em suas vidas.
O que você perguntaria a eles, qual seria a resposta deles? Escreva algumas
perguntas e respostas e pratique a leitura em voz alta e tente expandir ainda
mais suas respostas. Todos nós podemos imaginar como é a vida de outra
pessoa. Tente escolher tópicos e pessoas que lhe interessam, isso trará mais
criatividade às suas perguntas, respostas e diálogos.

- “Não tenho tempo para criar diálogos, estou muito ocupado.”

Ok, eu sei que a vida é agitada para todos. Tente falar alto consigo mesmo
enquanto estiver fazendo tarefas domésticas, por exemplo, talvez enquanto
estiver cozinhando ou tomando banho. Você pode até praticar conversando
com seu animal de estimação em inglês. O segredo é ver que as barreiras
de tempo, criatividade e falta de confiança são menores do que o seu desejo
de ser fluente. Os poliglotas frequentemente se referem à ideia de falar
inglês desde o primeiro dia e praticar durante o dia. Se você aprendeu uma
nova expressão, forma de dizer algo, tente repetir ao longo do dia em
situações diferentes, com emoções diferentes. Por exemplo - se você
aprendeu a expressão, ‘I can’t believe it!’ (eu não acredito!). Você pode dizer
isso em várias situações. Quando você assiste ao noticiário e vê algo

RACHEL HARTWRIGHT | ® 65
inacreditável, pode dizer 'I can’t believe it!', Quando seu ônibus está
atrasado, você pode dizer 'I can’t believe it!' quando consegue fazer uma
ótima refeição para o jantar - 'I can’t believe it! '. O uso da expressão ao
longo do dia facilitará a memorização e a utilização no futuro. O segredo
está em ser consistente.

 2. IMITATION / MIRRORING / SHADOWING - IMITAÇÃO


Estes são termos usados com frequência por alunos e professores de
idiomas em todo o mundo para o exercício de repetir o que e como uma
pessoa nativa diz algo. Este é um ótimo exercício para praticar apenas
nossas habilidades de falar inglês, principalmente porque você pode se
concentrar na pronúncia, entonação e na maneira como as palavras são

RACHEL HARTWRIGHT | ® 66
ligadas. Meu conselho é que você encontre diálogos que tenham
transcrições com eles. Aqui estão alguns sites que possuem vídeos e áudios
com transcrições:

 Ted Talks - https://www.ted.com/


Este site oferece um enorme catálogo de palestras, todas com
legendas e a maioria com transcrições. Escolha um tema que lhe
interesse e bom divertimento!

 Palestras do Google – https://talksat.withgoogle.com/


Outro site, semelhante ao Ted Talks, com muitos tópicos interessantes
a escolher.

 ELLLO - http://www.elllo.org/
Oferece uma variedade de material de áudio e vídeo e o interessante
é que os vídeos são enviados por pessoas de todo o mundo. Portanto,
você pode ouvir sotaques diferentes, mas eu sugiro que você procure
pessoas que falam inglês nativamente para o exercício específico de
sombreamento, pois isso fará com que você pratique mais a pronúncia
nativa das palavras.

 British Council - https://learnenglish.britishcouncil.org/skills/listening


O site do British Council é um dos meus sites favoritos de todos os
tempos para alunos de inglês, mas aqui é importante focar no

RACHEL HARTWRIGHT | ® 67
catálogo de audições. A transcrição pode ser baixada para que você
possa usar as frases para praticar.

Ouça a frase que você selecionou para sombrear várias vezes. Ouça
como o orador usou a entonação para expressar o que ele quer dizer.
Concentre-se na pronúncia de cada palavra e em como as palavras
estão conectadas. Pause o vídeo, repita, ouça novamente. É na
repetição que você encontrará sucesso.

- “Rachel, não sei avaliar minha própria fala quando estou dizendo as
frases.”
Eu concordo, pode ser difícil perceber nossos erros quando estamos
no momento de falar. Meu conselho é que você grave a frase várias
vezes e depois compare a fala original com sua própria tentativa.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 68
Atualmente, existem muitos aplicativos de gravação disponíveis
gratuitamente, alguns telefones já vêm com o aplicativo. Gravar a si
mesmo é uma das melhores formas de autoavaliação e também de
registrar seu próprio progresso.

 3. READING ALOUD – LENDO EM VOZ ALTA


Como professora e aprendiz de idiomas, sou uma grande fã de leitura.
Acredito que através da leitura de artigos, livros, revistas, e jornais estamos
constantemente aprendendo um novo vocabulário. Para os alunos que
desejam praticar sua fala, a leitura também é uma ótima ideia. “Errrr, espera
Rachel, devemos ler para praticar a nossa fala?” Sim, mas em vez de ler
internamente, devemos ler em voz alta. Ler em voz alta permite que nosso
cérebro treine os sons que precisamos treinar para pronunciar as palavras
corretamente. Essa é uma ótima maneira de praticar a entonação das
palavras também. Pense em si mesmo como um contador de histórias,
imagine que você está contando a história para um público entusiasmado,
preste atenção à pontuação, procure em quais palavras você deve enfatizar
e faça sua leitura em voz alta.

“Rachel, não consigo ler livros em inglês, isso é muito difícil para mim, não
vou entender a história.”
Não, você não vai querer ler livros escritos para falantes nativos, se você não
é um aluno avançado de inglês. No entanto, sabia que existem muitos

RACHEL HARTWRIGHT | ® 69
editores que utilizaram romances em inglês e os adaptaram para os
estudantes do idioma? Você pode encontrar esses livros em muitas livrarias
on-line, como Amazon, Saraiva e Disal. Geralmente a versão do livro do
Kindle é mais barata. Procure por:
- Penguin English Readers
- Hebling English Readers
- Collins English Readers

Eles são normalmente classificados de 1 a 6 ou seguem os Níveis do Quadro


Europeu de A1 - Basic a C1- Advanced. E também há uma grande variedade
de títulos para escolher.

“Como sei se pronuncio as palavras do livro corretamente?”


Todos esses modelos têm versões em áudio que os acompanham. Além
disso, se você decidir ler um livro que foi escrito para falantes nativos -
escolha um livro que você já tenha lido em seu próprio idioma, assim você

RACHEL HARTWRIGHT | ® 70
poderá ficar menos preocupado com o enredo. Atualmente, a maioria dos
livros tem uma versão em áudio que pode ser encontrada online. Ouvir o
audiolivro e repetir com o leitor é uma ótima maneira de praticar sua fala
sozinho(a), de maneira criativa e interessante.

 4. DESCREVENDO IMAGENS
Isso é algo que tenho feito frequentemente na sala de aula, mas também o
recomendo como uma ótima maneira de praticar seu inglês sozinho. Abra
uma revista, procure uma palavra aleatória nas imagens do Google, ligue a
TV e pressione pausa, encontre uma imagem e descreva-a. Pense em
algumas perguntas sobre a imagem - O que as pessoas estão fazendo? O
que eles estão vestindo? O que eles fizeram antes deste momento? O que
eles vão fazer depois? Como eles estão se sentindo? Onde eles estão? Que
hora do dia é? Há tantas perguntas que você pode fazer e responder sobre
uma imagem, o que torna esta uma ótima atividade para alunos do básico
ao avançado. Pense em cor, idade, localização, emoções. Faça as perguntas
em voz alta e responda-as em voz alta. Tente não pensar na sua língua nativa
- pense em inglês. Aqui está uma imagem para você começar. Quantas
perguntas e respostas você consegue descrever a imagem abaixo:

RACHEL HARTWRIGHT | ® 71
Uma observação sobre seu SPEAKING
Há uma ideia entre os estudantes de idiomas de que o que precisam para se
comunicarem é equivalente a fluência. Esse mito gera níveis de confiança
extremamente baixos entre a maioria dos alunos. O medo de cometer um erro os
impede de tentar. Quantas vezes você tentou falar inglês e começou a se
desculpar pelo fato de poder estar cometendo um erro? Uma das causas desse
problema alarmante no campo do aprendizado de idiomas é a pressão constante
que a publicidade falsa coloca em um aluno quando ele diz que você precisa
atingir a fluência para se comunicar, mas não é assim que as coisas funcionam!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 72
Você pode tranquilamente se comunicar e passar qualquer ideia que queira em
outro idioma sem mesmo ter atingido um nível avançado nele ainda. Não se
esqueça de que a comunicação envolve diversas outras ferramentas além da fala,
como gestos, expressões e sons. Então até que você atinja a fluência, você pode
e deve utilizá-las para se comunicar em inglês enquanto vai aperfeiçoando suas
habilidades de fala, ok?!

Seja confiante e acredite que com dedicação você alcançará seus objetivos!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 73
Como memorizar as
8 preposições em inglês?

As preposições são uma das coisas mais difíceis de aprender em inglês. Mesmo
os alunos avançados de inglês acham as preposições complicadas e, às vezes,
você encontrará falantes nativos que também as usam incorretamente!

O que são preposições?


As preposições são às vezes chamadas de "palavras funcionais" ao contrário de
substantivos e verbos que são "palavras de conteúdo". Elas mostram a relação
entre substantivos e ajudam a coloca-los em contexto. Por exemplo, elas são
usadas para:

 Deixar claro onde um substantivo está:


‘The cake is ON the table’ , ‘The plate is IN the cupboard’

 Mostrar o tempo:
‘The class is AT 6.30’ , ‘I drink water BEFORE going to bed’

 Dar um senso de direção:


‘The teacher is walking TOWARDS her students’

RACHEL HARTWRIGHT | ® 74
‘The dog ran AWAY from his owner’

 Dizer de onde veio um substantivo:


‘The wine came FROM Australia’
‘The boy took his pencil OUT OF his pencil case’

Devo traduzir preposições, isso vai me ajudar?


Não! E eu sei disso por ter tentado fazer o mesmo enquanto estudava português.
Uma preposição em seu próprio idioma pode ter uma tradução diferente em
inglês, dependendo do contexto. Por exemplo:

I dreamt about your brother yesterday.

Eu sonhei com seu irmão ontem.

Em inglês usamos a preposição ABOUT (sobre),


mas em português usaríamos a preposição COM
(with). Percebeu como traduzir não vai te ajudar?

Ok, então devo apenas memorizar uma lista das preposições e


colocá-las em prática?
Também não! Se você pesquisou no Google agora a frase “como memorizar
preposições?” você descobrirá que muitas pessoas criaram listas de todas elas,
enquanto outros criaram canções para ajudá-lo a se lembrar dessas listas. Mas a

RACHEL HARTWRIGHT | ® 75
minha dica é: pare de memorizar listas de preposições. Isso não vai ser útil no seu
aprendizado! Quando éramos crianças não memorizávamos listas de preposições
em nossa própria língua materna, e eu não memorizava listas enquanto aprendia
português. Por que não? Porque conhecer uma lista ou uma música que lista mais
de 70 preposições não significa que você sabe quando usar as 70 ou mais
preposições.

Mas se eu não memorizar uma lista de preposições, como vou


me lembrar delas?
Em primeiro lugar, pare de se preocupar em memorizá-las. Se você procurasse a
palavra ON dicionário, encontraria muitos usos e significados diferentes, o que
mostra como memorizar 'ON' não o ajudará a saber como usá-la. O que vai
funcionar de verdade é colocar as preposições em frases, ou anotar as frases que
usam uma determinada preposição. Comece prestando atenção quando estiver
lendo e ouvindo em inglês, que preposições estão sendo usadas, etc. Mais
adiante irei adicionar outras formas de praticar para que você consiga memoriza-
las de maneira eficaz!

E por que as preposições são tão importantes?


As preposições são importantes porque, embora às vezes sejam palavras
pequenas, elas têm o poder de alterar sutilmente o significado de uma frase.
Vejamos alguns exemplos:

RACHEL HARTWRIGHT | ® 76
My brother is in hospital. (Meu irmão é um paciente do hospital)

My brother is at hospital. (Meu irmão está visitando o hospital)

Nesse caso, é a escolha da preposição que informa ao ouvinte ou leitor se o irmão


é paciente do hospital ou apenas visitante.

Let´s meet at work. (Vamos nos encontrar no trabalho)

Let´s meet after work. (Vamos nos encontrar depois do trabalho.)

Let´s meet before work. (Vamos nos encontrar antes do trabalho.)

Essas três frases também mostram como uma preposição pode mudar
completamente o significado da frase.

Quais são as regras para preposições? Devo aprender todas


elas?
Primeiro, aqui estão 2 das regras mais frequentemente ensinadas para
preposições:

 Regra 1. Uma preposição geralmente, mas não sempre, vem antes de seu
substantivo ou pronome. Existe um mito na gramática inglesa de que não
se deve terminar uma frase com uma preposição, mas isso está errado. Se
fosse verdade, teríamos que dizer ‘That is something with which I cannot
agree’, ao invés de ‘That is something that I cannot agree with.’

RACHEL HARTWRIGHT | ® 77
E você não precisa usar preposições extras quando o significado for claro
sem elas.

Where did you go (to)? (Aonde você vai?) - Aqui o ‘to’ não é necessário.

Who do you depend on? (De quem você depende?) - Aqui o ‘on’ é
necessário.

 Regra 2. Esta é uma forma que utilizo enquanto estou ensinando para ajudar
a orientar os alunos, mas não é infalível. Com as preposições de tempo e
lugar, a ideia do método do triângulo é organizar visualmente as
preposições IN, ON e AT de forma geral, específica e muito específica. Eu
incluí o método do triângulo aqui, pois o feedback de alguns dos meus
alunos é que isso os ajudou a entender o uso dessas 3 preposições.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 78
Existem outras regras que você pode aprender para ajudá-lo a entender
quando usar preposições, mas como você pode ver nesses dois exemplos
para situações específicas, a maioria das regras são limitadas e quase
sempre possuem uma exceção. Afinal, existem mais de 70 preposições
diferentes na língua inglesa e acho que você concorda que seria muito difícil
se lembrar de todas as regras para cada uma delas.

Como professora de inglês, definitivamente acho que as regras podem


ajudar os alunos; entretanto, lembre-se de que as regras para preposições
de direção, lugar, posição e tempo são limitantes. Como um aluno sabe usar
dream of, depend on ou belong to? Quais são as regras para essas
preposições? A verdade é que não existem regras para esses momentos.
Para aprender esses tipos de preposições, os alunos devem aprender a

RACHEL HARTWRIGHT | ® 79
linguagem em partes, no contexto. Aprender preposições em frases é a
melhor maneira de evitar cometer erros.

Então, como posso estudar preposições no contexto?


Existem muitas maneiras de estudar preposições no contexto. Aqui estão alguns
exemplos de atividades:

 Músicas: Encontre uma música que você goste em inglês e procure a letra.
Estude as letras sublinhando todas as preposições da música. Em seguida,
escreva outras frases que incluem essas preposições. Observe o que vem
depois das preposições. É uma prepositional phrase (in the morning) ou é
uma preposition of place (in)? Repita essas frases em voz alta. Cante junto
com a música, se preferir. Ao repetir as frases, você estará treinando sua
audição e memorizando o contexto em que a preposição é usada. Aqui está
um exemplo –

Photograph de Ed Sheeran

We keep this love in a photograph


We made these memories for ourselves
Where our eyes are never closing
Hearts are never broken
And time's forever frozen still
So you can keep me inside the pocket of your ripped jeans

RACHEL HARTWRIGHT | ® 80
Holding me closer 'til our eyes meet
You won't ever be alone, wait for me to come home

In – preposição de local, para indicar inclusão

For – preposição utilizada para indicar propósito, usada antes de um


pronome

Inside - preposição indicando o interior de algo

 Leitura: Outra forma de praticar é lendo. Encontre uma pequena passagem


de um texto - pode ser online, pode ser em um livro ou romance.
Novamente, sublinhe todas as preposições e escreva as frases nas quais elas
estão incluídas. Tente perceber a função de cada preposição, crie novas
frases com a mesma preposição e repita essas frases em voz alta várias
vezes. Você também pode gravar a si mesmo dizendo essas frases e depois
ouvi-las novamente para ter uma chance maior de se lembrar delas.

 Crie um dicionário próprio: Mantenha um 'dicionário de preposição'. Se


você escrever todas as preposições que encontrar no contexto das frases
em um lugar específico, provavelmente começará a ver padrões e
semelhanças entre seus usos. Você começará a notar que ‘beside’ é uma
preposição que significa ‘lugar próximo’, enquanto, ‘besides’ é um advérbio

RACHEL HARTWRIGHT | ® 81
e preposição significando ‘além de’. Se você notar essa diferença de
contexto, em pedaços, terá uma chance muito maior de se lembrar dela.

Escrever esses exemplos de frases de preposições também é uma ótima


maneira de revisar todas as preposições que você viu anteriormente. Eu sei
que isso me faz parecer repetitiva, mas repetir e revisar essas palavras várias
vezes no contexto fornecerá a você uma chance muito maior de usá-las com
sucesso.

 Listening: Ouça o máximo de inglês possível. Quando crianças, ouvíamos


nossos pais falando conosco antes de realmente começarmos a falar. Não
podemos subestimar a importância de ouvir na aprendizagem de línguas.
Quando estamos ouvindo, nosso cérebro registra quais palavras são usadas
em conjunto, entre muitas outras coisas. Você aprenderá que dizemos
‘Succeed in’, ‘depend on’ e ‘prefer to’ através da escuta do inglês em
contexto, pois estamos constantemente aprendendo quando usar cada
preposição. Então ligue a TV, o rádio, um podcast, um filme - e comece a
ouvir!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 82
Concluindo, aconselho você a não traduzir diretamente as preposições de sua
primeira língua, mas a aprender as preposições em conjunto com as palavras ao
seu redor, formando expressões definidas. Aprender listas de preposições e
regras infinitas de forma isolada é uma tarefa imensa e, na maioria das vezes, ainda
possuem exceções. Aprender frases, entretanto, significa uma chance maior de
memorizá-las e entender seu uso. Lembre-se de que o aprendizado de idiomas é
uma maratona, não uma corrida!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 83
Como manter minha
9 motivação nos estudos?

Quando estamos aprendendo alguma coisa, sempre parece mais fácil desistir do
que continuar. Tenho certeza de que você já teve momentos em que começou a
aprender um novo hobby, esporte ou atividade e pensou em desistir. Parece
quase um instinto humano fugir de um problema ou dificuldade em vez de
enfrentá-lo. Obviamente, existem razões por trás do desejo de desistir - talvez o
hobby exija muita dedicação e prática, talvez o esporte que você escolheu
exigisse grande determinação, talvez você tenha pensado que se veria
progredindo mais rapidamente.

Vejamos o exemplo de uma pessoa que decide começar a jogar tênis:

Quando Paul decidiu aprender a jogar tênis, ele comprou a melhor raquete,
sapatos e roupas. Ele encontrou uma quadra para praticar e um professor para
ensiná-lo. Paul embarcou na primeira semana de aulas tão animado por estar
finalmente aprendendo a jogar tênis. Depois de um mês, ele começou a perceber
que o tênis era muito mais do que apenas rebater uma bola na quadra, e que
praticar o esporte exigia pensamento estratégico e agilidade física. Ele começou
a se sentir desapontado por não estar ganhando os jogos que participava. Ele não
se sentia confiante em ir para a quadra porque achou que iria cometer um erro.
Ele decidiu pular algumas sessões de prática, afinal, que diferença isso faria? Ele

RACHEL HARTWRIGHT | ® 84
disse ao professor que praticava apenas uma vez por semana, pois não tinha
tempo para fazer mais. Ele passou a culpar a raquete de tênis que comprou pelo
motivo de não estar vendo progresso no esporte.

Ele decidiu que deveria esperar e economizar dinheiro para ir ao Wimbledon


Tennis Club Association, na Inglaterra, para aprender, porque era lá que o
campeonato de tênis mais antigo começava e com certeza lá ele aprenderia. Ele
disse ao seu professor que iria colocar seus planos de aprender tênis em ´pausa´
por enquanto, pois ele não achava que ´levava jeito´ e ele parou de aprender a
jogar. E com isso, Paul pôs fim ao sonho de aprender a jogar tênis.

Você pode ver algum momento na história de Paul que você também sentiu
enquanto aprendia ou pensava em aprender inglês? Tenho certeza que você pode.
As desculpas que Paul criou e os obstáculos que decidiu não enfrentar fizeram
com que ele desistisse de seu sonho. Eu não quero que isso aconteça com você.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 85
Então, vamos ver algumas razões para motivar-se quando você enfrentar os
mesmos momentos difíceis que Paul enfrentou.

Rachel, eu não acho que posso aprender inglês, é muito difícil


para mim.
Recentemente li um livro muito bom chamado “Mindset - A nova psicologia do
sucesso” de Carol Dweck. Neste livro, a autora descreve as maneiras como
pensamos que podem ser separadas em 2 categorias, a mentalidade de
crescimento e a mentalidade fixa. Carol descreve que aqueles que têm uma
mentalidade fixa veem os desafios como uma oportunidade para falhar, e veem
que habilidades, níveis de inteligência e talentos são coisas imutáveis, ou temos a
capacidade de fazer algo ou não. Já aqueles que têm uma mentalidade de
crescimento veem os desafios como uma oportunidade de crescer, e nossas
habilidades, níveis de inteligência e talentos como algo que podemos melhorar e
desenvolver com prática e dedicação. Pare por um momento agora e pense sobre
que tipo de mentalidade você tem? Paul tinha uma mentalidade fixa. Ele viu as
dificuldades que enfrentou ao jogar tênis como uma chance de fracassar, e que
ele simplesmente não tinha habilidade ou talento para jogar tênis. Você faz o
mesmo com a língua inglesa? Se hoje você faz isso, escolha mudar sua maneira
de pensar. Isso certamente aumentará suas chances de sucesso em aprender
inglês. Comece vendo os desafios como algo bom, algo que você pode superar.
Você pode fazer isso não esperando que apareça um desafio, mas analisando
agora quais são os desafios que você enfrenta ao aprender inglês.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 86
Escreva três pequenos desafios que você se colocará esta semana, em inglês, e
como você acha que pode superá-los. Essas pequenas vitórias farão com que você
comece a ver lentamente o desafio como algo positivo, como uma chance de
crescimento e desenvolvimento. Em seu livro, Carol menciona como, saindo de
nossas zonas de conforto, estamos na verdade tornando nossos neurônios mais
fortes e, como resultado, nos tornamos mais inteligentes. Vamos tentar mudar o
nosso Mindset hoje?

Mas já tentei aprender inglês antes e não deu certo, então me


sinto muito desmotivada em começar de novo.

A maioria das pessoas tem tendência a viver no passado. Deixamos nosso passado
formar nosso presente. Sua experiência anterior com o inglês não significa que
sua experiência atual precise ser a mesma. Olhe para trás e decida o que você
gostou e não gostou na maneira como aprendeu inglês no passado. Escreva as
áreas que mais lhe interessaram. Agora pegue esses pontos e pense no que você
poderia fazer esta semana que seria semelhante. Talvez você tenha gostado das
aulas que teve que estudou música e letras. Talvez você tenha gostado de ler
artigos sobre pessoas famosas em seus livros didáticos. Ou talvez você tenha
gostado daquela lição em que o professor mostrou um clipe de um filme, ou
quando você teve que fazer um brainstorm de palavras para o vocabulário spider-
grams. Seja o que for que você gostava de fazer no passado, use-o como

RACHEL HARTWRIGHT | ® 87
inspiração para recomeçar a aprender inglês hoje. Não se deixe focar no estresse,
frustração ou ansiedade do passado, veja isso como uma chance de começar uma
nova jornada de aprendizado de inglês.

Rachel, eu simplesmente não tenho tempo para encontrar


motivação para aprender inglês!
A gestão do tempo é um problema para quase todas as pessoas no mundo
moderno. Eu sei como você se sente; às vezes parece que o tempo passou voando
durante o dia. Todos nós temos tantas responsabilidades - por meio de nossos
estudos, trabalho, família, amigos e outras atividades, que é fácil deixar o inglês
de lado. Não ter tempo suficiente também é uma desculpa comum para qualquer

RACHEL HARTWRIGHT | ® 88
coisa que decidamos fazer em nossas vidas. Lembra do Paul, o tenista? Ele
também disse que não tinha tempo para praticar. Se eu perguntasse quais são
suas principais prioridades, você diria que aprender inglês é uma delas? Se for,
então é uma questão de administrar seu tempo de uma forma que você possa
estudar. A vida raramente corre bem o suficiente para que possamos planejar
completamente, sempre haverá coisas que acontecem que não esperávamos, o
importante é não parar de estudar de alguma forma. Tenho certeza de que o
tópico 10 deste livro o ajudará a ver como é definitivamente possível administrar
seu tempo para estudar inglês.

É difícil ficar motivado quando percebo que continuo


cometendo erros.
Uma das principais razões pelas quais as pessoas desistem de aprender uma
língua é por causa do medo de falhar. O medo de errar, o medo de se sentir
envergonhado e o medo de ser corrigido pelos outros, nos incentiva a desistir e

RACHEL HARTWRIGHT | ® 89
não continuar. Afinal desistir significará que você não terá que se sentir
constrangido, nervoso ou desconfortável, certo? Não.

Quando me mudei para o Brasil, eu não falava português. Nas primeiras semanas,
meu marido estava comigo e, como ele falava inglês, eu sabia que ele ajudaria na
tradução. Mas logo começamos a trabalhar e eu tive que aprender a me
comunicar para sobreviver. Isso foi há 10 anos, antes dos cursos online e dos
vídeos do Youtube. Logo percebi que a única maneira de sobreviver morando no
Brasil era tentando falar o português muito limitado que eu conhecia. O medo do
fracasso cresceu dentro de mim quando íamos a alguma reunião social, quando
eu sabia que teria que falar português com estranhos. Achei que as pessoas iriam
rir dos meus erros, me ignorar se não entendessem e que eu me sentiria isolada -
quando de fato aconteceu o oposto.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 90
Me senti bem-vinda e aqueles com quem falei encontraram maneiras de entender
o que eu estava dizendo e me incentivaram a continuar tentando. Percebi que o
que estava fazendo - aprender um segundo idioma - era algo admirado por outras
pessoas e que eu não precisava ter medo. Hoje em dia, uso essa experiência para
inspirar confiança em meus alunos. Se você falar com alguém em inglês - qualquer
que seja o seu nível - posso prometer que 99% das vezes a pessoa com quem você
está falando vai querer entender e ajudar você. Quando ensinei inglês para
crianças, é notável como a maioria delas não tem medo de falar inglês, não se
sentem constrangidas, querem tentar e veem isso como uma forma de se
desenvolver e melhorar. Se houvesse uma coisa que eu gostaria de ser capaz de
dar a um aluno que está aprendendo inglês, seria a confiança para tentar, praticar,
experimentar suas habilidades no idioma. Meu conselho para você é usar meu
exemplo e começar a ver os erros como oportunidades e não como fracassos, a
oportunidade de progredir e se desenvolver.

Rachel, eu sei que PRECISO aprender inglês, mas


simplesmente não me sinto motivada o suficiente para
estudar.
Eu ouço isso com frequência como professora. “Estou aprendendo inglês porque
meu trabalho exige”, “estou estudando inglês porque quero viajar para o
exterior”, “porque estou fazendo vestibular”, etc. Esses são todos ótimos motivos
para começar a aprender inglês e com certeza vão te motivar em alguns
momentos, mas eu duvido que eles irão ajudá-lo a se manter motivado o tempo
todo. É melhor começar com objetivos pequenos. Exemplo: “Estou aprendendo

RACHEL HARTWRIGHT | ® 91
inglês porque gosto muito da música do Queen e quero entender mais sobre o
que eles falam” ou “Estou aprendendo inglês porque quero assistir minha série
favorita sem dublagem”, “Estou aprendendo inglês porque conheci um amigo
online que é da Inglaterra”.

Existem muitos pequenos objetivos para aprender inglês que provavelmente


temos, além dos grandes. A razão pela qual essas pequenas metas são tão
importantes é que provavelmente são mais realizáveis a curto prazo. Você sem
dúvida será capaz de entender algo que o personagem ´Daenerys´ disse na série
Game of Thrones antes de alcançar seu ´objetivo principal´ de ser fluente em
inglês para o trabalho, estudos, viagens, etc. A motivação geralmente vem de ter

RACHEL HARTWRIGHT | ® 92
objetivos e realizar eles, vendo o progresso. Se você tem apenas o seu ´objetivo
principal´ como incentivo para estudar, você corre muito mais risco de perder o
foco e desistir. Use este espaço abaixo para escrever 5 'mini metas' que você tem
para aprender inglês. Lembre-se de que você terá muito mais chance de alcançá-
los se forem coisas que lhe interessam, que você gosta de fazer e que o inspiram
a continuar aprendendo.

Minhas Mini Metas

1 ______________________________________

2 ______________________________________

3 ______________________________________

4 ______________________________________

5 ______________________________________

Ao analisar essas razões comuns para perder nossa motivação, espero ter
mostrado como você pode permanecer motivado por meio de pequenas ações e
um pensamento cuidadoso. Eu recomendo que você mantenha uma lista de seus
´mini objetivos´ em algum lugar onde possa vê-los e este capítulo à mão para
quando esses motivos para desistir aparecerem no caminho, pois como o famoso
inventor americano Thomas Edison disse uma vez ´Nossa maior fraqueza está em
desistir. O caminho mais certo de vencer é tentar mais uma vez.´

RACHEL HARTWRIGHT | ® 93
Como posso organizar
10 meus estudos?

Essa é uma das principais dificuldades que os estudantes de inglês têm. Muitos já
viram diversas dicas de como estudar sozinhos, já tentaram entrar em um curso
regular e acabaram saindo ou já tentaram fazer um curso online, mas não
conseguiram se adaptar e ter disciplina para estudar.

Isso muitas vezes acontece porque você não está conseguindo se organizar direito!
Você precisa entender que é preciso inserir os estudos de inglês na sua rotina, e
que isso vai ser um pouco complicado no início, mas que com o tempo você se
acostuma, e quando perceber que a prática constante irá fazer você evoluir cada
vez mais, você terá ainda mais prazer em aprender inglês!

Pensando nisso, eu decidi criar alguns modelos de templates semanais para que
você consiga se organizar melhor e alavancar seus estudos de inglês. Para isso,
criei personagens fictícios e fiz uma simulação do que seria a rotina de cada um,
para então conseguir ‘encaixar’ os estudos de inglês no dia a dia deles de maneira
eficaz e de acordo com seus gostos e costumes!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 94
 MARIANA
Mariana tem 19 anos, mora com seus pais e seu irmão no interior de São Paulo,
acabou de entrar na faculdade e está cursando administração. Ela percebeu
que falar outro idioma será essencial para conseguir um bom emprego quando
se formar, mas nunca se sentiu muito atraída por estudar inglês, pois quando
tentou iniciar um curso em uma escola tradicional não se adaptou muito bem.
Hoje percebendo a importância de falar inglês, e sem poder gastar muito
dinheiro com isso, pois seus pais já estão investindo muito com o curso da
universidade, ela decidiu iniciar um curso online de inglês, que foi indicado por
uma amiga.
Apesar de ter aulas de manhã, Mariana tem tempo livre à tarde, pois ajuda seus
pais a administrar o restaurante da família, principalmente nos finais de semana,
e precisa de um tempo para os estudos e trabalhos da faculdade, então irá
precisar encaixar grande parte dos estudos do seu curso online de Segunda à
Sexta.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 95
O curso que ela comprou disponibiliza novas aulas e exercícios 3x por semana,
mas ela pode escolher em quais dias ela irá assistir a essas aulas e resolver os
exercícios. Mas como também é disponibilizado 1 Live semanal para dúvidas
nas terças-feiras às 19:00, ela terá que se organizar para estudar o conteúdo até
esse prazo.

Hobbies e atividades: Ouvir diversos tipos de músicas, assistir séries e filmes,


praticar yoga semanalmente, sair com os amigos em alguns fins de semana.

Como ela gosta de diversas atividades nas quais pode se adaptar para praticar
inglês e tem tempo para estudar todos os dias no período da tarde, Mariana
conseguirá concluir todos os módulos do seu curso intensivo em menos de 2 anos,
se mantiver uma rotina como essa. E devido à sua prática frequente,

RACHEL HARTWRIGHT | ® 96
provavelmente não terá problemas em conquistar uma excelente vaga no
mercado de trabalho quando se formar!

 JULIUS
Julius tem 44 anos, mora com sua esposa e suas duas filhas em Belo Horizonte
– MG, ele trabalha em período integral em um escritório de advocacia, e no
final da tarde busca suas filhas na escola para irem para casa. Ele está prestes
a ser promovido no seu trabalho, mas sabe que para isso é necessário que ele
fale um segundo idioma, ele havia estudado algumas coisas quando estava na
faculdade, mas não levou o curso muito a sério e atualmente já não se lembra
de quase nada que havia aprendido. Então decidiu comprar um curso online
para começar a estudar em casa.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 97
Além da sua rotina de trabalho, Julius sempre busca viajar nas férias e sabe que
o inglês o ajudará a se comunicar em outros países em viagens futuras. Ele
também joga futebol com os amigos aos domingos à tarde e organiza alguma
atividade com as filhas no período da noite.

Como não tem muito tempo livre, ele precisará se dedicar aos estudos no
período da noite e aos sábados, mas escolheu um curso que não é muito
intensivo, com aulas novas liberadas 2 vezes por semana apenas, e caso ele
tenha dúvidas em relação ao conteúdo pode entrar em contato com 1
professor por e-mail ou pelo WhatsApp.

Hobbies e atividades: Ler matérias de jornal diariamente, assistir vídeos e


programas sobre esportes, ir ao cinema ou assistir filmes frequentemente,
colecionar camisetas de futebol.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 98
Devido à falta de tempo para se dedicar muito aos estudos, Julius busca inserir
o inglês no seu dia a dia o máximo que consegue, utilizando ferramentas
acessíveis a ele e buscando por conteúdo em inglês, especialmente
relacionado às coisas que ele mais gosta, como esportes, cinema e notícias.
Com essa rotina de estudos ele conseguirá atingir o nível intermediário em 1
ano, o que será suficiente para conseguir ser promovido, e então conseguir ter
ainda mais tempo para continuar estudando o idioma!

 LILIAN
Lilian tem 29 anos, é da cidade de São José dos Campos-SP e mora sozinha em
um apartamento no centro da cidade. Ela trabalha como professora de pilates
e dá aulas particulares e em grupo durante o dia, e à noite ela frequenta um
curso para trabalhar como aeromoça três vezes por semana. Além disso, ela
procura encaixar um horário para frequentar a academia durante a semana, e
nos finais de semana gosta de sair com os amigos ou de visitar sua família que
mora no interior de Minas Gerais.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 99
Ela também escuta muitos tipos de música, e como tem uma rotina um pouco
bagunçada, está sempre dirigindo de um lugar para o outro ou fazendo uma
pausa em parques e estacionamentos para comer e descansar entre uma aula
e outra.
Mesmo com uma rotina que muda de tempos em tempos, Lilian conseguiu se
matricular em um curso presencial perto da sua casa em horários que ela não
costuma trabalhar, e terá que frequentar as aulas 3 vezes por semana. Ela
pretende atingir um nível de fluência em até 2 anos, pois é quando irá concluir
seu curso de aeromoça e, apesar de falar espanhol muito bem, ela sabe que é
extremamente importante que aprenda inglês também, pois esse é
considerado o idioma mais falado e usado no mundo todo.

Hobbies e atividades: Musculação e pilates, escutar música, programas


semanais com amigos e família, lê livros com frequência, curso
profissionalizante para aeromoça, assiste a programas de TV relacionados a
esportes e aventura e gosta de estudar sobre o corpo humano.

RACHEL HARTWRIGHT | ® 100


Apesar da rotina conturbada, Lilian consegue praticar de diversas maneiras
durante seus intervalos, mesmo que por pouco tempo, o que é o ideal para
absorver ainda mais conteúdo em inglês. E como sabe que seu curso não é
intensivo o bastante para que ela possa alcançar a fluência em apenas 2 anos,
ela se esforça ao máximo para estudar além do conteúdo que aprende nele, e
garantir que irá alcançar seus objetivos no tempo certo!

Agora é a sua vez! Aqui está o link para o Template que irá te ajudar a
conseguir organizar seus estudos e inserir o inglês na sua vida de uma vez por
todas! Veja que nos modelos anteriores o tempo de estudos de inglês não é
muito grande, mas o que aumenta muito o seu tempo de contato com o idioma
são as outras atividades, que você provavelmente já faz, mas pode adaptá-las
para o inglês e praticar ainda mais.

Clique aqui para baixar seu Template de Estudos

Lembre-se de que a organização e a consistência é o que vai te fazer alcançar


seus objetivos no tempo que você desejar, portanto aproveite essas dicas para
complementar seus estudos ainda mais e poder agregar muito conhecimento
na sua vida com o aprendizado de um idioma tão importante como o inglês!

RACHEL HARTWRIGHT | ® 101


CONCLUSÃO
Parabéns por chegar até aqui e finalizar mais essa leitura! Isso mostra que
você está se dedicando aos seus estudos e acabou de dar mais um passo
nessa caminhada de se tornar um falante da língua inglesa!

Estarei disponível nas redes sociais e nas demais plataformas abaixo para
tirar suas dúvidas e te ajudar ainda mais nesse processo, ok?

See you soon,

Rachel

www.talk2rachel.com.br

RACHEL HARTWRIGHT | ® 102


REFERÊNCIAS
 BBC LEARNING ENGLISH website, https://www.bbc.co.uk/learningenglish/ (Accessed August 2020)

 British Council - Learn English | British Council. 2017. Learn English | British Council. [online]
http://learnenglish.britishcouncil.org/en/ [Accessed August 2020].

 CAMBRIDGE DICTIONARY | English Dictionary [online], https://dictionary.cambridge.org/ (Accessed


August 2020)

 Ed Sheeran, Lyrics to ´Photograph´, X, 2014, https://www.vagalume.com.br/ed-


sheeran/photograph.html

 English Listening Lesson Library Online www.elllo.org

 Foote, J.A. & McDonough, K. (2017). Using shadowing with mobile technology to improve L2
pronunciation. Journal of Second Language Pronunciation,
https://pdfs.semanticscholar.org/5324/69d9b6df160e8a09a9cae8fa94b25ae520ee.pdf

 HOWJSAY website, https://howjsay.com/ (accessed August 2020)

 https://www.bbc.co.uk/learningenglish/features/pronunciation, [Accessed August 2020].

 https://www.ted.com/talks/carol_dweck_the_power_of_believing_that_you_can_improve?utm_cam
paign=tedspread&utm_medium=referral&utm_source=tedcomshare

 https://www.youtube.com/watch?v=ROh_-RG3OVg

 Ins and Outs of Prepositions: A Guidebook for ESL Students, Jean Yates, April 1999, Barron's
Educational Series; Edição: 2, 0764147285

 Mindset: The New Pscychology of Success by Carol Dweck, Editora: Ballantine Books;
2007, 0345472322

 PERFECT ENGLISH GRAMMAR website, https://www.perfect-english-grammar.com/present-simple-


use.html (Accessed July 2020)

 PRONUNCIATION STUDIO website,


https://pronunciationstudio.com/h/#:~:text=Silent%20H,after%20'w'%3A%20WHAT%3F (Accessed July
2020)

 Ten things polyglots do differently lecture by Lýdia Machová at the Polyglot Gathering in Bratislava
2017 (www.polyglotbratislava.com).

 The power of believing that you can improve, TEDtalk by Carol Dweck, 21 st July 2017

 Tim's Pronunciation Workshop, BBC Learning English Website, 2017

 UPTIME comunicação em inglês website, https://www.uptime.com.br/blog/6-series-de-tv-para-voce-


treinar-o-ingles (Accessed July 2020)

RACHEL HARTWRIGHT | ® 103

Você também pode gostar