Você está na página 1de 4

Os empregos do

futuro
A revista Time traz um artigo do consultor Tom Peters, que
acaba de lançar uma série de livros sobre a reinvenção do trabalho.
Segundo ele, mais de 90% das ocupações executivas hoje
conhecidas desaparecerão ou serão totalmente modificadas nos
próximos 15 anos. Para apoiar a afirmação, o autor lista
comportamentos e ferramentas adotados nos últimos anos pelas
empresas, como a terceirização, a Internet e as facilidades
proporcionadas pela informática, além da pressão do tempo e da
natureza destruidora da competição.

O artigo é complementado por uma análise bem-humorada de Julie


Rawe, sugerindo quais serão os 10 empregos mais promissores do
futuro e os 10 empregos que deverão desaparecer. Evidentemente
a análise é exageradamente catastrofista, com a intenção declarada
de fazer previsões com certo humor, mas tem base em evidências
que já se manifestam atualmente. E não duvidem os leitores de que
essas previsões podem ser levadas a sério e constituírem
realmente as profissões do futuro.

Quem estiver pensando em apostar na mudança de carreira para o


futuro, pode ter aqui algumas pistas do que nos reservarão as
próximas décadas.

As profissões mais "quentes" do futuro

Engenheiro de tecidos – Com a pele sintética já no mercado e a


cartilagem artificial em desenvolvimento, daqui a 25 anos os
cientistas serão capazes de produzir um pâncreas a partir de
matéria inerte. Os pesquisadores já conseguiram desenvolver
novos intestinos dentro da cavidade abdominal de animais, e estão
concentrados em criar tecidos para fígados, corações e rins a partir
de clones.

Programador de genes – O mapeamento digital do genoma (cada


conjunto de genes que definem certas características físicas dos
seres humanos) permitirá aos médicos criar receitas
personalizadas, e até alterar genes individuais apenas modificando
linhas de código no computador. Depois de pesquisar eventuais
falhas de DNA, o médico utilizará terapia de genes e moléculas
"inteligentes" para prevenir uma variedade de doenças, inclusive
certos tipos de câncer.

Ciber-fazendeiro – Os agricultores e fazendeiros do futuro vão


plantar produtos e criar animais que tenham sido geneticamente
desenvolvidos para produzir proteínas terapêuticas. Trabalhos já
em andamento incluem tomates com vacinas, e leite medicinal
obtido diretamente de vacas, ovelhas e cabras.

Monitor de alimentos – Com a genética, será possível definir o


tamanho dos peixes para render mais carne, ou desenvolver frutas
que mantenham as características de produtos frescos mesmo
quando guardadas em freezers. Para impedir que a cadeia
alimentar se rompa, existirão os monitores de alimentos, que
trabalharão para evitar genes que funcionam como cavalos de
Tróia, ou para desenvolver moléculas caçadoras que eliminem
espécies transgênicas que fujam do controle.

Garimpeiro de dados – Quando o volume dos bancos de dados ficar


tão grande que não exista mais como gerenciar esses dados, os
gurus da pesquisa estarão a postos para extrair informações
utilizáveis dessa montanha de dados, apontando padrões de
comportamento que poderão ser utilizados tanto por profissionais
de marketing como por epidemiologistas.

Especialista de manutenção on line – Se você ainda não aprendeu


a programar seu vídeo-cassete ou ainda tem problemas em ligar o
DVD novinho em folha, possivelmente terá ainda mais dificuldades
em fazer funcionar a sua TV holográfica em três dimensões que
estará disponível em breve. Diagnósticos remotos poderão ser
oferecidos pelo sistema de atendimento das empresas que
produzem os aparelhos domésticos, mas ainda serão necessários
os especialistas em manutenção, que certamente atenderão pelo
vídeo-fone ou pelo sistema clique-e-fale dos computadores.

Ator de realidade virtual – Os programas de televisão serão feitos a


partir da interação dos telespectadores, e os atores de ciber-
novelas desempenharão papéis de acordo com a vontade dos
telespectadores. A profissão de roteiristas para esse tipo de
programas também estará em alta.
Publicitários para segmentos – A publicidade está cada dia mais se
segmentando, trabalhando com anúncios dirigidos para grupos
específicos. Os comerciais vão ser produzidos de modo a
praticamente capturar a atenção do telespectador com o uso de
aromas e sabores, remetendo a mensagem diretamente para o
cérebro do cliente.

Engenheiros do conhecimento – Pesquisadores de inteligência


artificial transformarão as especialidades e talentos de uma pessoa
em softwares. Depois podem até deletar a pessoa.

As profissões que devem desaparecer

Corretor, vendedor de automóveis, despachante, carteiro, agente


de seguros – A Internet vai erradicar intermediários aos milhões.

Professor – O aprendizado a distância está cada dia mais popular, e


as faculdades de hoje podem facilmente se tornarem o "help desk"
virtual de amanhã. Embora uma conversão integral seja improvável,
educação a distância deve se tornar uma opção muito barata,
eficiente e aceita.

Impressores – Quando as revistas e jornais se tornarem digitais,


não haverá mais espaço para quem trabalha com impressão em
papel. Possivelmente os jornais terão apenas uma página flexível
que funcionará como tela de computador, atualizada a intervalos
regulares.

Estenógrafo – Os profissionais remanescentes da estenografia


funcionam em tribunais, e ainda em muitos escritórios. Os softwares
sofisticados de reconhecimento de voz devem tomar o lugar deles
em breve.

Presidente – Uma equipe global de especialistas conduzirá a


empresa pelos caminhos da Internet. Então, para que existir
presidente?

Ortodontista – Chega de metal na boca, graças aos programas de


simulação em três dimensões que desenharão artefatos plásticos
descartáveis para alinhar os dentes dos clientes. Isto já vem sendo
testado em clínicas hoje em dia, não apenas para adolescentes
mas também para adultos com dentição formada.
Motorista de caminhão – Haverá trilhos inteligentes entre os
estados, em que veículos de carga especialmente desenhados
viajarão a altas velocidades. Programas de computador definirão
rotas alternativas em caso de congestionamento de linhas.

Faxineiro – As casas passarão a ser limpas por um sistema de


vácuo e aspiração (terceirizado, é claro).

Pai – Entre a fertilização in-vitro e clonagem, os pais se tornarão


dinossauros. Mães também, com a invenção do útero artificial.
Alguém pensou em George Orwell?