Você está na página 1de 8

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GÓIAS – UNIDADE ANÁPOLIS DE

CIÊNCIAS SOCIOECONÔMICAS E HUMANAS

HÁGATA SAMARA DE OLIVEIRA ALENCAR

RELÁTORIO PARCIAL: RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA

ANÁPOLIS

2021
UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS – UNIDADE ANÁPOLIS DE
CIÊNCIAS SOCIOECONÔMICAS E HUMANAS

RELÁTORIO PARCIAL: RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA

HÁGATA SAMARA DE OLIVEIRA ALENCAR

Relatório Parcial Curricular Obrigatório do


Programa de Residência Pedagógica,
financiado pela Coordenação de
Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível
Superior (CAPES) para a conclusão do
primeiro semestre de participação.

Orientadora: Prof. Dr. Roseli Martins


Tristão Maciel.

ANÁPOLIS

2021
Introdução

O Programa de Residência Pedagógica, relacionado após a metade do


curso de graduação, com referência a prática à Docência, está sendo aplicado
na Escola Estadual Polivalente Frei João Batista, na cidade de Anápolis Goiás,
sob a coordenação da professora Dr.ª em Políticas Públicas, Roseli Tristão
Maciel e supervisão da professora Patrícia Viana. O projeto é vinculado à
Universidade Estadual de Goiás – CSEH e financiado pela CAPES
(Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.
Esse relato de experiência é baseado no estudo e prática sobre a
profissão de licenciando, iniciado em outubro de 2020 e que se encerrará em
fevereiro de 2022, tem o intuito de moldar a formação dos futuros professores
em conexão com o estágio supervisionado, aperfeiçoando a formação de
maneira crítica e sempre em conjunto com os novos moldes em que se é
colocada a educação no Brasil. Dissuadindo a visão estereotipada repassada no
cotidiano, sobre a padronização no ensino, visando também o incentivo a
pesquisas científicas que possam atribuir nos requisitos pedagógicos.
O Projeto da Residência pedagógica 2020/2022, iniciou-se durante a
maior crise sanitária do século XXI. A COVID-19, com seu grande potencial de
disseminação fez com que não só o Brasil, mas o mundo, parasse nos primeiros
meses de 2020. O mundo precisou aplicar em massa, quarentena, Lockdown, e
cuidados de proteção higiênica para além do que se estava acostumado. A
corrida passa a ser em nome da ciência, a necessidade da vacina para a
contenção do vírus. Cientistas contemplando recordes com a possibilidade da
vacina antes do ano de 2021 chegar.
Nas reuniões iniciais do projeto, em outubro de 2020, foram trabalhadas
as discussões sobre como seria a aplicação com o ensino à distância, quais
seriam as funções dos licenciandos com a residência pedagógica e o estágio
supervisionado em sincronia. A realização de eventos em que se uniu diversas
turmas inseridas no projeto, para além da Universidade Estadual de Goiás foi a
primeira instrução recebida. O projeto abrange turmas do Ensino Fundamental
II, acompanhando as séries 9º ano e o Ensino Médio, acompanhando as séries
do 1º e 2º ano. Em determinadas atividades do projeto os bolsistas e voluntários
da residência estão sendo separados em duplas e, durante a semana,
acompanham a supervisora durante suas aulas online de história.
O projeto é dividido entre o acompanhamento nas aulas remotas e as
reuniões quinzenais. As reuniões acontecem com a participação da orientadora
e supervisora e todos os 9 integrantes. A aplicação contou a com prática de
apresentação de vídeo animação nas séries do fundamental e médio.
Esse projeto tem por objetivo apresentar toda a vivência de discentes em
história incluídos no Programa de Residência Pedagógica, que elaboraram um
relato de experiência desenvolvendo juntamente com alunos do ensino básico
perspectivas sobre a educação no Brasil, visando a dissuasão de estereótipos
envoltos nos planos pedagógicos que vem sendo cada vez mais direcionados
com as novas diretrizes de base.
.

OBJETIVOS

1. Aperfeiçoar a formação dos discentes de cursos de licenciatura, por meio


do desenvolvimento de projetos que fortaleçam o campo da prática e
conduzam o licenciando a exercitar de forma ativa a relação entre teoria
e prática profissional docente, utilizando coleta de dados e diagnóstico
sobre o ensino e a aprendizagem escolar, entre outras didáticas e
metodologias;
2. Induzir na formulação do estágio supervisionado nos cursos de
licenciatura, tendo por base a experiência da residência pedagógica;
3. Fortalecer, ampliar e consolidar a relação entre a Universidade e a escola,
promovendo conexão entre a entidade que forma e a que recebe o
egresso da licenciatura e estimulando o protagonismo das redes de
ensino na formação de professores;
4. Promover a adequação dos currículos e propostas pedagógicas dos
cursos de formação inicial de professores da educação básica às
orientações da Base Nacional Comum Curricular (BNCC);
5. Conceder experiência prática para além da docência, conectando alunos
e futuros professores em relações sociais básicas;
6. O tema do projeto visa e objetifica amenizar os estereótipos atribuídos
pelas novas diretrizes de base, BNCC, os novos sites de condicionamento
ao trabalho do professor, além de incentivar os discentes da graduação
aos níveis de pesquisa sobre educação.

METODOLOGIA

 Reuniões quinzenais sobre o projeto, no caso atual em relação a mudança


drástica na educação em decorrência da pandemia, reflexão acerca de
como a dificuldade social está estabelecida e como isso interfere na
educação do Brasil.
 Exposição de palestras virtuais com alunos de graduação e
coordenadores gerais do projeto.
 Oficinas sobre livro didático e apresentação do software (SIAP)
apresentado pela professora, Patrícia Viana.
 Presença semanalmente nas aulas remotas da Escola Estadual
Polivalente Frei João Batista acompanhando a professora Patrícia Viana
em suas aulas de história.
 Aplicação de vídeo animação nas turmas do ensino fundamental e médio.
 Análise da BNCC, DC-GO e o PPP da escola campo.

DESENVOLVIMENTO

O desenvolvimento do primeiro semestre do Projeto de Residência


Pedagógica, passou pelo o estágio de adaptação para a aplicação em
decorrência da pandemia causada pela COVID-19. O setor educacional precisou
se reinventar, diversas escolas no país e no mundo fecharam os trabalhos por
meses para estabilizarem o aprendizado do que seria o novo formato de ensino.
Mesmo conectados as novas tecnologias cotidianamente, a estrutura
pedagógica passou por grandes dificuldades para levar o mundo escolar para
dentro de sites, com aulas assistidas em computadores e celulares.
O trabalho se intensificou, problemas sociais mostraram o que é a
verdadeira divisão entre a classe que pôde acompanhar as aulas remotas com
acesso a internet e aqueles que ainda dependem da ajuda não prestada pelo
Estado, e chegaram a se desvincular de escolas e Universidades.
A suspensão das aulas presenciais trouxe imensos desafios para a
educação básica brasileira: criar e viabilizar formas de oferecer e
acessar atividades levaram as redes de ensino, os educadores, as
famílias e os próprios estudantes a estabelecerem, em brevíssimo
tempo e sem as condições necessárias, um conjunto de estratégias
para manter, de maneira não presencial, a oferta de conteúdos e a
garantia mínima de relacionamentos e aprendizagens, procurando
atender às diferentes dimensões que compõem o processo
educacional. Para melhor compreender, acompanhar e
dimensionar os possíveis efeitos da suspensão das aulas
presenciais nos processos de ensino e de aprendizagem foram
realizados, entre março e agosto de 2020, diversos estudos e
pesquisas. Nesse período, a imensa maioria das escolas em todo o
território nacional estava com aulas presenciais suspensas. Ao
promoverem a escuta das redes de ensino, dos docentes, dos
estudantes e de seus familiares, esses estudos procuraram
identificar desafios, bem como as possibilidades de aprimoramento
das estratégias utilizadas e prover subsídios que apoiem a
recuperação e o fortalecimento dos vínculos, dos ritmos e dos
conteúdos que serão fundamentais para promover, para todas as
crianças e adolescentes, as oportunidades de pleno
desenvolvimento. 4 Algumas das instituições responsáveis pela
realização de tais estudos perceberam a importância de
compreender seus resultados de maneira integrada, colocando em
diálogo – ainda que apenas em forma de texto – as diferentes
perspectivas sobre desafios e oportunidades que marcaram a
educação neste ano de 2020. A articulação entre esses estudos
deu-se desde a etapa de construção dos questionários, permitindo
que um mesmo aspecto fosse abordado de maneira convergente
junto aos diferentes sujeitos da comunidade escolar. O primeiro
informe Retratos da Educação no Contexto da Pandemia do
Coronavírus – Perspectivas em Diálogo, consolidando 5 estudos
realizados entre março e maio de 2020, pode ser consultado em
https://bit.ly/Relatorio-RetratosDaEducacao. (LIMA, 2020, p. 04)

Assim como citado anteriormente, a educação vem se reinventando, o


Programa de Residência Pedagógica vem sendo utilizado juntamente com o
estágio supervisionado para a adequação profissional dos futuros licenciados
aos moldes do que seria a nova forma de ensino. As dificuldades foram
eminentes, grandes dificuldades para manter contato com a supervisão da
escola campo e a inserção de 9 estagiários/residentes para uma só supervisora.
Contudo, o encaixe de participação nas aulas de história da professora Patrícia
conseguiu abarcar todos os participantes e através das constantes observações,
foi possível iniciar a semi regência do estágio supervisionado.
Ao longo dos primeiros 6 meses do programa, tanto nos
acompanhamentos em sala (virtual), quanto nas reuniões quinzenais, realizou-
se uma espécie de preparação, visando o melhor em como seria a aplicação na
prática em sala de aula. Foram estudados diversos textos sobre a temática do
projeto, na disciplina de Metodologia e Prática de Ensino I e II, ofertada na grade
do curso de História da Universidade Estadual de Goiás, os professores da
disciplina, José Santana e Roseli Martins.
Todavia, além das leituras, ocorreram em algumas reuniões com a
supervisora da escola campo em que é efetuado o projeto, uma espécie de
análise, onde repercutiu debates sobre os livros didáticos. Os livros didáticos
analisados são aplicados Ensino Fundamental II e Ensino Médio. A professora
supervisora, através de muito esforço para que os residentes conseguissem
acesso aos livros de maneira virtual, conseguiu, e fora possível escolher a
coleção para análise entre todas as turmas do ensino básico. Na análise, foram
descritas quantas imagens, a relevância para o conteúdo aplicado, o contexto
em que estão sendo aplicadas e o enredo do capitulo em questão. Os autores
relevantes para a História e se o conteúdo está sendo aplicado de modo que os
alunos tenham acesso aos fatos históricos de forma cronológica e verídica.
A coleção escolhia para o ensino médio foi a “conexões com a História”,
autores, Alexandre Alves e Leticia Fagundes de Oliveira, o livro analisado fora o
do 3º ano. Já o livro do ensino fundamental, foi da coleção “História: Sociedade
e Cidadania”, autor, Alfredo Boulos Júnior, o livro analisado contempla a série do
9º ano. Além da oficina sobre os livros didáticos, os residentes analisaram o PPP
(Projeto Político Pedagógico) da escola Estadual Polivalente Frei João Batista
(escola campo), elaboraram projetos e planos de ensino com base na palestra
proporcionada sobre as novas diretrizes que norteiam a educação, com ênfase
na BNCC (Base Nacional Comum Curricular) e DC-GO (Documento Curricular
de Goiás).
O processo de observação resultou em diversas análises, a principal foi
em como está sendo repassada a visão sobre a educação no século XXI, o que
as novas diretrizes retiram da vivência dos professores em sala de aula com a
implementação do SIAP e a BNCC e o que os futuros profissionais irão
contemplar como futuros docentes.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O presente trabalho abarcou toda a vivência de discentes em história


inseridos no Programa de Residência Pedagógica, visando o estudo sobre a
educação no Brasil e colocando em prática a realidade profissional de um
licenciado. Durante os primeiros 6 meses o projeto passa por turbulências devido
à crise sanitária da COVID-19, entretanto, não abandona o sentido da educação
e formação dos residentes.
O relato de experiência descreve não somente a vivência dos discentes
como futuros profissionais, mas principalmente, as problemáticas que a
sociedade desenvolveu algo longo dos anos com a inserção e entraves com
diretrizes e sucateamento da educação. Desse modo, o projeto renovou a
concepção de estudo e ensino, dissuadindo e implementando o estudo crítico
em relação ao setor pedagógico.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

LIMA, Ana Lúcia D’ Império. Retratos da Educação no contexto da pandemia


do coronavírus: Um olhar sobre múltiplas desigualdades. São Paulo: Fundação
Carlos Chagas.