Você está na página 1de 8

Fenômenos de Transporte

Prof. Moacir Muniz

Prof. Johannes Janzen

PRÁTICA 1
Determinação do Peso Específico

GABRIEL FERRAZZA DE OLIVEIRA

Campo Grande – MS

Julho/2017
1. Sumário

Introdução....................................................................................................3

Objetivo.......................................................................................................4

Desenvolvimento.........................................................................................5

Conclusão....................................................................................................7

Referências Bibliográficas...........................................................................8

2
2. Introdução

O peso específico de um fluido pode ser considerado como a razão


existente entre a intensidade do seu peso e o volume ocupado por ele.

A massa específica pode ser definida como a relação entre a massa de


uma porção dessa substância e o volume que a mesma ocupa. É conhecida
também como densidade absoluta.

A densidade relativa é a razão entre a densidade de uma substância e


de outra substância tomada como padrão. É utilizada para saber se uma
substância é mais ou menos densa em relação a uma substância tida como
referência.

Para encontrar o peso específico, utiliza-se a fórmula:

p = γ.H (2.1)

p – pressão lida

γ – peso específico

H – diferença de altura no manômetro

As unidades de massa específica, peso específico e densidade relativa


são:

Massa específica: SI – kg/m3 ; sistema inglês – lb/in3

Peso específico: SI – N/m3 ; sistema inglês – lb/ft3

Densidade relativa: é uma grandeza adimensional

3
3. Objetivo

O objetivo deste experimento é a determinação do peso específico de


fluidos, considerando a água como corpo padrão.

4
4. Desenvolvimento

O experimento consiste em um tubo de ar ligado a 4 manômetros para


medição de pressão. O manômetro 1 possui óleo de motor; o manômetro 2
possui glicerina; o manômetro 3 possui óleo vegetal e o manômetro 4 possui
água.

A prática é montada de acordo com a Figura 4.1.

Figura 4.1 – montagem do experimento prático com os 4 manômetros

Com o registro aberto, lê-se as pressões nos 4 manômetros. Após isso, é


necessário fechar aos poucos o registro e ler novas pressões para 4 vazões
diferentes (além da primeira leitura, dando um total de 5 leituras diferentes). As
leituras feitas, bem como os pesos específicos para cada medição são
mostrados na Tabela 4.2.

OBS1: Os pesos específicos foram calculados de acordo com a fórmula


(2.1).

OBS2: A fórmula (2.1) pode ser aplicada em cada um dos manômetros:

γ1 = γ4.H4/H1 ;

γ2 = γ4.H4/H2 ;

5
γ3 = γ4.H4/H3 ;

H1 H2 H3 H4   


(m) (m) (m) (m) (kgf / m³ ) (kgf / m³ ) (kgf / m³ )
10,3 7,5 9,5 8,9 864,08 1186,67 936,84
9,8 7,1 9,3 8,5 867,35 1197,18 913,98
8,8 6,4 8,4 7,6 863,64 1187,50 904,76
7,6 5,5 7,3 6,7 881,58 1218,18 917,81
5,1 3,7 5,0 4,4 862,74 1189,19 880,00

Média 867,88 1195,74 910,68


Tabela 4.2 – leituras das alturas e cálculos dos pesos específicos

Portanto, assumindo que o peso específico da água é de 1000 kgf/m 3,


temos os pesos específicos como:

- Óleo de motor: γ1 = 867,88 kgf/m3

- Glicerina: γ2 = 1195,74 kgf/m3

- Óleo vegetal: γ3 = 910,68 kgf/m3

A incerteza do manômetro é de 0,1%.

6
5. Conclusão

Com esse experimento, podemos concluir que obtivemos um resultado


satisfatório, pois os pesos específicos calculados ficaram próximos de seus
valores teóricos.

Óleo de motor (teórico): 880 kgf/m 3

Glicerina (teórico): 1280 kgf/m3

Óleo vegetal (teórico): 920 kgf/m3

7
6. Referências Bibliográficas

Livros: Introdução a mecânica dos fluidos, Robert W. Fox;


Mecânica dos fluidos, Frank M. White.