Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMIÁRIDO - UFERSA

POLO: Pau dos Ferros


CURSO: Licenciatura Matemática
DISCIPLINA: EAD0211 - Introdução a Análise Real
ALUNO: Magnus Kelly de Oliveira Pinheiro

Questionário Semanal 6 - Disponível de 05/04 a 18/04

𝑸𝒖𝒆𝒔𝒕ã𝒐 𝟏.
−𝑛 𝑛
1. Mostre que a série ∑ (3𝑛+1) é absolutamente convergente.

Demonstração:
Sabemos que uma serie converge absolutamente se

∑|𝑢𝑘 | = |𝑢1 | + |𝑢2 | + |𝑢3 | + ⋯.

Logo, para mostrarmos que a série


−𝑛 𝑛
∑( ) ,
3𝑛 + 1
converge absolutamente, precisamos mostrar que a série
−𝑛 𝑛
∑ |( ) |,
3𝑛 + 1
convergi. Então, pelo teste da raiz, temos que

𝑛 𝑛 𝑛 𝑛 𝑛 𝑛 𝑛 𝑛
𝐿 = lim |𝑢𝑘 | = lim ( ) = lim √( ) = √ lim ( )
𝑛→∞ 𝑛→∞ 3𝑛 + 1 𝑛→∞ 3𝑛 + 1 𝑛→∞ 3𝑛 + 1

𝑛 ∞
= lim = .
𝑛→∞ 3𝑛 + 1 ∞
Nesse tipo de indeterminação, podemos usar a Regra de L’Hospital. Assim,

𝑛 lim 𝑛 lim 𝑛 lim 1 1 1
𝑛→∞ 𝑛→∞
lim = =( ) = 𝑛→∞ = lim = .
𝑛→∞ 3𝑛 + 1 lim 3𝑛 + 1 lim 3𝑛 + 1 lim 3 𝑛→∞ 3 3
𝑛→∞ 𝑛→∞ 𝑛→∞
Uma vez que 𝐿 < 1, o teste da raiz nos permite concluir que, a série
−𝑛 𝑛
∑ |( ) |
3𝑛 + 1
converge. Portanto, a série
−𝑛 𝑛
∑( )
3𝑛 + 1
converge absolutamente. Como queríamos mostrar.

1
2. Estude a convergência da série ∑ √𝑛(𝑛+1).

Solução:
Usando o teste da razão, considerando
1
𝑎𝑛 = .
𝑛(𝑛 + 1)
Substituindo 𝑛 por 𝑛 + 1, obtemos
1 1
𝑎𝑛+1 = =
(𝑛 + 1)((𝑛 + 1) + 1) (𝑛 + 1)(𝑛 + 2)
e
1
|𝑎𝑛+1 | (𝑛 + 1)(𝑛 + 2) 1 𝑛(𝑛 + 1) 𝑛
= = ∙ = .
|𝑎𝑛 | 1 (𝑛 + 1)(𝑛 + 2) 1 (𝑛 + 2)
𝑛(𝑛 + 1)
Desse modo
|𝑎𝑛+1 | 𝑛 ∞
𝐿 = lim = lim = .
𝑛→∞ |𝑎𝑛 | 𝑛→∞ 𝑛 + 2 ∞
Nesse tipo de indeterminação, podemos usar a Regra de L’Hospital. Assim,

𝑛 lim 𝑛 lim 𝑛 lim 1 1
lim = 𝑛→∞ = ( 𝑛→∞ ) = 𝑛→∞ = lim = 1.
𝑛→∞ 𝑛 + 2 lim 𝑛 + 2 lim 𝑛 + 2 lim 1 𝑛→∞ 1
𝑛→∞ 𝑛→∞ 𝑛→∞
Uma vez que 𝐿 = 1, o teste da razão é inconclusivo. Portanto, nada podemos dizer
sobre a convergência/divergência da série

1
∑√ .
𝑛(𝑛 + 1)

1 𝑛
3. A série ∑ (𝑛) ∙ 𝑛! converge ou diverge?

Solução:
Usando o teste da razão, considerando
1𝑛 ∙ 𝑛!
𝑎𝑛 = .
𝑛𝑛
Substituindo 𝑛 por 𝑛 + 1, obtemos
1𝑛+1 ∙ (𝑛 + 1)!
𝑎𝑛+1 = .
(𝑛 + 1)𝑛+1
Então,
1𝑛+1 ∙ (𝑛 + 1)!
|𝑎𝑛+1 | (𝑛 + 1)𝑛+1
⇒ =
|𝑎𝑛 | 1𝑛 ∙ 𝑛!
𝑛𝑛
|𝑎𝑛+1 | 1𝑛+1 ∙ (𝑛 + 1) ∙ 𝑛! 𝑛𝑛
⇒ = ∙ 𝑛
|𝑎𝑛 | (𝑛 + 1)𝑛+1 1 ∙ 𝑛!
|𝑎𝑛+1 | 1𝑛+1 ∙ 1−𝑛 ∙ (𝑛 + 1) ∙ 𝑛𝑛 𝑛!
⇒ = ∙
|𝑎𝑛 | (𝑛 + 1)𝑛+1 𝑛!
|𝑎𝑛+1 | 1𝑛+1−𝑛 ∙ (𝑛 + 1) ∙ 𝑛𝑛
⇒ =
|𝑎𝑛 | (𝑛 + 1)𝑛 ∙ (𝑛 + 1)1
|𝑎𝑛+1 | 11 ∙ (𝑛 + 1) ∙ 𝑛𝑛
⇒ =
|𝑎𝑛 | (𝑛 + 1)𝑛 ∙ (𝑛 + 1)
|𝑎𝑛+1 | (𝑛 + 1) ∙ 𝑛𝑛
⇒ =
|𝑎𝑛 | (𝑛 + 1)𝑛 ∙ (𝑛 + 1)
|𝑎𝑛+1 | (𝑛 + 1) ∙ 𝑛𝑛
⇒ =
|𝑎𝑛 | (𝑛 + 1) ∙ (𝑛 + 1)𝑛
|𝑎𝑛+1 | 𝑛𝑛
⇒ =
|𝑎𝑛 | (𝑛 + 1)𝑛
|𝑎𝑛+1 | 𝑛 𝑛
⇒ =[ ]
|𝑎𝑛 | 𝑛+1
Desse modo
|𝑎𝑛+1 | 𝑛 𝑛 1
𝐿 = lim = lim [ ] = 𝑒 −1 = .
𝑛→∞ |𝑎𝑛 | 𝑛→∞ 𝑛 + 1 𝑒
Uma vez que 𝐿 < 1, o teste da razão nos permite concluir que, a série
1 𝑛
∑ ( ) ∙ 𝑛!
𝑛
Converge absolutamente.

3𝑛
4. A série ∑ 𝑛! converge ou diverge?

Solução:
Usando o teste da razão, considerando
3𝑛
𝑎𝑛 = .
𝑛!
Substituindo 𝑛 por 𝑛 + 1, obtemos
3𝑛+1
𝑎𝑛+1 =
(𝑛 + 1)!
e
3𝑛+1
|𝑎𝑛+1 | (𝑛 + 1)! 3𝑛+1 𝑛! 3𝑛+1−𝑛 3𝑛! 3𝑛!
= 𝑛 = ∙ = ∙ 𝑛! = =
|𝑎𝑛 | 3 (𝑛 + 1)! 3 𝑛 (𝑛 + 1)! (𝑛 + 1)! (𝑛 + 1)𝑛!
𝑛!
3
= .
𝑛+1
Desse modo
|𝑎𝑛+1 | 3 3
𝐿 = lim = lim = = 0.
𝑛→∞ |𝑎𝑛 | 𝑛→∞ 𝑛 + 1 ∞
Uma vez que 𝐿 < 1, o teste da razão nos permite concluir que, a série
3𝑛

𝑛!
converge.

cos(𝑛𝜋)
5. Estude a convergência da série ∑ .
√𝑛

Solução:
A série dada
cos(𝑛𝜋)
∑ ,
√𝑛
Pode ser reescrita como,
cos(𝑛𝜋)
∑ .
𝑛1/2
Então,
cos(𝑛𝜋) cos(𝜋) cos(2𝜋) cos(3𝜋) cos(4𝜋)
∑ = 1/2 + + + + ⋯∞
𝑛1/2 1 21/2 31/2 41/2
−1 1 1 1
= 1/2 + 1/2 − 1/2 + 1/2 + ⋯ ∞
1 2 3 4
(−1) 𝜋
= ∑ 1/2 .
𝑛
Portanto,
cos(𝑛𝜋) (−1)𝑛
∑ = ∑ 1/2 ,
√𝑛 𝑛
É uma série alternada, com
1
𝑏𝑛 = .
𝑛1/2
Então,
1 1
[𝑏𝑛+1 = 1/2
] ≤ [𝑏𝑛 = 1/2 ] ∀𝑛
(𝑛 + 1) 𝑛
e
1 1
𝐿 = lim 𝑏𝑛 = lim = = 0.
𝑛→∞ 𝑛→∞ 𝑛1/2 ∞
Assim, ambas as condições, para séries alternadas, são satisfeitas. Portanto, a série
cos(𝑛𝜋)

√𝑛
é convergente, pelo teste de séries alternadas.