Você está na página 1de 3

O DESAFIO DE VIVER O CRISTO

“Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que
agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.”
(Gálatas 2.20)
1. É estar CRUCIFICADO com Ele.

Na época do Império Romano, quando alguém era condenado à crucificação significava


que havia perdido o direito de existir. A cruz era um instrumento utilizado pelo Império
Romano para expor à humilhação os seus piores inimigos. Era o símbolo máximo da
vexação. Era um sinal do que aconteceria aos demais que desafiassem o poder de Roma.
Normalmente a pena era imposta aos transgressores mais vis do Estado Romano:
criminosos, rebeldes e estrangeiros. Um homem ao colocar a cruz sobre os ombros sabia
que era o seu fim. Não haveria mais retorno à vida.

O apostolo Paulo começa dizendo: "Fui crucificado com Cristo" o que ele estava querendo
dizer? Sabemos que como fato físico não era possível Paulo dizer que foi crucificado com Cristo,
pois nessa época ele era um jovem ainda.

Quando analisamos o contexto percebemos que Paulo estava tratando da justificação, isto é,
de como um Deus justo pode declarar justos os homens injustos. Ele afirma que essa justificação
procede não da lei, mas da graça mediante a fé.

Essa primeira afirmação feita pelo apóstolo é a de que ele está crucificado com Cristo. Esta
descrição é a forma encontrada por Paulo para dizer que o efeito da crucificação reflete a imagem
de Cristo em sua vida.

O que Paulo está dizendo é “Morri com Cristo e para o mundo.” Você também pode afirmar
isto? O processo de estar crucificado com Cristo inicia-se com a firme decisão de morrer para o
mundo e viver para Deus.

Viver de qualquer forma¿ NÃOOOOO. viver para Deus é viver em santidade.


João, em sua primeira carta, escreveu o seguinte:
“Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está
nele.” (1ª João 2.15)
Estar crucificado com Cristo é atender às exigências do discipulado (negar a si mesmo, tomar a
cada dia a sua cruz e seguir).
Estar crucificado com Cristo é rejeitar o padrão deste mundo para viver o padrão de Deus.
Estar crucificado com Cristo é obedecer aos mandamentos de Cristo, sendo padrão na palavra,
no procedimento, no amor, na fé e na pureza.
Estar crucificado com Cristo é, finalmente, anunciar com a vida as grandezas daquele que nos
chamou das trevas para sua maravilhosa luz.
2. É AGIR para SER como Ele.

Na sequência das suas afirmativas, Paulo garante a presença do Cristo em sua própria
vida. Uma vez crucificados com Cristo, regenerados pelo seu ato na cruz, Ele passa a
fazer em nós habitação, por meio do Espírito Santo.

ONDE ELE DECLARA: "já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim"
Eu lhe convido a ler comigo alguns outros textos próximos desta mesma idéia.
Primeiro, ouçamos Jesus dizer:
"Da mesma forma como o Pai que vive me enviou e eu vivo por causa do Pai, assim aquele que
se alimenta de mim viverá por minha causa". (João 6.57)
"Todo aquele que vive pecando é escravo do pecado". (João 8.34)
"Se alguém me ama, obedecerá à minha palavra. Meu Pai o amará, nós viremos a ele e faremos
morada nele". (João 14.23)
Cristo vive naquele que obedece às suas palavras. A comunhão com Jesus começa com o
conhecimento da sua palavra, com a audição da sua palavra e com a obediência a sua
palavra.
Isso é santificação
A santidade ocorre por intermédio do esforço pessoal. Não há santidade sem luta.
Não há santidade sem renúncia, sem rendição, sem concerto da vida, sem se separar de tudo o
que alimenta os nossos desejos carnais.
Não há semelhança de Cristo sem o desejo de querer agir para ter uma vida santa e ser
como Ele é. Ao afirmar “Cristo vive em mim” o homem deve ter a consciência de que
Cristo está nele por meio do seu Espírito.
A Bíblia afirma:
“Os que obedecem aos seus mandamentos permanecem nele, e ele neles. Deste modo sabemos
que ele permanece em nós: pelo Espírito que nos deu.” (1ª João 3.24)
É evidente que Cristo está em nós. Mas não é Ele quem age em nossas ações e escolhas. É o
seu Espírito que nos orienta, caso estejamos ativos no processo de santificação. A Bíblia diz:
“Amados, visto que temos essas promessas, purifiquemo-nos de tudo o que contamina o corpo e
o espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus.” (2ª Coríntios 7.1)
Viver para a glória de Deus é, pois, uma escolha cotidiana nossa.

Em Cristo Jesus somos sepultados para o pecado; morremos para a cobiça do mundo e sua
influência maligna, sendo ressuscitados para uma nova vida em Cristo. O próprio apóstolo Paulo
afirma o seguinte:
2ª Coríntios 5.17 “Se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis
que surgiram coisas novas.”
Diante desta verdade, surge uma importante questão:
COMO TEM SIDO SUA VIDA¿
É preciso entender que a salvação necessita ser constantemente desenvolvida.
Depois de ser justificado pela graça, mediante a fé, é importante que se viva
Uma vida regenerada.
Uma vida transformada.
Uma vida que espelhe a imagem de Cristo.
Enfim, uma vida santificada.
Essa qualidade de vida é a que põe a salvação em prática.
3. É RECONHECER diariamente o SACRIFÍCIO feito por Ele.

“… A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se
entregou por mim.”
Estamos vivendo à altura do sacrifício de Cristo na cruz?
Viver à altura desse sacrifício é reconhecer diariamente a expiação de Jesus em nosso
favor, à qual Ele não se deu pelos nossos merecimentos, pela nossa capacidade ou por
nossa vontade.
Cristo entregou-se por amor.
Foi o amor que fez Deus entregar Jesus, seu único filho.
Foi o amor que fez Jesus submeter-se à cruz e se entregar.
Jesus fez por nós na cruz aquilo que nenhum de nós poderia ter feito por si mesmo.

É preciso reconhecer isso diariamente.


Esta verdade precisa ser viva em nosso coração.
A possibilidade de viver uma vida regenerada e de cumprir a nossa missão não ocorre por
nossos próprios esforços, apenas mediante a graça de Deus.
Será que somos capazes de lembrar do sacrifício de Cristo Jesus por nós na cruz todos os
dias?
Será que quando acordamos a nossa primeira atitude é o reconhecimento do sacrifício de
Jesus lá na cruz do Calvário?
A realidade é que passamos dias, meses e anos sem nos lembrarmos e reconhecermos
que Jesus Cristo morreu pregado numa cruz por nossos pecados.
Paulo reconhecia, diariamente, que a sua nova vida era resultado do grande amor de
Deus enviando seu único Filho para morrer por ele na cruz.

Conclusão:
Este é o desafio: viver o Cristo em nossas decisões, no que pensamos, sentimos e em
nossos relacionamentos. Sempre na perspectiva de que fomos crucificados com Ele, de
que seu Espírito habita em nós para que por Ele vivamos, e na esperança de que o
sacrifício dele seja constantemente atualizado em nossa caminhada de vida.
Sendo assim, viver o Cristo…
1. É estar CRUCIFICADO com Ele.
2. É AGIR para SER como Ele.
3. É RECONHECER diariamente o SACRIFÍCIO feito por Ele.