Você está na página 1de 5

FLORES E ESPINHOS (POEMAS E REFLEXÕES)

Autor: Clavio J. Jacinto

(48) 999947392

facebook.com/claviojacinto

claviojj@gmail.com

“Não deixem que as tribulações apaguem a alegria cristã, não


permitam que as provações enfraqueçam as convicções
espirituais, provai que o Senhor é bom e que todas as coisas
contribuem para o bem daqueles que confiam em Deus”

“A estação mais abençoada da vida é a maturidade, pois nela


desabrocha a sabedoria e o caráter torna-se a primavera da
alma e o outono do coração”

“É perigoso voltar-se para interesses temporários por causa das


conveniências pessoais, é necessário que se tenha um
discernimento equilibrado para tomar as escolhas que
garantam bênçãos e segurança para o futuro”
“Nunca invista numa vida hipócrita, fantasiada por falsas
aparências, pois quem faz essas coisas, semeia para si mesmo
uma vida sem reputação e perde a confiança com relação ao
próximo.”

“A paciência é a arte de construir a esperança encima das


ruínas do desespero humano”

“O caráter de cristo na vida de um cristão deve ser mais que


uma qualificação, deve ser uma condição de vida inegociável”

“Insista em ser verdadeiro ainda que a maioria á sua volta


decida ser relativo, ainda que a falsidade pareça predominar no
mundo”

“É extremamente difícil desabrochar um verdadeiro amor e


uma perfeita humildade num coração sufocado pela
esterilidade do egoísmo”

“O ato radical da graça de Deus é tirar o pecador imundo


do mundo, em seguida purificá-lo para colocá-lo
novamente no mundo, a fim de que viva e brilhe em
santidade para a glória de Deus e seja testemunha da
ressurreição de cristo e alerta para a Sua vinda
triunfante.”
“O nosso êxodo se dá por meio do sacrifício de Cristo,
através da morte de Cristo, recebemos vida de tal modo
que ganhamos nossa libertação através do
arrependimento de nossos pecados, a obra consumada e
perfeita de Cristo feito tudo por nós, e pela fé nessa obra,
Cristo nos tira do cativeiro da corrupção e nos conduz
para o reino da santificação”

“O cristão que ama a Deus amará a sua Palavra, se


dedicará ao estudo diário das Escrituras, estará disposto
sempre a meditar nela dia e noite, recitá-la, memorizá-
la, guardá-la no coração e estabelecê-la como meta na
pratica diária. A peregrinação do cristão é uma
peregrinação para dentro das Escrituras, em busca de
luz, para em seguida prosseguir sua jornada de fé
guiada pela lâmpada da Bíblia Sagrada. Mas o estudo
das escrituras requer disciplina constante, Andrew
Murray assim ensinou: “O primeiro requisito para o
estudo das Escrituras é um desejo simples e
determinado de descobrir o que Deus deseja que você
faça e uma resolução firme e determinada em fazê-lo”

“A harmonia e o equilíbrio da vida espiritual tem apenas


um caminho, e nela se experimenta o que é realmente o
fruto da piedade, e esse caminho é: Seja feita a Tua
vontade assim na terra como no céu”
“A vida espiritual autentica na sua forma mais profunda e na
sua essência de plenitude consiste em diminuir sempre para
que Cristo cresça mais em nós”

“A hipocrisia é a mascara hedionda que o ego usa quando sobre


no palco da autopromoção para buscar satisfação para si
mesmo”

“Se você supõe fazer algo para o Senhor buscando interesses


pessoais, não é a Deus que você está servindo, mas a si mesmo”
“Cada um, pois, de acordo com a sua natureza espiritual que germinou e
se enraizou dentro do coração, fará tudo exteriormente de
conformidade á essência do que ele é formado.”

“Pense com cuidado acerca de uma escolha, use a sabedoria de forma


paciente para analisá-la as circunstâncias, só então poderá achar uma
forma segura de decidir com segurança”

“Devemos viver conforme a visão mais ampla que podemos obter na


vida espiritual, pois quem não teme conseqüências, também não tem
visão espiritual”

“Perdão é o perfume que um coração santo e espiritual exala quando é


ferido profundamente por uma ofensa”

(Flores e Espinhos)
(I)
Ao longo da jornada encontramos
Flores e espinhos
Os espinhos deixam profundas cicatrizes
As flores a doçura dos seus frutos

(II)
E ainda mais: os espinhos ferem nossos pés e mãos
Mas as flores nos consolam com bálsamos perfumados
Há nelas o esplendor de imaculada beleza

(III)
Ao longo do percurso encontramos
Tantos espinhos e muitas flores
As flores nos convidam a sorrir
Os espinhos rasgam arroios de lagrimas

(IV)
E ainda mais: as flores tecem nossas canções e poesias
Os espinhos infligem agonias e chagas
Mas seguimos, sorrindo ou chorando, com muita
coragem.

(Clavio J. Jacinto)