Você está na página 1de 8

15/3/2011

Ementa
Oscilações;
 Gravitação;
Estática dos Fluidos;
 Dinâmica dos Fluidos;
Física Fundamental II  Ondas em Meios Elásticos;
 Ondas Sonoras;
Temperatura;
 Calor e Primeira lei da Termodinâmica;
Prof. M.Sc. Wellington Fonseca  Teoria Cinética dos Gases;
 Entropia e Segunda Lei da Termodinâmica.

Cronograma do Curso Considerações Iniciais


Conhecimentos necessários:
– Cálculo I, II e III
Data Evento
– Física I
14 , 15 e 16/03 Aula
Referências:
17/03 1ª Avaliação
• 1. Halliday,D.J., Walker, R.R.: Fundamentos de Física: Gravitação, Ondas e
18 , 21 e 22 /03 Aula Termodinâmica. Vol. 2, 6a edição, LTC, 2002.
23/03 2ª Avaliação
24 e 25/03 Seminários • 2. Tipler, P.A.: Física: Mecânica, Oscilações e Ondas e Termodinâmica.
25/03 Entrega de Trabalhos Vol. 1, 4a edição, LTC, 2002.
A Definir 2ª Chamada 1ª, 2ª e 3ª Av.
• 3. Nussenzveig, H. M., Curso de Física Básica: Fluidos, Oscilações e
Ondas, Calor. Vol. 2, 4ª edição, Edgard Blucher, 2004.

1
15/3/2011

Oscilações Oscilações
• Introdução
– Quando o movimento de um corpo descreve uma trajetória, e a partir de
um certo instante começa a repetir esta trajetória, dizemos que esse
movimento é periódico. O tempo que o corpo gasta para voltar a percorrer
os mesmos pontos da trajetória é chamado de período.

– Oscilações são encontradas em todos os campos da física e da engenharia.


Exemplos mecânicos vibratórios incluem pêndulos, diapasões, cordas de
instrumentos musicais e colunas de ar em instrumentos de sopro. A
corrente elétrica alternada de que nos servimos é oscilatória, e oscilações
da corrente em circuitos elétricos têm inúmeras aplicações importantes.

Oscilações Oscilações
• MHS – Movimento Harmônico Simples MHS (cont.)
Equações do MHS:
1ª Derivada
Considerando que: O movimento harmônico simples - MHS é
movimento periódico, e portanto o objeto
2ª Derivada passa novamente por uma dada posição
Tem-se: depois de um período T . O período é o
Ou seja: inverso da a frequência f de oscilação:

2
15/3/2011

Oscilações Oscilações
MHS (cont.) MHS (cont.)

O gráfico da posição em função do tempo toma diversas formas quando


Quando aumentamos a frequência (e
modificamos a amplitude, frequência ou constante de fase.
consequentemente diminuímos o período), os
movimentos terão a forma descrita a seguir
onde a função de maior período é a vermelha e
a de menor período é azul.
Quando alteramos a amplitude de oscilação, o
movimento se consuma para deslocamentos
máximos diferentes, mas com mesma
frequência e mesma constante de fase. Desse
modo os dois movimentos alcançam os
extremos no mesmo instante. Quando variamos a constante de fase, a
função mantém a forma, mas sofre um
deslocamento, como é mostrado a seguir.

Oscilações Oscilações
Velocidade MHS MHS – Consideração sobre energia

Definindo a amplitude da velocidade VM = w XM , encontramos que:


cinética

Aceleração MHS

Definindo a amplitude da aceleração aM = w VM = w2 XM , encontramos que:

3
15/3/2011

Oscilações Oscilações
Pêndulo de Torção Pêndulo de Torção (cont.)
Vamos considerar um disco preso a um fio que passa
pelo seu centro e perpendicular à sua superfície, como
mostra a figura ao lado.
Se giramos o disco à partir de sua posição de equilíbrio
(θ = 0 ) e depois soltarmos, ele irá oscilar em torno
daquela posição em Movimento Harmônico Simples - MHS
entre os ângulos (θ = - θ M ) e (θ = + θ M )
Rodando o disco de um ângulo θ em qualquer direção,
faremos surgir um torque restaurador dado por

onde kapa ( κ ) é a constante de torção.


Como a força restauradora é a única que atua no plano do
disco, ela provocará o torque resultante:

onde I é o momento de inércia do disco e α é a sua aceleração angular.

Oscilações Oscilações
Pêndulo Simples Pêndulo Físico
Considerando um objeto de forma arbitrária,
que pode oscilar em torno de um eixo que passa
pelo ponto O , perpendicular à folha de papel. O
eixo está a uma distância h do centro de massa,
onde atua a força peso.
Quando o pêndulo da figura ao lado é deslocado
de sua posição de equilíbrio de um ângulo θ ,
surge um torque restaurador

Modulo =>

4
15/3/2011

Oscilações Oscilações
MHS e o Movimento Circular Uniforme MHS e o Movimento Circular Uniforme
Vamos considerar um corpo que descreve um movimento circular e
uniforme, com velocidade constante v em um círculo de raio R . O
vetor posição (t ) que descreve a trajetória do corpo tem módulo
constante, e suas projeções nos eixos cartesianos são dadas
por:

Observando a forma funcional de x(t) podemos concluir que


o Movimento Harmônico Simples é a projeção do
movimento circular e uniforme num diâmetro do círculo
onde este último acontece.

Oscilações Oscilações
• Exercícios • Exercícios
1. Uma massa de 50,0 g é presa à extremidade inferior de uma 6. Um cilindro sólido está ligado a uma mola horizontal sem massa de forma que ele
possa rolar, sem deslizamento, sobre uma superfície horizontal (Figura ). A constante
mola vertical e colocada em vibração. Se a velocidade máxima da mola é k = 3,0N/m. Se o sistema for liberado de uma posição de repouso em que a
da massa é 15,0 cm/s e o período 0,5 s, ache (a) a constante de mola esteja distendida de 0,25m, (a) Mostre que nessas condições o centro de massa
elasticidade da mola (b) a amplitude do movimento e (c) a do cilindro executa um movimento harmônico simples com período
freqüência de oscilação.
onde M é a massa do cilindro.
(b) Ache a energia cinética translacional do cilindro quando ele passa pela posição de
equilíbrio. (c) Ache a energia rotacional do cilindro quando ele passa pela posição
de equilíbrio.

5
15/3/2011

Seminários Oscilações
Princípio de Pascal; Viscosidade;
Vasos Comunicantes; Turbulência;
Pressão Atmosféricas (Manometros) Escoamento Caótico Em diversas situações do nosso cotidiano, os movimentos oscilatórios têm
uma duração finita, eles têm um começo e um fim. Não ficam se movendo no
Princípio de Arquimedes; Ondas Sonoras; ir e vir de modo indefinido. Isso acontece, basicamente, devido a atuação de
Equilíbrio de Corpos Flutuantes O Principio de Superposição; forças dissipativas tais como as forças de atrito.
Ressonânica Em uma situação simples as forças dissipativas podem ser representadas por
Conservação da Massa. Equação da uma função que depende linearmente da velocidade.
Continuidade; Ondas Sonoras; Essa força dissipativa pode ser descrita por uma equação do tipo:
Equação de Bernoulli; Batimentos;
Fórmula de Torricelli; Efeito Doppler
Tubo de Pitot;
Fenômeno de Venturi
onde b é chamado de constante de amortecimento.
Escoamentos rotacionais e
irrotacionais;
Efeito Magnus;
Conservação da circulação

Oscilações Oscilações
Vamos considerar um sistema composto de uma Escrevendo na forma diferencial: Aplicando essa forma na equação diferencial
mola de constante elástica k com uma das
encontramos que:
extremidades presa ao teto e a outra suspendendo um
corpo de massa m . Nesse corpo está presa uma haste
vertical que tem a sua outra extremidade presa a um
anteparo que está mergulhado em um líquido.
Quando o anteparo se move no líquido esse
movimento é amortecido por uma força que surge
devido à viscosidade do líquido. Onde:
Assim a resultante das forças que atuam no corpo de
massa m é dada por: A solução da equação diferencial
anterior tem a forma:

onde A e α são constantes a serem


determinadas.

6
15/3/2011

Cujas soluções são: Defini-se: Usando uma transformação equivalente àquela do MHS, temos que:

Logo: A equação da posição em função do


ou
tempo tem a forma da curva da figura ao
lado. Ela é um cosseno multiplicado por
uma exponencial, e o resultado é um
Assim a Função terá a forma: cosseno cuja amplitude de oscilação vai
Agora vamos considerar inicialmente diminuindo à medida que as oscilações se
que o movimento é sub-amortecido :
processam.

Ou seja:

Agora quando supomos que o movimento é


super-amortecido , temos que: e à partir dele encontramos a equação da
posição em função do tempo: A equação da posição em função do
tempo tem a forma da curva da figura ao
lado. Ela é um cosseno hiperbólico
multiplicado por uma exponencial, e o
Tem-se: resultado é um decréscimo monotônico da
ou, se redefinirmos as constantes:
amplitude.

Na realidade não chega a acontecer


e o parâmetro α agora tem a forma: nenhuma oscilação, e à medida que o
tempo evolui , a amplitude de oscilação vai
ficando sempre menor.

Lembrete:

Cosh (x) = cos(ix)

7
15/3/2011

Exercício Exercício
1