Você está na página 1de 3

Muitas necessidades não supridas na infância podem interferir na

forma como vemos o mundo hoje. Entenda como isso funciona.

Quando você pensa em infância quais são as suas memórias?

Brincadeiras, risadas e liberdade. Essas são algumas palavras que


podem vir à sua mente quando pensa em infância! Porém, a gente
cresce e vê que nem tudo é festa, nem tudo é alegria, nem mesmo lá na
sua infância.

Todas as pessoas têm necessidades básicas. A sua criança também


tinha necessidades emocionais fundamentais que podem não ter sido
supridas.

Mas, afinal, quais são essas necessidades?

São elas: vínculos seguros; autonomia, competência e senso de


identidade; liberdade de expressão, necessidades e emoções válidas;
espontaneidade e lazer; e limites realistas e autocontrole.

Essas necessidades podem não ter sido supridas. Mas através de


quais formas elas foram frustradas? Por meio da soma das experiências
no ambiente, mais o temperamento da criança, ou seja, aquela base
biológica, inata.
Veja aqui como falar sobre dinheiro para crianças.

“Ok, mas por que é importante eu saber tudo isso?”

Porque são essas vivências que levaram você a formar os seus esquemas, ou seja, o seu padrão de enxergar o mundo. De
maneira mais simples, as suas crenças.

Imagine um óculos. Esses óculos formatam a realidade que você observa, as lentes dele são acinzentadas. Mas, como esses são
os óculos que você sempre usou, você não percebe que eles podem estar distorcidos!

Ao encarar a realidade sob as suas lentes cinzas, você age como se tudo fosse assim, mas não é! Esses são os seus esquemas, ou
seja, as suas crenças!

Elas fazem você ver e agir com base em algo que não se encaixa mais hoje no seu presente.

O seu contexto mudou, mas você se comporta com a mesma visão daquela criança que pode operar em diferentes modos
prejudiciais, seja a criança indisciplinada, zangada, carente.

Você ainda pode reagir como se fosse seus pais disfuncionais ou agir como se o seu modo protetor estivesse desligado. Esses
modos nada mais são do que a forma que a nossa criança se ativa hoje dentro de nós.

E eles podem direcionar o seu comportamento hoje. Esse é o seu modo de reagir aos seus esquemas.

Vamos esclarecer um pouco mais…

Você já se pegou triste, ansioso, frustrado e para isso você deve ter feito algo para tentar afastar essas emoções como:
procrastinar, comer, consumir bebidas alcoólicas ou comprar! Sim, muitas vezes, você pode agir em resposta a essas emoções,
as quais possuem como base alguma necessidade que lá no seu passado não foi suficientemente suprida.

Mas, ao comprar por impulso, você deixa a sua criança agir, o seu lado mais impulsivo. Ao passo que, quando você toma
consciência dos seus pensamentos e dos sentimentos que esses geram você tem a possibilidade de trazer para o palco da vida o
seu adulto saudável aquele que age racionalmente para ele ser o protagonista.

Quando você mantém comportamentos que são autodestrutivos, esses te lesam, você alimenta a parte mais disfuncional da sua
criança.

Hoje, você tem a maturidade suficiente para se conscientizar das suas ações.

Então… lembre-se de que todos nós temos necessidades que não foram gratificadas, mas não precisamos reproduzir esse
padrão. Agora você pode recorrer a estratégias saudáveis com o intuito de se gratificar, mas para isso, quem precisa retomar a
direção da sua vida é o seu modo adulto saudável!

Se todo esse processo estiver muito difícil, busque ajuda! Um psicólogo pode ajudar você a se conscientizar, levantar
possibilidades e mudar!

Você também pode gostar