Você está na página 1de 37

Profº Beto Cavalcante

CUBISMO
 O CUBISMO surgiu no século XX, como um movimento das artes
plásticas, tendo como fundadores os artistas PABLO PICASSO e
GEORGES BRAQUE.
 Surgiu entre 1907 e 1914 em Paris.
Influências de peças de arte africana
como os rostos-máscaras dos rituais e
tribos africanos.
 O marco inicial do
Cubismo é a obra “Les
demoiselles d’Avignon,
pintada por Picasso em
1907.

Pablo Picasso / Les demoiselles d'Avignon


/ Museu de Arte Moderna de Nova Iorque
CARACTERÍSTICAS
 Geometrização das formas e volumes
 Renúncia à perspectiva
 Cores mais austeras como branco, negro, cinza, ocre ou castanho.
 A ideia deste novo estilo, o cubismo, era pintar as coisas como se fossem
vistas de diversos ângulos, o que muitas das vezes implica dificuldade em
reconhecer os objetos pintados.
 Picasso fez as pessoas e os objetos destes quadros parecerem planos. Os
objetos são fragmentados em cubos e formas estranhas e também são
utilizadas poucas cores.
 Picasso e Georges Braque inscreveram ainda palavras e letras nos seus
quadros e começaram também a inserir cada vez mais coisas nas suas
telas.
• Guernica, Pablo Picasso
(1937)
Óleo sobre tela
350x782 cm
Centro Nacional de Arte
Rainha Sofia, Madrid
Acontecimento de Guernica
Guernica é um pequeno país situado a norte de Espanha.
Foi bombardeada pelos nazistas , por ordem do General Franco, a 26 de Abril de
1937, durante a Guerra Civil Espanhola. A destruição de Guernica foi a primeira
demonstração da técnica de bombardeamento de saturação, mais tarde usado na 2ª
Guerra Mundial.
Esta guerra inspirou Pablo Picasso a fazer a sua famosa obra Guernica. Com esta
obra, ele quis retratar o estado de Guernica após o bombardeamento, e todo o
sofrimento que ali se vivia. Dos 7000 habitantes que continha, 1654 foram mortos e
889 ficaram feridos.
Análise do quadro de
Guernica
• Em primeiro plano no quadro, temos esta figura fragmentada,
com a cabeça e braço cortados, agarrando uma espada
partida, que representa a resistência heroica. Junto à espada
encontra-se uma flor, que tem uma mensagem de esperança
numa vida nova, apesar das tentativas do Homem para a
destruir constantemente. A comovente delicadeza da flor
parece aumentar o horror geral da cena caótica.
O Touro representa fortaleza,
verticalidade, orgulho, energia
e é um símbolo mítico do
homem touro (Minotauro).
Diversos autores vêm neste
touro uma imagem simbólica
do povo espanhol.
Entre as complexas imagens cubistas presentes nesta obra
Guernica, conseguimos interpretar a mãe e o filho
imediatamente: Uma criança morta aos braços da mãe,
que se encontra com um rosto angustiado. Esta figura é
especialmente penetrante devido aos contrastes entre o
estilo do rosto e a representação mais convencional da
criança. O grito da mãe é representado pela língua de fora
que se apresenta como um punhal ou um estilhaço de
vidro.
O cavalo representa a angústia e
lamentação, simbolizando assim o
Povo.
Por cima da cabeça do
cavalo está um candeeiro
eléctrico aceso, em forma
de sol, que sugere o “olho
de Deus” assistindo a tudo.
No lado direito do quadro, duas mulheres
olham horrorizadas para o cavalo ferido,
com medo e pena. Esta figura sugere
semelhança com a imagem de Cristo na
cruz e a presença das três Marias em cena.
Assim, Picasso procurava uma imagem
moderna e secular para exprimir o
sofrimento humano, mas que não tivesse
qualquer simbolismo cristão explícito.
Esta figura dá a ideia de uma pessoa estar a ser consumida pelas
chamas de um edifício a arder. Esta figura é frequentemente
comparada à figura central de Os fuzilamentos, a 3 de Maio de
1808 em Goya. Existe ainda uma semelhança entre os elementos
que levaram a ambos os quadros: os dois representam atos
selvagens de brutalidade contra pessoas inocentes.
O Triângulo serve de base para a
composição. Pode ser identificado
como símbolo de morte, pelo seu
carácter estático.
A Pomba simboliza uma
metáfora da Paz, ou seja,
pretende demonstrar a
destruição.
 A mulher a cair
representa
ansiedade,
busca, pânico,
súplica.
Esta luz simboliza a iluminação enquanto
inteligência, vida, liberdade, procura de
instauração da ordem no caos. É uma
metáfora da energia física e espiritual.
FUTURISMO
 Movimento artístico e literário de vanguarda, anterior à 1ª
Guerra Mundial.
 Iniciado em 1909 com a publicação do Manifesto
Futurista, do poeta italiano Filippo Marinetti, no jornal
francês Le Figaro.
 A obra rejeitava o moralismo e o passado.
 O slogan do primeiro manifesto futurista de 1909 era
“Liberdade para as palavras”.

Carrà, Russolo, Marinetti, Boccioni e Severini


Contexto histórico
 Apogeu da ciência - novas descobertas causam fascínio (radar -
1904 / avião – 1906 / motor a jato – 1910 / linha de produção –
1913)
 Paris - centro cultural do mundo
 Popularização do automóvel
 2ª Revolução Industrial (1860 até 1ª GM)
 “Os anos loucos” – pré-Guerra: rebeldia
 Movimento trazia implicações políticas e ideológicas
O Início
 O nome foi escolhido propositadamente
 Fundado por um manifesto escrito – a intenção apareceu antes
das obras
 Fundamento teórico a priori
 Partiu de uma ideia geral, rejeitou valores, tradições e instituições
consagradas
 Propunha mostrar nas artes as novidades da vida moderna,
subverter o academicismo e exaltar o futuro, exigia uma postura
politizada.
 Manifesto literário-1909 / Manifesto da pintura-1910 / Manifesto da
Arquitetura Futurista-1914
Características
 Dinamicidade
 Aspectos mecânicos
 Velocidade abstrata
 Uso de elementos geométricos
 Esquemas sucessivos de representação do objeto pictórico, como
exposição fotográfica múltipla.
 Movimentos animados pela fragmentação das figuras
representadas, conforme o modernismo.
 Repetição de elementos
Manifesto literário (trechos)
 1.Pretendemos cantar o amor ao perigo, o hábito da energia e a intrepidez.
 2.Coragem, audácia, e revolta serão elementos essenciais da nossa poesia.
 3. (...) Nós pretendemos exaltar a ação agressiva, uma insônia febril, o salto mortal, o soco e tapa.
 4. Afirmamos que a magnificência do mundo foi enriquecida por uma nova beleza: a beleza da
velocidade.
 7. Exceto na luta, não há beleza. Nenhum trabalho sem um caráter agressivo pode ser uma obra de
arte. (...).
 9. Glorificaremos a guerra – a única higiene militar, patriotismo, o gesto destrutivo daqueles que trazem
a liberdade, ideias pelas quais vale a pena morrer, e o escarnecer da mulher.
 10. Destruiremos os museus, bibliotecas, academias de todo tipo, lutaremos contra o moralismo,
feminismo, toda covardice oportunista ou utilitária.
 11. Cantaremos as grandes multidões excitadas pelo trabalho, pelo prazer, e pelo tumulto; (...)
cantaremos o vibrante fervor noturno de arsenais e estaleiros em chamas com violentas luas elétricas;
estações de trem cobiçosas que devoram serpentes emplumadas de fumaça; fábricas pendem em
nuvens por linhas tortas de suas fumaças; pontes que transpõem rios, como ginastas gigantes,
lampejando no sol com um brilho de facas; (...) locomotivas de peito largo cujas rodas atravessam os
trilhos como o casco de enormes cavalos de aço freados por tubulações; ...
Giacomo Balla - Dinamismo de um Cão
pela coleira
Vamos para as
questões?
Inovando os padrões estéticos de sua época, a
obra de Pablo Picasso foi produzida utilizando
características de um movimento artístico que:

A- dispensa a representação da realidade.


B- agrega elementos da publicidade em suas
composições.
C- valoriza a composição dinâmica para representar
movimento.
D- busca uma composição reduzida e seus elementos
primários de forma.
E- explora a sobreposição de planos geométricos e
fragmentos de objetos.
Vicente do Rego Monteiro foi um dos pintores, cujas telas foram
expostas durante a Semana de Arte Moderna. Tal como
Michelangelo, ele se inspirou em temas bíblicos, porém com um
estilo peculiar.

Pietá, Sec. XV- Michelangelo Pietá, 1924- Vicente do Rego Monteiro


Considerando-se as obras
apresentadas, o artista brasileiro:
A- demonstrou irreverência ao retratar a cena bíblica.
B- optou por fazer uma escultura minimalista, diferentemente de
Michelangelo.
C- estava preocupado em retratar detalhes da cena.
D- deu aos personagens traços cubistas, em vez dos traços europeus,
típicos de Michelangelo.
E- reproduziu o estilo da famosa obra de Michelangelo, uma vez que
retratou a mesma cena bíblica.
1. Nós queremos cantar o amor ao perigo, o hábito da energia e da temeridade.
2. A coragem, a audácia, a rebelião serão elementos essenciais de nossa poesia.
3. A literatura exaltou até hoje a imobilidade pensativa, o êxtase, o sono. Nós queremos exaltar o
movimento agressivo, a insônia febril, o passo de corrida, o salto mortal, o bofetão e o soco.
4. Nós afirmamos que a magnificência do mundo enriqueceu-se de uma beleza nova: a beleza da
velocidade. Um automóvel de corrida com seu cofre enfeitado com tubos grossos, semelhantes a
serpentes de hálito explosivo... um automóvel rugidor, que parece correr sobre a metralha, é mais
bonito que a Vitória de Samotrácia.
5. Nós queremos entoar hinos ao homem que segura o volante, cuja haste ideal atravessa a Terra,
lançada também numa corrida sobre o circuito da sua órbita.
6. É preciso que o poeta prodigalize com ardor, fausto e munificência, para aumentar o entusiástico
fervor dos elementos primordiais.

MARINETTI, F. T. Manifesto futurista. In: TELES, G. M. Vanguardas europeias e Modernismo brasileiro.


Petrópolis: Vozes, 1985.
O documento de Marinetti, de 1909, propõe os
referenciais estéticos do Futurismo, que
valorizam a

A- composição estática.
B- inovação tecnológica.
C- suspensão do tempo.
D- retomada do helenismo.
E- manutenção das tradições.
TEXTO I

TEXTO II
A existência dos homens criadores modernos é
muito mais condensada e mais complicada do
que a das pessoas dos séculos precedentes. A
coisa representada, por imagem, fica menos
fixa, o objeto em si mesmo se expõe menos do
que antes. Uma paisagem rasgada por um
automóvel, ou por um trem, perde em valor
descritivo, mas ganha em valor sintético. O
homem moderno registra cem vezes mais
impressões do que o artista do século XVIII.
LEGÉR, F. Funções da pintura. São Paulo: Nobel,
1989.
A vanguarda europeia, evidenciada pela
obra e pelo texto, expressa os ideais e a
estética do
A) Cubismo, que questionava o uso da perspectiva por meio da
fragmentação geométrica.
B) Expressionismo alemão, que criticava a arte acadêmica,
usando a deformação das figuras.
C) Dadaísmo, que rejeitava a instituição artística, propondo a
antiarte.
D) Futurismo, que propunha uma nova estética, baseada nos
valores da vida moderna.
E) Neoplasticismo, que buscava o equilíbrio plástico, com
utilização da direção horizontal e vertical.
Observe as imagens a seguir:

Imagem 3: “Green field”,


de Vincent van Gogh Imagem 5:
Imagem 1: “Andrógino”,
Composição de de Ismael Nery
Ismael Nery

Imagem 2: “Sintesi
plastica dei
movimenti di una
donna”, de Luigi Imagem 4:
Russolo “Madonna”, de
Edvard Munch
Após analisar as imagens, é possível
afirmar que a única obra futurista é a:
A) Imagem 1

B) Imagem 2

C) Imagem 3

D) Imagem 4

E) Imagem 5

Você também pode gostar