Você está na página 1de 98

Publicação Técnica

MU-13 Rev. 1

Manual do Usuário
MAG DYNAMIC C
Unidades Móveis de Raios-X
A informação incluída neste manual é aplicável nos seguintes aparelhos

MAG DYNAMIC C

Fabricado e Distribuído por:

CDK Indústria e Comércio de Equipamentos de Raios-X Ltda.


CNPJ 04.864.204/0001-21
Rua Orense, 783 -- Pq. das Jabuticabeiras
Diadema -- São Paulo
CEP: 09920-650
PABX/FAX: +55 11 4055.1011

Brasil

Responsável Legal: Cristiane Brandão Pereira


Diretora Administrativa

Responsável Técnico: Henrique Ferrari Junior


CREA/SP: 601425551

Número do Registro na ANVISA:


Válido até: não determinado
Classificação ANVISA: Classe III

Conteúdo: A MAG DYNAMIC C é composta pelos seguintes subconjuntos:

Gerador de Raios-X
Tubo de Raios-X
Colimador
Console de Sobreposição
Unidade Móvel com Coluna Giratória, Braço Telescópico
e Cesto Receptor

Produto de acordo com a Norma NBR IEC 60601 e Normas Colaterais.


TERMO DE GARANTIA LEGAL

(de acordo com o Código de Proteção e Defesa do Consumidor: Lei 8.078 de 11 de Setembro
de 1990)

A empresa CDK Indústria e Comércio de Equipamentos de Raios-X Ltda., em


cumprimento ao Art. 26 da lei 8.078 de 11 de Setembro de 1990 vem, por meio deste
instrumento legal, garantir o direito do consumidor de reclamar pelos vícios aparentes ou
funcionamento defeituoso de todos os produtos importados e comercializados pela referida
empresa, pelo prazo de 90 dias, a contar da data de entrega efetiva dos produtos.
Tratando--se de vício oculto, o prazo decadencial inicia--se no momento em que ficar
evidenciado o defeito, conforme disposto no Parágrafo 3º do Art. 26 da Lei 8.078.

Para que o presente Termo de Garantia Legal surta efeito, o consumidor deverá observar as
condições abaixo descritas:

 Não permitir que pessoas não autorizadas realizem a manutenção dos materiais ou
equipamentos em questão.

 Não permitir o uso indevido bem como o mau uso dos materiais ou equipamentos em
questão.

 Seguir detalhadamente todas as orientações de uso, bem como os cuidados de limpeza


e conservação descritos no Manual do Usuário ou Instruções de Uso.

 As partes e peças que venham a sofrer desgaste natural pelo uso dos materiais ou
equipamentos não estarão cobertas por este Termo Legal de Garantia, se o vício for
reclamado após o prazo regular determinado pelo fabricante para a substituição desses
itens.

Produto objeto da cobertura deste Termo de Garantia:

MAG DYNAMIC C
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

HISTÓRICO DE REVISÕES

REVISÃO DATA RAZÃO DA ALTERAÇÃO

1 14 abril, 2016 Primeira Edição

O estado de Revisão deste documento é indicado no código apresentado na parte inferior desta página.

MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

SÍMBOLOS DE ADVERTÊNCIA

São utilizados os seguintes símbolos de advertência ao longo deste


documento. Sua aplicação e significado são descritos em seguida.

ALERTA PARA CONDIÇÕES OU SITUAÇÕES QUE, SE NÃO


PERIGO FOREM TIDAS EM CONTA OU EVITADAS, PODERÃO
PROVOCAR LESÕES PESSOAIS GRAVES OU ATÉ A MORTE.

ALERTA PARA CONDIÇÕES OU SITUAÇÕES QUE, SE NÃO


AVISO FOREM TIDAS EM CONTA OU EVITADAS, PODERÃO
PROVOCAR FERIMENTOS PESSOAIS GRAVES, OU DANOS
MUITO GRAVES NO EQUIPAMENTO OU NOS DADOS
INTERNOS.

Alerta para condições ou situações que, se não forem tidas


em conta ou evitadas, poderão provocar lesões pessoais, ou
danos no equipamento ou nos dados internos.

Nota . Avisa os operadores para fatos e condições concretas. Indica a


informação que é importante conhecer, mas que não está
necessariamente relacionada com possíveis lesões ou danos no
equipamento.

MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

ÍNDICE

Seção Página

1 INTRODUÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1

1.1 Características Gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2


1.1.1 Opções e Acessórios . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4
1.2 Identificação do Produto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5

1.3 Instruções de Utilização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6


1.3.1 Uso Indicado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6
1.3.2 Utilização Normal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6
1.3.3 Contraindicações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6

2 INFORMAÇÃO RELATIVA A NORMAS E SEGURANÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7

2.1 Geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7

2.2 Responsabilidades . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10

2.3 Dose Máxima Permitida (DMP) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11

2.4 Proteção Contra a Radiação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12

2.5 Controle do Pessoal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14

2.6 Símbolos de Segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14

2,7 Informação sobre as Normas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19


2.7.1 Certificações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
2.7.2 Declaração Ambiental sobre o Tempo de Vida Útil do Equipamento
ou Sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
2.7.3 Modo de Operação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19
2.7.4 Proteção Contra Riscos de Descarga Elétrica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20
2.7.5 Proteção contra Penetração Nociva de Água ou Material Particulado 20
2.7.6 Proteção contra Riscos de Ignição de Misturas Anestésicas
Inflamáveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20
2.7.7 Proteção Contra Riscos de Radiação Indesejada ou Excessiva . . . . 20
2.7.8 Designação de Zonas de Ocupação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
2.7.9 Distribuição da Radiação Dispersa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23

MU-13 Rev. 1 i
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Seção Página

2.8 Compatibilidade Eletromagnética (EMC) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26

2.9 Informação Quantitativa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31


2.9.1 Testes Funcionais levados a cabo para obter
a Informação Quantitativa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31

2.10 Efeitos Determinísticos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33

3 CONTROLES GERAIS E DE MOVIMENTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35

3.1 Ligação à linha e Disjuntor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36

3.2 Console de Controle do Gerador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36

3.3 Painel Frontal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37

3.4 Disparador Manual Radiográfico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38

3.5 Controles de Movimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39


3.5.1 Controles para Posicionamento do Conjunto do Tubo-Colimador . . . 40
3.5.2 Posição de Estacionamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
3.5.3 Controles de Deslocação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44
3.6 Controles do Colimador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45

4 CONSOLE DE CONTROLE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47

4.1 ON / OFF (Ligado / Desligado) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48

4.2 Indicadores da Exposição . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48

4.3 Seleção dos Postos de Trabalho . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 48

4.4 Indicadores dos Pontos Focais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49

4.5 Parâmetros Radiográficos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50

4.6 Programador Anatômico (APR) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 52

4.7 Unidades de Calor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58

4.8 Contadores de Exposições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58

4.9 Indicadores de Autodiagnóstico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58

4.10 Códigos de Erro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59

ii MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Seção Página

5 SEQUÊNCIAS DE FUNCIONAMENTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63

5.1 Rotina de inicialização . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63

5.2 Procedimento de Aquecimento do Tubo de Raios-X . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63

5.3 Operação Radiográfica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 64

5.4 Operação com APR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 65

5.5 Alinhar o Feixe do Raio-X em relação ao Paciente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66

5.6 Guia para Aplicações de Pediatria . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 68

6 MANUTENÇÃO PERIÓDICA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71

6.1 Tarefas do Operador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71

6.2 Tarefas da Assistência Técnica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 72

7 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 73

7.1 Colimador . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 76

7.2 Tubo de Raios-X . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 77

ANEXO A OPÇÕES E ACESSÓRIOS

MU-13 Rev. 1 iii


Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Página intencionalmente deixada em branco.

iv MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

SEÇÃO 1 INTRODUÇÃO

Este manual contém toda a informação necessária para compreender e


manusear o sistema MAG DYNAMIC C. Oferece uma descrição geral,
informação relativa a normas e segurança, instruções de funcionamento e
especificações referentes ao aparelho. Este manual não foi concebido para a
formação em radiologia nem para o diagnóstico clínico.

Este equipamento foi concebido para a radiografia geral. Proporciona todas


as vantagens dos Geradores de potência constante, incluindo uma carga mais
baixa para o paciente, tempos de exposição mais curtos e uma maior
consistência e precisão.

O Gerador é controlado por múltiplos microprocessadores, o que permite uma


maior consistência de exposição, maior eficácia de operacionalidade,
aumentando ainda o tempo de vida útil do Tubo. O sofisticado nível do sistema
de autodiagnóstico aumenta consideravelmente sua operacionalidade e
diminui os tempos de inatividade do aparelho.

Todas as funções, visores e controles estão colocados com lógica, facilmente


acessíveis e perfeitamente identificados para evitar confusões. As técnicas de
funcionamento e restantes funções são selecionadas no Console de Controle.

Ilustração 1-1
MAG DYNAMIC C

MU-13 Rev. 1 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

1.1 CARACTERÍSTICAS GERAIS

A Unidade Móvel de Raios-X inclui:

COMPONENTES PARA GERAR RAIOS-X

 Gerador, que inclui:

G Módulo de Potência, onde se encontram os componentes de


controle e de alimentação.

G Transformador de Alta Tensão.

G Módulo de Condensador com os Condensadores de


Armazenamento de Energia e os componentes de carga /
controle.

 Console de Controle, controles do operador e visores para operações


radiográficas e funcionamento geral.

 Conjunto do Tubo-Colimador, que inclui o Tubo de Raios-X e o


Colimador.

SUBCONJUNTOS E EQUIPAMENTOS ASSOCIADOS

Os seguintes subconjuntos são considerados Equipamentos Associados em


conformidade com os requisitos de segurança em vigor.

 Coluna e Braço, que suportam o Conjunto do Tubo-Colimador


e permitem seu posicionamento.

 Cesto para Chassis de Raios-X para chassis de 35 x 43 cm ou de


tamanhos mais pequenos.

As principais características deste equipamento são:

 Estrutura sólida e ergonómica. Funcionamento simples, segurança


e precisão de todos os movimentos relativos à posição ao paciente.

 Potencial constante de alta frequência.

 Movimentos giratórios do Conjunto do Tubo-Colimador em relação ao


seu eixo transversal (¦180o) e horizontal (+90o, -15o). Movimento
giratório do Colimador em relação ao seu eixo vertical (¦90o).

 Controle de três pontos, por seleção de kVp, mA e Tempo de Exposição,


ou de dois pontos, por seleção de kVp e mAs.

2 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

 Programador Anatômico (APR), para seis tamanhos de pacientes (três


de adultos e três de crianças), com vistas anatômicas pré-programadas
para seleção automática. O operador pode introduzir modificações
manualmente em todas as técnicas originais do APR e guardá-las, para
utilização posterior.

 Disparador Manual Radiográfico para efetuar as exposições


radiográficas.

 Colimação Manual.

 Armazenamento das Unidades de Calor do Tubo de Raios-X, incluindo


depois de desligar o aparelho.

 Circuitos de proteção, que permitem prolongar o tempo de vida do Tubo


e aumentar o rendimento do sistema.

 Controle por realimentação em circuito fechado para os quilovolts, os


filamentos e a corrente do Tubo de Raios-X, reduzindo assim possíveis
erros e a necessidade de reajustes.

 Funcionamento por ligação a tomadas convencionais com linha


monofásica de 230 Vca.

 Em condições normais de funcionamento, os Condensadores de


Armazenamento são mantidos com um nível de carga ótimo pelo
Carregador do Condensador, que controla o nível e efetua cargas
periodicamente.

O Módulo dos Condensadores é submetido ao processo de carga nas


seguintes condições (durante a carga é emitido um silvo no interior do
Gerador).

G Quando a Unidade é Ligada e efetua a primeira carga. O tempo


de carga total depende da tensão de entrada da corrente elétrica
a que a Unidade está ligada e do nível de carga inicial dos
Condensadores (4 segundos para uma linha de 230 Vca com
seleção de 16 A no Gerador).

G Durante as exposições de Raios-X.

G Durante as cargas periódicas com o Gerador Ligado (em modo de


repouso), aproximadamente a cada 150 segundos.

Nota . O valor de mAs é limitado e depende dos valores de kVp e mA


selecionados. São obtidos valores de mAs mais elevados ao
selecionar valores de kVp e mA mais baixos.

MU-13 Rev. 1 3
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

1.1.1 OPÇÕES E ACESSÓRIOS

Para além das características descritas anteriormente, esta Unidade Móvel de


Raios-X inclui também as seguintes opções e acessórios:

OPÇÕES:

 150 kVp opcional para unidades de 16 kW e 20 kW.

 Ligação direta para um Bucky.

 Disparador Manual Radiográfico remoto por infravermelhos.

 Colimador Manual com Filtros e Posicionador Laser Duplo.

ACESSÓRIOS:

 Dosímetro Compact VacuDap.

Nota . Para obter informações detalhadas sobre as Opções e


Acessórios da unidade de Raios-X, consultar o Anexo
correspondente.

4 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

1.2 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO

Cada elemento principal do aparelho possui uma série de etiquetas


autocolantes de identificação que fornecem a seguinte informação sobre o
fabricante e o produto.

 Produto e Modelo.

 Data de fabricação.

 Número serial.

 Tensão (V), Fases de Linha, Frequência (Hz), e Potência (kVA, kW).

 Filtração inerente.

 Fabricante e Local de fabricação.

 Número de Registro ANVISA.

 Certificação e Símbolos.

 Referência. Consultar as instruções de funcionamento para: Condições


de armazenamento, conservação, utilização, instruções, avisos,
precauções e recomendações.

 Tensão Nominal do Tubo de Raios-X da Fonte de Raios-X.

 Fabricante e Tamanho do Foco do Tubo de Raios-X.

Ilustração 1-2
Exemplo das Etiquetas de Identificação

MU-13 Rev. 1 5
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

1.3 INSTRUÇÕES DE UTILIZAÇÃO

1.3.1 USO INDICADO

Este aparelho deve ser unicamente utilizado por prescrição médica por pessoal
qualificado.

A série MAG DYNAMIC C foi concebida para a radiografia geral em hospitais,


clínicas e consultas médicas para a criação de imagens radiográficas para
diagnóstico do esqueleto, crânio, tórax, abdômen, membros superiores e
inferiores e outras partes da anatomia humana.

As imagens podem ser obtidas com o paciente em posição sentada, em


posição vertical ou em posição horizontal. Podem ser feitos exames a qualquer
tipo de paciente. Os pacientes podem estar fisicamente aptos, com
incapacidades, imobilizados ou em estado de choque.

Exemplo de tipos de receptores de imagens radiográficas que podem ser


utilizados: Chassis com Película ou Radiografia Computadorizada (CR).

1.3.2 UTILIZAÇÃO NORMAL

A Utilização Normal deste equipamento é definida pelo Uso Indicado e pelas


tarefas de Manutenção e Serviço Técnico.

1.3.3 CONTRAINDICAÇÕES

Não utilizar o aparelho para qualquer outro uso que não seja o indicado.
A utilização deste aparelho para usos não indicados pode provocar lesões
mortais ou outras lesões graves.

Este aparelho não está indicado para mamografias.

Este equipamento não foi especificamente concebido para uso pediátrico; ao


examinar crianças com este aparelho, estas devem ir sempre acompanhadas
de um adulto.

6 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

SEÇÃO 2 INFORMAÇÃO RELATIVA A NORMAS


E SEGURANÇA

Esta seção descreve as condições de segurança, precauções gerais para o


paciente, o operador e o aparelho para um funcionamento e tarefas de
manutenção seguros.

Esta seção proporciona informação relativa a normas e símbolos utilizados no


equipamento para utilizar o equipamento de uma forma segura.

2.1 GERAL

PARA UMA UTILIZAÇÃO SEGURA E CONTINUADA DESTE


AVISO APARELHO, SEGUIR AS INSTRUÇÕES DESTE MANUAL DO
USUÁRIO. TANTO O OPERADOR COMO O PESSOAL DE
ASSISTÊNCIA TÉCNICA DEVE LER ATENTAMENTE ESTE
MANUAL, AS INSTRUÇÕES AQUI INCLUÍDAS DEVEM SER
LIDAS E COMPLETAMENTE COMPREENDIDAS ANTES DE
TENTAR COLOCAR O APARELHO EM FUNCIONAMENTO,
ESPECIALMENTE AS INSTRUÇÕES RELATIVAS À
SEGURANÇA, NORMAS, DOSAGEM E PROTEÇÃO CONTRA
A RADIAÇÃO. MANTER SEMPRE ESTE MANUAL DO
USUÁRIO JUNTO AO APARELHO E REVER
PERIODICAMENTE AS INSTRUÇÕES DE FUNCIONAMENTO
E SEGURANÇA.

AS INSTRUÇÕES TÉCNICAS PARA O PESSOAL DE


ASSISTÊNCIA TÉCNICA (INSTALAÇÃO, CALIBRAÇÃO OU
MANUTENÇÃO) ENCONTRAM-SE NOS CAPÍTULOS
CORRESPONDENTES DO MANUAL DE ASSISTÊNCIA
TÉCNICA FORNECIDO COM O EQUIPAMENTO.

ESTUDE ESTE MANUAL E OS MANUAIS


CORRESPONDENTES A CADA COMPONENTE DO SISTEMA
DE FORMA A CONHECER TODOS OS REQUISITOS DE
FUNCIONAMENTO E SEGURANÇA.

MU-13 Rev. 1 7
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

TODOS OS OPERADORES E PESSOAL DE ASSISTÊNCIA


AVISO TÉCNICA AUTORIZADOS PARA MANIPULAR, INSTALAR,
CALIBRAR OU EFETUAR A MANUTENÇÃO DO APARELHO
TÊM DE SER CONSCIENTES DO PERIGO QUE REPRESENTA
A EXPOSIÇÃO EXCESSIVA ÀS RADIAÇÕES-X. É
IMPORTANTE QUE QUALQUER PESSOA QUE TRABALHE
COM RADIAÇÕES-X POSSUA A FORMAÇÃO DEVIDA,
ESTEJAM TOTALMENTE INFORMADOS ACERCA DOS
PERIGOS DA RADIAÇÃO E TOME AS MEDIDAS
ADEQUADAS PARA ASSEGURAR A PROTEÇÃO CONTRA
POSSÍVEIS LESÕES.

O OPERADOR DEVE TER OS CONHECIMENTOS


AVISO SUFICIENTES PARA LEVAR A CABO CORRETAMENTE OS
DIFERENTES PROCEDIMENTOS DE IMAGEM PARA
DIAGNÓSTICO COM DISPOSITIVOS DE RAIOS-X. ESTE
CONHECIMENTO NECESSÁRIO CONSEGUE-SE ATRAVÉS
DE UMA VARIEDADE DE MÉTODOS FORMATIVOS QUE
INCLUEM EXPERIÊNCIA DE TRABALHO EM CLÍNICA E
COMO PARTE DE MUITOS PROGRAMAS DE TECNOLOGIA
RADIOLÓGICA EM UNIVERSIDADES DE ACORDO COM AS
NORMAS LOCAIS.

O PESSOAL DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA DEVE TER OS


AVISO CONHECIMENTOS SUFICIENTES PARA LEVAR A CABO
CORRETAMENTE AS TAREFAS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA
RELACIONADAS COM EQUIPAMENTO DE RAIOS-X E,
ESPECIALMENTE, COM O APARELHO DESCRITO NESTE
MANUAL. ESTE CONHECIMENTO NECESSÁRIO
CONSEGUE-SE ATRAVÉS DE UMA VARIEDADE DE
MÉTODOS FORMATIVOS PARA TÉCNICOS DE ACORDO
COM AS NORMAIS LOCAIS, INCLUINDO A FORMAÇÃO
ESPECÍFICA NESTE EQUIPAMENTO.

OS APARELHOS DE RAIOS-X PODEM SER PERIGOSOS,


AVISO TANTO PARA O PACIENTE COMO PARA O OPERADOR, A
MENOS QUE AS MEDIDAS DE SEGURANÇA SEJAM
RIGOROSAMENTE CUMPRIDAS. SE O APARELHO NÃO FOR
UTILIZADO CORRETAMENTE, PODE PROVOCAR LESÕES.

EMBORA A RADIAÇÃO POR RAIOS-X POSSA SER


PERIGOSA, ESTES APARELHOS NÃO REPRESENTAM
QUALQUER PERIGO, QUANDO CORRETAMENTE
UTILIZADOS.

8 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

PARA O EQUIPAMENTO DE RADIODIAGNÓSTICO


AVISO UTILIZADO COM ACESSÓRIOS OU OUTROS ELEMENTOS
QUE NÃO FAÇAM PARTE DO MESMO, DEVEM SER TIDOS EM
CONTA OS POSSÍVEIS EFEITOS ADVERSOS NA
QUALIDADE DA IMAGEM PROVOCADOS PELO GRAU DE
ATENUAÇÃO EQUIVALENTE DOS MATERIAIS QUE POSSAM
ENCONTRAR-SE NA TRAJETÓRIA DO FEIXE DE RAIOS-X.
(VER TABELA SEGUINTE SOBRE A ATENUAÇÃO MÁXIMA
EQUIVALENTE DOS MATERIAIS POSSIVELMENTE
SITUADOS NO FEIXE DE RAIOS).

ATENUAÇÃO MÁXIMA EQUIVALENTE mm AL

ITEM
ABNT NBR IEC
21 CFR
60601-2-54:2011

Total de camadas que compõem o suporte de chassis do painel frontal 1,2 1,2

Total de camadas que compõem o CAMBIADOR DE PELÍCULA do painel


1,2 1,2
frontal

Total de camadas, excluindo o próprio detector, que compõem o painel frontal


1,2 1,2
do DISPOSITIVO DE RAIOS-X DIGITAL

Suporte 2,3 2,3

SUPORTE PACIENTE, fixo, sem uniões articuladas 1,2 1,2

SUPORTE PACIENTE, móvel, sem uniões articuladas


1,7 1,7
(incluindo as camadas fixas)

SUPORTE PACIENTE, com painel radiolúcido com uma união articulada 1,7 1,7

SUPORTE PACIENTE, com painel radiolúcido com uma ou mais uniões


2,3 2,3
articuladas

SUPORTE PACIENTE, apoio 2,3 2,3

Nota 1.- Os dispositivos tais como os DETECTORES DE RADIAÇÃO não estão incluídos nos elementos indicados nesta tabela.

Nota 2.- Os requisitos para as propriedades de ATENUAÇÃO das CHASSIS RADIOGRÁFICAS e dos PAINÉIS DE INTENSIFICAÇÃO
estão reunidos na norma ISO 4090 [3], e para as GRADES ANTI-DIFUSORAS na Norma ABNT NBR IEC 60627[1].

Nota 3.- A ATENUAÇÃO provocada pelos colchões das mesas e outros acessórios semelhantes não está incluída na EQUIVALÊNCIA
máxima de ATENUAÇÃO para o SUPORTE DO PACIENTE.

Nota 4.- A EQUIVALÊNCIA máxima de ATENUAÇÃO mm Al só se aplica ao elemento correspondente. Se vários elementos desta
tabela estiverem situados no percurso do FEIXE de RAIOS-X entre o PACIENTE e o RECEPTOR DE IMAGEM DE RAIOS-X, aplica-se
cada EQUIVALÊNCIA máxima de ATENUAÇÃO mm Al correspondente por separado para cada elemento.

MU-13 Rev. 1 9
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

2.2 RESPONSABILIDADES

ESTE APARELHO DE RAIOS-X PODE SER PERIGOSO,


AVISO TANTO PARA O PACIENTE COMO PARA O OPERADOR, A
MENOS QUE SEJAM RIGOROSAMENTE CUMPRIDOS OS
FATORES DE EXPOSIÇÃO SEGURA, AS INSTRUÇÕES DE
FUNCIONAMENTO E OS CALENDÁRIOS DE MANUTENÇÃO.

O APARELHO AQUI DESCRITO É VENDIDO COM A


AVISO RESSALVA DE QUE O FABRICANTE, SEUS AGENTES E
REPRESENTANTES NÃO SE RESPONSABILIZAM POR
QUAISQUER LESÕES OU DANOS QUE POSSAM RESULTAR
PARA OS PACIENTES OU PESSOAL CLÍNICO EM
CONSEQUÊNCIA DE EXPOSIÇÕES EXCESSIVAS À
RADIAÇÃO.

O FABRICANTE NÃO ACEITA QUALQUER


AVISO RESPONSABILIDADE POR EXPOSIÇÕES EXCESSIVAS DE
PACIENTES OU PESSOAL CLÍNICO AOS RAIOS-X GERADOS
POR ESTE APARELHO EM RESULTADO DE UMA
UTILIZAÇÃO INCORRETA DOS PROCEDIMENTOS OU
TÉCNICAS DE FUNCIONAMENTO. NÃO SERÁ AINDA
ASSUMIDA QUALQUER RESPONSABILIDADE POR
APARELHOS CUJA MANUTENÇÃO E ASSISTÊNCIA
TÉCNICA NÃO TENHAM SIDO EFETUADAS DE ACORDO
COM AS INSTRUÇÕES DO FABRICANTE, OU POR
APARELHOS QUE TENHAM SIDO DE ALGUMA FORMA
MODIFICADOS OU MANIPULADOS.

É DA RESPONSABILIDADE DO OPERADOR GARANTIR A


AVISO SEGURANÇA DO PACIENTE ENQUANTO O APARELHO DE
RAIOS-X ESTIVER EM FUNCIONAMENTO, ATRAVÉS DE
OBSERVAÇÃO VISUAL, POSICIONAMENTO CORRETO DO
PACIENTE E UTILIZAÇÃO DOS DISPOSITIVOS DESTINADOS
A EVITAR LESÕES NOS PACIENTES.

DURANTE O FUNCIONAMENTO, CONTROLAR TODAS AS


PARTES DO SISTEMA, DE FORMA A GARANTIR QUE NÃO
EXISTEM INTERFERÊNCIAS OU POSSIBILIDADE DE
COLISÃO COM O PACIENTE OU COM OUTROS APARELHOS
EXISTENTES NA SALA.

10 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

É RESPONSABILIDADE DO COMPRADOR / CLIENTE


AVISO PROPORCIONAR OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO AUDITIVOS
E VISUAIS ENTRE O OPERADOR E O PACIENTE.

É DA RESPONSABILIDADE DO OPERADOR GARANTIR QUE


AVISO TODOS OS PARÂMETROS DA EXPOSIÇÃO SÃO CORRETOS
ANTES DE EFETUAR UM EXAME AO PACIENTE,
CERTIFICANDO-SE DE QUE A SELEÇÃO DE PARÂMETROS
NÃO TENHA SIDO MODIFICADA SEM QUERER OU POR
CONTATO DE ELEMENTOS EXTERNOS NO CONSOLE DE
CONTROLE, DE FORMA A EVITAR A SOBREEXPOSIÇÃO OU
A NECESSIDADE DE EFETUAR UM NOVO EXAME AO
PACIENTE.

CERTIFIQUE-SE DE QUE O TUBO DE RAIOS-X ESTÁ


AVISO SITUADO NA POSIÇÃO DE TRABALHO COM O EIXO DE
REFERÊNCIA (FEIXE DE RAIOS-X) DIRECIONADO NO
SENTIDO DA ÁREA DE RECEPÇÃO.

2.3 DOSE MÁXIMA PERMITIDA (DMP)

Antes da utilização, o pessoal qualificado e autorizado para manusear este


equipamento deverá estar familiarizado com as Recomendações da Comissão
Internacional para a Proteção Radiológica, constantes dos Anais Número 60
da ICRP (Comissão Internacional para a Proteção Radiológica), com as
normas nacionais aplicáveis e deverá ter tido a devida formação para a
utilização do equipamento.

O OPERADOR DEVERÁ MANTER A MÁXIMA DISTÂNCIA


AVISO POSSÍVEL ENTRE O PONTO FOCAL E A PELE DO PACIENTE
PARA QUE A DOSE DE RADIAÇÃO ABSORVIDA PELO
MESMO SEJA TÃO BAIXA QUANTO RAZOAVELMENTE
POSSÍVEL.

MU-13 Rev. 1 11
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

2.4 PROTEÇÃO CONTRA A RADIAÇÃO

Embora o aparelho esteja construído em conformidade com as normas de


segurança mais exigentes e apresente um elevado grau de proteção contra as
radiações-X, além do prático feixe, nenhum projeto pode oferecer uma
proteção completa, assim como nenhum projeto pode obrigar o operador a
tomar as precauções adequadas para evitar a possibilidade de qualquer
pessoa, de forma descuidada, pouco sensata ou por desconhecimento,
expor-se a si própria, ou a terceiros, a radiações diretas ou indiretas.

É DA RESPONSABILIDADE DO OPERADOR LIMITAR O


AVISO ACESSO AO APARELHO DE ACORDO COM AS NORMAIS
LOCAIS PARA A PROTEÇÃO CONTRA A RADIAÇÃO.

Dado que a exposição à radiação de Raios-X pode ser nociva para a saúde,
é necessário prestar especial atenção à proteção contra as exposições ao feixe
primário. Alguns dos efeitos dos Raios-X são cumulativos e podem
prolongar-se durante meses ou anos. A melhor regra de segurança para o
operador de Raios-X é “Evitar sempre a exposição ao feixe primário”.

Qualquer objeto que se encontre na trajetória do feixe primário produz uma


radiação secundária (dispersa). A intensidade da radiação secundária
depende da energia e da intensidade do feixe primário e do número atômico
do material atingido pelo feixe primário. A radiação secundária pode ser mais
intensa do que a radiação que atinge o receptor. Tomar as medidas
necessárias para se proteger contra esta radiação.

Uma medida de proteção eficaz é o uso de proteções de chumbo. Para reduzir


as exposições perigosas, utilizar elementos como proteções móveis de
chumbo, luvas, aventais e colares cervicais com chumbo, etc. As proteções
com chumbo deverão conter um mínimo de 2,0 mm de chumbo ou equivalente,
enquanto que os dispositivos pessoais de proteção (aventais, luvas, etc.)
deverão conter um mínimo de 0,25 mm de chumbo, ou equivalente. Os
requisitos locais podem ser diferentes, pelo que deverá consultar as “Normas
Locais sobre Proteção contra a Radiação”.

12 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Respeitar as seguintes regras para proteção da radiação do


pessoal na sala de exames durante a exposição a Raios-X:

– Vestir roupa de proteção contra a radiação.

– Usar um dosímetro pessoal.

– Usar os diversos materiais e dispositivos de proteção


recomendados contra a radiação.

– Durante o funcionamento ou manutenção do aparelho de


Raios-X manter sempre a maior distância possível do Foco e
do Feixe dos Raios-X, nunca inferior a 2 metros, proteger o
corpo e não expor as mãos, pulsos, braços ou outras partes
do corpo ao feixe primário.

– Proteger o paciente da radiação fora da área de interesse


usando acessórios de proteção.

– Usar a colimação de campo de raios-X mais reduzida.


Certificar-se de que toda a zona de interesse está exposta ao
campo de raios-X e que este não ultrapasse esta zona de
interesse.

– Selecionar a maior distância possível do Foco à pele do


paciente para manter a dose absorvida do paciente o mais
reduzida possível.

A dose de radiação aumenta ou diminui de acordo com a


distância do Foco à pele do paciente: quanto maior for a
distância SID, menor será a dose de radiação. A dose de
radiação é inversamente proporcional à distância ao
quadrado.

– Selecionar um tempo de exame o mais curto possível. Esta


ação reduz em grande medida a dose total de radiação.

– Utilizar Grades sempre que possível .

– Posicionar a região de interesse o mais perto possível do


receptor de imagem. Esta ação reduz e otimiza a exposição
à radiação.

– Certificar-se que existe uma boa comunicação auditiva


entre o paciente e o operador durante todo o exame.

MU-13 Rev. 1 13
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

2.5 CONTROLE DO PESSOAL

Efetuar um acompanhamento do pessoal para determinar a quantidade de


radiação a que foram sujeitos, comparando os valores obtidos, constitui uma
forma de determinar se as medidas de segurança são ou não adequadas. Isto
pode revelar o uso inadequado ou incorreto de proteções contra a radiação e
situações potencialmente graves de exposição à radiação.

O método mais eficaz para determinar se as medidas de proteção existentes


são ou não adequadas é o uso de instrumentos para medir a exposição. Estas
medições deverão ser realizadas em todos os locais onde o operador ou
qualquer parte de seu corpo possam estar expostos à radiação. As exposições
nunca deverão ultrapassar a tolerância aceita para a dose.

Um método frequentemente utilizado, mas menos exato, para determinar a


quantidade de exposição é colocar amostras de película em lugares
estratégicos. Após um determinado período de tempo, revelar a película, para
determinar a quantidade de radiação.

Um método comum para determinar se o pessoal esteve exposto a uma


radiação excessiva é o uso de dosímetros pessoais de radiação. Estes
consistem em um dispositivo pessoal que contém uma película sensível aos
Raios-X ou material termoluminescente e que pode ser utilizado junto ao corpo.
Embora estes dispositivos meçam apenas a radiação que atinge a zona do
corpo onde estão colocados, constituem um indicador razoável da quantidade
de radiação recebida.

2.6 SÍMBOLOS DE SEGURANÇA

Podem aparecer os seguintes símbolos no equipamento.

Seu significado é descrito abaixo.

Precaução. Consultar a documentação em anexo.

Símbolo de segurança. Seguir as instruções de utilização,


especialmente as instruções identificadas com Símbolos de
advertência para evitar qualquer risco do Paciente ou do Operador.
(Unicamente em conformidade com a norma ABNT NBR
IEC 60601-1:2010)

14 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Ação geral obrigatória.

Equipamento de Tipo B.

IPX0
Proteção contra penetração nociva de água ou material
particulado.
Classificação IP: Comum.

Radiação ionizante.

Radiação eletromagnética não-ionizante.

Radiação do aparelho Laser.


Não olhar fixamente para o feixe.
(Unicamente aplicável ao equipamento com indicador Laser)

Perigo: Voltagem.

Aviso geral, Precaução, Perigo.

Aviso: Radiação ionizante.

MU-13 Rev. 1 15
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Aviso: Radiação não-ionizante.

Aviso: Raio laser.

Aviso: Perigo: Voltagem.

Aviso: Não colocar os dedos entre as peças móveis e fixas do


aparelho. Pode provocar lesões graves no paciente ou no
operador.
Do mesmo modo, certificar-se de que as extremidades do paciente
estão corretamente colocadas dentro da área limite durante o
funcionamento visto que o movimento das peças pode provocar
lesões graves no paciente.

Dispositivo sensível à eletricidade estática.

Não empurrar.

Não sentar.

Não pisar a superfície.

16 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Parada (de ação).

Parada de emergência.

“ON” (Ligado).

“OFF” (Desligado).

“ON” / “OFF” (pressionar-pressionar).


Cada posição, Ligado ou Desligado, é uma posição estável.

Corrente alternada.

Corrente alternada trifásica.

Corrente alternada trifásica com condutor neutro.

N Ponto de ligação ao condutor neutro do equipamento instalado de


forma permanente.

MU-13 Rev. 1 17
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Corrente contínua.

Corrente alternada e contínua.

Ligado à terra.

Terra.

Este símbolo em conformidade com a Diretiva Europeia indica que


os Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos (REEE) não
devem ser eliminados com os resíduos domésticos e devem ser
tratados separadamente. Contatar um representante autorizado do
fabricante ou uma empresa autorizada de gestão de resíduos para
obter mais informação sobre a retirada do equipamento.

Este símbolo de recolha separada vem indicado na bateria ou em


sua embalagem para indicar que a bateria tem de ser reciclada ou
eliminada em conformidade com as normais locais ou nacionais.
As letras que aparecem por baixo do símbolo indicam se a bateria
inclui determinados elementos (Li=Lítio, PB=Chumbo, CD=Cádmio,
Hg=Mercúrio). Todas as baterias retiradas do equipamento têm de
ser devidamente recicladas ou eliminadas. Contatar um
Li/Pb/Cd/Hg
representante autorizado do fabricante ou uma empresa autorizada
de gestão de resíduos para obter mais informação sobre a retirada
do equipamento.

Controle da poluição (unicamente aplicável na República Popular da


China).
Este símbolo indica que o produto contém materiais perigosos que
excedem o limite estabelecido pelas normas chinesas. Não deve
ser eliminado com os resíduos domésticos e deve ser tratado
separadamente. Contatar um representante autorizado do
fabricante ou uma empresa autorizada de gestão de resíduos para
obter mais informação sobre a retirada do equipamento.

18 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

2.7 INFORMAÇÃO SOBRE AS NORMAS

2.7.1 CERTIFICAÇÕES

Declaração de conformidade com a norma ABNT NBR IEC 60601-1-3:


MAG DYNAMIC C com proteção contra as radiações em conformidade com
a norma ABNT NBR IEC 60601-1-3:2011.

Declaração de conformidade com a norma ABNT NBR IEC 60601-2-54:


MAG DYNAMIC C para Radiografia e/ou Radioscopia em conformidade com
a norma ABNT NBR IEC 60601-2-54:2011.

2.7.2 DECLARAÇÃO AMBIENTAL SOBRE O TEMPO DE VIDA ÚTIL DO EQUIPAMENTO OU


SISTEMA

Este equipamento ou sistema contém componentes e materiais perigosos para


o meio ambiente (como placas de circuitos impressos, componentes
eletrônicos, óleo dielétrico usado, chumbo, baterias, etc.), que são
considerados resíduos perigosos no final do tempo de vida útil do equipamento
ou sistema, conforme estabelecido pelas normas internacionais, nacionais
e locais.

O fabricante recomenda que, ao terminar o tempo de vida útil do equipamento


ou sistema, contate um representante autorizado do fabricante ou uma
empresa autorizada de gestão de resíduos para efetuar a retirada deste
equipamento ou sistema.

2.7.3 MODO DE OPERAÇÃO

Operação contínua, em conformidade com a Norma ABNT NBR


IEC 60601-1:2010.

MU-13 Rev. 1 19
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

2.7.4 PROTEÇÃO CONTRA RISCOS DE DESCARGA ELÉTRICA

Proteção contra riscos de descarga elétrica em conformidade com a norma


ABNT NBR IEC 60601-1: 2010, ABNT NBR IEC 60601-2-54:2011.

Esta Unidade de Raios-X foi classificada como sendo de tipo B ( ), em


conformidade com os requisitos da norma ABNT NBR IEC 60601-1: Classe I
– Tipo B partes aplicadas.

PARA EVITAR O RISCO DE DESCARGA ELÉTRICA, ESTE


PERIGO EQUIPAMENTO SÓ DEVE SER UTILIZADO COM UMA
LIGAÇÃO À TERRA.

EM CONFORMIDADE COM A DIRETIVA MDD/93/42/CEE,


ESTA UNIDADE ESTÁ EQUIPADA COM FILTROS EMC. A
FALTA DE UMA LIGAÇÃO À TERRA ADEQUADA PODE
PROVOCAR UMA DESCARGA ELÉTRICA NO OPERADOR.

2.7.5 PROTEÇÃO CONTRA PENETRAÇÃO NOCIVA DE ÁGUA OU MATERIAL PARTICULADO

proteção contra penetração nociva de água ou material particulado: Normal


(IPx0), em conformidade com a norma ABNT NBR IEC 60601-1:2010.

2.7.6 PROTEÇÃO CONTRA RISCOS DE IGNIÇÃO DE MISTURA ANESTÉSICA INFLAMÁVEL

Grau de Segurança na presença de mistura anestésica inflamável com ar,


oxigênio ou óxido nitroso: Não adequado para ser utilizado em presença de
uma mistura anestésica inflamável com ar, oxigênio ou óxido nitroso, em
conformidade com a norma ABNT NBR IEC 60601-1:2010.

2.7.7 PROTEÇÃO CONTRA RISCOS DE RADIAÇÃO INDESEJADA OU EXCESSIVA

Proteção contra riscos de radiação indesejada ou excessiva em conformidade


com as normas ABNT NBR IEC 60601-1:2010, e ABNT NBR
IEC 60601-1-3:2011.

20 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

2.7.8 DESIGNAÇÃO DE ZONAS DE OCUPAÇÃO

O aparelho de Raios-X específico para um exame Radiológico que necessite


que o operador ou outro pessoal esteja perto do paciente durante o uso normal
(p.ex. alguns exames pediátricos ou outros tipos de exames para pacientes
que precisem de ajuda), terá no mínimo uma “Zona de Ocupação Significativa”
para o Operador e outras pessoas, designada da seguinte forma:
Ilustração 2-1
Exame Radiográfico em Unidade de Tórax ou Painel Frontal

UNIDADE DE TÓRAX

Ponto Focal

UNIDADE MÓVEL RAIOS-X

S
130 cm

S = ZONA DE OCUPAÇÃO SIGNIFICATIVA


ÁREA MÍNIMA 60 x 60 cm
ALTURA MÍNIMA DO CHÃO 200 cm

Ponto Focal
S

Dispositivo de Proteção
Parede
Dosímetro d Suporte Paciente

Receptor Raios-X
d = DISTÂNCIA DO EIXO DO FEIXE DE
UNIDADE DE TÓRAX
RAIOS-X AO DOSÍMETRO

ZONA DE OCUPAÇÃO SIGNIFICATIVA S1 Fantoma S2 ZONA DE OCUPAÇÃO SIGNIFICATIVA


À ESQUERDA DA UNIDADE DE TÓRAX À DIREITA DA UNIDADE DE TÓRAX
SID 100 cm

Ponto Focal

UNIDADE MÓVEL RAIOS-X

MU-13 Rev. 1 21
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Ilustração 2-2
Exame Radiográfico em qualquer Suporte de Paciente ou Mesa Radiográfica

Ponto Focal

UNIDADE MÓVEL RAIOS-X

SID 100 cm
Fantoma

Receptor Raios-X

Suporte Paciente

MESA RADIOGRÁFICA

S = ZONA DE OCUPAÇÃO SIGNIFICATIVA


ÁREA MÍNIMA 60 x 60 cm
ALTURA MÍNIMA DO CHÃO 200 cm

Ponto Focal
S
ZONA DE OCUPAÇÃO SIGNIFICATIVA
NA PARTE DIREITA DA UNIDADE MÓVEL
(CATODO)

Dosímetro d
NA PARTE DA FRENTE DA UNIDADE MÓVEL

d = DISTÂNCIA DO EIXO DO FEIXE S4


ZONA DE OCUPAÇÃO SIGNIFICATIVA

DE RAIOS-X AO DOSÍMETRO

MESA RADIOGRÁFICA

S3

Ponto Focal
UNIDADE MÓVEL RAIOS-X

S5

ZONA DE OCUPAÇÃO SIGNIFICATIVA


NA PARTE ESQUERDA DA UNIDADE MÓVEL
(ÂNODO)

22 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

2.7.9 DISTRIBUIÇÃO DA RADIAÇÃO DISPERSA

As condições de medição para determinar a distribuição da Radiação Dispersa


na Zona de Ocupação Significativa estão em conformidade com a norma
ABNT NBR IEC 60601-1-3:2011.

 Parâmetros de Exposição: Modo RAD, 150 kVp, 5 mAs.

 Abertura do Colimador para Tamanho de Campo 18 x 18 cm,


SID 100 cm.

 Fantoma: Fantoma retangular de água de 25 x 25 x 15 cm, ou de um


material com um coeficiente de atenuação semelhante de Raios-X.

 Instrumento de Medição da Radiação: Dosímetro de baixa radiação.

Nota . Os resultados foram conseguidos com uma configuração


representativa do pior cenário possível entre as diversas
configurações do aparelho.

Ver Ilustração 2-1 para a Posição da Unidade de Raios-X durante o exame de


radiografia da Unidade de Peito ou Painel Frontal, e ver Ilustração 2-2 para a
Posição da Unidade de Raios-X durante o exame de radiografia em qualquer
Suporte de Paciente ou Mesa Radiográfica.

As ilustrações seguintes mostram a distribuição de Radiação Dispersa em


cada posição do exame.

MU-13 Rev. 1 23
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Ilustração 2-3
Distribuição da Radiação Dispersa na Unidade de Peito ou Painel Frontal

200

180

160

140
ALTURA DO CHÃO (cm)

120

100

80

60

40

20

0
0 500 1000 1500 2000 2500 3000 3500 4000 4500 5000
RADIAÇÃO DISPERSA (μGy/h)

S11 d = 50 cm

S12 d = 100 cm

S21 d = 50 cm

S22 d = 100 cm

Dispositivo de Proteção
Parede
Suporte Paciente
Receptor Raios-X
UNIDADE DE TÓRAX

ZONA DE OCUPAÇÃO SIGNIFICATIVA S1 d Fantoma d


S2 ZONA DE OCUPAÇÃO SIGNIFICATIVA
À ESQUERDA DA UNIDADE DE TÓRAX À DIREITA DA UNIDADE DE TÓRAX
SID 100 cm

Ponto Focal

UNIDADE MÓVEL RAIOS-X

24 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Ilustração 2-4
Distribuição da Radiação Dispersa em qualquer Suporte de Paciente ou Mesa Radiográfica

200

180

160

140
ALTURA DO CHÃO (cm)

120

100

80

60

40

20

0
0 1000 2000 3000 4000 5000 6000 7000 8000 9000 10000 11000 12000
RADIAÇÃO DISPERSA (μGy/h)

ZONA DE OCUPAÇÃO SIGNIFICATIVA


NA PARTE DIREITA DA UNIDADE MÓVEL
(CATODO)

S4
NA PARTE DA FRENTE DA UNIDADE MÓVEL

S31 d = 50 cm
ZONA DE OCUPAÇÃO SIGNIFICATIVA

MESA RADIOGRÁFICA
S32 d = 100 cm
d

S41 d = 50 cm S3 d

S42 d = 100 cm

S51 d = 50 cm
d

Ponto Focal
UNIDADE MÓVEL RAIOS-X
S52 d = 100 cm

S5

ZONA DE OCUPAÇÃO SIGNIFICATIVA


NA PARTE ESQUERDA DA UNIDADE MÓVEL
(ÂNODO)

MU-13 Rev. 1 25
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

2.8 COMPATIBILIDADE ELETROMAGNÉTICA (EMC)

Este aparelho gera, utiliza e irradia energia de radiofrequência. Este aparelho


pode provocar interferências de radiofrequência noutros instrumentos médicos
e não médicos bem como nas comunicações por rádio. Como medida de
proteção contra estas interferências, este aparelho respeita os limites
estabelecidos para os Dispositivos Médicos de Grupo 1, Classe A, em
conformidade com a Diretiva ABNT NBR IEC 60601-1-2:2010. No entanto, não
se pode garantir que não se verifiquem interferências em uma instalação em
particular.

Se este aparelho provocar interferências (o que pode ser determinado ligando


e desligando o aparelho), o operador (ou assistência técnica qualificada)
deverá tentar solucionar o problema através de uma das medidas seguintes:

 reorientar ou recolocar o dispositivo afetado,

 aumentar a separação entre o aparelho e o dispositivo afetado,

 alimentar o aparelho a partir de uma fonte diferente da do dispositivo


afetado,

 consultar os engenheiros do Serviço Técnico para receber outras


sugestões.

De modo a cumprir as normas aplicáveis a uma interferência eletromagnética


para os Dispositivos Médicos de Grupo 1, Classe A, todos os cabos de ligação
a dispositivos periféricos devem estar blindados e devidamente ligados à terra.
A utilização de cabos incorretamente blindados ou ligados à terra pode
provocar interferências de radiofrequência do aparelho violando a Diretiva de
Dispositivos Médicos da União Europeia e as normas da Comissão Federal de
Comunicações.

Antes de utilizar este aparelho, assegurar-se de que são


cumpridos todos os requisitos sobre Compatibilidade
Eletromagnética (EMC) incluídos neste manual.

Se for detectada qualquer interferência (EMC) com outro


equipamento, afastar o mesmo deste equipamento.

26 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

É da responsabilidade do cliente / proprietário garantir que


este aparelho, bem como os aparelhos situados nas
proximidades, respeite os limites relativos a interferências
de radiofrequência estabelecidos no Regulamento Geral de
Segurança, de acordo com as tabelas da norma ABNT NBR
IEC 60601-1-2:2010, tal como se indica nesta seção.

O fabricante não se responsabiliza por qualquer tipo de


interferência provocada pela utilização de cabos de ligação
diferentes dos recomendados ou pela realização de
modificações ou substituições não autorizadas neste
aparelho.

GUIA E DECLARAÇÃO DO FABRICANTE – EMISSÕES ELETROMAGNÉTICAS

A Unidade Móvel destina-se a ambientes eletromagnéticos com as características descritas a seguir.


O cliente ou o usuário da Unidade Móvel deverão certificar-se de que esse ambiente é respeitado.

Teste de emissões Conformidade Ambiente eletromagnético – guia

A Unidade Móvel utiliza a energia de RF


unicamente para seu funcionamento interno. Por
Emissões de RF este motivo, suas emissões de RF são muito
Grupo 1
Norma CISPR 11 baixas e não é provável que provoquem qualquer
tipo de interferência em aparelhos eletrônicos
circundantes.

Emissões de RF
Classe A
Norma CISPR 11
Esta Unidade Móvel é adequada para ser utilizada
em todos os locais exceptuando espaços
Emissões harmónicas domésticos e aqueles que estejam diretamente
Classe A
Norma ABNT NBR IEC 61000-3-2 ligados a uma rede de alimentação pública de
baixa tensão que alimente edifícios utilizados para
Flutuações de tensão e flicker fins habitacionais.
Em conformidade
Norma ABNT NBR IEC 61000-3-3

MU-13 Rev. 1 27
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

GUIA E DECLARAÇÃO DO FABRICANTE – IMUNIDADE ELETROMAGNÉTICA

A Unidade Móvel destina-se a ambientes eletromagnéticos com as características descritas a seguir.


O cliente ou o usuário da Unidade Móvel deverão certificar-se de que esse ambiente é respeitado.

Nível de teste da norma Nível de


Teste de imunidade Ambiente eletromagnético – guia
ABNT NBR IEC 60601 conformidade

O pavimento deveria ser de madeira, cimento


Descarga eletrostática (DES) ¦ 6 kV contato ¦ 6 kV
ou cerâmica. Se o pavimento for coberto por
material sintético, a umidade relativa deverá
Norma ABNT NBR IEC 61000-4-2 ¦ 8 kV Ar ¦ 8 kV
ser de pelo menos 30 %.

¦ 2 kV para linhas de
Transitórios rápidos em salvas corrente elétrica ¦ 2 kV
A qualidade da corrente elétrica deverá ser a
típica de um ambiente comercial ou hospitalar.
Norma ABNT NBR IEC 61000-4-4 ¦ 1 kV para linhas de ¦ 1 kV
entrada/saída

Onda de choque ¦ 1 kV em modo diferencial ¦ 1 kV


A qualidade da corrente elétrica deverá ser a
típica de um ambiente comercial ou hospitalar.
Norma ABNT NBR IEC 61000-4-5 ¦ 2 kV em modo comum ¦ 2 kV

< 5 % UT
>95 %
(queda > 95 % em UT)
durante
para 0,5 ciclo
0,5 períodos

40 % UT A qualidade da corrente elétrica deverá ser a


60 %
(queda 60 % em UT) típica de um ambiente comercial ou hospitalar.
Quedas de tensão, breves durante 5 períodos
para 5 ciclos Se o usuário da Unidade Móvel necessitar de
interrupções e variações de tensão em
um funcionamento contínuo durante as
linhas de alimentação.
interrupções da corrente elétrica,
30 %
70 % UT recomenda-se a utilização de uma fonte de
Norma ABNT NBR IEC 61000-4-11 durante
(queda 30 % em UT) alimentação contínua ou de uma bateria para
25 períodos
para 25 ciclos alimentar a Unidade Móvel.

100 %
< 5 % UT
durante
(queda > 95 % em UT)
250 períodos
para 5s

Campo magnético à frequência da Os campos magnéticos à frequência da rede


rede (50/60 Hz) 3 A/m deverão situar-se em níveis característicos de
3 A/m
(50 Hz) uma localização típica em um ambiente
Norma ABNT NBR IEC 61000-4-8 comercial ou hospitalar.

NOTA – UT é a tensão de alimentação de corrente alternada antes de aplicar o nível do teste.

28 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

GUIA E DECLARAÇÃO DO FABRICANTE – IMUNIDADE ELETROMAGNÉTICA

A Unidade Móvel destina-se a ambientes eletromagnéticos com as características descritas a seguir.


O cliente ou o usuário da Unidade Móvel deverão certificar-se de que esse ambiente é respeitado.

Nível de teste da
Nível de
Teste de imunidade norma ABNT NBR Ambiente eletromagnético – guia
conformidade
IEC 60601

Os aparelhos móveis e portáteis de


comunicações de RF não deverão ser
utilizados a uma distância desta Unidade
Móvel, incluindo os cabos, menor do que a
distância de separação recomendada
calculada a partir da equação aplicável à
frequência do transmissor.

Distância de separação recomendada

RF conduzida 3 Vrms 3 Vrms


Norma ABNT NBR IEC 61000-4-6 150 kHz a 80 MHz 150 kHz a 80 MHz d = 1, 2 P

RF radiada 3 V/m 3 V/m d = 1, 2 P , 80 MHz a 800 MHz


Norma ABNT NBR IEC 61000-4-3 80 MHz a 2,5 GHz 80 MHz a 2,5 GHz
d = 2, 3 P , 800 MHz a 2,5 GHz

em que ’P’ é a máxima potência de saída do


transmissor atribuída em watts (W) conforme
o fabricante do transmissor, e ’d’ é a distância
de separação recomendada em metros (m).

As intensidades do campo provenientes de


transmissores fixos de RF, determinadas por
um estudo eletromagnético do local a),
deverão ser inferiores ao nível de
conformidade em cada intervalo de frequência
b).

Podem ocorrer interferências nas


proximidades de aparelhos marcados com o
seguinte símbolo:

NOTA 1 – A 80MHz e 800MHz, aplica-se o intervalo de frequência mais alto.

NOTA 2 – Estas diretrizes podem não ser aplicáveis em todas as situações. A propagação eletromagnética é afetada pela absorção
e reflexão proveniente de estruturas, objetos e pessoas.

a) As intensidades de campo dos transmissores fixos, tal como estações de base para telefones de rádio (celulares/sem fio) e rádios
móveis terrestres, rádio amador, emissões de radiodifusão AM e FM e de televisão não podem ser previstas teoricamente com precisão.
Para avaliar o ambiente eletromagnético provocado por transmissores fixos de RF deverá ser realizado um estudo do local
eletromagnético. Se o valor da intensidade de campo do local onde a Unidade Móvel está a ser utilizada exceder o nível de conformidade
de RF aplicável indicado anteriormente, deve-se verificar o funcionamento adequado desta Unidade Móvel. Se se observar um
funcionamento fora do normal, podem ser necessárias medidas adicionais, tal como redirecionar a Unidade Móvel ou mudar a posição
do mesmo.
b) No intervalo de frequência de 150kHz a 80MHz, a intensidade de campo deve ser inferior a 3 V/m.

MU-13 Rev. 1 29
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

DISTÂNCIAS DE SEPARAÇÃO RECOMENDADAS ENTRE OS APARELHOS DE COMUNICAÇÕES DE RF PORTÁTEIS


E MÓVEIS E A UNIDADE MÓVEL

Esta Unidade Móvel destina-se a ambientes eletromagnéticos em que as perturbações radiadas de RF sejam controladas.
O cliente ou o usuário desta Unidade Móvel pode ajudar a evitar a interferência eletromagnética mantendo a distância mínima entre
o aparelho de comunicações de RF portátil e móvel (transmissores) e esta Unidade Móvel tal como se recomenda abaixo, de acordo
com a potência máxima de saída do aparelho de comunicações.

Distância de separação de acordo com a frequência do transmissor


Potência máxima de saída nominal m
do transmissor
150 KHz a 80 MHz 80 MHz a 800 MHz 800 MHz a 2,5 GHz
W
d = 1, 2 P d = 1, 2 P d = 2, 3 P

0,01 0,12 0,12 0,23

0,1 0,38 0,38 0,73

1 1,2 1,2 2,3

10 3,8 3,8 7,3

100 12 12 23

DISPOSITIVOS DE RADIOFREQUÊNCIA TÍPICOS (pior caso possível)

Dispositivo: Potência @ Frequência Distância recomendada (m)

Dispositivo GMRS (Walkie-Talkie profissional): 5 W @ 462-467 MHz 2,7

Celular GSM / UMTS: 2 W @ 850/1700/1900 MHz 3,3

Dispositivo FRS (Walkie-Talkie amador): 500 mW @ 462-467 MHz 0,9

Dispositivos WIFI / Bluetooth: 100 mW @ 2400-2500 MHz 0,8

Dispositivos DECT (telefones modernos sem fios): 100mW @ 1880-1900 MHz 0,8

Leitor RFID (3): 10 mW @ 125-150 KHz / 13,56 MHz 0,12

Leitor RFID (3): 10 mW @ 902-928 MHz / 2400-2500 MHz 0,23

Emissão de TV transmissor ATSC: 100 kW @ 54-800 MHz 380

Emissão de TV transmissor ATSC: 100 kW @ 800-890 MHz 730

Emissão de radio transmissor FM: 100 kW @ 87,5-108 MHz 380

Para os transmissores com uma potência máxima de saída nominal não indicados acima, a distância de separação recomendada ’d’ em
metros (m) pode ser determinada utilizando a equação aplicável à frequência do transmissor, em que P é a máxima potência de saída
nominal em watts (W) segundo o fabricante do transmissor.

NOTA 1 – A 80MHz e 800MHz, aplica-se a distância de separação para o intervalo de frequência mais alto.

NOTA 2 – Estas diretrizes podem não ser aplicáveis em todas as situações. A propagação eletromagnética é afetada pela absorção
e reflexão proveniente de estruturas, objetos e pessoas.

NOTA 3 – os chips RFID recebem normalmente sua energia do campo eletromagnético e, como tal, apenas o leitor pode ser considerado
como transmissor RF.

30 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

2.9 INFORMAÇÃO QUANTITATIVA

Nota . As seguintes tabelas mostram a Informação Quantitativa


associada a este equipamento de acordo com a Norma ABNT
NBR IEC 60601-1-3:2011. Estas tabelas mostram os fatores de
carga do desempenho de imagem e fornecem exemplos
indicativos de dosagem. Assim, estas tabelas são um exemplo do
ajuste dos Fatores de Carga, da Seleção do Foco, da SID e da
abertura do Colimador, que afetam a qualidade da radiação ou a
taxa de dosagem de radiação aplicada em um uso normal.

2.9.1 TESTES FUNCIONAIS LEVADOS A CABO PARA OBTER A INFORMAÇÃO QUANTITATIVA

Equipamento:

 Unidade Móvel de Raios-X com Colimador Ralco R221.

Instrumentos utilizados:

 Dosímetro 1 (para Dose de Saída do Colimador): VacuDAP Compact.

 Dosímetro 2 (para Dose de Entrada Fantoma): Unfors Xi R/F.

 Termohigrômetro Testo 608-H2.

 Fantoma retangular de água composto por camadas de


Polimetilmetacrilato (PMMA) com 25 cm x 25 cm x 15 cm.

Detalhes do teste:

 Condições Ambientes do Teste:


- Temperatura: 21 oC ±2 oC
- Umidade Relativa: 38 % – 39 %

 Distância SID da Mesa:100 cm e 120 cm.

 Tamanho do Colimador aberto:


24 cm x 30 cm (mín.), 35 cm x 43 cm (máx.)

 As medições foram efetuadas com os parâmetros de exposição (kVp e


mAs) mostrados na tabela de resultados, utilizando os exames mais
comuns efetuados com esta Unidade.

 Medições efetuadas:
- Doses de Saída do Colimador
- Doses de Entrada do Paciente (Fantoma)

MU-13 Rev. 1 31
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Informação Quantitativa

Fil-
Fatores de Carga Seleção do Parâmetro tração
Doses Medidas

Taxa da Dose de Entrada

Taxa da Dose de Entrada


Abertura do diafragma
Distância Foco-Imagem

(valor mín. admissível)

Dose de Saída
do Colimador

de HVL (mm Al)


Ponto Focal

(μGy/mAs)
Seleção do

Colimador
Valor medido
Tempo (s)

Fantoma

Fantoma
(μGy*m2)

(μGy/s)
Exame
mAs

(cm)

(cm)

Grade
kVp

SID
mA

do paciente
(orientativo)

3,9
PEITO AP 95 160 0,02 3,2 Grande 120 35 x 43 NÃO 27,3 11210 70,06
(>3,4)

3,4
PESCOÇO 85 100 0,02 2 Grande 100 24 x 30 NÃO 12,7 8246 82,46
(>3)

3,1
ABDÔMEN AP 80 400 0,025 10 Grande 100 35 x 43 NÃO 59,3 29950 74,88
(>2,9)

3,0
QUADRIL AP 75 400 0,04 16 Grande 100 35 x 43 NÃO 82,5 26270 65,68
(>2,7)

2,6
JOELHO AP 65 200 0,025 5 Grande 100 24 x 30 NÃO 9,6 8953 44,77
(>2,3)

TORNOZELO 2,4
60 100 0,04 4 Grande 100 24 x 30 NÃO 4 3973 39,73
AP (>2,1)

2,4
PÉ AP 60 100 0,032 3,2 Grande 100 24 x 30 NÃO 4,5 3204 32,04
(>2,1)

3,0
OMBRO AP 75 250 0,04 10 Grande 100 24 x 30 NÃO 28 16200 64,80
(>2,7)

COTOVELO 2,4
60 100 0,04 4 Grande 100 24 x 30 NÃO 6,7 3992 39,92
AP (>2,1)

2,4
PUNHO PA 60 100 0,032 3,2 Grande 100 24 x 30 NÃO 5,4 3982 39,82
(>2,1)

2,4
MÃO PA 60 100 0,032 3,2 Grande 100 24 x 30 NÃO 5,4 4042 40,42
(>2,1)

Nota . A incerteza padrão combinada é de 35 %


(IEC 60580 : 2000 / ABNT NBR IEC 60601-2-54 : 2011)

32 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

2.10 EFEITOS DETERMINÍSTICOS

Podem dar-se Efeitos Determinísticos quando a dose de radiação para um


determinado órgão ou tecido ultrapassar o limite específico. Alguns
determinados órgãos ou tecidos preocupantes a nível de diagnóstico
radiológico são a pele e as lentes oculares. O valor numérico da dose limite
varia entre 1 Gy e 3 Gy.

Tal como se indica nas Tabelas de Informação Quantitativa, os efeitos da dose


de radiação medidos neste aparelho situam-se por debaixo do limite em que
se pode considerar um grau de severidade de determinados efeitos em pele
humana ou nas lentes oculares.

O limite referido foi estabelecido pela Comissão Internacional de Proteção


Radiológica (CIPR Publicação N.º 60).

As Tabelas de Informação Quantitativa (Ver Seção 2.9) mostram exemplos de


fatores de carga disponíveis para o desempenho da imagem e indicação da
dose de abastecimento, importantes para a qualidade da radiação ou para a
taxa de dosagem de radiação aplicada em um uso normal.

Tal como se indica nas Tabelas de Informação Quantitativa, o número de


exposições necessárias para atingir os valores máximos de radiação
anteriormente descritos depende das técnicas selecionadas para cada estudo
radiográfico.

MU-13 Rev. 1 33
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Página intencionalmente deixada em branco.

34 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

SEÇÃO 3 CONTROLES GERAIS E DE MOVIMENTO

A operação é efetuada a partir de diferentes controles:

 Painel Frontal com controles para Ligar / Desligar a Unidade, Indicador


de Ligação à Linha e controle da Lâmpada do Colimador.

 Console de Controle do Gerador.

 Disparador Manual.

 Disparador Manual remoto por infravermelhos (opcional).

 Disjuntor.

 Ligação para um Bucky (opcional).

 Controles para Movimento da Unidade.

 Painel do Colimador Manual com os controles para abrir ou fechar o


diafragma do Colimador e ligar a Lâmpada do Colimador.

Freio Longitudinal do Braço

Freio do Movimento Giratório do


Conjunto do Tubo--Colimador Coluna

Tubo de Raios-X

Painel Frontal
Colimador
Console de Controle

Freio Vertical do Braço Puxador Frontal

Ligação Externa para Bucky (opcional).


Cesto para Chassis

Pedal de Freio de Rotação da Coluna

Rodas Direcionais
Pedal de Freio de Rodas
Rodas Posteriores

MU-13 Rev. 1 35
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

3.1 LIGAÇÃO À LINHA E DISJUNTOR

A Unidade deve ser ligada a uma tomada de parede que respeite as normas
locais e os requisitos elétricos do aparelho (ver Seção 7 – Especificações
Técnicas). O fio de alimentação elétrica só pode ser substituído pelo pessoal
de assistência técnica. A ficha é o dispositivo que é utilizado como meio de
desligar a Unidade da rede elétrica. Posicionar o equipamento de forma a
poder retirar a ficha facilmente.

Por motivos de segurança e para um funcionamento


adequado, certificar-se de que a Unidade está ligada a uma
tomada standard ligada à terra.

Nota . Um Disjuntor interno está situado sob a Tampa perto do Console.


É definido de fábrica na posição de Ligado (ON), portanto, quando
a unidade está ligada à linha, o ”LED de Ligação à Rede” está
Ligado (ON). Se não estiver, contatar a Assistência Técnica.

SEMPRE NA POSIÇÃO DE LIGADO ”ON”

O FUNCIONAMENTO REQUER SEMPRE UMA LIGAÇÃO


AVISO CONTÍNUA À LINHA E QUE O DISJUNTOR ESTEJA NA
POSIÇÃO DE LIGADO ”ON”.

3.2 CONSOLE DE CONTROLE DO GERADOR

O Console de Controle do Gerador inclui os controles, indicadores e visores


necessários para efetuar os exames radiográficos. Também está equipado
com um Programador Anatômico. (Ver descrição na Seção 4).

36 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

3.3 PAINEL FRONTAL

INTERRUPTOR DE EMERGÊNCIA

LED DE LIGAÇÃO À REDE

BOTÃO PARA ACENDER A LÂMPADA DO COLIMADOR CHAVE PARA LIGAR/DESLIGAR

DISJUNTOR GERAL / INTERRUPTOR DE EMERGÊNCIA: Em caso de


emergência, o equipamento apaga-se pressionando com força este dispositivo
(Interruptor vermelho em forma de cogumelo).

CHAVE PARA LIGAR / DESLIGAR: Esta chave é utilizada para ligar o


Gerador para a operação radiográfica.

A chave na posição “OFF” (desligado) desliga todas as funções do


equipamento, incluindo os Circuitos de Carga.

A forma correta de desligar a Unidade é pressionar primeiro


o botão “OFF” (Desligar) no Console e depois girar a chave
para a posição “OFF” (desligado), evitando assim danos
desnecessários no sistema.

LED DE LIGAÇÃO À REDE: Sempre que está aceso, indica que a Unidade
está ligada à rede elétrica.

LÂMPADA DO COLIMADOR: Este botão serve para ligar a Lâmpada do


Colimador a partir do Painel de Controle. A Lâmpada permanece acesa
durante vários segundos antes de desligar automaticamente.

MU-13 Rev. 1 37
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

3.4 DISPARADOR MANUAL RADIOGRÁFICO

Desligado / Prep / Exp As exposições radiográficas são feitas pressionando “Prep” (preparação) e
“Exp” (exposição de raios-X) a partir do Disparador Manual. O estado da
exposição é visualizado com os indicadores “Habilitado” e ”Raios-X Ligados”
no decorrer do exame.

PREP: Pressionar o botão do Disparador Manual (posição “Prep”) para


Lâmpada preparar o Tubo de Raios-X selecionado para a exposição. O indicador
do Colimador “Habilitado” no Console acende quando o Tubo de Raios-X estiver preparado
e não se verificar nenhum bloqueio ou erro do sistema.

Ao pressionar este botão, são ativadas as seguintes funções:

 Rotação do ânodo.

 A corrente de filamento passa do estado de repouso para os níveis


selecionados de mA.

EXP: Quando o indicador “Ready” (Habilitado) estiver aceso, pressionar o


botão do Disparador Manual até o fim para iniciar a exposição. Se soltar o botão
antes de o Gerador completar o tempo selecionado, a exposição será
interrompida e aparecem no Visor os valores reais de mAs e de Tempo de
Exposição.

O indicador de “Raios-X Ligados” permanece aceso e ouve-se um aviso sonoro


durante o tempo da exposição.

LÂMPADA DO COLIMADOR: O Disparador Manual inclui um botão para ligar


a Lâmpada do Colimador.

38 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

3.5 CONTROLES DE MOVIMENTO

OS DESLOCAMENTOS DA UNIDADE DEVEM SER


AVISO EFETUADOS NA POSIÇÃO DE ESTACIONAMENTO. POR
RAZÕES DE SEGURANÇA, AS SUPERFÍCIES
OPERACIONAIS E DE DESLOCAMENTO NÃO DEVEM TER
UMA INCLINAÇÃO SUPERIOR A 5O (RAMPAS).

TER ESPECIAL ATENÇÃO AO EFETUAR QUALQUER


AVISO MOVIMENTO DO SISTEMA. EVITAR POSSÍVEIS IMPACTOS
CONTRA PAREDES, MÓVEIS OU OUTROS ELEMENTOS
PRESENTES NA SALA DE FORMA A EVITAR DANOS NO
EQUIPAMENTO.

NÃO DESLOCAR A UNIDADE MÓVEL SOBRE UM CHÃO


AVISO MOLHADO E / OU IMPREGNADO COM PRODUTOS DE
LIMPEZA (ESPECIALMENTE LIXÍVIA, AMONÍACO, ETC.), A
UNIDADE PODERIA DESLIZAR E PERDER O CONTROLE
MOMENTANEAMENTE. PARA ALÉM DISSO, AS RODAS
PODERIAM DESCOLORIR PROVOCANDO DANOS NO
CHÃO.

CONTROLAR ESPECIALMENTE A POSIÇÃO DO PACIENTE


AVISO OU DE OUTRAS PESSOAS PARA EVITAR DANOS
PROVOCADOS PELOS MOVIMENTOS DA UNIDADE.

VIAS INTRAVENOSAS, CATETERES E OUTRAS LINHAS


LIGADAS AOS PACIENTES DEVEM FICAR AFASTADAS DOS
ELEMENTOS MÓVEIS DA UNIDADE.

MU-13 Rev. 1 39
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

3.5.1 CONTROLES PARA POSICIONAMENTO DO CONJUNTO DO TUBO--COLIMADOR

Os seguintes controles são usados para posicionar o Conjunto do


Tubo--Colimador em relação à posição do paciente.

PEDAL DE FREIO DE ROTAÇÃO DA COLUNA

Para permitir o movimento giratório da Coluna, pisar o Pedal da Coluna para


soltar o freio de rotação da Coluna e empurrar o Braço até a posição pretendida.
Empurrar o Pedal da Coluna para bloquear o movimento giratório da Coluna.

A Coluna pode girar um ângulo mínimo de ¦180o na posição de


estacionamento, este movimento pode ser limitado pelo comprimento dos
Cabos de Alta Tensão.

Pedal de Freio de Rotação da Coluna

FREIO VERTICAL DO BRAÇO

A posição vertical do Braço é definida usando os controles situados no Carro


do Braço da Coluna. Rodar o Controle no sentido anti--horário para soltar o
freio da Coluna e posicionar o Braço e o Conjunto do Tubo--Colimador na altura
pretendida. Girar o Controle no sentido horário para bloquear o conjunto na
posição.

O Braço permite uma deslocação vertical de 1100 mm.

Controle para o Freio Vertical do Braço

40 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

FREIO LONGITUDINAL DO BRAÇO

O movimento telescópico do Conjunto do Tubo-Colimador é definido usando


o Controle situado na parte superior do Braço. Rodar o Controle no sentido
anti--horário para soltar o Freio Longitudinal do Braço e posicionar o Conjunto
do Tubo--Colimador na distância pretendida. Girar o Controle no sentido
horário para bloquear o conjunto na posição.

O Braço permite uma deslocação telescópica de 205 mm.

Controle para o Freio Longitudinal do Braço

FREIO DO MOVIMENTO GIRATÓRIO DO CONJUNTO DO


TUBO--COLIMADOR

O Conjunto do Tubo-Colimador pode girar a partir da posição vertical:

 um ângulo mínimo de +90_ / --15_ em relação ao eixo horizontal (A) pode


ser limitado pelo comprimento dos Cabos de Alta Tensão. Este
movimento é liberado / bloqueado usando o controle superior do Suporte
do Tubo.

 um ângulo mínimo de ¦180_ em relação ao eixo transversal (B) pode


ser limitado pelo comprimento dos Cabos de Alta Tensão. Este
movimento é liberado / bloqueado usando a Alavanca de Freio do
Suporte do Tubo.

Alavanca de Freio
Controle

180o 180o
(b)
(a)

90o
15o

MU-13 Rev. 1 41
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

O Colimador permite uma rotação de ¦90_ em relação ao eixo vertical,


mantendo o Tubo na mesma posição. Este movimento é feito girando
manualmente o Colimador e dispõe de reténs a cada 90_.

 90o

Nota . Devido a restrições geométricas relacionadas com o ângulo do


ânodo do Tubo de Raios--X, é necessária uma SID mínima para
abranger o tamanho total da imagem do Detector, dependendo da
posição do Colimador:

SID necessária
Ângulo do com Colimador girado a:
Tamanho do
Ânodo do Tubo
Receptor
de Raios--X
0° ou ¦90° ¦45°

24 x 30
SID  65 cm SID  85 cm
30 x 24

12° 35 x 43
43 x 35
SID  90 cm SID  125 cm

43 x 43

42 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

3.5.2 POSIÇÃO DE ESTACIONAMENTO

A Posição de Estacionamento da unidade oferece facilidade e segurança na


deslocação e transporte da unidade. Inserir o Braço e girar a Coluna até que
a unidade móvel seja posicionada como abaixo exibido, e bloquear os freios
do Conjunto do Tubo--Colimador, do Braço e da Coluna com a correspondente
Alavanca e Controles de Freio.

Posição de Estacionamento

EXCETO PARA EFETUAR EXAMES RADIOGRÁFICOS, O


AVISO BRAÇO DA UNIDADE MÓVEL DEVE MANTER--SE SEMPRE
NA POSIÇÃO DE ESTACIONAMENTO. ASSIM SE EVITAM
LESÕES PESSOAIS OU DANOS NA UNIDADE DURANTE AS
DESLOCAÇÕES.

MU-13 Rev. 1 43
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

3.5.3 CONTROLES DE DESLOCAÇÃO

O único controle de deslocação da Unidade é o Puxador Dianteiro.

Os freios são liberados puxando o Pedal de Freio. As rodas direcionais frontais


e as rodas principais posteriores permitem uma condução confortável, bem
como o fácil posicionamento da Unidade.

Puxador Frontal

Pedal de Freio de Rodas

Bloquear

44 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

3.6 CONTROLES DO COLIMADOR

R221 – Standard

5
3
4

Os controles do colimador são compostos por:

1. Botão da Luz do Colimador. Depois de pressionar o botão da Luz do


Colimador, esta mantém-se acesa durante vários segundos, antes de se
desligar automaticamente.

2. Dois controles para ajustar os diafragmas internos. Os dois


controles de abertura e fecho dos Diafragmas do Colimador permitem
ajustar a zona de exposição. A tabela no painel do Colimador indica a
abertura dos diafragmas a selecionar.

3. Sistema de carris com duas guias para poder instalar os filtros


externos adicionais utilizados nos exames pediátricos (0,1 mm Cu ou
3,5 mm Al) na guia superior e o Medidor de Radiação na guia inferior.

4. Distanciador SID (Distância Foco-Imagem).

5. Fita métrica para medir a SID.

(Para obter mais informações consultar o Manual do Colimador).

MU-13 Rev. 1 45
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Página intencionalmente deixada em branco.

46 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

SEÇÃO 4 CONSOLE DE CONTROLE

Todos os controles, indicadores e visores do Console de Controle


encontram-se posicionados de acordo com suas funções.

O módulo Radiográfico é composto por: ON / OFF (Ligado / Desligado),


Seleção Com / Sem Bucky, Indicadores dos Pontos Focais, Visores
Radiográficos, Controles para Aumentar ou Diminuir os Parâmetros
Radiográficos, Indicadores de Autodiagnóstico e de Estado da Exposição de
Raios-X.

Nota . Utilizar os controles de operação conforme descrito neste


manual. Qualquer outra combinação não indicada pode provocar
um funcionamento incorreto do aparelho.

2 1
8

9 9

12
3

7
10

11

1. Ligar 7. Reinicialização
2. Desligar 8. Seleção do Tamanho do Paciente (APR)
3. Seleção do Bucky 9. Seletores do Visor APR
4. Indicadores dos Pontos Focais 10. Indicador de Autodiagnóstico
5. Valores Radiográficos 11. Indicadores da Exposição
6. Módulo do AEC (Não disponível)

MU-13 Rev. 1 47
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

4.1 ON / OFF (LIGADO / DESLIGADO)

LIGADO: O Console e o Gerador ligam-se pressionando este botão. Isto inicia


uma rotina de inicialização, exibindo a versão de software no Console. Depois
da rotina de inicialização, o último posto de trabalho utilizado (Com ou Sem
Bucky) será automaticamente selecionado.

DESLIGADO: O Console / Gerador desliga-se pressionando este botão.

A forma correta de desligar a Unidade é pressionar primeiro


o botão “OFF” (Desligar) no Console e depois girar a chave
para a posição “OFF” (desligado), evitando assim danos
desnecessários no sistema.

4.2 INDICADORES DA EXPOSIÇÃO

READY (habilitado): Indica que a técnica selecionada está correta, que não
existe nenhuma falha de bloqueio ou do sistema, que o ânodo está em rotação
e que o Tubo de Raios-X está habilitado para iniciar uma exposição.

X-RAY ON (Raios-X ligado): Indica que a exposição de Raios-X está em


curso. Será emitido um sinal sonoro durante a exposição.

4.3 SELEÇÃO DOS POSTOS DE TRABALHO

SELETOR DE BUCKY: Seleciona Bucky (botão aceso) ou Sem Bucky (não


aceso).

48 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

4.4 INDICADORES DOS PONTOS FOCAIS

PONTO FOCAL MENOR: Indica que foi selecionado o “Ponto Focal Menor”
do Tubo de Raios-X.

PONTO FOCAL MAIOR: Indica que foi selecionado o “Ponto Focal Maior” do
Tubo de Raios-X.

Nota . O Ponto Focal é selecionado automaticamente de acordo com o


ponto de mA. O ponto de mA definido para a troca de Foco é
configurado pelo engenheiro durante a instalação.

O Ponto Focal também pode ser selecionado (mantendo um valor de kVp


e mAs constantes) pressionando:

 Botões de “Ligado” (ON) + “Aumentar mA ou mAs” para selecionar


o Ponto Focal Maior.

 Botões de “Ligado” (ON) + “Diminuir mA ou mAs” para selecionar


o Ponto Focal Menor.

Valores de mAs constantes definem o valor de mA máximo disponível e


o tempo mínimo de exposição.

Nota . A troca de Ponto Focal poderá ser efetuada sempre que as atuais
condições do Tubo de Raios-X o permitirem.

MU-13 Rev. 1 49
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

4.5 PARÂMETROS RADIOGRÁFICOS

Nota . Ver Seção 6.3 para os Modos de Operação Radiográfica

O VISOR kVp pode indicar:

kVp
 O valor radiográfico de kVp selecionado para a técnica.

 O valor atual das unidades de calor do Tubo de Raios-X depois de


pressionar o botão de “Ligado” (Ver Seção 4.7).

 As mensagens de erro durante uma falha do sistema, precedidas pela


letra “E” (por ex. E02) (ver Seção 4.10).

O VISOR mAs pode indicar:

mAs
 O valor radiográfico de mAs selecionado para a técnica.

 Se uma exposição for interrompida ao soltar o botão “Exp” durante a


exposição, o visor mostra o valor real de mAs até clicar no botão
“Reinicialização” para restabelecer a situação do erro.

VISOR mA: Exibe o valor radiográfico de mA selecionado para a técnica.

mA

O VISOR Tempo pode indicar:

s
 O valor do Tempo (em segundos) selecionado para a técnica.

 Se uma exposição for interrompida ao soltar o botão “Exp” durante a


exposição, o visor mostra o Tempo real até clicar no botão
“Reinicialização” para restabelecer a situação do erro.

Os Visores Radiográficos também podem indicar:

 Os parâmetros radiográficos de Tempo real, mAs calculados, e kVp e


mA selecionados da última exposição, depois de se pressionar o botão
“Reinicialização” (valores intermitentes).

 Os contadores de exposição (ver Seção 4.8).

50 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

AUMENTAR / DIMINUIR: Os valores da técnica radiográfica podem ser


aumentados ou diminuídos selecionando os respectivos botões. Os valores
vão aumentando ou diminuindo de cada vez que se carrega no botão
correspondente, mudando mais rapidamente se os botões forem pressionados
continuamente.

 kVp: Seleciona a tensão do Tubo de Raios-X.

 mAs: Seleciona os mAs da exposição.

 mA: Seleciona a corrente do Tubo de Raios-X.

 s: Seleciona o Tempo de exposição em segundos.

(Ver Seção 7 para os intervalos dos Fatores)

Nota . Se, ao pressionar algum dos botões anteriores, o valor da técnica


ficar bloqueado e for emitido um aviso sonoro isso pode significar:

Bloqueio dos Parâmetros Radiográficos. Sempre que é


alcançado um dos limites máximos ou mínimos de qualquer
parâmetro radiográfico, o valor do visor correspondente fica
intermitente.

Limite de Potência do Gerador. Se, ao aumentar o valor de mA


até o máximo valor possível, for alcançado o limite de potência (kV
x mA), o valor de mA fica bloqueado. Os valores intermitentes nos
Visores de kV e mA avisam o operador desta situação.

Se for necessário, o valor de kVp pode ser aumentado até seu


valor máximo, enquanto que o valor de mA pode diminuir
automaticamente, sempre que o valor de mAs se mantenha igual.

Carga Espacial. Se, devido a uma variação de kV ou de mA, for


excedido o limite de carga espacial no Tubo selecionado, o
parâmetro fica bloqueado e os valores do Visor de kV ficam
intermitentes, avisando o operador desta situação.

Potência Instantânea. Se uma técnica alcançar o limite de


potência instantânea do Tubo de Raios-X (limite das
especificações e potência máxima do Tubo ou o Tubo ficar
momentaneamente sobreaquecido), algumas técnicas não
poderão ser selecionadas. Os valores intermitentes nos Visores
de kV e mAs avisam o operador desta situação.

MU-13 Rev. 1 51
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

4.6 PROGRAMADOR ANATÔMICO (APR)

O módulo Programador Anatômico (APR) inclui os controles de seleção de


Tamanho do Paciente e de Seletores do Visor. O processo é visualizado no
Visor APR.

As técnicas de APR são pré-programadas de fábrica, de acordo com diferentes


técnicas convencionais que combinam seis Regiões do Corpo com suas Vistas
Anatômicas (Órgão + Projeção). Além dos parâmetros radiográficos, as
técnicas de APR podem ainda ter definida a seleção do Posto de Trabalho.
Estas serão sempre comuns para todos os tamanhos de pacientes de cada
Vista Anatômica. Estas técnicas podem ser modificadas e salvadas
novamente pelo operador “APR working File” (Arquivo de Trabalho APR).

As técnicas de APR são propostas apenas como guias de referência, servem


apenas de pontos de partida que podem ser substituídos por protocolos
específicos criados pelo operador. A precisão dos fatores de exposição
depende, entre outras coisas, dos fatores da grade do Bucky, da absorção do
tampo, das combinações de velocidade de película / tela e do processamento
da película.

O modo APR é ativado ao selecionar (botão aceso) um dos três Tamanhos de


Paciente (pequeno, médio ou grande) e é desativado quando a seleção de
qualquer um deles é anulada.

Nota . O idioma do APR pode ser modificado pressionando o botão


“Ligar” logo a seguir a se ter selecionado um dos tamanhos de
paciente (ativação do APR). O idioma selecionado permanece na
memória inclusive depois de ter desligado o aparelho. Diferentes
idiomas disponíveis de acordo com as especificações do pedido.

52 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

VISOR APR: Mostra as diferentes Regiões do Corpo e Vistas Anatômicas


disponíveis em cada técnica de APR, bem como a seleção final.

Dado que cada área do Visor APR está limitada em comprimento a oito
caracteres, o nome de algumas Regiões, Vistas ou Projeções aparece
abreviado.

TAMANHO DO PACIENTE: Estes botões são utilizados para adaptar a técnica


selecionada do APR de acordo com o tamanho do paciente. Estão disponíveis
seis tamanhos. Os três botões direitos selecionam os tamanhos Pequeno,
Médio e Grande para adultos (apenas se acende uma seleção de cada vez).
O botão da esquerda Pediátrico altera a função dos três botões da direita do
tamanho para adultos para o tamanho para crianças. (Neste caso, podem ficar
acesos ao mesmo tempo o botão de “Pediátrico” e um dos outros três.)

SELETORES DAS VISTAS ANATÔMICAS: Cada botão está relacionado com


a área mais próxima do Visor de APR e é utilizado para selecionar uma das
Regiões do Corpo, Órgãos e Projeções. A Região e Vistas selecionadas
aparecem no bloco negativo ( CRÂNIO ).

O Visor APR mostra as Regiões do Corpo, Órgãos e Projeções. Quando tiver


sido selecionada uma Região do Corpo, sua indicação é bloqueada na tela e
o Visor APR mostra diretamente todos os Órgãos respectivos. Em alguns
casos, um Órgão pode exibir várias Projeções.

Quando a seleção do APR tiver terminado, o Console mostra a seleção final


(Visor APR), os parâmetros respectivos (Visor Radiográfico) e o Posto de
Trabalho associado à técnica.

Para voltar ao nível anterior, pressionar o botão de APR inferior direito que
exibe o símbolo “regressar”.

MU-13 Rev. 1 53
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

MODIFICAÇÃO DAS TÉCNICAS DO APR

As técnicas do APR são pré-programadas de fábrica, de acordo com as


técnicas convencionais. Todos os parâmetros das técnicas do APR podem ser
substituídos manualmente, conforme necessário, pelo operador e podem ser
armazenados em uma memória não-volátil para utilização posterior.

Se o operador considerar que alguns fatores de uma técnica do APR devem


ser reprogramados, seguir este procedimento:

1. Selecionar uma técnica do APR e modificar os fatores e seleções de


Postos de trabalho que necessitem ser reprogramados.

2. Certificar-se de que todos os fatores da técnica estão nos valores


requeridos.

3. Armazenar a nova técnica pressionando primeiro o Tamanho de


Paciente selecionado e, sem soltar, pressionar a Projeção selecionada.
(Ver Ilustração 4-1).

A nova técnica está agora salvada na memória e pode ser selecionada


em futuros exames.

Nota . Este procedimento apenas altera os valores da técnica do


tamanho de paciente selecionado; repetir o procedimento para
outros tamanhos de paciente.

Ilustração 4-1
Botões de armazenamento do APR

1 AP/PA ESPECIAL 5
CRÂNIO
2 LATERAL 6
CRÂNIO
3 SEMIAX. 7
LATERAL
4 AXIAL 8

Exemplo: pressionar os botões: 1o Tamanho de Paciente Médio e Projeção Lateral, para armazenar a técnica
do APR selecionada.

54 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Tabela 4-1
Projeções APR (Português)

ÁREA DO CORPO / ÓRGÃO / PROJEÇÃO

AP/PA

LATERAL
AP
CRÂNIO SEMIAXIAL TÓRAX ODONTÓIDE AP
LATERAL
AXIAL

ESPECIAL

AP
AP/PA
COSTELAS SU- COLUNA
ÓRBITA - LATERAL
PERIOR CERVICAL
OBLÍQUA
OBLÍQUA

AP
AP/PA
ROCHEDO DO COSTELAS COLUNA
- LATERAL
TEMPORAL INFERIOR TORÁCICA
CRÂNIO TÓRAX OBLÍQUA COLUNA
OBLÍQUA

AP
LATERAL
COLUNA
MASTÓIDE - ESTERNO LATERAL
LOMBAR
OBLÍQUA
OBLÍQUA

AP/PA
AP
SEN. PAR. - ESCÁPULA LATERAL L5-S1
LATERAL
OBLÍQUA

AP
SELA TURCA LATERAL CLAVÍCULA AP/PA SACRO
LATERAL

NARIZ LATERAL

AP/PA
AP
LATERAL AP
ABDÔMEN FÊMUR OMBRO SEMIAXIAL
DECÚBITO LATERAL
OBLÍQUA
CARGA

AP AP
RIM AP JOELHO ÚMERO
LATERAL LATERAL

LATERAL PA
RIM/
AP RÓTULA COTOVELO
URETRA
AXIAL LATERAL

AP AP PA
ABDÔMEN / VESÍCULA EXTREMIDADES PERNA EXTREMIDADES
ANTEBRAÇO
PELVE BILIAR INFERIORES INFERIOR SUPERIORES
OBLÍQUA LATERAL LATERAL

AP AP
AP
PELVE TORNOZELO LATERAL PULSO LATERAL
LATERAL
OBLÍQUA OBLÍQUA

AP AP AP

QUADRIL MED / LAT PÉ LATERAL MÃO LATERAL

AXIAL OBLÍQUA OBLÍQUA

AP
DEDOS DEDOS
AP/LAT/OBL
DO PÉ DA MÃO
LATERAL

MU-13 Rev. 1 55
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Tabela 4-1 (cont.)


Projeções APR (Espanhol)

ZONA CUERPO / ORGANO / PROYECCION

AP/PA

LATERAL
AP
CRANEO SEMIAXIAL TORAX ODONTAL AP
LATERAL
AXIAL

ESPECIAL

AP
AP/PA
COSTILLAS COLUMNA
ORBITA - LATERAL
SUPERIORES CERVICAL
OBLICUO
OBLICUO

AP
AP/PA
COSTILLAS COLUMNA
PEÑASCO - LATERAL
INFERIORES DORSAL
CRANEO TORAX OBLICUO COLUMNA
OBLICUO

AP
LATERAL
COLUMNA
MASTOID - ESTERNON LATERAL
LUMBAR
OBLICUO
OBLICUO

AP/PA
AP
SEN. PAR. - ESCAPULA LATERAL L5-S1
LATERAL
OBLICUO

AP
SILLA TURCA LATERAL CLAVICULA AP/PA SACRO
LATERAL

NARIZ LATERAL

AP/PA
AP
LATERAL AP
ABDOMEN FEMUR HOMBRO SEMIAXIAL
DECUBIT0 LATERAL
OBLICUO
CARGA

AP AP
RIÑON AP RODILLA HUMERO
LATERAL LATERAL

LATERAL PA
RIÑON /
AP ROTULA CODO
URETRA
AXIAL LATERAL

AP AP PA
ABDOMEN / VESICULA EXTREMIDADES PIERNA EXTREMIDADES
ANTEBRAZO
PELVIS BILIAR INFERIORES INFERIOR SUPERIORES
OBLICUO LATERAL LATERAL

AP AP
AP
PELVIS TOBILLO LATERAL MUÑECA LATERAL
LATERAL
OBLICUO OBLICUO

AP AP AP

CADERA MED / LAT PIE LATERAL MANO LATERAL

AXIAL OBLICUO OBLICUO

AP
DEDOS DEDOS DE
AP/LAT/OBL
DEL PIE LA MANO
LATERAL

56 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Tabela 4-1 (cont.)


Projeções APR (Inglês)

BODY REGION / ORGAN / PROJECTION

AP/PA

LATERAL
AP
SKULL SEMIAXIAL THORAX ODONTOID AP
LATERAL
AXIAL

SPECIAL

AP
AP/PA
ORBITA - UPPER RIBS C-SPINE LATERAL
OBLIQUE
OBLIQUE

AP
PETROUS BO- AP/PA
NES - LOWER RIBS T-SPINE LATERAL
SKULL / STENVERS THORAX OBLIQUE SPINE
OBLIQUE

AP
LATERAL
MASTOID - STERNUM L-SPINE LATERAL
OBLIQUE
OBLIQUE

AP/PA
AP
PARANASAL
- SCAPULA LATERAL L5-S1
SINUSES
LATERAL
OBLIQUE

AP
SELLA LATERAL CLAVICLE AP/PA SACRUM
LATERAL

NOSE LATERAL

AP/PA
AP
LATERAL AP
ABDOMEN FEMUR SHOULDER SEMIAXIAL
DECUBITUS LATERAL
OBLIQUE
STANDING

AP AP
KIDNEY AP KNEE HUMERUS
LATERAL LATERAL

LATERAL PA
KIDNEY
AP PATELLA ELBOW
/ URETER
AXIAL LATERAL

AP AP PA
ABDOMEN / GALL- LOWER UPPER
LOWER LEG FOREARM
PELVIS BLADDER EXTREMITIES EXTREMITIES
OBLIQUE LATERAL LATERAL

AP AP
AP
PELVIS ANKLE LATERAL WRIST LATERAL
LATERAL
OBLIQUE OBLIQUE

AP AP AP

HIP MED / LAT FOOT LATERAL HAND LATERAL

AXIAL OBLIQUE OBLIQUE

AP
TOES AP/LAT/OBLIQ FINGER
LATERAL

MU-13 Rev. 1 57
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

4.7 UNIDADES DE CALOR

Este Gerador está equipado com uma Calculadora de Unidades de Calor. As


Unidades de Calor alcançadas são calculadas e totalizadas durante a
exposição.

Para visualizar as Unidade de Calor disponíveis, manter pressionado o botão


“On” (ligado). No Visor kVp aparece a percentagem de Unidades de Calor
disponíveis precedida pela letra “H”. Por exemplo, o valor de “H75” indica que
uma capacidade de 75 % de Unidades de Calor do Tubo de Raios-X está
disponível. “H – - ” indica uma disponibilidade total. O Visor kVp volta à sua
função normal ao soltar o botão “On”.

4.8 CONTADORES DE EXPOSIÇÕES

O operador pode ler o número de exposições efetuadas pelo Gerador tal como
se indica abaixo:

Manter e pressionar
pressionado uma vez

O número de exposições é indicado nos Visores de kVp e mAs até um valor


máximo de 999.999 exposições.

= 123,456 exposições

kVp mAs

4.9 INDICADORES DE AUTODIAGNÓSTICO

INDICADOR DE ERRO: Acende-se quando é detectada uma falha no sistema,


avisando o operador de que um dos erros seguintes não permite a exposição
de Raios-X. Durante o funcionamento normal do aparelho, estes avisos de erro
aparecem diretamente no Visor de APR ou sob a forma de um código de erro
no Visor de kVp. (Ver Seção 4.10).

 Tube Overload (T.OVL) (sobrecarga do tubo): Indica que a técnica


selecionada excede as especificações do Tubo de Raios-X ou as atuais
condições do Tubo de Raios-X não permitem a exposição (ânodo
demasiado quente). O gerador pode limitar temporariamente os
parâmetros para a exposição seguinte (alterar os valores da exposição
ou aguardar que o Tubo arrefeça).

Comprovar que as unidades de calor disponíveis são inferiores às


calculadas para a exposição seguinte (unidades de calor perto de zero).
Reduzir os fatores de exposição ou esperar que o Tubo de Raios-X
arrefeça. (Para mostrar as Unidades de Calor Ver Seção 4.7).

58 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

 Generator Overload (G.OVL) (sobrecarga do gerador): Indica que a


exposição foi interrompida porque, durante a exposição, foram
produzidos arcos ou ocorreu um problema no circuito de Alta Tensão
(Tubo de Raios-X, Transformador e/ou Cabos de Alta Tensão), ou foi
detectada uma falha no módulo dos IGBT (IGBT defeituosos ou
sobreaquecidos).

Também pode ocorrer ao realizar uma exposição demorada e muito


potente com o tubo de raios-X frio (Tubo de Raios-X não aqueceu o
suficiente)

 Erro de Rotor (ROTOR): Indica que o ânodo do tubo de raios-X não gira
quando está ativada a função “Prep”, não permitindo exposições.

 Heat Unit (HEAT) (Unidade de Calor): (Interruptor térmico). Indica que


o termóstato / pressostato do Tubo de Raios-X está aberto devido a um
sobreaquecimento da armação do tubo (a armação está demasiado
quente, aguardar que arrefeça), ou que o termóstato / pressostato
funciona mal (a armação está demasiado fria). As unidades de calor
podem alcançar qualquer valor.

 Technique Error (TECH) (erro de técnica): Se surgir durante a


exposição, significa que:

O “TEMPORIZADOR DE SEGURANÇA” INTERROMPEU A


AVISO EXPOSIÇÃO DEVIDO A FALHAS DO SISTEMA. DESLIGAR
O GERADOR E CONTATAR A ASSISTÊNCIA TÉCNICA.

Este erro também pode ser exibido depois de selecionar uma técnica de
APR, para avisar que os parâmetros da exposição visualizados no
Console não são os valores armazenados para esta técnica. Os
parâmetros da exposição são adaptados pelo Gerador para permitir
outros valores.

4.10 CÓDIGOS DE ERRO

Os códigos de erro indicam a causa potencial de falhas do sistema. Estes


códigos são visualizados no Visor de kVp de forma intermitente ao mesmo
tempo que é emitido um sinal sonoro. Para restabelecer a indicação de erro,
no Console manter pressionado o botão ”Reset” (Reinicialização), até ser
emitido o sinal sonoro. (Ver Tabela 4-2).

Todos os códigos de erro são precedidos pela letra “E” (p.ex. E01), e permitem
que o operador, de forma indireta, comunique à assistência técnica a possível
origem do erro. Isto pode evitar a necessidade de um pedido de assistência ou
permitir que a assistência técnica elabore ações corretivas antes de chegar ao
local.

MU-13 Rev. 1 59
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Tabela 4-2
Códigos de Erro

ERRO DESCRIÇÃO O QUE FAZER

Erro do sistema. Esta indicação costuma aparecer


-–-–-- Desligar e ligar o Gerador.
acompanhada de um erro no Console, e indica que não
no Visor Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.
é possível resolver o erro sem desligar o aparelho.

Desligar o Gerador, certificar-se de que as ligações externas dos cabos


E01, E02 Erro de comunicação. estão corretas e voltar a ligar o Gerador. Se continuar a não funcionar,
desligar e contatar a Assistência Técnica.

E03 Erro do sistema.


Desligar
D li e ligar
li o Gerador.
G d
O Armário de Potência ativou a opção “Preparação” sem Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.
E04
indicação do Console.

Soltar qualquer dispositivo de exposição externo ou botões.


E05 Exposição externa ativada durante o arranque. Desligar e ligar o Gerador.
Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.

Libertar todos os controles.


As ordens de “Preparação” e/ou ”Exposição” estão ativadas
E06 Desligar e ligar o Gerador.
durante o arranque.
Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.

Pressionar o botão “Reinicialização”.


E07, E08 Erro de configuração do Tubo de Raios-X. Se o código de erro se mantiver, desligar e ligar o Gerador.
Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.

Erro de Sobrecarga do Gerador. A exposição foi


interrompida porque, durante a exposição, foram
produzidos arcos ou ocorreu um problema no circuito de
Este erro não exige pressionar o botão “Reset” (Reinicialização),
Alta Tensão (Tubo de Raios-X, Transformador e/ou Cabos
a indicação deste erro desaparece automaticamente.
de Alta Tensão), ou foi detectada uma falha no módulo dos
E09 Se o código de erro se mantiver, desligar o Gerador
IGBT (IGBT defeituosos ou sobreaquecidos).
e esperar 30 minutos antes de voltar a ligá-lo.
Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.
Também ocorre ao realizar uma exposição demorada e
muito potente com o Tubo de Raios-X frio (Tubo de Raios-X
não aqueceu).

Pressionar o botão “Reinicialização”.


E10, E11 Erro do sistema. Se o código de erro se mantiver, desligar e ligar o Gerador.
Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.

Não há leitura de mA durante a exposição ou o valor de mA


E12
está fora do intervalo.

Não há leitura de kV durante a exposição ou o valor de kV Pressionar o botão “Reinicialização”.


está fora do intervalo. Repetir com os mesmos valores da técnica; se o código de erro se
mantiver, experimentar com outras combinações de kV e mA.
E13 Este erro pode dever-se ao fato de o valor introduzido na Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.
memória E69 (corrente de linha) e a configuração da
derivação da corrente de linha na Placa de Carga dos
Condensadores não coincidirem.

Pressionar o botão “Reinicialização”.


E14, E15 Erro do sistema. Se o código de erro se mantiver, desligar e voltar a ligar o Gerador.
Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.

Diminuir o valor de kV, de mA ou ambos. Pressionar o botão


“Reinicialização”.
E16 Valor inválido de: kV, mA ou kW.
Se o código de erro se mantiver, desligar e ligar o Gerador.
Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.

Desligar e ligar o Gerador.


E17 Erro de comunicação ou erro do sistema.
Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.

Erro de Rotor. O ânodo do Tubo de Raios-X não roda Este erro não exige pressionar o botão “Reset” (Reinicialização),
quando o botão ”Prep” está ativado, não permitindo a indicação deste erro desaparece automaticamente.
E18
exposições, ou o ânodo está em rotação sem ter sido dada Se o código de erro se mantiver, desligar e ligar o Gerador.
ordem no Console. Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.

Desligar e ligar o Gerador.


E19, E20 Erro do sistema.
Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.

60 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Tabela 4-2 (cont.)


Códigos de Erro

ERRO DESCRIÇÃO O QUE FAZER

E21, E22 Seleção incorreta do Tubo de Raios-X.

E23 Erro do sistema. Pressionar o botão “Reinicialização”.


ç
S o código
Se ódi ded erro se mantiver,
ti desligar
d li e ligar
li o Gerador.
G d
E24 O Bucky não está pronto para a exposição. Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.
E26, E27 Erro do sistema.

Pressionar o botão “Reinicialização”.


Certificar-se de que o cabo de comunicação entre o Gerador e o
E33 Erro de Comunicação Serial. Console está devidamente ligado.
Se o código de erro se mantiver, desligar e ligar o Gerador.
Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.

Erro de Técnica. Se este código surgir durante a exposição,


significa que o “Temporizador de Segurança” interrompeu a
exposição devido a uma falha do sistema. Contatar a
Assistência Técnica.
Este erro também pode ser exibido depois de selecionar
E34
uma técnica de APR, para avisar que os parâmetros da
exposição visualizados no Console não são os valores
armazenados para esta técnica. Os parâmetros da
exposição são adaptados pelo Gerador para permitir outros
valores.

Erro de Unidades de Calor. O termóstato / pressostato do


Tubo de Raios-X está aberto devido a um Estes erros não exigem pressionar o botão “Reset” (Reinicialização),
sobreaquecimento da armação do tubo (a armação está a indicação destes erros desaparece automaticamente.
E36
demasiado quente, aguardar que arrefeça), ou o termóstato Se o código de erro se mantiver, desligar e ligar o Gerador.
/ pressostato funciona mal (a armação está fria). As Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.
unidades de calor podem alcançar qualquer valor.

Erro de Sobrecarga do Tubo. A técnica selecionada excede


as especificações do Tubo de Raios-X ou as atuais
condições do Tubo de Raios-X não permitem a exposição
(ânodo demasiado quente). O gerador pode limitar
temporariamente os parâmetros para a exposição seguinte
E37
(alterar os valores da exposição ou aguardar que o Tubo
arrefeça). Comprovar que as unidades de calor disponíveis
são inferiores às calculadas para a exposição seguinte
(unidades de calor perto de zero). Reduzir os fatores de
exposição ou esperar que o Tubo de Raios-X arrefeça.

Pressionar o botão “Reinicialização”.


Os Condensadores não estão carregados ao ativar-se o Esperar um minuto para que o Condensador carregue antes de ativar
E47 controle “Prep” (preparação). Não se permite efetuar a o controle “Prep” (preparação).
exposição até que os Condensadores estejam carregados. Se o código de erro se mantiver, desligar e ligar o Gerador.
Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.

E50 A exposição foi interrompida pelo Operador.

E96 Sem tensão na Placa de Carga dos Condensadores. Pressionar o botão “Reinicialização”.
ç
S o código
Se ódi ded erro se mantiver,
ti desligar
d li e ligar
li o Gerador.
G d
E97 Desiquilíbrio do nível de carga nos Condensadores. Se continuar a não funcionar, desligar e contatar a Assistência Técnica.

Pressionar o botão ”Reset” (Reinicialização) e contatar a Assistência


E98 Modo de Serviço ativado.
Técnica. Este erro não impede o normal funcionamento.

MU-13 Rev. 1 61
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Página intencionalmente deixada em branco.

62 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

SEÇÃO 5 SEQUÊNCIAS DE FUNCIONAMENTO

5.1 ROTINA DE INICIALIZAÇÃO

Após ligar o Console, o Gerador começa uma rotina de inicialização que efetua
um teste automático que mostra informação útil unicamente para o Pessoal de
Assistência Técnica.

Depois de concluída a inicialização, o Console deveria mostrar os fatores de


radiografia normais. Se existir algum problema de funcionamento, serão
visualizadas no Visor de kVp mensagens de erro especificando a falha.

Nota . Durante o processo de inicialização, alguns indicadores do


Console são utilizados para transmitir informação técnica. Estes
indicadores devem ser ignorados pelo operador até que a
unidade tenha completado a sequência de inicialização.

5.2 PROCEDIMENTO DE AQUECIMENTO DO TUBO DE RAIOS-X

Antes de efetuar exposições de Raios-X, certificar-se de que


o Tubo está devidamente aquecido. Durante este
procedimento, certificar-se de que ninguém é
inadvertidamente exposto a Raios-X desnecessários.

As exposições de rotina não deverão ser realizadas a menos que o Tubo tenha
sido previamente aquecido. Isto irá prolongar o tempo de vida útil do Tubo de
Raios-X.

Recomenda-se a realização do seguinte procedimento de aquecimento do


Tubo de Raios-X ao início do dia e quando o Tubo selecionado não tiver sido
utilizado durante aproximadamente uma hora.

Este procedimento de aquecimento aplica-se a Tubos de


Raios-X típicos. Consultar as instruções do fabricante do
Tubo de Raios-X para o tubo sendo utilizado, comparando as
recomendações com este procedimento. Em caso de alguma
diferença relativamente a este procedimento, respeitar as
instruções do fabricante do Tubo de Raios-X.

MU-13 Rev. 1 63
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Aquecer o Tubo de Raios-X da seguinte forma:

 Fechar totalmente o diafragma do Colimador.

 Selecionar 70 kVp, 50 mAs, 200 mA e 250 ms de exposição.

 Assegurar-se de que ninguém será exposto à radiação.

 Efetuar um total de três exposições, com 15 segundos de intervalo.

A evaporação excessiva do filamento reduz o tempo de vida


do tubo. Reduzir a evaporação mantendo o tempo de
“Preparação” para a exposição no mínimo possível.

5.3 OPERAÇÃO RADIOGRÁFICA

As operações radiográficas podem ser realizadas nos seguintes modos:

 Controle de três pontos, por seleção de kVp, mA e Tempo de Exposição


de forma independente.

 Controle de dois pontos, por seleção de kVp e mAs de forma


independente. A seleção de mAs estabelece o valor de mA máximo
disponível para o Foco selecionado e o respectivo Tempo de Exposição.
Neste modo de controle, quando se aumenta o valor de kVp, o Gerador
procura automaticamente a combinação mais adequada dos fatores de
mA e Tempo de Exposição para evitar o aviso de sobrecarga do tubo
(“Tube Overload”), mantendo um valor de mAs constante.

 Programas Anatômicos (APR).

64 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Uma sequência típica de exame radiográfico poderia consistir em:

1. Assegurar-se de que o Tubo de Raios-X está devidamente aquecido.

2. Posicionar o paciente para o exame.

3. Selecionar os parâmetros da técnica utilizando os controles no Console.

4. Solicitar ao paciente que se mantenha na posição requerida. Preparar


o Tubo de Raios-X pressionando o botão do disparador manual até a
posição “Prep” e mantê-lo assim até que o indicador “Ready” (Pronto) se
acenda.

5. Solicitar ao paciente que se mantenha imóvel e sustenha a respiração.


Realizar então a exposição de Raios-X pressionando e mantendo o
botão do Disparador Manual na posição “Exp” durante o tempo da
exposição. Durante o período da exposição, o indicador de “Raios-X” irá
acender e será emitido um sinal sonoro.

6. Ao finalizar a exposição, soltar o botão do Disparador Manual.

7. Repetir o processo caso se pretenda realizar novas exposições.

5.4 OPERAÇÃO COM O APR

Um exame utilizando uma técnica do APR poderia consistir em:

1. Assegurar-se de que o Tubo de Raios-X está devidamente aquecido.

2. Posicionar o paciente para o exame.

3. Selecionar o Tamanho do Paciente pressionando o botão


correspondente à sua anatomia. Esta operação inicia o modo APR.
Selecionar o botão “Pediátrico” se o paciente não for adulto.

4. Selecionar uma “Região do Corpo” e uma “Vista Anatômica” entre as


indicadas no Visor do APR.

5. Os parâmetros da técnica, o Ponto Focal, etc. correspondentes à


seleção do APR são visualizados e indicados no Console de Controle.
Se necessário, o operador pode modificar diretamente os parâmetros
e seleções.

6. Continuar com o procedimento normal para uma operação radiográfica


típica. (Ver Seção 5.3 – passo 4.)

MU-13 Rev. 1 65
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

5.5 ALINHAR O FEIXE DO RAIO-X EM RELAÇÃO AO PACIENTE

Depois de selecionar os parâmetros radiográficos para a técnica a utilizar:

1. Apontar o Conjunto do Tubo de Raios-X-Colimador ao Receptor de


Imagem.

2. Centrar a Luz do Colimador, que corresponde ao feixe do Raio-X, em


relação ao receptor. Para isso, utilizar as marcas de centragem da Luz
do Colimador e a linha do laser no puxador do receptor quando aplicável.

3. Posicionar o paciente para o exame.

4. Ligar a Lâmpada do Colimador e ajustar o tamanho de campo com os


controles do Colimador.

5. Efectuar qualquer ajuste da posição do paciente, receptor ou conjunto


do tubo-colimador para assegurar o correcto posicionamento do feixe do
Raio-X.

SELECIONAR SEMPRE O TAMANHO DE CAMPO CORRETO


AVISO PARA EVITAR UMA RADIAÇÃO EXCESSIVA.

66 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

O EIXO DO FEIXE DO RAIO-X E O EIXO DE REFERÊNCIA DO


AVISO PLANO DE INTERESSE COINCIDEM E SÃO ORTOGONAIS
EM RELAÇÃO AO PLANO DE INTERESSE, NOS EXAMES
EFETUADOS COM O RECEPTOR DA IMAGEM
POSICIONADO PERPENDICULARMENTE AO CONJUNTO
DO TUBO-COLIMADOR.

NO CASO DE EXAMES EM QUE O RECEPTOR DE IMAGEM


NÃO ESTEJA PERPENDICULARMENTE POSICIONADO EM
RELAÇÃO AO CONJUNTO DO TUBO-COLIMADOR, O EIXO
DO FEIXE DO RAIO-X NÃO PODERÁ COINCIDIR COM O EIXO
DE REFERÊNCIA DO PLANO DE INTERESSE E NÃO SERÁ
ORTOGONAL EM RELAÇÃO AO PLANO DE INTERESSE, OU
SEJA, A IMAGEM SAIRÁ DEFORMADA.

É RESPONSABILIDADE DO OPERADOR POSICIONAR


CORRETAMENTE O PACIENTE E O APARELHO ANTES DE
LEVAR A CABO UM EXAME.

Ilustração 5-1
Posicionamento do Paciente

RECEPTOR Luz do Colimador do Feixe do Raio-X


Linha do Laser

Linha do Laser

Luz do Colimador do Feixe do Raio-X


RECEPTOR

MU-13 Rev. 1 67
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

5.6 GUIA PARA APLICAÇÕES DE PEDIATRIA

As crianças são mais sensíveis à radiação. A adopção das


indicações da campanha Image Gently (Imagens
diagnósticas com delicadeza) e a redução da dose nos
procedimentos de radiodiagnóstico, mantendo uma
qualidade de imagem aceitável, são no interesse dos
pacientes.

Por favor, consultar o seguinte link para reduzir os fatores da técnica


radiográfica para pacientes de pediatria em consequência:
http://www.pedrad.org/associations/5364/ig/

Em regra geral devem ser consideradas as seguintes recomendações em


pediatria:

 Os geradores de Raios-X devem ter tempos curtos de exposição.

 O AEC deve ser utilizado com cuidado, sendo preferível utilizar a


configuração manual e assim aplicar doses mais baixas.

 Se for possível, utilizar configurações com valores de kVp altos.

 Nunca utilizar Grades em exames pediátricos visto que o uso de


Grades exige maiores doses. Retirar a Grade do conjunto do receptor
e selecionar a dose mais reduzida possível. Se não for possível separar
a Grade não poderão ser feitos exames pediátricos com este dispositivo.

Posicionamento de pacientes de pediatria: Os pacientes de pediatria não


são tão conscientes como os adultos sobre a necessidade de permanecer
imóveis durante o procedimento. Por isso, é aconselhável utilizar ajuda para
manter uma posição estável do paciente. É aconselhável utilizar dispositivos
de imobilização, tais como almofadas e sistemas de contenção (cunhas de
espuma, fita adesiva, etc.) para evitar a necessidade de repetir a exposição em
caso de movimento do paciente. Sempre que for possível, utilizar técnicas
baseadas em tempos de exposição o mais curtos possível.

Proteção: É aconselhável proporcionar proteção adicional de órgãos


e tecidos especialmente sensíveis à radiação como os olhos, gônadas
e tiróide. A correta abertura do colimador também ajuda a proteger o paciente
contra a radiação excessiva. Consultar a seguinte literatura científica referente
à sensibilidade à radiação de pacientes de pediatria: GROSSMAN, Herman.
“Radiation Protection in Diagnostic Radiography of Children”. Pediatric
Radiology, Vol. 51, (No. 1): 141-144, January, 1973:
http://pediatrics.aappublications.org/cgi/reprint/51/1/141.

68 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Fatores da técnica radiográfica: É aconselhável reduzir os fatores da técnica


radiográfica aos níveis mais baixos que permitam manter uma boa qualidade
de imagem.

Por exemplo, se a configuração para radiografia de abdômen em adultos for


de: 70 – 85 kVp, 200 – 400 mA e 15 – 80 mAs, considerar começar em
65 – 75 kVp, 100 – 160 mA e 2,5 – 10 mAs para pacientes de pediatria. Sempre
que for possível utilizar configurações com valores de kVp altos e SID
(Distância Foco-Imagem) longa.

Resumo:

 Efetuar unicamente a radiografia quando houver benefício médico


explícito.

 Efetuar unicamente a radiografia da zona indicada.

 Utilizar a radiação mínima necessária para obter uma imagem


adequada, em função do tamanho da criança (reduzir os fatores de
exposição – kVp e mAs).

 Tentar usar sempre tempos de exposição curtos, SID longas e


dispositivos de imobilização.

 Evitar efetuar múltiplas exposições e recorrer a técnicas de diagnóstico


alternativas (como ultrassons ou ressonâncias magnéticas) quando for
possível.

MU-13 Rev. 1 69
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Página intencionalmente deixada em branco.

70 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

SEÇÃO 6 MANUTENÇÃO PERIÓDICA

Para assegurar o funcionamento perfeito, seguro e contínuo da Unidade de


Raios-X, é necessário estabelecer um programa de manutenção periódica.
Será da responsabilidade do proprietário fornecer este serviço ou tomar as
medidas necessárias para efetuá-lo.

Existem dois níveis de manutenção. O primeiro consiste nas tarefas a efetuar


pelo usuário/operador, e o segundo é composto pelas tarefas a efetuar
exclusivamente por pessoal qualificado na área dos Raios-X.

O primeiro serviço de manutenção deverá efetuar-se seis (6) meses após a


instalação, e os seguintes deverão efetuar-se com intervalos de doze (12)
meses.

O fabricante compromete-se a ter à disposição peças de substituição para este


aparelho durante no mínimo dez (10) anos após a data de fabricação.

6.1 TAREFAS DO OPERADOR

As tarefas desta manutenção periódica deverão incluir:

NÃO RETIRAR QUALQUER TAMPA NEM DESMONTAR OU


PERIGO MANIPULAR COMPONENTES INTERNOS DA UNIDADE.
ESTAS AÇÕES PODEM RESULTAR EM LESÕES PESSOAIS
GRAVES E / OU DANOS NO EQUIPAMENTO.

NÃO TENTAR LIMPAR NENHUMA PARTE DO APARELHO


AVISO QUANDO ESTE ESTIVER LIGADO. DESLIGAR SEMPRE O
APARELHO E ISOLAR A FONTE DE ALIMENTAÇÃO ANTES
DE PROCEDER À LIMPEZA DO MESMO.

1. Desligar o aparelho. Retirar a chave de ligação e desligá-la da rede.

2. Verificar externamente as ligações dos cabos entre cada componente


principal.

MU-13 Rev. 1 71
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

3. Limpar o aparelho com frequência, principalmente em caso de presença


de produtos químicos corrosivos.

Limpar as coberturas e superfícies externas, especialmente das peças


que entram em contato com o paciente, com um pano umedecido em
água quente e sabão suave. Limpar com um pano umedecido em água
limpa.

Quando for necessário desinfetar o Console de Controle, utilizar um


pano embebido em álcool isopropílico.

NÃO APLICAR NENHUM TIPO DE LÍQUIDO NA TELA OU


AVISO OUTRAS SUPERFÍCIES DO APARELHO, NÃO UTILIZAR
PRODUTOS COM LIXÍVIA, AMONÍACO OU QUALQUER
OUTRO TIPO DE ABRASIVO OU SOLVENTE, ESTES
PRODUTOS PODERIAM PROVOCAR DANOS NO
APARELHO.

6.2 TAREFAS DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA

Unicamente o pessoal de assistência técnica com formação específica neste


equipamento médico de Raios-X deve trabalhar nas tarefas de assistência
(instalação, calibração ou manutenção).Consultar o capítulo de “Manutenção”
do Manual de Assistência Técnica entregado com o equipamento.

72 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

SEÇÃO 7 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Potência Máxima de kW
16 kW 20 kW 32 kW
(Ver etiqueta de identificação)

40 a 125 40 a 125
40 a 150
(40 a 150 opcional) (40 a 150 opcional)
I t
Intervalo
l de
d kVp
kV
De 40 kV a 125 kV ou 150 kV em fases de 1 kV.
(Dependendo do modelo de gerador)

0,1 a 250 0,1 a 320 0,1 a 500

Produto de mA x Tempo de 0,1 mAs a 250, 320 ou 500 mAs


(Dependendo do modelo de Gerador)
Intervalo de mAs
(Valor máximo de mAs apenas está disponível com Linhas de Alimentação ou, pelo menos, 16A a 230 Vca;
para Linhas com Tensão e/ou corrente mais baixas, o valor máximo de mAs é reduzido)

(O valor de mAs é limitado consoante os valores de kVp e mA selecionados.


São obtidos valores de mAs mais elevados ao selecionar valores de kVp e mA baixos).

10 a 250 10 a 320 10 a 500

Intervalo de mA De 10 mA a 250, 320 ou 500 mA através das seguintes estações de mA:


10, 12,5, 16, 20, 25, 32, 40, 50, 64, 80, 100, 125, 160, 200, 250, 320, 400, 500.
(Dependendo do modelo de gerador)

De 1 milissegundo a 10 segundos através das seguintes estações de tempo:


Milissegundos: 1, 2, 3, 4, 5, 6, 8, 10, 12, 16, 20, 25, 32, 40, 50, 64, 80,
Intervalo de Tempo de Exposição
100, 125, 160, 200, 250, 320, 400, 500, 640, 800.
Segundos: 1, 1,25, 1,6, 2, 2,5, 3,2, 4, 5, 6,4, 8, 10.

150 kVp @ 200 mA


125 kVp @ 125 mA 125 kVp @ 160 mA
128 kVp @ 250 mA
100 kVp @ 160 mA 100 kVp @ 200 mA
Potência de saída (@ 0,1 s) 100 kVp @ 320 mA
80 kVp @ 200 mA 80 kVp @ 250 mA
80 kVp @ 400 mA
64 kVp @ 250 mA 62 kVp @ 320 mA
64 kVp @ 500 mA

O ciclo de funcionamento é contínuo, mas os limites dependem da capacidade do Tubo de Raios-X

Ciclo de Funcionamento
A perda máxima de radiação depende do tipo de Tubo de Raios-X.
<0,88 mGy por hora ou 100 mR por hora.

Manual com temporizador eletrônico e fita métrica


Colimador
(Ver Seção 7.1)

Baixa Velocidade / Ânodo Giratório, Pontos Focais: 0,3 mm / 1,0 mm


Ânodo kHU / kVp: 140 kHU / 150 kVp, Ângulo do Ânodo: 12°
Tubo de Raios-X standard Entrada Máxima Específica de Energia em 1 hora: 150 kVp @ 1440 mAs
Filtração inerente da Fonte de Raios--X (Tubo + Colimador): ver Etiqueta de Identificação
(Ver Seção 7.2)

MU-13 Rev. 1 73
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Potência Máxima de kW
16 kW 20 kW 32 kW

230 VAC -- Monofásica, 50 / 60 Hz

Compensação Automática da Linha ¦10% Vca


Adaptação da Linha de Alimentação às condições locais de 8 a 16 A
Ligação a tomadas convencionais com ligação à terra e que respeitem as normas locais

Funcionamento da Linha de O Disjuntor instalado na Unidade Móvel é de 10 A (1P+N curva tipo D),
Potência a instalação da Linha de Alimentação deve dispor de um Diferencial de 30 mA de Sensibilidade
e de um Interruptor Magnetotérmico / Disjuntor de:
² 13 A (curva tipo D) ou ² 20 A (curva tipo C) ou ² 32 A (curva tipo B)

A Impedância da Linha deve estar em conformidade com a Norma IEC-60601.2.7.


A Impedância Máxima da Linha depende da Tensão de Linha da seguinte forma:
para Vrms de 230 V Impedância Máx. da Linha é 0,36 

Mínimo kW necessário 2,0 kW

Potência máxima de entrada 4 kVA

Corrente máxima de entrada 16 A

Capacidade de Armazenamento
de Energia 8400 Joules 11200 Joules 14000 Joules
(Ver etiqueta de identificação)

Os Condensadores de Armazenamento de Energia são automaticamente descarregados


Descarga dos Condensadores de
para valores abaixo de 50 V
Armazenamento
em menos de 150 minutos após desligar a Unidade Móvel e desligá--la da corrente elétrica.

Precisão da Potência da Radiação


(Reprodutibilidade em relação C.V. (Coeficiente de variação) ≤× 0,05
aos fatores de carga)

Medido a 75 kV: 240 mm no eixo “X” e 240 mm no eixo “Y”.


Medido a 125 kV: 230 mm no eixo “X” e 260 mm no eixo “Y”.
Campo Máximo
Simétrico de Radiação
(Teste levado a cabo a uma distância do Ponto Focal de 1200 mm,
de acordo com a Norma IEC 60806:1984).

Armazenamento / Transporte:
Temperatura de --40 oC a 70 oC; Umidade Relativa de 10% a 100%.
Pressão Atmosférica de 500 hPa a 1060 hPa
Condições Ambientais
Funcionamento:
Temperatura de 10 oC a 40 oC; Umidade Relativa (sem condensação) entre 30 % e 75 %.
Pressão Atmosférica de 700 hPa a 1060 hPa

74 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

7.1 COLIMADOR

Modelo R221 MANUAL

Formato Quadrado

Campo Campo Máximo 480 x 480 mm SID 100 cm (¦1 % SID)

Campo Mínimo 0 x 0 mm (¦1 % SID)

Iluminação média > 160 lx

Relação de contraste
> 4:1
de aresta

Precisão < 2 % SID


Campo de Luz

Visualização do Centro Linhas transversais

Filtração inerente Mín. 2,0 mm Al.

Tipo de lâmpada LED branco

Controle do Diafragma Manual

Dimensões externas (L x P x A ) 183 x 270 x 168 mm

Peso 7,7 kg

* Nota: Consultar os Manuais do Colimador para obter mais informações.

MU-13 Rev. 1 75
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

7.2 TUBO DE RAIOS-X

TOSHIBA E7865X

Tensão Nominal dos Tubos de Raios-X 40  150 kV

Foco Maior 640 mA


Corrente Máxima do Tubo de Raios-X
(Potencial Constante, Alta Velocidade)
Foco Menor 70 mA

Foco Maior 1,0


Valor Nominal do Ponto Focal
Foco Menor 0,3

Foco Maior 50Hz / 60Hz 36,5 kW / 40 kW


Potência de Entrada Nominal do
Ânodo (a 0,1s)
Foco Menor 50Hz / 60Hz 3,2 kW / 3,57 kW

Ângulo do Ânodo 12o


Objetivo
Diâmetro 74 mm

a Baixa Velocidade (50 Hz) 2700 r.p.m.

Velocidade de Rotação do Ânodo a Baixa Velocidade (60 Hz) 3200 r.p.m.

a Alta Velocidade (180 Hz) --

Fuga do Fator de Técnica Radiográfica 150 kV, 3,4 mA

Filtração Permanente do Tubo de Raios-X 1,3 mm Al / 75kV

Filtração Inerente (Tubo + Colimador) (ver Etiqueta de Identificação)

Índice Calorífico do Ânodo 100 kJ (140 kHU)

Dissipação Máxima de Calor do Ânodo 475 W (667 HU/s)


Características Térmicas
Índice Calorífico do Conjunto do Tubo
900 kJ (1250 kHU)
de Raios-X

Dissipação Máxima de Calor Contínua 180 W (15 kHU/min.)

Referência do Modelo de Armação do Tubo XH-121

Intervalo Normal de Funcionamento da Temperatura da Armação 16  75 oC

Método de Arrefecimento Ar Natural ou Ar Forçado

Diâmetro Máximo 152,4 mm

Dimensões e Peso do
Comprimento 479 mm
Conjunto do Tubo de Raios--X
Peso (aprox.) 16 kg

* Nota: Consultar os Manuais do Tubo de Raios--X para obter mais informações.

76 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

7.3 CARACTERÍSTICAS FÍSICAS

COMPRIMENTO LARGURA ALTURA PESO

mínimo 1188 mm
650 mm 1980 mm 317 kg
máximo 1805 mm

mín. 640 / máx. 845

Foco 180o 180o

-90o

-15
Deslocação > 1100

o
Eixo de referência
Máx. SID > 1800

Foco 1980
1096
Mín. SID < 700

130

Área de Recepção
1188
160 1645

1805

-360o
650

 90o

Dimensões em mm.
Tolerância das Dimensões ¦1%

MU-13 Rev. 1 77
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Página intencionalmente deixada em branco.

78 MU-13 Rev. 1
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

ANEXO A
OPÇÕES E ACESSÓRIOS

ÍNDICE

Seção Página

1 OPÇÕES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3

1.1 150 kVp para Unidades de 16 kW ou 20 kW . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3

1.2 Ligação Externa para Bucky . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3

1.3 Disparador Manual Radiográfico remoto por infravermelhos . . . . . . . . . . . . . . 4


1.3.1 Funcionamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5
1.3.2 Localizador do Disparador Manual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5

1.4 Colimador Manual com Filtros e Laser Duplo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6

2 ACESSÓRIOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9

2.1 Dosímetro Compact VacuDap . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9

MU-13 Rev. 1 Appendix A 1


Options and Accesories
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Página intencionalmente deixada em branco.

2 Anexo A MU-13 Rev. 1


Opções e Acessórios
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

SEÇÃO 1 OPÇÕES

Segue-se uma lista completa das opções disponíveis para as Unidades


Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C. Contatar seu representante para obter
mais informações.

 150 kVp opcional para unidades de 16 kW e 20 kW.

 Ligação direta para um Bucky.

 Disparador Manual Radiográfico remoto por infravermelhos.

 Colimador Manual com Filtros e Posicionador Laser Duplo.

1.1 150 KVP PARA UNIDADES DE 16 KW OU 20 KW

SM-150kVp No caso de unidades de 16 kW e 20 kW, esta opção permite aumentar o limite


máximo de kVp até 150 kVp.

1.2 LIGAÇÃO EXTERNA PARA BUCKY

COBU Este conector é utilizado para ligar um Bucky externo. Remover a tampa de
segurança do conector apenas quando se for proceder à ligação do Bucky.

Ligação Externa para Bucky

MU-13 Rev. 1 Appendix A 3


Options and Accesories
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

1.3 DISPARADOR MANUAL RADIOGRÁFICO REMOTO POR INFRAVERMELHOS

RHS-M O Disparador Manual Radiográfico por Raios Infravermelhos permite ao


operador efetuar exposições a uma distância considerável do Tubo de
Raios-X, o que ajuda a proteger o operador da radiação.

Botão da Lâmpada do Colimador Lente de Raios Infravermelhos

Indicador do Nível das Baterias

Compartimento do Localizador

Controle de Exposição

Compartimento das Baterias

Antes de iniciar a exposição, comprovar que não existe


qualquer equipamento com dispositivo de controle remoto
por infravermelhos funcionando simultaneamente, nem
perto do aparelho nem por trás de janelas de vidro
chumbíneo ou de divisórias. Antes de efetuar uma
exposição com este dispositivo, desligar qualquer outro
dispositivo que funcione com controle remoto por
infravermelhos e que possa ser afetado por este Controle de
Exposição.

4 Anexo A MU-13 Rev. 1


Opções e Acessórios
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

1.3.1 FUNCIONAMENTO

Retirar o Controle Remoto de Exposição do respectivo suporte. Situar-se a


uma distância da Unidade não superior a 10 metros e apontar ao sensor
situado na Unidade Móvel.

LÂMPADA DO COLIMADOR: Pressionar este botão para ligar a Lâmpada do


Colimador. Este controle está desativado em Colimadores Manuais.

CONTROLE DE EXPOSIÇÃO: Pressionar uma vez este botão para preparar


o Tubo de Raios-X para a exposição (posição “Prep”). Quando a luz verde
estiver acesa, pressionar este botão uma segunda vez e mantê-lo pressionado
até que a Unidade de Raios-X conclua a exposição (posição “Exp”).

Assim que a exposição tiver terminado apaga-se a luz verde do indicador.


Voltar a colocar o Controle Remoto no respectivo suporte na Unidade Móvel.

Nota . Uma função incorporada de aviso sonoro remoto avisará o


operador quando o dispositivo de Comando à Distância for
deixado fora do suporte.

O ciclo de preparação é automaticamente interrompido e volta ao modo de


repouso, não apenas quando a exposição não se efetua durante os 15
segundos posteriores à ação “Prep”, mas também quando a Lâmpada do
Colimador é ligada.

Se se soltar o botão “Exposure” (exposição) enquanto se efetua uma


exposição, a exposição é automaticamente interrompida.

1.3.2 LOCALIZADOR DO DISPARADOR MANUAL

Este Controle Remoto dispõem de um dispositivo interno útil para sua


localização.

Se passados três minutos desde a utilização do Controle Remoto não voltar


a colocá-lo no respectivo suporte, ouve-se um sinal que só será interrompido
ao colocá-lo novamente no suporte.

MU-13 Rev. 1 Appendix A 5


Options and Accesories
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

1.4 COLIMADOR MANUAL COM FILTROS E LASER DUPLO

R221 - com Filtros e Laser Duplo

SM-SCOL221DLF 2

5
3
7 4

Os controles do colimador são compostos por:

1. Botão da Luz do Colimador. Depois de clicar no botão da Luz do


Colimador, esta mantém-se acesa durante vários segundos, antes de se
desligar automaticamente.

2. Dois controles para ajustar os diafragmas internos. Os dois


controles de abertura e fecho dos Diafragmas do Colimador permitem
ajustar a zona de exposição. A tabela no painel do Colimador indica a
abertura dos diafragmas a selecionar.

3. Sistema de carris com duas guias para poder instalar os filtros


externos adicionais utilizados nos exames pediátricos (0,1 mm Cu ou
3,5 mm Al) na guia superior e o Medidor de Radiação na guia inferior.

4. Distanciador SID (Distância Foco-Imagem).

5. Fita métrica para medir a SID.

6. Filtração Variável (opcional), com as seguintes filtrações opcionais:

0 mm AL 1 mm Al + 0,1 mm Cu J 1 mm Al + 0,2 mm Cu J J 2 mm AL J J J

Acende-se o LED por cima da roda dos filtros ao selecionar uma das
opções de filtração.

7. Seletor de Laser Duplo para alinhar o Receptor de Imagem.

(Para obter mais informações consultar o Manual do Colimador).

6 Anexo A MU-13 Rev. 1


Opções e Acessórios
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Características do Colimador:

Modelo R221 COLIMADOR MANUAL COM FILTROS E LASER DUPLO

Formato Quadrado

Campo Campo Máximo 480 x 480 mm SID 100 cm (¦1 % SID)

Campo Mínimo 0 x 0 mm (¦1 % SID)

Iluminação média > 160 lx

Relação de contraste de
> 4:1
aresta

Precisão < 2 % SID


Campo de Luz

Visualização do Centro Linhas transversais

Filtração inerente Mín. 2,0 mm Al.

Tipo de lâmpada LED branco

Controle do Diafragma Manual

Laser Duplo

Opções
Filtração Adicional :
0 mm AL / 1 mm Al + 0,1 mm Cu / 1 mm Al + 0,2 mm Cu / 2 mm AL

Dimensões externas (L x P x A ) 183 x 270 x 168 mm

Peso 7,7 kg

* Nota: Consultar os Manuais do Colimador para obter mais informações.

MU-13 Rev. 1 Appendix A 7


Options and Accesories
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Página intencionalmente deixada em branco.

8 Anexo A MU-13 Rev. 1


Opções e Acessórios
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

SEÇÃO 2 ACESSÓRIOS

Segue-se uma lista completa dos acessórios disponíveis para as Unidades


Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C. Contatar seu representante para obter
mais informações.

 Dosímetro Compact VacuDap.

2.1 DOSÍMETRO COMPACT VACUDAP

VacuTec O VacuDAP Compact é um dispositivo de Dosímetro associado ao Colimador


VacuDAP Compact instalado na Unidade de Raios-X. Inclui uma Câmera de Ionização quadrada
transparente, controles e visor para leitura da dose.

Medidor de Radiação

Nota . Consultar o Manual do Dosímetro correspondente para


informações detalhadas sobre o funcionamento ou a descrição
técnica.

Mostra a medição de radiação como o Produto da Área por Dose (DAP =


Produto da Área por Dose) em mGy*cm2. Pressionar o botão “Reinicialização”
para definir o valor de radiação como zero para cada paciente novo.

Nota . A medição de radiação tem de ser efetuada sem qualquer


acessório instalado entre o Colimador e o paciente (filtros ou
diafragmas).

MU-13 Rev. 1 Appendix A 9


Options and Accesories
Unidades Móveis de Raios-X MAG DYNAMIC C
Manual do Usuário

Página intencionalmente deixada em branco.

10 Anexo A MU-13 Rev. 1


Opções e Acessórios

Você também pode gostar