Você está na página 1de 22

Estética Capilar

e Tricologia
Material Teórico
Terapia Capilar Aplicada

Responsável pelo Conteúdo:


Prof.ª Esp. Sandra Rojas Urquizas Moita

Revisão Textual:
Prof.ª Dr.ª Selma Aparecida Cesarin
Terapia Capilar Aplicada

• Primeiro Contato com o Cliente – Reconhecendo Queixas;


• Anamnese;
• Conduta Terapêutica;
• Atuação Comercial em Terapia Capilar.

OBJETIVO DE APRENDIZADO
• Sintetizar os conhecimentos prévios apresentados e ser capaz de receber um cliente,
identificar patologias e desenvolver condutas terapêuticas adequadas.
Orientações de estudo
Para que o conteúdo desta Disciplina seja bem
aproveitado e haja maior aplicabilidade na sua
formação acadêmica e atuação profissional, siga
algumas recomendações básicas:
Conserve seu
material e local de
estudos sempre
organizados.
Aproveite as
Procure manter indicações
contato com seus de Material
colegas e tutores Complementar.
para trocar ideias!
Determine um Isso amplia a
horário fixo aprendizagem.
para estudar.

Mantenha o foco!
Evite se distrair com
as redes sociais.

Seja original!
Nunca plagie
trabalhos.

Não se esqueça
de se alimentar
Assim: e de se manter
Organize seus estudos de maneira que passem a fazer parte hidratado.
da sua rotina. Por exemplo, você poderá determinar um dia e
horário fixos como seu “momento do estudo”;

Procure se alimentar e se hidratar quando for estudar; lembre-se de que uma


alimentação saudável pode proporcionar melhor aproveitamento do estudo;

No material de cada Unidade, há leituras indicadas e, entre elas, artigos científicos, livros, vídeos e
sites para aprofundar os conhecimentos adquiridos ao longo da Unidade. Além disso, você tam-
bém encontrará sugestões de conteúdo extra no item Material Complementar, que ampliarão
sua interpretação e auxiliarão no pleno entendimento dos temas abordados;

Após o contato com o conteúdo proposto, participe dos debates mediados em fóruns de discus-
são, pois irão auxiliar a verificar o quanto você absorveu de conhecimento, além de propiciar o
contato com seus colegas e tutores, o que se apresenta como rico espaço de troca de ideias e
de aprendizagem.
UNIDADE Terapia Capilar Aplicada

Primeiro Contato com o Cliente –


Reconhecendo Queixas
Chegamos a nosso momento “áureo”, temos conhecimento suficiente para
diagnosticar necessidades e reconhecer as queixas.
Momento profissional importante para definir o quanto faz parte da nossa atu-
ação, o quanto podemos colaborar com a solução da queixa ou se vamos atuar de
forma multidisciplinar.
O primeiro grande passo será ouvir o cliente, com muita atenção e paciência,
em ambiente calmo e preferencialmente privado.

Figura 1 – Todo cliente quer ser ouvido


Fonte: iStock/Getty Images

A ficha de anamnese apresentada nesta Unidade será nossa orientação para


cada passo desse importante diálogo.
Um fator interessante e um questionamento: posso fazer uma consulta na cadei-
ra de cabeleireiro, em volta de outros clientes ou em qualquer outro local?
Sim, posso, mas o atendimento humanizado da Tricologia orienta a privacidade.
Ao pensarmos em nos colocar no lugar do outro, vamos imaginar o quanto é agra-
dável ou não exibir nossas queixas ou a calvície em ambiente de maior circulação.
Habitualmente, nos ambientes de bancada, ocorrem interrupções e existe uma
inquietante movimentação.

Analisando estas clientes, qual a queixa principal que elas apresentam em comum?
Explor

Figura 2
Fonte: iStock/Getty Images

8
Fica bastante evidente que a queixa se refere à haste capilar.

E você se lembra do correto nome da tricose mais comum que ocorre na haste?

Tricoptilose, que podemos descrever como: “Popularmente conhecida como


pontas duplas, pode ser resultado da tricorrexe nodosa, caracterizada por cabelos
frágeis, quebradiços e bifurcados, resultado do desgaste das cutículas que expõe as
fibras do córtex”.

O mais importante é que a/o cliente tenha a certeza de que você está interessa-
do no problema que faz procurar um especialista.

Anamnese
Pode ser definida com uma ficha de avaliação, que é o início prático de nosso
atendimento. É nesse “longo” momento que serão identificadas as necessidades do
seu cliente e, a partir dessas informações, vamos começar a desenhar a evolução
do protocolo terapêutico.
A primeira pergunta será: Qual é a sua queixa principal?
Essa é uma pergunta que faz com que a/o cliente fale sobre suas preocupações
e o principal desconforto. A partir daí, vamos nos preparar para que haja tempo e
local adequado para essa conversa.
A seguir, vamos exemplificar cada item da ficha de anamnese proposta.
Acompanhe as anotações em cor azul. São percepções importantes e suges-
tões de diagnósticos possíveis.

FICHA DE ANAMNESE PARA TERAPIA CAPILAR (SUGESTÃO DE MODELO)

Nome: Data Nasc.:


Endereço:
Bairro: Cidade/Estado CEP:
Telefone: Celular: Rede Social:
E-mail:
Profissão: Estado Civil:

Os dados pessoais do/da cliente são fatores fundamentais para identificação, cadastro e con-
trole de evolução das condutas terapêuticas. DEVEM SER ARMAZENADOS DE FORMA SIGILOSA
E PROFISSIONAL.
Dados como profissão e estado civil são importantes para revelar estilo de vida; a idade nos
orienta a pensar tratamentos de acordo com a fisiologia.
OBSERVAÇÕES: ____________________________________________________
_____________________________________________________________.
Tanto o/a cliente como o/a profissional poderão utilizar o campo Observações para destacar alguma
informação que considerarem diferenciada e importante.

9
9
UNIDADE Terapia Capilar Aplicada

1.  Qual a queixa principal?


A/o cliente, habitualmente, relatam sua queixa principal, qual o fator que mais o/a incomoda. Será
a queda capilar? Afinamento dos fios? Excesso de oleosidade? Algumas vezes temos de atuar com
duas necessidades.

2.  A doença acomete outras áreas do corpo? (  ) não (  ) sim Quais: ________________
____________________________________________________________.
Se for uma queda intensa, poderá acometer barba, pelos pubianos, sobrancelhas etc.

3.  Faz quanto tempo? ______________________________________________.


Seria muito importante a/o cliente saber relatar se a queixa principal ocorre há meses ou anos. É muito
comum as quedas acentuadas serem um Eflúvio Telógeno, que ocorre em média 3 meses após um
evento psicoemocional (cirurgia, gravidez, grande stress, perda familiar, separação etc.)

4.  O problema está: (  ) estável (  ) aumentando (  ) diminuindo


Importantíssimo reconhecer se a queda vai aumentando e o “volume” do cabelo como um todo vai
diminuindo, ou uma queda frequente e estável (podemos sugerir um quadro de Eflúvio em que existe
queda e reposição dos fios).

5.  O cabelo ficou: (  ) mais fino (  ) mais crespo (  ) mudou de cor (  ) mais quebradiço
Sinal clínico que indica a intensidade de queda e a possibilidade de repilação dos fios. Quedas severas,
os cabelos afinam (Alopecia Androgenética – Recordar do processo de miniaturização dos fios – mais
finos e frágeis, quando em queda severa, dá a impressão de ficarem “ouriçados”, parecendo encara-
colados e muito finos e frágeis. Quedas por motivos de medicação, ou tratamento quimioterápico).

6.  Apresentou alterações no couro cabeludo como:


(  ) dor (  ) coceira (  ) ardor (  ) inflamação (  ) crostas (  ) feridas (  ) caspa (  )
oleosidade (  ) odor (  ) descamação
Provavelmente, nosso/a cliente não saberá diagnosticar a inflamação, mas a percepção de prurido
(coceira), sensibilidade ao movimentar os fios, oleosidade excessiva vão colaborar para montagem
de protocolo.
ATENÇÃO: pense em queixa e solução. Se há oleosidade, ações para regulação da glândula sebácea; se há
inflamação, procedimentos e cosméticos que promovam acalmia.

7.  Já teve outras crises? (  ) não (  ) sim Quando: ___________________________.


Existem quedas que são temporárias ou sazonais. Quando sazonais, podem ter intensidades diferen-
tes de queda.

HISTÓRICO PESSOAL
1.  Descrever últimas doenças (6 meses) , operações ou internações (2 anos).
_____________________________________________________________.
Todas as patologias sistêmicas vão ter uma interferência nas patologias do sistema capilar. Uma gripe
forte, cirurgias, mesmo as simples, promovem o stress cirúrgico, ou de ansiedade, ou pela anestesia, ha-
bitualmente seguidos de ingestão de medicações e, depois disso, o stress tem seu pico e desencadeia a
queda capilar. Até mesmo os partos vão dar origem ao eflúvio telógeno pós-gravidez. A queda temporá-
ria e programada.

10
2. Você tem alguma doença atual? ( ) não ( ) sim Qual(is): ______________________.
Controle de diabetes, pressão alta, remédios de uso contínuo. É uma informação importante.

3. Tem algum problema endócrino? ( ) não ( ) sim Qual(is): ______________________.


Quando existe alguma questão endócrina, a conduta, obrigatoriamente, será em conjunto com o
médico, pois hiper ou hipotireoidismo causam disfunções capilares. Nesse caso, nosso tratamento se
torna paliativo e para preservação da homeostase do sistema.

4. É cardíaco? ( ) não ( ) sim Usa marca-passo? ( ) não ( ) sim


Importante: Você se lembra das contraindicações do aparelho de alta frequência? Existe o risco de óbito ao
aplicar alta frequência em clientes que usam marca passo. Atenção!

5. Toma algum tipo de medicação? ( ) não ( ) sim Qual(is): ______________________.


Super importante: medicações de uso contínuo devem ser anotadas nesse espaço. Tratamentos pon-
tuais e temporários devem ser anotados. E também tratamentos recentes (até 6 meses atrás), no caso
de utilizados antiinflamatórios e antibióticos.
• Não hesite em conversar com seu cliente a respeito das medicações que ele toma, informando que irá con-
sultar um médico tricologista de sua confiança e estar seguro com os protocolos propostos. Nós nunca vamos
prescrever alguma medicação e não temos obrigação de conhecer o mecanismo de ação das medicações;
• Mas, sabemos que medicações que agem no sistema nervoso central favorecem queda capilar (leia
artigo completo descrito em Material Complementar).
6. Nos meses que precederam o problema, você:
( ) fez dietas ( ) emagreceu ( ) engordou ( ) teve alguma crise emocional
Os fatores psicoemocionais causam queda capilar acentuada, regimes e dietas extremas e quase 100%
das vezes nos conduzem ao Eflúvio Telógeno, grandes mudanças em nosso organismo afetam direta-
mente todo o sistema capilar.
A terapia capilar vai ter função direta para uma “repilação” mais rápida e saudável, um favorável estí-
mulo ao crescimento dos fios. Encontrar o fator causal ajuda a prever um tempo médio de bons resul-
tados no tratamento.

7. Tem alergia a algum medicamento ou cosmético? ( ) não ( ) sim Qual(is) ____________.


Se o/a cliente já souber de algum ativo ao qual tem alergia, é ótimo para evitarmos reações. É comum alguns
óleos essenciais causarem alguns efeitos indesejados, caso o cliente tenha esta pré-disposição. Por isso, é
essas informações são importantes. Pergunte se ele/a tem alergia a mercúrio, a algum perfume, alimento etc.

8. (Só para mulheres)


Tem filhos? ( ) não ( ) sim Quantos? _______ Data da última gravidez: ______________
Quedas capilares pós-parto são muito comuns. Não hesite em perguntar se teve alguma gestação
interrompida e também tenha cautela e bom senso para fazer essa pergunta para clientes com idade
que sugira não terem tido gravidez recente.
9. (Só para mulheres e com gestação até 3 anos anteriores à consulta)
A gravidez piorou o problema atual? ( ) não ( ) sim
Médicos especialistas afirmam que o organismo da mulher “retorna” a sua fisiologia normal após 3
anos de evento gestacional.

11
11
UNIDADE Terapia Capilar Aplicada

9.  (Só para mulheres e com gestação até 3 anos anteriores à consulta)
A gravidez piorou o problema atual? (  ) não (  ) sim
Médicos especialistas afirmam que o organismo da mulher “retorna” a sua fisiologia normal após 3
anos de evento gestacional.

10.  (Só para mulheres)


Tem alguma alteração menstrual? (  ) não (  ) sim Qual: _________________________.
O período menstrual gera baixa de ferro e ferritina e podem ocorrer quedas capilares mais acentuadas
nesse período, principalmente para ciclos longos de menstruação. Importante reconhecer ciclos con-
siderados normais ou não.

11.  Come carne? (  ) não (  ) sim


Ah! O grande dilema da proteína. Vale um estudo mais aprofundado sobre alimentos e fontes de
proteína e sua conexão com a saúde dos cabelos. Mas é fato que a proteína animal auxilia no bom
funcionamento do sistema capilar. Bastante relevante saber se seu cliente é vegano, vegetariano etc.

12.  Alguém da família tem ou teve o mesmo problema? (  ) não (  ) sim


Pesquisas demonstram a questão da herança genética. Até por isso, a patologia que mais estuda-
mos e vamos encontrar no dia a dia será a Alopecia Androgenética. Com precedentes genéticos, a
tratativa mais evidente é retardar a queda e o afinamento dos cabelos. Essa função, a terapia capilar
desenvolve-se muito bem.

13.  Alguém da família tem algum destes tipos de calvície? / Assinale também o padrão de calvície
de seu cliente.
Mulheres Homens

Figura 3 Figura 4
Fonte: iStock/Getty Images Fonte: iStock/Getty Images
Observe o padrão de rarefação dos cabelos e anote neste espaço.
Pergunte ao cliente se algum parente próximo tem aspectos de calvície e anote (veja exemplos).

CUIDADOS COM OS CABELOS


1.  Faz química nos cabelos? (  ) não (  ) sim Qual:____________ Frequência:_________
Fator imprescindível e normalmente visível. As químicas vão causar as tricoses na haste capilar e tam-
bém podem ocasionar sérias lesões de couro cabeludo ou mesmo sinais de inflamação.

12
2. Usa: ( ) gel ( ) bonés ( ) chapéu ( ) penteados presos ( ) escovas ( ) capacetes ( )
chapas ( ) secadores de cabelo
A utilização de bonés e chapéus não acentua a queda capilar, mas gera um quadro favorável à proli-
feração bacteriana. Fungos e bactérias adoram locais úmidos e quentes. Cabelos muito presos e com
frequência favorecem o surgimentos de alopecias de tração; bastante comuns em cabelos crespos,
muito ondulados e volumosos. Ferramentas térmicas sem uso de protetores causam sérios danos à
fibra e excesso de gel e cosméticos pode ocasionar o efeito build up e originar uma dermatite de
contato ou dermatite cosmética.

3. De quanto em quanto tempo lava os cabelos? _______________________________.


Por exemplo, se estivermos avaliando nível de oleosidade, ao avaliar o grau de oleosidade, devemos
correlacioná-lo aos dias sem o cabelo ter sido higienizado.

4. Quais os shampoos, condicionadores e outros produtos capilares em uso (marca e tipo): ______
____________________________________________________________.
Informação que irá complementar nossas recomendações durante o tratamento de Terapia Capilar.
Cada caso terá uma linha de shampoos, condicionadores e também leave-in que fará parte importante
no processo. Os extremos nunca são ideais. Shampoos excessivamente hidratantes podem favorecer o
efeito build up, shampoos excessivamente alcalinos são agressivos ao couro cabeludo e aos fios.

EXAME FÍSICO
1. O volume dos cabelos é o mesmo em todo o couro cabeludo? ( ) não ( ) sim
Hora de lembrar-se do desenho das regiões da cabeça e verificar: região de nuca baixa com boa densi-
dade dos fios? Como estão as parietais? Densas ou esparsas? E na região do topo, observar se há maior
reentrância de hairline ou no vertex (topo da cabeça).

2. O comprimento dos cabelos é o mesmo em todo o couro cabeludo? ( ) não ( ) sim


Muito comum em queixas de queda capilar, existir uma diferença acentuada do comprimento dos fios
dos cabelos. Sinal clínico indicador de Eflúvio Telógeno que surge de forma bem intensa.

3. Os cabelos são: ( ) macios ( ) ásperos ( ) brilhantes ( ) opacos


Observação por olhar e tato. Devemos definir o estado dos cabelos e definir se essa condição é homo-
gênea na região “proximal” (próxima ao couro cabeludo), medial ou distal.
4. As pontas dos cabelos são: ( ) íntegras ( ) quebradiças – Em que região estão mais danifica-
dos? ______________
Aqui um espaço exclusivo para detalhes das pontas dos cabelos que, habitualmente, têm aspecto
diferente ao da região proximal e distal.
5. O couro cabeludo apresenta: ( ) oleosidade ( ) descamação ( ) vermelhidão ( ) manchas
( ) caspa ( ) odor ( ) outro tipo de alteração
Aspectos facilmente reconhecidos durante a tricoscopia e, mesmo sem sinal evidente, devemos insis-
tir nos questionamentos junto ao/à cliente para sensações de incômodos no couro cabeludo.
6. Nos fios foram encontradas: ( ) triconodose ( ) tricorrexinodosa
( ) tricoptilose ( ) outro tipo de alteração
Anotar as patologias identificadas na haste capilar

13
13
UNIDADE Terapia Capilar Aplicada

7.  Presença de: (  ) falhas  (  ) entradas  (  ) retrações. Em que regiões?


____________________________________________________________.

Faça as anotações que achar pertinentes, com destaque para as regiões que apresentam esses sinais
clínicos e, preferencialmente, identifique-os. Por exemplo: falhas na região occipital, entrada “acen-
tuada”, ou “leve/sutil”, retrações na região parietal etc.

8.  (Apenas para casos de alopecia areata e/ou cicatricial):


Qual a localização? __________ Número de lesões __________  Formato ___________
Tamanho____________  Superfície do couro cabeludo no local____________________
Utilizar um desenho e anotar as medidas dessas lesões. É válido você tirar fotografias e assinalar com
a maior exatidão possível o local e a dimensão da lesão.

9.  Existe reposição dos fios? (  ) não (  ) sim


A microscopia é o melhor equipamento para identificar essa possibilidade. Você deve identificar fios
pequenos que tenham a aparência de estar nascendo.

10.  Alguma observação complementar?


Absolutamente TUDO que você achar relevante, anote. Relatos sobre datas, acontecimentos sobre
relacionamentos, perdas familiares, mudanças de emprego, viagens, mudanças de trabalho ou resi-
dência, eventos médicos etc.

Alteração encontrada: (com nomes científicos)


_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
____________________________________________________________.

Aqui vamos refletir e, COM BASE nas EVIDÊNCIAS, poderemos sugerir condutas terapêuticas. Os nomes
esperados nesta descrição são: Eflúvios, Alopecias etc., cada uma com suas características específicas.

Protocolo sugerido
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
____________________________________________________________.

Chegamos ao momento de descrever as práticas em terapia e planejar as próximas sessões. Seguem


alguns exemplos:

Exemplo 1
Eflúvio Telógeno
• Higienização/ cosmético específico / reflexologia / lavatório / equipamento
• Pré-shampoo (peeling) / óleo essencial de Alecrim (vegetal de semente de uva ou de abacate) /
massagem trapézio e couro cabeludo / shampoo antiqueda / secar / Laser 2 joules

14
Exemplo 2
Alopecia androgenética masculina
• Ao diagnosticar presença de inflamação no sistema capilar (bastante comum), vamos acres-
centar um procedimento de acalmia e ter cuidado com as manobras de massagem nesses pri-
meiros encontros;
• Higienização / cosmético específico / reflexologia / lavatório / equipamento;
• Pré-shampoo em forma, cosmética de óleo (algumas marcas do Mercado oferecem essa opção)
simultâneo ao condicionamento da haste capilar / massagem trapézio e couro cabeludo (com
maior suavidade e menor pressão) / shampoo antiqueda / condicionamento leve final, se ne-
cessário / secar / laser 2 joules / loção antiqueda sem enxágue
Exemplo 3
Dermatite seborreica
• Higienização / aplicação de argila / higienização / reflexologia / lavatório / equipamento (aten-
ção!);
• Atente para o fato de que coloco higienização em dois momentos. A depender do cosmético
escolhido, você fará o shampoo somente antes, somente depois, ou antes e depois da aplicação
da argila. O ideal é seguir a instrução do fabricante;
• Também temos a opção de utilizar o alta frequência antes de iniciar a aplicação de cosméticos;
• Após aplicação da argila, proceder com o ritual habitual de lavatório e finalização.

EVOLUÇÃO
A evolução serve para anotar todos os atendimentos feitos ao cliente. Deve-se colocar a sequência
exata de uso de equipamentos, técnicas manuais e cosméticos empregados.
Comentários do cliente também devem ser anotados, tais como: percepção sobre a melhora do seu
problema, se sentiu ardências ou coceiras após alguma etapa do atendimento etc.

Data: __/___/_____
Protocolo realizado
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
____________________________________________________________.

Importante! Importante!

Faça as anotações a cada sessão. Anote os procedimentos executados e relate o que


achar importante: sensações do cliente, aparência imediata dos fios, percepção do clien-
te ou sua percepção; Cada indivíduo em sua essência única terá uma reação diferenciada
sobre cada protocolo.

15
15
UNIDADE Terapia Capilar Aplicada

Conduta Terapêutica
A conduta terapêutica prática acontece sob 3 pilares:
• Recursos cosméticos;
• Recursos manuais;
• Equipamentos.

Todos já amplamente estudados nas Unidades anteriores.

Figura 5
Fonte: iStock/Getty Images

A conduta terapêutica também apresenta um pilar ético de grande responsabi-


lidade profissional.

Qual meu limite de atuação é a pergunta mais importante: O que vou prometer
ao meu cliente? Cura? Solução plena e permanente? Redução do sintoma?
100% de garantia de resultado?

Esses questionamentos são de extrema importância.

Disciplina e Comprometimento do seu Cliente


Outra preocupação pertinente será a disciplina com que seu cliente vai conduzir
o tratamento. O estilo de vida, que inclui alimentação saudável, horas de sono ade-
quadas, práticas esportivas e lazer são pontos consideráveis.

Diversas vezes estudamos a influência do stress na queda capilar e aqui vamos re-
lembrar que, em situações de alto stress, atingem o sistema capilar de forma negativa.

Muito raro encontrar um indivíduo na sociedade que não passe por alguma pres-
são ou ansiedade; por compromissos e ou busca de metas necessárias para vida
social. Mesmo as crianças têm, hoje em dia, tantas tarefas e tantas informações e
estímulos que percebem o stress desde a vida infantil.

16
Sessões de Terapia Capilar
O ideal é que seja realizado um ciclo completo de 10 sessões, sendo uma por
semana, e que sejam semanas consecutivas. Os cabelos, em sua fase telógena, têm
ciclos de aproximadamente 90 dias. As expectativas de resultado devem ser obser-
vadas de acordo com as fases e ciclos de cabelo.

Esse é um protocolo de 10 sessões e é sugerido para os casos de Alopecias e Eflúvios.

Cronograma Capilar
Entendemos como Cronograma capilar uma série de tratamentos de haste, o
qual não utiliza laser. O LED Azul é uma excelente ferramenta para agir como
catalizador de produtos cosméticos na haste capilar.

Nos casos de tratamentos de Haste capilar, habitualmente 6 sessões, com um


Cronograma Capilar bem definido e personalizado para as queixas, já podem per-
mitir que o tratamento siga de 15 em 15 dias, e não mais semanal.

Figura 6
Fonte: iStock/Getty Images

Importante! Importante!

Esse gráfico ilustra 6 etapas. Uma diferente da outra. Uma sugestão é executar cosmé-
ticos diferentes a cada sessão. Você concorda que a cada vez que realizarmos um trata-
mento e obtemos resultado efetivo, a “necessidade dos cabelos” é alterada?!!!
Cabelos secos irão se tornar menos secos... Cabelos oleosos irão se tornar menos oleo-
sos... é por esse motivo que: “Não existe receita pronta”.

Vamos sempre pensar necessidades, traçar metas e associar aos recursos


necessários.

17
17
UNIDADE Terapia Capilar Aplicada

Atuação Comercial em Terapia Capilar


Nosso último assunto é algo para o qual também não existe receita, mas existem
pontos que devem ser planejados e feitos de forma bastante criteriosa.

Figura 7
Fonte: iStock/Getty Images

Chega o momento de definir como atuar comercialmente com os conhecimentos e compe-


Explor

tências que desenvolvi. Veja a seguir uma lista de aspectos importantes.

• Qual a realidade de Mercado para competências semelhantes a que você tem


e às funções que pretende desempenhar?
• Sempre faça um levantamento do valor financeiro e do tempo que você inves-
tiu em sua formação profissional:
»» Esse ponto é interessante para um autorreflexão. Você pode chegar à con-
clusão de que investiu tempo e valor limitado ou pode concluir que já investiu
muito tempo e valor financeiro; que esses investimentos vão permitir que
você ofereça algo diferenciado do que há no Mercado e que cobre de forma
diferenciada por isso;
• Além de competência e conhecimento, vamos utilizar:
»» Insumos (produtos, equipamentos);
»» Infraestrutura;
»» Locações;
»» Impostos;
»» Funcionários;
»» Marketing;
»» Investimento em sua imagem pessoal.
• Continuar estudando.... esta etapa não termina nunca....

18
Figura 8
Fonte: iStock/Getty Images

Esta não é uma missão fácil, mas é necessária. Pense de forma ampla e desenhe
um cenário factível. Precisa ter parâmetros bastante reais em seu cenário de atua-
ção, para que não perca oportunidades de trabalho.

Existe uma cultura que prega que o profissional tem dificuldade de mensurar os
valores de seu trabalho. Se tiver dificuldade, não hesite em procurar a ajuda de um
profissional que possa ajudar a compor esses valores.

Lembre-se de que, independente de onde você escolher atuar, você é seu


marketing pessoal, você é seu cartão de visitas, suas falas, assuntos e sua ima-
gem em Redes Sociais vão contribuir para defini-lo(a) profissionalmente.

Desejo que você, assim como eu, apaixone-se pela tricologia, inspire-se
em Mestres e seja um profissional que inspira as outras pessoas.

Nunca se esqueça do atendimento humanizado que esta profissão solicita: so-


mos seres humanos cuidando de outros seres humanos.

NUNCA pare de estudar... nem nas suas férias!

19
19
UNIDADE Terapia Capilar Aplicada

Material Complementar
Indicações para saber mais sobre os assuntos abordados nesta Unidade:

 Livros
A ciência do cabelo: o livro indispensável ao profissional cabeleireiro
Livro que contempla todos os passos da Terapia capilar e conhecimentos essenciais
sobre a tricologia.
CARRARO, Luis Carlos. A ciência do cabelo: o livro indispensável ao profissional
cabeleireiro. 2.ed. São Paulo: Red Publicações, 2018.

 Leitura
Saiba quais medicamentos que podem causar queda de cabelo
Excelente artigo da conceituada Dra. Anaflavia de Oliveira, a respeito de medicações
que podem causar quedas capilares.
https://goo.gl/CfCPoE
A relação entre a alimentação e a saúde capilar
O artigo disponível no link a seguir descreve a importância do equilíbrio nutricional
para a saúde dos cabelos e fala sobre dietas pobres em proteína.
https://goo.gl/WMYDmB
Tratamentos alternativos para dermatite seborréica capilar
Artigo sobre tratamentos para dermatites. Abordagem sintetizada e interessante
sobre o tema
https://goo.gl/vncj3H

20
Referências
BLOCH, L. Fio a fio – dicas para quem sofre de queda de cabelos e calvície. Rio
de Janeiro: DOC Content, 2017.

CARRARO, L. A ciência do cabelo: o livro indispensável ao profissional cabelei-


reiro. 2.ed. São paulo: Red publicações, 2018.

CARVALHO JR, A. Queda capilar e a ciência do cabelo. São Paulo: Caeci Li-
vros, 2013.

DAMAZIO, M.; MAKINO, R. Terapia Capilar – Uma abordagem multidisciplinar.


São Paulo: Red publicações, 2017.

FLORES, F. Quimioterapia e beleza. São Paulo: Jardim dos Livros, 2013.

HALLAL, J. Tricologia e a química cosmética capilar. São Paulo: Milady/Cen-


gage/SENAC, 2017.

HARRIS, M. Pele: do nascimento a maturidade. São Paulo: SENAC, 2016.

PEREIRA, J. Tratado das doenças dos cabelos e do couro cabeludo. São Pau-
lo: Di Livros, 2016.

RUDNICKA, L. Atlas de tricoscopia – Dermatoscopia das doenças do couro ca-


beludo e dos pelos. São Paulo: Di Livros, 2014.

SHAPIRO, J. Distúrbios Capilares – Conceitos Atuais em Fisiopatologia, Diag-


nóstico e Tratamento. São Paulo: Di Livros, 2014.

SOUZA, V. Ativos dermatológicos. São Paulo: Daniel Antunes Junior, 2016.

TOSTI, A. Dermatoscopia das doenças do couro cabeludo e dos cabelos. São


Paulo: Di Livros, 2014.

TOSTI, A.; TORRES, F. Atlas de doenças do cabelo: diagnóstico e tratamento.


São Paulo: Thieme Revinte, 2014.

21
21

Você também pode gostar