Você está na página 1de 6

PORTEFÓLIO

Maria Irene Simões Pereira Gamito


Introdução
A aprendizagem é algo fundamental na nossa vida, seja em que fase for, e por
isso mesmo é importante continuarmos a melhorar as nossas capacidades e
conhecimentos para conseguirmos fazer o nosso trabalho ainda melhor.

Com as formações complementares ao trabalho, conseguimos aprender coisas


novas e aprofundar o que sabíamos sobre outros temas com que já estávamos
familiarizadas, o que acaba por contribuir para o bem-estar dos utentes.

Por estes motivos, considero proveitosa esta formação “Processo de


reconhecimento, validação e certificação de competências profissionais” com a
saída “Agente em Geriatria”.
Percurso pessoal
O meu nome é Maria Irene Simões Pereira Gamito.

Sou filha de Henrique Pereira e Irene Simões.

Nasci a 21 de agosto de 1960, em Santiago do Cacém, e sou natural da freguesia


de São Francisco da Serra.

Tive cinco irmãos: duas raparigas e três rapazes.

A minha infância foi muito feliz, apesar de ter sido numa altura em que não havia
muitas facilidades. Eu fui muito feliz, porque os meus irmãos mais velhos
ajudaram os meus pais a darem uma vida melhor a mim e à minha irmã mais
nova. Durante a minha infância houve uma época muito triste, pois a minha irmã
mais nova teve uma doença muito grave e todos nós pensámos que ela ia morrer,
porque os médicos assim o disseram. Felizmente, tudo acabou por correr bem e
a minha irmã sobreviveu e com saúde.

Casei-me aos 18 anos com um rapaz,


também ele de São Francisco da Serra,
e de nome Fernando. Aos 22 anos tive
o meu primeiro filho Rui Miguel, que
ainda é solteiro e vive comigo, estudou
e fez o 12º ano. Passados 12 anos tive
o meu segundo filho, Fernando Miguel,
que estudou e formou-se em Ciências
da Comunicação, vive em Lisboa e é lá
que se encontra a trabalhar.

Tenho um casamento de 42 anos,


somos uma família feliz.
Percurso escolar e formação que fez
Andei na Escola Primária de São Francisco da Serra, onde estudei até à quarta
classe. Quando acabei a escola primária fui estudar para Santiago do Cacém, onde
andei até ao nono ano.

A primeira formação que fiz foi para dar escola a adultos e tirei a formação em
Setúbal, através da Câmara Municipal de Santiago do Cacém.

Em 2001 tirei uma formação de Apoio Familiar e à Comunidade, que teve a


duração de 1200 horas, em que algumas dessas horas foram feitas e estagiar no
lar, em Santiago do Cacém. No fim desta formação obtive uma classificação de 19
valores. Este curso equivale ao nível de formação dois.

Entre 2005 e 2006 fiz outra formação com a duração de 45 horas, em


aperfeiçoamento em Geriatria, na qual obtive 17 valores.
Percurso profissional
Durante muito tempo o meu percurso profissional foi ser cuidadora da minha
família a tempo inteiro.

Primeiro, cuidei dos meus sogros, pois a minha sogra sofreu um AVC muito jovem
e ficou incapacitada de fazer muitas tarefas. O meu sogro viveu alguns anos com
cancro e tive de ser eu a ajudá-los.

Depois foi com a minha mãe, que teve muitos problemas de saúde. Um deles foi
perder a visão, devido à diabetes. Tive de ser eu a cuidar sempre dela, não
podendo ter outro emprego.

Em 2003 fui a uma entrevista de emprego no Centro de Dia de São Francisco da


Serra, onde fiquei colocada, passando logo a efetiva e onde estou até hoje.
Um dia na minha vida profissional
Hoje, segunda-feira, saí de minha casa e dirigi-me para o Centro de Dia de São
Francisco da Serra, onde entro às 8h00 da manhã para começar o dia de trabalho.

Entro na instituição, começo por desinfetar as mãos, pôr a máscara e medir a


temperatura. De seguida, cumprimento as minhas colegas e dirijo-me ao
escritório, onde se encontram as luvas e as chaves das carrinhas. Depois vou ver
se há roupa dos utentes para levar para as suas casas.

Saio da instituição, pego numa carrinha e


desloco-me até às casas dos utentes. Na
parte da manhã chego, ponho a máscara,
desinfeto as mãos, calço as luvas, visto o
avental e dirijo-me ao quarto do utente.
Primeiro cumprimento-o, dando-lhe os
bons dias e perguntando se está tudo bem.
Falo com ele um pouco, dou-lhe uns miminhos e carinhos para que se sinta mais
confortável e alegre. De seguida, faço-lhe a higiene, hidrato-lhe o corpo com um
creme, visto-lhe a roupa e faço a cama de lavado, para que fique confortável.
Depois de tudo isto, volto a perguntar se está tudo bem, digo-lhe até logo e
depois vou para a casa de outro utente.

E é assim todos os dias das 8h00 da


manhã até às 20h00. O principal é eu
ir feliz para o trabalho, pois é o que
gosto de fazer e para que eles se
sintam felizes quando estou a tratar
deles. Eu tenho de estar bem para que
eles se possam sentir felizes e
contentes com a minha presença.