Você está na página 1de 10

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

LABORATÓRIO DE PREPARAÇÕES
PROFESSOR LUCIANO MORAIS
ALUNOS:KELLY NAYARA RIBEIRO DE DEUS
MAYARA MARTINS DOS SANTOS
WLADMIR LENIN

GOIÂNIA, 07 DE MARÇO DE 2011.


Introdução

Destilação Simples e Fracionada

A destilação tem por objetivo a separação de um líquido


volátil(baixo ponto de ebulição) de uma substância não volátil ou, a
separação de dois ou mais líquidos com diferentes pontos de
ebulição. Ocorre praticamente um processo de separação onde tem-
se a vaporização de um líquido por aquecimento e depois a
condensação desse vapor formado.
Um líquido entra em ebulição quando a pressão de vapor do
líquido aquecido se torna igual a pressão do ambiente, e a pressão de
vapor aumenta com a temperatura.Então, ponto de ebulição é a
temperatura em que a pressão de vapor se iguala a pressão
atmosférica.
Na destilação simples pode ocorrer a separação de um líquido
volátil e uma impureza não-volátil, ou até mesmo separação de dois
líquidos com uma grande diferença nos pontos de ebulição dos
mesmos.
Na destilação fracionada ocorre separação de líquidos que
possuem pontos de ebulição próximos. Nesse processo, há uma
coluna de fracionamento para proporcionar uma única destilação em
uma série de microdestilações de tal forma que o mais volátil evapora
e os outros conseqüentemente um por um de acordo com seu ponto
de ebulição.
Materiais e Métodos

Experimento Grupo I
Afim de realizar uma destilação fracionada, este grupo utilizou
uma coluna de fracionamento do tipo Vigreux, a partir de uma
mistura de acetona e água.Essa coluna de fracionamento é um tubo
de vidro com várias reentrâncias em forma de dentes.
Para o experimento foi utilizado um balão de 500ml, sendo
recomendado preenche-lo com até 2/3 do volume de sua capacidade
e, não esquecendo de colocar pedra-pomes, porcelana porosa ou
bolinhas de vidro juntamente com a mistura.Um termômetro é
colocado na parte superior da coluna de fracionamento. Para
acontecer a condensação do vapor formado, é necessário um
condensador, onde contém duas aberturas para entrada e saída de
água que circula pelo mesmo. E por fim um erlenmeyer que receberá
o líquido resultante do experimento.

Figura 1. Aparelhagem para destilação fracionada com coluna


de fracionamento do tipo Vigreux.

Experimento Grupo II
Este grupo realizou uma destilação simples a partir de uma
solução de Sulfato de Cobre(CuSO4).A aparelhagem utilizada nesse
processo deve estar aberta para a atmosfera, para evitar o aumento
da pressão do sistema devido ao aquecimento.
Foi utilizado um balão de 500ml, sendo recomendado preenche-
lo com até 2/3 do volume de sua capacidade e, não esquecendo de
colocar pedra-pomes, porcelana porosa ou bolinhas de vidro
juntamente com a mistura. Coloca-se um termômetro na parte
superior. Um condensador é colocado, para realizar a condensação do
vapor formado, com duas aberturas para entrada e saída de água
que circula no mesmo em sentido contrário à corrente de vapor. Por
fim um erlenmeyer, um balão para armazenar o líquido final do
processo.

Figura 2. Aparelhagem para uma destilação simples.

Experimento Grupo III


Afim de realizar uma destilação fracionada, este grupo utilizou
uma coluna de fracionamento do tipo Vigreux, a partir de uma
mistura de acetona e etanol.
Para esse experimento foram utilizados os mesmos materiais e
métodos do experimento do grupo I(Vide figura 1), a diferença é
somente na mistura destilada.

Experimento Grupo IV
Afim de realizar uma destilação fracionada, o grupo utilizou
uma coluna de destilação do tipo Hempel, a partir de uma mistura de
acetona e etanol.Essa coluna é formada por um tubo de vidro
empacotado com pequenos anéis de vidro que nesse caso foram
usados anéis de Rasching.
Para o experimento foi utilizado um balão de 500ml, sendo
recomendado preenche-lo com até 2/3 do volume de sua capacidade
e, não esquecendo de colocar pedra-pomes, porcelana porosa ou
bolinhas de vidro juntamente com a mistura. Um termômetro é
colocado na parte superior da coluna de fracionamento.Utilizou-se um
condensador de serpentina(Graham) que é colocado na vertical,
diferente dos outros colocados horizontalmente; esse condensador
também possui aberturas para entrada e saída de água que circula
pelo mesmo.Coloca-se abaixo do condensador um erlenmeyer ou um
balão para armazenar o líquido final do processo.
Figura 3. Condensador de Serpentina
(Graham)
Resultados e Discussões

Grupo I

Nesse experimento, obteve uma destilação fracionada de uma


mistura de água e acetona, utilizando-se a coluna de fracionamento
do tipo Vigreux.

Gráfico 1. Destilação Fracionada (Coluna de Vigreux)- Água+Acetona

O ponto de ebulição da água é de 98°C e o da acetona é de


56°C, podendo notar que o primeiro líquido a evaporar e condensar
foi a acetona, que também pode ser observada a partir do seu cheiro.
Observando-se o gráfico 1 pode ser notado que houve condensação
da acetona e da água nas suas devidas temperaturas esperadas.
Nota-se também que de 65°C até 95°C há uma variação
consideravelmente rápida da temperatura, observando após o final da
destilação.

Grupo II

Foi obtido nesse experimento, uma destilação simples de


Sulfato de Cobre(CuSO4).
A destilação ocorreu rapidamente e com sucesso.No caso da
solução utilizada, a água que possui ponto de ebulição 98°C,
comportou-se corretamente evaporando e condensando, deixando no
fundo do balão o CuSO4.

Gráfico 2. Destilação Simples da solução CuSO4

Grupo III

Essa destilação fracionada é obtida utilizando-se a coluna de


fracionamento do tipo Vigreux, a partir de uma mistura de etanol e
acetona. Essa coluna é menos eficiente do que a coluna de Hempel,
por ter um menor número de pratos teóricos, ou seja, quanto menos
pratos teóricos maior é a Altura Equivalente a um Prato Teórico
(AEPT).Portanto a coluna de Vigreux possui uma maior AETP.
Aos 59°C a acetona começa a entrar em ebulição. Considerando
o ponto de ebulição da acetona sendo 56°C pode-se comprovar que a
coluna de fracionamento tipo Vigreux não é totalmente eficaz quanto
a Hempel.
Gráfico 3.Destilação Fracionada(coluna de Vigreux)-acetona+etanol

Grupo IV

Foi comprovado com esse experimento que a coluna de


fracionamento do tipo Hempel é mais eficiente do que a de Vigreux,
pois o processo ocorreu mais rapidamente. De acordo com a
literatura, o ponto de ebulição da acetona é 56°C e a do álcool é de
77°C.No experimento, quando a temperatura atingiu 55°C começou
então a condensação da acetona observada não somente pela
proximidade da temperatura, mas também pelo seu cheiro.Após 18
min. à temperatura de 68°C começou a condensação do álcool,
também notada pelo seu cheiro.
Esse processo só não ocorreu mais rapidamente, pois os
integrantes do grupo não notaram que a água que deveria circular o
condensador estava parada, sem alcançar o objetivo da sua utilização
que seria de não aquecer o sistema.É possível notar no gráfico 4 que
a temperatura sobe rapidamente até chegar a 60°C e logo após
aumenta linearmente, sendo considerado esse momento de 60°C
constante permanecendo por um maior tempo do que em outras
temperaturas.

Gráfico 4. Destilação Fracionada(coluna de Hempel)-acetona+etanol

T
E
M
P
E
R
A
T
U
R
A
°C

TEMPO(minutos)
Resumo

Nesse procedimento experimental foram executadas destilações


simples e fracionadas de formas diferentes em cada grupo.
Grupo I: Destilação fracionada a partir de uma mistura de água
e acetona utilizando coluna de destilação tipo Vigreux. Grupo II:
Destilação simples a partir de uma solução de sulfato de cobre. Grupo
III: Destilação fracionada a partir da mistura de etanol e acetona
utilizando coluna do tipo Vigreux. Grupo IV: Destilação fracionada a
partir da mistura de acetona e etanol utilizando coluna do tipo
Hempel com anéis de Raschig.
As destilações feitas pelos grupos III e IV foram realizadas com
intuito de comprovar a maior eficácia entre as colunas de
fracionamento. O experimento do grupo I pode ser relacionado com o
que foi realizado pelo grupo III por diferenciar os componentes da
mistura.
Portanto neste trabalho experimental poderá ser visto com
clareza todos os processos e seus respectivos resultados.
Conclusão

Pode-se concluir com a realização desses experimentos a


importância da destilação para a separação de reagentes. Cada tipo
de destilação tem suas particularidades com pontos positivos e
negativos quando relacionado à eficiência de seus processos para
cada tipo de solução e/ou mistura.
Para se obter uma boa destilação necessita-se de cuidados e
atenção para com o experimento, pois podem ocorrer erros tais como
demora na evaporação de uma substância, super aquecimento do
sistema acarretando diferenças nos resultados esperados.
Observa-se nos gráficos de destilação fracionada que em
determinadas temperaturas se mantém constante, mostrando que
neste momento tem-se a ebulição dos dois componentes da mistura.
No entanto no gráfico da destilação simples observa-se que
permanece constante do início ao fim do experimento.

Referências Bibliográficas

SOARES, Bluma G. e outros. Química Orgânica: Teoria e Técnicas de


Purificação, Identificação de Compostos Orgânicos. Rio de Janeiro.
Editora Guanabara, 1.988.

BECKER, Heinz G. O. Organikum: química orgânica experimental. 2.


ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1997.