Você está na página 1de 3

Regimento Interno do Conselho do Cerest

Decreto nº 309 de 19/12/2007, DOM de 20/12/2007


DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
O Conselho Municipal de Saúde, de acordo com o previsto na Portaria MS/GM 1679, de 19
de setembro de 2002, que dispõe sobre a estruturação da RENAST - Rede Nacional de
Atenção Integral à Saúde do Trabalhador do Sistema Único de Saúde – SUS, ampliada pela
Portaria MS/GM 2437, de 07 de dezembro de 2005, DOU de 09 de dezembro de 2005 e
Resolução SS 82 de 24 de julho de 2003 da Secretaria Estadual da Saúde, aprova o
Regimento Interno que estabelece as normas de funcionamento do Conselho do Centro de
Referência em Saúde do Trabalhador – CEREST.
DO OBJETIVO DO REGIMENTO INTERNO
Art.1º- O Regimento Interno tem por objetivo disciplinar o funcionamento do Conselho do
Centro de Referência em Saúde do Trabalhador, vinculado ao Conselho Municipal de Saúde
de Ribeirão Preto e à Comissão de Intergestores Regional – CIR da DRSXIII.
DA DEFINIÇÃO
Art.2º- O Conselho, com funções de caráter consultivo e deliberativo, tem a finalidade de
assessorar o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador – CEREST.
DAS ATRIBUIÇÕES
Art.3º- São atribuições do Conselho: identificar, avaliar, discutir, acompanhar, deliberar e
fiscalizar a execução das ações do CEREST, de acordo com as diretrizes técnicas e políticas
definidas pela RENAST, pelas Conferências de Saúde e pelas Conferências de Saúde do
Trabalhador.
DA COMPOSIÇÃO
Art. 4º- O Conselho do Cerest é composto de 28 (vinte e oito) membros efetivos e 28
(vinte e oito) membros suplentes, eleitos ou designados assim constituído:
1 (um) Coordenador (responsável pelo Cerest);
6 (seis) representantes de sindicatos de trabalhadores de todos os segmentos de atividade;
6 (seis) representantes de sindicatos patronais de todos os segmentos de atividade;
1 (um) representante das Associações de Bairros ou Associações de Moradores do município
gestor;
1 (um) representante das Associações de Bairros ou Associações de Moradores da região
sob a jurisdição do Departamento Regional de Saúde – DRSXIII.
1 (um) representante do Departamento Regional de Saúde (DRSXIII);
1 (um) representante do Ministério do Trabalho;
1 (um) representante do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS);
1 (um) representante da Vigilância Epidemiológica ou Sanitária do município gestor;
3 (três) representantes dos Prestadores de Serviços respectivamente dos Hospitais Públicos,
Privados, Filantrópicos e Empresas de Medicina e Segurança do Trabalho;
1 (um) representante das Universidades Públicas;
1 (um) representante das Universidades Privadas;
1 (um) representante das Sociedades Científicas representadas pelos Conselhos Regionais
ou pelas Associações de Classe;
1 (um) representante do Conselho Municipal da Saúde;
1 (um) representante dos Serviços de Medicina e Segurança do Trabalho da Prefeitura
Municipal de Ribeirão Preto;
1 (um) representante da região sob a jurisdição do Departamento Regional de Saúde -
DRSXIII.
Art. 5º - Os membros do Conselho serão nomeados pelo Prefeito Municipal para um
mandato de 3 (três) anos de duração podendo haver até uma recondução.
Parágrafo Único – As funções do conselheiro não serão remuneradas, sendo consideradas
como de relevante interesse público.
Art. 6º - Os representantes dos sindicatos patronais e de trabalhadores, bem como os
representantes dos prestadores de serviços, sociedades científicas e das universidades
serão eleitos em assembléia específica do seu respectivo segmento, que será amplamente
divulgada.
Art. 7º - Perderá o mandato o membro que deixar de comparecer, a 3 (três) reuniões
consecutivas ou a 5 (cinco) reuniões intercaladas, no período de um ano, salvo se estiver
representado pelo seu suplente.
Parágrafo 1º - Na ausência do membro titular, a convocação do suplente é de inteira
responsabilidade do titular.
Parágrafo 2º - Na hipótese de mudança de governo municipal ou troca do Secretário
Municipal da Saúde, os membros do Conselho por eles indicados poderão ser substituídos.
DAS REUNIÕES
Art. 8º- O Conselho reunir-se-á em sessões ordinárias ou extraordinárias, convocadas pelo
Coordenador do Cerest ou por 1/3 (um terço) de seus membros titulares, 7 (sete) dias
antes da data marcada para a reunião.
Parágrafo 1º- Ordinariamente, o Conselho se reunirá uma vez por mês, conforme
calendário estabelecido por deliberações de seus membros.
Parágrafo 2º- Extraordinariamente, sempre que necessário.
Parágrafo 3º- As convocações das reuniões ordinárias ou extraordinárias do Conselho
serão feitas por carta e através do correio, e serão convocados apenas os membros
titulares.
Parágrafo 4º- Do ato da convocação escrita, deverão constar: pauta, data, local e horário
da reunião e, em anexo, cópia da ata da reunião anterior.
Parágrafo 5º- As reuniões do Conselho serão abertas à população, mas só terão direito a
voto os membros titulares ou membros suplentes que estejam representando os titulares.
Parágrafo 6º- Os membros participantes das reuniões deverão registrar presença em livro
próprio do Conselho ao qual estará vinculada a ata das reuniões.
Parágrafo 7º- Na impossibilidade de comparecer à reunião o membro titular ficará
responsável pela convocação do seu suplente, devendo inclusive, fornecer a este todo o
material recebido no ato da convocação.
Art. 9º- O Conselho funcionará através de reuniões plenas, subcomissões específicas de
trabalho e temas que envolva a Saúde do Trabalhador.
Parágrafo Único - As subcomissões e temas de trabalho serão compostas por membros
titulares ou suplentes, assessores e convidados que seguirão orientação e diretriz do
Conselho.
Art.10º- As substituições de membros do Conselho, deverão ser feitas pelo Secretário
Municipal da Saúde mediante ofício do Coordenador do Cerest.
Art.11º- A dispensa dos membros do Conselho, ao término do mandato, somente se
efetivará a partir da posse dos novos membros.
Art.12º- O Conselho elegerá o secretário e seu suplente na primeira reunião entre seus
membros.
Parágrafo Único - Na falta do secretário efetivo assumirá o seu suplente imediato.
Art.13º- As reuniões do Conselho serão compostas por:
I - Expediente;
II - Ordem do Dia.
Art.14º- O expediente terá duração máxima de 20 minutos e obedecerá ao seguinte
procedimento:
I - Discussão e aprovação da ata anterior;
II – Informes do Coordenador.
Art.15º- A Ordem do Dia deverá compor-se dos assuntos constantes da pauta para
discussão.
Art.16º- As reuniões do Conselho instalar-se-ão com a presença da maioria simples dos
seus membros em primeira chamada, ou com a presença de 1/3 (um terço) dos seus
membros em segunda chamada, 30 (trinta) minutos após.
Parágrafo Único- Os suplentes que não estiverem substituindo seus titulares, poderão
participar das reuniões com direito a voz.
Art.17º- Caberá ao Coordenador do Cerest a elaboração da pauta que comporá a ordem do
dia das reuniões do Conselho, considerando:
I - Propostas dos membros feitas em reuniões anteriores;
II - Matérias pendentes constantes da ordem do dia de reuniões anteriores;
III - Matéria apresentada por 1/3 (um terço) dos membros do Conselho, por meio de
requerimento dirigido ao Coordenador, protocolado 48 horas antes do prazo de expressão
da convocação da reunião, na qual deverá ser apreciado;
IV - Qualquer outra matéria relevante da competência do Conselho.
Parágrafo Único - Em reunião ordinária, por decisão da plenária, poderão ser incluídos
para deliberação, assuntos que não constem da Ordem do dia.
Art.18º- Somente será objeto de deliberação matéria constante da convocação ou
acrescida à Ordem do dia pelos membros do Conselho.
Art.19º- O Coordenador colocará, obrigatoriamente, em votação, toda matéria após
esgotadas as discussões.
Art.20º - Qualquer membro do Conselho poderá pedir vistas da matéria em deliberação,
tendo acesso a toda documentação pertinente ao assunto. Neste caso, a matéria deverá
obrigatoriamente, ser objeto de deliberação na reunião ordinária ou extraordinária seguinte.
Art.21º - Fica assegurado a cada um dos membros participantes das reuniões o direito de
manifestar-se sobre todo e qualquer assunto em discussão, não podendo voltar a ser
discutido após encaminhado para votação.
Art.22º- Os assuntos tratados e as deliberações tomadas em cada reunião serão
registradas em ata que será aprovada em reunião subsequente, desde que tudo esteja
correto.
Parágrafo Único – O Coordenador poderá deliberar AD REFERENDUM do plenário, em
ocasiões especiais. Tais deliberações deverão ser aprovadas pelo Conselho, perdendo a
validade se rejeitadas ou se não forem apresentadas para apreciação na primeira reunião
subseqüente. Em caso de empate na votação, o Coordenador terá a prerrogativa do voto de
qualidade.
DA ELEIÇÃO, DAS INDICAÇÕES E POSSE DOS MEMBROS DO CONSELHO.
Art.23º- O Conselho nomeará uma subcomissão eleitoral noventa dias antes do término de
cada mandato para acompanhar o procedimento eleitoral do triênio seguinte.
DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
Art.24º- O presente Regimento Interno poderá ser alterado por meio de proposta expressa
de qualquer um dos membros do Conselho e aprovado por maioria simples dos membros e,
após, submetido à aprovação do Conselho Municipal de Saúde e da Comissão de
Intergestores Regional – CIR da DRSXIII.
Art.25º- Os casos omissos deste Regimento serão resolvidos pelos membros do Conselho
do Cerest.