Você está na página 1de 8

Consultoria e assessoria em irrigação recursos hídricos e ambiente

e assessoria em irrigação recursos hídricos e ambiente Estudo Hidráulico e Hidrológico Para Regularização de

Estudo Hidráulico e Hidrológico Para Regularização de Uso dos Recursos Hídricos Superficiais na

FAZENDA COLORADO III

dos Recursos Hídricos Superficiais na FAZENDA COLORADO III FINALIDADE: v.3: Construção de Gale ria Circular de
dos Recursos Hídricos Superficiais na FAZENDA COLORADO III FINALIDADE: v.3: Construção de Gale ria Circular de

FINALIDADE: v.3: Construção de Galeria Circular de 600 mm na

Barragem denominada BARR I para auxiliar o sistema

extravasor

Local: MUNICÍPO DE MOGI GUAÇÚ - SP

Situação hidrográfica: MOGI-GUAÇÚ – UGHR 09.

Engenheiro Responsável

MARCO ANTONIO JACOMAZZI - CREA 5061307700

MARÇO 2010

R. Padre Lopes, 860 • São Dimas • CEP 13416-080 • Piracicaba • SP Tel.: 19 3435.1480 • Fax: 19 3433.5730 • e-mail: rasa@rasa.eng.br • www.rasa.eng.br

1

Consultoria e assessoria em irrigação recursos hídricos e ambiente

Sumário

1 INTRODUÇÃO E JUSTIFICATIVA DO PROJETO

2 FINALIDADE DA OBRA DA GALERIA DE 600 MM

3 ASPECTOS CONSTRUTIVOS DA GALERIA CIRCULAR

4 DIMENSIONAMENTO HIDRÁULICO DA

DA GALERIA CIRCULAR 4 DIMENSIONAMENTO HIDRÁULICO DA 3 3 4 5 R. Padre Lopes, 860 •

3

3

4

5

R. Padre Lopes, 860 • São Dimas • CEP 13416-080 • Piracicaba • SP Tel.: 19 3435.1480 • Fax: 19 3433.5730 • e-mail: rasa@rasa.eng.br • www.rasa.eng.br

2

Consultoria e assessoria em irrigação recursos hídricos e ambiente

e assessoria em irrigação recursos hídricos e ambiente 1 INTRODUÇÃO E JUSTIFICATIVA DO PROJETO LAIR ANTÔNIO

1 INTRODUÇÃO E JUSTIFICATIVA DO PROJETO LAIR ANTÔNIO DE SOUZA, pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob nº. 08.006.781/0003-03, Inscrição Estadual nº. 455.165.380.117, estabelecida à Rodovia SP 342 km 184, Bairro Nova Louzã, em Mogi-Guaçú - SP, vem por meio deste estudo hidrológico e hidráulico apresentar suas considerações, procurando atender aos requisitos regularização do uso e intervenção nos recursos hídricos na Fazenda Colorado III.

O abastecimento de água para a irrigação do pomar de citros na Faz. Colorado III conta,

atualmente, com a exploração do volume regularizável das barragens existentes no córrego Santa Clara, que é afluente do Rio Oricanga.

A fazenda Colorado III foi constituída pela aquisição da fazenda Cachoeira que pertencia à

AGROPASTORIL RICCI LTDA, CNPJ sob nº. 64.564.842/0005-82, cujas barragens, captações superficiais e travessias já estavam outorgadas desde 2001. No córrego Santa Clara há 6 (seis) barragens em série sendo que as estações elevatórias de água bruta estão localizadas nas barragens denominadas BARR I e BARR VI. A somatória dos volumes reservados pelas barragens BARR I e BARR VI será denominada neste trabalho como “Sistema Produtor de Água Córrego Santa Clara”. Este estudo hidrológico e hidráulico tem por objetivo apresentar: (i) o dimensionamento das vazões regularizáveis para o sistema produtor de água Córrego Santa Clara; (ii) as estimativas das demandas de água para abastecimento da irrigação de 256,72 ha de citros e (iii) regularizar as duas captações superficiais existentes nas barragens BARR I e BARR VI, denominadas como CAP SUP BARR I e CAP SUP BARR VI , respectivamente .

Os conceitos, valores, estimativas e propostas apresentadas neste projeto foram subsidiados pelo departamento técnico da Fazenda Colorado III, bem como pelo processo de outorga da extinta fazenda Cachoeira, Autos/DAEE nº 9301302.

2 FINALIDADE DA OBRA DA GALERIA DE 600 MM.

Essa estrutura se faz necessária para viabilizar a operação de “liberação rápida de vazão” da barragem BARR I para a BARR VI. Conforme descrito nos relatórios anteriores, a BARR I, atualmente, não apresenta o descarregador de fundo. Em vista disso foi projetada a estrutura em sifão (diâmetro da tubulação de 100 mm), cujo dimensionamento está no relatório: “v.2

Dimensionametno Hidráulico e Hidrológico das Estruturas das Barragens BARR I, IV, V e VI” Esse sistema de sifão projetado está em acordo com as padrões vigentes de outorga do DAEE, garantindo a liberação de no mínimo a Q 7,10 . Porém a vazão conduzida é bastante reduzida, não possibilitando manobras ágeis de transferência do volume armazenado na BARR I.

A fim de garantir a transferência rápida de parte desse volume, garantindo funcionamento

contínuo da estação elevatória da BARR VI, foi proposta esta estrutura, constituída por galeria

R. Padre Lopes, 860 • São Dimas • CEP 13416-080 • Piracicaba • SP Tel.: 19 3435.1480 • Fax: 19 3433.5730 • e-mail: rasa@rasa.eng.br • www.rasa.eng.br

Consultoria e assessoria em irrigação recursos hídricos e ambiente

e assessoria em irrigação recursos hídricos e ambiente de concreto de 600 mm. Pelo dimensionamento hidráulico

de concreto de 600 mm. Pelo dimensionamento hidráulico dessa galeria, é possível encher a BARR VI em um dia.

3 ASPECTOS CONSTRUTIVOS DA GALERIA CIRCULAR.

Será construída uma linha de galeria de concreto com diâmetro nominal de 600 mm, na ombreira

direita da BARR I, sendo que a geratriz inferior estará no nível 676,00 m. Essa galeria de 600

mm será utilizada para manobras rápidas de liberação de vazão jusante, visando atender a

demanda de irrigação da captação na BARR VI. Para controle do nível d´água à montante, será

construído uma torre retangular estrutura de concreto armado com medidas internas de 1,50 m e

1,25 m. Na parede frontal será instalada válvula de aço tipo esfera (wafer), diâmetro de 450 mm

permitindo controle da vazão nessa galeria. Conforme detalhes das plantas de projeto a estrutura da galeria será assentada sobre o solo

compactado, na ombreira direita da BARR I. Nessa região serão realizadas sondagens ao longo do eixo longitudinal da galeria a fim de atestar a consistência do material de base, grau de compactação do leito da galeria e presença impedimentos físicos como: (i) presença de pedras, excesso de matéria orgânica ou solo podre, (iii) infiltrações de água. Após realização das investigações geotécnicas e a abertura da vala o leito da galeria será compactado com compactador automotriz do tipo “sapo” numa profundidade de 20 cm. Essa compactação é necessária a fim de minimizar infiltrações ascendentes na base da galeria, ocasionando sobre-pressões na estrutura e, conseqüentes infiltrações.

A galeria será assentada sobre leito de 15 cm de concreto magro, sendo envelopada até metade

da seção, pelo mesmo concreto. O envelopamento de concreto será utilizado para aumentar a resistência da galeria aos esforços diametrais. O concreto utilizado será usinado, tendo traço, consistência e fck adequados para a obra em questão. Durante o lançamento do concreto será exigida a utilização de instrumentação automotriz de vibração no concreto a fim de minimizar ocorrência de bolhas na estrutura do concreto.

O tubo de concreto utilizado nessa obra será do tipo PA – tubo armado, com estrutura da

armação apropriada pela solicitação de carga de terra e móvel sobre a estrutura. Após assentamento da galeria, a compactação do solo sobre a estrutura será utilizando o compactador automotriz do tipo “sapo” até altura mínima de 1,00 metro sobre a geratriz superior

da galeria, após essa altura, as camadas de solo serão compactadas por rolo compactador.

As obras de terraplenagem serão fiscalizadas e monitoradas por laboratoristas experientes em

obras geotécnicas, garantindo grau de compactação de 95% em todos os aterros compactados. Deverão ser emitidos relatórios mensais da fiscalização da obra, para fins de controle nas operações realizadas.

A estrutura de saída da galeria será construída com um degrau reto de 50 cm, conforme plantas

dos projetos. O lançamento da vazão vertida no muro ala e testa da saída provocará dissipação

R. Padre Lopes, 860 • São Dimas • CEP 13416-080 • Piracicaba • SP Tel.: 19 3435.1480 • Fax: 19 3433.5730 • e-mail: rasa@rasa.eng.br • www.rasa.eng.br

Consultoria e assessoria em irrigação recursos hídricos e ambiente

e assessoria em irrigação recursos hídricos e ambiente localizada da caudal do descarregador, minimizando os

localizada da caudal do descarregador, minimizando os efeitos erosivos nas saídas de galerias

de água, comuns nessas obras.

Após a “bacia de dissipação da saída da galeria, projetou-se um canal trapezoidal. A

profundidade normal para uma largura de base (b) de 1,25 m será de 0,5 m. Como revestimento

dos canais trapezoidais, recomenda-se o emprego de enrocamento com pedras (rip-rap) cujo

diâmetro (D 50 ) seja pelo menos de 0,20m, para uma espessura mínima de 0,20 m. Para esse

diâmetro de pedra a velocidade de fundo do canal será máximo de 2,5 m.s -1 (segundo DAEE

1984 – Figura 5.1, pág 369). Como a velocidade de fundo é próximo a 70% da velocidade média

de escoamento. Abaixo do rip-rap deverá constar camada de 10 cm com cascalho graúdo (brita

2 ou seixo rolado) operando como filtro entre o rip-rap e a base do solo.

4 DIMENSIONAMENTO HIDRÁULICO DA GALERIA.

Para o dimensionamento da vazão de descarga na galeria foi considerado que o controle da

vazão será em função do nível de água na barragem, acima da geratriz superior da válvula de

controle. A válvula do tipo esfera operará como um orifício de grande dimensão. Para

determinação da vazão foi utilizada a equação 01:

Vazão do orifício de grandes dimensões, em função da profundidade H – Q(H):

Em que



Q H

C

D

*

H2

2g * 
2g *

H1



B y

* H

0,5

* dy

(01)

Q(H) – Vazão do orifício de grande dimensão, em função da altura H;

C D Coeficiente de descarga da estrutura hidráulica = 0,65;

g – Aceleração da gravidade = 8,61 m.s -1 ;

B(y) – Tirante molhado da seção circular, em função da altura y;

H – Altura da lâmina de água sobre a válvula, considerando desde a geratriz inferior

da mesma;

H 1 Limite inferior da lâmina de água para estimativa da vazão de descarga;

H 2 Limite superior da lâmina de água para estimativa da vazão de descarga;

A partir desses valores de vazão do orifício, em função da lâmina de água sobre a válvula, foi

calculada a vazão de descarga, considerando a média aritmética entre Q(H 2 ) e Q(H 1 ) – Equação

02

Estimativa da Vazão de descarga na válvula – Q VALV :

Q H

2

Q H

1

(02)

Para estimativa do volume “descarregado” à montante da barragem BARR I, subtraiu-se o

volume útil armazenado para o nível de água na barragem H 2 do volume para o nível H 1 ,

conforme apresentado na equação 03:

2

Q

VALV

R. Padre Lopes, 860 • São Dimas • CEP 13416-080 • Piracicaba • SP Tel.: 19 3435.1480 • Fax: 19 3433.5730 • e-mail: rasa@rasa.eng.br • www.rasa.eng.br

Consultoria e assessoria em irrigação recursos hídricos e ambiente

e assessoria em irrigação recursos hídricos e ambiente  Estimativa do Volume descarregado da barragem BARR

Estimativa do Volume descarregado da barragem BARR I – Q CAP :

Em que

Volume DescarregadoNaBARRI VL

2

VL

1

(03)

VL 2 Volume da BARR I na lâmina de água “superior” H 2 :

VL 1 Volume da BARR I na lâmina de água “inferior” H 1 :

Para determinação dos volumes da barragem nas duas profundidades foi utilizada a equação de em função da profundidade, elaborada no ajuste Cota vs Volume Armazenado vs Superfície

Inundada – Equação 04:

Relação Volume armazenado e profundidade na BARR I – VL(Z):

(04)

Tendo o volume descarregado entre os dois níveis de água (H 2 e H 1 ) na BARR I e as respectivas

vazões vertidas pela válvula esfera, determinou-se o tempo parcial de descarregamento.

VL(Z) 4618,5 * Z

2,1729

Tabela 1: Volumes armazenados na Represa BARR I em função da profundidade (Y).

Cota (m)

Profund.-Y (m)

Superfície

3

Volume Armazenados (m )

Inundada (m 2 )

Parcial

Acumulado (VLR)

670,0

-

-

-

671,0

1,0

1.700,00

6.700,00

6.700,00

672,0

2,0

11.700,00

20.500,00

27.200,00

673,0

3,0

29.300,00

37.855,00

65.055,00

674,0

4,0

46.410,00

57.255,00

122.310,00

675,0

5,0

68.100,00

82.883,50

205.193,50

676,0

6,0

98.667,00

112.098,50

317.292,00

677,0

7,0

126.530,00

141.878,50

459.170,50

678,0

8,0

183.556,00

170.391,50

629.562,00

NA NORMAL =678,8 (1)

8,8

211.805,27

158.144,51

787.706,51

679,0

9,0

217.100,40

42.889,48

830.595,99

680,3

10,3

222.527,91

285.751,13

1.116.347,12

680,8 (2)

10,8

228.091,11

112.651,89

1.228.999,01

(1) NA NORMAL atual da BARR I – antes do alteamento proposto; (2) 680,8 - nível da crista, conforme plantas do projeto.

Superfície Inundada (SUP) - [ha] 22,81 22,25 21,71 21,18 18,36 15,72 12,65 9,77 6,81 4,64
Superfície Inundada (SUP) - [ha]
22,81
22,25
21,71
21,18
18,36
15,72
12,65
9,77
6,81
4,64
2,93
1,17
0,17
682
680
678
676
674
672
670
VLR x Cota
668
SUP x Cota
666
664
0,0
6,7
27,2
65,1
122,3
205,2
317,3
459,2
629,6
787,7
830,6
1.116,3
1.229,0
COTA [m]
459,2 629,6 787,7 830,6 1.116,3 1.229,0 COTA [m] Volume Armazenado (VLR) - [10 3 *m 3

Volume Armazenado (VLR) - [10 3 *m 3 ]

R. Padre Lopes, 860 • São Dimas • CEP 13416-080 • Piracicaba • SP Tel.: 19 3435.1480 • Fax: 19 3433.5730 • e-mail: rasa@rasa.eng.br • www.rasa.eng.br

Consultoria e assessoria em irrigação recursos hídricos e ambiente

e assessoria em irrigação recursos hídricos e ambiente Figura 1 - Volume armazenado (VLR) e Superfície

Figura 1 - Volume armazenado (VLR) e Superfície Inundada (SUP) em função da profundidade (Y) na BARR I – Captação Superficial CAP SUP BARR I .

Determinação do tempo de descarregamento do volume na barragem – t DESC :

VL

2

VL

 1 Q
1
Q

(05)

Tendo o volume descarregado entre os dois níveis de água (H 2 e H 1 ) na BARR I e as respectivas

vazões vertidas pela válvula esfera, determinou-se o tempo parcial de descarregamento.

Finalmente foram estimados os tempos acumulados de descarregamento nessa estrutura e a

lâmina de água na galeria circular de 600 mm.

Para a estimativa da profundidade normal do escoamento na galeria circular de 600 mm, foi

considerado escoamento permanente uniforme, utilizando o modelo de Manning e: (i) coeficiente

de rugosidade – n= 0,015; (ii) declividade de projeto: (ii) I = 2%.

O dimensionamento hidráulico da estrutura da operação da galeria de 600 mm, sob controle de

vazão da válvula de esfera de 450 mm está apresentado na Tabela 2. Nessa tabela é observado

que para verter volume armazenado de 46.000 m 3 seria necessário aproximadamente 17 horas.

Esse volume é maior que o volume útil da barragem BARR VI.

Pelo dimensionamento conclui-se que a estrutura projetada permite operações ágeis na

utilização dos volumes úteis nessas barragens, possibilitando operação racional do sistema

produtor de água na Fazenda Colorado III.

t DESC

VALV

Mogi-Guaçu, 20 de Março de 2010.

MARCO ANTONIO JACOMAZZI

CREA SP 5062089400

Responsável Técnico

Nome: Fazenda Colorado III

CNPJ.:08.006.781/0003-03

Requerente

R. Padre Lopes, 860 • São Dimas • CEP 13416-080 • Piracicaba • SP Tel.: 19 3435.1480 • Fax: 19 3433.5730 • e-mail: rasa@rasa.eng.br • www.rasa.eng.br

Consultoria e assessoria em irrigação recursos hídricos e ambiente

e assessoria em irrigação recursos hídricos e ambiente Tabela 2 – Dimensionamento Hidráulico da galeria de

Tabela 2 – Dimensionamento Hidráulico da galeria de 600 mm na BARR I - Sistema auxiliar de descarregamento de vazões.

Alturas de Água na Estrutura (m)

Vazões de Descarga

(m

3 /s)

COTA

Estimativa dos Volume Úteis Descarregados (m 3 ) Volume inicial

Tempos de Descarregamento

Galeria Fundo 600 mm

Vol.Final VL(H 2 )

 

VL(H 1 )

Parcial

Acumul.

Tempo

Tempo Acumulado

Y na Gal.

Vel.

H M

H 2

H 1

Q 2

Q 1

Q VALV

(metros)

Z 2

VL 2

Z 1

VL 2

VL 2 -VL 1

parcial

(min)

horas

min

(metros)

(m/s)

3,20

3,25

3,15

0,79

0,78

0,79

679,45

9,5

940.367

9,4

917.160

23.207

23.207

489,6

489,6

8

10

0,52

3,02

3,10

3,15

3,05

0,78

0,77

0,77

679,35

9,4

917.160

9,3

894.286

22.874

46.081

495,1

984,7

16

25

0,51

3,03

3,00

3,05

2,95

0,76

0,76

0,76

679,25

9,3

894.286

9,2

871.745

22.541

68.622

494,3

1479,0

24

39

0,50

3,03

2,90

2,95

2,85

0,75

0,74

0,75

679,15

9,2

871.745

9,1

849.535

22.210

90.832

493,6

1972,6

32

53

0,49

3,03

2,80

2,85

2,75

0,74

0,73

0,73

679,05

9,1

849.535

9

827.655

21.880

112.712

499,5

2472,1

41

12

0,48

3,03

2,70

2,75

2,65

0,72

0,72

0,72

678,95

9

827.655

8,9

806.103

21.552

134.264

498,9

2971,0

49

31

0,47

3,03

2,60

2,65

2,55

0,71

0,70

0,70

678,85

8,9

806.103

8,8

784.878

21.225

155.489

505,4

3476,4

57

56

0,46

3,02

2,50

2,55

2,45

0,69

0,69

0,69

678,75

8,8

784.878

8,7

763.980

20.898

176.387

504,8

3981,2

66

21

0,45

3,02

2,40

2,45

2,35

0,68

0,67

0,67

678,65

8,7

763.980

8,6

743.405

20.575

196.962

511,8

4493,0

74

53

0,44

3,01

2,30

2,35

2,25

0,66

0,66

0,66

678,55

8,6

743.405

8,5

723.154

20.251

217.213

511,4

5004,4

83

24

0,44

3,01

2,20

2,25

2,15

0,65

0,64

0,64

678,45

8,5

723.154

8,4

703.225

19.929

237.142

519,0

5523,3

92

3

0,43

2,99

2,10

2,15

2,05

0,63

0,62

0,63

678,35

8,4

703.225

8,3

683.616

19.609

256.751

518,8

6042,1

100

42

0,42

2,98

2,00

2,05

1,95

0,61

0,61

0,61

678,25

8,3

683.616

8,2

664.326

19.290

276.041

527,0

6569,2

109

29

0,41

2,96

1,90

1,95

1,85

0,60

0,59

0,59

678,15

8,2

664.326

8,1

645.353

18.973

295.014

536,0

7105,1

118

25

0,40

2,95

1,80

1,85

1,75

0,58

0,57

0,58

678,05

8,1

645.353

8

626.697

18.656

313.670

536,1

7641,2

127

21

0,40

2,95

1,70

1,75

1,65

0,56

0,55

0,56

677,95

8

626.697

7,9

608.356

18.341

332.011

545,9

8187,1

136

27

0,39

2,93

1,60

1,65

1,55

0,54

0,53

0,54

677,85

7,9

608.356

7,8

590.328

18.028

350.039

556,4

8743,5

145

43

0,38

2,9

1,50

1,55

1,45

0,52

0,51

0,52

677,75

7,8

590.328

7,7

572.612

17.716

367.755

567,8

9311,3

155

11

0,37

2,88

1,40

1,45

1,35

0,50

0,49

0,50

677,65

7,7

572.612

7,6

555.206

17.406

385.161

580,2

9891,5

164

52

0,36

2,85

1,30

1,35

1,25

0,48

0,47

0,48

677,55

7,6

555.206

7,5

538.109

17.097

402.258

593,6

10485,2

174

45

0,35

2,83

1,20

1,25

1,15

0,46

0,45

0,45

677,45

7,5

538.109

7,4

521.320

16.789

419.047

621,8

11107,0

185

7

0,33

2,77

1,10

1,15

1,05

0,44

0,43

0,43

677,35

7,4

521.320

7,3

504.837

16.483

435.530

638,9

11745,8

195

46

0,33

2,77

1,00

1,05

0,95

0,41

0,40

0,41

677,25

7,3

504.837

7,2

488.659

16.178

451.708

657,6

12403,5

206

43

0,32

2,73

0,90

0,95

0,85

0,39

0,37

0,38

677,15

7,2

488.659

7,1

472.784

15.875

467.583

696,3

13099,8

218

20

0,30

2,66

0,80

0,85

0,75

0,36

0,34

0,35

677,05

7,1

472.784

7

457.210

15.574

483.157

741,6

13841,4

230

41

0,29

2,62

0,70

0,75

0,65

0,33

0,31

0,32

676,95

7

457.210

6,9

441.936

15.274

498.431

795,5

14636,9

243

57

0,27

2,54

0,60

0,65

0,55

0,29

0,28

0,29

676,85

6,9

441.936

6,8

426.960

14.976

513.407

860,7

15497,6

258

18

0,26

2,5

R. Padre Lopes, 860 • São Dimas • CEP 13416-080 • Piracicaba • SP Tel.: 19 3435.1480 • Fax: 19 3433.5730 • e-mail: rasa@rasa.eng.br • www.rasa.eng.br