Você está na página 1de 17

HISTÓRIA A

José Xavier Mouzinho da Silveira

Mouzinho
Da Silveira
Trabalho por: Tatiana Silva Nº17 11ºF
Índice Biografia História
Slide
explicativo

O novo
ordenamento Questão Outras
político e reformas
económico

Joaquim
O Recursos do
José Ferreira antónio de
Borges
setembrismo manual
aguiar
Biografia
José Xavier Mouzinho da Silveira (Castelo de
Vide, 12 de Julho de 1780 – Lisboa, 4 de Abril de
1849) foi um estadista, jurisconsulto e político
português e uma das personalidades maiores da
revolução liberal, operando, com a sua obra de
legislador, algumas das mais profundas
modificações institucionais nas áreas da
fiscalidade e da justiça. Preso durante a Abrilada,
tornou-se intransigente defensor da Carta
Constitucional pelo que teve de se exilar em
1828. Regressou ao Parlamento em 1834 para
defender a sua obra legislativa, mas exilou-se de
novo em 1836. Retirou-se da vida política
durante os seus últimos dez anos de vida.
Filho de Francisco Xavier de
Gomide e de Domingas
Angélica Subtil, ambos
naturais desta vila.
História
Em 1785 inicia a instrução primária nesta mesma terra, em 1797 conclui em Coimbra o
estudo liceal e matricula-se no primeiro ano da Faculdade de Leis e vem a tomar o
grau de Bacharel em Leis na Universidade de Coimbra. Em 1797 volta a Castelo de Vide
onde exerce advocacia. O primeiro posto público que ocupou foi como Juiz de Fora de
Marvão em 1809. Anos mais tarde foi transferido para Setúbal onde casou com Teresa
Guilhermina.
Implantação do A acção reformadora da
liberalismo em portugal regência de D. Pedro

Apoiantes de D.Pedro
O novo ordenamento político e económico (1832/34-1851)
A acção reformadora da regência de D. Pedro Reforma da administração:
A maioria das reformas que consolidaram o
regime liberal no âmbito social, económico, criação de províncias, comarcas e
administrativo, judicial e fiscal foram tomadas concelhos chefiados por funcionários
pelo ministro da Fazenda e da Justiça do régios (prefeitos, subprefeitos,
governo liberal da ilha Terceira, Mouzinho provedores)
da Silveira, durante o ano de 1832. Criação do registo civil para subtrair a
população à influência eclesiástica
Com o objectivo de liberalizar a economia e comércio
e libertar a terra dos senhorios para a agricultura:
Reformas da justiça
extinção das portagens e peagens.
diminuição dos direitos de importação Divisão do país em círculos judiciais,
supressão de monopólios do sabão e do vinho do comarcas, julgados e freguesias.
Porto. hierarquia de juizes
eliminação de situações de privilégio na economia. Criação do Supremo Tribunal da
Justiça.
O novo ordenamento político e económico

Finanças Outras medidas:


Criação do Tribunal do Tesouro Público Expulsão dos jesuitas devido ao
para arrecadação de impostos e apoio prestado à causa miguelista
contabilização das receitas do Estado. extinção de conventos, mosteiros,
eliminação do antigo sistema de hospicios das ordens masculinas
tributação local a favor do clero e incorporação dos bens das ordens,
nobreza e criação de sistema de na Fazenda Nacional
arrecadação nacional de impostos para o incorporação nos bens nacionais dos
Estado. bens da Coroa, Universidade de
Abolição dos privilégios, foros privados, Coimbra, Casa das Rainhas e do
portagens, sisas e corporações Infantado e das familias nobres
Criação de um Código Comercial (autor apoiantes do miguelismo.
Ferreira Borges) venda dos bens nacionalizados em
hasta pública entre 1834 e 1836.
O novo ordenamento político e económico

Questão:

Quais os benefícios que resultaram para o país das reformas de


Mouzinho da Silveira?
O novo ordenamento político e económico

Outras reformas:

Ferreira Borges, criou o Código Comercial (1833), estabelece o princípio


da livre circulação de produto (liberalismo económico) Joaquim António
Aguiar, ministro da Justiça, (1834/1835), aboliu o clero regular (Extinção
das Ordens Religiosas); Confiscação e nacionalização dos bens das
ordens religiosas, foram organizados leilões que beneficiaram a alta
burguesia, o dinheiro arrecadado foi usado para pagar dívidas do Estado;
O facto de só uma minoria (alta burguesia) ter beneficiado desta venda em
hasta pública gerou descontentamento generalizado
José Ferreira Borges
Joaquim antónio de aguiar
Os projetos Setembristas
e Cabralista

Em setembro de 1836 dá-se uma revolução


civil que obrigou a rainha D. Maria
(1826/1853) a revogar a Carta Constitucional
e a jurar a Constituição de 1822 e a convocar
eleições; O setembrismo
O setembrismo foi um movimento da
(1836/1842)
pequena e média burguesia, apoiada pelo
povo que reagiam contra o domínio da alta
burguesia que levara o país à miséria e o
governo era acusado de corrupção.
Os líderes setembristas eram o visconde Sá Os projetos Setembristas
da Bandeira e Passos Manuel; e Cabralista
O novo governo procurou desenvolve rumo
a país mais democrático;
Em 1838, foi promulgada uma nova
constituição (Constituição de 1838) que
procurava um compromisso entre o O setembrismo
conservadorismo da Carta Constitucional e o
radicalismo da Constituição de 1822. (1836/1842)

Passos Manuel Visconde Sá da Bandeira


Conclusão

Você também pode gostar