Você está na página 1de 5

10.

AS OPÇÕES TOTALITÁRIAS (totalitarismos)

O sistema político que marcou o mundo ocidental nos inícios do século


XX foi o demoliberalismo (direitos individuais, como a liberdade e a igualdade,
eram garantidos pelo Estado que se pretendia neutro e assentava na divisão dos
poderes).

• Com a vitória dos aliados na I Guerra Mundial, reforçou este


sistema político e inaugurou uma ordem internacional mais justa e fraterna,
baseada no triunfo das nacionalidades e nos progressos da democracia.

• Porém, na década de 20, um novo sistema político confrontou o


demoliberalismo. Movimentos ideológicos e políticos subordinaram o
indivíduo a um Estado totalitário e forte:
➢ Na Rússia soviética, o totalitarismo (sistema político, no qual o
poder se concentra numa só pessoa ou no partido único, cabendo ao Estado o
controlo da vida social e individual) adquiriu uma feição revolucionária: nasceu
da aplicação do marxismo-leninismo e culminou no estalinismo.
➢ Na Itália, e posteriormente na Alemanha, o Estado totalitário
foi produto do fascismo e do nazismo e revestiu um cariz mais
conservador.

• Comportamentos de crise pós 1ª Guerra Mundial que geraram


desconfiança nos sistemas demoliberais: pessimismo, insatisfação,
descontentamento social (desemprego); nacionalismo excessivo e
agressivo; irracionalismo, sentimentos racistas; avanço do comunismo;
desconfiança em relação às democracias parlamentares pela sua
incapacidade governativa; soluções violentas e ditatoriais, antiliberais;
e, com o aparecimento da crise de 1929 agravou-se a situação
económica e social.

1
a) Os fascismos, teoria e práticas

• Nos anos 30, a depressão económica acentuou a crise da


democracia liberal. Uma vaga autoritária e ditatorial dominou a Europa.
As primeiras experiências políticas totalitárias tiveram o nome de
fascismo (sistema político instaurado por Mussolini na Itália, a partir de
1922; era ditatorial, totalitário e repressivo; o fascismo suprimiu as liberdades
individuais e coletivas, defendeu a supremacia do Estado, o culto do chefe, o
nacionalismo, o corporativismo, o militarismo e o imperialismo) e de nazismo
(sistema político instaurado por Hitler na Alemanha a partir de 1933; para
além de perfilhar os princípios ideológicos do fascismo, distinguiu-se pelo
racismo violento, fundamentando-o numa suposta superioridade biológica e
espiritual do povo ariano).

• O fascismo italiano – tomada do poder

✓ O sistema fascista foi criado por Benito Mussolini, em Itália, a partir


de 1921, que tinha como milícia os “camisas negras”;
✓ Em 1922, Marcha sobre Roma, o rei Victor Emanuel III convidou
Mussolini a formar governo;
✓ Em 1924 o Partido Nacional Fascista obteve a maioria absoluta em
eleições…);
✓ Este sistema foi difundido por outros Estados europeus.

• O sistema fascista italiano é corporativista, pois, é um sistema


económico-social que regulamentou a ligação capital e trabalho e as
relações socioeconómicas, através das Corporações Mistas que agrupam
os patrões e os sindicatos operários da mesma profissão, a nível
nacional. Foram proibidas as greves e os lock-outs, sendo o Estado arbitrar as
relações entre os dois sindicatos, já que se dizia defensor do progresso
económico e justiça social. Este sistema transformou-se em político quando
é através da representação das Corporações que se processa a
participação do cidadão na vida política. Exemplos:
2
1926 – Lei sobre as Corporações (lei Rocco – sindicato patronal);
1927 – Carta do Trabalho (sindicato operário) e Ministério da Corporação;
1934 – Corporações Mistas (unificação dos sindicatos de patrões e
empregados);
1939 – Câmara dos Fasci e Corporações que substituiu a Câmara dos
Deputados)

• O fascismo (italiano) caracteriza por ser:


✓ anti-individualista, antiliberal e antimarxista (não respeita os
princípios liberais, caso da liberdade, tolerância, igualdade, respeito…);
✓ totalitário (opõe o interesse da coletividade ao do indivíduo, valoriza
a supremacia do Estado, ao qual o indivíduo deve estar subordinado);
✓ defende a unidade do Estado (funciona como um todo, o estado
sobrepõe-se a todos os interesses privados e a todos os particularismos, “O
Estado é tudo, o indivíduo nada”);
✓ valoriza e exalta a mística do Estado e da Nação;
✓ afirmação da pureza rácica e da superioridade (negam a ideia
de que os homens são iguais e só os melhores, os mais capazes, devem
governar, as elites);
✓ culto ao chefe (encenação e propaganda, o chefe é o super-homem,
o mais eficaz, cria gestos, encenações, usam símbolos e poses);
✓ mobilização das massas através de organismos de
enquadramento, arregimentação de massas, com partido único e um aparelho
repressivo, com forças paramilitares (Camisas Negras);
✓ corporativista: concebeu uma nova forma de regulamentar o capital
e trabalho e as relações socioeconómicas; organizou as diferentes profissões em
Corporações, admitindo no seu seio os sindicatos dos patrões e operários; as
corporações foram oficializadas em 1926 (leis Rocco) e submetidas à gestão do
Ministério das Corporações (1927); proibiu greves e lock-outs; as relações entre
os sindicatos da mesma corporação eram arbitradas pelo Estado.
✓ autarcia como modelo económico: o fascismo promove este
modelo económico autárcico que lhe garanta a autonomia (campanhas de

3
produção, caso da “batalha do trigo” em Itália; grandes obras de construção,
caso de estradas, barragens…).

• O nazismo – alemão (ascensão/tomada do poder)

✓ Após a 1ª Guerra Mundial e às graves condições do Tratado de


Versalhes (Diktat) para os alemães, instalou-se a crise, a instabilidade e
o descontentamento na Alemanha;
✓ Em 1918 houve a instituição do governo de Weimar;
✓ Em 1921 formou-se o Partido Nacional Socialista ou nazi (PNS
ou NSDAP), as SA tinham sido formadas em 1920, o seu principal líder
foi E. Rohm, que desapareceu em 1934, aquando da “Noite das facas longas”;
✓ Em 1923 deu-se a tentativa de golpe de Estado, o putsch de
Hitler em Munique, falhou. Entretanto foram criadas as SS em 1925, como
guardas pessoais de A. Hitler (um dos seus maiores líderes foi Heinrich
Himmler);
✓ Em 1926 forma-se a organização Juventudes Nazis;
✓ Em 1929/30 surge a depressão e a crise económica e social
agravou-se;
✓ 1932 O PNS ganha as eleições sem maioria;
✓ Em 1933, depois de novas eleições, que ganha mas sem
maioria, Hitler é nomeado chanceler pelo presidente Paul Hindenburg;
✓ Nesse mesmo ano (1933), deu-se a supressão dos partidos
políticos, à exceção do nazi; forma-se a Gestapo e o Ministério da Cultura
e Propaganda (Joseph Goebbels) e os primeiros campos de concentração
para os opositores;
✓ Depois de 1933, o partido nazi toma conte do poder:
sucederam-se perseguições às outras forças políticas; suspensão das
liberdades constitucionais; consolida-se o poder das forças militares e
paramilitares, caso das SS, Gestapo e SA;
✓ Em 1934, a 30 de Junho, dá-se o golpe das “Noites das facas
longas”. Hitler atinge o poder absoluto;

4
✓ Em 1935, serviço militar obrigatório e as Leis de Nuremberga;
✓ Em 1938, dá-se a anexação da Áustria e o episódio da “Noite
de Cristal” em novembro;
✓ Em 1939, dá-se a anexação da Checoslováquia e a invasão da

Polónia em setembro – início da II Guerra Mundial.

• O nazismo (alemão) caracteriza por ser:


✓ Além das características dos regimes autoritários, devemos
acrescentar o carácter violento, racista e militarista do regime
(apuramento físico e mental - eugenismo; preservação da raça ariana –
movimento antissemita; serviço militar obrigatório e programa de
rearmamento) e a sua relação Estado/Nação, ou seja, à mística do Estado
acrescentava a mística da Nação.

Você também pode gostar