Você está na página 1de 75

Eletroterapia nas disfunções

dermato-funcionais 

Prof. Jones Agne

www.eletroterapia.com.br
Dis fu n ções Derm ato - fu n c io n ais

 Alterações promovidas por agentes externos


(queimaduras, traumas, incisões, úlceras...) bem
como por disfunções de origem metabólica e/ou
orgânica que comprometem a função do tecido
tegumentar e subcutâneo, podendo gerar dor e
desconforto estético com reflexos orgânicos e
 psíquicos (percepção corporal e auto-estima).

Prof. Jones E. Agne


Aspecto Celulítico”

Gordura Lipedema Flacidez


Celulite

Regionalizada Muscular

Localizada Cutânea
Nomenclaturas

• Celulite (Alquier&Paviot na França, década


de 20)
• PEFE - Paniculopatía
Paniculopatía Edemato Fibro
Esclerótica (Binazzi,1977)
• Paniculose (Binazzi,1983)
• Lipoesclerose
Lipoesclerose nodular (Curri,1991)
• Lipodistrofia ginóide
ginóide (Ciporkin & Paschoal,
1992)
• Linfostase Cutánea Regional
(Godoy&Godoy, 2003)
Celulite

Desordem localizada que afeta o tecido dérmico e


subcutâneo, com alterações vasculares e
lipodistrofia com resposta esclerosante que resulta
inestético aspecto macroscópico.
LIPOEDEMA/LIPEDEMA
O lipedema é o aumento do volume
da região relacionado com o aumento
de gordura.
Características Biológicas
Gerais dos Agentes Físicos não
 Ionizantes
Agente Físico estímulo resposta
Estímulo: é a modificação nos processos fisiológicos vitais.

Princípio de Schultz-Arndt: considerando a


correspondência entre estímulo (dose) e reação
(resposta), estabelece que “não  se produzem
reações ou alterações nos tecidos se a energia
absorvida é insuficiente para estimular os tecidos
absorventes” .
Prof. Jones E. Agne
Representação
Representação esquemática da interação dos
agentes físicos com o meio biológico
AGENTE FÍSICO
Energia
Térmica Mecânica Eletromagnética
INTERAÇÃO FÍSICA
Com o meio biológico
Resposta Primária
(Bio)química
(Bio)química Nível celular
Resposta Secundária
Nível tissular e orgânico

Adequada Inadequada

 AÇÃO
 AÇÃO TERAPÊUTICA AÇÃO
AÇÃO LESIVA
LESIVA
Freqüência
• É o número de ciclos ou pulsos por segundo
(cps / pps). É o número de vezes que se repete
o Potencial de Ação em 1 segundo, quer dizer,
em Hertz. A freqüência e o período se
relacionam da seguinte forma:
forma:

T = 1/f e f = 1/T

• Quanto maior for a duração do pulso, menor


será a freqüência e vice-versa.
Prof. Jones E. Agne
A ATIVAÇÃO COM
ELETROESTIMULAÇÃO

No sistema neuromuscular periférico intacto,


a aplicação de uma corrente elétrica através
da pele pode reduzir o potencial de
membrana até o seu limiar e produzir
potenciais de ação 
ação  nos nervos e músculos
indistinguíveis daqueles gerados pela ativação
normal do sistema nervoso.

Prof. Jones E. Agne


1 PPS = 1Hz = 1 Potencial de Ação

Essa é a razão fundamental porque os eletroestimuladores de baixa freqüência


dificilmente apresentam valores acima de 150 Hz!!!!

Prof. Jones E. Agne


Eletroterapia

• Baixa frequência  – alcance biológico


Atéé 150 Hz
At

• Média Frequência  – 1000 a 10.000 Hz

• Alta Frequência  – acima de 300.000 Hz


NÍVEIS DE ELETROESTIMULAÇÃO
Curvas de Howson

SENSORIA
SENSORIAL MOTOR DOLOROSO

Prof. Jones E. Agne


Eletroestimulação para
fortalecimento e aumento da massa
muscular
Vou usar EE, o que devo saber?

1. Avaliar
Avaliar a deficiência muscular;
muscular;
2. Escolher o eletroestimulador;
3. Determinar os parâmetros da
corrente terapêutica;
4. Selecionar e adaptar os eletrodos.
Eletroestimulação

“É  a emissão de impulsos elétricos com características


fisiológicas gerados por um equipamento eletrônico,
os quais simulam os sinais elétricos do sistema
nervoso motor levando o músculo a contrair quando
existe a preservação idônea do conjunto
neuromuscular”.

Prof. Jones E. Agne


Objetivos da EE
Restabelecimento da sensação de contração
muscular (pós-operatória ou pós-traumática);
p ós-traumática);
Aumento da força muscular para melhorar a
estabilidade ativa
ativa de uma articulação;
Manter a condição do músculo (prevenção de
atrofia);
Potencialização muscular (atletas);
Eletrolipólise.

Prof. Jones Agne


Determinando a forma do impulso elétrico

Mas o impulso elétrico tem forma???

Bifásico, quadrado, simétrico!!!!


Importância da Largura
Largura dos pulsos
pulsos

Eletroanalgesia Fortalecimento

FES* - RUSSA  – NMES


TENS

20 a 250 µseg 150 a 400 µseg

*Acima de 400µseg  –
lesão neurológica
250 s
150 µs

200 µs

300 µs

400 µs

350 µs

Prof. Jones Agne


Importância
Importância da frequência dos
impulsos elétricos

1 impulso promove 1 potencial de ação


1 Hz = impulso durante 1 segundo
É possível ocorrer até 150 impulsos/segundo
Frequência máxima
máxima ideal nos equipamentos
equipamentos = 150 Hz

Alcance biológico
Somente produzem fortalecimento, tônus e
aumento de volume muscular os impulsos
enviados da seguinte forma:
Mas então, quais são as correntes que
poderemos usar com esses objetivos?
RUSSA  – KOTZ
AUSSIE Média
frequência

FES
Baixa
NMES frequência
F até 10 Hz = aquecimento e finalização do fortalecimento
F de 30 a 40 Hz = fibras vermelhas
F acima de 60 Hz = fibras brancas
Recrutamento das Fibras Musculares

• As fibras rápidas (FT) são recrutadas em último


lugar numa contração voluntária, com
intensidade superior a 80% da força máxima.
Assim tudo o que se deseja progredir em força
se vê obrigado a utilizar cargas muito pesadas.
• Stress sobre articulações e sistema cardiovascular,
esgotamento físico e psíquico do atleta, exposição a riscos
de lesões musculares e osteoarticulares.
FT
ST Resposta das fibras rápidas
(FT) e lentas (ST) à EENM

30 ms 100ms
A Recuperação Ativa utiliza freqüências que variam de 2 a
10 Hz que produzem diferentes efeitos benéficos

 Primeiro obteremos um efeito de eliminação de


ácido lático e outras toxinas;
 Posteriorm
Posteriormente
ente a oxigenação contribui à rápida
recuperação dos tecidos musculares,
 Seguida de um efeito endorfínico (anti-dor natural)
que contribuirá para acalmar as dores associadas
ao treinamento,
 para finalizar com um relaxamento geral que
produzirá efeito descontraturant
descontraturantee local.

Prof. Jones Agne


Pólo Positivo (+) Pólo Negativo (-)
VERMELHO PRETO
 Reação ácida (HCl) Ácido  Reação alcalina (OHNa)
clorídrico (4Cl+2H2O = Hidróxido de sódio  –
4ClH+O2)  – queimadura ácida queimadura alcalina, úmida,
 – sêca, dura, aderente à pele.
mole e não aderente à pele
nem mucosas.
Desidrata os tecidos
Endurece os tecidos
Fluidifica os tecidos
Bactericida Hidrata os tecidos
Provoca depressão tecidual  Amolece os tecidos
aneletrotonus  – redução ou Provoca abaulamento
supressão da excitabilidade
excitabilidade tecidual
elétrica. cateletrotonus  –
incremento da excitabilidade
excitabilidade
elétrica .

Prof. Jones E. Agne


ELETROPORAÇÃO

A Eletroporação por Ondas Eletromagnéticas


(OEM) de correntes
correntes elétricas de alta voltagem
e pulsos curtos produz
produz eletropermeabilidade
eletropermeabilidade
da membrana celular (poros reversíveis e
transitórios)
transitórios) facilitando a passagem de
substâncias ativas com diferentes funções.

Prof. Jones Agne


COMO INTRODUZIMOS
PRINCÍPIOS ATIVOS NOS
TECIDOS SUBDERMICOS

• IONTOFORESE
• MICROGALVÂNICA
• FONOFORESE (SONOPORAÇÃO)
• ELETROPORAÇÃO

Prof. Jones Agne


Eletroporação Iontoforese
• Princípio ativo sem • Princípio ativo
carga elétrica polarizado
• Macromolécula • Micromolécula
• Várias vias de • Uma via de
penetração penetração
• Corrente elétrica • Corrente elétrica
sem efeito com efeito
eletrolítico eletrolítico
• Lipossomado • Não lipossomado
Indicações

1. Tratamentos estéticos:
- Gordura localizada
- Celulite
- Anti-envelhecimento
- Cicatrizes
- Estrias

2. Tratamentos Reumatológicos e Medicina Desportiva:


- Patologias osteoarticulares agudas e crônicas
- Seqüelas de traumatismos e contusões musculares
- Neuralgias

Prof. Jones Agne


MET - Microcurrent Electrical Therapy
METS - Microcurrent Electrical Tissue Stimulation
MENS - Microcurrent Electrical Neuromuscular
Stimulators (?)
MTC –  Microterapia
 Microterapia Celular (Kroman)

 As microcorrentes são formas de ondas bifásicas e


interferenciais com freqüências variáveis.
Produz uma forma retangular de corrente, pulsos
monofásicos em rajada que variam periodicamente sua
 polaridade. A amplitude ajustada produz variação até 600 µA.
• forma de onda da saída de
uA
microcorrentes é quadrada,
bipolar e simétrica em sua
amplitude, possuindo a
mesma corrente tanto na
forma positiva quanto
negativa.
• Possui uma freqüência
randômica de 0,2 Hz á 3Hz

Microcorrente

uA

Microgalvânica
EFEITOS
• Microcorrentes aceleram a síntese
síntese de proteínas e o incremento do
transporte das membranas, aumento de ATP
ATP de 300 a 500%,
incremento no transporte de aminoácidos de 30 a 40% (CHENG,
1982).

• Crescimentodos fibroblastos e o alinhamento


a linhamento das fibras de
colágeno (DUNN, 1988).

• A aplicaçãode correntes de baixa intensidade a tecidos moles


infectados aumenta a destruição de bactérias e a abertura dos leitos
capilares (ROWLEY, 1985).

• A
 Além
lém da estimulação gerar alterações na cicatrização de feridas
crônicas, previne e elimina a infecção - devido a alterações locais
de pH, liberação de íons bactericidas pelo eletrodo e estimulação
de fagócitos - (DAYTON, 1989).
I n d ic ações d as m ic ro c o rr en tes 

• Cicatrização de ulcerações (crônicas em especial)


• Queimaduras

• Dor

• Estética*: rugas, estrias, celulite, gordura localizada.


•Praticamentenão existe contra indicações mas
cuidados na colocação dos eletrodos!!
Corrente Microgalvânica

• São correntes polares (monofásicas)


constantes ou pulsadas cuja intensidade está
limitada à microamperagem.

• As correntes monofásicas, apresentam efeito


galvânico, portanto deve-se respeitar a
polaridade da corrente.
corrente.
Microgalvanopuntura

Apresenta dois eletrodos


 um passivo tipo placa (positivo)

 um ativo do tipo fina agulha sustentada por


uma caneta (negativo).
  Eletroterapia
Corrente de baixa intensidade (µAmp) corrente
contínua, monofásica ou Microcorrente.

• Aumento do nº de fibroblastos jovens.


• Neovascularização.
• Retorno da sensibilidade dolorosa após
algumas sessões.
Eletrolipólise
 Não é uma técnica específica de correntes
polarizadas;
 Qualquer estímulo elétrico pode gerar a
degradação da gordura, de forma direta ou
indireta;
 O fortalecimento muscular com corrente
russa, FES, NMES também produzem lipólise.
 A atividade física posterior a eletrolipólise
é fundamental na redução de gordura.
Se denominam Ultrassom (US) as oscilações (ondas)
cinéticas ou mecânicas produzidas por um cabeçote
vibratório que se aplica sobre a pele, atravessando-a
e penetrando no organismo a diferentes
profundidades. Devido a sua elevada freqüência (1  –
3 e 5 MHz), saem do campo de percepção do ouvido
humano, por isso são chamadas US.
Principais parâmetros relacionados
às medições e utilização

• Área de radiação efetiva (ERA)


• Relação de não-uniformidade do feixe (BNR)
• Potência de saída (contínuo e pulsado LIPUS
(Low Intensity Pulsed Ultrasound)
US

1MHz 3 MHz 16
• 5 a 50%
Hz

48
Hz
• 5 a 50%
Contínuo Pulsado
100
Hz
• 5 a 50%
TIXOTROPIA

www.eletroterapia.com.br 43
Dosimetria
• Doses
 – 0,1 a 0,3 W/cm2 = Dose Baixa
 – 0,4 a 0,06 W/cm2 = Dose Média
 – > 0,7  – 1,2 W/cm2 = Dose Alta

Dose tem relação direta com


 – Efeitos
 – Penetração
Tempo do Tto com US

1. Segundo Hoogland (1986)


Tempo de aplicação = Área de tratamento em
cm2 Supondo que a área de tratamento mede
proximadamente
proximadamente 20 cm por 10 cm.
Então a área de tratamento será
20 cm X 10 cm = 200 cm2
ERA do aparelho HECCUS = 18 cm2
Tempo de Aplicação = 200 cm2/ 18 cm2 = 11
minutos
www.eletroterapia.com.br 45
 4 ERAS = 10 MINUTOS
Transdutor simples

3,5 3,5

X4
3,5 3,5

4 x 3,5 = 14 cm 2 durante 10minutos

www.eletroterapia.com.br 46
 4 ERAS = 10 MINUTOS
Heccus*

X4
6 6

6 x 3 = 18 cm 2 x 4 = 72 cm 2 durante 10minutos

www.eletroterapia.com.br 47
O US produz dois efeitos fundamentais ou
 primários no organismo
organismo

 efeito mecânico

 efeito térmico ou calórico


Terapia Combinada
Manthus Heccus

www.eletroterapia.com.br 49
Sonophasys
Sonophasys (Manthus)
Sonoforese
Sonoforese tridimensional (Heccus)

• US + Correntes Estereodinâmicas
• US = Programa do aparelho
• Correntes de 2.500 Hz (Manthus); 1.000 ou
4.000 Hz (Heccus) modulada até 100

www.eletroterapia.com.br 50
Ultracavitação
Indicação = gordura

www.eletroterapia.com.br 51
•   Frequencia 46 Khz + -1 Kh
• Potencia de trabajo 60 Wats
• Potencia / cm 2 : 10 Wats
Wats
• Profundidade de trabalho:
trabalho: 30
30 mm.
mm.
• Área focalizada: 40 mm.
mm.
• Aumento de
de temperatura
temperatura até 10 graus

www.eletroterapia.com.br 52
Ultracavitação

www.eletroterapia.com.br 53
LED
Light Emiting Diode
LED = LASER

• Foto Ativação • Foto Inibição


•  Colágeno • Colagenase
•  Elastina • Gelatinase
BIOESTIMULAÇÃO

A fototerapia usando luzes coerentes


coerentes (laseres) e não
coerentes (LED –Light Emiting Diodes) destacam-se
como método bioestimulador para o reparo
tecidual que aumenta a circulação local,
proliferação celular e síntese de colágeno (Smith e
Vladmirov,2005).

www.eletroterapia.com.br
LED’s

Luz Azul (470nm)


Luz Vermelha (630/5nm)
Luz Infravermelho
(830/904nm)
Efeitos da Ledterapia
Ledterapia
• Espectro Vermelho/Infravermelho
 – Estimula a liberação de substâncias
vasodilatadoras (histamina e ON)  – drenagem
vasodilatadoras
 – Ativação da enzima superóxido-desmutase que
controla a ação dos superóxidos, estabilizando
estabilizando o
pH, diminuindo a adesividade plaquetária
plaquetária e
estimulando a microcirculação
 – Com a estabilização do meio extracelular há
melhor permeabilização da membrana celular e
aumento da função mitocondrial.

Prof. Dr. Jones E. Agne


Sistemas de Terapia Anodyne
Anodyne
Monochromatic Infra Red PhotoThermal
PhotoThermal Energy -
M.I.R.E.

Sistema Profissional
Modelo 480
www.eletroterapia.com.br
Sumário Especificações
Especificações Anodyne
• 60 Diodos Infrav
Infravermelhos
ermelhos por almofada e comprimento onda 890 nm

• Energia
 – Emissão de 13 mW por diodo (10 barras)
 – 780 mW por almofada (6240 mW para 8 almofadas)

• Densidade da Energia
 – Área de Superfície da almofada  –  22.5 cm2 (180 cm2 em 8 alfds)
 – Joules/cm2 = w por segundo por cm2
 – 2.08 Joules/cm 2 por minuto de tratamento

• A energia pulsa 292 vezes por segundo


 – Reduz a acomodação
www.eletroterapia.com.br
Como é que funciona a Terapia Anodyne?

• A luz infravermelha tem como efeito primário a


liberação do Óxido Nítrico (ON) do sangue. Os fótons
infravermelhos transferem a sua energia cinética às
ligações químicas que sustentam o ON aos átomos
de Enxôfre (S) em alguns dos aminoácidos da
hemoglobina.
• Quando essa ligação se quebra o ON difunde-se
pelas células do músculo liso que envolve o
endotélio.
• O ON é fixado
f ixado e ativa a Ciclase do Guanilato
Guanil ato da
enzima.
www.eletroterapia.com.br
Mecanismo do efeito da luz infravermelha
e do Oxido Nítrico
Glóbulos Vermelhos

Luz Oxido Nítrico (NO)


atravessa 
Guanylate cyclase + NO
a pele 
GTP  cGMP
(PKG)
Fosforilação

Células Endoteliais Vaso dilatação (melhora a circulação) ,
angiogenesis, etc.

www.eletroterapia.com.br
TERAPIA POR
RADIOFREQUÊNCIA
NÃO
NÃ O AB
ABLA
LATI
TIVVA

Transferência Energética Capacitiva

Prof. Dr. Jones E. Agne


  RADIOFREQUÊNCIA
(0,3 - 0,6 - 1-4  –  5
 5  –  10-
 10- 27  –  40
 40 MHz)

o Radiofreqüência Indutiva
o Radiofreqüência Resistiva
Resistiva
o Radiofreqüência Capacitiva

o Ondas Curtas (27,12 MHz)

o Microondas (2.450 MHz)


Emissão da Radiofrequência

• Unipolar
• Monopolar
• Bipolar
• Tripolar
• Hexapolar
RADIOFREQUÊNCIA
• CORRENTES ALTERNADAS CUJA FREQUÊNCIA SEJA
SUPERIOR A 300KHz (0,3 MHZ)

• EFEITO TÉRMICO = TERMOTERAPIA


Ação sobre a pele!!!

 Ação imediata:
imediata: ativação do metabolismo celular e
do sistema circulatório da região, retração das fibras
de colágeno existentes.

 Ação a longo prazo:


prazo: entre 2 e 6 meses: estimulação
fibroblástica com maior produção de colágeno e
elastina: ação reafirmante.
Efeitos Fisiológicos da RF

Dupla ação
• Contração imediata do colágeno
• Remodelação do colágeno
LIPÓLISE

• Aumento do fluxo sanguíneo que libera ácidos livres


de gordura até o local onde há tecido adiposo e
aumenta a lipólise estimulando as catecolaminas
disponíveis na área.

• Devido ao trauma térmico nas células de gordura, há


liberação de gordura
gordura e gliceróis pela enzima
lipoproteína
lipoproteína lipase.
Ação da RF sobre
Radicais Livres
Graças a vasodilatação induzida,
induzida, incrementam-se
a circulação sanguínea e linfática, com uma
importante melhora dos aportes nutricionais e
oxigenativos estimulando-se a atividade da
respiração endocelular e a expulsão dos
catabólitos tóxicos, entre eles os radicais livres.
livres.
Esses têm sido identificados como os maiores
responsáveis pelo envelhecimento cutâneo e
deles depende o aspecto hipotônico da pele
envelhecida.
envelhecida. (BENACH, [1984]).

Prof. Dr. Jones Agne


A HSP 47 é uma proteína residente no retículo
endoplasmático que reconhece especificamente a
região da triple hélice de colágeno e é requerida
para a correta tensão e maturação das moléculas
de colágeno, assim como a organização do pró-
colágeno e seu controle de qualidade prévio para
sua secreção. Somente na presença desta
proteína de estresse as moléculas de colágeno
tipo I podem ser organizadas na forma
tridimensional correta de triple hélice. (Biol. Sci.
Space. 2004 Oct;18(3):118-119).
Prof. Dr. Jones Agne
Indicações

 Flacidez da pele facial e


corporal
corporal
 Fibroses recentes e tardias
 Cicatrizes
Cicatrizes e aderências
 PEFE (Celulite)
 Adiposidade Localizada
 Dor
 Liberação miofascial
 Fibromialgia

Prof. Dr. Jones E. Agne


Temperaturas externas

Quando configurar
configurar Flacidez e Gordura
Gordura
fibrose
± 40 C
± 35-36 C

Manter essa temperatura em torno de ± 3 minutos


Tratamentos
Fibroses Flacidez
• Temperatura interna • Temperatura interna

 39 a 41oC  40 a 45oC

• Aplicações
• Aplicações
Aplicações diárias
 2 Primeiras de 7 a 10 dias
 Depois a cada 15 ou 20 dias

OBSERVAR:
 Idade da paciente
Estilo de vida
Cuidados com a pele,
Contra indicações e cuidados

o Transtornos de sensibilidade inclusive pós-operatório de cirurgia


plástica e lipoaspiração;

o Sobre produtos químicos (ácidos para peeling)

o Gravidez, inclusive do profissional;

o Implantes metálicos e osteosíntesis;

o Sobre a glândula Tireóide;


Tireóide;

o Em focos infecciosos.

Você também pode gostar