Você está na página 1de 4

ATIVIDADE DE ESTÁGIO PARA: EDUCAÇÃO INFANTIL E/OU ENSINO FUNDAMENTAL

Nome do(a) estudante: RA: Turma: ______ Polo: UNIP Breves

Modalidade: (x) Educação Infantil ( ) Ensino Fundamental

RELATÓRIO SOBRE A ENTREVISTA REALIZADA COM O(A) PROFESSOR(A)


RELATÓRIO SOBRE A ENTREVISTA REALIZADA COM O(A) PROFESSOR(A)

No dia 15 de outubro de 2020, em entrevista pessoal, com a presença do


professor, seguindo todos os protocolos de segurança pela pandemia, realizei a
entrevista com o professor Júlio César Borges, que atua na educação infantil, desde
2014, em uma escola ribeirinha do município de Breves, por nome São Benedito.

FOTO 01: Escola São Benedito – rio Coqueiro Mapuá.

FONTE: Professor Júlio César Borges – acervo pessoal


A escola está localizada no rio Coqueiro-Mapuá, Município de Breves, já
funcionando na comunidade Rosa mística a 20 anos, porém o professor só trabalha a
cinco anos, nos quais trabalha com educação especial e educação infantil.
Buscamos essa alternativa para a entrevista, por pouco temos contato com tal
realidade ribeirinha, porém, a maioria dos professores desse município ao se formar,
consegue com maior facilidade, emprego no meio rural. Dessa forma, pensa-se, ser
interessante conhecer um pouco dessa realidade.
O professor respondeu a todo o questionário, mas já deixando claro que
responderia com base, no ano de 2019, pois nessa época de pandemia, as escolas
ribeirinhas, que normalmente são esquecidas pelo poder público, em vários aspectos,
não tinha segurança para manter os alunos em sala de aula, tão pouco com
possibilidades para o ensino remoto, já que nem energia elétrica possui. Tendo
energia, apenas por três horas diárias, através de um motor a diesel, e mesmo a
comunidade já possuindo internet, 90% dos alunos e suas famílias não tem nem
celular.
Sobre o planejamento das aulas e atividades, o professor respondeu que
mensalmente, eles se locomovem para a cidade, onde há uma coordenação da
secretaria municipal de educação, que realiza uma formação continuada, orientando
sobre materiais, metodologias e onde os professores relatam os benefícios das aulas
e dificuldades que não conseguiram superar.
No planejamento individual, o professor Júlio cita que realiza toda sexta feira,
organizando um semanário para a semana seguinte, onde rever os conteúdos que
conseguiu alcançar os objetivos com os alunos e prepara novas intervenções. Ele cita
que o planejamento sempre é muito flexível, pois como se trata de alunos de famílias
ribeirinhas, quando os pais precisam viajar para Breves, as crianças vêm junto e não
vão à escola. Elas também se ausentam, quando os pais vão trabalhar em roças e
tirada de açaí, pois quando falta combustível para os barqueiros, os pais não
conseguem trazer as crianças para a escola.
Fora os questionamentos da entrevista, conversamos longo tempo sobre a
realidade da escola ribeirinha. Onde o professor citou, que as crianças desde cedo,
começam a trabalhar com os pais nas lavouras e que foi muito difícil manter as
crianças logo que chegou na escola. Já que faltavam constantemente.
Assim, ele em parceria com alguns amigos da cidade, conseguiram montar uma
brinquedoteca, com o uso da televisão, ele leva vídeos musicais e educacionais, que
tonam as aulas mais dinâmicas e lúdicas. De acordo com o professor, suas aulas são
lúdicas, mas este teve que ensinar as crianças a brincarem, pois de início são muito
tímidas e nem conseguem socializar direito com as demais crianças. Assim, com a
brinquedoteca, as músicas e vídeos, o professor, já conseguiu com que as crianças
brinquem, são mais sociáveis e até os pais, são mais frequentes na escola, trazendo
diariamente as crianças.
FOTO 01: Professor ornamentando a sala e tornando lúdica visualmente.

FONTE: Professor Júlio César Borges – acervo pessoal

Ele conta que, no primeiro ano, as crianças só vinham quando tinha merenda
na escola, e como é constante a falta nessas escolas, logo as crianças faltavam muito.
Porem, com a metodologia lúdica ele consegue que mesmo sem merenda as crianças
compareçam e quando acontece isso, os pais mandam açaí, peixe assado, para que
as crianças se alimentem e fiquem na escola.
O resultado segundo o professor, são crianças mais felizes, sociáveis e saindo
da educação infantil já lendo, pois segundo o professor, que já trabalhou na cidade,
diz que, quando o professor consegue levar de fato os alunos para a escola e atrair
suas atenções, eles se desenvolvem mais rápido que os alunos da cidade.
Em relação a presença do professor na escola, ele diz que não é apenas
professor, mas diretor, servente, enfermeiro da comunidade, conselheiro, pois como
fez amizade, mantendo a escola neutra dos problemas pessoais, esta instituição se
tornou o centro, onde se busca remédios quando adoecem, aconselhamentos em
conflitos ou apenas um amigo no final da tarde para conversar.
Assim, foi realizada a entrevista com esse professor ribeirinho. Que é bem
conhecido na cidade de Breves, pelo trabalho revolucionário que tem realizado em
uma escola ribeirinha, que segundo alguns funcionários da secretaria de educação,
tem saído melhor que muitas escolas da cidade. Pois ele junta a cultura de sua paixão
pela capoeira, com a aprendizagem dos alunos, a ludicidade e amizade que consegue
realizar com a comunidade ribeirinha.

Acadêmica