Você está na página 1de 19

O REIKI E SUA INSERÇÃO NA PSICOPEDAGOGIA

COMO TERAPIA ALTERNATIVA.

Rosângela de Pinho Vitória


Aluna do curso de Psicopedagogia Clínica e Escolar
Faculdade de Joinville - ACE
Assessoria Universitária Pedagógica de Extensão – AUPEX
Capão do Leão – RS

rovitoria3@yahoo.com.br

ORIENTADOR(A):

RESUMO

Este Artigo tem o objetivo de ressaltar o papel do Reiki, perante o


conhecimento de sua aplicação e técnicas a serem utilizadas juntamente com a
prática psicopedagógica, como Terapia Alternativa, para transpor as dificuldades
no processo da aprendizagem, na busca de superar situações que geram
sofrimento, conflitos, desesperanças... Tratar o Ser Humano como um Todo, de
forma holística, equilibrar e harmonizar o corpo físico, mental, emocional e
espiritual, ou seja, o Ser Humano na sua totalidade. Todos os seres humanos
possuem a capacidade natural de recuperar a saúde, o Reiki ativa o sistema
imunológico, e os seus resultados vem sendo comprovados pela ciência e
destacados cada vez mais no Brasil e no Mundo. Atualmente, vem sendo aplicado
em hospitais e escolas obtendo resultados maravilhosos, e a sua inclusão como
Terapia Alternativa, paralelamente com a prática psicopedagógica, mostrará o
progresso não só da aprendizagem, bem como o crescimento do Ser como um
Todo.

Palavras-chave: Emocional; Aprendizagem; Equilíbrio.


INTRODUÇÃO

Este artigo tem o objetivo de evidenciar a relação do Reiki como Terapia


Alternativa com a psicopedagogia nos processos de aprendizagem onde possa
servir como referência que auxilie a ressignificar a prática psicopedagógica, a
relação entre psicopedagogo-cliente, tendo em vista o controle emocional, a
promoção da aprendizagem e o equilíbrio do Ser como um Todo, ou seja, que
atenda as necessidades do indivíduo no seu contexto físico-mental-emocional-
espiritual. A reflexão e a busca pela compreensão das dificuldades no processo
da aprendizagem da criança são questões fundamentais para a educação.

Com vistas a difundir e auxiliar a prática psicopedagógica com


aplicações e técnicas de Reiki, os pressupostos teóricos aqui desenvolvidos
constituem o resultados de uma ampla pesquisa bibliográfica e observações da
prática de Reiki, sustentada por experiências e vivências do trabalho como
Mestra em Reiki-Nível 3-B, durante quase dois anos de atendimento ao público,
uma vez por semana, na Equipe Reiki é Amor.

A arte de colocar as mãos para confortar e diminuir dores é um velho


instinto humano, ao primeiro sintoma de dor levamos as mãos instintivamente
na área dolorida. O toque humano transmite calor, serenidade e cura.

Neste artigo será apresentado um breve histórico do que é o Reiki, o


seu surgimento, Mestres, seu funcionamento, os seus cinco princípios, seus
níveis, as técnicas de aplicação que se sugere serem aplicadas como Terapia
por um terapeuta qualificado, paralelamente com a prática picopedagógica, de
acordo com a necessidade do caso que se apresenta, trabalhando a nível
físico, mental, emocional ou espiritual, tratando o Ser na sua totalidade.
REIKI - ENERGIA VITAL UNIVERSAL

O Reiki é um método de “ cura energética natural, universal” . é um


processo de encontro de duas energias. Da energia universal, REI, que se
refere à parte espiritual, essência energética cósmica, que permeia todas as
coisas e circunda todos os lugares; com a energia vital individual, KI, que
envolve e mantém todos os organismos vivos. Quando a energia Ki sai de
um corpo, esse deixa de ter vida.

É uma Terapia Milenar vinda do Oriente para o Ocidente há mais de


vinte anos. Seus princípios baseiam-se na bioenergética, na Física
Quântica, e é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde.

O Reiki é natural, promove a auto-cura, o conhecimento e


crescimento pessoal, é uma dádiva de Amor Incondicional, é um direito que
cada um recebe ao nascer.

A energia Reiki atinge todos os níveis do SER, efetuando curas


profundas á nível físico, emocional, mental e espiritual. Cria um estado de
harmonia para o SER, instala a saúde e propicia a paz.

É uma técnica que consiste na captação e transmissão dessa


energia através da imposição das mãos, onde busca ativar, restaurar,
harmonizar e equilibrar a energia do individuo, assim como a de outras
pessoas, animais e plantas, a dos alimentos e líquidos que ingerimos e
também do planeta.
Esta essência divina existe em todos nós e em tudo o que vive na
Terra. Todos podemos ser canais energéticos, facilitadores de Reiki, o que
significa (re)aprendermos a sintonizar-nos com a energia.
Segundo Sandra Paixão (2002, p.29):

“ No início da civilização o ser humano mantinha seus


canais de energia abertos e em harmonia, mas com o
tempo e com os avanços do egoísmo, do orgulho, e de outros
sentimentos passamos a utilizar apenas a energia
indispensável para a manutenção de nosso organismo.’’

No processo de iniciação, se restabelece o contato com a energia,


através do Mestre, que religa-nos como canal, á energia do Universo, abre
os chakras da coroa, coração e palma da mão, criando um vínculo especial
com a fonte do Reiki, o cosmo, DEUS.

Trata-se de uma técnica segura, sem efeitos colaterais ou contra-


indicações, compatível com qualquer tipo de terapia ou tratamento. Não é,
nem está ligado a nenhum sistema religioso.

Não existe limite de idade, nem condições para ser um canal de


Reiki ou um receptor da energia, que pode ser aplicada no local ou á
distância.

Permite reprogramar eventos passados, como traumas, vícios,


hábitos indesejáveis e até mesmo o inconsciente e coordenar eventos
futuros. A energia flui na intensidade e qualidade determinada por quem a
recebe.
E como relata Wagner D. Borges no prefácio de Marta de Abreu
Lima Moreira Mendes ( 2002, p. 12 ):

“ A única coisa que realmente faz a diferença em todos os


métodos, inclusive no Reiki, é o amor que se coloca
naquilo que se faz .”

Quanto mais amor e intenção de ajudar o reikiano tiver, e o receptor


em querer receber e ser ajudado, melhor será a integração com a
canalização das energias e os resultados obtidos.

O Reiki produz profundas mudanças na vida daqueles que estão


abertos para ela.

O tratamento com o Reiki promove o equilíbrio e trabalha á nível


físico, o corpo e dores manifestadas,no emocional, o que você está
sentindo, no mental, o que você está se permitindo pensar, e a nível
espiritual a capacidade de se amar e amar os outros, atua na causa das
doenças ao invés dos efeitos que ela gera.

HISTÓRIA, MESTRES, PRINCÍPIOS, FUNCIONAMENTO E NÍVEIS DO REIKI.

História, Mestres e Princípios:


Existem registros no Tibete, que pelos meados dos anos 6000 AC já eram
utilizados técnicas de cura através das mãos. Garitama Siddhartha, Buddha, na
Índia, nos anos de 500 AC, curava pela imposição de mãos, como relata os
registros de um de seus discípulos nos Sutras em sânscrito, dos métodos de
captação de energia.

A história do Reiki apresenta controvérsias, muitas versões são conhecidas.


A história tradicional do Reiki, contada no ocidente, relata-nos que começa em
quinze de agosto de mil oitocentos e sessenta e cinco, com o nascimento de
Mikao Usui, redescobridor do método de cura pela imposição das mãos. Muitas
alterações foram feitas a fim de que o método fosse aceito no ocidente quanto á
vida profissional e religiosa do Mestre, relatada de geração a geração.

MIKAO USUI
Mikao Usui, sacerdote cristão, diretor da Universidade de Doshisha em
Kioto, Japão, ouvia e lia para seus alunos muitas histórias sobre a vida de Jesus e
Buddha, que com as mãos, utilizavam técnicas específicas as quais
proporcionavam curas.

“ Um dia, ao ser questionado por um de seus alunos porque


não existiam o mundo de hoje outros curadores agindo da mesma
maneira que Cristo agia, já que Ele dissera aos apóstolos para “
curarem os doentes e levantarem os mortos”; se isso era verdade,
ensine-nos os métodos, questionaram os alunos.”
( DE’CARLI, 6ª Edição, p.26 )
Transtornados por não poder dar ás respostas ás duvidas dos alunos, pediu
demissão e começou a buscar provas para testemunhar a veracidade dos textos
bíblicos, relacionados com o assunto em questão.

Inscreveu-se na Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, para


aprofundar seus Estudos Cristãos, e tentar achar as respostas de como Jesus e
seus discípulos curavam doentes. Nada descobriu e ali só recebeu um Doutorado
em Escrituras Sagradas.

Retornou ao Japão e resolveu pesquisar no Budismo, aprendeu chinês e


sânscrito. Visitando inúmeros monastérios, conventos, encontrou um velho monge
que também se interessava pela cura física. Obteve permissão para ficar ali e
pesquisar nas Escrituras Budistas ( Sutras ), nas quais encontrou a fórmula para
curar usada por Siddhartha ( Buddha ).

Encontrou o que tanto procurava, em sânscrito, num manuscrito que nunca


fora traduzido para outras línguas. Em anotações de um discípulo desconhecido,
estava a fórmula para curar, mas sem as explicações de como usar e a devida
capacidade de ativação, não lhe davam a habilidade de curar.

Em 1908, Mikao Usui decidiu meditar e jejuar por um período de 21 dias,


como faziam os antigos mestres, a fim de purificar-se para receber uma visão que
o esclarecesse. Dirigiu-se ao Monte Kurama-yama, considerada montanha
sagrada, localizada aproximadamente 25 Km de Kioto. Levando os Sutras, um
cantil de pele de cabra com água e vinte e uma pedras para marcar o tempo, ficou
em absoluto jejum sentado próximo a um pinheiro, ouvindo o som de um riacho, á
meditar, orar, entoar cânticos, ler os Sutras e pedir ao Criador que lhe desse o
discernimento necessário para o uso dos símbolos.

Na madrugada do vigésimo primeiro dia, o jejum e a meditação, ampliaram


as fronteiras de sua consciência, e a aparição de uma luz branca, intensa, o
projetou para fora do corpo, entrando em profunda comunicação com seu “ Eu “
mental, visualizou luzes em forma de bolhas coloridas, com os símbolos sagrados,
recebendo a compreensão dos significados e utilização dos mesmos.
Naquele momento, recebia sua iniciação, e o conhecimento para usar e
ativar o poder dos símbolos em outras pessoas.

O cansaço e a fome que sentia desapareceram, cheio de energia, forte e em


total plenitude, começou a descer a montanha, era o primeiro milagre daquela
manhã.

No caminho de volta ao mosteiro, Mikao Usui tropeçou e machucou o pé,


sangrando e com muita dor, instintivamente segurou-o entre as mãos,
imediatamente a dor e a hemorragia passaram, esse foi o seu segundo milagre.

Continuando sua descida pela montanha, parou em uma estalagem e pediu


um desjejum. O proprietário, vendo seu aspecto, percebeu que ele vinha de um
longo retiro e sugeriu-lhe uma refeição especial. Mikao Usui recusou e pediu um
café completo, e sentado embaixo de uma árvore fez sua refeição, sem nenhum
problema de indigestão, ocorreu ai o terceiro milagre.

Ainda na estalagem, a neta do proprietário que lhe servira a refeição,


estava com o rosto inchado e aparentava ter chorado muito. Mikao Usui perguntou-
lhe o que acontecia e dela obteve como resposta que uma terrível dor de dente a
incomodava há alguns dias.. Ele pediu permissão para tocar-lhe o rosto. A dor
cessou e o inchaço desapareceu. Acontecia assim o terceiro milagre.

Chegando ao monastério, o curador ficou sabendo que seu amigo, o abade


ancião, estava acamado com uma dolorosa crise de artrite. Ao visitá-lo, enquanto
falava de suas experiências, colocou suas mãos sobre a área afetada e
rapidamente as dores desapareceram. Esse foi seu quarto milagre.
Durante a descida do Monte Kurama-yama, Mikao Usui decodificou,
reestruturou e resgatou o método milenar de cura pela imposição das mãos.
Mikao Usui resolveu trazer o Reiki, nome com o qual, batizou a Energia
Curadora, ao mundo. Decidiu vivencia-lá em pessoas carentes. Trabalhou com
mendigos, e não só os curou como lhes deu condições de procurar trabalho.
Percorreu cidades e aldeias durante três anos ajudando-os com a técnica que
detinha.

Após algum tempo, encontrou a mendigar uma das pessoas a quem curara
e quis saber porque retornara á velha vida, este lhe respondeu que era muito duro
trabalhar para viver, preferia mendigar.

Chocado, Mikao Usui reconheceu ter falhado, esquecera de ensinar-lhes


gratidão, apreciação pela vida e por um novo modo de viver.

De’ Carli (2000) explicita claramente em sua abordagem ao relatar-nos a


percepção de Mikao Usui.

A importância da troca de energia tornou-se clara para ele:


as pessoas precisavam dar de volta aquilo que receberam ou
a vida para eles estaria destituída de valor.
( DE’CARLI, 2000 p.31 )

Mikao Usui , nessa época, formulou os cinco princípios do Reiki.

OS CINCO PRINCÍPIOS

1º No dia de hoje, não sinta raiva e não fique zangado. ( Calma )


2º No dia de hoje, abandone as preocupações. ( Confiança )
3º No dia de hoje, agradeça suas bênçãos, respeite seus pais, mestres e os mais
idosos. ( Gratidão )
4º No dia de hoje, faça seu trabalho honestamente. ( Lealdade )
5º No dia de hoje, mostre amor e respeito e seja gentil com todos os seres vivos. (
Gentileza )

Determinou que o Reiki jamais deveria ser dado a alguém que não o
quisesse nem o valorizasse. Regeu-se assim, a transmissão e o aprendizado do
Sistema Usui de Cura Natural.

Mikao Usui tornou-se um peregrino pelo Japão, divulgando o Reiki, através


de palestras e iniciando aqueles que desejavam saber mais pelo processo de
iniciação, ensinando como curar a si mesmo e a alcançar a harmonia dos corpos
físicos, mental, emocional e espiritual.

CHUJIRO HAYASHI
Entre seus alunos estava Chujiro Hayashi ( 1878 - 1941), médico e
comandante da Marinha Imperial Japonesa, aos 49 anos, já na reserva, procurava
um modo de ajudar os outros quando conheceu o Dr. Usui, Hayashi passou a viajar
e acompanhar os trabalhos de cura e ensinamentos, tornando-se um dos mais
devotos alunos e profundamente envolvido com a prática do Reiki.

Fundou a primeira clínica de Reiki em Tokyo, e não apenas curava como


ensinava novos á discípulos a prática do método, os quais também saiam para
atender as pessoas que não podiam se locomover.

Desenvolveu o sistema de níveis para o recebimento das sintonizações e


dos símbolos. É considerado o estruturador do Reiki, pois organizou e sistematizou
o método descoberto por Mikao Usui. Passou a usar várias pessoas canalizando
energia Reiki para um só paciente, pois considerava que assim a energia era
potencializada.

Produziu uma ampla documentação comprovando os tratamentos, os quais


demonstram que o Reiki encontra e trata a fonte dos sintomas físicos e revitaliza o
corpo em sua totalidade.

Antes de falecer em 10 de maio de 1941, Hayashi elegeu a Sra. Hawayo


Takata para dar continuidade e propagar o Reiki no Japão e em outras partes do
mundo, onde naquela ocasião só existiam cinco mestres vivos, dentre eles sua
própria esposa Chie Hayashi.

HAWAYO TAKATA

Em 1935, Takata viajava para o Japão para realizar um ritual budista em


homenagem ao seu falecido marido, quando teve que ser internada em um
hospital, devido a fortes dores abdominais e cálculos biliares. Já na sala de
cirurgia, minutos antes da operação, ouviu uma voz várias vezes afirmando: “ a
operação não é necessária “. Desistiu da operação e internou-se na clínica de Reiki
de Chujiro Hayashi, onde aos poucos foi se restabelecendo e informando-se sobre
a técnica que lhe havia ajudado a curar-se.

Takata permaneceu no Japão por dois anos, onde aprendeu a técnica e


tornou-se Mestra, passou a transmitir e divulgar o Reiki no Ocidente, fundou a
Associação Internacional de Reiki (AIRA).

Para que o Reiki fosse bem aceito no Ocidente, Takata contava que Mikao
Usui era cristão, estudioso das religiões e diretor da Universidade de Doshiha em
Kyoto, e que o mesmo havia viajado para os EUA, China e Índia em busca de
saber como Jesus Cristo e Buda realizavam a cura de outras pessoas.
Apresentando Mikao Usui como cristão e professor universitário, Takata
conseguiu tornar a técnica muito conhecida e difundida, chegando até os dias de
hoje, tal como o Dr. Usui desejava.

Sabemos, atualmente, que a história introduzida no Ocidente, não condiz com


a verdade sobre alguns aspectos da descoberta do método por Mikao Usui.

Funcionamento do Reiki

O Reiki é uma técnica simples, direta, segura e fácil de aprender. Para


tornar-se reikiano, e poder usar a energia, é necessário passar pelo processo de
iniciação ou sintonização.

Após sintonizado, o reikiano passa a ser canal desta energia cósmica,


da qual todo o Universo é constituído, e para utiliza-la basta a imposição das mãos,
direcionando ou simplesmente apoiando-as sobre a pessoa que quer receber,
diretamente nas zonas afetadas ou nas posições indicadas que as energias fluirão
automaticamente.

E como nos fala Sandra Paixão (2002, p. 36):

‘’ O Reiki tem sua própria inteligência, sabe exatamente


onde ir e o que fazer.”

Em uma pessoa sadia, a energia passa livremente pelo corpo físico,


fluindo por caminhos denominados chakras, meridianos, nadis e circunda a aura,
campo energético a nossa volta, nutre órgãos e células e regula as funções vitais.
Os excessos físicos, emocionais, mentais e espirituais,ocasionados
pelas preocupações e agitação do dia-a-dia, liberam energias gerando ‘’ nós ou
bloqueios energéticos’’ que interferem ou impedem o fluxo normal da energia
vital, causando doenças em razão do deficiente ou mau funcionamento dos órgãos
e glândulas.

O Reiki cura, pela vibração da energia, atua nas partes afetadas, os ‘’


nós energéticos “, intervindo na matéria, nos outros campos de energia e na
consciência, levando a um estado natural de bem-estar, plenitude, harmonia e
equilíbrio.

Os níveis do Reiki e sua atuação.

São três os níveis ou graus principais do Reiki, onde para cada ativação é
necessário o processo de iniciação.

Nível I ou Físico ( O Despertar ) –

Atua á nível celular, restabelece a harmonia dos chakras, resgata a


condição original de bem estar e paz..

A transmissão da energia Reiki se dá através do contato das mãos do


terapeuta no paciente, nas posições relacionadas aos chakras ou diretamente nos
locais da dor.

Os chakras são centros, campos de vibração energética do corpo físico


quanto psicológica do organismo humano. É através deles que a energia entra e
sai do nosso corpo, circula e é processada pelo sistema endócrino por meio dos
hormônios glândulares.
Os sete principais chakras estão ligados a coluna vertebral pela medula
espinhal.

Chakra Básico – Localizado na base do cóccix, relaciona-se com as glândulas


reprodutoras, sexuais, e com a vontade de sobreviver.

Chakra Sacro ou Umbilical - Localizado na raiz dos órgãos genitais, quatro


dedos abaixo do umbigo, está ligado ao prazer físico, sexual, a alegria e a
criatividade.

Chakra Plexo Solar - Situado na ‘’ boca do estomago ‘’ é responsável pela auto-


estima.

Chakra Cardíaco – Localizado no coração, é o centro de equilíbrio entre a emoção


e a razão.

Chakra Laríngeo – Localizado na região da garganta, ligado á criatividade,


comunicação e expressão.

Chakra Frontal - Situado no centro da testa, rege o nosso direcionamento,


objetivos , intuição e clarividência.

Chakra Coronário - Situado na parte central, no alto da cabeça e está ligado a


tudo que se refere ao mental.

O Reiki, percorre os chakras, os meridianos ( canais energéticos ) e os


nadis ( canais condutores de energia ), dissolvendo os bloqueios ou nós
energéticos permitindo a liberação e harmonização dos chakras os quais induzem
o bom funcionamento da saúde do corpo na sua totalidade.
Nível II ou Mental ( A Transformação) –

Atua á nível mental e emocional, trabalha o inconsciente, como fobias,


desestruturações, obsessões, vícios, tendências adquiridas no ventre da mãe,
etc…

No nível II, são ensinados três símbolos, que são a essência do Reiki, são
sagrados e extremamente poderosos, compostos da união de mantras ( sons
energéticos ) e yantras ( desenhos energéticos ).

Segundo Johnny De’Carli ( -----------, p. 129 )

“ Os símbolos do Reiki são instrumentos vibracionais para a


captação, intercessão e restauração da energia primordial
cósmica, são poderosos recursos auxiliares para a cura,
permitindo a condução e ampliação da energia que passa a
poder ser transmitida for a do tempo e do espaço desta dimensão,
passa a limpar energeticamente pessoas, lugares e objetos, levando
a importantes aberturas nos processos inconscientes e um maior
vislumbre de nossas capacidade físicas e extra-sensoriais.”

A partir do nível II , disponhe-se de técnicas de ‘’ cura á distância ‘’


, que criam um elo de ligação com a pessoa a quem se transmite a energia, na
busca da cura, ocorre uma conexão ou alinhamento com todos os níveis do SER.

No Reiki existem muitos métodos de “ cura á distância “ porém os mais


utilizados são as técnicas de: “ Redução” , “ Substituto ” , “ Foto “ e “Joelho “.

Há também as “ técnicas de Transformação “: “Caderno “ e “ Caixa “,


onde são depositados os pedidos do próprio reikiano, como de outras pessoas, os
quais recebem a Energia Divina diariamente, vibrando á distância para o passado,
presente ou futuro, não importando o tempo nem o espaço, através do emprego
dos símbolos.

A utilização das técnicas da ênfase sobre os corpos físicos, emocionais,


mentais e espirituais , é a maneira pela qual se tem de auxiliar uma ou um grande
número de pessoas ao mesmo tempo que necessitam se harmonizar, equilibrar
para recuperar ou manter a saúde na sua totalidade.

Nível III – A ou Consciência ( A Realização ) –

Atua a nível de crescimento interior e da consciência.

Nesse nível recebe-se um símbolo sagrado que serve para ampliar e


intensificar os efeitos dos símbolos recebidos no segundo nível, capacitando o
aluno a harmonizar e curar um grande número de pessoas, multidão, estado e até
países.

Nível III – B ou Mestrado -

Atua a nível espiritual.

Nesse nível se recebe os conhecimentos de como iniciar novos reikianos.

Aprendizagem X Psicopedagogia X Reiki


É de suma importância para o desenvolvimento humano, que abrange todas
as modificações que ocorrem no organismo e na personalidade, os processos da
maturação e da aprendizagem.

É necessário que os organismos corporais, neurológicos e orgânicos,


estejam suficientemente desenvolvidos, maduros, para que se processe a
aprendizagem, através dos estímulos do ambiente sobre o indivíduo, diante de
uma situação – problema, ocorrendo uma mudança de comportamento em função
da experiência, relacionando o que está aprendendo com a vida.

De acordo com Assunção José ( -------- , p. 11 ):

“ O processo de aprendizagem sofre


interferência de vários fatores – intelectual, psicomotor, físico,
social – mas é do fator emocional que depende grande parte
da educação infantil. “

A formação emocional deve ser transmitida á criança desde o início de


seu crescimento, pela família, onde sabe-se que o carinho, é a melhor forma de
estimular os neurônios que controlam as emoções.

Saber conhecer e lidar com suas emoções é tão importante como saber
ler e escrever, e a qualidade da vida depende da capacidade de controle emocional
e o desempenho nas relações com os outros e consigo mesmo.

O ser humano está cada vez mais carente e em conflito, vive numa
sociedade em que o carinho dos pais para com os filhos está reduzido ou
totalmente banido das famílias, devido a vida agitada , atribulada do dia-a-dia,
acaba ocasionando interferência no rendimento escolar, nas relações, na auto-
estima, no equilíbrio pessoal, nas possibilidades de crescimento psicológico,
afetivo , emocional.

Goleman, nos relata em “ Inteligência Emocional “.

“ a aptidão emocional é uma capacidade que determina até


onde podemos usar bem quaisquer outras aptidões que
tenhamos, incluindo o intelecto bruto. E essa aptidão deve ser
adquirida já na infância, na maneira como a criança lida com as
frustrações, emoções e se relaciona consigo mesma e com o
mundo, partindo da sua experiência com modelos
significativos: os adultos que convivem com elas. Devíamos
gastar menos tempo avaliando as crianças e mais tempo
ajudando-as a identificar suas aptidões e dons naturais e a
cultiva-los. “

E a psicopedagogia, área recente, que procura apontar novos caminhos para


a solução de problemas antigos no processo da aprendizagem, em seus padrões
evolutivos normais e patológicos, bem como a influência do meio ( família, escola,
sociedade ) no seu desenvolvimento, vem atuar de forma preventiva e terapêutica,
essencialmente na prática psicopedagógica.

Para tanto, o psicopedagogo deve ser, antes de tudo, um preparador


emocional, acreditando no seu papel de transformador e na capacidade do
indivíduo de crescer, se desenvolver, recuperar a auto-estima, criatividade,
demonstrar afeição, amizade e acima de tudo aprender com prazer.

Considerando as emoções e os sentimentos, fatores implícitos em nossas


atividades, que ajudam ou atrapalham no desempenho dos processos da
aprendizagem, o equilíbrio das questões emocionais é de suma importância para a
motivação, orientação, desenvolvimento das relações e do ser como um todo.

E como nos lembra SABBI ( 2004, P. 77 )

“ Quando uma criança se sente amada e aceita, encontrará


dentro de si mesma a motivação que precisa para crescer e se
desenvolver plenamente, chegando a fazer coisas
surpreendentes.”

E a aplicação direta ou das técnicas do Reiki, paralelamente com o tratamento


psicopedagógico, como Terapia Alternativa, em caráter complementar, pelo próprio
psicopedagogo, devidamente sintonizado ou por Terapeuta habilitado, acredito
atuar nos casos de estresse, ansiedade, depressão, medos, traumas, auto-estima
abalada, dificuldades de aprendizagem, além de aliviar dores e tensões
musculares, restabelecendo a harmonia e o equilíbrio em todos os níveis de SER,
na busca de alcançar a paz de espírito, e a plenitude do SER como um TODO,
como quando em contato com a Energia Vital Universal.