Você está na página 1de 3

Prof.

Periclys

Memória ROM

Falamos até agora das memórias RAM que permitem leitura e escrita,
pois o mercado associou o termo memória RAM apenas para estes tipos de
memória. Todavia, existem memórias RAM que permitem apenas a
leitura, as chamadas memórias ROM (Read Only Memory).
As memórias ROM são, portanto, memórias RAM que
permitem apenas leitura, isto é, os dados não podem ser
alterados e com a particularidade de serem não voláteis, ou seja,
e não são perdidos quando há desconexão da fonte de energia.
Normalmente, a ROM é utilizada para armazenar firmwares, pequenos
softwares que funcionam apenas no hardware para o qual foram desenvolvidos
e que controlam as funções mais básicas do dispositivo.
Com o advento das novas tecnologias para memórias ROM, a
característica de ser apenas leitura deixou de ser totalmente verdadeira,
sendo possível alterar o conteúdo gravado.

RAM

Com as
novas
tecnologias,
Utilizadas
Memória Somente deixou de
em
ROM leitura ser
firmwares
totalmente
verdade.

Não
voláteis

Esquema 28 Memórias ROM.

Os principais tipos de ROM existentes são a Mask ROM, a PROM, a EPROM


e a EEPROM que são descritas no quadro a seguir.
Mask ROM Primeiras ROMs desenvolvidas constituídas de chips
integrados que guardam o software ou os dados gravados
durante sua criação.
PROM O conteúdo pode ser modificado por meio de um dispositivo
(Programmable ROM) conhecido como programador PROM, mas somente uma vez.
EPROM Permite a regravação de dados. O conteúdo do chip pode ser
(Erasable apagado expondo-o à luz ultravioleta por cerca de 10
Programmable ROM) minutos. Já o processo de reescrita dos dados requer uma
voltagem cada vez maior e, com isso, a número de
reprogramações acaba sendo limitado.
EEPROM Permite que os dados sejam apagados e gravados com o uso
(Eletronic Erasable de eletricidade.
Programmable ROM)
Esquema 29 Tipos de ROMs.

Prof. Periclys 47 de 133


Prof. Periclys

Memória Secundária e Memória Terciária

A memória secundária (auxiliar ou de massa) é a que apresenta a


maior capacidade de armazenamento na pirâmide, menor custo por byte e
tempos de acesso superiores. Esta memória tem por objetivo garantir um
armazenamento mais permanente a toda a estrutura de dados e
programas do usuário.
A memória secundária pode ser constituída por diferentes tipos de
dispositivos, alguns diretamente ligados ao sistema para acesso
imediato (discos rígidos, por exemplo), e outros que podem ser conectados
quando desejado (CD-ROMs, pendrives, etc.).
Na pirâmide de cinco níveis, os dispositivos que podem ser
conectados quando desejado (ou montados) estão classificados como
memória terciária. Porém, lembre-se que estes são um tipo de memória
secundária. Assim, se estivermos em um contexto com quatro níveis,
considere-os como memória secundária, se, por outro lado, estivermos tratando
da hierarquia de cinco níveis, considere-os como memória terciária.

Memória Secundária Memória terciária

Diretamente ligadas ao sistema Conectados ao sistema quando


para acesso imediato. desejado.

Não dependem de operações de Dependem de operações de


montagem. montagem.

Ex.: discos rígidos. Ex.: discos óticos, fitas magnéticas e


mídias removíveis.

São um tipo de memória


secundária.

Esquema 30 Memória secundária x memória terciária.

Prof. Periclys 48 de 133


Prof. Periclys

Vamos analisar as características destas memórias ou também chamados


dispositivos de armazenamento em massa:
Tempo de acesso: por serem, em geral, constituídos por dispositivos
eletromecânicos possuem tempo de acesso mais altos. Aqui saímos da
ordem dos nanossegundos e entramos na ordem dos milissegundos
para discos rígidos dos segundos para fitas magnéticas. Vale ressaltar,
que os discos rígidos SSD, mais modernos, já possuem tempos de
acesso bem mais rápidos, da ordem dos décimos de milissegundos.

Capacidade: são os dispositivos que possuem as maiores


capacidades de armazenamento. Os discos rígidos e fitas magnéticas
são da ordem dos terabytes. Os discos óticos têm sua capacidade
variável deste centenas de megabytes até uns pouco gigabytes.

Volatilidade: como estes dispositivos armazenam as informações de


forma magnética ou ótica, elas não se perdem nem desaparecem
quando não há alimentação elétrica. São, portanto, não voláteis.

Tecnologia: variado para cada tipo de dispositivo. Os dispositivos


serão analisados em tópicos específicos quando necessário.

Temporariedade: são de caráter permanente ou, pelo menos, de


longo período de armazenamento.

Custo: custo mais baixo, variando dependendo do dispositivo.

Memória Secundária (e terciária)

Tempo de acesso: mais alto (milissegundos ou segundos)


Capacidade: mais alta (até terabytes)
Volatilidade: não volátil.
Tecnologia: discos magnéticos ou óticos. Flash para os SSDs.
Temporariedade: permanentes.
Custo: mais baixo.

Esquema 31 Memória Secundária (e terciária).

Prof. Periclys 49 de 133

Você também pode gostar