Você está na página 1de 55

alfaconcursos.com.

br

SUMÁRIO
EXERCÍCIOS ........................................................................................................................................................ 2
GABARITO .................................................................................................................................................... 55

MUDE SUA VIDA!


1
alfaconcursos.com.br

EXERCÍCIOS
Ano: 2019 Banca: NC-UFPR Órgão: TJPR Prova: NC-UFPR – 2019 – Concurso de Remoção –
Notário e Registrador Tema: Princípios expressos, explícitos e constitucionais

1. “Não são poucas nem simples as interpretações dadas ao princípio da moralidade,


insculpido na Constituição da República de 1988 como um princípio geral de direito
administrativo. As dificuldades interpretativas que circundam o tema decorrem,
primariamente, da abertura semântica dos vocábulos envolvidos na expressão e, ainda,
da ausência de vínculos juspositivos evidentes entre o princípio geral e seus mecanismos
de densificação” (MARRARA, 2012). Levando em consideração a posição do autor,
assinale a alternativa correta.

a) Não é possível a concretização do princípio da moralidade no Brasil sem lei que o


regulamente.
b) Apesar das dificuldades hermenêuticas, resta indiscutível a vinculação da moralidade
administrativa com o dever de probidade dos agentes públicos e também dos
particulares em colaboração ou parceria com o Estado.
c) Moralidade administrativa é um princípio expresso da Administração Pública na
Constituição brasileira, ainda que não esteja previsto em outros diplomas legais
infraconstitucionais que tratam da matéria.
d) Moralidade administrativa não é um conceito jurídico, e sim um valor prático, que varia
conforme a aspectos subjetivos do intérprete.
e) Moralidade administrativa é o princípio constitucional de maior hierarquia no sistema
constitucional vigente.

Comentário da questão: A assertiva incorreta é a letra B.

A) INCORRETA. Cite-se, por exemplo, a Súmula Vinculante nº 13, que veda o


nepotismo: “A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta,
colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante ou
de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou
assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda,
de função gratificada na administração pública direta e indireta em qualquer dos
poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, compreendido
o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Constituição Federal.”

Vale ressaltar que, antes da edição da referida Súmula, a prática do nepotismo


era vedada pela Resolução nº 07/05, cuja constitucionalidade foi reconhecida pelo
STF. No RE 579.951, a Corte Suprema prevê expressamente a desnecessidade de
edição de lei formal para coibir a sua prática: “Embora restrita ao âmbito do Judiciário
a Resolução 7/2005 do Conselho Nacional de Justiça, a prática do nepotismo nos
demais Poderes é ilícita. II — A vedação do nepotismo não exige a edição de lei
formal para coibir a prática. III — Proibição que decorre diretamente dos princípios

MUDE SUA VIDA!


2
alfaconcursos.com.br

contidos no art. 37, caput, da CF/1988. [RE 579.951, rel. min. Ricardo Lewandowski,
P, j. 20-8-2008, DJE 202 de 24-10-2008, Tema 66.]”

B) CORRETA. A violação do princípio da moralidade administrativa possui


íntima ligação com a probidade administrativa. Ademais, o descumprimento de
preceitos éticos pode gerar improbidade, na forma do art. 37, §4º da CRFB. A Lei nº
8.429/92, no seu artigo 11, prevê os atos de improbidade que atentem contra os
princípios da administração, sendo certo que o rol de condutas listadas nos seus
incisos é meramente exemplificativo. Quanto aos particulares, se houver vínculo com
o Estado (ex.: entidades do terceiro setor), há necessária observância dos princípios
da Administração Pública. Não por outro motivo, “a seleção de pessoal pelas
organizações sociais deve ser conduzida de forma pública, objetiva e impessoal, com
observância dos princípios do “caput” do art. 37 da CF, e nos termos do regulamento
próprio a ser editado por cada entidade”. (ADI 1923/DF).

C) INCORRETA. O princípio da moralidade não se encontra expresso apenas


na Constituição Federal. Podemos citar, por exemplo, a Lei nº 9.784/99, que trata
do processo administrativo federal, que prevê expressamente o referido princípio no
seu art. 2º.

D) INCORRETA. A moralidade administrativa se trata de conceito jurídico,


embora indeterminado. Sendo assim, a alternativa se encontra equivocada ao afirmar
que o princípio não possui valor jurídico.

E) INCORRETA. Os princípios constitucionais não são dotados de hierarquia.

Ano: 2019 Banca: NC-UFPR Órgão: TJPR Prova: NC-UFPR – 2019 – Concurso de Remoção –
Notário e Registrador Tema: Princípios expressos, explícitos e constitucionais

2. “Moralidade, de um lado, é vocábulo que traz uma plurissignificação incontestável cuja


causa se encontra no seu uso tanto frequente quanto amplíssimo em incontáveis campos
das ciências sociais e humanas, inclusive na ciência jurídica. A essa plurissignificação se
soma uma multiplicidade de modelos que pretendem explicar a relação entre direito e
moral”

(MARRARA, 2012). Sobre o tema, assinale a alternativa correta.


a) A moral acaba por ser um subcampo do Direito, a partir do momento em que há a
constitucionalização formal do princípio.
b) No Brasil, as hipóteses de improbidade administrativa estão tipificadas como
numerus clausus, mas não os demais vícios de imoralidade.
c) A moralidade administrativa é um vocábulo de difícil concretização, mas já existem
no ordenamento brasileiro mecanismos para a sua aplicação, como, por exemplo, a
Súmula Vinculante 13 do STF, que trata do nepotismo.
d) Um ato administrativo não pode ser imoral se for legal.
e) O respeito à moralidade administrativa, atualmente, justifica a inversão do ônus da
prova contra o acusado e em favor da persecução judicial das ações danosas ao
interesse público, desde que autorizada pelo Poder Judiciário

MUDE SUA VIDA!


3
alfaconcursos.com.br

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra C.

A) INCORRETA. A moralidade não constitui um subcampo do Direito.


Primeiramente por não se aplicar somente no âmbito jurídico e, segundo, porque o
princípio da moralidade é autônomo, não possuindo uma “subrelevância” em relação
aos demais princípios.

B) INCORRETA. A lei responsável pela normatização da punição dos atos de


improbidade administrativa é a Lei nº 8.429/92. Os atos previstos nos artigos 9º, 10
e 11, que combatem o enriquecimento ilícito, prejuízo ao erário e violação aos
princípios, respectivamente, constituem um rol meramente exemplificativo. Logo, se
temos uma conduta em que há prejuízo ao erário que não esteja descrita entre os
incisos do art. 10, restando devidamente preenchidos os demais requisitos da LIA,
há de se reconhecer o ato de improbidade administrativa.

C) CORRETA. A moralidade, realmente, se trata de um conceito variável. O


nepotismo, por exemplo, somente passou a ser vedado recentemente, notadamente
pela Súmula Vinculante nº 13 do STF (editada após a Resolução nº 07/05 do CNJ
que também expunha tal vedação). É plenamente possível que, futuramente, algum
ato que hoje não seja considerado imoral passe a ser reconhecido como violador do
princípio da moralidade.

D) INCORRETA. É possível que um ato seja legal e, ao mesmo tempo, imoral.


O próprio nepotismo, por si só, não feria nenhuma lei específica. Entretanto, por
violar a moralidade, passou a ser punido. A necessária observância dos princípios no
âmbito do Direito Administrativo decorre do princípio da juridicidade, amplamente
reconhecido após a constitucionalização do Direito Administrativo.

E) INCORRETA. A alternativa confunde a presunção de legitimidade dos atos


administrativos que se restringe à seara administrativa. No âmbito judicial, não há
que se falar em inversão do ônus da prova contra o acusado.

Ano: 2018 Banca: NC-UFPR Órgão: Câmara Municipal de Quitandinha Prova: NC-UFPR -
2006 – Câmara Municipal de Quitandinha - Advogado Tema: Poder de Polícia

3. Quando uma autoridade administrativa interdita um estabelecimento comercial privado,


constitui exemplo do exercício do poder:
a) Hierárquico.
b) Interventor.
c) De polícia.
d) Eficaz.
e) Disciplinar.

MUDE SUA VIDA!


4
alfaconcursos.com.br

Comentário da questão: A alternativa correta é a letra C.

A) INCORRETA. O poder hierárquico consiste na prerrogativa do administrador


de estruturar, escalonar e hierarquizar os seus quadros e decorre da estrutura
verticalizada da Administração Pública. Como decorrência do poder hierárquico,
podemos citar a delegação de funções.

B) INCORRETA. Não há “poder interventor” dentre os poderes administrativos,


que se dividem em: poder de polícia, hierárquico, disciplinar e regulamentar.

C) CORRETA. A definição de poder de polícia consta no art. 78 do CTN:


“Considera-se poder de polícia atividade da administração pública que, limitando ou
disciplinando direito, interesse ou liberdade, regula a prática de ato ou abstenção de
fato, em razão de interesse público concernente à segurança, à higiene, à ordem,
aos costumes, à disciplina da produção e do mercado, ao exercício de atividades
econômicas dependentes de concessão ou autorização do Poder Público, à
tranquilidade pública ou ao respeito à propriedade e aos direitos individuais ou
coletivos.” Por sua vez, Diogo Figueiredo de Moreira Neto reconhece quatro fases do
ciclo de polícia: ordem de polícia, consentimento de polícia, fiscalização de polícia e
sanção de polícia.

A sanção de polícia consiste na medida coercitiva aplicada ao particular que


descumpre a ordem de polícia ou os limites que foram impostos no consentimento
de polícia. A interdição de estabelecimento em situação irregular se trata de um
exemplo de sanção de polícia.

D) INCORRETA. Não há “poder eficaz” dentre os poderes administrativos, que


se dividem em: poder de polícia, hierárquico, disciplinar e regulamentar.

E) INCORRETA. O poder disciplinar decorre da supremacia específica, ou seja,


trata-se da prerrogativa reconhecida à Administração Pública para investigar e punir,
com o contraditório e ampla defesa, agentes públicos, nos casos de infrações
funcionais, e os demais administrados que estejam sujeitos à disciplina especial
administrativa (ex.: concessionário prestador de serviço público).

Ano: 2018 Banca: NC-UFPR Órgão: Câmara Municipal de Quitandinha Prova: NC-UFPR -
2006 – Câmara Municipal de Quitandinha - Advogado Tema: Princípios expressos, explícitos
ou constitucionais

4. O particular pode fazer tudo o que a lei não proíbe e a Administração Pública só pode
fazer o que a lei determina ou autoriza. Essa afirmativa refere-se ao princípio da:

a) Proporcionalidade.
b) Moralidade.
c) Obrigatoriedade.
d) Contradição.
e) Legalidade.

MUDE SUA VIDA!


5
alfaconcursos.com.br

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra E.

A) INCORRETA. O princípio da proporcionalidade, reconhecido de forma


implícita no âmbito da Administração Pública, se subdivide em três princípios:
adequação, necessidade e proporcionalidade em sentido estrito. Trata-se de princípio
importante para evitar excessos cometidos pelo Poder Público.

B) INCORRETA. O princípio da moralidade exige que a atuação administrativa,


além de respeitar os preceitos legais, deve ser ética, leal e séria. A título
exemplificativo, cite-se o art. 2º da Lei nº 9.784/99, que impõe ao administrador
“atuação segundo padrões éticos de probidade, decoro e boa-fé”.

C) INCORRETA. Podemos mencionar a obrigatoriedade no âmbito do Direito


Administrativo em situações específicas, como por exemplo: i) a obrigatoriedade do
desempenho da atividade pública; ii) a obrigatoriedade do desempenho do serviço
público.

D) INCORRETA. Inexiste “princípio da contradição” no âmbito do Direito


Administrativo.

E) CORRETA. De acordo com a doutrina clássica do Direito Administrativo, a


Administração Pública só poderá atuar com permissão legal, respeitando, portanto,
o princípio da legalidade, previsto no art. 37, caput da Constituição Federal. Difere-
se, portanto, da legalidade dirigida aos particulares em geral (art. 5º, II da CRFB),
que permite a atuação livre, desde que não fira vedação legal expressa.

Ano: 2018 Banca: NC-UFPR Órgão: Câmara Municipal de Quitandinha Prova: NC-UFPR -
2006 – Câmara Municipal de Quitandinha - Advogado Tema: Princípios expressos, explícitos
ou constitucionais

5. Na Administração Pública, toda atuação deve ser regida por princípios constitucionais,
os quais orientam a conduta dos agentes públicos no desempenho das funções
administrativas. Numa situação em que um servidor apresenta rendimento insatisfatório
após avaliação anual e por esse motivo é exonerado, a Administração Pública está
obedecendo ao princípio da:

a) Legalidade.
b) Moralidade.
c) Impessoalidade.
d) Eficiência.
e) Publicidade.

MUDE SUA VIDA!


6
alfaconcursos.com.br

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra D.

A) INCORRETA. De acordo com a doutrina clássica do Direito Administrativo,


a Administração Pública só poderá atuar com permissão legal, respeitando, portanto,
o princípio da legalidade, previsto no art. 37, caput da Constituição Federal. Difere-
se, portanto, da legalidade dirigida aos particulares em geral (art. 5º, II da CRFB),
que permite a atuação livre, desde que não fira vedação legal expressa.

Logo, o princípio da legalidade constitui na obrigatoriedade da Administração


Pública agir conforme a lei. Em outras palavras, a Administração Pública só poderia
agir quando houvesse permissão legal.

B) INCORRETA. O princípio da moralidade exige que a atuação administrativa,


além de respeitar os preceitos legais, deve ser ética, leal e séria. A título
exemplificativo, cite-se o art. 2º da Lei nº 9.784/99, que impõe ao administrador
“atuação segundo padrões éticos de probidade, decoro e boa-fé”.

C) INCORRETA. O princípio da impessoalidade, previsto no art. 37, caput da


Constituição Federal, possui duas acepções: 1) igualdade ou isonomia: tratamento
impessoal e isonômico pela Administração Pública aos particulares, devendo sempre
atender a finalidade pública e sendo vedada qualquer discriminação de natureza
odiosa ou desproporcional e 2) proibição de promoção pessoal: as realizações
públicas devem ser imputadas à entidade administrativa, e não aos seus agentes.
Por tal razão, a publicidade dos atos do Poder Público deve ter caráter educativo,
informativo ou de orientação social, “dela não podendo constar nomes, símbolos ou
imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos”
(art. 37, § 1.º, da CRFB).

D) CORRETA. O princípio da eficiência, inserido no art. 37, caput da


Constituição Federal pela EC nº 19/98 tem como objetivo a substituição da
Administração Pública burocrática pela gerencial, impondo a necessária efetivação
das finalidades públicas elencadas no ordenamento jurídico. O Direito Administrativo
abandona a formalidade excessiva e passa a se preocupar com a efetividade dos
direitos fundamentais.

E) INCORRETA. O princípio da publicidade, que também se encontra expresso


no art. 37, caput da Constituição Federal, impõe a divulgação e exteriorização dos
atos do Poder Público, possuindo íntima relação com a ideia da transparência. No
Estado Democrático de Direito, a regra é a publicidade dos atos estatais, somente se
permitindo os sigilos nos casos expressos em lei.

MUDE SUA VIDA!


7
alfaconcursos.com.br

Ano: 2018 Banca: NC-UFPR Órgão: COREN/PR Prova: NC-UFPR - 2018 – COREN/PR -
Administrador Tema: Princípios expressos, explícitos ou constitucionais

6. Ao tratar das penalidades administrativas e proibições aplicáveis aos empregados


públicos do Sistema COFEN/Conselhos Regionais de Enfermagem, o Código de Ética dos
Empregados Públicos do Sistema COFEN/Conselhos Regionais de Enfermagem prevê a
aplicação da pena de demissão nos casos de improbidade administrativa. De acordo com
a Lei de improbidade administrativa (Lei 8.429/1992), atos que atentem contra os
princípios da Administração Pública são tidos como atos de improbidade administrativa.
Considerando o que buscam resguardar os princípios da Administração Pública
expressos no art. 37 da Constituição Federal – legalidade, impessoalidade, moralidade,
publicidade e eficiência –, é correto afirmar:

a) Pelo princípio da legalidade, tem-se que a Administração Pública pode fazer tudo, desde
que não haja proibição legal.
b) Pelo princípio da moralidade, tem-se que os valores morais que orientam o pensar e o
agir da tradicional família brasileira deve guiar os atos da Administração Pública.
c) Pelo princípio da eficiência, tem-se que as fases do processo de elaboração de um ato
devem ser priorizadas em relação aos seus resultados.
d) Pelo princípio da impessoalidade, tem-se que a Administração Pública não pode
beneficiar a um indivíduo, mas pode fazê-lo em relação a grupos.
e) Pelo princípio da publicidade, tem-se que, em regra, os atos da Administração Pública
devem ser amplamente divulgados, com informações claras e acessíveis à população em
geral.

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra E.

A) INCORRETA. Diferentemente do que prevê a alternativa, o princípio da


legalidade, no âmbito do Direito administrativo, somente permite que a
Administração Pública atue na forma prevista em lei. Em outras palavras, somente
poderá atuar quando houver permissão legal.

B) INCORRETA. O princípio da moralidade não possui correlação com “agir


tradicional da família brasileira”. Em verdade, o princípio da moralidade exige que a
atuação administrativa, além de respeitar os preceitos legais, deve ser ética, leal e
séria. A título exemplificativo, cite-se o art. 2º da Lei nº 9.784/99, que impõe ao
administrador “atuação segundo padrões éticos de probidade, decoro e boa-fé”.

C) INCORRETA. O princípio da eficiência, inserido no art. 37, caput da


Constituição Federal pela EC nº 19/98 tem como objetivo a substituição da
Administração Pública burocrática pela gerencial, impondo a necessária efetivação
das finalidades públicas elencadas no ordenamento jurídico. O Direito Administrativo
abandona a formalidade excessiva e passa a se preocupar com a efetividade dos
direitos fundamentais. Sendo assim, a alternativa se encontra equivocada ao afirmar
que, de acordo com o princípio da eficiência, deve-se priorizar os atos em detrimento
dos resultados.

MUDE SUA VIDA!


8
alfaconcursos.com.br

D) INCORRETA. O princípio da impessoalidade, previsto no art. 37, caput da


Constituição Federal, possui duas acepções, sendo uma delas a igualdade ou
isonomia, que impõe tratamento impessoal e isonômico pela Administração Pública
aos particulares, devendo sempre atender a finalidade pública e sendo vedada
qualquer discriminação de natureza odiosa ou desproporcional. Desta forma, não é
possível, com base na impessoalidade, conceder benefícios a um grupo específico.

E) CORRETA. O princípio da publicidade, que também se encontra expresso no


art. 37, caput da Constituição Federal, impõe a divulgação e exteriorização dos atos
do Poder Público, possuindo íntima relação com a ideia da transparência. No Estado
Democrático de Direito, a regra é a publicidade dos atos estatais, somente se
permitindo os sigilos nos casos expressos em lei.

Ano: 2017 Banca: NC-UFPR Órgão: UFPR Prova: NC-UFPR - 2017 – UFPR - Administrador
Tema: Princípios expressos, explícitos ou constitucionais

7. Em relação aos princípios constitucionais da Administração Pública, identifique como


verdadeiras (V) ou falsas (F) as seguintes afirmativas:

( ) A fiscalização tributária das empresas deve ser flexível, de acordo com o porte da
empresa e o número de empregos gerados.

( ) Portadores de plano de saúde devem ser atendidos depois de pessoas carentes nos
Centros de Saúde.

( ) O aumento de salários de agentes públicos é legal, mas não moral.

( ) O direito à privacidade não justifica a proibição da divulgação dos salários dos


servidores públicos.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo.

a) V-V-V-F
b) F-V-V-F
c) F-F-F-V
d) V-V-V-V
e) V-F-F-V

MUDE SUA VIDA!


9
alfaconcursos.com.br

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra C.

( ) A fiscalização tributária das empresas deve ser flexível, de acordo com o


porte da empresa e o número de empregos gerados. INCORRETA. A fiscalização
tributária deve ser realizada da mesma forma a todas as empresas,
independentemente do porte da empresa e do número de empregos gerados.
Entretanto, deve-se mencionar o tratamento tributário diferenciado conferido às
microempresas e empresas de pequeno porte, previsto na Lei Complementar nº
123/06.

( ) Portadores de plano de saúde devem ser atendidos depois de pessoas


carentes nos Centros de Saúde. INCORRETA. Não existe preferência entre
portadores de planos de saúde ou não portadores no âmbito do SUS. Vale lembrar
que a saúde pública, no Brasil, obedece ao princípio da universalidade. Neste sentido,
art. 196 da CRFB: “Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido
mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e
de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua
promoção, proteção e recuperação.”

( ) O aumento de salários de agentes públicos é legal, mas não moral.


INCORRETA. Uma vez que a Constituição Federal permite o aumento dos salários
dos agentes públicos, não há que se falar em violação à moralidade. Nada impede,
entretanto, uma análise de tal aumento à luz dos princípios da razoabilidade e da
proporcionalidade, para se evitar abusos.

( ) O direito à privacidade não justifica a proibição da divulgação dos salários


dos servidores públicos. CORRETA. De acordo com o entendimento do SRTF, é
legítima a publicação, inclusive em sítio eletrônico, dos nomes dos servidores da
Administração Pública e do valor dos correspondentes vencimentos e vantagens
pecuniárias. Trata-se de hipótese de prevalência do princípio da publicidade e da
transparência sobre o direito à intimidade e à vida privada. (STF. Plenário. ARE
652777/SP, Rel. Min. Teori Zavascki, julgado em 23/4/2015 (repercussão geral) (Info
782)

MUDE SUA VIDA!


10
alfaconcursos.com.br

Ano: 2019 Banca: NC-UFPR Órgão: Prefeitura de Matinhos - PR Prova: NC-UFPR - 2019 -
Prefeitura de Matinhos - PR – Advogado Assunto: Licitações e Lei 8.666 de 1993.

8. A Administração Pública, pautada pela supremacia e pela indisponibilidade do interesse


público, possui prerrogativas quando firma contratos administrativos. Assinale a
alternativa que, nos termos da Lei nº 8.666/1993, elenca corretamente uma dessas
prerrogativas.

a) Alteração unilateral dos contratos administrativos no caso de modificação do projeto ou


das suas especificações, para melhor adequação técnica aos seus objetivos.
b) Prorrogação do prazo de duração dos contratos em casos emergenciais, o que pode
ensejar, inclusive, a indeterminação desse prazo.
c) Aplicação de multa de mora no caso de atraso injustificado na execução do contrato, o
que impede, todavia, a rescisão unilateral do contrato.
d) Alteração unilateral por parte da Administração Pública na hipótese de ser conveniente
a substituição da garantia de execução.
e) Rescisão unilateral no caso de descumprimento do disposto no artigo 7º, inciso XXXIII
da Constituição da República, o qual trata da proibição de trabalho noturno, perigoso ou
insalubre a menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos,
salvo na condição de aprendiz, a partir de quatorze anos.

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra A.

De acordo com a Lei 8.666/93, o contrato pode ser alterado unilateralmente


pela Administração nos seguintes casos (art. 65):

I - unilateralmente pela Administração:


a) quando houver modificação do projeto ou das especificações, para melhor
adequação técnica aos seus objetivos;
b) quando necessária a modificação do valor contratual em decorrência de
acréscimo ou diminuição quantitativa de seu objeto, nos limites permitidos por esta
Lei;

Dessa forma, verifica-se que a alternativa A encaixa-se perfeita no


descrito no inciso I, alínea a do art. 65 da referida Lei.

Através da análise deste artigo, pode-se eliminar a alternativa D, visto que


não está elencada no inciso I do art. 65 (supracitado). Ainda, além dessa justificativa
para não ser a alternativa B a correta, o art. 65 traz a possibilidade de alteração de
contrato quando conveniente a substituição da garantia de execução quando houver
acordo entre as partes:

II - por acordo das partes:


a) quando conveniente a substituição da garantia de execução;

MUDE SUA VIDA!


11
alfaconcursos.com.br

A alternativa B está incorreta, uma vez que a Lei 8.666/93 proíbe o contrato
com prazo indeterminado:

Art. 57: § 3º É vedado o contrato com prazo de vigência indeterminado.

A alternativa C é incorreta. Em caso de atraso injustificado na execução do


contrato, há a possibilidade de rescisão contratual:

Art. 78. Constituem motivo para rescisão do contrato:


(...)
IV - o atraso injustificado no início da obra, serviço ou fornecimento;

Por fim, a alternativa E também é incorreta. O art. 78 da Lei 8.666/93 traz o


rol de motivos para rescisão do contrato:

I - o não cumprimento de cláusulas contratuais, especificações, projetos ou


prazos;
II - o cumprimento irregular de cláusulas contratuais, especificações, projetos
e prazos;
III - a lentidão do seu cumprimento, levando a Administração a comprovar a
impossibilidade da conclusão da obra, do serviço ou do fornecimento, nos prazos
estipulados;
IV - o atraso injustificado no início da obra, serviço ou fornecimento;
V - a paralisação da obra, do serviço ou do fornecimento, sem justa causa e
prévia comunicação à Administração;
VI - a subcontratação total ou parcial do seu objeto, a associação do contratado
com outrem, a cessão ou transferência, total ou parcial, bem como a fusão, cisão ou
incorporação, não admitidas no edital e no contrato;
VII - o desatendimento das determinações regulares da autoridade designada
para acompanhar e fiscalizar a sua execução, assim como as de seus superiores;
VIII - o cometimento reiterado de faltas na sua execução, anotadas na forma
do § 1o do art. 67 desta Lei;
IX - a decretação de falência ou a instauração de insolvência civil;
X - a dissolução da sociedade ou o falecimento do contratado;
XI - a alteração social ou a modificação da finalidade ou da estrutura da
empresa, que prejudique a execução do contrato;
XII - razões de interesse público, de alta relevância e amplo conhecimento,
justificadas e determinadas pela máxima autoridade da esfera administrativa a que
está subordinado o contratante e exaradas no processo administrativo a que se refere
o contrato;
XIII - a supressão, por parte da Administração, de obras, serviços ou compras,
acarretando modificação do valor inicial do contrato além do limite permitido no § 1o
do art. 65 desta Lei;
XIV - a suspensão de sua execução, por ordem escrita da Administração, por
prazo superior a 120 (cento e vinte) dias, salvo em caso de calamidade pública, grave
perturbação da ordem interna ou guerra, ou ainda por repetidas suspensões que
totalizem o mesmo prazo, independentemente do pagamento obrigatório de
indenizações pelas sucessivas e contratualmente imprevistas desmobilizações e

MUDE SUA VIDA!


12
alfaconcursos.com.br

mobilizações e outras previstas, assegurado ao contratado, nesses casos, o direito


de optar pela suspensão do cumprimento das obrigações assumidas até que seja
normalizada a situação;
XV - o atraso superior a 90 (noventa) dias dos pagamentos devidos pela
Administração decorrentes de obras, serviços ou fornecimento, ou parcelas destes,
já recebidos ou executados, salvo em caso de calamidade pública, grave perturbação
da ordem interna ou guerra, assegurado ao contratado o direito de optar pela
suspensão do cumprimento de suas obrigações até que seja normalizada a situação;
XVI - a não liberação, por parte da Administração, de área, local ou objeto para
execução de obra, serviço ou fornecimento, nos prazos contratuais, bem como das
fontes de materiais naturais especificadas no projeto;
XVII - a ocorrência de caso fortuito ou de força maior, regularmente
comprovada, impeditiva da execução do contrato.
XVIII – descumprimento do disposto no inciso V do art. 27, sem prejuízo das
sanções penais cabíveis. (Incluído pela Lei nº 9.854, de 1999)
Parágrafo único. Os casos de rescisão contratual serão formalmente motivados
nos autos do processo, assegurado o contraditório e a ampla defesa.

O art. 79 autoriza a rescisão unilateral por parte da Administração nos seguintes


casos:

Art. 79. A rescisão do contrato poderá ser:


I - determinada por ato unilateral e escrito da Administração, nos casos
enumerados nos incisos I a XII e XVII do artigo anterior;

Nota-se que o descrito na alternativa E não está elencado no art. 78 e o art.


79, I, é claro ao estabelecer que a rescisão será unilateral nos casos dos incisos I a
XII e XVII, por isso, a alternativa E está incorreta.

MUDE SUA VIDA!


13
alfaconcursos.com.br

Ano: 2018 Banca: NC-UFPR Órgão: Câmara de Quitandinha - PR Prova: NC-UFPR - 2018 -
Câmara de Quitandinha - PR – Advogado Assunto: Agentes públicos e Lei 8.112 de 1990,
Cargo, emprego, função

9. Sobre os agentes públicos, é INCORRETO afirmar:

a) Empregado público é a pessoa física que desempenha a função de órgão no âmbito de


pessoa estatal com personalidade de direito público, submetido ao regime de direito do
trabalho, com as modificações próprias do regime de direito público.
b) Será celetista o empregado que desempenhar função em autarquia, sendo submetido a
regime estatutário e ao estágio probatório, com as modificações próprias do regime de
direito público.
c) Servidor público é uma pessoa física que atua como órgão de uma pessoa jurídica de
direito público mediante vínculo jurídico de direito público, caracterizado pela
investidura em posição jurídica criada por lei.
d) Os servidores com regime jurídico especial têm previsão na Constituição Federal, em seu
artigo 37, IX, observada a contratação por tempo determinado para atender à
necessidade temporária de excepcional interesse público.
e) Empregados privados de empresas estatais têm amparo no direito do trabalho que
disciplina o relacionamento jurídico entre as empresas estatais e seus empregados. A
Constituição Federal exige que a contratação seja feita mediante concurso público.

A alternativa correta é a letra B.

A alternativa A está correta porque o empregado público pode trabalhar no


âmbito estatal com personalidade jurídica de direito público e a este é submetido o
regime celetista.

A alternativa B está incorreta. Apesar de, com a EC 19/1998 ter havido a


modificação do art. 39, caput da Constituição Federal, extinguindo a exigência de
adoção de denominado regime jurídico único – possibilitando, então, a contratação
concomitante de servidores públicos e empregados públicos pela administração
direta, autarquias e fundações públicas de qualquer ente federado - com a ADI
2.135/DF, atualmente, não mais é possível a contratação, concomitantemente, de
servidores públicos e de empregados públicos pela administração direta, autarquias
e fundações públicas de nossas pessoas políticas, uma vez que voltou a vigorar a
exigência de adoção de um regime jurídico único para o pessoal desses órgãos e
entidades administrativas. Não pode, portanto, um empregado reger-se tanto pelo
regime celetista quanto pelo estatutário. A alternativa está incorreta uma vez que as
autarquias são regidas pela forma unicamente estatutária e não uma “mistura” das
duas.

Art. 39. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios instituirão, no


âmbito de sua competência, regime jurídico único e planos de carreira para os
servidores da administração pública direta, das autarquias e das fundações públicas.
(Vide ADIN nº 2.135-4).

MUDE SUA VIDA!


14
alfaconcursos.com.br

A alternativa C está correta, uma vez que o servidor público é o agente que
mantém relação funcional com o Estado em regime estatutário. São titulares de
cargos públicos, efetivos ou em comissão, sempre sujeitos a regime jurídico de direito
público.

A alternativa D está correta e encontra respaldo no art. 37, IX da Constituição


Federal:

IX - a lei estabelecerá os casos de contratação por tempo determinado para


atender a necessidade temporária de excepcional interesse público;

Esses são os chamados servidores com regime jurídico especial.

Por fim, a alternativa E está correta. As empresas estatais são dotadas de


personalidade jurídica de direito privado. Entre elas e seus empregados é utilizado o
direito do trabalho. No entanto, as empresas estatais possuem peculiaridades de
direito público, motivo pelo qual a contratação se dá mediante concurso público.

Ano: 2017 Banca: NC-UFPR Órgão: UFPR Prova: NC-UFPR - 2017 - UFPR - Tradutor e
Intérprete de Linguagem de Sinais Assunto: Agentes públicos e Lei 8.112 de 1990,
Provimento e vacância

10. Considere a hipótese de servidor público estável que é demitido, após procedimento
administrativo, e tem a demissão anulada por decisão judicial. Qual é a forma de
provimento do cargo público nesse caso?

a) Aproveitamento.
b) Reintegração.
c) Readaptação.
d) Reversão.
e) Recondução.

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra B.

As quatro alternativas tratam de formas de provimento de cargo público na Lei


n. 8.112/90. No entanto, a alternativa correta que trata o enunciado é a B,
vejamos:

Art. 28. A reintegração é a reinvestidura do servidor estável no cargo


anteriormente ocupado, ou no cargo resultante de sua transformação, quando
invalidada a sua demissão por decisão administrativa ou judicial, com
ressarcimento de todas as vantagens.

MUDE SUA VIDA!


15
alfaconcursos.com.br

O aproveitamento ocorre no seguinte caso: Art. 30. O retorno à atividade de


servidor em disponibilidade far-se-á mediante aproveitamento obrigatório em cargo
de atribuições e vencimentos compatíveis com o anteriormente ocupado.

A readaptação ocorre quando há a investidura do servidor em cargo de


atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em
sua capacidade física ou mental verificada em inspeção médica (art. 24).

A reversão é tratada no art. 25 da Lei 8.112/90 e é o retorno à atividade de


servidor aposentado nas seguintes hipóteses:

I - por invalidez, quando junta médica oficial declarar insubsistentes os motivos


da aposentadoria;
II - no interesse da administração, desde que:
a) tenha solicitado a reversão;
b) a aposentadoria tenha sido voluntária;
c) estável quando na atividade;
d) a aposentadoria tenha ocorrido nos cinco anos anteriores à solicitação;
e) haja cargo vago.

Por fim, a recondução é o retorno do servidor estável ao cargo anteriormente


ocupado e decorrerá de (art. 29):

I - inabilitação em estágio probatório relativo a outro cargo;


II - reintegração do anterior ocupante.

Ano: 2019 Banca: NC-UFPR Órgão Prefeitura de Matinhos - PR Prova: NC-UFPR - 2019 -
Prefeitura de Matinhos - PR – Advogado Assunto: Regime jurídico administrativo, Princípios
- Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência

11. Desdêmona, Prefeita do Município X, espalhou diversos cartazes e outdoors pela cidade,
sem caráter educativo, informativo, ou de orientação social, caracterizando, por
conseguinte, promoção pessoal. Nesse caso, Desdêmona violou:

a) o princípio da moralidade, mas não o da impessoalidade.


b) o princípio da publicidade.
c) principalmente o princípio da impessoalidade.
d) o princípio da eficiência.
e) o princípio da legalidade, mas não o da moralidade.

MUDE SUA VIDA!


16
alfaconcursos.com.br

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra C.

A alternativa C é a correta uma vez que, ao trazer a palavra principalmente,


entende que mais de um princípio foi violado, sendo o principal deles o da
impessoalidade. A promoção pessoal é vedada pela Administração Pública. Ainda,
foram violados o princípio da publicidade (art. 37, §1º) e da moralidade.

Art. 37: § 1º A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas


dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social,
dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção
pessoal de autoridades ou servidores públicos.

Ano: 2017 Banca: NC-UFPR Órgão: UFPR Prova: NC-UFPR - 2017 - UFPR - Tradutor e
Intérprete de Linguagem de Sinais Assunto: Agentes públicos e Lei 8.112 de 1990,
Provimento e vacância

12. São requisitos básicos para investidura em cargo público previstos na Lei 8.112/90,
EXCETO:

a) gozo dos direitos políticos.


b) idade mínima de dezoito anos.
c) quitação com as obrigações perante o Fisco.
d) aptidão física e mental.
e) nacionalidade brasileira.

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra C.

O assunto é tratado no art. 5º da Lei 8.112/90, vejamos:

Art. 5º São requisitos básicos para investidura em cargo público:

I - a nacionalidade brasileira;
II - o gozo dos direitos políticos;
III - a quitação com as obrigações militares e eleitorais;
IV - o nível de escolaridade exigido para o exercício do cargo;
V - a idade mínima de dezoito anos;
VI - aptidão física e mental.

Conforme se denota da letra da lei, o requisito do inciso III engloba a quitação


com as obrigações militares e eleitorais, e não perante o Fisco, como indica a
alternativa C.

MUDE SUA VIDA!


17
alfaconcursos.com.br

Ano: 2019 Banca: NC-UFPR Órgão: FPMA-PR Prova: NC-UFPR - 2019 - FPMA - PR -
Advogado Assunto: Agentes públicos e Lei 8.112 de 1990, Cargo, emprego, função

13. Os servidores públicos submetem-se a rígida disciplina de acesso aos cargos públicos,
bem como quanto à sua movimentação dentro da carreira. Com relação ao assunto,
identifique como verdadeiras (V) ou falsas (F) as seguintes afirmativas:

( ) Readaptação é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades


compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental,
verificada em inspeção médica.
( ) Recondução é a consequência da reintegração de um determinado servidor público,
hipótese em que o servidor que ocupava o cargo do reintegrando tem o direito de ser
reconduzido a seu cargo de origem.
( ) A ascensão ou transposição, considerada o ato pelo qual o servidor passa de um cargo
a outro, com conteúdo ocupacional diverso e normalmente remuneração superior, é
compatível com o ordenamento jurídico em vigor, vez que se realiza mediante concurso
público interno.
( ) Promoção é a forma de ascensão na carreira pela qual o servidor passa para cargo de
maior grau de responsabilidade e maior complexidade de atribuições dentro da própria
carreira a que pertence.

Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta, de cima para baixo.

a) F – F – V – V.
b) V – V – F – V.
c) V – F – V – F.
d) F – V – F – V.
e) V – V – V – F.

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra B.

O primeiro item está correto, uma vez que o art. 24 da Lei 8.112/90 traz o
conceito idêntico ao afirmado:

Art. 24. Readaptação é a investidura do servidor em cargo de atribuições e


responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade
física ou mental verificada em inspeção médica.

O segundo item está correto. A recondução é o retorno do servidor estável ao


cargo anteriormente ocupado e decorrerá de (art. 29 da Lei 8.112/90):
I - inabilitação em estágio probatório relativo a outro cargo;
II - reintegração do anterior ocupante.
Parágrafo único. Encontrando-se provido o cargo de origem, o servidor será
aproveitado em outro, observado o disposto no art. 30.

O terceiro item está incorreto. A ascensão foi revogada da Lei 8.112/90, pela
lei 9.527/97 como uma forma de provimento de cargo público. Ainda, a Súmula
Vinculante 43 considera inconstitucional toda modalidade de provimento que propicie

MUDE SUA VIDA!


18
alfaconcursos.com.br

ao servidor investir-se, sem prévia aprovação em concurso público destinado ao seu


provimento, em cargo que não integra a carreira na qual anteriormente investido.

Por fim, o conceito de promoção está correto. O assunto é tratado no art. 29


da lei n. 3.780/60:

Art. 29. Promoção é a elevação do funcionário, pelos critérios de merecimento


e antigüidade de classe, à classe superior dentro da mesma série de classes e será
feita à razão de um têrço por antiguidade e dois terços por merecimento.

Ano: 2017 Banca: NC-UFPR Órgão: UFPR Prova: NC-UFPR - 2017 - UFPR - Médico - Clínico
Geral Assunto: Agentes públicos e Lei 8.112 de 1990, Cargo, emprego, função, Provimento e
vacância

14. De acordo com a Lei 8.112/90, o exercício efetivo no cargo público dar-se-á:

a) obrigatoriamente no ato de assinatura do termo de posse.


b) no máximo até 5 (cinco) dias contados da data da posse.
c) no máximo até 15 (quinze) dias contados da data da posse.
d) no máximo até 30 (trinta) dias contados da data da posse.
e) no máximo até 45 (quarenta de cinco) dias contados da data da posse.

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra C.

A afirmativa que traz o prazo correto é a C, conforme dispõe o art. 15, §º da


Lei 8.112/90:

§ 1º É de quinze dias o prazo para o servidor empossado em cargo público


entrar em exercício, contados da data da posse.

Importante não confundir com o prazo de 30 dias, que é o trazido no art. 13,
§1º, mas que trata da posse e se conta da publicação dos atos de provimento.

MUDE SUA VIDA!


19
alfaconcursos.com.br

Ano: 2019 Banca: NC-UFPR Órgão: Prefeitura de Matinhos - PR Prova: NC-UFPR - 2019 -
Prefeitura de Matinhos - PR - Advogado Assunto: Organização da Administração Pública,
Administração Direta, Desconcentração e Descentralização Administrativa

15. O Prefeito do Município X pretende criar uma secretaria municipal para melhor exercer
suas funções. Nesse sentido, considere seguintes as afirmativas:

1. A criação da secretaria é hipótese de descentralização administrativa, feita por


delegação.
2. A nova secretaria integrará a Administração Direta do Município.
3. Trata-se de caso de desconcentração administrativa, em virtude da distribuição
interna de competências.
4. A nova secretaria não se submete ao controle hierárquico, pois possui personalidade
jurídica própria.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas 1 e 3 são verdadeiras.


b) Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras.
c) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas 1, 2 e 4 são verdadeiras.
e) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras.

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra C.

Vejamos o conceito de órgão público do Prof. Hely Lopes Meirelles: “são centros de
competência instituídos para o desempenho de funções estatais, através de seus agentes, cuja
atuação é imputada à pessoa jurídica que pertencem”. Ainda, o conceito de órgão é encontrado
no art. 1º, §2º, inciso I da Lei 9.784/99:

§ 2o Para os fins desta Lei, consideram-se:


I - órgão - a unidade de atuação integrante da estrutura da Administração direta e da
estrutura da Administração indireta;

A primeira afirmativa é falsa. As secretarias, em âmbito estadual, e os ministérios, em


âmbito federal são órgãos públicos e compõem a Administração Direta. A Administração Direta
é organizada através da técnica da desconcentração.

A segunda afirmativa é verdadeira. Por se tratar de órgão público, a secretaria compõe


a Administração Direta.

A terceira afirmativa é verdadeira. Os órgãos públicos são organizados pela técnica da


desconcentração.

A quarta afirmativa é falsa. Conforme se nota na definição do art. 1º, §2º, inciso I
supracitado, os órgãos públicos – no presente caso, a secretaria municipal – não possuem
personalidade jurídica própria e portanto, se submetem ao poder hierárquico.

MUDE SUA VIDA!


20
alfaconcursos.com.br

NC-UFPR - Auxiliar (UFPR)/Biblioteca/2015 (Assunto: Princípios expressos, explícitos ou


constitucionais

16. A investidura em cargo ou emprego público depende, como regra, de aprovação prévia
em concurso público. Essa é a expressão constitucional de qual princípio da
administração pública?

a) Dignidade da pessoa humana.


b) Legalidade.
c) Presunção de inocência.
d) Secularização.
e) Impessoalidade.

GABARITO: E

a) Dignidade da pessoa humana. (ERRADO)


A dignidade da pessoa humana é um dos fundamentos da República,
previsto no art. 1º, III da CF:
Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união
indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em
Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:
[...]
III - a dignidade da pessoa humana;

b) Legalidade. (ERRADO)
O princípio da Legalidade está previsto no art. 37, CF/88:
Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos
Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios
obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade,
publicidade e eficiência [...]

c) Presunção de inocência. (ERRADO)


É o princípio que não permite que alguém seja privado de sua liberdade
sem que haja o trânsito em julgado de sentença penal condenatória, está
previsto no art. 5º, LVII da CF:
Art. 5º, LVII - ninguém será considerado culpado até o trânsito em
julgado de sentença penal condenatória;

d) Secularização. (ERRADO)
É um princípio aplicado principalmente no Direito Penal.

e) Impessoalidade. (CERTO)
A Administração Pública deve ser impessoal e isonômica. O Princípio a
impessoalidade estabelece que a defesa do interesse público deve ser
imparcial, ou seja, não pode haver discriminações e privilégios.

MUDE SUA VIDA!


21
alfaconcursos.com.br

NC-UFPR - Assistente Administrativo (CM Araucária)/2013 (Assunto: Princípios expressos,


explícitos ou constitucionais)

17. Assinale a alternativa que apresenta três princípios que norteiam a Administração
Pública e que são violados na nomeação de parente de vereador de município para
exercer cargo de provimento efetivo sem a realização de concurso público.

a) Segurança jurídica, publicidade e eficiência.


b) Legalidade, impessoalidade e moralidade.
c) Finalidade, moralidade e eficiência.
d) Legalidade, contraditório e pessoalidade.
e) Motivação, finalidade e publicidade.
GABARITO: B
São princípios constitucionais expressos no caput do art. 37 da CF:
Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos
Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios
obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade,
publicidade e eficiência e, também, ao seguinte: (...).

NC-UFPR - Procurador do Município de Curitiba/2015 (Assunto: Poder de Polícia)

18. Sobre o poder de polícia, é correto afirmar:

a) Um dos fundamentos do poder de polícia é o princípio da supremacia do interesse


público sobre o particular.
b) O poder de polícia é uma das manifestações subjetivas da Administração Pública.
c) O princípio da proporcionalidade é um dos limites impostos ao exercício do poder de
polícia, porém a ele (poder da polícia) não se aplica o princípio da motivação, por ser
uma atividade de cunho discricionário.
d) São características do poder de polícia a coercibilidade, a autoexecutoriedade e a
eficácia, esta considerada como a relação entre o direito individual e o dano a ser
prevenido.
e) A competência do agente, por se situar no plano da eficácia da medida de polícia, deve
ser observada, sob pena de ilegalidade da atuação administrativa.
GABARITO: A

a) Um dos fundamentos do poder de polícia é o princípio da supremacia do


interesse público sobre o particular. (CERTO)
Como é dito na alternativa o fundamento do poder de polícia é a
supremacia do interesse público sobre o particular.
Conforme Fernanda Marinela:
“O fundamento para o exercício deste instrumento é o princípio da
predominância do interesse público sobre o particular, que dá à
Administração posição de hegemonia sobre os administrados,
caracterizando-se como exercício da supremacia geral, o que autoriza a sua

MUDE SUA VIDA!


22
alfaconcursos.com.br

atuação indistintamente sobre todos os cidadãos que estejam sob o império


das leis administrativas.”
b) O poder de polícia é uma das manifestações subjetivas da Administração
Pública. (ERRADO)
O poder de polícia é uma manifestação objetiva da Administração
Pública. É um poder que restringe os direitos individuais em benefício do
interesse público.

c) O princípio da proporcionalidade é um dos limites impostos ao exercício do


poder de polícia, porém a ele (poder da polícia) não se aplica o princípio da
motivação, por ser uma atividade de cunho discricionário. (ERRADO)
O poder de polícia tem como uma de suas características a
discricionariedade, porém, ainda assim não exclui necessidade de
motivação.

d) São características do poder de polícia a coercibilidade, a autoexecutoriedade


e a eficácia, esta considerada como a relação entre o direito individual e o dano a ser
prevenido. (ERRADO)
As características do poder de polícia são a discricionariedade, a
autoexecutoriedade e a coercibilidade.

e) A competência do agente, por se situar no plano da eficácia da medida de


polícia, deve ser observada, sob pena de ilegalidade da atuação administrativa.
(ERRADO)
O erro da alternativa encontra-se em afirmar que a competência do
agente está no plano da eficácia, porém, ela está no plano da validade.

NC-UFPR - Delegado de Polícia (PC PR)/2007 (Assunto: Princípios expressos, explícitos ou


constitucionais)

19. Dentre os princípios da Administração Pública adiante listados, assinale aquele que NÃO
está expresso no art. 37 da Constituição Federal:

a) Princípio da motivação.
b) Princípio da eficiência.
c) Princípio da impessoalidade.
d) Princípio da publicidade.
e) Princípio da legalidade.

MUDE SUA VIDA!


23
alfaconcursos.com.br

GABARITO: A

São princípios constitucionais expressos no caput do art. 37 da CF:


Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos
Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios
obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade,
publicidade e eficiência e, também, ao seguinte: (...).
Portanto, o único princípio citado na questão que não está expresso na
Constituição é o Princípio da Motivação. É um princípio, o qual, determina
que a administração deve justificar seus atos.

NC-UFPR - Escrivão de Polícia (PC PR)/2007 (Assunto: Princípios expressos, explícitos ou


constitucionais)

20. Assinale a alternativa que contém, exclusivamente, princípios da administração pública,


expressos na Constituição da República Federativa do Brasil de 1988:

a) Legalidade, transparência, economia, eficiência, publicidade.


b) Legalidade, publicidade, eficiência, impessoalidade, moralidade.
c) Legalidade, publicidade, informação, impessoalidade, economia.
d) Publicidade, eficiência, transparência, economia, impessoalidade.
e) Legalidade, eficiência, informação, publicidade, igualdade.

GABARITO: B

São princípios constitucionais expressos no caput do art. 37 da CF:


Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos
Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios
obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade,
publicidade e eficiência e, também, ao seguinte: (...).

Legalidade: a administração pública somente pode realizar os atos de


acordo com o que a lei prevê. Para Hely Lopes Meirelles: “a legalidade, como
princípio de administração, significa que o administrador público está, em
toda sua atividade funcional, sujeito aos mandamentos da lei, e às
exigências do bem comum, e deles não se pode afastar ou desviar, sob pena
de praticar ato inválido e expor-se à responsabilidade disciplinar, civil e
criminal, conforme o caso”

Impessoalidade: o Princípio da Impessoalidade prevê a imparcialidade


no interesse público, sem privilégios ou quaisquer favorecimentos no
exercício das funções administrativas.

Moralidade: a administração pública e seus agentes devem atuar


conforme preceitos éticos. Para Hely Lopes Meirelles “o agente
administrativo, como ser humano dotado de capacidade de atuar, deve,

MUDE SUA VIDA!


24
alfaconcursos.com.br

necessariamente, distinguir o Bem do Mal, o Honesto do Desonesto. E ao


atuar, não poderá desprezar o elemento ético da sua conduta”.

Publicidade: em regra todo ato administrativo deve ser público,


somente podem ser sigilosos os casos de segurança nacional, investigações
policiais ou interesse da Administração.

Eficiência: O princípio da eficiência é o mais recente dos princípios


constitucionais da Administração Pública, foi adotado a partir da
promulgação, da Emenda Constitucional nº 19, de 1998. Hely Lopes
Meirelles entende que o princípio da eficiência se caracteriza como “o que
se impõe a todo o agente público de realizar suas atribuições com presteza,
perfeição e rendimento profissional. É o mais moderno princípio da função
administrativa[...]”

NC-UFPR - Advogado (CM Quitandinha)/2018 (Assunto: Tópicos Mesclados de Poderes da


Administração)

21. Considere os seguintes poderes administrativos:

1. Poder que o Direito concede à Administração Pública, de modo implícito ou explicito, para
a prática de atos administrativos com liberdade de escolha de sua conveniência,
oportunidade e conteúdo.

2. Faculdade de que dispõem os Chefes de Executivo de explicar a lei para sua correta
execução, ou de expedir decretos autônomos sobre matéria de sua competência ainda não
disciplinada por lei.

3. Poder que a Lei confere à Administração Pública para a prática de ato de sua competência,
determinando os elementos e requisitos necessários à sua formalização.

Os conceitos discriminados acima referem-se, respectivamente, aos poderes:

a) 1: Discricionário – 2: Regulamentar – 3: Vinculado.


b) 1: Discricionário – 2: Subordinado – 3: Hierárquico.
c) 1: Arbitrário – 2: Vinculado – 3: Disciplinar.
d) 1: Arbitrário – 2: Hierárquico – 3: Subordinado.
e) 1: Vinculado – 2: Disciplinar – 3: Arbitrário.

GABARITO: A

Poder Discricionário: há uma liberdade de escolha, porém, dentro dos


limites impostos pela lei. Está pautado na conveniência e oportunidade da
administração pública.

Poder Regulamentar/Poder Normativo: é um poder privativo, ligado ao


Chefe do Executivo, não pode ser delegado aos seus subordinados. É

MUDE SUA VIDA!


25
alfaconcursos.com.br

destinado à Administração pública para que edite atos que complementam


a lei, a fim de ser executada fielmente.

Poder Vinculado: não há margem de liberdade para a atuação do agente


público, ele fica limitado a fazer exatamente o que está descrito nas normas.

NC-UFPR - Delegado de Polícia (PC PR)/2007 (Assunto: Tópicos Mesclados de Poderes da


Administração)

22. Sobre os poderes administrativos, numere a coluna da direita de acordo com a da


esquerda.

1. Poder disciplinar
2. Poder de polícia
3. Poder hierárquico
4. Poder regulamentar

( ) Conjunto de atribuições concedidas à Administração Pública para disciplinar e restringir


os direitos e liberdades individuais em benefício da coletividade ou do próprio Estado, em
busca da preservação da ordem pública.

( ) Apuração e punição das faltas funcionais dos servidores públicos.

( ) Normas expedidas pelo Chefe do Poder Executivo que visam tornar efetivo o
cumprimento da lei.

( ) Instrumento para garantia da atuação coordenada da Administração e que consiste na


subordinação e coordenação nas relações entre os órgãos e entre os servidores
administrativos.

Assinale a alternativa que apresenta a seqüência correta da coluna da direita, de cima para
baixo.

a) 1 – 2 – 3 – 4.
b) 4 – 3 – 2 – 1.
c) 1 – 2 – 4 – 3.
d) 1 – 3 – 4 – 2.
e) 2 – 1 – 4 – 3.

GABARITO: E.

(Poder de polícia) Conjunto de atribuições concedidas à Administração


Pública para disciplinar e restringir os direitos e liberdades individuais em benefício
da coletividade ou do próprio Estado, em busca da preservação da ordem pública.
O Poder de Polícia é o poder que limita o exercício dos direitos
individuais em relação ao interesse público.

MUDE SUA VIDA!


26
alfaconcursos.com.br

(Poder disciplinar) Apuração e punição das faltas funcionais dos servidores


públicos.
O Poder Disciplinar é o poder para apurar infrações cometidas no
âmbito da administração pública.

(Poder regulamentar) Normas expedidas pelo Chefe do Poder Executivo que


visam tornar efetivo o cumprimento da lei.
O Poder Regulamentar/ normativo é um poder privativo, ligado ao
Chefe do Executivo, não pode ser delegado aos seus subordinados.

(Poder hierárquico) Instrumento para garantia da atuação coordenada da


Administração e que consiste na subordinação e coordenação nas relações entre os
órgãos e entre os servidores administrativos.
O objetivo do Poder Hierárquico é ordenar, coordenar, controlar e
corrigir as atividades administrativas, no âmbito interno da Administração
Pública.

Ano: 2019 Banca: VUNESP Órgão: UNIFAI Prova VUNESP - 2019 - UNIFAI - Procurador
Jurídico Assunto: Organização da Administração Pública, Administração Indireta, Empresas
Públicas e Sociedades de Economia Mista

23. Suponha que lei autoriza a criação de pessoa jurídica de direito privado para integrar a
Administração Pública Indireta, que deverá ter o seu capital integralizado
exclusivamente por entidades componentes da Administração e poderá funcionar sob
qualquer espécie societária. Considerando a situação hipotética, é correto afirmar que a
lei autorizou a criação de uma

a) autarquia.
b) fundação pública de direito privado.
c) sociedade de economia mista.
d) empresa pública.
e) sociedade de propósito específico.

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra D.

Para essa questão, o estudante deve saber a definição dos termos utilizados
nas alternativas.

A alternativa A está incorreta. O Decreto Lei n. 200 de 1967, traz, em seu


artigo 5º, I, a definição de autarquia:

I - Autarquia - o serviço autônomo, criado por lei, com personalidade jurídica,


patrimônio e receita próprios, para executar atividades típicas da Administração

MUDE SUA VIDA!


27
alfaconcursos.com.br

Pública, que requeiram, para seu melhor funcionamento, gestão administrativa e


financeira descentralizada.

Da mesma forma, o Decreto Lei supracitado traz em seu art. 5º, incisos IV e
III a definição de fundação pública de direito privado e sociedade de economia mista,
respectivamente:

IV - Fundação Pública - a entidade dotada de personalidade jurídica de direito


privado, sem fins lucrativos, criada em virtude de autorização legislativa, para o
desenvolvimento de atividades que não exijam execução por órgãos ou entidades de
direito público, com autonomia administrativa, patrimônio próprio gerido pelos
respectivos órgãos de direção, e funcionamento custeado por recursos da União e de
outras fontes. (Incluído pela Lei nº 7.596, de 1987)
III - Sociedade de Economia Mista - a entidade dotada de personalidade jurídica
de direito privado, criada por lei para a exploração de atividade econômica, sob a
forma de sociedade anônima, cujas ações com direito a voto pertençam em sua
maioria à União ou a entidade da Administração Indireta. (Redação dada
pelo Decreto-Lei nº 900, de 1969)

Dessa forma, as alternativas B e C estão incorretas. A sociedade de economia


mista também possui seu conceito no art. 4º da Lei 13.303/2016:

Art. 4º Sociedade de economia mista é a entidade dotada de personalidade


jurídica de direito privado, com criação autorizada por lei, sob a forma de sociedade
anônima, cujas ações com direito a voto pertençam em sua maioria à União, aos
Estados, ao Distrito Federal, aos Municípios ou a entidade da administração indireta.

A alternativa D é a correta. Vejamos o conceito de empresa pública do art. 3º


da Lei 13.303/2016:

Art. 3º Empresa pública é a entidade dotada de personalidade jurídica de direito


privado, com criação autorizada por lei e com patrimônio próprio, cujo capital social
é integralmente detido pela União, pelos Estados, pelo Distrito Federal ou pelos
Municípios.

A hipótese sugerida no enunciado amolda-se à definição de empresa pública.

A alternativa E está incorreta. A sociedade de propósito específico não possui


conceito legal. No entanto, entende-se por sociedade de propósito específico a pessoa
jurídica com a finalidade única de executar um determinado empreendimento ou
desenvolver um projeto específico. Não se trata de um tipo societário, mas sua
caracterização está relacionada unicamente ao objetivo social da empresa. Não se
aplica, portanto, ao enunciado da questão.

MUDE SUA VIDA!


28
alfaconcursos.com.br

Ano: 2015 Banca: NC-UFPR Órgão: Prefeitura de Curitiba - PR Prova: NC-UFPR - 2015 -
Prefeitura de Curitiba - PR – Procurador Assunto: Agentes públicos e Lei 8.112 de 1990,
Cargo, emprego, função, Provimento e vacância, Acumulação de cargos e funções

24. Sobre os servidores públicos, assinale a alternativa correta.

a) A vacância se verifica, entre outras hipóteses, pela acumulação lícita de cargos públicos.
b) Comprovada a compatibilidade de horários, é hipótese constitucional de acumulação de
cargo de professor com outro cargo administrativo.
c) Quanto aos cargos de provimento em comissão, não obstante sejam demissíveis ad
nutum, a seus titulares podem ser atribuídas funções de confiança, conforme determina
expressamente o artigo 37, inciso V, da Constituição da República de 1988.
d) A readaptação, a readmissão e a promoção são hipóteses de provimento originário
horizontal em cargo efetivo.
e) Conforme posicionamento do Supremo Tribunal Federal, o direito de greve do servidor
público é assegurado e, diante da ausência de lei específica e observado o princípio da
continuidade do serviço público, aplica-se a Lei nº 7.783/89.

A alternativa correta é a E.

A alternativa A está incorreta. A acumulação lícita de cargos públicos não está


nas hipóteses elencadas no art. 33 da lei 8.112/90:

Art. 33. A vacância do cargo público decorrerá de:


I - exoneração;
II - demissão;
III - promoção;
IV - ascensão; (Revogado pela Lei nº 9.527, de 10.12.97)
V - transferência; (Revogado pela Lei nº 9.527, de 10.12.97)
VI - readaptação;
VII - aposentadoria;
VIII - posse em outro cargo inacumulável;
IX - falecimento.

A alternativa B está incorreta. O art. 37 da Constituição Federal autoriza a


cumulatividade de cargos em casos específicos:

XVI - é vedada a acumulação remunerada de cargos públicos, exceto, quando


houver compatibilidade de horários, observado em qualquer caso o disposto no inciso
XI: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)

a) a de dois cargos de professor; (Redação dada pela Emenda


Constitucional nº 19, de 1998)
b) a de um cargo de professor com outro técnico ou científico; (Redação
dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)

MUDE SUA VIDA!


29
alfaconcursos.com.br

c) a de dois cargos ou empregos privativos de profissionais de saúde, com


profissões regulamentadas; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 34,
de 2001)

A alternativa C está incorreta. O art. 37, V, dispõe que as funções de confiança


são exercidas exclusivamente por servidores ocupantes de cargo efetivo:

Art. 37: V - as funções de confiança, exercidas exclusivamente por servidores


ocupantes de cargo efetivo, e os cargos em comissão, a serem preenchidos por
servidores de carreira nos casos, condições e percentuais mínimos previstos em lei,
destinam-se apenas às atribuições de direção, chefia e assessoramento;

A alternativa D está incorreta. Apesar de serem formas de provimento de


cargo público, a única forma originária é a nomeação.

A alternativa E está correta. O art. 37, VII da Constituição Federal exige a


edição de ato normativo que integre a eficiência do direito de greve do servidor
público:

VII - o direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos em lei
específica;

Como não há, atualmente, legislação que concretize a norma constitucional, o


Supremo Tribunal Federal decidiu, nos mandados de injunção 670, 708 e 712, que
nesse caso é aplicável a lei 7.783/1989 aos servidores.

MUDE SUA VIDA!


30
alfaconcursos.com.br

Ano: 2013 Banca: NC-UFPR Órgão: UFPR Prova: NC-UFPR - 2013 - UFPR - Estatístico
Assunto: Agentes públicos e Lei 8.112 de 1990, Acumulação de cargos e funções

25. José é servidor público efetivo da Universidade Federal do Paraná, que possui natureza
jurídica de autarquia. Candidatou-se, nas eleições de 2012, para o cargo de vereador do
município de Curitiba. Logrou êxito e foi eleito. Em que condições o servidor poderá
exercer o mandato de vereador?

a) José deverá se afastar do cargo na Universidade a partir do dia em que passar a exercer
o mandato de vereador, sendo-lhe facultado optar pela sua remuneração.
b) José deverá se afastar do cargo na Universidade a partir do dia em que passar a exercer
o mandato de vereador, e receberá, cumulativamente, as remunerações dos dois cargos,
da UFPR e de vereador.
c) Havendo compatibilidade de horários, perceberá as vantagens de seu cargo, emprego ou
função, sem prejuízo da remuneração do cargo eletivo, e, não havendo compatibilidade,
será afastado do cargo, emprego ou função, percebendo somente a remuneração do
cargo de vereador.
d) Havendo compatibilidade de horários, perceberá as vantagens de seu cargo, emprego ou
função, sem prejuízo da remuneração do cargo eletivo, e, não havendo compatibilidade,
ser-lhe-á vedado exercer o cargo de vereador.
e) Havendo compatibilidade de horários, perceberá as vantagens de seu cargo, emprego ou
função, sem prejuízo da remuneração do cargo eletivo, e, não havendo compatibilidade,
será afastado do cargo, emprego ou função, sendo-lhe facultado optar pela sua
remuneração.

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra E.

O art. 38 da Constituição Federal, traz, em seu inciso III, exatamente o disposto na


alternativa E, eliminando-se, portanto, as alternativas anteriores:

Art. 38. Ao servidor público da administração direta, autárquica e fundacional, no


exercício de mandato eletivo, aplicam-se as seguintes disposições:
(...)
II - investido no mandato de Prefeito, será afastado do cargo, emprego ou função,
sendo-lhe facultado optar pela sua remuneração;
III - investido no mandato de Vereador, havendo compatibilidade de horários, perceberá
as vantagens de seu cargo, emprego ou função, sem prejuízo da remuneração do cargo eletivo,
e, não havendo compatibilidade, será aplicada a norma do inciso anterior;

Ainda, o art. 94 da Lei 8.112/90 também dispõe no mesmo sentido:

Art. 94. Ao servidor investido em mandato eletivo aplicam-se as seguintes disposições:


(...)
III - investido no mandato de vereador:
a) havendo compatibilidade de horário, perceberá as vantagens de seu cargo, sem
prejuízo da remuneração do cargo eletivo;
b) não havendo compatibilidade de horário, será afastado do cargo, sendo-lhe facultado
optar pela sua remuneração.

MUDE SUA VIDA!


31
alfaconcursos.com.br

Ano: 2018 Banca: NC-UFPR Órgão Câmara de Quitandinha - PR Prova: NC-UFPR - 2018 -
Câmara de Quitandinha - PR - Advogado Assunto: Poderes da Administração, Poder
vinculado e discricionário, Poder normativo, poder hierárquico e poder disciplinar

26. Considere os seguintes poderes administrativos:

1. Poder que o Direito concede à Administração Pública, de modo implícito ou explicito,


para a prática de atos administrativos com liberdade de escolha de sua conveniência,
oportunidade e conteúdo.
2. Faculdade de que dispõem os Chefes de Executivo de explicar a lei para sua correta
execução, ou de expedir decretos autônomos sobre matéria de sua competência ainda
não disciplinada por lei.
3. Poder que a Lei confere à Administração Pública para a prática de ato de sua
competência, determinando os elementos e requisitos necessários à sua formalização.

Os conceitos discriminados acima referem-se, respectivamente, aos poderes:

a) 1: Discricionário – 2: Regulamentar – 3: Vinculado.


b) 1: Discricionário – 2: Subordinado – 3: Hierárquico.
c) 1: Arbitrário – 2: Vinculado – 3: Disciplinar.
d) 1: Arbitrário – 2: Hierárquico – 3: Subordinado.
e) 1: Vinculado – 2: Disciplinar – 3: Arbitrário.

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra A.

Os poderes administrativos são conceituados pela doutrina. Dessa forma,


Marcelo Alexandrino (Direito Administrativo Descomplicado, 27. Ed., Rio de Janeiro:
Forense; São Paulo: Método, 2019, p. 275, 276 e 285) conceitua que:
Poder discricionário é aquele em que o agente administrativo dispõe de uma
razoável liberdade de atuação, podendo valorar a oportunidade e conveniência da
prática do ato, quanto ao seu motivo, e, sendo o caso, escolher, dentro dos limites
legais, o seu conteúdo (objeto).
Poder regulamentar é utilizado exclusivamente para designar as competências
do Chefe do Poder Executivo para editar atos administrativos normativos.
Por fim, o poder vinculado é aquele de que dispõe a administração para a
prática de atos administrativos em que é mínima ou inexistente a sua liberdade de
atuação.

MUDE SUA VIDA!


32
alfaconcursos.com.br

Ano: 2018 Banca: NC-UFPR Órgão: Câmara de Quitandinha - PR Prova: NC-UFPR - 2018 -
Câmara de Quitandinha - PR - Advogado Assunto: Poderes da Administração, Poder
normativo, poder hierárquico e poder disciplinar, Poder de polícia

27. Quando uma autoridade administrativa interdita um estabelecimento comercial privado,


constitui exemplo do exercício do poder:

a) hierárquico.
b) interventor.
c) de polícia.
d) eficaz.
e) disciplinar.

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra C.

O poder de polícia é conceituado no Código Tributário Nacional, em seu artigo


78:

Art. 78: Considera-se poder de polícia a atividade da administração pública que,


limitando ou disciplinando direito, interesse ou liberdade, regula a prática de ato ou
abstenção de fato, em razão de interesse público concernente à segurança, à higiene,
à ordem, aos costumes, à disciplina da produção e do mercado, ao exercício de
atividades econômicas dependentes de concessão ou autorização do Poder Público,
à tranquilidade pública ou ao respeito à propriedade e aos direitos individuais ou
coletivos.

Aplica-se, portanto, ao disposto no enunciado.

O poder hierárquico é aquele que o Executivo possui para organizar e distribuir


as funções de seus órgãos. Dentro da Administração Pública há uma hierarquia, como
o próprio nome do poder diz. Não é o caso do enunciado.

O poder interventor não é elencado doutrinariamente como um dos poderes da


Administração Pública, por isso, exclui-se a alternativa B.

O poder eficaz não é elencado doutrinariamente como um dos poderes da


Administração Pública, razão pela qual exclui-se a alternativa D.

O poder disciplinar é o poder que possibilita a punição interna das infrações dos
servidores. Não é o caso do enunciado, que narra uma interdição de estabelecimento
privado.

MUDE SUA VIDA!


33
alfaconcursos.com.br

Ano: 2015 Banca: NC-UFPR Órgão: Prefeitura de Curitiba – PR Prova: NC-UFPR - 2015 -
Prefeitura de Curitiba - PR - Procurador Assunto: Poderes da Administração, Poder de
polícia

28. Sobre o poder de polícia, é correto afirmar:

a) Um dos fundamentos do poder de polícia é o princípio da supremacia do interesse


público sobre o particular.
b) O poder de polícia é uma das manifestações subjetivas da Administração Pública.
c) O princípio da proporcionalidade é um dos limites impostos ao exercício do poder de
polícia, porém a ele (poder da polícia) não se aplica o princípio da motivação, por ser
uma atividade de cunho discricionário.
d) São características do poder de polícia a coercibilidade, a autoexecutoriedade e a
eficácia, esta considerada como a relação entre o direito individual e o dano a ser
prevenido.
e) A competência do agente, por se situar no plano da eficácia da medida de polícia, deve
ser observada, sob pena de ilegalidade da atuação administrativa.

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra A.

A alternativa A está correta uma vez que o art. 78 do Código Tributário Nacional assim
dispõe:

Art. 78: Considera-se poder de polícia a atividade da administração pública que,


limitando ou disciplinando direito, interesse ou liberdade, regula a prática de ato ou abstenção
de fato, em razão de interesse público concernente à segurança, à higiene, à ordem, aos
costumes, à disciplina da produção e do mercado, ao exercício de atividades econômicas
dependentes de concessão ou autorização do Poder Público, à tranquilidade pública ou ao
respeito à propriedade e aos direitos individuais ou coletivos.

O poder de polícia concretiza então, um dos princípios da Administração Pública, que é


a supremacia do interesse público.

A alternativa B está incorreta, uma vez que o poder de polícia se trata de manifestação
objetiva da Administração Pública, pois só é executado diante de situações legais concretas.

A alternativa C é incorreta. O poder de polícia deve respeitar o princípio da motivação,


mesmo tendo como característica a discricionariedade, ela não exclui necessidade de
motivação.

A alternativa D é incorreta. As características do poder de polícia não incluem a eficácia.


São elas: a discricionariedade, a autoexecutoriedade e a coercibilidade.

A alternativa E é incorreta. A competência do agente não se encontra no plano da


eficácia, mas sim no plano da validade.

MUDE SUA VIDA!


34
alfaconcursos.com.br

Ano: 2019 Banca: NC-UFPR Órgão TJPR Prova: NCUFPR - 2019 - Notário e Registrador (TJ
PR)/Remoção/2019 Tema: Princípios da Administração Pública

29. “De todo modo, mesmo que se discorde da fundamentação normativa expressa (art. 3º,
IV, e art. 66, parágrafo 1º, da CF), a inexistência de um dispositivo expresso e específico
na Constituição brasileira de 1988 que se refira ao dever da Administração Pública de
servir ao “interesse público” jamais poderia significar ausência de amparo normativo ao
princípio da supremacia do interesse público” (HACHEM, 2011). Levando em
consideração a posição do autor, assinale a alternativa correta.

a) A supremacia do interesse público é um princípio da Administração Pública explícito na


Constituição da República de 1988, ainda que possa haver discordâncias sobre essa
afirmação por parte de intérpretes.
b) A supremacia do interesse público é na realidade uma regra implícita no sistema
constitucional brasileiro que, por vezes, é considerada regra expressa pelos intérpretes.
c) O princípio da supremacia do interesse público é inexoravelmente um princípio
expresso da Administração Pública brasileira na Constituição da República.
d) O princípio da supremacia do interesse público pode ser considerado ou não um
princípio regente do regime jurídico administrativo, dependendo da interpretação dos
operadores jurídicos.
e) Não há como saber ao certo no Brasil se o princípio da supremacia do interesse público
é um princípio constitucional.

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra A.

ATENÇÃO: A questão foi realizada com base no entendimento do autor Daniel


Wunder Hachem. Teceremos maiores comentários abaixo.

A) CORRETA. De acordo com o autor, o princípio da supremacia do interesse


público decorre da interpretação do art. 3º, IV da Constituição Federal: “Art. 3º.
Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: (...) IV -
promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e
quaisquer outras formas de discriminação.” Conforme Hachem, ao afirmar que é
objetivo fundamental da República promover o bem de todos, a Constituição adotaria
de forma expressa o princípio da supremacia do interesse público.

B) INCORRETA, à luz do posicionamento do autor, conforme explicitado no


item anterior. A doutrina majoritária, entretanto, entende que se trata de princípio
implícito. Celso Antônio Bandeira de Mello, inclusive, reconhece o princípio da
supremacia do interesse público sobre o privado e da indisponibilidade do interesse
público como as “pedras de toque” do Direito Administrativo.

C) INCORRETA. Não se trata de afirmação inexorável, uma vez que a posição


majoritária vai de encontro com o entendimento de Hachem.

MUDE SUA VIDA!


35
alfaconcursos.com.br

D) INCORRETA. A alternativa expõe o entendimento da doutrina majoritária,


que não se conforma com o posicionamento do autor, conforme explicado acima.

E) INCORRETA. Certo é que existem duas possibilidades: ou a adoção da


doutrina majoritária, entendendo que se trata de princípio implícito, ou do
posicionamento do autor, que entende que o princípio se encontra expresso no art.
3º, IV da CRFB.

Ano: 2019 Banca: NC-UFPR Órgão TJPR Prova: NCUFPR - 2019 - Notário e Registrador (TJ
PR)/Remoção/2019 Tema: Princípios da Administração Pública

30. “O direito à ampla defesa toca na licitude e moralidade dos meios de prova. Para Cordeiro,
deve ser afastada do processo a ideia de que este tem por finalidade a verdade a qualquer
preço. Essa afirmação conduz à possibilidade de tortura. O contraditório constitui
medida útil, do ponto de vista técnico e moral, como único modo de garantir ao imputado
uma defesa efetiva” (BACELLAR FILHO, 2013). Sobre o tema levantado pelo autor,
assinale a alternativa correta segundo o sistema jurídico brasileiro atual.

a) O raciocínio acima conduz à interpretação de que são inadmitidas as provas ilícitas no


processo administrativo disciplinar por razões também morais, para além da questão da
legalidade formal.
b) O texto citado está desatualizado, considerando a atual jurisprudência brasileira
predominante, que permite a consideração de provas ilícitas no processo
administrativo, desde que exista uma formal solicitação de desculpas realizada pela
autoridade respectiva a posteriori.
c) As provas não podem ser consideradas ilícitas se forem indispensáveis à verificação
pragmática da verdade material, e desde que sejam submetidas ao contraditório, exceto
para o caso da tortura.
d) A mera inversão do ônus da prova, no processo administrativo disciplinar, não implica
afetação ao princípio da presunção de inocência, podendo ser realizada em caso de ser
caracterizado o dolo do agente.
e) O processo administrativo disciplinar, pela sua própria natureza, não admite a
possibilidade de medidas cautelares, seja por razões de interesse público, seja por
razões de ampla defesa.

MUDE SUA VIDA!


36
alfaconcursos.com.br

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra A.

A) CORRETA. Além do aspecto formal levantado pelo autor, que se trata da


adoção da verdade processual, ou seja, amparada no conjunto probatório, é proibida
a utilização de provas ilícitas. Registre-se que tal vedação encontra-se estampada,
inclusive, na Constituição Federal (art. 5º, LVI CF). Pode-se afirmar, ainda, que a
Administração Pública que trabalha com o conceito de verdade real, buscando os
elementos de prova a todo e qualquer custo, fere a moralidade administrativa.

B) INCORRETA. Inexiste a possibilidade de utilização de prova ilícita no


processo administrativo levantada na alternativa. Ademais, a questão não está
desatualizada, especialmente diante da vedação de uso de provas ilícitas na
Constituição Federal (art. 5º, LVI).

C) INCORRETA. As provas ilícitas serão sempre inadmissíveis, devendo ser


desentranhadas do processo. Neste sentido, art. 38, §2º da Lei nº 9.784/99:
“Somente poderão ser recusadas, mediante decisão fundamentada, as provas
propostas pelos interessados, quando sejam ilícitas, impertinentes, desnecessárias
ou protelatórias”.

D) INCORRETA. Inexiste previsão de inversão do ônus da prova no processo


administrativo disciplinar. Vale relembrar o caráter sancionador do PAD, o que gera
à Administração Pública o ônus de trazer as provas necessárias à responsabilização
do agente público.

E) INCORRETA. Atualmente, admite-se medidas acautelatórias no processo


administrativo disciplinar, para fins de garantia da efetividade da apuração. Ex.:
produção antecipada de provas.

Ano: 2018 Banca: NC-UFPR Órgão TJPR Prova: NCUFPR - 2018 - Assistente Previdenciário
(FOZPREV)/2018 Tema: Princípios da Administração Pública

MUDE SUA VIDA!


37
alfaconcursos.com.br

31. Em relação aos princípios fundamentais da Administração Pública, é correto afirmar:

a) O planejamento prescinde da programação financeira de desembolso, porque tem


objetivo plurianual.
b) A autonomia municipal permite o desenvolvimento de políticas próprias de saúde,
independentemente de planejamento com as políticas de saúde.
c) Os serviços municipais não podem ser prestados por empresas terceirizadas.
d) A descentralização das atividades da Administração federal é permitida no serviço
público mediante convênio entre as unidades federadas devidamente aparelhadas para
a execução da atividade.
e) O controle da Administração Pública pode representar custo adicional nas situações de
risco, em especial nos casos de delegação de competência, em que o custo do controle
seja superior ao custo da atividade.

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra D.

A) INCORRETA. De acordo com o art. 7º do Decreto-lei nº 200/67, “A ação


governamental obedecerá a planejamento que vise a promover o desenvolvimento
econômico-social do País e a segurança nacional, norteando-se segundo planos e
programas elaborados, na forma do Título III, e compreenderá a elaboração e
atualização dos seguintes instrumentos básicos: d) programação financeira de
desembolso.” Ademais, conforme art. 6º do referido Decreto-lei, o planejamento é
um dos princípios fundamentais da Administração Federal.

B) INCORRETA. De acordo com o princípio da coordenação, há dependência


do desenvolvimento de políticas públicas de saúde do Município com as políticas de
saúde. Neste sentido, art. 156 do Decreto-lei:

Art. 156. A formulação e Coordenação da política nacional de saúde, em


âmbito nacional e regional, caberá ao Ministério da Saúde.

§ 1º Com o objetivo de melhor aproveitar recursos e meios disponíveis e de


obter maior produtividade, visando a proporcionar efetiva assistência médico-social
à comunidade, promoverá o Ministério da Saúde a coordenação, no âmbito regional
das atividades de assistência médico-social, de modo a entrosar as
desempenhadas por órgãos federais, estaduais, municipais, do Distrito
Federal, dos Territórios e das entidades do setor privado. (Grifamos).
A título de complementação, de acordo com a Lei do SUS (Lei nº 8.080/90),
mais precisamente no art. 15: “Art. 15. A União, os Estados, o Distrito Federal e os
Municípios exercerão, em seu âmbito administrativo, as seguintes atribuições: IV -
organização e coordenação do sistema de informação de saúde”. O modelo
coparticipativo de saúde é amplamente adotado na sistemática do SUS.

C) INCORRETA. À luz do art. 10, §7º do Decreto-lei nº 200/67, a execução


das atividades da Administração Federal poderá ser feita de forma indireta, por
contrato, desde que haja iniciativa privada suficientemente desenvolvida e
capacitada a desempenhar os encargos de execução.

MUDE SUA VIDA!


38
alfaconcursos.com.br

D) CORRETA. De acordo com o art. 10 do Decreto-lei nº 200/67, a execução


das atividades da Administração federal deverá ser amplamente descentralizada. O
§1º estabelece três planos principais, sendo um deles: da Administração federal para
as unidades federadas, quando estiverem aparelhadas e mediante convênio.
(Grifamos)

Obs.: o convênio não é um contrato, e sim um pacto realizado entre os entes


federados.

E) INCORRETA. O custo do controle não pode superior ao custo da atividade.


Neste sentido, art. 14 do Decreto-lei nº 200/67: “Art. 14. O trabalho administrativo
será racionalizado mediante simplificação de processos e supressão de controles
que se evidenciarem como puramente formais ou cujo custo seja evidentemente
superior ao risco.” (Grifamos)

Ano: 2017 Banca: NC-UFPR Órgão UFPR Prova: NCUFPR - 2017 - Administrador
(UFPR)/Curitiba/2017 Tema: princípios fundamentais da Administração

32. Numere a coluna da direita, relacionando os princípios fundamentais da Administração


Pública com seus respectivos elementos.
1. Planejamento.
2. Coordenação.
3. Descentralização.
4. Delegação de Competência.
5. Controle.
( ) Relatórios solicitados pelo Tribunal de Contas da União.
( ) Concessão de Rodovias Federais.
( ) Gerenciamento de transportes por um único órgão em áreas conturbadas.
( ) Estratégias Nacionais de Segurança Pública.
( ) Reunião de prefeitos da Região Metropolitana de Curitiba.

a) 5-3-1-2-4
b) 3-4-5-1-2
c) 1-4-5-2-3
d) 5-3-4-1-2
e) 1-2-4-5-3

MUDE SUA VIDA!


39
alfaconcursos.com.br

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra D.

(5) Relatórios solicitados pelo Tribunal de Contas da União.

O Tribunal de Contas da União é órgão auxiliar de controle externo,


responsável pela fiscalização da aplicação de dinheiros (sic), bens e valores públicos
da União, conforme disposto na Constituição Federal (art. 70). Outrossim, de acordo
com o art. 13 do Decreto-lei nº 200/67, o controle da aplicação dos dinheiros públicos
e da guarda dos bens da União será feito “pelos órgãos próprios do sistema de
contabilidade e auditoria”.

(3) Concessão de Rodovias Federais.

A concessão de serviços públicos se origina da descentralização por colaboração


ou por delegação. O Poder Público, mediante contrato administrativo, transfere ao
concessionário a execução do serviço, entretanto, permanece com a titularidade.
Reza o art. 10 do Decreto nº 200/67 que a execução das atividades da Administração
federal deverá será amplamente descentralizada.

(4) Gerenciamento de transportes por um único órgão em áreas


conturbadas.

A Delegação de Competência se encontra no Capítulo IV do Decreto-lei nº


200/67, mais precisamente no art. 11. Reza o referido dispositivo que a delegação
de competência será usada como instrumento de descentralização administrativa,
cujo objetivo é assegurar maior rapidez e objetividade às decisões, situando-as na
proximidade dos fatos, pessoas ou problemas a atender.

(1) Estratégias Nacionais de Segurança Pública.

A ação governamental deverá obedecer a um planejamento que vise à


promoção do desenvolvimento econômico-social do país e a segurança nacional,
conforme art. 7º do Decreto-lei nº 200/67. Sendo assim, a adoção de estratégias de
nível nacional que visem a segurança pública encontra-se inserida no âmbito do
planejamento das ações governamentais.

(2) Reunião de prefeitos da Região Metropolitana de Curitiba.

De acordo com o art. 8º, §1º do Decreto-lei nº 200/67, a coordenação será


exercida em todos os níveis da administração, ou seja, inclusive em âmbito
municipal, através de suas chefias individuais. No caso, as chefias estão
representadas pelos prefeitos da Região Metropolitana de Curitiba. Por fim, o referido
dispositivo prevê que a coordenação será realizada através de reuniões com a
participação das chefias subordinadas e a instituição e funcionamento de
comissões de coordenação em cada nível administrativo.

MUDE SUA VIDA!


40
alfaconcursos.com.br

Ano: 2012 Banca: NC-UFPR Órgão TJPR Prova: NCUFPR - 2012 – Juiz Estadual – TJPR
Tema: Princípios da Administração Pública

33. “Ainda que não seja uma 'noção neutra', estando muito distante de qualquer
imparcialidade, a flexibilidade do conceito de subsidiariedade certamente presta-se
tanto a uma visão mais interventiva quanto a uma menos interventiva, dependendo da
concepção que se tem sobre a 'incapacidade privada' de solução das questões sociais...”
(GABARDO, Emerson. Interesse público e subsidiariedade. Belo Horizonte: Fórum, 2009,
p. 223).

Considerando a temática acima exposta, assinale a alternativa INCORRETA.

a) A subsidiariedade é relevante como um critério de determinação subjetiva tanto de


relações jurídicas horizontais como verticais.
b) O princípio constitucional da subsidiariedade não possui menção expressa no capítulo
constitucional da “Administração Pública”.
c) O princípio da subsidiariedade possui contestações por parcela da doutrina que não
acredita na sua recepção pelo sistema constitucional brasileiro atual.
d) Um dos efeitos do critério de subsidiariedade é dar preferência à atuação das regiões
metropolitanas em detrimento da ação dos municípios em casos de disputa de
competência.

Comentário da questão: A assertiva incorreta é a letra D.

De acordo com o princípio da subsidiariedade, somente deverão ficar a cargo


do Estado a execução de atividades que são propriamente estatais, como as
atividades de segurança e justiça, estando as atividades de natureza social (como
saúde e educação, por exemplo) e econômica (como as atividades industriais) a cargo
dos particulares, exercendo o Estado atividade supletiva, para suprir eventuais
ineficiências.

A) CORRETA. O princípio da subsidiariedade pode ser analisado tanto sob o


aspecto horizontal (ou seja, a atuação do Poder Público deve ser sempre residual) e
vertical (relacionada com a distribuição de competências, devendo a União atuar em
casos de extrema necessidade e, por sua vez, os Estados-membros só deverão atuar
em casos de necessidade).

B) CORRETA. De fato, o princípio da subsidiariedade não possui previsão


expressa na Constituição Federal, sendo extraído de forma implícita dos preceitos
constitucionais.

A título exemplificativo, cite-se o art. 173 da Constituição Federal, que explicita


o caráter subsidiário da atuação do Estado na exploração direta da atividade
econômica, somente sendo permitida em casos de imperativos de segurança nacional
ou relevante interesse coletivo.

C) CORRETA. Realmente, autores como Emerson Gabardo defendem que o


princípio não foi recepcionado pela Constituição Federal, afirmando que o Estado e

MUDE SUA VIDA!


41
alfaconcursos.com.br

os particulares se encontram na mesma posição hierárquico, não havendo que se


falar em “Estado subsidiário”.

D) INCORRETA. Tendo em vista o aspecto vertical do princípio da


subsidiariedade, em verdade, deve-se priorizar a ação dos municípios em detrimento
da atuação das regiões metropolitanas.

Ano: 2012 Banca: NC-UFPR Órgão TJPR Prova: NCUFPR - 2012 – Juiz Estadual – TJPR
Tema: Princípios da Administração Pública

34. Em relação ao regime jurídico administrativo, assinale a alternativa correta.


a) O princípio constitucional da supremacia do interesse público é um dos princípios gerais
da Administração Pública expressos no caput do artigo 37 da Constituição Federal.
b) O princípio da supremacia do interesse público não admite ponderação com outros
princípios constitucionais dado o seu caráter absoluto.
c) A supremacia do interesse público é princípio oposto ao da indisponibilidade dos
interesses públicos pela Administração.
d) O princípio constitucional da supremacia do interesse público é princípio estruturante
do regime jurídico administrativo brasileiro, tendo correspondência à ideia de existirem
prerrogativas especiais aos atos administrativos (o que é típico do sistema da Civil Law).

Comentário da questão: A assertiva correta é a letra D.

A) INCORRETA. Diferentemente do que afirma a alternativa, o princípio da supremacia


do interesse público não se encontra previsto de forma expressa na Constituição Federal. A
doutrina majoritária, entretanto, entende que se trata de princípio implícito. Celso Antônio
Bandeira de Mello, inclusive, reconhece o princípio da supremacia do interesse público sobre o
privado e da indisponibilidade do interesse público como as “pedras de toque” do Direito
Administrativo.

B) INCORRETA. Inicialmente, deve-se ressaltar que inexiste hierarquia entre princípios


ou direitos, devendo-se aplicar a técnica da ponderação a cada caso concreto, desenvolvida
pelo alemão Robert Alexy, para fins de identificação do princípio ou direito aplicável ao caso.

C) INCORRETA. Diferentemente do que afirma a alternativa, a supremacia do interesse


público e a indisponibilidade do interesse público consistem no que a doutrina chama de
“pedras de toque” do Direito Administrativo, complementando-se. São princípios consagrados
no âmbito da doutrina clássica do Direito Administrativo.

D) CORRETA. A supremacia do interesse público realmente confere prerrogativas aos


atos administrativos, como por exemplo sua presunção de legitimidade e veracidade. Ademais,
tais prerrogativas são realmente decorrentes do sistema da Civil Law, que privilegiam o
aspecto positivo em detrimento de regras consuetudinárias. Diferentemente, no sistema da
Common Law, como o inglês, a primazia é pelos costumes e precedentes em detrimento das
leis.

MUDE SUA VIDA!


42
alfaconcursos.com.br

Ano: 2007 Banca: NC - UFPR Órgão: Polícia Civil - PR Prova: Delegado de Polícia - PR
Assunto: Abuso de Poder: Excesso de Poder e Desvio de Finalidade (poderes da
Administração)

35. O ato administrativo praticado por autoridade competente com excesso de poder:
a) É anulável.
b) Se consumado pode ser convalidado.
c) É nulo.
d) Produz efeitos até ser anulado.
e) Pode ser validado quando fundamentado no poder discricionário.

a) (ERRADA) Antes de tudo é importante dizer que, convalidar é tornar válido e


efetuar as devidas correções nos atos administrativos, na forma da lei, com o objetivo
de que ele fique perfeito. Diante disso, sabe-se que ato anulável é um ato que pode
ser convalidado, porém, na situação em que os atos são praticados com excesso de
poder a convalidação não poderá ocorrer, sendo assim, o ato será considerado nulo.

b) (ERRADA) Os atos administrativos praticados com excesso de poder, afrontam


a lei, pois são produzidos de forma ilegal. Dessa forma, não são passíveis de
convalidação.

c) (CERTA) De acordo com o enunciado da questão, o ato administrativo foi


praticado com excesso de poder, ou seja, foi produzido de forma ilegal, afrontando a
lei, logo, será nulo.

d) (ERRADA) O ato nulo deverá ser cumprido até que tenha a sua nulidade
declarada, entretanto, não produz qualquer efeito até a sua anulação, tendo em vista
que a anulação gera efeito ex tunc. Nesse contexto, cabe salientar que, diferentemente
do ato nulo, os atos anuláveis produzem todos os efeitos até serem julgados por
sentença.

e) (ERRADA) Cumpre enfatizar que, o excesso de poder é uma ilegalidade, logo,


não há o que se falar em discricionariedade, pois, mesmo concedendo liberdade de
atuação, a autoridade deve-se atuar dentro dos limites legais.

MUDE SUA VIDA!


43
alfaconcursos.com.br

Ano: 2019 Banca: NC-UFPR Órgão: Prefeitura de Curitiba - PR Prova: Procurador


Assunto: Serviços Públicos - Conceito e Classificação dos Serviços Públicos

36. Uma das atividades de gestão administrativa mais importantes dos Estados
contemporâneos é o serviço público. No Brasil, a tradição francesa impactou
significativamente a regulação da matéria, que segue, todavia, ainda muito controvertida
e exigindo constante atenção da doutrina especializada. Sobre o assunto, assinale a
alternativa correta.

a) O conceito de serviço público previsto no texto original da Constituição de 1988 foi


alterado por Emenda Constitucional na década de 1990.
b) A teoria do serviço público brasileira, com base na Constituição, costuma fazer
distinção entre serviços públicos privativos (ou exclusivos) do Estado e não
privativos (ou não exclusivos) do Estado.
c) A redação atual da Constituição Federal proíbe a prestação de serviços públicos pela
via direta.
d) No Brasil, inexiste uma lei nacional de participação, proteção e defesa dos direitos
do usuário dos serviços públicos da administração pública.
e) A Constituição não faz diferença entre o regime jurídico da prestação de serviços
públicos e a exploração direta de atividade econômica em sentido estrito pelo
Estado.

a) (ERRADA) Afirmativa está incorreta, pois, não há uma definição específica


sobre o conceito de servidor público. Diante disso, o artigo 175 da CF/88 menciona
em seu dispositivo acerca do tema, porém não apresenta um conceito de servidor
público. Nesse contexto, há inúmeros autores que trazem variações de conceito
quanto ao serviço público. Vale mencionar, ainda, que, a Emenda Constitucional
não alterou o texto original da CF/88.

A fim de complementar o material, cabe mencionar um dos conceitos de serviço


público, trazido pelo autor Hely Lopes Meireles: “Todo aquele prestado pela
Administração ou por seus delegados, sob normas e controles estatais, para
satisfazer necessidades essenciais ou secundárias da coletividade ou simples
conveniências do Estado.”

B) (CERTA) Afirmativa correta. A Constituição Federal traz em sua redação,


distinções entre os serviços privativos delegáveis (não privativos ou exclusivos) e
os serviços não delegáveis (privativos e exclusivos).

C) (ERRADA) Afirmativa está incorreta. A redação atual da Constituição Federal


prevê a prestação de serviços públicos de forma direta. A fim de corroborar com a
resposta, cabe mencionar o dispositivo do artigo 175 da CF/88 o qual elenca essa
possibilidade: “Art. 175 da CF/88: “Incumbe ao poder público, na forma da lei,
diretamente ou sob regime de concessão ou permissão, sempre através de
licitação, a prestação de serviços públicos.”

d) (ERRADA) Afirmativa incorreta, haja vista, que existe uma Lei nacional que
dispõe sobre a participação, proteção e defesa dos direitos do usuário dos serviços

MUDE SUA VIDA!


44
alfaconcursos.com.br

públicos da administração pública, inclusive, é importante destacar que a Lei foi


sancionada em 2017, sob o número 13.460.

e) (ERRADA) Afirmativa está incorreta, visto que, a Constituição Federal faz


diferença entre os serviços públicos e a exploração direta de atividade econômica
em sentido estrito pelo Estado, aliás, cabe mencionar, que, existem serviços que
podem ser prestados de forma direta pelo Estado.

Ano: 2015 Banca: NC-UFPR Órgão: Prefeitura de Curitiba - PR Prova: Procurador


Assunto: Controle da Administração Pública - Controle Administrativo, judicial e
legislativo - Tribunal de Contas

37. Sobre o controle da Administração Pública, assinale a alternativa correta.

a) Entre os vários instrumentos de controle administrativo da Administração Pública,


são admitidos a representação, a reclamação e o mandado de segurança.
b) Os Tribunais de Contas têm por dever constitucional apreciar as contas do Poder
Legislativo, emitindo parecer prévio no prazo de 60 dias a contar do seu
recebimento.
c) Os Tribunais de Contas, no exercício de suas competências constitucionais, está
expressamente proibido de sustar a execução de atos impugnados, pois essa
competência é privativa do Poder Legislativo.
d) Estão eximidas de prestar contas as entidades privadas que, mesmo sendo
beneficiárias de recursos públicos, aplique-os em finalidade pública.
e) A fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial das
pessoas jurídicas de direito público interno e de suas administrações direta e
indireta é feita pelo Poder Legislativo, pois, entre outras, cabe-lhe a atribuição do
controle externo.

a) (ERRADA) Em relação aos instrumentos do controle administrativo da


Administração Pública, são admitidos a representação e a reclamação. Vale
mencionar que o mandado de segurança não, visto que ele é instrumento do
controle judicial.

b) (ERRADA) Os Tribunais de Contas têm como dever constitucional apreciar as


contas prestadas anualmente pelo Presidente da República, e não do
Poder Legislativo, emitindo parecer prévio que deve ser elaborado em 60
(sessenta) dias, a contar de seu recebimento.

c) (ERRADA) O TCU - Tribunal de Contas da União, no exercício das suas


competências constitucionais, pode sustar a execução de atos impugnados,
devendo comunicar a sua decisão à Câmara dos Deputados e ao Senado Federal.

d) (ERRADA) As entidades privadas não estão eximidas de prestar contas, nesse


contexto, qualquer pessoa física ou jurídica, pública ou privada devem prestar
contas.

e) (CERTA) A afirmativa está correta, visto que, no que se refere ao controle da


Administração Pública, traz exatamente a literalidade da lei. Atente-se ao
dispositivo do artigo 70 da Constituição Federal “Art. 70. A fiscalização contábil,

MUDE SUA VIDA!


45
alfaconcursos.com.br

financeira, orçamentária, operacional e patrimonial da União e das entidades da


administração direta e indireta, quanto à legalidade, legitimidade,
economicidade, aplicação das subvenções e renúncia de receitas, será exercida
pelo Congresso Nacional, mediante controle externo, e pelo sistema de controle
interno de cada Poder.”

Ano: 2011 Banca: NC-UFPR Órgão: ITAIPU BINACIONAL Prova: Advogado


Assunto: Controle da Administração Pública - Controle Administrativo, judicial e
legislativo

38. Sobre os atos administrativos, considere as seguintes afirmativas:

1. Pelo Princípio do Controle Jurisdicional dos atos administrativos, cabe exclusivamente


ao Poder Judiciário o controle de legalidade dos atos administrativos.
2. Cabe apenas à Administração Pública a possibilidade de rever seus atos
administrativos, revogando-os por critérios de conveniência e oportunidade. Esse é o
chamado controle de mérito.
3. Considerando-se que a discricionariedade não é um cheque em branco, pode-se dizer
que nenhum ato administrativo está imune ao controle judicial, porque a
discricionariedade administrativa está sujeita ao regime jurídico administrativo.
4. Um ato administrativo discricionário que tenha sido expedido em desacordo com o
princípio da moralidade e da proporcionalidade não poderá ser invalidado pelo Poder
Judiciário, tendo em vista o Princípio da Tripartição de Poderes.

Assinale a alternativa correta.

a) As afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras.


b) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras.
c) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras.
d) Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras.
e) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras.

c) (CERTA) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras.

Afirmativa 2: Está correta, visto que, mesmo que o ato administrativo não
demonstre defeitos, a Administração Pública pode se utilizar dos critérios de
conveniência e oportunidade para revogá-lo, tal “ação” é chamada de controle de
mérito, que, inclusive, é de competência exclusiva da Administração Pública.

Afirmativa 3: Está correta. Sabe-se que, no Brasil, o ordenamento jurídico


adotou o sistema de jurisdição uma, logo, todo e qualquer ato administrativo se
sujeita ao Poder Judiciário, além disso, é direito de todos levar ao Poder Judiciário,
qualquer matéria em que se sinta prejudicado, visto que, é o único que soluciona
conflitos de forma definitiva.

Afirmativas incorretas: 1 e 4

1. Pelo Princípio do Controle Jurisdicional dos atos administrativos, cabe


exclusivamente ao Poder Judiciário o controle de legalidade dos atos administrativos.

MUDE SUA VIDA!


46
alfaconcursos.com.br

A afirmativa está incorreta, visto que, cabe, exclusivamente ao Poder Judiciário


o controle da legalidade dos atos administrativos, porém, é pelo Princípio da
Inafastabilidade.

4. Um ato administrativo discricionário que tenha sido expedido em desacordo


com o princípio da moralidade e da proporcionalidade não poderá ser invalidado pelo
Poder Judiciário, tendo em vista o Princípio da Tripartição de Poderes.

A afirmativa está incorreta, posto que, todo ato administrativo que ofenda
algum princípio, além de nulo, poderá ser invalidado pelo Poder Judiciário.

Ano: 2019 Banca: NC - UFPR Órgão: Prefeitura de Curitiba - PR Prova: Procurador


Assunto: Organização da Administração Pública - Desconcentração e Descentralização
Administrativa

39. Conforme explica Irene Patrícia Nohara (2018), “tanto a desconcentração como a
descentralização são técnicas utilizadas para racionalizar o desenvolvimento e a
prestação de atividades do Estado”. Considerando o tema tratado, assinale a alternativa
correta.

a) Como decorrência do processo de desconcentração, surge a Administração Indireta


da União, Estados, Distrito Federal e Municípios.
b) A descentralização pode ser definida como a realocação de órgãos administrativos
despersonalizados.
c) As sociedades de economia mista e as empresas públicas são consideradas entes
estatais, mesmo sendo detentoras de personalidade jurídica de direito privado.
d) Os consórcios públicos são órgãos despersonalizados, podendo ser tanto de direito
público quanto de direito privado.
e) Os serviços sociais autônomos são espécies de autarquias.

a) (ERRADA) A alternativa está incorreta, visto que, a Administração Indireta da


União, Estados, Distrito Federal e Municípios surge através da técnica de
descentralização administrativa. Nesse sentido, vale lembrar que a desconcentração
é uma técnica interna, logo, cria órgãos novos dentro da Administração Pública.

b) (ERRADA) A alternativa está incorreta. Vale lembrar, que, é a desconcentração


que pode realocar os órgãos administrativos personalizados, pois, ela tem o poder
de distribuir competências dentro da mesma pessoa jurídica, já na técnica de
descentralização, há o surgimento de novas pessoas jurídicas.

c) (CERTA) Alternativa correta. As sociedades de economia mista, as empresas


públicas e suas subsidiárias, são consideradas entes estatais, visto que, integram a
Administração Pública indireta. A fim de corroborar com a afirmação, cabe
mencionar os artigos 3º e 4º da Lei das Estatais nº 13.303/06:

“Art. 3º Empresa pública é a entidade dotada de personalidade jurídica de


direito privado, com criação autorizada por lei e com patrimônio próprio, cujo
capital social é integralmente detido pela União, pelos Estados, pelo Distrito
Federal ou pelos Municípios.

Art. 4º Sociedade de economia mista é a entidade dotada de personalidade


jurídica de direito privado, com criação autorizada por lei, sob a forma de

MUDE SUA VIDA!


47
alfaconcursos.com.br

sociedade anônima, cujas ações com direito a voto pertençam em sua maioria
à União, aos Estados, ao Distrito Federal, aos Municípios ou a entidade da
administração indireta.”

d) (ERRADA) Alternativa está incorreta, pois, os consórcios públicos são entes


personalizados, logo, constituem pessoas jurídicas, de direito público ou privado.

e) (ERRADA) Alternativa incorreta. Os serviços sociais autônomos não são espécies


de autarquias, ou seja, não integram a Administração Pública indireta. A propósito,
vale lembrar que eles são pessoas jurídicas de direito privado, logo, são autônomos.

Ano: 2019 Banca: VUNESP Órgão: Prefeitura de Campinas -SP Prova: Auditor Fiscal
Tributário Municipal - Conhecimentos Gerais e Específicos Assunto: Serviços Públicos -
Delegação dos Serviços Públicos Concessão e Permissão

40. A retomada do serviço pelo poder concedente durante o prazo da concessão, por motivo
de interesse público, mediante lei autorizativa específica e após prévio pagamento da
indenização, é hipótese de extinção da concessão do serviço público conhecida como

a) advento contratual.
b) encampação.
c) rescisão.
d) caducidade.
e) revogação.

a) (ERRADA) O advento contratual é uma forma de extinção natural, ocorre


com o fim do prazo contratual previsto, independentemente de as partes praticarem
qualquer outro ato.

b) (CERTA) A encampação é uma hipótese de extinção da concessão, além


disso, o enunciado da questão traz a literalidade da lei, conforme reza o artigo 37 da
Lei 8987/95, que traz em seu dispositivo, a definição da encampação: “Art. 37.
Considera-se encampação a retomada do serviço pelo poder concedente durante o
prazo da concessão, por motivo de interesse público, mediante lei autorizativa
específica e após prévio pagamento da indenização, na forma do artigo anterior.”

Vale mencionar, ainda, que a encampação é a retomada do serviço público,


mediante ato unilateral, pelo poder concedente, em razão de decisões relacionadas
ao mérito administrativo. Além disso, é importante ressaltar, o concessionário terá
direito a indenização.

c) (ERRADA) A rescisão ocorre pelo descumprimento contratual das


obrigações pelo poder concedente. Sabe-se que o concessionário tem a titularidade
para promover a rescisão, porém, é necessário que ele recorra ao Poder Público,
nessa situação, é necessária a decisão transitar em julgado para que o concessionário
suspenda ou interrompa os seus serviços. Cabe ainda, mencionar, que a rescisão
pode ser dar mediante ato unilateral da Administração, de forma amigável ou judicial.

Destarte citar o art. 39 da Lei 8987/95 que traz a definição da rescisão: “O


contrato de concessão poderá ser rescindido por iniciativa da concessionária, no caso
de descumprimento das normas contratuais pelo poder concedente, mediante ação

MUDE SUA VIDA!


48
alfaconcursos.com.br

judicial especialmente intentada para esse fim. Parágrafo único. Na hipótese


prevista no caput deste artigo, os serviços prestados pela concessionária não poderão
ser interrompidos ou paralisados, até a decisão judicial transitada em julgado.”

d) (ERRADA) A caducidade é a extinção (mediante ato unilateral), dos


contratos de concessão por meio do Poder Público, ocorre quando o concessionário
descumpre as obrigações impostas no contrato.

A fim de complementar o material, é importante citar, que, a caducidade está


definida no artigo 38 da Lei 8987/95: “Art. 38. A inexecução total ou parcial do
contrato acarretará, a critério do poder concedente, a declaração de caducidade da
concessão ou a aplicação das sanções contratuais, respeitadas as disposições deste
artigo, do art. 27, e as normas convencionadas entre as partes.”

e) (ERRADA) A revogação é um ato administrativo discricionário, portanto, a


Administração pode extinguir um ato válido por motivo de conveniência e
oportunidade. Além disso, cabe citar o artigo 49 da Lei 8666/93 em que a revogação
está prevista: “ A autoridade competente para a aprovação do procedimento
somente poderá revogar a licitação por razões de interesse público decorrente de
fato superveniente devidamente comprovado, pertinente e suficiente para justificar
tal conduta, devendo anulá-la por ilegalidade, de ofício ou por provocação de
terceiros, mediante parecer escrito e devidamente fundamentado.”

Ano: 2019 Banca: FPMA-PR Órgão: COREN-PR Prova: Advogado Assunto: Organização da
Administração Pública - Desconcentração e Descentralização Administrativa –

41. A respeito das modalidades de organização administrativa do Estado, assinale a


alternativa correta.

a) As formas de descentralização administrativa não cabem aos regimes orgânicos


municipais, tendo em vista os ditames fixados a partir da Constituição Federal de 1988.

b) A descentralização administrativa por serviços, também denominada por


descentralização funcional ou técnica, ocorre pela criação de autarquias, fundações e
empresas públicas. As sociedades de economia mista encontram-se fora desse modelo,
tendo em vista serem parcialmente compostas por recursos oriundos da iniciativa
privada.
c) A entidade descentralizada possui personalidade jurídica e patrimônio próprios,
capacidade de autoadministração, motivo pelo qual não se sujeita a nenhuma forma de
controle ou tutela por parte do ente instituidor.
d) Descentralização é a divisão de competência para pessoa diversa da pessoa central;
desconcentração é distribuição de competências dentro da mesma pessoa jurídica.
e) A descentralização por colaboração é a figura em que a Administração Pública cria, por
lei, pessoa jurídica de direito privado para a execução de serviço público, eximindo-se,
todavia, do controle das condições de execução do respectivo serviço público.

MUDE SUA VIDA!


49
alfaconcursos.com.br

a) (ERRADA) Alternativa incorreta, posto que, as formas de descentralização


administrativa incluem os municípios, além disso, cabe destacar que, todas as
entidades políticas podem ter Administração indireta, logo as autarquias municipais,
ou seja, as pessoas de direito público integrantes da Administração descentralizada.

b) (ERRADA) Afirmativa incorreta. Destarte mencionar, que, apesar de a


descentralização funcional ter surgido com as autarquias, foram criadas também as
empresas estatais prestadoras de serviços públicos, nesse contexto, incluem-se as
sociedades de economia mista.

c) (ERRADA) Afirmativa está incorreta, visto que, a Administração direta


controla a indireta através da tutela administrativa. Vale mencionar, como exemplo,
o controle externo, promovido pelo Tribunal de Contas.

d) (CERTA) Afirmativa correta, pois, na desconcentração a distribuição das


competências se dá de forma interna, no âmbito de uma pessoa jurídica, na
descentralização suas competências são atribuídas a entidades que possuem
personalidade jurídica autônoma.

e) (ERRADA) A descentralização por colaboração, o Estado não cria pessoa


jurídica de direito privado. Vale mencionar, que, o Estado celebra os atos ou contratos
com particulares, a fim de executar os serviços públicos, mantendo-se titular do
serviço.

Ano: 2019 Banca: UFPR Órgão: TJ-PR Prova: Titular de Serviços de Notas e Registros -
Provimento Assunto: Organização da Administração Pública - Serviços Públicos - Empresas
Públicas e Sociedades de Economia Mista

42. “Ou seja, se o Poder Público quiser oferecer em regime de oferta e procura um bem
econômico qualificado juridicamente como serviço público, deve fazê-lo por intermédio
de entidades empresariais” (GABARDO, 2009). Levando em consideração o exposto,
assinale a alternativa correta.

a) O autor refere-se, nesse trecho, aos serviços públicos não privativos do Estado.
b) Os serviços públicos privativos de Estado são aqueles obrigatoriamente delegados
para entidades empresariais segundo a Constituição da República.
c) A qualificação de um bem econômico como serviço público não implica a sua
prestação estatal direta.
d) São equiparáveis às entidades empresariais as organizações sociais prestadoras de
serviços públicos.
e) As entidades empresariais referidas são as empresas públicas.

MUDE SUA VIDA!


50
alfaconcursos.com.br

c) (CERTA) De acordo com o artigo 175 da Constituição Federal, a prestação


de serviços pode ser indireta, mediante concessionárias e permissionárias:

“Art. 175 da CF/88: “Incumbe ao poder público, na forma da lei, diretamente ou


sob regime de concessão ou permissão, sempre através de licitação, a prestação
de serviços públicos.

Parágrafo único. A lei disporá sobre:


I - o regime das empresas concessionárias e permissionárias de serviços públicos,
o caráter especial de seu contrato e de sua prorrogação, bem como as condições
de caducidade, fiscalização e rescisão da concessão ou permissão;
II - os direitos dos usuários;
III - política tarifária;
IV - a obrigação de manter serviço adequado.”

Nesse contexto, é importante salientar, que o Estado tem a titularidade no


tocante aos serviços públicos, entretanto, não há o que se falar na aplicação das
correntes orgânica ou subjetiva, as quais defendem que todos os serviços devem
ser prestados diretamente pelo Estado.

Portanto, levando em consideração o exposto pelo Prof. Dr. Gabardo, a


afirmativa está correta em dizer que a qualificação de um bem econômico como
serviço público não implica na sua prestação estatal direta, ou seja, a prestação de
serviços pode ser tanto na forma direta, quanto na forma indireta, mediante regime
de concessão ou permissão.

Ano: 2019 Banca: UFPR Órgão: TJ-PR Prova: Titular de Serviços de Notas e Registros -
Provimento Assunto: Organização da Administração Pública - Desconcentração e
Descentralização Administrativa

43. O Estado brasileiro pode transferir o exercício de certas atividades que lhe são próprias
por meio da desconcentração administrativa. Sobre o assunto, assinale a alternativa
correta.

a) A desconcentração é um instrumento exclusivo previsto para ser utilizado por Estados


e Municípios.
b) A desconcentração também pode ser denominada de delegação.
c) A desconcentração não implica a criação de um novo ente com personalidade jurídica.
d) A transferência de atividades para o terceiro setor é um exemplo clássico de
desconcentração administrativa.
e) A transferência de atividades pela desconcentração administrativa se dá por meio de
contratos públicos previstos na legislação de parcerias público-privadas.

a) (ERRADA) Alternativa incorreta, visto que, não há vedações no texto


Constitucional, nem infraconstitucional. Diante disso, a desconcentração não é um
instrumento exclusivo para Estados e Municípios, ela abrange todos os entes
Federativos nos seus âmbitos de atuação.
b) (ERRADA) Alternativa incorreta. A desconcentração não pode ser chamada
de delegação, visto que seus conceitos diferem. A delegação é a transferência da
execução do serviço, enquanto na desconcentração há a transferência da
competência.
c) (CERTA) Alternativa correta. A desconcentração ocorre exclusivamente
dentro de sua própria estrutura, ou seja, de uma mesma pessoa jurídica. Sendo

MUDE SUA VIDA!


51
alfaconcursos.com.br

assim, envolve somente uma pessoa jurídica. Destarte mencionar, que, o que implica
na criação de um novo ente com personalidade jurídica é a descentralização.
d) (ERRADA) A desconcentração administrativa, ocorre quando a
administração indireta ou a pessoa política distribuem suas competências dentro de
sua própria estrutura, ou seja, não há transferência de atividades para o terceiro
setor, essa transferência se dá na descentralização.
e) (ERRADA) A desconcentração administrativa ocorre dentro de sua própria
estrutura, conforme mencionado na alternativa anterior, logo, não há o que se falar
em transferência externa, no tocante a Administração Pública. Em se tratando de
contratos públicos previstos na legislação de parcerias público-privadas, a celebração
destes envolve duas partes distintas, logo, não é instrumento cabível para a
desconcentração e sim para a descentralização.

Ano: 2019 Banca: NC-UFPR Órgão: ITAIPU BINACIONAL Prova: Profissional de Nível
Universitário Jr - Ciências Contábeis Assunto: Organização da Administração Pública -
Desconcentração e Descentralização Administrativa

44. Na descentralização, o Estado distribui algumas de suas atribuições para outras pessoas,
físicas ou jurídicas. A descentralização administrativa pode ocorrer por serviços ou por
colaboração. A respeito da delegação por colaboração, é correto afirmar:

a) a titularidade e execução do serviço por prazo indeterminado e possui controle


finalístico.
b) O controle é rígido e amplo e transfere a titularidade e execução do serviço.
c) Transfere a titularidade e execução do serviço por lei e por prazo indeterminado.
d) Transfere apenas a execução do serviço por contrato por tempo determinado e por ato
unilateral por tempo indeterminado.
e) O controle se dá por tutela ou supervisão e transfere apenas a execução do serviço por
contrato por tempo indeterminado.

MUDE SUA VIDA!


52
alfaconcursos.com.br

a) (ERRADA) A afirmativa está incorreta, pois, traz a característica da


descentralização por serviços, como por exemplo: a criação de autarquias. Além
disso, é de extrema relevância destacar, que nessa hipótese, o ente descentralizado,
passa a ter a titularidade e a execução do serviço, podendo desempenhar o seu
“trabalho” de maneira correta e nos termos da lei.
b) (ERRADA) A afirmativa está incorreta, visto que, não há o controle rígido e
amplo, ele é executado dentro dos limites contratuais. Além do mais, cabe
mencionar, que, não há a transferência da titularidade, é apenas da execução do
serviço.
c) (ERRADA) A afirmativa está incorreta, posto que, essa é uma característica
da descentralização técnica ou por serviço, cabe ressaltar, ainda, que, a transferência
da titularidade não existe, não obstante o fato de ela não ser operada por lei, mas
sim, mediante ato administrativo unilateral ou por contrato.
d) (CERTA) Alternativa correta, visto que na descentralização por colaboração
ou delegação, ocorre a transferência apenas da execução do serviço por ato unilateral
ou bilateral. Em regra, na delegação, não há prazo determinado, visto que, pode ser
revogado a qualquer tempo. Entretanto, nos contratos, há o prazo determinado e
estão sujeitos a regras legais e contratuais para modificar e revogar o instrumento.
e) (ERRADA) Alternativa incorreta. O controle mediante tutela ou supervisão
é característica da descentralização por serviços. Além disso, cabe mencionar que é
um controle restrito, e sua função é controlar se a entidade está cumprindo com as
devidas funções institucionais, na descentralização por colaboração, é diferente, ela
regula o serviço concedido e fiscaliza a sua prestação de forma permanente.

Ano: 2019 Banca: NC-UFPR Órgão: TJ PR Prova: Notário e Registrador (TJ PR)/Remoção
Nível: superior Assunto: Direito Administrativo; Formas de Estado e Governo, Sistemas
de Governo, Separação de Poderes. Freio e contrapesos.

45. Segundo Romeu Felipe Bacellar Filho, “à medida que é possível diferenciar Governo de
Administração Pública pelas atribuições diversas a que se propõem, tais instituições
assumem estruturas próprias, voltadas ao cumprimento de suas funções” (BACELLAR
FILHO, 2008). Levando em consideração a posição do autor, assinale a alternativa
correta.
a) Para o autor, o critério que condiciona a distinção entre Governo e Administração possui
natureza orgânica, também chamada de subjetiva ou formal.
b) Governo pode ser definido como a instituição cuja atividade é voltada à tomada de
decisões discricionárias.
c) Administração pode ser definida como a instituição voltada à tomada de decisões
vinculadas.
d) No Brasil, ao contrário de outros países, o Poder Judiciário também compõe o Governo
do ponto de vista constitucional, exercendo tais prerrogativas como sua função típica.
e) A Administração Pública brasileira é composta de entes políticos e entes
administrativos, que, por sua vez, são compostos por órgãos públicos.

MUDE SUA VIDA!


53
alfaconcursos.com.br

GABARITO: letra E

a) (ERRADO) O autor define Governo e Administração pública especificamente


em relação a matéria, tanto funcional como material, já a natureza orgânica ou
subjetiva trata-se dos órgãos e os agentes da administração pública.

b) (ERRADO) as decisões tomadas pelo Governo devem ser direcionadas e


vinculadas a intenção da coletividade, existe a atuação da discricionariedade, porém
para decisões necessárias e vinculadas ao chefe do executivo, que atuará visando o
bem da população com base na Constituição Federal, o qual determinará seu limite.

c) (ERRADO) já na Administração pública a maior parte dos seus atos são


tomadas discricionariamente, já que exerce políticas públicas determinadas pelo
Governo, tomando decisões conforme a conveniência e oportunidade.

d) (ERRADO) O Poder Judiciário é independente e autônomo, exerce sua


função independentemente do Poder executivo, que tem a função de proporcionar
apena políticas públicas para melhor desenvolvimento do judiciário, deste modo, sua
atuação é típica de decisão. Porém, é possível que o poder judiciário exerça
excepcionalmente políticas públicas auxiliando a Administração pública determinados
atos previstas na CF/88, em atendimento ao mínimo existencial.

e) (CERTA) As entidades políticas são a União, os Estados, os Municípios e o


Distrito Federal. E os órgãos públicos, estão diretamente ligadas a administração
pública indireta destes entes, que por sua vez é composta por pessoas
administrativas, Autarquias, Sociedade de Economia Mista, fundações e demais.

MUDE SUA VIDA!


54
alfaconcursos.com.br

GABARITO
1. B 24. E
2. C 25. E
3. C 26. A
4. E 27. C
5. D 28. A
6. E 29. A
7. C 30. A
8. A 31. D
9. B 32. D
10. B 33. D
11. C 34. D
12. C 35. C
13. B 36. B
14. C 37. E
15. C 38. C
16. E 39. C
17. B 40. B
18. A 41. D
19. A 42. C
20. B 43. C
21. A 44. D
22. E 45. E
23. D

MUDE SUA VIDA!


55