Você está na página 1de 4

CÓDIGO DEONTOLÓGICO

I - FILOSOFIA DE COACHING DA INTEGRATE


A INTEGRATE identifica-se e orienta-se por uma forma de coaching que honra e dignifica os
seus clientes. Acreditamos que todo o indivíduo é criativo e possui todos os recursos de que
necessita para gerir e criar mudanças positivas na sua vida.
Assim, é da responsabilidade do coach:
 garantir que o processo segue a metodologia de base do coaching;
 identificar, clarificar e alinhar-se com o que o cliente quer alcançar;
 estimular a autodescoberta do cliente;
 facilitar o processo de reflexão do cliente, para clarificar objetivos e estimular a ação. O
coach recorre a perguntas, à observação, à escuta ativa e, outras habilidades e capacidades,
assim como técnicas e ferramentas, para estabelecer e manter a confiança e o interesse do seu
cliente no processo;
 respeitar o ritmo do próprio cliente, sem emitir juízos de valor;
 apoiar o cliente a potenciar habilidades e a mudança desejada, alinhando-se com os seus
valores, identidade e propósito;
 tratar o cliente com respeito e consideração, mostrando-se disponível para o escutar
ativamente;
 eleger o cliente como responsável pelas suas ações.
Ficando sobre a alçada do cliente (coachee) assumir a responsabilidade total pela resolução dos
seus casos, objetivos, tomadas de decisão e desafios.

II - A DEFINIÇÃO DE COACHING DA INTEGRATE


O coaching é uma relação profissional e de parceria, orientada para um objetivo inicialmente
definido e acordado, que facilita e alavanca a criação de resultados na vida, carreira e negócio
dos seus clientes, sejam eles indivíduos ou organizações. É um processo estimulante e criativo
que inspira a maximizar o potencial pessoal e profissional dos seus clientes.
Nesta relação profissional que se desenvolve em várias sessões, é fundamental o respeito pela
agenda do cliente, pelo seu quadro de referência, bem como a garantia de confidencialidade de
todo o processo.
Através do processo de coaching os clientes aprofundam o seu autoconhecimento, encaram as
mudanças desejadas, orientam-se para a ação, aumentando os seus níveis de satisfação e
realização nas diferentes áreas da sua vida.

III – PRINCÍPIOS ÉTICOS E DE CONDUTA DA INTEGRATE


INTRODUÇÃO
Cientes da nossa responsabilidade enquanto agente ativo na prestação de serviços de coaching,
formação e consultoria, desenvolvemos o nosso Código Deontológico, reunindo um conjunto de
princípios éticos e de conduta, com os seguintes objetivos:
1. Orientar a conduta e as relações profissionais do coach, contribuindo para a boa prática
do coaching e atividades relacionadas;
2. Informar os clientes e potenciais clientes relativamente aos critérios éticos que deverão
considerar;
3. Incrementar os níveis de confiança, credibilidade e aceitação do coaching junto à
sociedade, enquanto processo para o desenvolvimento pessoal e profissional;
4. Sistematizar e unificar as normas referentes ao exercício responsável e digno da
profissão.
Estes princípios profissionais fundamentais, determinam a conduta dos coaches da integrate. E,
aplicam-se a qualquer atividade de um coach na relação com os seus clientes, potenciais clientes
e pessoas interessadas, colaboradores, associações bem como o público em geral.
Os coaches da integrate, voluntariamente, comprometem-se a cumprir estes princípios e,
consequente, código de conduta – adoptando como referência um comportamento baseado em
valores, através da qual o coach pode mover-se livremente.
Este Código Deontológico propõe ser lido e interpretado na sua totalidade. Não havendo
significado de prioridade ligado à sequência em que os princípios são descritos e apresentados.
SECÇÃO 1 - BASES FUNDAMENTAIS
1. O coach baseia a sua atividade numa perspectiva de atenção para com a
humanidade e os valores humanos, tratando todos os seus clientes com
amabilidade e respeito, dignificando a liberdade e igualdade da existência
humana;
2. O coach reconhece as suas responsabilidades, oferecendo os seus serviços
quando acredita que os mesmos poderão aportar benefícios aos seus clientes, ou
potenciais clientes;
 
SECÇÃO 2 - COMPETÊNCIA PROFISSIONAL
1. O coach deverá manter-se atualizado sobre os últimos desenvolvimentos e
metodologias na sua área profissional, procurando trabalhar de uma forma
multidisciplinar;
2. O coach só aceita facilitar processos para os quais tem conhecimentos técnicos
e profissionais necessários, bem como experiência e licenças profissionais.
Caso sinta que as suas capacidades e competências não são suficientes, deverá
recrutar o apoio de um colega ou recomendar outro profissional;
 
SECÇÃO 3 - AUTO-REGULAÇÃO, INDEPENDÊNCIA E INTEGRIDADE
1. O coach trabalha autorresponsavelmente, independentemente e com
integridade. Não se associando a nenhum grupo, organização ou instituição que
viole os direitos humanos ou as leis do seu país;
2. A sua independência profissional baseia-se na sua capacidade para aceitar ou
recusar trabalho, usando do seu próprio discernimento, mesmo nos casos em
que o seu trabalho enquanto coach é realizado por conta de outrem;
 
SECÇÃO 4 - CONDUTA PROFISSIONAL LIVRE
1. O Coach não fará, conscientemente, qualquer declaração pública falsa ou
enganosa sobre a sua prática enquanto coach, ou afirmações falsas em qualquer
documento impresso relacionado com a profissão e/ou as suas credenciais;
2. Os coaches relacionam-se entre si de forma amigável e leal, dedicando atenção
à imagem dos colegas e da profissão. Falsas e irrefletidas acusações contra um
colega, não têm lugar nos princípios éticos da profissão;
3. O coach identificará devidamente as suas qualificações, credenciais,
competências, experiência, certificações e licenças profissionais;
4. O coach empenhar-se-á para identificar questões pessoais que possam
prejudicar, entrar em conflito ou interferir com seu desempenho ou, com os
seus relacionamentos profissionais. Sempre que as circunstâncias o fizerem
necessário, o coach prontamente buscará assistência profissional e determinará
que atitude deverá ser tomada, inclusivamente a de suspender ou terminar o
relacionamento(s) de coaching, caso a situação o exija;
 
SECÇÃO 5 - CONFLITO DE INTERESSES
1. O coach procurará evitar conflitos de interesses reais ou em potencial e tratar
abertamente qualquer um desses conflitos. O coach optará por retirar-se do
trabalho, caso tal conflito se manifeste;
2. O coach respeitará os direitos de autor quanto às ideias e publicações de colegas
e só usará estes materiais indicando as fontes;
3. O coach informará de imediato os seus clientes, se se tornar ciente de algum
conflito de interesses;
4. O coach porá termo as sessões de coaching caso exista ameaça de estar
envolvido em alguma atividade desleal ou desonesta;
5. No caso de conflitos entre coaches ambas as partes esforçar-se-ão por atingir
um acordo amigável, ou recorrerão à mediação de um comité nomeado pelas
partes;
 
SECÇÃO 6 - CONDUTA PROFISSIONAL COM OS CLIENTES
1. O coach não enganará nem fará alegações falsas, intencionalmente, sobre o que
o seu cliente poderá esperar obter do processo de coaching, ou de si enquanto
coach;
2. O coach não dará aos seus clientes informação ou recomendações, que à partida
sabe ou acredita serem enganosas ou falsas;
3. O coach explicará cuidadosamente e empenhar-se-á para deixar claro aos seus
clientes, antes ou durante a reunião inicial, a natureza do coaching, a natureza e
limites do sigilo, arranjos financeiros, e quaisquer outros termos do acordo ou
contrato estabelecido;
4. O coach será responsável por fixar os limites claros, apropriados e
culturalmente sensíveis que controlarão qualquer contacto físico com seus
clientes;
5. O coach não se envolverá sexualmente com qualquer um de seus clientes;
6. O coach respeitará o direito do cliente cessar o processo de coaching em
qualquer momento da sua vigência, sujeito às disposições do acordo ou
contrato;
7. O coach incentivará os seus clientes a fazerem uma mudança, caso acredite que
o cliente terá maior benefício em trabalhar com outro coach ou por outro
recurso e/ou metodologia;
8. O coach sugerirá aos seus clientes que procurem os serviços de outros
profissionais, caso julgue necessário ou apropriado;
 
SECÇÃO 7 - SIGILO / PRIVACIDADE / CONFIDENCIALIDADE
1. O coach trata toda a informação obtida durante a sua atividade profissional com
estrita confidencialidade, a menos que uma lei válida ou um princípio legal
requeira uma exceção. Isto aplica-se também entre os coaches colegas de
profissão;
2. O coach terá um acordo claro a respeito da troca de informações sobre coaching
entre o coach, o cliente e o seu patrocinador (entenda-se por patrocinador, o
agente que indiretamente promove e proporciona o processo de coaching);
3. Quando o coach se encontra no papel de formador de estudantes de coaching,
deverá esclarecer e informar as políticas de sigilo a estes formandos;
4. Esta obrigação de confidencialidade aplica-se mesmo depois da relação de
coaching terminar;
 
SECÇÃO 8 - PRINCÍPIOS FINAIS
1. Os coaches da integrate têm o dever de se manterem informados acerca dos princípios
profissionais estabelecidos e, comprometem-se com eles, não podendo declarar
desconhecimento e/ou ignorância;
2. Qualquer emenda ou aditamento a este código, será devidamente informado e
anunciado por escrito. Os coaches têm o dever de se manterem permanentemente
atualizados relativamente aos últimos desenvolvimentos.