Você está na página 1de 15

CENTRO UNIVERSITÁRIO MAURÍCIO DE NASSAU

CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

HELTON VIKTOR ROSA SILVESTRE

PROJETO EXPERIMENTAL
A MENSAGEM DIVERTIDA DA MENTE

RECIFE
2021
HELTON VIKTOR ROSA SILVESTRE

A MENSAGEM DIVERTIDA DA MENTE

Pré-Projeto de Conclusão de Curso


apresentado como requisito para conclusão
do curso de Publicidade e Propaganda do
Centro Universitário Maurício de Nassau.

RECIFE
2021

HELTON VIKTOR ROSA SILVESTRE

A MENSAGEM DIVERTIDA DA MENTE

FOLHA DE QUALIFICAÇÃO

A BANCA DE QUALIFICAÇÃO DE HELTON VÍKTOR ROSA SILVESTRE OCORREU NO DIA 07 DE JUNHO


DE 2021, TENDO SIDO AVALIADO PELA SEGUINTE BANCA EXAMINADORA:

_____________________________________________________________
NOME DO PROFESSOR(A) AVALIADOR(A)
PROFESSOR(A) DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL.
(AVALIADOR(A) INTERNO)

_______________________________________________________________
CARLOS EDUARDO DIAS DE ARAÚJO
PROFESSOR DO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL.
(ORIENTADOR DA DISCIPLINA PROJETO EXPERIMENTAL)

RECIFE
2021
SUMÁRIO

Introdução
1. Delineamento Metodológico......................6
1.1 Tema..................................................8
1.2 Problema...........................................8
1.3 Objetivos...........................................8
1.3.1 Geral.....................................8
1.3.2 Específicos..........................8
1.4 Hipóteses...........................................9
1.4.1 Básica....................................9
1.4.2 Secundárias..........................9
1.5 Justificativa.........................................9
1.6. Procedimentos Metodológicos.......10

2. Fundamentação Teórica..................................11

2.1 Signo unificado.........................11

2.2 A mídia na mente.......................12

3. Cronograma......................................................15

4. Referências.......................................................15
5

_________________________________________________________________________________
INTRODUÇÃO

Divertidamente, ou InsideOut em inglês, é um filme da Disney/Pixar de 2015 e foi


dirigido por Pete Docter. O filme conta a história de Riley, uma garota de 11 anos que mora
nos Estados Unidos e se vê numa situação onde seus pais vão trocar de cidade, de
Minnesota pra São Francisco. Dentro do cérebro dela, que é chamado de mente consciente,
são mostrados 5 sentimentos que tomam conta das ações do dia a dia da garota, que são:
alegria, tristeza, nojo, medo e raiva. Nessa mesma “sala” onde esses personagens ficam se
revezando no controle das ações também estão as memórias, que são representadas por
pequenas bolas onde são armazenadas no seu subconsciente e trazidas à tona com a
solicitação de um dos personagens na cabeça da garota. O filme gira em torno do conflito da
garota com a sua mudança de cidade e os desafios de se adaptar à uma nova realidade que
foi lhe apresentada, com isso, os personagens na cabeça dela ficam agitados, principalmente
a tristeza e o medo que predominam no controle das ações.
Juntamente com essa didática, o filme mostra como os nossos sentimentos se
apresentam de certa forma que movem nossas ações, com a perda dos pilares importantes
na nossa mente como a família, infância, círculo social e afins, vem a depressão profunda. A
depressão que no filme é mostrada como uma apatia e até falta de sentimentos reais que a
garota sofre, e com isso, ficando cada dia mais afundada na própria mentalidade que nada vai
dar certo e que o mundo a odeia.
Com isso, o trabalho vem para analisar a forma como essa mensagem foi passada e
como temos que nos atentar ao que nossos sentimentos nos avisam. Pretendendo assim
analisar as metáforas usadas no filme para que possamos viver de uma forma que não
fiquemos presos à nossa mente e as coisas que não são reais, mas que a mente faz com que
sejam a verdade maior.
O trabalho irá fazer um estudo teórico de como as emoções são transmitidas no filme e
como o roteiro faz de forma delicada. Roteiro esse que faz parte do filme que ganhou o Oscar
de melhor animação em 2016 e o Globo de Ouro de melhor animação em 2015.
Com tudo isso dito, foi escolhida fazer uma monografia pra expor todos os dados e
nuances para quem fique um trabalho completo e possamos mostrar toda a mensagem, os
signos e as metáforas transmitidas do filme no trabalho de conclusão de curso.
1.DELINEAMENTO METODOLÓGICO

1.1 TEMA

Representações comportamentais no filme Divertidamente

1.2 PROBLEMA

O filme aborda os sentimentos humanos em cinco personagens dentro da cabeça de


cada um: a alegria, a tristeza, o nojo, o medo e a raiva. Esses personagens se revezam no
comando das ações e essas produzem memórias que são representadas por bolinhas que
ficam no nosso subconsciente. O filme traz essa metáfora para mostrar como a saúde mental
é reproduzida nas cabeças de forma bem divertida. De que maneira o filme aborda as
emoções e de que jeito essa mensagem é transmitida?

1.3 OBJETIVOS
1.3.1 OBJETIVO GERAL

Identificar a abordagem das emoções humanas e como elas são mostradas durante o
filme. Como os significados das ações são representadas no filme e como as metáforas
utilizadas são importantes para o entendimento do filme e do cérebro humano.

1.3.2 OBJETIVO ESPECÍFICO

Analisar as cenas do filme em relação a que; desenvolver um estudo teórico de como


as emoções são transmitidas no filme e como o roteiro faz de forma delicada; estudar as
metáforas e significados das cenas para o bom entendimento do filme; perceber as nuances
do roteiro onde se propõe a brincar com essa ideia das emoções.
1.4 HIPÓTESES
1.4.1 HIPÓTESE BÁSICA

Visando que por muitas vezes as pessoas negligenciam as suas emoções, deixando de
lado ou mesmo não dando valor pra elas, o filme Divertidamente traduz o que acontece na
nossa mente e como funciona os pilares dos sentimentos. Tudo isso é representado de forma
leve e bem didática para que seja fácil o entendimento da audiência.

1.4.2 HIPÓTESE SECUNDÁRIA

O roteiro visa metáforas para colocar nossas lembranças, sentimentos e a apatia da


personagem principal, para que o público se atente aos sinais do corpo e do cérebro quando o
assunto são as emoções. Representa também várias áreas do cérebro onde quem nunca se
interessou sobre o assunto fica preso com a quantidade de detalhes feita com significados.

1.5 JUSTIFICATIVA

O filme fala por si só quando foi premiado tanto com o Oscar de Melhor Animação
quanto com o Globo de Ouro de Melhor Animação. Um filme desse tamanho com a relevância
com que tomou quando se tratou da mente humana, dos sentimentos e até da depressão, é
um ótimo objeto de estudo pra ver como foi passada essa mensagem de forma tão delicada e
bem sucedida. A animação já arrecadou mais de 857 milhões de dólares, tornando-se o filme
de quinta maior bilheteria de 2015, a segunda maior animação de maior bilheteria de 2015, a
quarta maior bilheteria da Pixar. Divertidamente foi aclamado pela crítica especializada. O site
Rotten Tomatoes reporta que 98% dos críticos deram um review positivo ao filme, baseado
em uma amostra de 301 reviews, com uma nota média de 9/10.
1.6 Procedimentos Metodológicos

Pesquisa Exploratória: A pesquisa será feita com o intuito de perceber e mapear os


significados do filme, os signos e metáforas criados para explicar coisas simples que quem se
interessa pela saúde mental consegue identificar, e acaba por ser um sucesso. A trama se dá
por conta da mudança de cidade da garota onde seus sentimentos ficam confusos e os que
mais tomam conta da cabeça dela é o medo e a tristeza.

Pesquisa Documental: A pesquisa será com base no sucesso que o filme fez e como
ele ficou bem na cabeça da audiência. O filme foi exibido pela primeira vez no festival de
Cannes em 18 de maio de 2015 com orçamento de 175 milhões de dólares e receita de 857
milhões de dólares aproximadamente. Ganhou o Oscar de Melhor Animação em 2016 e o
Globo de Ouro em 2015, teve também a indicação de melhor roteiro pro Oscar de 2016.

Pesquisa Bibliográfica: Sites como o imdb.com que é referência em cinema, o site


Rotten Tomatoes e o site adorocinema.com.

Pesquisa Experimental: Vemos aqui a busca pelo entendimento do roteiro de como foi
explicado os sentimentos e como a depressão foi representada no filme, de forma leve e
certeira.
2. Fundamentação Teórica

2.1 Signo unificado

No cinema temos vários elementos de linguagem que podemos apresentar e estudar.


Nesse trabalho, apresenta-se a significação e semiose do cinema mais especificamente no
filme Divertidamente da Pixar.

A semiose, dentro da ciência dos signos, é o termo introduzido por Charles Sanders
Peirce para designar o processo de significação e a produção de significados. Uma preliminar
definição da semiose é qualquer ação ou influência para sentido comunicante pelo
estabelecimento de relações entre signos que podem ser interpretados por alguma audiência.

Já a significação, por conceito do dicionário e no âmbito da semiologia é a


representação mental relacionada a uma forma linguística, um sinal, um conjunto de sinais,
um fato, um gesto etc. Aquilo que um signo quer dizer; acepção, sentido, significado. No
cinema são os pontos colocados propositalmente para a percepção da audiência ser levada
para o objetivo final.

Os sinais no filme Divertidamente são feitos por metáforas e sentimentos mostrados


durante o filme. Uma das metáforas mostradas é o da depressão. A nossa personalidade é
representada através de “ilhas”, onde no caso da personagem Riley são o esporte, a família, a
honestidade, a bobeira e afins. Quando ela começa a desenvolver a depressão, esses pilares
em forma de ilhas vão começando a se desconectar do cérebro da garota e começando a
ficar cinzas, com aspecto de abandonadas, o que faz com que a pequena Riley comece a
mostrar sinais de depressão: Irritabilidade, desânimo, desinteresse, incapacidade de sentir-se
alegre fazendo atividades que antes eram prazerosas (como o hóquei, por exemplo.).

Outro signo mostrado no filme é o das emoções no nosso cérebro. Dentro da mente de
cada um existem cinco trabalhadores importantes: Alegria, Tristeza, Medo, Raiva e Nojinho,
que controlam uma espécie de mesa de controle de pensamentos. Após Tristeza e Alegria se
perderem dentro da mente de Riley devido a uma confusão, as coisas começam a se
complicar, fazendo com que apenas Raiva, Medo e Nojinho comandassem a mesa dos
pensamentos de Riley, fazendo com que, uma a uma, as ilhas se desfizessem. Outro ponto
interessante é que a alegria sempre comanda as emoções, sem deixar a tristeza chegar perto,
porém é mostrado que nem sempre é benéfico a alegria ficar no comando para que possamos
sentir todas as nossas emoções.
Cada uma das emoções tem sua utilidade e seu papel bem definido no cérebro da
Riley, assim como no das outras pessoas. Em relação à Tristeza, há ocasiões em que um
pouco de melancolia é essencial para encarar e lidar com as dificuldades que surgem em
nossa vida. O Medo impede que entremos na jaula do leão durante uma visita ao zoológico. O
Nojo, por sua vez, não deixa a gente comer um lanche apodrecido. O segredo está em
equilibrar as emoções e não permitir por exemplo, que o temor nos impeça de sair de casa. A
Raiva estimula o sujeito se defender. Mas se ultrapassa os limites, ela se tornar destrutiva.

Outro signo importante no filme é o das memórias. São representadas por bolas onde
são instantaneamente feitas e mandadas para um local onde ficam todas as memórias,
algumas mais distantes das outras e mais frescas na memória. É natural que certas
recordações sejam esquecidas com o passar dos anos. No filme, esferas que não são
utilizadas vão parar num lixão e viram poeira com o tempo. Isso acontece com muitas
informações que processamos ao longo de um dia e de toda a nossa vida. Esse dom do
esquecimento também é útil para lidar com situações traumáticas e difíceis: o cérebro vai, aos
poucos, apagando os detalhes do fato ruim como uma maneira de lidar com a situação.

Outras recordações, porém, são muito importantes e determinam boa parte de nossa
personalidade pelo resto da vida. No filme, elas são as memórias base, as esferas em que
estão guardados os momentos especiais da vida da Riley — a brincadeira com os pais, o jogo
de hockey com as amigas e etc. No nosso cérebro, as lembranças são processadas numa
região chamada hipocampo, que converte memórias de curto em longo prazo e o filme mostra
de forma muito certeira essa metáfora.

O filme é recheado de signos e de semiose onde a audiência sai impressionada com o


que foi mostrado. As nuances, os significados, as metáforas mostradas de forma ímpar,
mudam a nossa percepção sobre a saúde mental e como devemos cuidar dela como
cuidamos do resto do corpo. O filme realmente dá uma aula de como mostrar o que quer
mostrar de forma mais natural e divertida possível.

2.2 A mídia na mente

É inegável que estamos vivendo numa sociedade consumista e podendo dizer também,
alienada. Cada dia que passa temos mais indícios que estamos vidrados seja na televisão,
internet, redes sociais e afins. Passamos boa parte do nosso tempo apenas atualizando o
“feed” das nossas redes sociais pra poder ficarmos por dentro de tudo que está acontecendo,
e eventualmente esbarramos num anúncio que por muitas vezes nos chama a atenção. O
marketing acaba utilizando muito das redes sociais pelo grande alcance e grande
engajamento que acaba gerando pra marca também, mas nem sempre foi assim.

Na década de 30 as pessoas achavam que as mensagens transmitidas pelo rádio ou tv


entravam na nossa mente e com isso afetava nosso comportamento. Os meios de
comunicação injetavam na cabeça da sociedade mensagens subliminares que modelavam
seus hábitos e decisões. O ser humano era uma vítima passiva e indefesa dos ataques de
Hollywood e das organizações de comunicação em massa. Essas teorias se fundamentavam
em parte no sucesso de Hitler durante o nazismo. Estudos ao longo dos anos tem confirmado
que influenciar a mente humana não é tão simples assim. Então se você ainda crê na mídia
dessa forma, deixe-me ajudá-lo a descobrir novas perspectivas.

Porém, em 1980 alguns teoristas observaram que a mídia é capaz de estimular


reações emocionais como medo, raiva, alegria e luxúria. Esse estímulo emocional, quando
elevado, pode levar tempo para se dissipar e amplifica qualquer estado de ânimo que
sentimos depois. Por exemplo, se um homem assistiu um filme violento e logo após ele se
irrita com sua esposa, é possível que apresente ira que leve a violência doméstica. Após
assistir uma cena erótica, é possível que deseje repeti-la. A pesquisa também revelou que
homens e mulheres podem apresentar reações emocionais diferentes em relação a um
mesmo conteúdo.

É importante ressaltar que o problema maior não é a cena de um filme transmitir uma
mensagem negativa, mas sim a glorificação do que é errado. Em algumas histórias é
importante apresentar aspectos negativos com o objetivo de mostrar mais tarde as terríveis
consequências da ação. O ladrão roubou o carro, mas no final foi preso. Portanto, não roube
ou vai sofrer tristes consequências. Um filme com o tema sobre o racismo ou escravidão do
século 19 pode mostrar cenas de injustiça e violência com o objetivo nobre de nos fazer
refletir sobre isso e a não repetir a história.
Com tudo isso em mente, podemos ver que a mídia foi evoluindo, mas sempre com as
pessoas com um pé atrás e até mesmo duvidando do seu real objetivo. Seja pra vender,
comprar, divulgar, a mídia consegue chegar na casa das pessoas de forma espontânea e
realizando um efeito diferente em cada pessoa, benéfico ou maléfico.
3. CRONOGRAMA

Abr/2 Ago/2
Atividades Fev/21 Mar/21 Maio/21 Jun/21 Set/21 Out/21 Nov/21 Dez/21
1 1
Elaboração do Pré-projeto
Dossiê X X
Elaboração do Pré-
X X X
Projeto

Entrega Pré-projeto X

Qualificação Projeto
X
Experimental
Elaboração do Projeto
Levantamento
bibliográfico e X
documental
Coleta de Dados X X

Análise e discussão dos


X
dados

Elaboração do produto X X X

Entrega do TCC X

Defesa de TCC X

Entrega de Versão Final


X
do TCC

4. Referências

https://sociedadetecnologica.com/2020/08/10/a-influencia-da-midia-sobre-os-pensamentos-
emocoes-e-comportamentos/

https://saude.abril.com.br/bem-estar/9-coisas-que-o-filme-divertida-mente-nos-ensina-sobre-o-
cerebro-e-as-emocoes/
https://edtl.fcsh.unl.pt/encyclopedia/semiose/

Você também pode gostar