Você está na página 1de 64

DIA

INTERNACIONAL
DOS DIREITOS
HUMANOS
10 de dezembro de 2020

Professora Vera Jesus


Alunos do Colégio de Calvão
2020
“Onde, afinal, os direitos humanos universais começam?
Em lugares pequenos, perto de casa, tão perto e tão
pequenos que não podem ser vistos em nenhum mapa do
mundo. [...] A menos que esses direitos tenham
significado lá, eles têm pouco significado em qualquer
lugar. Sem uma ação cidadã concertada para defendê-los
perto de casa, buscaremos em vão o progresso no mundo
maior."
Eleanor Roosevelt
História dos Direitos Humanos
Os primeiros indícios de reconhecimento de direitos
mais parecidos com os que temos hoje advêm das
revoluções liberais do século XVIII que, em defesa da
igualdade e na luta contra o Antigo Regime,
estabeleceram modelos de governo e de sistemas
políticos seguidos por grande parte dos países nos
séculos XIX e XX.
Temos como exemplos de documentos, que atestaram
direitos no passado, a Bill of Rights, ou Declaração
dos Direitos dos Cidadãos Americanos, e a Declaração
dos Direitos do Homem e do Cidadão.

A primeira, aprovada pelo Parlamento estadunidense


em 1791, atesta direitos básicos aos cidadãos dos
Estados Unidos, como o direito à vida, à integridade, à
propriedade, ao tratamento igual e à defesa. A
segunda, elaborada durante a Revolução Francesa,
dotada de inspiração iluminista e liberal, visa prevenir
a volta do antigo regime e acabar com os privilégios da
nobreza, tornando todos os cidadãos franceses iguais
em direitos e oportunidades .
Apesar de grandes avanços no século XVIII, o
século XX viveu horrores irreparáveis. São
exemplos desses horrores as consequências
diretas das duas grandes guerras — como fome,
morte, destruição e crimes de guerra — e os
genocídios de civis — como os bombardeios
de Hiroshima e Nagasaki e o holocausto
contra o povo judeu, em que aproximadamente
seis milhões de pessoas foram mortas.
Após o fim da Segunda Guerra Mundial, cinquenta
países reuniram-se em São Francisco, Califórnia,
para estabelecer os novos rumos para a antiga Liga
das Nações, que se tornaria a Organização das
Nações Unidas (ONU).

Assim, Estados Unidos e aliados discutiram em torno


de um objetivo comum: estabelecer a paz entre as
nações e garantir o respeito aos Direitos Humanos.
Em 1946, forma-se, na ONU, uma comissão de
Direitos Humanos que, na Assembleia Geral da ONU
de 1948, apresenta e tem aprovada a Declaração
Universal dos Direitos Humanos.
Atualmente a atuação da ONU é fundamental para a
garantia dos Direitos Humanos. Contando com a
participação atual de 193 países (em 1945 eram 50
países), as diversas comissões da ONU trabalham
pelo respeito aos Direitos Humanos, por meio de
campanhas pela erradicação do trabalho escravo,
pela educação gratuita e universal, pela paz e contra
a violência, pela manutenção da saúde, pela
erradicação da fome, etc.
O Dia dos Direitos Humanos
O Dia dos Direitos Humanos é comemorado todos os
anos no dia 10 de dezembro — o dia em que a
Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou, em
1948, a Declaração Universal dos Direitos
Humanos (UDHR). A UDHR é um documento marcante
que proclama os direitos inalienáveis a que todos têm
direito como ser humano - independentemente de raça,
cor, religião, sexo, linguagem, opinião política ou outra,
origem nacional ou social, propriedade, nascimento ou
outro status. Disponível em mais de 500 idiomas, é o
documento mais traduzido do mundo.
Tema 2020
Recuperar Melhor - Defender os Direitos Humanos

O tema do Dia dos Direitos Humanos deste ano


refere-se à pandemia COVID-19 e concentra-se na
necessidade de reconstruir melhor, garantindo que os
Direitos Humanos sejam centrais para os esforços de
recuperação. Alcançaremos os nossos objetivos
globais comuns apenas se formos capazes de criar
oportunidades iguais para todos, enfrentar as falhas
expostas e exploradas pela COVID-19 e aplicar
normas de direitos humanos para enfrentar
desigualdades entrincheiradas, sistemáticas e
intergeracionais, exclusão e discriminação.
Direitos Humanos e os
Objetivos de
Desenvolvimento
Sustentável

Os direitos humanos estão no centro


dos Objetivos de Desenvolvimento
Sustentável (ODS), pois na ausência de
dignidade humana não podemos esperar
impulsionar o desenvolvimento
sustentável. Os Direitos Humanos são
impulsionados pelo progresso em todos
os ODS, e os ODS são impulsionados por
avanços nos direitos humanos. Descubra
como as agências da ONU se esforçam
para colocar os direitos humanos no
centro de seu trabalho.
CRISE
COVID19
A crise da COVID-19 tem sido alimentada
pelo aprofundamento da pobreza,
aumento das desigualdades,
discriminação estrutural e entrincheirada
e outras lacunas na proteção dos direitos
humanos. Apenas medidas para fechar
essas lacunas e avançar os direitos
humanos podem garantir que nos
recuperemos plenamente e construamos
de volta um mundo melhor, mais
resiliente, justo e sustentável.
É URGENTE

Acabar com a discriminação de


qualquer tipo: A discriminação estrutural
e o racismo alimentaram a crise da
COVID-19. Igualdade e não discriminação
são requisitos fundamentais para um
mundo pós-COVID.
É URGENTE

E n f r e n ta r a s d e s i g ua ld a d e s :

Para nos r ecu perar mos da cris e, de ve m os


ta mb é m a bordar a pa nde mi a d a des igu al da de .
Par a iss o, prec isa mos p r o mo ve r e pr oteg er os
d ire ito s econó m icos, socia is e cu ltura is . Um marido navajo conforta sua esposa por causa da perda de
P re c is a mo s de u m no vo contr ato soc ia l p ara emprego e renda, paralisação COVID-19.
©Getty Images/grandriver
u m a n o va e r a .
É URGENTE

I n c e n tiva r a pa r t icipaçã o e a s ol i da riedade :

E s ta mo s todos j untos n is s o . De i ndi ví duos a


g o ve rn o s , da soc ied ade c i vi l e c om uni dad es d e
b a s e ao setor pr i va do, to d o s têm u m pap el na
co nstrução d e u m mun do pós- C OVI D q ue se ja
m e lh o r para as g eraçõ es pres entes e fut uras .
P re c is a mo s gar ant ir que as vozes dos m a is
a fe t a d o s e vul ner á ve is inform e m os esforços
d e r e c u pe raçã o .
Estamos
todos juntos
“A COVID-19 é um teste das sociedades, dos
nisso. governos, das comunidades e dos indivíduos . É um
momento de solidariedade e cooperação para
combater o vírus, e para mitigar os efeitos, muitas
O r e s p e i t o p e l o s d i r e i t o s h u ma n o s é
vezes não intencionais, de medidas destinadas a
f u n d a me n t a l para o s u c e s so da
deter a disseminação da COVID-19."
resposta e recuperação da saúde
p ú b l i c a d a p a n dem i a . M I C H E L L E B AC H E L E T
AL T A C O M IS S ÁR I A D O S D I R E I TO S H U M AN O S D A O N U
Promover o desenvolvimento sustentável:

Precisamos de desenvolvimento sustentável para

Por fim, É as pessoas e o planeta. Os direitos humanos, a


Agenda 2030 e o Acordo de Paris são a pedra

URGENTE angular de uma recuperação que não deixa


ninguém para trás.
O Idoso em
época de
COVID
Mãe e filha visitam pais idosos, cumprindo o distanciamento social com uma porta
de vidro entre eles.

©Getty Images/RyanJLane
SOLIDARIEDADE
NO COLÉGIO DE
CALVÃO

No âmbito do projeto
“Laços de Natal”, os
alunos do 10ºA; 10ºB e
10ºC, deram o seu
contributo .
Campanha de
Advento
NATAL 2020

À semelhança de anos
anteriores, cada turma
contribuirá para a partilha
de bens alimentares não
perecíveis com o objetivo
de fazer um cabaz de Natal.
Filosofia e No âmbito da disciplina de Filosofia foi
solicitado aos alunos do 10º ano que fizessem

Direitos uma pesquisa acerca de


personalidades/ativistas que marcaram a

Humanos história da defesa dos direitos humanos.


Park Yeon-Mi

Park Yeon-Mi é ativista dos direitos humanos, escritora e


jornalista sul coreana. Park provém de uma família política com
conexão ao mercado negro. Depois do seu pai ter sido enviado
para um campo de trabalho forçado, ela e a mãe fugiram para a
China , onde caíram nas mãos de traficantes de seres humanos.

Ag ora é defensora das vítimas de tráfico e trabalha pelo mundo


em prol da promoção dos direitos humanos.

Park ganhou um reconhecimento mundial depois do discurso no


“Um mundo jovem” Summit 2014 na Irlanda. Park voluntária se
para programas como a”Freedom Factory Corporation”, tornou se
membro do “Liberty in North Korea” que resgata norte-coreanos
refugiados na China.

M AFAL D A L AN C H A, 1 0 º B
Antonio Gramsci

Antonio G r a ms c i (1891-1937) foi um


a t i vi s t a p o l í t i c o , j o r n a l i s t a e I n t e l e c t u a l
italiano, um dos fundadores do Partido
C o mu n i s t a d a I t á l i a . O i t a l i a n o A n t o n i o
G r a ms c i n ã o é l á mu i t o c o n h e c i d o e m
P o r t u g a l , ma s a s u a l u t a p e l o s i d e a i s q u e
a c r e d i t a va f e z co m q u e e l e g a r a n t i s s e u m
lugar c a t i vo nessa lista. J or n a l i s t a e
i nt el e c t u a l , Antonio f oi um dos
fundadores do Partido Co mu n i s t a da
Itália.

DIOGO DOMINGUES, 10ºA


FRANCISCO PRIOR, 10ºA

BONO
Park Yeon-Mi
Mafalda, 10ºB
Nelson Mandela

Um dos s í mb o l o s dos direitos h u ma n o s ma i s


r e c o n h e c i d o s do s é c u l o X X , é u m h o me m c u j a d e d i c a ç ã o
à s l i b e r d a d e s d o s e u p o vo i n s p i r a o s De f e n s o r e s d o s
D i r e i t o s Hu ma n o s d e t o d o o mu n d o . E m Ma i o d e 1 9 9 4
Ma n d e l a começou o seu ma n d a t o c o mo p r i me i r o
p r e s i d e n t e n e g r o d a Á f r i c a d o S u l , u m c a r g o q u e d e t e ve
a t é 1 9 9 9 . P r e s i d i u à t r a n s i ç ã o d o g o ve r n o d e m i n o r i a s e
apartheid, tendo conquistado o respeito internacional
pela s ua def es a da r e co n c i l i a ç ã o nacional e
internacional.

B E AT R I Z B AR R E I R A, 1 0 º A
BEATRIZ SILVA, 10ºB

AN A M O Ç O , 1 0 º C

D I O G O M AN ATA, 1 0 º B
MADRE TERESA
DE CALCUTÁ
AF O N S O S I M Õ ES , 1 0 º A
LEONARDO DA
VINCI
S I M Ã O PAS C O AL , 1 0 º A
CHICO
MENDES
JOANA FERREIRA, 10ºB
GUILHERME,10ºA
Mohandas
Karamchand
Gandhi
C o n h e c i d o c o mo Ma h a t ma G a n d h i , n a s c e u
em Porbandar na Índia, no dia 2 de outubro
d e 1 8 6 9 . S u a f a mí l i a p e r t e n c i a à c a s t a d o s
c o me r c i a n t e s , co n h e c i d a p o r b a n i a . Fo i u m
líder p a c i f i st a indiano. Principal
p er s on a l i d a d e d a i ndepen dênc i a d a Í n d i a ,
então colônia britânica. Ganhou destaque
n a l u t a c o n t r a o s i n g l e s e s p o r me i o d e s e u
p r o j e t o d e n ã o - vi o l ê n c i a .

D AN I E L A N E TO , 1 0 º A.
Emma
Watson
MARIA NETO, 10ºB
Atena Daemi
Esta senhora nasc eu a 1988 e é i raniana e ativis ta dos
direitos civis , di rei tos das c rianças ativ istas , di rei tos
humanos ativistas . Foi pres a no dia 21 de Outubro de
2014 e condenada a parti r do dia 21 de Mai o de 2015 a
catorze anos de pri são es te j ulgamento durou c erc a de
15 minutos repleto de acus ações forj adas. Atena Daemi
foi acus ada por andar a di stri bui r panfletos contra a
pena de mort e e publicou esse motiv o nas s uas redes
(ela publicou no Fac ebook e no Twi tter) . É c o n si de ra d a
c o m o u m a pri si o n e i ra de c o n sc i ê n c i a pela A m n i s ti a
I n t e rn a c i o n a l .

DÉBORA ALMEIDA, 10ºB


Rosa Louise
McCauley

Rosa Louise M c C a u l e y, mais conhecida por Rosa


P a r k s ( Tu s k e g e e , 4 d e f e v e r e i r o d e 1 9 1 3 – D e t r o i t , 2 4 d e
outubro de 2005), foi uma ativista negra norte-americana,
símbolo do movimento dos direitos civis dos negros nos
Estados Unidos. Ficou famosa, no 1º de dezembro de 1955, por
ter-se recusado frontalmente a ceder o seu lugar
no autocarro a um caucasiano, tornando-se o estopim do
movimento que foi denominado boicote aos autocarros de
Montgomery e posteriormente viria a marcar o início da luta
antis segregacionista.

M Á R I O N E TO , 1 0 º A
Thomas
Jefferson
J eff er s o n foi um dos mai s influentes
Fo u n d i n g Fa t h e r s ( o s p a i s f u n d a d o r e s )
d a n a ç ã o , J e ff er s o n f i c o u c o n h e c i d o p e l a
sua p r o mo ç ã o dos ideais do
r e p u b l i c a n i s mo n o s E UA , e l e c o n s e g u i a
vi s ual i z a r o pai s c omo a força
por trás de um grande “ i mp é r i o de
liberdade” que p r o mo ve r i a o
r e p u b l i c a n i s mo e poderia co m b a t e r o
i m p e r i a l i s mo d o i m p é r i o b r i t â n i c o .

V I TO R T E I X E I R A, 1 0 º A
Helen
Keller

“A ativista que escolhi é a Helen Keller.


Lutou pela igualdade das mulheres e de
pessoas com deficiência. Apesar das
suas limitações ( surda e cega ) não
deixou de lutar e tirou mestrado em
filosofia.” M AR I A M I G U E L, 1 0 º C
HELEN
KELLER

INÊS ENCARNAÇÃO, 10ºC


BEATRIZ CAPELA, 10ºB CONSTANÇA, 10ºC
CÉSAR CHÁVEZ

DIOGO SIMÕES, 10ºA


ANA OLIVEIRA, 10ºB
CATARINA ROCHA, 10ºC
Malala Yousafzai
➢ M a lal a You s a fz a i foi ba lea da p e lo s tal ibã co m ape nas 15 a nos,
e f o i a í q u e e l a d e c i di u s e r u m a a t i vi s t a ;

➢ Torn ou-s e at i vi sta dos dir eitos das cr ianç as, qua ndo fo i víti ma
d e u m atent ado por d efend er o di reit o das men inas de ire m à
e s c o la ;

➢ C o m a p e n as 1 7 a n o s , g a n h o u o Pr é m i o N o ve l d a Pa z .

B E AT R I Z P E R E I R A, 1 0 º C

S AR A, 1 0 º C
Malala

“Uma criança, um professor, um livro e um lápis podem


mudar o mundo.”

CRISTIANA DINIZ, 10ºB


DESMOND TUTU

IRIS LAVRADOR, 10ºA


ELEANOR
ROOSEVELT

ANDREIA MARQUES, 10ºC


Ada Lovelace

“A educação é um elemento importante na luta pelos direitos


humanos. É o meio para ajudar os nossos filhos e as pessoas a
redescobrirem a sua identidade e, assim, aumentar o sua auto -
respeito. Educação é o nosso passaporte para o futuro, pois o
amanhã só pertence ao povo que prepara o hoje.”

Malcolm X

Augusta Ada Byron King, Condessa de Lovelace (nascida


Byron, 10 de dezembro de 1815 — 27 de novembro de
1852), atualmente conhecida como Ada Lovelace, foi uma
matemática e escritora inglesa. Hoje é reconhecida
principalmente por ter escrito o primeiro algoritmo para ser
processado por uma máquina, a máquina analítica de
C h a r l e s B a b b a g e . S I M Ã O M AR Q U E S , 1 0 º A
OKSANA
SHACHKO

MARIANA SANTOS, 10ºB


XIYE BATISTA

ARIANA, 10ºB
GRETA
THUNBERG
CATARINA CONDE, 10ºA
Filosofia e No âmbito da disciplina de Filosofia foi

Direitos
solicitado aos alunos do 10º ano que
pesquisassem notícias atuais em que
verificamos a violação dos direitos humanos.
Humanos
Violência doméstica
Portugal

B E AT R I Z S I LVA, 1 0 º B
Violência doméstica
EUA

B R U N A C AS T R O , 1 0 º B
TERRORISMO
novembro 2020
Professora
com leucemia
obrigada a
regressar ao
serviço.
VIOLÊNCIA
DOMÉSTICA

JOANA PEREIRA, 10ºB


Pandemia e
crise de
direitos
Racismo,
Preconceito,
Discriminação
Artigo 1.º

Todos os seres humanos nascem livres


e iguais em dignidade e em direitos.
Dotados de razão e de consciência,
devem agir uns para com os outros em
espírito de fraternidade.

DUDH
Polónia,
Aborto
A escravidão
ainda existe

Artigo 4.º
Ninguém será mantido em escravatura ou
em servidão; a escravatura e o trato dos
escravos, sob todas as formas, são
proibidos.
DUDH
PARTICIPAÇÃO

CATARINA ROCHA, 10ºC


Abuso de
menores

ANDREIA MARQUES, 10ºC


Artigo 3.º
Todo o indivíduo tem direito à vida, à liberdade e à
segurança pessoal.

MARIA NETO, 10ºB


GENOCÍDIO

Artigo 5.º
Ninguém será submetido a tortura
nem a penas ou tratamentos cruéis,
desumanos ou degradantes.
DUDH

I N Ê S E N C AR N AÇ Ã O , 1 0 º C
TODOS OS SERES
HUMANOS TÊM DIREITO
A TER DIREITOS.

EU SOU UM SER
HUMANO.

LOGO…

Você também pode gostar